SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 238
Baixar para ler offline
Maria Aparecida Caetano Paulino
R
i
m
Coração
IDIDID
R
i
m
IDIDID
1
MARIA APARECIDA CAETANO PAULINO
MANUAL DE REFLEXOLOGIA PODAL:
APLICAÇÕES E MANUSEIOS
2011
2
3
PAULINO, Maria Aparecida Caetano
Manual de reflexologia podal: aplicações e manuseios. Batatais: Marco Antonio Canelli, 2011.
Massoterapia - Reflexologia - Podal - Aplicações - Manuseios.
ISBN - 978-85-908750-0-0
Contatos para adquirir exemplares.
Fone: (016) 3761.5441
Celular: 8135.8985
picida_picida@hotmail.com
* Atenção: É expressamente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste Manual sem a
prévia autorização da editora.
Edição I
Ano 2011 (1000 exemplares)
Colaboração:
DRA. SUZANA KIOKO NAMBU
Projeto gráfico e editoração:
AUGUSTO PIZZI NETO
9143-9544 / 3662-8776
Editora:
Maria Aparecida Caetano Paulino
Impressão:
Cristal Indústria Gráfica
4
5
O que mais me surpreende na humanidade?
Os homens [...] porque perdem a saúde para
juntar bens materiais e depois perdem tudo para
recuperar a saúde. E pensam tão ansiosamente
no futuro que se esquecem do presente - de tal
forma que acabam por não viver nem o presente
e nem o porvir - pois quando o futuro chega eles
não o reconhecem [...] E vivem como se nunca
fossem morrer [...] e morrem, lastimando, como
se nunca tivessem vivido!
Dalai Lama [s.d]
6
7
Dedico esta obra à minha mãe, Geralda da
Silva Caetano, meu exemplo maior de vida e
minha inspiração em todos os momentos e em
diferentes ações. Meu espelho pessoa forte,
guerreira e feliz, que da sua forma sempre me
apoiou. Faltam palavras. A ela tudo.
A meu pai Arsenio Olimpio Caetano, personalida-
de marcante, também responsável por meu cará-
ter e minha pessoa. Muito me ensinou.
Aos meus irmãos Celso Luiz Olimpio Caetano e
Eliana Aparecida Caetano de Oliveira, que com
suas particularidades me ensinam cotidianamen-
te o verdadeiro sentido da palavra irmandade.
A minha filha Laura Caetano Paulino, personifi-
cação de honradez e espírito ativo, que se não
se bastasse por si só, com Diego Cesar Faria de
Andrade, me presenteou com a vinda de SARAH
PAULINO DE ANDRADE, uma princesa que deu
alegria e da novo norte a nossas vidas.
à José Roberto Paulino, meu esposo e compa-
nheiro, que a cada dia me torna uma pessoa me-
lhor. Ser inigualável.
8
À Marco Antonio Canelli, além de amigo para
sempre, um mecenas, favorecedor da publica-
ção desta obra. Há mais de cinco décadas, atra-
vés de sua postura amiga, presente mesmo em
momentos de ausência física, de maneira alter-
nada e personalizada, comprova a cada amigo
para sempre, que a amizade é o maior bem, e
que cada um, a seu modo tem o seu valor e que
por ele é reconhecido.
Com seu apoio deu prova que “um sonho que
se sonha só, é só um sonho que se sonha só,
mas sonho que se sonha junto é realidade”.
(Raul Seixas).
9
Agradeço
A Deus, pelas forças recebidas em todos os momentos de minha vida.
A amiga e Doutora Maria Cristina Menezes Valenciano, fonte de incentivo e colaboração.
Aos colegas do curso de Massoterapia e, em especial, a Priscila Naira Aguiar e Mônica M. Alonso,
exemplos de auxílio durante nossos estudos.
À Direção, Docentes e Funcionários da Escola SENAC - Unidade Franca pela possibilidade de aqui-
sição de conhecimentos.
À docente, fisioterapeuta, massoterapeuta e reflexologista Dra. Suzana Kioko Nambu pelos ensina-
mentos relativos à reflexologia podal.
E, especialmente, à Joana D’Arc F. Paulino.
10
11
APRESENTAÇÃO
A autora elaborou este Manual de Reflexologia Podal - Aplicações e Manuseios, pensando em de-
senvolver uma forma eficaz para compreender e obter um resultado eficiente, colocando em prática
este trabalho, na tentativa de elucidar aos colegas de classe e outros profissionais da Área da Saú-
de.
Com o estresse do dia a dia o ser humano está esquecendo cada vez mais de cuidar de si mesmo,
desequilibrando o seu interior. A Técnica de Reflexologia Podal vai ajudar a colocar o cliente em
equilíbrio novamente trazendo uma perfeita harmonia e com isso a qualidade de vida desejada e
necessária.
A massagem reflexológica MTC (Medicina Tradicional Chinesa) ativa o mecanismo de cura que exis-
te no interior de cada um de nós e seu efeito é acumulativo.
Portanto, acredito que este Manual trará uma valiosa contribuição a todos que buscam aprofundar
conhecimentos para aplicações e manuseios em Reflexologia Podal.
DRA. JUPIRA MARTINIANO
Fisioterapeuta especializada em Dermato Funcional, docente 2007
da disciplina Drenagem Linfática do SENAC - Unidade - Franca/SP
12
13
SUMÁRIO
INTRODUÇÃO................................................................................................................................... 19-20
CAPÍTULO I............................................................................................................................................ 21
MODELO PLANTAR............................................................................................................................... 25
MODELO MEDIAL.................................................................................................................................. 27
MODELO LATERAL............................................................................................................................... 29
MODELO DORSAL................................................................................................................................. 31
CAPITULO II - PATOLOGIAS DA CABEÇA / PESCOÇO..................................................................... 33
Tabela 1 - Patologias da Cabeça / Pescoço..................................................................................................35
Figura 1 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Dor de Cabeça - Enxaqueca e Estresse - (Plantar)............37
Figura 2 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Dor de Cabeça - Enxaqueca e Estresse - (Medial).............38
Figura 3 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Dor de Cabeça - Enxaqueca - Estresse - (Dorsal)..............39
Figura 4 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Hormonais - (Plantar)...........................................................40
Figura 5 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Hormonais - (Medial)............................................................41
Figura 6 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Hormonais - (Lateral)...........................................................42
Figura 7 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Hormonais - (Dorsal)............................................................43
Figura 8 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Nervos Trigêmeos - (Plantar)...............................................44
Figura 9 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Nervos Trigêmeos - (Medial)................................................45
Figura 10 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Nervos Trigêmeos - (Dorsal) .............................................46
CAPITULO III - PATOLOGIAS DO OUVIDO.......................................................................................... 47
Tabela 2 - Patologias do Ouvido............................................................................................................. 49
Figura 11 - Patologias do Ouvido - Infecções e Zumbidos - (Plantar)..................................................... 51
Figura 12 - Patologias do Ouvido - Labirinto - (Plantar).......................................................................... 52
CAPITULO IV - PATOLOGIAS DO OLHO.............................................................................................. 53
Tabela 3 - Patologias do Olho................................................................................................................. 55
Figura 13 - Patologia do Olho - Visão Embaçada - (Plantar).................................................................. 57
14
Figura 14 - Patologia do Olho - Conjuntivite - (Plantar).......................................................................... 58
Figura 15 - Patologia do Olho - Terçol - (Plantar).................................................................................... 59
Figura 16 - Patologia do Olho - Glaucoma - (Plantar)............................................................................. 60
CAPITULO V - PATOLOGIAS NASAIS.................................................................................................. 61
Tabela 4 - Patologias Nasais................................................................................................................... 63
Figura 17 - Patologias Nasais - Renite - Nariz Congestionado - (Plantar).............................................. 65
Figura 18 - Patologias Nasais - Renite - Nariz Congestionado - (Dorsal)............................................... 66
Figura 19 - Patologia NasaL - Sinusite - (Plantar)................................................................................... 67
Figura 20 - Patologia NasaL - Sinusite - (Dorsal).................................................................................... 68
CAPÍTULO VI - PATOLOGIAS DA BOCA.............................................................................................. 69
Tabela 5 - Patologias da Boca................................................................................................................. 71
Figura 21 - Patologia da Boca - Dentes - (Plantar)................................................................................. 73
Figura 22 - Patologia da Boca - Dentes - (Medial).................................................................................. 74
Figura 23 - Patologia da Boca - Dentes - (Dorsal).................................................................................. 75
Figura 24 - Patologia da Boca - Afta - (Plantar)...................................................................................... 76
Figura 25 - Patologia da Boca - Afta - (Medial)....................................................................................... 77
CAPITULO VII - PATOLOGIAS DA GARGANTA................................................................................... 79
Tabela 6 - Patologias da Garganta.......................................................................................................... 81
Figura 26 - Patologias da Garganta - Amídalas e Laringe - (Plantar)..................................................... 83
Figura 27 - Patologias da Garganta - Amídalas e Laringe - (Medial)...................................................... 84
CAPITULO VIII - PATOLOGIAS DA ÁREA DO PEITO.......................................................................... 85
Tabela 7 - Patologias da Área do Peito................................................................................................... 87
Figura 28 - Patologia da Área do Peito - Angina - (Plantar).................................................................... 89
Figura 29 - Patologia da Área do Peito - Angina - (Medial)..................................................................... 90
Figura 30 - Patologia da Área do Peito - Angina - (Lateral).................................................................... 91
Figura 31 - Patologia da Área do Peito - Angina - (Dorsal)..................................................................... 92
Figura 32 - Patologia da Área do Peito - Bronquite - (Plantar)................................................................ 93
15
Figura 33 - Patologia da Área do Peito - Bronquite - (Medial)................................................................ 94
Figura 34 - Patologia da Área do Peito - Bronquite - (Lateral)................................................................ 95
Figura 35 - Patologia da Área do Peito - Bronquite - (Dorsal)................................................................. 96
Figura 36 - Patologia da Área do Peito - Asma - (Plantar)...................................................................... 97
Figura 37 - Patologia da Área do Peito - Asma - (Medial)....................................................................... 98
Figura 38 - Patologia da Área do Peito - Asma - (Lateral)...................................................................... 99
Figura 39 - Patologia da Área do Peito - Asma - (Dorsal)..................................................................... 100
Figura 40 - Patologia da Área do Peito - Palpitação - (Plantar)............................................................ 101
Figura 41 - Patologia da Área do Peito - Palpitação - (Medial)............................................................. 102
Figura 42 - Patologia da Área do Peito - Palpitação - (Lateral)............................................................. 103
Figura 43 - Patologia da Área do Peito - Palpitação - (Dorsal)............................................................. 104
CAPITULO IX - PATOLOGIA DA GLÂNDULA MAMÁRIA.................................................................. 105
Tabela 8 - Patologia da Glândula Mamária........................................................................................... 107
Figura 44 - Patologia da Glândula Mamária - Mastite - (Plantar).......................................................... 109
Figura 45 - Patologia da Glândula Mamária - Mastite - (Medial)............................................................110
Figura 46 - Patologia da Glândula Mamária - Mastite - (Lateral)...........................................................111
Figura 47 - Patologia da Glândula Mamária - Mastite - (Dorsal)............................................................112
CAPITULO X - PATOLOGIAS DAS COSTAS.......................................................................................113
Tabela 9 - Patologias das Costas...........................................................................................................115
Figura 48 - Patologia das Costas - Lombalgia - (Plantar)......................................................................117
Figura 49 - Patologia das Costas - Lombalgia - (Medial).......................................................................118
Figura 50 - Patologia das Costas - Lombalgia - (Lateral).......................................................................119
Figura 51 - Patologia das Costas - Ciatalgia - (Plantar)........................................................................ 120
Figura 52 - Patologia das Costas - Ciatalgia - (Medial)......................................................................... 121
Figura 53 - Patologia das Costas - Ciatalgia - (Lateral)........................................................................ 122
CAPITULO XI - PATOLOGIAS DO BRAÇO E MÃO............................................................................ 123
Tabela 10 - Patologias do Braço e Mão................................................................................................ 125
Figura 54 - Patologia do Braço e Mão - Ombro Duro - (Plantar)........................................................... 127
16
Figura 55 - Patologia do Braço e Mão - Ombro Duro - (Medial)........................................................... 128
Figura 56 - Patologia do Braço e Mão - Ombro Duro - (Lateral)........................................................... 129
Figura 57 - Patologia do Braço e Mão - Ombro Duro - (Dorsal)............................................................ 130
Figura 58 - Patologia do Braço e Mão - Cotovelo de Tenista - (Plantar)............................................... 131
Figura 59 - Patologia do Braço e Mão - Cotovelo de Tenista - (Medial)................................................ 132
Figura 60 - Patologia do Braço e Mão - Cotovelo de Tenista - (Lateral)............................................... 133
Figura 61 - Patologia do Braço e Mão - Cotovelo de Tenista - (Dorsal)................................................ 134
Figura 62 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome do Túnel do Cárpio - (Plantar)............................... 135
Figura 63 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome do Túnel do Cárpio - (Medial)................................ 136
Figura 64 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome do Túnel do Cárpio - (Lateral)................................ 137
Figura 65 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome do Túnel do Cárpio - (Dorsal)................................ 138
Figura 66 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome de Raynaud - (Plantar).......................................... 139
Figura 67 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome de Raynaud - (Medial)........................................... 140
Figura 68 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome de Raynaud - (Lateral)........................................... 141
Figura 69 - Patologia do Braço e Mão - Sindrome de Raynaud - (Dorsal)............................................ 142
Figura 70 - Patologia do Braço e Mão - LER/DORT - (Plantar)............................................................ 143
Figura 71 - Patologia do Braço e Mão - LER/DORT - (Medial)............................................................. 144
Figura 72 - Patologia do Braço e Mão - LER/DORT - (Lateral)............................................................. 145
Figura 73 - Patologia do Braço e Mão - LER/DORT - (Dorsal)............................................................. 146
Figura 74 - Patologia do Braço e Mão - Bursite - (Plantar)................................................................... 147
Figura 75 - Patologia do Braço e Mão - Bursite - (Medial).................................................................... 148
Figura 76 - Patologia do Braço e Mão - Bursite - (Lateral).................................................................... 149
Figura 77 - Patologia do Braço e Mão - Bursite - (Dorsal).................................................................... 150
CAPITULO XII - PATOLOGIAS DO SISTEMA DIGESTIVO................................................................ 151
Tabela 11 - Patologias do Sistema Digestivo........................................................................................ 153
Figura 78 - Patologia do Sistema Digestivo - Pedras na Vesícula - (Plantar)....................................... 155
Figura 79 - Patologia do Sistema Digestivo - Síndrome do Intestino Irritável - (Plantar)...................... 156
Figura 80 - Patologias do Sistema Digestivo - Gastrite e Ulcera - (Plantar)......................................... 157
Figura 81 - Patologias do Sistema Digestivo - Gastrite e Ulcera - (Medial).......................................... 158
17
CAPITULO XIII - PATOLOGIAS MENSTRUAIS................................................................................... 159
Tabela 12 - Patologias Menstruais........................................................................................................ 161
Figura 82 - Patologias Menstruais - Cólicas - (Plantar)......................................................................... 163
Figura 83 - Patologias Menstruais - Cólicas - (Medial)......................................................................... 164
Figura 84 - Patologias Menstruais - Cólicas - (Lateral)......................................................................... 165
Figura 85 - Patologias Menstruais - Cólicas - (Dorsal).......................................................................... 166
Figura 86 - Patologias Menstruais - TPM - Tensões Pré-Menstruais - (Plantar)................................... 167
Figura 87 - Patologias Menstruais - TPM - Tensões Pré-Menstruais - (Medial).................................... 168
Figura 88 - Patologias Menstruais - TPM - Tensões Pré Menstruais - (Lateral).................................... 169
Figura 89 - Patologias Menstruais - TPM - Tensões Pré Menstruais - (Dorsal).................................... 170
Figura 90 - Patologias Menstruais - Funções Hormonais - (Plantar).................................................... 171
Figura 91 - Patologias Menstruais - Funções Hormonais - (Medial)..................................................... 172
Figura 92 - Patologias Menstruais - Funções Hormonais - (Lateral)..................................................... 173
Figura 93 - Patologias Menstruais - Funções Hormonais - (Dorsal)..................................................... 174
CAPITULO XIV - PATOLOGIAS DO SISTEMA URINÁRIO................................................................. 175
Tabelas 13 - Patologias do Sistema Urinário........................................................................................ 177
Figura 94 - Patologia da Bexiga - Cistite - (Plantar).............................................................................. 179
Figura 95 - Patologia na Bexiga - Incontinência Urinária - (Plantar)..................................................... 180
Figura 96 - Patologia na Bexiga - Incontinência Urinária - (Medial)...................................................... 181
Figura 97 - Patologia na Bexiga - Incontinência Urinária - (Lateral)..................................................... 182
Figura 98 - Patologia na Bexiga - Incontinência Urinária - (Dorsal)...................................................... 183
Figura 99 - Patologia do Sistema Urinário - Pedras nos Rins - (Plantar).............................................. 184
Figura 100 - Patologia do Sistema Urinário - Pedras nos Rins - (Medial)............................................. 185
Figura 101 - Patologia do Sistema Urinário - Dilatação da Próstata - (Plantar).................................... 186
Figura 102 - Patologia do Sistema Urinário - Dilatação da Próstata - (Medial)..................................... 187
CAPITULO XV - PATOLOGIAS DOS PÉS........................................................................................... 189
Tabela 14 - Patologias dos Pés............................................................................................................. 191
Figura 103 - Patologias dos Pés - Pés e Tornozelos Inchados - (Plantar)............................................ 193
Figura 104 - Patologias dos Pés - Pés e Tornozelos Inchados - (Medial)............................................. 194
18
Figura 105 - Patologias dos Pés - Pés e Tornozelos Inchados - (Lateral)............................................ 195
Figura 106 - Patologias dos Pés - Pés e Tornozelos Inchados - (Dorsal)............................................. 196
Figura 107 - Patologias dos Pés - Frieiras - (Plantar)........................................................................... 197
Figura 108 - Patologias dos Pés - Frieiras - (Medial)............................................................................ 198
Figura 109 - Patologias dos Pés - Frieiras - (Lateral)........................................................................... 199
Figura 110 - Patologias dos Pés - Frieiras - (Dorsal)............................................................................ 200
CAPITULO XVI - OUTRAS PATOLOGIAS........................................................................................... 201
Tabela 15 - Outras Patologias............................................................................................................... 203
Figura 111 - Patologia das Reações Alérgicas - (Plantar)..................................................................... 205
Figura 112 - Patologia da Artrite - (Plantar)........................................................................................... 206
Figura 113 - Patologia da Ansiedade - (Plantar).................................................................................... 207
Figura 114 - Patologia do Estresse - (Plantar)...................................................................................... 208
Figura 115 - Patologia do Estresse - (Medial)....................................................................................... 209
Figura 116 - Patologia de Dor de Dente Aguda... - (Plantar)................................................................. 210
Figura 117 - Patologia da Dor de Dente Aguda... - (Medial)...................................................................211
Figura 118 - Patologia da Dor de Dente Aguda... - (Lateral)................................................................. 212
Figura 119 - Patologia da Dor de Dente Aguda... - (Dorsal).................................................................. 213
CAPITULO XVII - INFORMAÇÕES TÉCNICAS................................................................................... 215
Roteiro da Aplicação da Reflexologia............................................................................................. 217-220
Indicações e Manuseios dos Pontos em Reflexologia................................................................... 221-230
CONCLUSÃO....................................................................................................................................... 231
GLOSSÁRIO.................................................................................................................................. 233-234
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS..................................................................................................... 235
19
INTRODUÇÃO
A Reflexologia não trata a doença independentemente de seus sintomas. Através de sua
aplicabilidade deseja-se a busca do equilíbrio físico e mental do cliente, por meio do tratamento de
todos os sistemas corporais e energéticos com vistas ao retorno da homeostase e a conseqüente
redução da tensão, via técnica de relaxamento.
É conhecido o fato de que o poder da mente pode afetar todas as células do corpo, provo-
cando a ocorrência de mudanças químicas. A existência de emoções negativas como a ansiedade,
desgosto, medo, preocupação, raiva e outros excessos, acabam por comprometer o equilíbrio físico
e mental, afetando assim as condições de saúde.
Nesse caso a habilidade do terapeuta ao aplicar seus conhecimentos e a sensibilidade para
diagnosticar e aplicar as técnicas mais adequadas a cada caso são fatores tão importantes quanto
o relacionamento entre terapeuta e beneficiário.
A Reflexologia através da utilização das mãos do profissional transmite ao cliente energia
vital à maior obra-prima: O corpo humano. Neste sentido, julgamos premente a citação de um dito
popular: “é preferível prevenir a remediar”.
As razões que levaram autora a escrever este Manual procedem da intenção de socializar
estudos e registros por ela realizados, sobre Reflexologia a partir de conhecimentos adquiridos du-
rante a realização do Curso Técnico de Massoterapia junto a Escola SENAC - Unidade Franca/SP.
A metodologia empregada para a elaboração deste manual foi a seguinte: a partir do conhe-
cimento dos modelos plantar, medial, lateral e dorsal do pé humano a estudiosa ampliou conheci-
mentos acerca da anatomia e fisiologia humana a fim de propor figuras que contribuíssem para que
profissionais da área da saúde pudessem melhor visualizar os pés e conseqüentemente aplicar a
técnica da reflexologia com maior probabilidade de ganho para o cliente em termos de atendimen-
20
tos. Foram construídas 119 figuras dos pés e 15 tabelas das 46 patologias a serem tratadas e os
respectivos pontos reflexores (cristais).
Os objetivos que embasaram a elaboração do Manual em referência são:
•	Descrever detalhadamente os procedimentos, aplicações e manuseios dos pontos em
reflexologia podal.
•	Criar material bibliográfico sobre reflexologia: aplicações e manuseios.
•	Contribuir para a prática profissional na área da saúde e com a qualidade de vida dos res-
pectivos clientes.
•	Divulgar as possibilidades de intervenções através da reflexologia e a própria técnica.
TRATAMENTO
	 1 - SEDAÇÃO: Distúrbios por excesso de energia, (Dores, nervosismo, infecções, hiperativi-
dade orgânica, etc.)
	 Procedimento: Pressão forte e profunda com a popa ou unha dos polegares - de um a cinco
minutos.
	 Resultado: Analgesia, acalma e relaxa.
	 2 - TONIFICAÇÃO: Distúrbio por deficiência de energia (Desmaio, depressão, prostração,
insuficiência orgânica, etc.)
	 Procedimento: Pressão leve e repetidas com a ponta dos dedos polegares - de um a cinco
minutos.
	 Resultado: Dar vigor, fortalecer e estimular.
21
CAPÍTULO I
MODELOS PLANTAR, MEDIAL, LATERAL E DORSAL
DO PÉ HUMANO
22
23
A figura da Capa deste Manual e os modelos que dão origem a estes anexos foram fornecidos pela
docente fisiotarapeuta, massoterapeuta e reflexologista Dra. Suzana Kioko Nambu da disciplina Re-
flexologia Podal - Escola SENAC - Unidade de Franca - Curso Técnico de Massoterapia (2007)
24
25
MODELO PLANTAR.
Fonte: Material didático - sala de aula.
26
27
MODELO MEDIAL.
Fonte: Material Didático - sala de aula.
28
29
MODELO LATERAL.
Fonte: Material didático - sala de aula.
30
31
MODELO DORSAL.
Fonte: Material didático - sala de aula.
32
33
CAPÍTULO II
PATOLOGIAS DA CABEÇA / PESCOÇO
34
35
Tabela 1 - Patologias da cabeça e pescoço.
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Patologias Pontos Reflexores (Cristais)
Dor de cabeça
Enxaqueca
Estresse
Cérebro Cervical Pescoço Vesicula Biliar
Pâncreas Olhos Tireóide Estômago
Hipófise Fígado
Hormonais
Hipófise Tireóide Útero/Próstata
Pescoço Pâncreas Supra Renal Ovário/Testiculo
Trigêmeos
Tireóide Cérebro Dentes Nervos Trigêmeos
Rosto
Causas: Estresse, vista , poluição, má digestão, alimentação inadequada, hormônios, reações alérgi-
cas, ressaca, ansiedade, excesso de trabalho, sinusite, nevralgia, insônia, dor de cabeça e tontura.
Tabela das patologias da cabeça e pescoço
As tabelas sequentes são expostas com o fim de tornar mais claro ao leitor os pontos reflexores
(cristais) utilizados para as aplicações e manuseios dos pés dos clientes tratados pelo reflexologis-
ta.
Vale ressaltar que se faz necessária a realização de abertura do Plexo Solar antes do início da apli-
cação da técnica de reflexologia, através de uma dezena de pressões firmes e contínuas (sentido
horário).
36
37
Figura 1 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Dor de Cabeça, Enxaqueca e Estresse - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
38
Figura 2 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Dor de Cabeça, enxaqueca e estresse - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
39
Figura 3 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Dor de Cabeça Enxaqueca e Estresse - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
40
Figura 4 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Hormonais - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
41
Figura 5 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Hormonais - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
42
Figura 6 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Hormonais - (Lateral)
Fonte: Acervo da autora, 2008.
43
Figura 7 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Hormonais - (Dorsal)
Fonte; Acervo da autora, 2008.
44
Figura 8 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Nervos Trigêmeos - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
45
Figura 9 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Nervos trigêmeos - (Medial)
Fonte: Acervo da autora, 2008.
46
Figura 10 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Nervos trigêmeos - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
47
CAPÍTULO III
PATOLOGIAS DO OUVIDO
48
49
Tabela 2 - Patologias do ouvido.
CAUSAS: Coceira, ardor ao toque, friagem, estresse, excesso de atividades diárias, tontura, otite,
dificuldades auditivas, zumbido e causas desconhecidas.
OBS: Fazer relaxamento geral
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Patologias Pontos Reflexores (Cristais)
Infecção e
Zumbido
Seios Paranasais Baço Ouvido Pescoço
Labirintite
Seios Paranasais Baço Ouvido Pescoço
Fígado Cérebro Hipófise Vesicula Biliar
50
51
Figura 11 - Patologias do Ouvido - Infecção e Zumbido - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
52
Figura 12 - Patologias do Ouvido - Labirintite - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
53
CAPÍTULO IV
PATOLOGIAS DO OLHO
54
55
Tabela 3 - Patologias do Olho.
CAUSAS: Dor, inchaço, secreção, estado de choque, olhos fotossensíveis, estresse, pressão intra-
ocular e hemorragia dos olhos.
OBS: Com o final do estado de estresse os sintomas desaparecem. Fazer relaxamento da área
reflexa dos olhos.
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Patologias Pontos Reflexores (Cristais)
Visão Embaçada Relaxamento da área dos olhos
Conjuntivite Seios Paranasais Baço Olhos
Terçol Seios Paranasais Baço Olhos
Glaucoma
Seios Paranasais Rim Olhos
Cérebro Ureter Bexiga
56
57
Figura 13 - Patologia do Olho - Visão Embaçada - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Obs.: Relaxamento da área reflexa dos olhos.
58
Figura 14 - Patologia do Olho - Conjuntivite - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
59
Figura 15 - Patologia do Olho - Terçol - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
60
Figura 16 - Patologia do Olho - Glaucoma - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
61
CAPÍTULO V
PATOLOGIAS NASAIS
62
63
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Tabela 4 - Patologias Nasais.
Patologias Pontos Reflexores (Cristais)
Renite
Nariz Congestionado
S. Paranasais Baço Cérebro Vesícula Biliar
Ureter Rim Rosto Estômago
Pâncreas Bexiga Fígado
Sinusite S. Paranasais Cérebro Olhos Ouvido
CAUSAS: Sinusite, inflamação virótica da membrana que cobre os seios nasais, dor latejante, perda
do olfato, dor de cabeça, resfriado, reações alérgicas e rouquidão.
64
65
Figura 17 - Patologias Nasais - Renite - Nariz Congestionado - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
66
Figura 18 - Patologias Nasais - Renite - Nariz Congestionado - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
67
Figura 19 - Patologia Nasal - Sinusite - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
68
Figura 20 - Patologia Nasal - Sinusite - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
69
CAPÍTULO VI
PATOLOGIAS DA BOCA
70
71
Tabela 5 - Patologias da Boca.
CAUSAS: (Afta - embaixo da língua, interno dos lábios e das bochechas) estresse, alergia, feri-
mentos, problemas digestivos, dor de dentes e emergencial.
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Patologias Pontos Reflexores (Cristais)
Dente Dentes Hipófise Cérebro
Afta Estômago Pâncreas Fígado Cérebro Vesícula Biliar
72
73
Figura 21 - Patologia da Boca - Dentes - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
74
Figura 22 - Patologia da Boca - Dentes - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
75
Figura 23 - Patologia da Boca - Dentes (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
76
Figura 24 - Patologia da Boca - Afta - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
77
Figura 25 - Patologia da Boca - Afta - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
78
79
CAPÍTULO VII
PATOLOGIAS DA GARGANTA
80
81
Tabela 6 - Patologias da Garganta.
CAUSAS: Perda de voz, dor para engolir, vírus, poluição (cigarro), inflamação, má impostação da
voz e forças das cordas vocais.
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Patologias Pontos Reflexores (Cristais)
Amidalas e
Laringe
Seios Paranasais Garganta Cervical Baço
82
83
Figura 26 - Patologias da Garganta - Amídalas e Laringe - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
84
Figura 27 - Patologias da Garganta - Amídalas e Laringe - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
85
CAPÍTULO VIII
PATOLOGIAS DA ÁREA DO PEITO
86
87
Tabela 7 - Patologias da Área do Peito.
CAUSAS: Poluição, tabagismo, tosse, falta de ar, estresse, arritmia, ingestão alcoólica, cafeína,
alergia, problemas cardíacos, dor no peito irradiada, bronco espasmo, crônico, vírus bacterianos e
chiado no peito.
Obs.: Somente neste caso, deve-se fazer o relaxamento do órgão Diafragma.
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Patologias Pontos Reflexores (Cristais)
Angina
Vesícula Biliar Coração Pulmão
Cervical Fígado Costela
Bronquite
Diafragma Coração Pulmão Estômago Torácica
Fígado Baço Vesícula Biliar Pâncreas
Asma Diafragma Coração Pulmão Torácica Costela
Palpitação Diafragma Coração Coluna Pulmão Plexo Solar
88
89
Figura 28 - Patologia da Área do Peito - Angina - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
90
Figura 29 - Patologia da Área do Peito - Angina - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
91
Figura 30 - Patologia da Área do Peito - Angina - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
92
Figura 31 - Patologia da Área do Peito - Angina - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
93
Figura 32 - Patologia da Área do Peito - Bronquite - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
94
Figura 33 - Patologia da Área do Peito - Bronquite - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
95
Figura 34 - Patologia da Área do Peito - Bronquite - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
96
Figura 35 - Patologia da Área do Peito - Bronquite - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
97
Figura 36 - Patologia da Área do Peito - Asma - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
98
Figura 37 - Patologia da Área do Peito - Asma - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
99
Figura 38 - Patologia da Área do Peito - Asma - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
100
Figura 39 - Patologia da Área do Peito - Asma - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
101
Figura 40 - Patologia da Área do Peito - Palpitação - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
102
Figura 41 - Patologia da Área do Peito - Palpitação - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
103
Figura 42 - Patologia da Área do Peito - Palpitação - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
104
Figura 43 - Patologia da Área do Peito - Palpitação - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
105
C A P Í T U L O I X
PATOLOGIA DA GLÂNDULA MAMÁRIA
106
107
Tabela 8 - Patologia da Glândula Mamária.
CAUSAS: Problemas hormonais, menopausa, desequilíbrios hormonais, desobstrução, dor, des-
conforto, inflamação das glândulas mamárias e entupimento dos ductos lácteos.
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Patologias Pontos Reflexores (Cristais)
Mastite
Supra-Renal Pescoço Tireóide Hipófise
Ovários/Testículos Costelas Pâncreas Pulmão
108
109
Figura 44 - Patologia da Glândula Mamária - Mastite - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
110
Figura 45 - Patologia da Glândula Mamária - Mastite - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
111
Figura 46 - Patologia da Glândula Mamária - Mastite - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
112
Figura 47 - Patologia da Glândula Mamária - Mastite - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
113
CAPÍTULO X
PATOLOGIAS DAS COSTAS
114
115
Tabela 9 - Patologias das Costas.
CAUSAS: Compressão e dor do nervo ciático, dor local irradiada, mudança brusca de temperatura,
friagem, má postura, idade e falta de alongamento.
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Patologias Pontos Reflexores (Cristais)
Lombalgia
Cóccix Quadril Lombar Nervo Ciático
Cérebro
Ciatalgia
Cóccix Quadril Coluna Nervo Ciático
Hipófise Cérebro
116
117
Figura 48 - Patologia das Costas - Lombalgia - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
118
Figura 49 - Patologia das Costas - Lombalgia - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
119
Figura 50 - Patologia das Costas - Lombalgia - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
120
Figura 51 - Patologia das Costas - Ciatalgia - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
121
Figura 52 - Patologia das Costas - Ciatalgia - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
122
Figura 53 - Patologia das Costas - Ciatalgia - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
123
CAPÍTULO XI
PATOLOGIAS DO BRAÇO E MÃO
124
125
Tabela 10 - Patologias do Braço e Mão.
CAUSAS: Uso constante do computador, estresse, ansiedade, dores nas mãos, inflamações nos
locais, LER/DORT, fadiga muscular, estresse ansiedade, dor nas mãos, inflamações dos tendões,
compressão do meridiano na passagem entre ossos e tendões e sensação de perda de força.
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Patologias Pontos Reflexores (Cristais)
Ombro Duro Ombro/Braço Cérebro Pescoço
Cotovelo de
Tenista
Ombro/Braço Cérebro Pescoço Cervical
Joelho/Cotovelo
Síndrome Túnel
do Carpio
Ombro/Braço Cérebro Pescoço Cervical
Joelho/Cotovelo
Síndrome
Raynaud
Ombro/Braço Coração 15” Pulmão 15” Rim
Joelho/Cotovelo Ureter Bexiga
LER/DORT Ombro/Braço Cérebro Joelho/Cotovelo Pescoço
Bursite Ombro/Braço Cérebro Cervical Pescoço
126
127
Figura 54 - Patologia do Braço e Mão - Ombro Duro - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
128
Figura 55 - Patologia do Braço e Mão - Ombro Duro - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
129
Figura 56 - Patologia do Braço e Mão - Ombro Duro - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
130
Figura 57 - Patologia do Braço e Mão - Ombro Duro - (Dorsal)
Fonte: Acervo da autora, 2008.
131
Figura 58 - Patologia do Braço e Mão - Cotovelo de Tenista - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
132
Figura 59 - Patologia do Braço e Mão - Cotovelo de Tenista - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
133
Figura 60 - Patologia do Braço e Mão - Cotovelo de Tenista - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
134
Figura 61 - Patologia do Braço e Mão - Cotovelo de Tenista - (Dorsal)
Fonte: Acervo da autora 2008.
135
Figura 62 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome do Túnel do Cárpio - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
136
Figura 63 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome do Túnel do Cárpio - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
137
Figura 64 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome do Túnel do Cárpio - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
138
Figura 65 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome do Túnel do Cárpio - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
139
Figura 66 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome de Raynaud - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.	
Obs.: Neste caso o órgão coração será pressionado por quinze segundos diariamente.
140
Figura 67 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome de Raynaud - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
141
Figura 68 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome de Raynaud - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
142
Figura 69 - Patologia do Braço e Mão - Sindrome de Raynaud - (Dorsal)
Fonte: Acervo da autora 2008.
143
Figura 70 - Patologia do Braço e Mão - LER / DORT - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
144
Figura 71 - Patologia do Braço e Mão - LER / DORT - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
145
Figura 72 - Patologia do Braço e Mão - LER / DORT - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
146
Figura 73 - Patologia do Braço e Mão - LER / DORT - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
147
Figura 74 - Patologia do Braço e Mão - Bursite - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
148
Figura 75 - Patologia do Braço e Mão - Bursite (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
149
Figura 76 - Patologia do Braço e Mão - Bursite - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
150
Figura 77 - Patologia do Braço e Mão - Bursite - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
151
CAPÍTULO XII
PATOLOGIAS DO SISTEMA DIGESTIVO
152
153
Tabela 11 - Patologias do Sistema Digestivo.
CAUSAS: Dores abdominais intensas, indigestão, inchaço abdominal, flatulência, dor de cabeça e
ansiedade, diarréia e náuseas.
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Patologias Pontos Reflexores (Cristais)
Pedra na
Vesícula
Fígado Vesícula Biliar Int. Delgado 10’’ Cólons Bexiga
Válvula Iliocecal Apêndice Rim Ureter
Síndrome
Intestino
Irritável
Fígado Vesícula Biliar Int. Delgado 10’’ Válvula Iliocecal Cólons
Estômago Pâncreas Apêndice
Gastrite e
Úlcera
Cérebro Estômago Fígado Pâncreas Hipófise
Vesícula Biliar
154
155
Figura 78 - Patologia do Sistema Digestivo - Pedras na Vesícula - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Obs.: O órgão fígado fazer a aplicação com pouca pressão.
156
Figura 79 - Patologia do Sistema Digestivo - Sindrome do Intestino Irritável - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
157
Figura 80 - Patologias do Sistema Digestivo - Gastrite e Úlcera - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
158
Figura 81 - Patologias do Sistema Digestivo - Gastrite e Úlcera - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
159
CAPÍTULO XIII
PATOLOGIAS MENSTRUAIS
160
161
Tabela 12 - Patologias Menstruais.
CAUSAS: Seios inchados e doloridos, inchaço abdominal, aumento de peso, dor de cabeça, lombal-
gia, alterações de temperatura e TPM (Tensão Pré Menstruais).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Patologias Pontos Reflexores (Cristais)
Cólicas
Cérebro Útero/Próstata Hipófise
Tubo Uterino/Virilha/
Canal Deferente
Lombar Ovário/Testículo
TPM
Cérebro Útero/Próstata Hipófise
Tubo Uterino/Virilha/
Canal Deferente
Pescoço
Lombar Ovário/Testículo Tireóide Rim
Funções
Hormonais
Cérebro Útero/Próstata Rim Ovário/Testículo Tireóide
Lombar
Tubo Uterino/Virilha/
Canal Deferente
Hipófise
162
163
Figura 82 - Patologias Menstruais - Cólicas - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
164
Figura 83 - Patologias Menstruais - Cólicas - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
165
Figura 84 - Patologias Menstruais - Cólicas - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
166
Figura 85 - Patologias Menstruais - Cólicas - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
167
Figura 86 - Patologias Menstruais - TPM - Tensões Pré- Menstruais - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
168
Figura 87 - Patologias Menstruais - TPM - Tensões Pré-Menstruais - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
169
Figura 88 - Patologias Menstruais - TPM - Tensões Pré - Menstruais - (Lateral)
Fonte: Acervo da autora, 2008.
170
Figura 89 - Patologias Menstruais - TPM - Tensões Pré - Menstruais - (Dorsal)
Fonte: Acervo da autora, 2008.
171
Figura 90 - Patologias Menstruais - Funções Hormonais - (Plantar)
Fonte: Acervo da autora, 2008.
172
Figura 91 - Patologias Menstruais - Funções Hormonais - (Medial)
Fonte; Acervo da autora, 2008.
173
Figura 92 - Patologias Menstruais - Funções Hormonais - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
174
Figura 93 - Patologias Menstruais - Funções Hormonais - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
175
CAPÍTULO XIV
PATOLOGIAS DO SISTEMA URINÁRIO
176
177
Tabela 13 - Patologias do Sistema Urinário
CAUSAS: Falta de beber água, segurar por muito tempo para urinar, assepsia errada quando eva-
cuar, alimentação inadequada, pedras nos rins, problemas nas glândulas endócrinas, inflamação
na bexiga, freqüência de micção, dor ao urinar, perda de urina involuntária, flacidez de músculos
e ligamentos da pelve, dilatação da próstata, deformação da uretra, retenção hídrica, problemas
circulatórios.
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Patologias Pontos Reflexores (Cristais)
Cistite
Bexiga 5’’ Ureter 5’’ Rim 5’’
Incontinência Urinária
Bexiga Ureter Rim Lombar
Útero/Próstata Quadril
Tubo Uterino/Virilha/
Canal Deferente
Pedras nos Rins
Bexiga Ureter Rim Cérebro
Baço
Dilatação da Próstata Bexiga Ureter Rim Próstata
178
179
Figura 94 - Patologia do Sistema Urinário - Cistite - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Obs.: O órgão Rim, deve ser pressionado por 5 segundos diariamente.
180
Figura 95 - Patologia do Sistema Urinário - Incontinência Urinária - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
181
Figura 96 - Patologia do Sistema Urinário - Incontinência Urinária - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
182
Figura 97 - Patologia do Sistema Urinário - Incontinência Urinária - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
183
Figura 98 - Patologia do Sistema Urinário - Incontinência Urinária - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
184
Figura 99 - Patologia do Sistema Urinário - Pedras nos Rins - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
185
Figura 100 - Patologia do Sistema Urinário - Pedras nos Rins - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
186
Figura 101 - Patologia do Sistema Urinário - Dilatação da Próstata - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
187
Figura 102 - Patologia do Sistema Urinário - Dilatação da Próstata - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
188
189
CAPÍTULO XV
PATOLOGIAS DOS PÉS
190
191
Tabela 14 - Patologias dos pés.
CAUSAS: Muito tempo de permanência sentado ou em pé, não secar entre os dedos quando tomar
banho, uso constante do mesmo sapato (fechado), falta de ventilação nos pés, problemas circulató-
rio, excesso de sal no organismo, retenção hídrica, problemas circulatórios, má circulação periférica,
sedentarismo, roupas inadequadas, alergia alimentar, estresse, reduzir sistema imunológico e frutos
do mar.
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Patologias Pontos Reflexores (Cristais)
Pés e Tornozelo
Inchados
Bexiga Ureter Rim Pulmão
Coração Coluna
Frieiras
Bexiga Ureter Rim Pulmão
Coração Coluna
192
193
Figura 103 - Patologias dos Pés - Pés e Tornozelos Inchados - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
194
Figura 104 - Patologias dos Pés - Pés e Tornozelos Inchados - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
195
Figura 105 - Patologias dos Pés - Pés e Tornozelos Inchados - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
196
Figura 106 - Patologias dos Pés - Pés e Tornozelos Inchados - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
197
Figura 107 - Patologias dos Pés - Frieiras - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
198
Figura 108 - Patologias dos Pés - Frieiras - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
199
Figura 109 - Patologias dos Pés - Frieiras - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
200
Figura 110 - Patologias dos Pés - Frieiras - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
201
CAPÍTULO XVI
OUTRAS PATOLOGIAS
202
203
Tabela 15 - Outras Patologias.
CAUSAS: Depende de cada Patologia.
Fonte: Acervo da autora, 2008.
Patologias Pontos Reflexores (Cristais)
Reações
Alérgicas
Estômago Fígado Cólons Int. Delgado Baço
Vesícula Biliar
Artrite
Estômago Fígado Pâncreas Vesícula Biliar Rim
Ureter Bexiga
Ansiedade
Vál. Iliocecal Fígado Cólons Vesícula Biliar Pâncreas
Int. Delgado Estômago Apêndice
Estresse
Estômago Fígado Cervical Vesícula Biliar Cérebro
Pescoço
Dor-de-Dente
Palidez-Pressão e
Sudorese
Hipófise Tireóide Vesícula Biliar Cérebro Estômago
Pulmão Fígado Rim Ureter Bexiga
Cervical Plexo Solar Dentes Baço Rosto
Nervos
Trigêmeos
204
205
Figura 111 - Outras Patologias - Reações Alérgicas - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
206
Figuras 112 - Outras Patologias - Artrite - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
207
Figura 113 - Outras Patologias - Ansiedade - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
208
Figura 114 - Outras Patologias - Estresse - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
209
Figura 115 - Outras Patologias - Estresse - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
210
Figura 116 - Outras Patologias - Dor de Dente Aguda - Palidez - Sudorese- Pressão - (Plantar).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
211
Figura 117 - Outras Patologias - Dor de Dente Aguda - Palidez - Sudorese- Pressão - (Medial).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
212
Figura 118 - Outras Patologias - Dor de Dente Aguda - Palidez - Sudorese- Pressão - (Lateral).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
213
Figura 119 - Outras Patologias - Dor de Dente Aguda - Palidez - Sudorese- Pressão - (Dorsal).
Fonte: Acervo da autora, 2008.
214
215
CAPÍTULO XVII
INFORMAÇÕES TÉCNICAS
216
217
Roteiro da Aplicação de Reflexologia Podal
OBSERVAÇÃO: o Roteiro de Aplicação e Manuseio dos Pontos em Reflexologia foi matéria ministrada
durante as aulas na disciplina de Reflexologia Podal e os Cinco Elementos - Docente, Fisioterapeuta,
Massoterapeuta e Reflexologista Dra. Suzana Kioko Nambu - SENAC - Unidade - Franca SP - 2007.
01	 -	 PREPARAR a sala adequadamente, cremes, toalhas, maca
02	 -	 EFETUAR a assepsia dos pés
03	 -	 INICIAR sempre pelo pé direito
04	 -	 AQUECER o creme entre as mãos e aplicar no pé direito com movimentos circulares e relaxar o pés
05	 -	 ESTIMULAR o ponto PLEXO SOLAR
06	 -	 Verificar o ponto CÉREBRO
07	 -	 Verificar o ponto SEIOS PARANASAIS
08	 -	 Verificar o ponto HIPÓFISE
09	 -	 Verificar o ponto GARGANTA / PESCOÇO
10	 -	 Verificar o ponto AXILA
11	 -	 Verificar o ponto OLHO
12	 -	 Verificar o ponto OUVIDO
13	 -	 Verificar o ponto TIREÓIDE
14	 -	 Verificar o ponto DIAFRAGMA
15	 -	 Verificar o ponto PULMÃO
16	 -	 Verificar o ponto OMBRO / BRAÇO
17	 -	 Verificar o ponto ESTOMAGO
18	 -	 Verificar o ponto FÍGADO / VESÍCULA BILIAR
19	 -	 Verificar o ponto PÂNCREAS / GLÂNDULAS ADRENAL
20	 -	 Verificar o ponto RINS / URETER E BEXIGA
21	 -	 Verificar o ponto VÁLVULA ILIOCECAL / APÊNDICE
22	 -	 Verificar o ponto CÓLON ASCENDENTE
23	 -	 Verificar o ponto CÓLON TRANSVERSO
24	 -	 Verificar o ponto INTESTINO DELGADO
218
25	 -	 Verificar o ponto NERVO CIÁTICO
26	 -	 Verificar o ponto CÓCCIX
27	 -	 Verificar o ponto COLUNA CERVICAL - TORÁCICA - LOMBAR E SACRO
DORSAL
28	 -	 Verificar o ponto TIREÓIDE
29	 -	 Verificar o ponto DENTES
30	 -	 Verificar o ponto NERVO TRIGÊMEOS
31	 -	 Verificar o ponto COSTELAS
32	 -	 Verificar o ponto PULMÃO
LATERAL E MEDIAL
33	 -	 Verificar o ponto OVÁRIO / TESTÍCULO
34	 -	 Verificar o ponto ÚTERO /PRÓSTATA
35	 -	 Verificar o ponto CANAL DEFERENTE / TUBO UTERINO E VIRILHA
36	 -	 Verificar o ponto QUADRIL
37	 -	 Verificar o ponto NERVO CIÁTICO
38	 -	 Verificar o ponto JOELHO / COTOVELO
39	 -	 Verificar o ponto OMBRO / BRAÇO
40	 -	 TRATAR os pontos que apresenta cristais
41	 -	 TRATAR os pontos que apresenta Patologia
42	 -	 RELAXAR o pé direito
43	 -	 ENVOLVER em uma Toalha
44	 -	 RETIRAR o excesso de creme dos pés
PÉ ESQUERDO
01	 -	 AQUECER o creme
02	 -	 Estimular o PLEXO SOLAR
219
03	 -	 Verificar o ponto do CÉREBRO
04	 -	 Verificar o ponto SEIOS PARANASAIS
05	 -	 Verificar o ponto HIPÓFISE
06	 -	 Verificar o ponto da AXILA
07	 -	 Verificar o ponto OLHOS
08	 -	 Verificar o ponto OUVIDOS
09	 -	 Verificar o ponto TIREÓIDE
10	 -	 Verificar o ponto DIAFRAGMA
11	 -	 Verificar o ponto PULMÃO
12	 -	 Verificar o ponto CORAÇÃO
13	 -	 Verificar o ponto ESTÔMAGO
14	 -	 Verificar o ponto OMBRO / BRAÇO
15	 -	 Verificar o ponto BAÇO
16	 -	 Verificar o ponto PÂNCREAS / GLÂNDULA ADRENAL
17	 -	 Verificar o ponto RINS / URETER E BEXIGA
18	 -	 Verificar o ponto CÓLON TRANSVERSO
19	 -	 Verificar o ponto CÓLON DESCENDENTE
20	 -	 Verificar o ponto CÓLON SIGMÒIDE
21	 -	 Verificar o ponto RETO
22	 -	 Verificar o ponto INTESTINO DELGADO
23	 -	 Verificar o ponto NERVO CIÁTICO
24	 -	 Verificar o ponto CÓCCIX.
25	 -	 Verificar o ponto COLUNA VERTEBRAL / TORÁCICA / LOMBAR E SACRO
DORSAL
26	 -	 Verificar o ponto TIREÓIDE
27	 -	 Verificar o ponto DENTES
28	 -	 Verificar o ponto ROSTO
29	 -	 Verificar o ponto COSTELAS
30	 -	 Verificar o ponto PULMÃO
220
LATERAL E MEDIAL
31	 -	 Verificar o ponto OVÁRIO / TESTÍCULO
32	 -	 Verificar o ponto ÚTERO / PRÓSTATA
33	 -	 Verificar o ponto CANAL DEFERENTE / TUBO UTERINO E VIRILHA
34	 -	 Verificar o ponto QUADRIL
35	 -	 Verificar o ponto NERVO CIÁTICO
36	 -	 Verificar o ponto JOELHO / COTOVELO
37	 -	 Verificar o ponto OMBRO / BRAÇO
38	 -	 TRATAR os pontos que apresenta CRISTAIS
39	 -	 TRATAR os pontos que apresenta PATOLOGIA
40	 -	 RELAXAR pé esquerdo
41	 -	 ENVOLVER em uma Toalha
42	 -	 RETIRAR o excesso de creme do pé
221
1	-	GLÂNDULA SUPRA-RENAL
MANUSEIO - Articulação do dedo indicador médio
INDICAÇÃO - Arritmia
-	 Doenças relativas a supra renal
-	 Inflamações
-	 Alergia
-	 Doenças Contagiosas
-	 Bronquite
-	 Asma
-	 Inflamações nas junta
2	-	RINS
MANUSEIO - Articulação do dedo médio ou dedo polegar
INDICAÇÃO - Inflamação aguda e crônica dos rins,
-	 Pedra nos rins,
-	 Doenças relativa aos rins,
-	 Inflamação nos rins.
Para a medicina chinesa do Ying e Yang, ele é considerado o mais importante, devido a sua forma-
ção de eliminação das toxinas.
3	-	CANAL URINÁRIO E URETER
MANUSEIO - Articulação do dedo médio
INDICAÇÃO - Pedra no canal urinário,
-	 Inflamação no canal urinário,
-	 Estreitamente no canal,
-	 Dificuldade de urinar,
-	 Contágio do canal
Indicações e Manuseios dos Pontos
em Reflexologia Podal
222
4	-	OLHOS
MANUSEIO - Ponta do dedo polegar
INDICAÇÃO - Fortalecer o fígado,
-	 Aquarando a visão,
-	 Conjuntivite,
-	 Miopia, dor nos olhos,
-	 Catarata,
-	 Hemorragia nos olhos,
-	 Pressão alta intra-ocular.
-	 Edema e toda e qualquer enfermidade relativa a visão.
5	-	OUVIDO
MANUSEIO - Ponta do dedo polegar
Efeito - Fortalecer os rins as funções do cérebro e aumenta a capacidade auditiva.
INDICAÇÃO - Otite.
-	 Zumbido no ouvido.
-	 Dificuldade na audição.
6	-	INTESTINO DELGADO
MANUSEIO - Articulações dos 4 dedos ou polegar.
INDICAÇÃO - Doenças do aparelho digestivo.
-	 Diarréia.
-	 Dor de barriga.
-	 Perda da visão.
-	 Inflamação intestinal.
-	 Inchaço no abdome.
Observação - O intestino delgado está ligado ao funcionamento do estômago e intestino (absorção
e metabolismo)
Sintomas :- fraqueza no funcionamento do estômago e intestino. Difusão do sistema digestivo. Difi-
culdade em urinar e evacuar. Emagrecimento devido á digestão desaparecem com a Reflexologia.
223
7	-	HIPÓFISE - GLÂNDULA PITUITÁRIA
MANUSEIO - Dedos indicadores.
INDICAÇÃO - Desordem relativa a falta de segregação das glândulas endócrinas.
-	 Desequilíbrio no crescimento da criança, incontinência urinaria e menopausa.
8	-	CORAÇÃO
MANUSEIO - Dedo polegar.
INDICAÇÃO
-	 Recuperação de ataque cardíaco.
-	 Coração fraco.
-	 Arritmia.
9	-	BEXIGA
MANUSEIO - Articulação do dedo médio ou polegar
INDICAÇÃO - Pedra nos rins.
-	 Canal urinário.
-	 Bexiga.
-	 Inflamação na bexiga.
-	 Doença relativas e bexiga e urina.
Observação - normalmente a cliente que sente dor não toma muita água, sem ela para eliminar to-
xinas , ele se acumula na bexiga.
A função da bexiga melhora com estímulo dos pés por isso se aconselha a tomar água ao termino
da seção.
10	-	 CABEÇA
MANUSEIO - Pressão da articulação do indicador com a mão contrária serviço de apoio
INDICAÇÃO - Analgesia em geral.
-	 Sinusite.
-	 Dor de cabeça.
-	 Nevralgia dos nervos trigêmeos.
-	 Tontura.
224
-	 Insônia.
-	 Começo de febre.
-	 Doença do olho
-	 Doenças relativas aos nervos motores (Parkinson)
11	-	 COLUNA CERVICAL
MANUSEIO - Ponta do dedo polegar, o manuseio desta região ajuda aumentar o aporte sangüíneo
para o cérebro.
INDICAÇÃO - Torcicolo.
- Dores musculares no pescoço.
-	 Dor de cabeça.
-	 Pescoço duro.
12	-	 TIREÓIDE
MANUSEIO - para região plantar - Dedo polegar região dorsal polegar ou dedo indicador.
INDICAÇÃO - Sintomas relativo a falta ou excesso de segregação da Tireóide, ou seja, Hipertireoi-
dismo e Hipotiroidismo
13	-	OVÁRIO E TESTÍCULOS
MANUSEIO - Dedos polegar.
INDICAÇÃO - Impotência.
- Menstruação irregular.
-	 Menstruação dolorosa.
-	 TPM.
-	 Menopausa.
14	-	BAÇO
MANUSEIO - Articulação do dedo médio ou polegar
INDICAÇÃO - Anemia.
- Doenças da pele.
225
-	 Falta de apetite.
-	 Má digestão.
-	 Começo de febre.
-	 Inflamações.
-	 Baixa capacidade imunológica.
-	 Câncer (só ajudando a pessoa com câncer depois terminando o ciclo de Quimioterapia e Radio-
terapia - depois de 2 meses).
-	 Observação - Este ponto além de ser utilizado em doenças gastrintestinais tem profunda relação com
sistema cardiovascular, estimulando equilíbrio do seu funcionamento, especialmente no caso de pressão
alta. Tem bom resultado quando estimulado junto com o ponto do coração. Se o cliente já fuma, bebe,
apresenta gordura no sangue ou tendência a diabetes, tem facilidade de contrair doenças provenientes
de arteriosclerose, aconselha- se o tratamento constante nos pontos do baço e coração a fim de prevenir
a arteriosclerose ou sintomas, como desmaio, falta de sangue no cérebro e pressão alta.
15	-	 ESTÔMAGO
MANUSEIO - Polegar
INDICAÇÃO - Ânsia de vomito.
- Vômito.
-	 Doenças do estômago.
-	 Estômago inchado.
-	 Acidez Estomacal.
-	 Má digestão.
-	 Gastrite aguda ou crônica.
-	 Afta.
-	 Observação- A zona reflexa do estômago encontra - se nos pés quando acontece em sentir dor
em apenas um lado significa que os sintomas não são estão profundos portanto a recuperação é
rápida. È raro mais pode interpretar que a doença esteja afetando apenas um lado do estômago.
16	-	 PÂNCREAS
MANUSEIO - Polegar.
INDICAÇÃO - Doenças do aparelho digestivo.
-	 Pâncreas.
-	 Diabetes.
226
17	-	 FÍGADO
MANUSEIO - Polegar.
INDICAÇÃO - Doença do fígado.
Observação - O fígado é responsável pela raiva e ira segundo Medicina Tradicional Chinesa .
18	-	 CÓLON ASCENDENTES
MANUSEIO - Movimento de baixo para cima com a ajuda do dedo polegar ou articulação do dedo
indicador.
INDICAÇÃO - Doença relativa ao aparelho digestivo.
-	 Obesidade.
-	 Dor de Barriga.
-	 Constipação.
19	-	 CÓLON TRANSVERSO
MANUSEIO - Articulação do dedo indicador ou polegar.
INDICAÇÃO - Doenças do aparelho digestivo
- Diarréia.
-	 Constipação.
-	 Dor de Barriga.
20	-	 CÓLON DESCENDENTE
MANUSEIO - Articulação dos dedos indicador ou polegar.
INDICAÇÃO - Doenças do aparelho digestivo.
-	 Diarréia.
-	 Constipação.
-	 Dor de barriga.
-	 Inflamação no intestino.
227
21	-	NERVO CIÁTICO
MANUSEIO - Polegar e articulação do indicador.
INDICAÇÃO - Ciatalgia.
- Enxaqueca.
-	 Paralisia.
-	 Insônia.
-	 Doença do nariz, olhos e ouvidos.
- Desconforto na região lombar e posterior da coxa.
Observação- o estimulo nesse ponto facilita a passagem do meridiano e atua como analgésico.
22	-	 COTOVELO / JOELHO
MANUSEIO - Articulação do indicador e polegar.
INDICAÇÃO - Ferimento.
- Inflamação.
-	 Artrite.
-	 Dores no joelho e cotovelo.
-	 Reumatismo.
23	-	 SEIOS PARANASAIS
MANUSEIOS - Articulação do polegar e indicador.
INDICAÇÃO - Dor cabeça.
-	 Resfriado.
-	 Reações Alérgicas.
-	 Rouquidão.
- Sinusite.
24	-	 PLEXO SOLAR
MANUSEIO - Articulação do Indicador.
INDICAÇÃO - Ativar os pontos para cuidar das patologias.
228
25	-	 CINTURA PELVE - (QUADRIL)
MANUSEIO - Articulação do dedo indicador
INDICAÇÃO - Reumatismo.
- Ciatalgia.
- Ferimento na região dos quadris.
- Ulceras.
- Hemiplegia.
26	-	 VOZ
MANUSEIO - Polegar.
INDICAÇÃO - Voz rouca.
- Afonia.
- Bronquite.
27	-	 COLUNA SACRAL
MANUSEIO - Polegar - lateral do polegar.
INDICAÇÃO - Ferimento no sacro.
- Ciatalgia.
Observação- O estimulo na coluna sacral facilita a transmissão do reflexo.
28	-	 VÁLVULA ILIOCECAL / APÊNDICE
MANUSEIO - Porta do indicador ou Articulação do indicador ou polegar
INDICAÇÃO - Inflamação na região.
- Dores.
29	-	 PRÓSTATA / ÚTERO
MANUSEIO - Polegar.
INDICAÇÃO - Problemas no útero e próstata.
229
30	-	 CÓCCIX
MANUSEIO - Polegar ou articulação do dedo indicador.
INDICAÇÃO - Ciatalgia.
- Dores região coccigena.
31	-	 COLUNA LOMBAR
MANUSEIO - Ponta ou lateral do polegar.
INDICAÇÃO - Hérnia lombar.
- Ciatalgia.
- Lombalgia.
32	-	 COLUNA TORÁCICA
MANUSEIO - Ponta do indicador lateral do polegar.
INDICAÇÃO - Dores nas costas.
- Hérnia.
- Dores nas vértebras torácica.
33	-	 PULMÕES
MANUSEIO - Porção plantar dedo polegar.
INDICAÇÃO - Bronquite.
- Tuberculose.
-	 Pneumonia.
-	 Enfisema pulmonar.
-	 Dificuldade de respirar e qualquer outra doença relativa ao pulmão, inflamações intestinais cons-
tipação.
- Doença da pele e alergia.
230
34	-	 CORAÇÃO
MANUSEIO - Polegar indicação doença do coração recuperação doenças ataque cardíaco, coração
fraco, e arritmia.
INDICAÇÃO - Doença do coração.
-	 Recuperação doenças ataque cardíacos.
-	 Coração fraco.
-	 Arritmia.
231
C O N C L U S Ã O
	 Conforme descrito na parte introdutória deste manual, os objetivos norteadores desta produ-
ção bibliográfica são: socializar conhecimentos, contribuir com a massa crítica da Massoterapia e
corroborar tanto com o profissional da área da saúde, quão com os respectivos clientes.
	 Consideramos importante salientar que a atuação profissional ética consiste em qualificação
teórica consistente e capacidade prática além de se observar ininterruptamente as diferentes nor-
mas e Legislações que regem a prestação de serviços na área da saúde. O massoterapeuta pode
integrar equipes multidisciplinares ou atuar de forma independente, sendo necessário o registro
profissional específico.
	 Em sua prática profissional deve estar implícito o cuidado com o cliente e dentre esses cui-
dados destacamos: as contra indicações para o uso da Reflexologia - inflamações; câncer em trata-
mento de quimioterapia e radioterapia, febre sem diagnóstico da causas, hemorragia, enfermidade
da pele, problemas circulatórios, gravidez antes do terceiro mês de gestação e diabetes alterada.
	 É salutar registrar que algumas reações podem ser experimentadas a partir da aplicação da
técnica da Reflexologia: sintomas do tipo resfriado, como nariz escorrendo, catarro, e congestiona-
mentos dos seios paranasais, tosse, enquanto o muco é eliminado dos pulmões e vias respiratórias,
esvaziamento mais freqüentes da bexiga e dos intestinos, erupção da pele - algumas doenças de
pele pioram antes de melhorar, bocejos, flatulência, cansaço, dor de cabeça, aumento da dor loca-
lizada e posterior extinção.
	 Finalizando, desejamos pontuar que em qualquer área de atuação profissional, um bom ser-
viço jamais é fruto de casualidade, assim a formação continuada na área da saúde e especificamen-
te com relação a prática profissional do massoterapeuta é indiscutível, o que é intimamente ligado
ao sucesso profissional, conquista e manutenção de clientes satisfeitos.
232
233
G L O S S Á R I O
Assepsia - Fazer a higienização
Arritmia - Falta de regularidade nas pulsações.
Cistite - inflamação da bexiga, localizada no canal do uretra, causado por bactérias.
Ciatalgia - inflamação e a dor que ocorre no trajeto do nervo ciático.
Corroborar - Dar força, Fortalecer e fortificar.
Desobstrução - Desintupimento.
Espasmo - Contração involuntária , violenta e súbita, de um músculo ou grupo de músculos, acom-
panhado por dor.
Flatulência - Distensão do estômago ou do intestino por ar ou gases.
Fotossensíveis - à ação da energia radiante á da luz
Hipertireoidismo - Atividade funcional excessiva da glândula tireóide (Sintomas magreza, sudore-
se, agitação, nervosismo, insônia).
Hiportireoidismo - Atividade insuficiente da glândula tireóide (Sintomas- Frios, obesidade, lentidão
de movimentos e raciocínio, prisão de ventre).
Iliocecal - Diz se da Válvula que está situada na parte terminal do Intestino delgado
Impostação - Emitir corretamente a voz..
Labirintite - Inflamação do Labirinto, espécie de Otite interna que ataca o labirinto.
Lombalgia - Dor e inflamação na região lombar.
Mastite - Inflamação das Glândulas mamárias, em geral causadas por infecções.
Sacro - Osso impar, mediano, simétrico, em forma de pirâmide com o vértice voltado para baixo,
resultante da soldadura das vértebras sacras, situado no ilíacos
234
Síndrome - Conjunto de sintomas que se apresentam numa doença e que a caracterizam.
Sinusite - é a inflamação das mucosas dos seios da face, região do crânio, formado por cavidade
ósseas ao redor do nariz, maçã do rosto e olho.
Otite - Inflamação da membrana mucosa do ouvido.
Palavras com a Terminação - Algia - Dor
Palavras com a Terminação - Ite - Inflmação.
Palavras com as Terminação - Plagia - Paralisia.
Pélvis - Cavidade Óssea formada pela união dos ossos ilíacos com o sacro e o cóccix.
Tendões - feixe de fibras que geralmente une os músculos aos ossos, em forma de cordões.
235
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
CONBRAMASSO. Conselho Brasileiro de Auto-Regulamentação da Massoterapia. Código de Ética
do(a) Massoterapeuta. atual. São Paulo, jul. 2003.
NAMBU, Suzana Kioko. Reflexologia Podal e os Cincos Elementos. Apostila do SENAC, São Paulo,
[s.d.]. (xerocopiada).
SILVA et al. (Coords.). Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. Encyclopaedia Britannica do Bra-
sil Publicações Ltda. 16. ed. São Paulo: Companhia Melhoramentos, 2000.
236
9 788590 875000
ISBN 978-85-908750-0-0

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

A arte da massagem apostila 1
A arte da massagem apostila 1A arte da massagem apostila 1
A arte da massagem apostila 1
 
Manual de massagem
Manual de massagemManual de massagem
Manual de massagem
 
Reflexologia guia prático
Reflexologia   guia práticoReflexologia   guia prático
Reflexologia guia prático
 
Como fazer massagem relaxante
Como fazer massagem relaxanteComo fazer massagem relaxante
Como fazer massagem relaxante
 
Auriculoterapia lar 05
Auriculoterapia lar   05Auriculoterapia lar   05
Auriculoterapia lar 05
 
Massagem Desportiva
Massagem DesportivaMassagem Desportiva
Massagem Desportiva
 
Portfólio formação Massagem Terapêutica e Desportiva
Portfólio formação Massagem Terapêutica e DesportivaPortfólio formação Massagem Terapêutica e Desportiva
Portfólio formação Massagem Terapêutica e Desportiva
 
Reflexologia
ReflexologiaReflexologia
Reflexologia
 
Reflexologia Podal
Reflexologia PodalReflexologia Podal
Reflexologia Podal
 
Terapias complementares
Terapias complementaresTerapias complementares
Terapias complementares
 
Apresentação - Curso de Reflexologia
Apresentação - Curso de ReflexologiaApresentação - Curso de Reflexologia
Apresentação - Curso de Reflexologia
 
08p reflexologia podal
08p   reflexologia podal08p   reflexologia podal
08p reflexologia podal
 
Apostila de zen shiatsu
Apostila de zen shiatsuApostila de zen shiatsu
Apostila de zen shiatsu
 
01 manual de aprendizagem acupuntura laser
01 manual de aprendizagem acupuntura laser01 manual de aprendizagem acupuntura laser
01 manual de aprendizagem acupuntura laser
 
Reflexogia podal podologia
Reflexogia podal    podologiaReflexogia podal    podologia
Reflexogia podal podologia
 
Pontos gatilho
Pontos gatilhoPontos gatilho
Pontos gatilho
 
Ventosaterapia
VentosaterapiaVentosaterapia
Ventosaterapia
 
Segredos da massagem
Segredos da massagemSegredos da massagem
Segredos da massagem
 
Ventosaterapia-Curso.pdf
Ventosaterapia-Curso.pdfVentosaterapia-Curso.pdf
Ventosaterapia-Curso.pdf
 
Massoterapia
MassoterapiaMassoterapia
Massoterapia
 

Semelhante a reflexologia

DefinirBiodanza_AnaGaroupa_Monografia.pdf
DefinirBiodanza_AnaGaroupa_Monografia.pdfDefinirBiodanza_AnaGaroupa_Monografia.pdf
DefinirBiodanza_AnaGaroupa_Monografia.pdfRitaBellocchio
 
Como Explicar o que é Biodanza a quem nunca experimentou? Definição Biodanza
Como Explicar o que é Biodanza a quem nunca experimentou? Definição BiodanzaComo Explicar o que é Biodanza a quem nunca experimentou? Definição Biodanza
Como Explicar o que é Biodanza a quem nunca experimentou? Definição BiodanzaAna Garoupa
 
Acupuntura a acupuntura e o tratamento da obesidade
Acupuntura   a acupuntura e o tratamento da obesidadeAcupuntura   a acupuntura e o tratamento da obesidade
Acupuntura a acupuntura e o tratamento da obesidadeNarume Pina
 
Psicologia e medicina tradicional chinesa
Psicologia e medicina tradicional chinesaPsicologia e medicina tradicional chinesa
Psicologia e medicina tradicional chinesaÁlvaro Rodrigues
 
Abordagem Terapêutica da Acupuntura na Síndrome do Túnel do Carpo
Abordagem Terapêutica da Acupuntura na Síndrome do Túnel do CarpoAbordagem Terapêutica da Acupuntura na Síndrome do Túnel do Carpo
Abordagem Terapêutica da Acupuntura na Síndrome do Túnel do CarpoSandra Moreira
 
Informativo abrato sc
Informativo abrato scInformativo abrato sc
Informativo abrato scAbrato-SC
 
Medicina regenerativa humana e veterinária no tratamento de lesões da medula ...
Medicina regenerativa humana e veterinária no tratamento de lesões da medula ...Medicina regenerativa humana e veterinária no tratamento de lesões da medula ...
Medicina regenerativa humana e veterinária no tratamento de lesões da medula ...JULIO BUSIGNANI, MÉDICO VETERINÁRIO
 
Alinguagemdocorpobelezaesaude 130709211129-phpapp01
Alinguagemdocorpobelezaesaude 130709211129-phpapp01Alinguagemdocorpobelezaesaude 130709211129-phpapp01
Alinguagemdocorpobelezaesaude 130709211129-phpapp01Angela Aparecida
 
511475 cristina-cairo-linguagem-do-corpo-2 beleza-e-saude-pdfrev
511475 cristina-cairo-linguagem-do-corpo-2 beleza-e-saude-pdfrev511475 cristina-cairo-linguagem-do-corpo-2 beleza-e-saude-pdfrev
511475 cristina-cairo-linguagem-do-corpo-2 beleza-e-saude-pdfrevsaioborba
 
Linguagem do corpo 2 cristina cairo
Linguagem do corpo 2   cristina cairoLinguagem do corpo 2   cristina cairo
Linguagem do corpo 2 cristina cairoadrisa77
 
Cristina cairolinguagemdocorpo2belezaesade
Cristina cairolinguagemdocorpo2belezaesadeCristina cairolinguagemdocorpo2belezaesade
Cristina cairolinguagemdocorpo2belezaesadePatrys Gen
 
cristina-cairo-linguagem-do-corpo-2 beleza-e-saude-pdfrev
 cristina-cairo-linguagem-do-corpo-2 beleza-e-saude-pdfrev cristina-cairo-linguagem-do-corpo-2 beleza-e-saude-pdfrev
cristina-cairo-linguagem-do-corpo-2 beleza-e-saude-pdfrevsaioborba
 
Cristina cairolinguagemdocorpo2belezaesade
Cristina cairolinguagemdocorpo2belezaesadeCristina cairolinguagemdocorpo2belezaesade
Cristina cairolinguagemdocorpo2belezaesadeGlaciane Betiollo
 
A acupuntura-e-o-tratamento-da-obesidade11-uma-abordagem-da-auriculoterapia-d...
A acupuntura-e-o-tratamento-da-obesidade11-uma-abordagem-da-auriculoterapia-d...A acupuntura-e-o-tratamento-da-obesidade11-uma-abordagem-da-auriculoterapia-d...
A acupuntura-e-o-tratamento-da-obesidade11-uma-abordagem-da-auriculoterapia-d...Gilzax Freire
 

Semelhante a reflexologia (20)

DefinirBiodanza_AnaGaroupa_Monografia.pdf
DefinirBiodanza_AnaGaroupa_Monografia.pdfDefinirBiodanza_AnaGaroupa_Monografia.pdf
DefinirBiodanza_AnaGaroupa_Monografia.pdf
 
Como Explicar o que é Biodanza a quem nunca experimentou? Definição Biodanza
Como Explicar o que é Biodanza a quem nunca experimentou? Definição BiodanzaComo Explicar o que é Biodanza a quem nunca experimentou? Definição Biodanza
Como Explicar o que é Biodanza a quem nunca experimentou? Definição Biodanza
 
Caderno 39 2014
Caderno 39 2014Caderno 39 2014
Caderno 39 2014
 
Folder de Massagem Bioenergética
Folder de Massagem BioenergéticaFolder de Massagem Bioenergética
Folder de Massagem Bioenergética
 
Anac livro
Anac livroAnac livro
Anac livro
 
Anac livro
Anac livroAnac livro
Anac livro
 
Acupuntura a acupuntura e o tratamento da obesidade
Acupuntura   a acupuntura e o tratamento da obesidadeAcupuntura   a acupuntura e o tratamento da obesidade
Acupuntura a acupuntura e o tratamento da obesidade
 
Psicologia e medicina tradicional chinesa
Psicologia e medicina tradicional chinesaPsicologia e medicina tradicional chinesa
Psicologia e medicina tradicional chinesa
 
Abordagem Terapêutica da Acupuntura na Síndrome do Túnel do Carpo
Abordagem Terapêutica da Acupuntura na Síndrome do Túnel do CarpoAbordagem Terapêutica da Acupuntura na Síndrome do Túnel do Carpo
Abordagem Terapêutica da Acupuntura na Síndrome do Túnel do Carpo
 
Informativo abrato sc
Informativo abrato scInformativo abrato sc
Informativo abrato sc
 
Livro do residente
Livro do residenteLivro do residente
Livro do residente
 
Medicina regenerativa humana e veterinária no tratamento de lesões da medula ...
Medicina regenerativa humana e veterinária no tratamento de lesões da medula ...Medicina regenerativa humana e veterinária no tratamento de lesões da medula ...
Medicina regenerativa humana e veterinária no tratamento de lesões da medula ...
 
Alinguagemdocorpobelezaesaude 130709211129-phpapp01
Alinguagemdocorpobelezaesaude 130709211129-phpapp01Alinguagemdocorpobelezaesaude 130709211129-phpapp01
Alinguagemdocorpobelezaesaude 130709211129-phpapp01
 
511475 cristina-cairo-linguagem-do-corpo-2 beleza-e-saude-pdfrev
511475 cristina-cairo-linguagem-do-corpo-2 beleza-e-saude-pdfrev511475 cristina-cairo-linguagem-do-corpo-2 beleza-e-saude-pdfrev
511475 cristina-cairo-linguagem-do-corpo-2 beleza-e-saude-pdfrev
 
Linguagem do corpo 2 cristina cairo
Linguagem do corpo 2   cristina cairoLinguagem do corpo 2   cristina cairo
Linguagem do corpo 2 cristina cairo
 
Cristina cairolinguagemdocorpo2belezaesade
Cristina cairolinguagemdocorpo2belezaesadeCristina cairolinguagemdocorpo2belezaesade
Cristina cairolinguagemdocorpo2belezaesade
 
cristina-cairo-linguagem-do-corpo-2 beleza-e-saude-pdfrev
 cristina-cairo-linguagem-do-corpo-2 beleza-e-saude-pdfrev cristina-cairo-linguagem-do-corpo-2 beleza-e-saude-pdfrev
cristina-cairo-linguagem-do-corpo-2 beleza-e-saude-pdfrev
 
Cristina cairolinguagemdocorpo2belezaesade
Cristina cairolinguagemdocorpo2belezaesadeCristina cairolinguagemdocorpo2belezaesade
Cristina cairolinguagemdocorpo2belezaesade
 
A acupuntura-e-o-tratamento-da-obesidade11-uma-abordagem-da-auriculoterapia-d...
A acupuntura-e-o-tratamento-da-obesidade11-uma-abordagem-da-auriculoterapia-d...A acupuntura-e-o-tratamento-da-obesidade11-uma-abordagem-da-auriculoterapia-d...
A acupuntura-e-o-tratamento-da-obesidade11-uma-abordagem-da-auriculoterapia-d...
 
Caderno nasf 39 2014
Caderno nasf 39   2014Caderno nasf 39   2014
Caderno nasf 39 2014
 

Mais de carol brandao

dicas para aplicar reiki em animais grupo
 dicas para aplicar reiki em animais grupo dicas para aplicar reiki em animais grupo
dicas para aplicar reiki em animais grupocarol brandao
 
aromaterapia capilar
 aromaterapia capilar aromaterapia capilar
aromaterapia capilarcarol brandao
 
sucos exterminadores de gordura
sucos exterminadores de gordura sucos exterminadores de gordura
sucos exterminadores de gordura carol brandao
 
aromaterapia massagem
 aromaterapia massagem aromaterapia massagem
aromaterapia massagemcarol brandao
 
energia aura e chacras
energia aura e chacrasenergia aura e chacras
energia aura e chacrascarol brandao
 
meditação para principiantes
meditação para principiantesmeditação para principiantes
meditação para principiantescarol brandao
 
introdução gestalt
introdução gestaltintrodução gestalt
introdução gestaltcarol brandao
 
10 exercicios de meditação
10 exercicios de meditação10 exercicios de meditação
10 exercicios de meditaçãocarol brandao
 
probioticos caseiros
probioticos caseirosprobioticos caseiros
probioticos caseiroscarol brandao
 
constelações familiares
constelações familiaresconstelações familiares
constelações familiarescarol brandao
 
meditação transmutativa
meditação transmutativameditação transmutativa
meditação transmutativacarol brandao
 
desenvolvimento harmonico
desenvolvimento harmonicodesenvolvimento harmonico
desenvolvimento harmonicocarol brandao
 

Mais de carol brandao (20)

dicas para aplicar reiki em animais grupo
 dicas para aplicar reiki em animais grupo dicas para aplicar reiki em animais grupo
dicas para aplicar reiki em animais grupo
 
aromaterapia capilar
 aromaterapia capilar aromaterapia capilar
aromaterapia capilar
 
sucos exterminadores de gordura
sucos exterminadores de gordura sucos exterminadores de gordura
sucos exterminadores de gordura
 
efeito da drenagem
 efeito da drenagem efeito da drenagem
efeito da drenagem
 
aromaterapia massagem
 aromaterapia massagem aromaterapia massagem
aromaterapia massagem
 
argila azul
argila azulargila azul
argila azul
 
energia aura e chacras
energia aura e chacrasenergia aura e chacras
energia aura e chacras
 
cristais e corpo
 cristais e corpo cristais e corpo
cristais e corpo
 
abuso
abusoabuso
abuso
 
poder dos mudras
poder dos mudraspoder dos mudras
poder dos mudras
 
meditação para principiantes
meditação para principiantesmeditação para principiantes
meditação para principiantes
 
introdução gestalt
introdução gestaltintrodução gestalt
introdução gestalt
 
10 exercicios de meditação
10 exercicios de meditação10 exercicios de meditação
10 exercicios de meditação
 
probioticos caseiros
probioticos caseirosprobioticos caseiros
probioticos caseiros
 
constelações familiares
constelações familiaresconstelações familiares
constelações familiares
 
meditação transmutativa
meditação transmutativameditação transmutativa
meditação transmutativa
 
gestalt
gestaltgestalt
gestalt
 
desenvolvimento harmonico
desenvolvimento harmonicodesenvolvimento harmonico
desenvolvimento harmonico
 
mapa pes
mapa pesmapa pes
mapa pes
 
proteina vegetal
proteina vegetalproteina vegetal
proteina vegetal
 

Último

AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxEnfaVivianeCampos
 
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOvilcielepazebem
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAndersonMoreira538200
 
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfAULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfMarceloMonteiro213738
 
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obrasosnikobus1
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdfHELLEN CRISTINA
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfThiagoAlmeida458596
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdfHELLEN CRISTINA
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfLviaParanaguNevesdeL
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfEduardoSilva185439
 

Último (12)

AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
 
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTOPROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
PROCESSOS PSICOLOGICOS LINGUAGEM E PENSAMENTO
 
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdfAULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
AULA_11 PRINCIPAIS DOENÇAS DO ENVELHECIMENTO.pdf
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
 
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdfAULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
AULA__04_Sinais_Vitais CUIDADOR DE IDOSOS.pdf
 
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdfA HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
A HISTÓRIA DA AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA..pdf
 
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
 
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdf
 
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdfAULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
AULA_08 SAÚDE E ALIMENTAÇÃO DO IDOSO.pdf
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
 

reflexologia

  • 1. Maria Aparecida Caetano Paulino R i m Coração IDIDID R i m IDIDID
  • 2. 1 MARIA APARECIDA CAETANO PAULINO MANUAL DE REFLEXOLOGIA PODAL: APLICAÇÕES E MANUSEIOS 2011
  • 3. 2
  • 4. 3 PAULINO, Maria Aparecida Caetano Manual de reflexologia podal: aplicações e manuseios. Batatais: Marco Antonio Canelli, 2011. Massoterapia - Reflexologia - Podal - Aplicações - Manuseios. ISBN - 978-85-908750-0-0 Contatos para adquirir exemplares. Fone: (016) 3761.5441 Celular: 8135.8985 picida_picida@hotmail.com * Atenção: É expressamente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste Manual sem a prévia autorização da editora. Edição I Ano 2011 (1000 exemplares) Colaboração: DRA. SUZANA KIOKO NAMBU Projeto gráfico e editoração: AUGUSTO PIZZI NETO 9143-9544 / 3662-8776 Editora: Maria Aparecida Caetano Paulino Impressão: Cristal Indústria Gráfica
  • 5. 4
  • 6. 5 O que mais me surpreende na humanidade? Os homens [...] porque perdem a saúde para juntar bens materiais e depois perdem tudo para recuperar a saúde. E pensam tão ansiosamente no futuro que se esquecem do presente - de tal forma que acabam por não viver nem o presente e nem o porvir - pois quando o futuro chega eles não o reconhecem [...] E vivem como se nunca fossem morrer [...] e morrem, lastimando, como se nunca tivessem vivido! Dalai Lama [s.d]
  • 7. 6
  • 8. 7 Dedico esta obra à minha mãe, Geralda da Silva Caetano, meu exemplo maior de vida e minha inspiração em todos os momentos e em diferentes ações. Meu espelho pessoa forte, guerreira e feliz, que da sua forma sempre me apoiou. Faltam palavras. A ela tudo. A meu pai Arsenio Olimpio Caetano, personalida- de marcante, também responsável por meu cará- ter e minha pessoa. Muito me ensinou. Aos meus irmãos Celso Luiz Olimpio Caetano e Eliana Aparecida Caetano de Oliveira, que com suas particularidades me ensinam cotidianamen- te o verdadeiro sentido da palavra irmandade. A minha filha Laura Caetano Paulino, personifi- cação de honradez e espírito ativo, que se não se bastasse por si só, com Diego Cesar Faria de Andrade, me presenteou com a vinda de SARAH PAULINO DE ANDRADE, uma princesa que deu alegria e da novo norte a nossas vidas. à José Roberto Paulino, meu esposo e compa- nheiro, que a cada dia me torna uma pessoa me- lhor. Ser inigualável.
  • 9. 8 À Marco Antonio Canelli, além de amigo para sempre, um mecenas, favorecedor da publica- ção desta obra. Há mais de cinco décadas, atra- vés de sua postura amiga, presente mesmo em momentos de ausência física, de maneira alter- nada e personalizada, comprova a cada amigo para sempre, que a amizade é o maior bem, e que cada um, a seu modo tem o seu valor e que por ele é reconhecido. Com seu apoio deu prova que “um sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade”. (Raul Seixas).
  • 10. 9 Agradeço A Deus, pelas forças recebidas em todos os momentos de minha vida. A amiga e Doutora Maria Cristina Menezes Valenciano, fonte de incentivo e colaboração. Aos colegas do curso de Massoterapia e, em especial, a Priscila Naira Aguiar e Mônica M. Alonso, exemplos de auxílio durante nossos estudos. À Direção, Docentes e Funcionários da Escola SENAC - Unidade Franca pela possibilidade de aqui- sição de conhecimentos. À docente, fisioterapeuta, massoterapeuta e reflexologista Dra. Suzana Kioko Nambu pelos ensina- mentos relativos à reflexologia podal. E, especialmente, à Joana D’Arc F. Paulino.
  • 11. 10
  • 12. 11 APRESENTAÇÃO A autora elaborou este Manual de Reflexologia Podal - Aplicações e Manuseios, pensando em de- senvolver uma forma eficaz para compreender e obter um resultado eficiente, colocando em prática este trabalho, na tentativa de elucidar aos colegas de classe e outros profissionais da Área da Saú- de. Com o estresse do dia a dia o ser humano está esquecendo cada vez mais de cuidar de si mesmo, desequilibrando o seu interior. A Técnica de Reflexologia Podal vai ajudar a colocar o cliente em equilíbrio novamente trazendo uma perfeita harmonia e com isso a qualidade de vida desejada e necessária. A massagem reflexológica MTC (Medicina Tradicional Chinesa) ativa o mecanismo de cura que exis- te no interior de cada um de nós e seu efeito é acumulativo. Portanto, acredito que este Manual trará uma valiosa contribuição a todos que buscam aprofundar conhecimentos para aplicações e manuseios em Reflexologia Podal. DRA. JUPIRA MARTINIANO Fisioterapeuta especializada em Dermato Funcional, docente 2007 da disciplina Drenagem Linfática do SENAC - Unidade - Franca/SP
  • 13. 12
  • 14. 13 SUMÁRIO INTRODUÇÃO................................................................................................................................... 19-20 CAPÍTULO I............................................................................................................................................ 21 MODELO PLANTAR............................................................................................................................... 25 MODELO MEDIAL.................................................................................................................................. 27 MODELO LATERAL............................................................................................................................... 29 MODELO DORSAL................................................................................................................................. 31 CAPITULO II - PATOLOGIAS DA CABEÇA / PESCOÇO..................................................................... 33 Tabela 1 - Patologias da Cabeça / Pescoço..................................................................................................35 Figura 1 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Dor de Cabeça - Enxaqueca e Estresse - (Plantar)............37 Figura 2 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Dor de Cabeça - Enxaqueca e Estresse - (Medial).............38 Figura 3 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Dor de Cabeça - Enxaqueca - Estresse - (Dorsal)..............39 Figura 4 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Hormonais - (Plantar)...........................................................40 Figura 5 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Hormonais - (Medial)............................................................41 Figura 6 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Hormonais - (Lateral)...........................................................42 Figura 7 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Hormonais - (Dorsal)............................................................43 Figura 8 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Nervos Trigêmeos - (Plantar)...............................................44 Figura 9 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Nervos Trigêmeos - (Medial)................................................45 Figura 10 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Nervos Trigêmeos - (Dorsal) .............................................46 CAPITULO III - PATOLOGIAS DO OUVIDO.......................................................................................... 47 Tabela 2 - Patologias do Ouvido............................................................................................................. 49 Figura 11 - Patologias do Ouvido - Infecções e Zumbidos - (Plantar)..................................................... 51 Figura 12 - Patologias do Ouvido - Labirinto - (Plantar).......................................................................... 52 CAPITULO IV - PATOLOGIAS DO OLHO.............................................................................................. 53 Tabela 3 - Patologias do Olho................................................................................................................. 55 Figura 13 - Patologia do Olho - Visão Embaçada - (Plantar).................................................................. 57
  • 15. 14 Figura 14 - Patologia do Olho - Conjuntivite - (Plantar).......................................................................... 58 Figura 15 - Patologia do Olho - Terçol - (Plantar).................................................................................... 59 Figura 16 - Patologia do Olho - Glaucoma - (Plantar)............................................................................. 60 CAPITULO V - PATOLOGIAS NASAIS.................................................................................................. 61 Tabela 4 - Patologias Nasais................................................................................................................... 63 Figura 17 - Patologias Nasais - Renite - Nariz Congestionado - (Plantar).............................................. 65 Figura 18 - Patologias Nasais - Renite - Nariz Congestionado - (Dorsal)............................................... 66 Figura 19 - Patologia NasaL - Sinusite - (Plantar)................................................................................... 67 Figura 20 - Patologia NasaL - Sinusite - (Dorsal).................................................................................... 68 CAPÍTULO VI - PATOLOGIAS DA BOCA.............................................................................................. 69 Tabela 5 - Patologias da Boca................................................................................................................. 71 Figura 21 - Patologia da Boca - Dentes - (Plantar)................................................................................. 73 Figura 22 - Patologia da Boca - Dentes - (Medial).................................................................................. 74 Figura 23 - Patologia da Boca - Dentes - (Dorsal).................................................................................. 75 Figura 24 - Patologia da Boca - Afta - (Plantar)...................................................................................... 76 Figura 25 - Patologia da Boca - Afta - (Medial)....................................................................................... 77 CAPITULO VII - PATOLOGIAS DA GARGANTA................................................................................... 79 Tabela 6 - Patologias da Garganta.......................................................................................................... 81 Figura 26 - Patologias da Garganta - Amídalas e Laringe - (Plantar)..................................................... 83 Figura 27 - Patologias da Garganta - Amídalas e Laringe - (Medial)...................................................... 84 CAPITULO VIII - PATOLOGIAS DA ÁREA DO PEITO.......................................................................... 85 Tabela 7 - Patologias da Área do Peito................................................................................................... 87 Figura 28 - Patologia da Área do Peito - Angina - (Plantar).................................................................... 89 Figura 29 - Patologia da Área do Peito - Angina - (Medial)..................................................................... 90 Figura 30 - Patologia da Área do Peito - Angina - (Lateral).................................................................... 91 Figura 31 - Patologia da Área do Peito - Angina - (Dorsal)..................................................................... 92 Figura 32 - Patologia da Área do Peito - Bronquite - (Plantar)................................................................ 93
  • 16. 15 Figura 33 - Patologia da Área do Peito - Bronquite - (Medial)................................................................ 94 Figura 34 - Patologia da Área do Peito - Bronquite - (Lateral)................................................................ 95 Figura 35 - Patologia da Área do Peito - Bronquite - (Dorsal)................................................................. 96 Figura 36 - Patologia da Área do Peito - Asma - (Plantar)...................................................................... 97 Figura 37 - Patologia da Área do Peito - Asma - (Medial)....................................................................... 98 Figura 38 - Patologia da Área do Peito - Asma - (Lateral)...................................................................... 99 Figura 39 - Patologia da Área do Peito - Asma - (Dorsal)..................................................................... 100 Figura 40 - Patologia da Área do Peito - Palpitação - (Plantar)............................................................ 101 Figura 41 - Patologia da Área do Peito - Palpitação - (Medial)............................................................. 102 Figura 42 - Patologia da Área do Peito - Palpitação - (Lateral)............................................................. 103 Figura 43 - Patologia da Área do Peito - Palpitação - (Dorsal)............................................................. 104 CAPITULO IX - PATOLOGIA DA GLÂNDULA MAMÁRIA.................................................................. 105 Tabela 8 - Patologia da Glândula Mamária........................................................................................... 107 Figura 44 - Patologia da Glândula Mamária - Mastite - (Plantar).......................................................... 109 Figura 45 - Patologia da Glândula Mamária - Mastite - (Medial)............................................................110 Figura 46 - Patologia da Glândula Mamária - Mastite - (Lateral)...........................................................111 Figura 47 - Patologia da Glândula Mamária - Mastite - (Dorsal)............................................................112 CAPITULO X - PATOLOGIAS DAS COSTAS.......................................................................................113 Tabela 9 - Patologias das Costas...........................................................................................................115 Figura 48 - Patologia das Costas - Lombalgia - (Plantar)......................................................................117 Figura 49 - Patologia das Costas - Lombalgia - (Medial).......................................................................118 Figura 50 - Patologia das Costas - Lombalgia - (Lateral).......................................................................119 Figura 51 - Patologia das Costas - Ciatalgia - (Plantar)........................................................................ 120 Figura 52 - Patologia das Costas - Ciatalgia - (Medial)......................................................................... 121 Figura 53 - Patologia das Costas - Ciatalgia - (Lateral)........................................................................ 122 CAPITULO XI - PATOLOGIAS DO BRAÇO E MÃO............................................................................ 123 Tabela 10 - Patologias do Braço e Mão................................................................................................ 125 Figura 54 - Patologia do Braço e Mão - Ombro Duro - (Plantar)........................................................... 127
  • 17. 16 Figura 55 - Patologia do Braço e Mão - Ombro Duro - (Medial)........................................................... 128 Figura 56 - Patologia do Braço e Mão - Ombro Duro - (Lateral)........................................................... 129 Figura 57 - Patologia do Braço e Mão - Ombro Duro - (Dorsal)............................................................ 130 Figura 58 - Patologia do Braço e Mão - Cotovelo de Tenista - (Plantar)............................................... 131 Figura 59 - Patologia do Braço e Mão - Cotovelo de Tenista - (Medial)................................................ 132 Figura 60 - Patologia do Braço e Mão - Cotovelo de Tenista - (Lateral)............................................... 133 Figura 61 - Patologia do Braço e Mão - Cotovelo de Tenista - (Dorsal)................................................ 134 Figura 62 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome do Túnel do Cárpio - (Plantar)............................... 135 Figura 63 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome do Túnel do Cárpio - (Medial)................................ 136 Figura 64 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome do Túnel do Cárpio - (Lateral)................................ 137 Figura 65 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome do Túnel do Cárpio - (Dorsal)................................ 138 Figura 66 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome de Raynaud - (Plantar).......................................... 139 Figura 67 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome de Raynaud - (Medial)........................................... 140 Figura 68 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome de Raynaud - (Lateral)........................................... 141 Figura 69 - Patologia do Braço e Mão - Sindrome de Raynaud - (Dorsal)............................................ 142 Figura 70 - Patologia do Braço e Mão - LER/DORT - (Plantar)............................................................ 143 Figura 71 - Patologia do Braço e Mão - LER/DORT - (Medial)............................................................. 144 Figura 72 - Patologia do Braço e Mão - LER/DORT - (Lateral)............................................................. 145 Figura 73 - Patologia do Braço e Mão - LER/DORT - (Dorsal)............................................................. 146 Figura 74 - Patologia do Braço e Mão - Bursite - (Plantar)................................................................... 147 Figura 75 - Patologia do Braço e Mão - Bursite - (Medial).................................................................... 148 Figura 76 - Patologia do Braço e Mão - Bursite - (Lateral).................................................................... 149 Figura 77 - Patologia do Braço e Mão - Bursite - (Dorsal).................................................................... 150 CAPITULO XII - PATOLOGIAS DO SISTEMA DIGESTIVO................................................................ 151 Tabela 11 - Patologias do Sistema Digestivo........................................................................................ 153 Figura 78 - Patologia do Sistema Digestivo - Pedras na Vesícula - (Plantar)....................................... 155 Figura 79 - Patologia do Sistema Digestivo - Síndrome do Intestino Irritável - (Plantar)...................... 156 Figura 80 - Patologias do Sistema Digestivo - Gastrite e Ulcera - (Plantar)......................................... 157 Figura 81 - Patologias do Sistema Digestivo - Gastrite e Ulcera - (Medial).......................................... 158
  • 18. 17 CAPITULO XIII - PATOLOGIAS MENSTRUAIS................................................................................... 159 Tabela 12 - Patologias Menstruais........................................................................................................ 161 Figura 82 - Patologias Menstruais - Cólicas - (Plantar)......................................................................... 163 Figura 83 - Patologias Menstruais - Cólicas - (Medial)......................................................................... 164 Figura 84 - Patologias Menstruais - Cólicas - (Lateral)......................................................................... 165 Figura 85 - Patologias Menstruais - Cólicas - (Dorsal).......................................................................... 166 Figura 86 - Patologias Menstruais - TPM - Tensões Pré-Menstruais - (Plantar)................................... 167 Figura 87 - Patologias Menstruais - TPM - Tensões Pré-Menstruais - (Medial).................................... 168 Figura 88 - Patologias Menstruais - TPM - Tensões Pré Menstruais - (Lateral).................................... 169 Figura 89 - Patologias Menstruais - TPM - Tensões Pré Menstruais - (Dorsal).................................... 170 Figura 90 - Patologias Menstruais - Funções Hormonais - (Plantar).................................................... 171 Figura 91 - Patologias Menstruais - Funções Hormonais - (Medial)..................................................... 172 Figura 92 - Patologias Menstruais - Funções Hormonais - (Lateral)..................................................... 173 Figura 93 - Patologias Menstruais - Funções Hormonais - (Dorsal)..................................................... 174 CAPITULO XIV - PATOLOGIAS DO SISTEMA URINÁRIO................................................................. 175 Tabelas 13 - Patologias do Sistema Urinário........................................................................................ 177 Figura 94 - Patologia da Bexiga - Cistite - (Plantar).............................................................................. 179 Figura 95 - Patologia na Bexiga - Incontinência Urinária - (Plantar)..................................................... 180 Figura 96 - Patologia na Bexiga - Incontinência Urinária - (Medial)...................................................... 181 Figura 97 - Patologia na Bexiga - Incontinência Urinária - (Lateral)..................................................... 182 Figura 98 - Patologia na Bexiga - Incontinência Urinária - (Dorsal)...................................................... 183 Figura 99 - Patologia do Sistema Urinário - Pedras nos Rins - (Plantar).............................................. 184 Figura 100 - Patologia do Sistema Urinário - Pedras nos Rins - (Medial)............................................. 185 Figura 101 - Patologia do Sistema Urinário - Dilatação da Próstata - (Plantar).................................... 186 Figura 102 - Patologia do Sistema Urinário - Dilatação da Próstata - (Medial)..................................... 187 CAPITULO XV - PATOLOGIAS DOS PÉS........................................................................................... 189 Tabela 14 - Patologias dos Pés............................................................................................................. 191 Figura 103 - Patologias dos Pés - Pés e Tornozelos Inchados - (Plantar)............................................ 193 Figura 104 - Patologias dos Pés - Pés e Tornozelos Inchados - (Medial)............................................. 194
  • 19. 18 Figura 105 - Patologias dos Pés - Pés e Tornozelos Inchados - (Lateral)............................................ 195 Figura 106 - Patologias dos Pés - Pés e Tornozelos Inchados - (Dorsal)............................................. 196 Figura 107 - Patologias dos Pés - Frieiras - (Plantar)........................................................................... 197 Figura 108 - Patologias dos Pés - Frieiras - (Medial)............................................................................ 198 Figura 109 - Patologias dos Pés - Frieiras - (Lateral)........................................................................... 199 Figura 110 - Patologias dos Pés - Frieiras - (Dorsal)............................................................................ 200 CAPITULO XVI - OUTRAS PATOLOGIAS........................................................................................... 201 Tabela 15 - Outras Patologias............................................................................................................... 203 Figura 111 - Patologia das Reações Alérgicas - (Plantar)..................................................................... 205 Figura 112 - Patologia da Artrite - (Plantar)........................................................................................... 206 Figura 113 - Patologia da Ansiedade - (Plantar).................................................................................... 207 Figura 114 - Patologia do Estresse - (Plantar)...................................................................................... 208 Figura 115 - Patologia do Estresse - (Medial)....................................................................................... 209 Figura 116 - Patologia de Dor de Dente Aguda... - (Plantar)................................................................. 210 Figura 117 - Patologia da Dor de Dente Aguda... - (Medial)...................................................................211 Figura 118 - Patologia da Dor de Dente Aguda... - (Lateral)................................................................. 212 Figura 119 - Patologia da Dor de Dente Aguda... - (Dorsal).................................................................. 213 CAPITULO XVII - INFORMAÇÕES TÉCNICAS................................................................................... 215 Roteiro da Aplicação da Reflexologia............................................................................................. 217-220 Indicações e Manuseios dos Pontos em Reflexologia................................................................... 221-230 CONCLUSÃO....................................................................................................................................... 231 GLOSSÁRIO.................................................................................................................................. 233-234 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS..................................................................................................... 235
  • 20. 19 INTRODUÇÃO A Reflexologia não trata a doença independentemente de seus sintomas. Através de sua aplicabilidade deseja-se a busca do equilíbrio físico e mental do cliente, por meio do tratamento de todos os sistemas corporais e energéticos com vistas ao retorno da homeostase e a conseqüente redução da tensão, via técnica de relaxamento. É conhecido o fato de que o poder da mente pode afetar todas as células do corpo, provo- cando a ocorrência de mudanças químicas. A existência de emoções negativas como a ansiedade, desgosto, medo, preocupação, raiva e outros excessos, acabam por comprometer o equilíbrio físico e mental, afetando assim as condições de saúde. Nesse caso a habilidade do terapeuta ao aplicar seus conhecimentos e a sensibilidade para diagnosticar e aplicar as técnicas mais adequadas a cada caso são fatores tão importantes quanto o relacionamento entre terapeuta e beneficiário. A Reflexologia através da utilização das mãos do profissional transmite ao cliente energia vital à maior obra-prima: O corpo humano. Neste sentido, julgamos premente a citação de um dito popular: “é preferível prevenir a remediar”. As razões que levaram autora a escrever este Manual procedem da intenção de socializar estudos e registros por ela realizados, sobre Reflexologia a partir de conhecimentos adquiridos du- rante a realização do Curso Técnico de Massoterapia junto a Escola SENAC - Unidade Franca/SP. A metodologia empregada para a elaboração deste manual foi a seguinte: a partir do conhe- cimento dos modelos plantar, medial, lateral e dorsal do pé humano a estudiosa ampliou conheci- mentos acerca da anatomia e fisiologia humana a fim de propor figuras que contribuíssem para que profissionais da área da saúde pudessem melhor visualizar os pés e conseqüentemente aplicar a técnica da reflexologia com maior probabilidade de ganho para o cliente em termos de atendimen-
  • 21. 20 tos. Foram construídas 119 figuras dos pés e 15 tabelas das 46 patologias a serem tratadas e os respectivos pontos reflexores (cristais). Os objetivos que embasaram a elaboração do Manual em referência são: • Descrever detalhadamente os procedimentos, aplicações e manuseios dos pontos em reflexologia podal. • Criar material bibliográfico sobre reflexologia: aplicações e manuseios. • Contribuir para a prática profissional na área da saúde e com a qualidade de vida dos res- pectivos clientes. • Divulgar as possibilidades de intervenções através da reflexologia e a própria técnica. TRATAMENTO 1 - SEDAÇÃO: Distúrbios por excesso de energia, (Dores, nervosismo, infecções, hiperativi- dade orgânica, etc.) Procedimento: Pressão forte e profunda com a popa ou unha dos polegares - de um a cinco minutos. Resultado: Analgesia, acalma e relaxa. 2 - TONIFICAÇÃO: Distúrbio por deficiência de energia (Desmaio, depressão, prostração, insuficiência orgânica, etc.) Procedimento: Pressão leve e repetidas com a ponta dos dedos polegares - de um a cinco minutos. Resultado: Dar vigor, fortalecer e estimular.
  • 22. 21 CAPÍTULO I MODELOS PLANTAR, MEDIAL, LATERAL E DORSAL DO PÉ HUMANO
  • 23. 22
  • 24. 23 A figura da Capa deste Manual e os modelos que dão origem a estes anexos foram fornecidos pela docente fisiotarapeuta, massoterapeuta e reflexologista Dra. Suzana Kioko Nambu da disciplina Re- flexologia Podal - Escola SENAC - Unidade de Franca - Curso Técnico de Massoterapia (2007)
  • 25. 24
  • 26. 25 MODELO PLANTAR. Fonte: Material didático - sala de aula.
  • 27. 26
  • 28. 27 MODELO MEDIAL. Fonte: Material Didático - sala de aula.
  • 29. 28
  • 30. 29 MODELO LATERAL. Fonte: Material didático - sala de aula.
  • 31. 30
  • 32. 31 MODELO DORSAL. Fonte: Material didático - sala de aula.
  • 33. 32
  • 34. 33 CAPÍTULO II PATOLOGIAS DA CABEÇA / PESCOÇO
  • 35. 34
  • 36. 35 Tabela 1 - Patologias da cabeça e pescoço. Fonte: Acervo da autora, 2008. Patologias Pontos Reflexores (Cristais) Dor de cabeça Enxaqueca Estresse Cérebro Cervical Pescoço Vesicula Biliar Pâncreas Olhos Tireóide Estômago Hipófise Fígado Hormonais Hipófise Tireóide Útero/Próstata Pescoço Pâncreas Supra Renal Ovário/Testiculo Trigêmeos Tireóide Cérebro Dentes Nervos Trigêmeos Rosto Causas: Estresse, vista , poluição, má digestão, alimentação inadequada, hormônios, reações alérgi- cas, ressaca, ansiedade, excesso de trabalho, sinusite, nevralgia, insônia, dor de cabeça e tontura. Tabela das patologias da cabeça e pescoço As tabelas sequentes são expostas com o fim de tornar mais claro ao leitor os pontos reflexores (cristais) utilizados para as aplicações e manuseios dos pés dos clientes tratados pelo reflexologis- ta. Vale ressaltar que se faz necessária a realização de abertura do Plexo Solar antes do início da apli- cação da técnica de reflexologia, através de uma dezena de pressões firmes e contínuas (sentido horário).
  • 37. 36
  • 38. 37 Figura 1 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Dor de Cabeça, Enxaqueca e Estresse - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 39. 38 Figura 2 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Dor de Cabeça, enxaqueca e estresse - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 40. 39 Figura 3 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Dor de Cabeça Enxaqueca e Estresse - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 41. 40 Figura 4 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Hormonais - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 42. 41 Figura 5 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Hormonais - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 43. 42 Figura 6 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Hormonais - (Lateral) Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 44. 43 Figura 7 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Hormonais - (Dorsal) Fonte; Acervo da autora, 2008.
  • 45. 44 Figura 8 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Nervos Trigêmeos - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 46. 45 Figura 9 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Nervos trigêmeos - (Medial) Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 47. 46 Figura 10 - Patologias da Cabeça e Pescoço - Nervos trigêmeos - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 49. 48
  • 50. 49 Tabela 2 - Patologias do ouvido. CAUSAS: Coceira, ardor ao toque, friagem, estresse, excesso de atividades diárias, tontura, otite, dificuldades auditivas, zumbido e causas desconhecidas. OBS: Fazer relaxamento geral Fonte: Acervo da autora, 2008. Patologias Pontos Reflexores (Cristais) Infecção e Zumbido Seios Paranasais Baço Ouvido Pescoço Labirintite Seios Paranasais Baço Ouvido Pescoço Fígado Cérebro Hipófise Vesicula Biliar
  • 51. 50
  • 52. 51 Figura 11 - Patologias do Ouvido - Infecção e Zumbido - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 53. 52 Figura 12 - Patologias do Ouvido - Labirintite - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 55. 54
  • 56. 55 Tabela 3 - Patologias do Olho. CAUSAS: Dor, inchaço, secreção, estado de choque, olhos fotossensíveis, estresse, pressão intra- ocular e hemorragia dos olhos. OBS: Com o final do estado de estresse os sintomas desaparecem. Fazer relaxamento da área reflexa dos olhos. Fonte: Acervo da autora, 2008. Patologias Pontos Reflexores (Cristais) Visão Embaçada Relaxamento da área dos olhos Conjuntivite Seios Paranasais Baço Olhos Terçol Seios Paranasais Baço Olhos Glaucoma Seios Paranasais Rim Olhos Cérebro Ureter Bexiga
  • 57. 56
  • 58. 57 Figura 13 - Patologia do Olho - Visão Embaçada - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008. Obs.: Relaxamento da área reflexa dos olhos.
  • 59. 58 Figura 14 - Patologia do Olho - Conjuntivite - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 60. 59 Figura 15 - Patologia do Olho - Terçol - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 61. 60 Figura 16 - Patologia do Olho - Glaucoma - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 63. 62
  • 64. 63 Fonte: Acervo da autora, 2008. Tabela 4 - Patologias Nasais. Patologias Pontos Reflexores (Cristais) Renite Nariz Congestionado S. Paranasais Baço Cérebro Vesícula Biliar Ureter Rim Rosto Estômago Pâncreas Bexiga Fígado Sinusite S. Paranasais Cérebro Olhos Ouvido CAUSAS: Sinusite, inflamação virótica da membrana que cobre os seios nasais, dor latejante, perda do olfato, dor de cabeça, resfriado, reações alérgicas e rouquidão.
  • 65. 64
  • 66. 65 Figura 17 - Patologias Nasais - Renite - Nariz Congestionado - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 67. 66 Figura 18 - Patologias Nasais - Renite - Nariz Congestionado - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 68. 67 Figura 19 - Patologia Nasal - Sinusite - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 69. 68 Figura 20 - Patologia Nasal - Sinusite - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 71. 70
  • 72. 71 Tabela 5 - Patologias da Boca. CAUSAS: (Afta - embaixo da língua, interno dos lábios e das bochechas) estresse, alergia, feri- mentos, problemas digestivos, dor de dentes e emergencial. Fonte: Acervo da autora, 2008. Patologias Pontos Reflexores (Cristais) Dente Dentes Hipófise Cérebro Afta Estômago Pâncreas Fígado Cérebro Vesícula Biliar
  • 73. 72
  • 74. 73 Figura 21 - Patologia da Boca - Dentes - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 75. 74 Figura 22 - Patologia da Boca - Dentes - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 76. 75 Figura 23 - Patologia da Boca - Dentes (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 77. 76 Figura 24 - Patologia da Boca - Afta - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 78. 77 Figura 25 - Patologia da Boca - Afta - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 79. 78
  • 81. 80
  • 82. 81 Tabela 6 - Patologias da Garganta. CAUSAS: Perda de voz, dor para engolir, vírus, poluição (cigarro), inflamação, má impostação da voz e forças das cordas vocais. Fonte: Acervo da autora, 2008. Patologias Pontos Reflexores (Cristais) Amidalas e Laringe Seios Paranasais Garganta Cervical Baço
  • 83. 82
  • 84. 83 Figura 26 - Patologias da Garganta - Amídalas e Laringe - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 85. 84 Figura 27 - Patologias da Garganta - Amídalas e Laringe - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 87. 86
  • 88. 87 Tabela 7 - Patologias da Área do Peito. CAUSAS: Poluição, tabagismo, tosse, falta de ar, estresse, arritmia, ingestão alcoólica, cafeína, alergia, problemas cardíacos, dor no peito irradiada, bronco espasmo, crônico, vírus bacterianos e chiado no peito. Obs.: Somente neste caso, deve-se fazer o relaxamento do órgão Diafragma. Fonte: Acervo da autora, 2008. Patologias Pontos Reflexores (Cristais) Angina Vesícula Biliar Coração Pulmão Cervical Fígado Costela Bronquite Diafragma Coração Pulmão Estômago Torácica Fígado Baço Vesícula Biliar Pâncreas Asma Diafragma Coração Pulmão Torácica Costela Palpitação Diafragma Coração Coluna Pulmão Plexo Solar
  • 89. 88
  • 90. 89 Figura 28 - Patologia da Área do Peito - Angina - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 91. 90 Figura 29 - Patologia da Área do Peito - Angina - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 92. 91 Figura 30 - Patologia da Área do Peito - Angina - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 93. 92 Figura 31 - Patologia da Área do Peito - Angina - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 94. 93 Figura 32 - Patologia da Área do Peito - Bronquite - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 95. 94 Figura 33 - Patologia da Área do Peito - Bronquite - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 96. 95 Figura 34 - Patologia da Área do Peito - Bronquite - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 97. 96 Figura 35 - Patologia da Área do Peito - Bronquite - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 98. 97 Figura 36 - Patologia da Área do Peito - Asma - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 99. 98 Figura 37 - Patologia da Área do Peito - Asma - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 100. 99 Figura 38 - Patologia da Área do Peito - Asma - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 101. 100 Figura 39 - Patologia da Área do Peito - Asma - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 102. 101 Figura 40 - Patologia da Área do Peito - Palpitação - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 103. 102 Figura 41 - Patologia da Área do Peito - Palpitação - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 104. 103 Figura 42 - Patologia da Área do Peito - Palpitação - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 105. 104 Figura 43 - Patologia da Área do Peito - Palpitação - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 106. 105 C A P Í T U L O I X PATOLOGIA DA GLÂNDULA MAMÁRIA
  • 107. 106
  • 108. 107 Tabela 8 - Patologia da Glândula Mamária. CAUSAS: Problemas hormonais, menopausa, desequilíbrios hormonais, desobstrução, dor, des- conforto, inflamação das glândulas mamárias e entupimento dos ductos lácteos. Fonte: Acervo da autora, 2008. Patologias Pontos Reflexores (Cristais) Mastite Supra-Renal Pescoço Tireóide Hipófise Ovários/Testículos Costelas Pâncreas Pulmão
  • 109. 108
  • 110. 109 Figura 44 - Patologia da Glândula Mamária - Mastite - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 111. 110 Figura 45 - Patologia da Glândula Mamária - Mastite - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 112. 111 Figura 46 - Patologia da Glândula Mamária - Mastite - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 113. 112 Figura 47 - Patologia da Glândula Mamária - Mastite - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 115. 114
  • 116. 115 Tabela 9 - Patologias das Costas. CAUSAS: Compressão e dor do nervo ciático, dor local irradiada, mudança brusca de temperatura, friagem, má postura, idade e falta de alongamento. Fonte: Acervo da autora, 2008. Patologias Pontos Reflexores (Cristais) Lombalgia Cóccix Quadril Lombar Nervo Ciático Cérebro Ciatalgia Cóccix Quadril Coluna Nervo Ciático Hipófise Cérebro
  • 117. 116
  • 118. 117 Figura 48 - Patologia das Costas - Lombalgia - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 119. 118 Figura 49 - Patologia das Costas - Lombalgia - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 120. 119 Figura 50 - Patologia das Costas - Lombalgia - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 121. 120 Figura 51 - Patologia das Costas - Ciatalgia - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 122. 121 Figura 52 - Patologia das Costas - Ciatalgia - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 123. 122 Figura 53 - Patologia das Costas - Ciatalgia - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 125. 124
  • 126. 125 Tabela 10 - Patologias do Braço e Mão. CAUSAS: Uso constante do computador, estresse, ansiedade, dores nas mãos, inflamações nos locais, LER/DORT, fadiga muscular, estresse ansiedade, dor nas mãos, inflamações dos tendões, compressão do meridiano na passagem entre ossos e tendões e sensação de perda de força. Fonte: Acervo da autora, 2008. Patologias Pontos Reflexores (Cristais) Ombro Duro Ombro/Braço Cérebro Pescoço Cotovelo de Tenista Ombro/Braço Cérebro Pescoço Cervical Joelho/Cotovelo Síndrome Túnel do Carpio Ombro/Braço Cérebro Pescoço Cervical Joelho/Cotovelo Síndrome Raynaud Ombro/Braço Coração 15” Pulmão 15” Rim Joelho/Cotovelo Ureter Bexiga LER/DORT Ombro/Braço Cérebro Joelho/Cotovelo Pescoço Bursite Ombro/Braço Cérebro Cervical Pescoço
  • 127. 126
  • 128. 127 Figura 54 - Patologia do Braço e Mão - Ombro Duro - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 129. 128 Figura 55 - Patologia do Braço e Mão - Ombro Duro - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 130. 129 Figura 56 - Patologia do Braço e Mão - Ombro Duro - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 131. 130 Figura 57 - Patologia do Braço e Mão - Ombro Duro - (Dorsal) Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 132. 131 Figura 58 - Patologia do Braço e Mão - Cotovelo de Tenista - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 133. 132 Figura 59 - Patologia do Braço e Mão - Cotovelo de Tenista - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 134. 133 Figura 60 - Patologia do Braço e Mão - Cotovelo de Tenista - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 135. 134 Figura 61 - Patologia do Braço e Mão - Cotovelo de Tenista - (Dorsal) Fonte: Acervo da autora 2008.
  • 136. 135 Figura 62 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome do Túnel do Cárpio - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 137. 136 Figura 63 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome do Túnel do Cárpio - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 138. 137 Figura 64 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome do Túnel do Cárpio - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 139. 138 Figura 65 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome do Túnel do Cárpio - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 140. 139 Figura 66 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome de Raynaud - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008. Obs.: Neste caso o órgão coração será pressionado por quinze segundos diariamente.
  • 141. 140 Figura 67 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome de Raynaud - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 142. 141 Figura 68 - Patologia do Braço e Mão - Síndrome de Raynaud - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 143. 142 Figura 69 - Patologia do Braço e Mão - Sindrome de Raynaud - (Dorsal) Fonte: Acervo da autora 2008.
  • 144. 143 Figura 70 - Patologia do Braço e Mão - LER / DORT - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 145. 144 Figura 71 - Patologia do Braço e Mão - LER / DORT - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 146. 145 Figura 72 - Patologia do Braço e Mão - LER / DORT - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 147. 146 Figura 73 - Patologia do Braço e Mão - LER / DORT - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 148. 147 Figura 74 - Patologia do Braço e Mão - Bursite - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 149. 148 Figura 75 - Patologia do Braço e Mão - Bursite (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 150. 149 Figura 76 - Patologia do Braço e Mão - Bursite - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 151. 150 Figura 77 - Patologia do Braço e Mão - Bursite - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 152. 151 CAPÍTULO XII PATOLOGIAS DO SISTEMA DIGESTIVO
  • 153. 152
  • 154. 153 Tabela 11 - Patologias do Sistema Digestivo. CAUSAS: Dores abdominais intensas, indigestão, inchaço abdominal, flatulência, dor de cabeça e ansiedade, diarréia e náuseas. Fonte: Acervo da autora, 2008. Patologias Pontos Reflexores (Cristais) Pedra na Vesícula Fígado Vesícula Biliar Int. Delgado 10’’ Cólons Bexiga Válvula Iliocecal Apêndice Rim Ureter Síndrome Intestino Irritável Fígado Vesícula Biliar Int. Delgado 10’’ Válvula Iliocecal Cólons Estômago Pâncreas Apêndice Gastrite e Úlcera Cérebro Estômago Fígado Pâncreas Hipófise Vesícula Biliar
  • 155. 154
  • 156. 155 Figura 78 - Patologia do Sistema Digestivo - Pedras na Vesícula - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008. Obs.: O órgão fígado fazer a aplicação com pouca pressão.
  • 157. 156 Figura 79 - Patologia do Sistema Digestivo - Sindrome do Intestino Irritável - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 158. 157 Figura 80 - Patologias do Sistema Digestivo - Gastrite e Úlcera - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 159. 158 Figura 81 - Patologias do Sistema Digestivo - Gastrite e Úlcera - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 161. 160
  • 162. 161 Tabela 12 - Patologias Menstruais. CAUSAS: Seios inchados e doloridos, inchaço abdominal, aumento de peso, dor de cabeça, lombal- gia, alterações de temperatura e TPM (Tensão Pré Menstruais). Fonte: Acervo da autora, 2008. Patologias Pontos Reflexores (Cristais) Cólicas Cérebro Útero/Próstata Hipófise Tubo Uterino/Virilha/ Canal Deferente Lombar Ovário/Testículo TPM Cérebro Útero/Próstata Hipófise Tubo Uterino/Virilha/ Canal Deferente Pescoço Lombar Ovário/Testículo Tireóide Rim Funções Hormonais Cérebro Útero/Próstata Rim Ovário/Testículo Tireóide Lombar Tubo Uterino/Virilha/ Canal Deferente Hipófise
  • 163. 162
  • 164. 163 Figura 82 - Patologias Menstruais - Cólicas - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 165. 164 Figura 83 - Patologias Menstruais - Cólicas - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 166. 165 Figura 84 - Patologias Menstruais - Cólicas - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 167. 166 Figura 85 - Patologias Menstruais - Cólicas - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 168. 167 Figura 86 - Patologias Menstruais - TPM - Tensões Pré- Menstruais - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 169. 168 Figura 87 - Patologias Menstruais - TPM - Tensões Pré-Menstruais - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 170. 169 Figura 88 - Patologias Menstruais - TPM - Tensões Pré - Menstruais - (Lateral) Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 171. 170 Figura 89 - Patologias Menstruais - TPM - Tensões Pré - Menstruais - (Dorsal) Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 172. 171 Figura 90 - Patologias Menstruais - Funções Hormonais - (Plantar) Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 173. 172 Figura 91 - Patologias Menstruais - Funções Hormonais - (Medial) Fonte; Acervo da autora, 2008.
  • 174. 173 Figura 92 - Patologias Menstruais - Funções Hormonais - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 175. 174 Figura 93 - Patologias Menstruais - Funções Hormonais - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 176. 175 CAPÍTULO XIV PATOLOGIAS DO SISTEMA URINÁRIO
  • 177. 176
  • 178. 177 Tabela 13 - Patologias do Sistema Urinário CAUSAS: Falta de beber água, segurar por muito tempo para urinar, assepsia errada quando eva- cuar, alimentação inadequada, pedras nos rins, problemas nas glândulas endócrinas, inflamação na bexiga, freqüência de micção, dor ao urinar, perda de urina involuntária, flacidez de músculos e ligamentos da pelve, dilatação da próstata, deformação da uretra, retenção hídrica, problemas circulatórios. Fonte: Acervo da autora, 2008. Patologias Pontos Reflexores (Cristais) Cistite Bexiga 5’’ Ureter 5’’ Rim 5’’ Incontinência Urinária Bexiga Ureter Rim Lombar Útero/Próstata Quadril Tubo Uterino/Virilha/ Canal Deferente Pedras nos Rins Bexiga Ureter Rim Cérebro Baço Dilatação da Próstata Bexiga Ureter Rim Próstata
  • 179. 178
  • 180. 179 Figura 94 - Patologia do Sistema Urinário - Cistite - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008. Obs.: O órgão Rim, deve ser pressionado por 5 segundos diariamente.
  • 181. 180 Figura 95 - Patologia do Sistema Urinário - Incontinência Urinária - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 182. 181 Figura 96 - Patologia do Sistema Urinário - Incontinência Urinária - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 183. 182 Figura 97 - Patologia do Sistema Urinário - Incontinência Urinária - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 184. 183 Figura 98 - Patologia do Sistema Urinário - Incontinência Urinária - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 185. 184 Figura 99 - Patologia do Sistema Urinário - Pedras nos Rins - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 186. 185 Figura 100 - Patologia do Sistema Urinário - Pedras nos Rins - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 187. 186 Figura 101 - Patologia do Sistema Urinário - Dilatação da Próstata - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 188. 187 Figura 102 - Patologia do Sistema Urinário - Dilatação da Próstata - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 189. 188
  • 191. 190
  • 192. 191 Tabela 14 - Patologias dos pés. CAUSAS: Muito tempo de permanência sentado ou em pé, não secar entre os dedos quando tomar banho, uso constante do mesmo sapato (fechado), falta de ventilação nos pés, problemas circulató- rio, excesso de sal no organismo, retenção hídrica, problemas circulatórios, má circulação periférica, sedentarismo, roupas inadequadas, alergia alimentar, estresse, reduzir sistema imunológico e frutos do mar. Fonte: Acervo da autora, 2008. Patologias Pontos Reflexores (Cristais) Pés e Tornozelo Inchados Bexiga Ureter Rim Pulmão Coração Coluna Frieiras Bexiga Ureter Rim Pulmão Coração Coluna
  • 193. 192
  • 194. 193 Figura 103 - Patologias dos Pés - Pés e Tornozelos Inchados - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 195. 194 Figura 104 - Patologias dos Pés - Pés e Tornozelos Inchados - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 196. 195 Figura 105 - Patologias dos Pés - Pés e Tornozelos Inchados - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 197. 196 Figura 106 - Patologias dos Pés - Pés e Tornozelos Inchados - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 198. 197 Figura 107 - Patologias dos Pés - Frieiras - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 199. 198 Figura 108 - Patologias dos Pés - Frieiras - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 200. 199 Figura 109 - Patologias dos Pés - Frieiras - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 201. 200 Figura 110 - Patologias dos Pés - Frieiras - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 203. 202
  • 204. 203 Tabela 15 - Outras Patologias. CAUSAS: Depende de cada Patologia. Fonte: Acervo da autora, 2008. Patologias Pontos Reflexores (Cristais) Reações Alérgicas Estômago Fígado Cólons Int. Delgado Baço Vesícula Biliar Artrite Estômago Fígado Pâncreas Vesícula Biliar Rim Ureter Bexiga Ansiedade Vál. Iliocecal Fígado Cólons Vesícula Biliar Pâncreas Int. Delgado Estômago Apêndice Estresse Estômago Fígado Cervical Vesícula Biliar Cérebro Pescoço Dor-de-Dente Palidez-Pressão e Sudorese Hipófise Tireóide Vesícula Biliar Cérebro Estômago Pulmão Fígado Rim Ureter Bexiga Cervical Plexo Solar Dentes Baço Rosto Nervos Trigêmeos
  • 205. 204
  • 206. 205 Figura 111 - Outras Patologias - Reações Alérgicas - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 207. 206 Figuras 112 - Outras Patologias - Artrite - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 208. 207 Figura 113 - Outras Patologias - Ansiedade - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 209. 208 Figura 114 - Outras Patologias - Estresse - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 210. 209 Figura 115 - Outras Patologias - Estresse - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 211. 210 Figura 116 - Outras Patologias - Dor de Dente Aguda - Palidez - Sudorese- Pressão - (Plantar). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 212. 211 Figura 117 - Outras Patologias - Dor de Dente Aguda - Palidez - Sudorese- Pressão - (Medial). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 213. 212 Figura 118 - Outras Patologias - Dor de Dente Aguda - Palidez - Sudorese- Pressão - (Lateral). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 214. 213 Figura 119 - Outras Patologias - Dor de Dente Aguda - Palidez - Sudorese- Pressão - (Dorsal). Fonte: Acervo da autora, 2008.
  • 215. 214
  • 217. 216
  • 218. 217 Roteiro da Aplicação de Reflexologia Podal OBSERVAÇÃO: o Roteiro de Aplicação e Manuseio dos Pontos em Reflexologia foi matéria ministrada durante as aulas na disciplina de Reflexologia Podal e os Cinco Elementos - Docente, Fisioterapeuta, Massoterapeuta e Reflexologista Dra. Suzana Kioko Nambu - SENAC - Unidade - Franca SP - 2007. 01 - PREPARAR a sala adequadamente, cremes, toalhas, maca 02 - EFETUAR a assepsia dos pés 03 - INICIAR sempre pelo pé direito 04 - AQUECER o creme entre as mãos e aplicar no pé direito com movimentos circulares e relaxar o pés 05 - ESTIMULAR o ponto PLEXO SOLAR 06 - Verificar o ponto CÉREBRO 07 - Verificar o ponto SEIOS PARANASAIS 08 - Verificar o ponto HIPÓFISE 09 - Verificar o ponto GARGANTA / PESCOÇO 10 - Verificar o ponto AXILA 11 - Verificar o ponto OLHO 12 - Verificar o ponto OUVIDO 13 - Verificar o ponto TIREÓIDE 14 - Verificar o ponto DIAFRAGMA 15 - Verificar o ponto PULMÃO 16 - Verificar o ponto OMBRO / BRAÇO 17 - Verificar o ponto ESTOMAGO 18 - Verificar o ponto FÍGADO / VESÍCULA BILIAR 19 - Verificar o ponto PÂNCREAS / GLÂNDULAS ADRENAL 20 - Verificar o ponto RINS / URETER E BEXIGA 21 - Verificar o ponto VÁLVULA ILIOCECAL / APÊNDICE 22 - Verificar o ponto CÓLON ASCENDENTE 23 - Verificar o ponto CÓLON TRANSVERSO 24 - Verificar o ponto INTESTINO DELGADO
  • 219. 218 25 - Verificar o ponto NERVO CIÁTICO 26 - Verificar o ponto CÓCCIX 27 - Verificar o ponto COLUNA CERVICAL - TORÁCICA - LOMBAR E SACRO DORSAL 28 - Verificar o ponto TIREÓIDE 29 - Verificar o ponto DENTES 30 - Verificar o ponto NERVO TRIGÊMEOS 31 - Verificar o ponto COSTELAS 32 - Verificar o ponto PULMÃO LATERAL E MEDIAL 33 - Verificar o ponto OVÁRIO / TESTÍCULO 34 - Verificar o ponto ÚTERO /PRÓSTATA 35 - Verificar o ponto CANAL DEFERENTE / TUBO UTERINO E VIRILHA 36 - Verificar o ponto QUADRIL 37 - Verificar o ponto NERVO CIÁTICO 38 - Verificar o ponto JOELHO / COTOVELO 39 - Verificar o ponto OMBRO / BRAÇO 40 - TRATAR os pontos que apresenta cristais 41 - TRATAR os pontos que apresenta Patologia 42 - RELAXAR o pé direito 43 - ENVOLVER em uma Toalha 44 - RETIRAR o excesso de creme dos pés PÉ ESQUERDO 01 - AQUECER o creme 02 - Estimular o PLEXO SOLAR
  • 220. 219 03 - Verificar o ponto do CÉREBRO 04 - Verificar o ponto SEIOS PARANASAIS 05 - Verificar o ponto HIPÓFISE 06 - Verificar o ponto da AXILA 07 - Verificar o ponto OLHOS 08 - Verificar o ponto OUVIDOS 09 - Verificar o ponto TIREÓIDE 10 - Verificar o ponto DIAFRAGMA 11 - Verificar o ponto PULMÃO 12 - Verificar o ponto CORAÇÃO 13 - Verificar o ponto ESTÔMAGO 14 - Verificar o ponto OMBRO / BRAÇO 15 - Verificar o ponto BAÇO 16 - Verificar o ponto PÂNCREAS / GLÂNDULA ADRENAL 17 - Verificar o ponto RINS / URETER E BEXIGA 18 - Verificar o ponto CÓLON TRANSVERSO 19 - Verificar o ponto CÓLON DESCENDENTE 20 - Verificar o ponto CÓLON SIGMÒIDE 21 - Verificar o ponto RETO 22 - Verificar o ponto INTESTINO DELGADO 23 - Verificar o ponto NERVO CIÁTICO 24 - Verificar o ponto CÓCCIX. 25 - Verificar o ponto COLUNA VERTEBRAL / TORÁCICA / LOMBAR E SACRO DORSAL 26 - Verificar o ponto TIREÓIDE 27 - Verificar o ponto DENTES 28 - Verificar o ponto ROSTO 29 - Verificar o ponto COSTELAS 30 - Verificar o ponto PULMÃO
  • 221. 220 LATERAL E MEDIAL 31 - Verificar o ponto OVÁRIO / TESTÍCULO 32 - Verificar o ponto ÚTERO / PRÓSTATA 33 - Verificar o ponto CANAL DEFERENTE / TUBO UTERINO E VIRILHA 34 - Verificar o ponto QUADRIL 35 - Verificar o ponto NERVO CIÁTICO 36 - Verificar o ponto JOELHO / COTOVELO 37 - Verificar o ponto OMBRO / BRAÇO 38 - TRATAR os pontos que apresenta CRISTAIS 39 - TRATAR os pontos que apresenta PATOLOGIA 40 - RELAXAR pé esquerdo 41 - ENVOLVER em uma Toalha 42 - RETIRAR o excesso de creme do pé
  • 222. 221 1 - GLÂNDULA SUPRA-RENAL MANUSEIO - Articulação do dedo indicador médio INDICAÇÃO - Arritmia - Doenças relativas a supra renal - Inflamações - Alergia - Doenças Contagiosas - Bronquite - Asma - Inflamações nas junta 2 - RINS MANUSEIO - Articulação do dedo médio ou dedo polegar INDICAÇÃO - Inflamação aguda e crônica dos rins, - Pedra nos rins, - Doenças relativa aos rins, - Inflamação nos rins. Para a medicina chinesa do Ying e Yang, ele é considerado o mais importante, devido a sua forma- ção de eliminação das toxinas. 3 - CANAL URINÁRIO E URETER MANUSEIO - Articulação do dedo médio INDICAÇÃO - Pedra no canal urinário, - Inflamação no canal urinário, - Estreitamente no canal, - Dificuldade de urinar, - Contágio do canal Indicações e Manuseios dos Pontos em Reflexologia Podal
  • 223. 222 4 - OLHOS MANUSEIO - Ponta do dedo polegar INDICAÇÃO - Fortalecer o fígado, - Aquarando a visão, - Conjuntivite, - Miopia, dor nos olhos, - Catarata, - Hemorragia nos olhos, - Pressão alta intra-ocular. - Edema e toda e qualquer enfermidade relativa a visão. 5 - OUVIDO MANUSEIO - Ponta do dedo polegar Efeito - Fortalecer os rins as funções do cérebro e aumenta a capacidade auditiva. INDICAÇÃO - Otite. - Zumbido no ouvido. - Dificuldade na audição. 6 - INTESTINO DELGADO MANUSEIO - Articulações dos 4 dedos ou polegar. INDICAÇÃO - Doenças do aparelho digestivo. - Diarréia. - Dor de barriga. - Perda da visão. - Inflamação intestinal. - Inchaço no abdome. Observação - O intestino delgado está ligado ao funcionamento do estômago e intestino (absorção e metabolismo) Sintomas :- fraqueza no funcionamento do estômago e intestino. Difusão do sistema digestivo. Difi- culdade em urinar e evacuar. Emagrecimento devido á digestão desaparecem com a Reflexologia.
  • 224. 223 7 - HIPÓFISE - GLÂNDULA PITUITÁRIA MANUSEIO - Dedos indicadores. INDICAÇÃO - Desordem relativa a falta de segregação das glândulas endócrinas. - Desequilíbrio no crescimento da criança, incontinência urinaria e menopausa. 8 - CORAÇÃO MANUSEIO - Dedo polegar. INDICAÇÃO - Recuperação de ataque cardíaco. - Coração fraco. - Arritmia. 9 - BEXIGA MANUSEIO - Articulação do dedo médio ou polegar INDICAÇÃO - Pedra nos rins. - Canal urinário. - Bexiga. - Inflamação na bexiga. - Doença relativas e bexiga e urina. Observação - normalmente a cliente que sente dor não toma muita água, sem ela para eliminar to- xinas , ele se acumula na bexiga. A função da bexiga melhora com estímulo dos pés por isso se aconselha a tomar água ao termino da seção. 10 - CABEÇA MANUSEIO - Pressão da articulação do indicador com a mão contrária serviço de apoio INDICAÇÃO - Analgesia em geral. - Sinusite. - Dor de cabeça. - Nevralgia dos nervos trigêmeos. - Tontura.
  • 225. 224 - Insônia. - Começo de febre. - Doença do olho - Doenças relativas aos nervos motores (Parkinson) 11 - COLUNA CERVICAL MANUSEIO - Ponta do dedo polegar, o manuseio desta região ajuda aumentar o aporte sangüíneo para o cérebro. INDICAÇÃO - Torcicolo. - Dores musculares no pescoço. - Dor de cabeça. - Pescoço duro. 12 - TIREÓIDE MANUSEIO - para região plantar - Dedo polegar região dorsal polegar ou dedo indicador. INDICAÇÃO - Sintomas relativo a falta ou excesso de segregação da Tireóide, ou seja, Hipertireoi- dismo e Hipotiroidismo 13 - OVÁRIO E TESTÍCULOS MANUSEIO - Dedos polegar. INDICAÇÃO - Impotência. - Menstruação irregular. - Menstruação dolorosa. - TPM. - Menopausa. 14 - BAÇO MANUSEIO - Articulação do dedo médio ou polegar INDICAÇÃO - Anemia. - Doenças da pele.
  • 226. 225 - Falta de apetite. - Má digestão. - Começo de febre. - Inflamações. - Baixa capacidade imunológica. - Câncer (só ajudando a pessoa com câncer depois terminando o ciclo de Quimioterapia e Radio- terapia - depois de 2 meses). - Observação - Este ponto além de ser utilizado em doenças gastrintestinais tem profunda relação com sistema cardiovascular, estimulando equilíbrio do seu funcionamento, especialmente no caso de pressão alta. Tem bom resultado quando estimulado junto com o ponto do coração. Se o cliente já fuma, bebe, apresenta gordura no sangue ou tendência a diabetes, tem facilidade de contrair doenças provenientes de arteriosclerose, aconselha- se o tratamento constante nos pontos do baço e coração a fim de prevenir a arteriosclerose ou sintomas, como desmaio, falta de sangue no cérebro e pressão alta. 15 - ESTÔMAGO MANUSEIO - Polegar INDICAÇÃO - Ânsia de vomito. - Vômito. - Doenças do estômago. - Estômago inchado. - Acidez Estomacal. - Má digestão. - Gastrite aguda ou crônica. - Afta. - Observação- A zona reflexa do estômago encontra - se nos pés quando acontece em sentir dor em apenas um lado significa que os sintomas não são estão profundos portanto a recuperação é rápida. È raro mais pode interpretar que a doença esteja afetando apenas um lado do estômago. 16 - PÂNCREAS MANUSEIO - Polegar. INDICAÇÃO - Doenças do aparelho digestivo. - Pâncreas. - Diabetes.
  • 227. 226 17 - FÍGADO MANUSEIO - Polegar. INDICAÇÃO - Doença do fígado. Observação - O fígado é responsável pela raiva e ira segundo Medicina Tradicional Chinesa . 18 - CÓLON ASCENDENTES MANUSEIO - Movimento de baixo para cima com a ajuda do dedo polegar ou articulação do dedo indicador. INDICAÇÃO - Doença relativa ao aparelho digestivo. - Obesidade. - Dor de Barriga. - Constipação. 19 - CÓLON TRANSVERSO MANUSEIO - Articulação do dedo indicador ou polegar. INDICAÇÃO - Doenças do aparelho digestivo - Diarréia. - Constipação. - Dor de Barriga. 20 - CÓLON DESCENDENTE MANUSEIO - Articulação dos dedos indicador ou polegar. INDICAÇÃO - Doenças do aparelho digestivo. - Diarréia. - Constipação. - Dor de barriga. - Inflamação no intestino.
  • 228. 227 21 - NERVO CIÁTICO MANUSEIO - Polegar e articulação do indicador. INDICAÇÃO - Ciatalgia. - Enxaqueca. - Paralisia. - Insônia. - Doença do nariz, olhos e ouvidos. - Desconforto na região lombar e posterior da coxa. Observação- o estimulo nesse ponto facilita a passagem do meridiano e atua como analgésico. 22 - COTOVELO / JOELHO MANUSEIO - Articulação do indicador e polegar. INDICAÇÃO - Ferimento. - Inflamação. - Artrite. - Dores no joelho e cotovelo. - Reumatismo. 23 - SEIOS PARANASAIS MANUSEIOS - Articulação do polegar e indicador. INDICAÇÃO - Dor cabeça. - Resfriado. - Reações Alérgicas. - Rouquidão. - Sinusite. 24 - PLEXO SOLAR MANUSEIO - Articulação do Indicador. INDICAÇÃO - Ativar os pontos para cuidar das patologias.
  • 229. 228 25 - CINTURA PELVE - (QUADRIL) MANUSEIO - Articulação do dedo indicador INDICAÇÃO - Reumatismo. - Ciatalgia. - Ferimento na região dos quadris. - Ulceras. - Hemiplegia. 26 - VOZ MANUSEIO - Polegar. INDICAÇÃO - Voz rouca. - Afonia. - Bronquite. 27 - COLUNA SACRAL MANUSEIO - Polegar - lateral do polegar. INDICAÇÃO - Ferimento no sacro. - Ciatalgia. Observação- O estimulo na coluna sacral facilita a transmissão do reflexo. 28 - VÁLVULA ILIOCECAL / APÊNDICE MANUSEIO - Porta do indicador ou Articulação do indicador ou polegar INDICAÇÃO - Inflamação na região. - Dores. 29 - PRÓSTATA / ÚTERO MANUSEIO - Polegar. INDICAÇÃO - Problemas no útero e próstata.
  • 230. 229 30 - CÓCCIX MANUSEIO - Polegar ou articulação do dedo indicador. INDICAÇÃO - Ciatalgia. - Dores região coccigena. 31 - COLUNA LOMBAR MANUSEIO - Ponta ou lateral do polegar. INDICAÇÃO - Hérnia lombar. - Ciatalgia. - Lombalgia. 32 - COLUNA TORÁCICA MANUSEIO - Ponta do indicador lateral do polegar. INDICAÇÃO - Dores nas costas. - Hérnia. - Dores nas vértebras torácica. 33 - PULMÕES MANUSEIO - Porção plantar dedo polegar. INDICAÇÃO - Bronquite. - Tuberculose. - Pneumonia. - Enfisema pulmonar. - Dificuldade de respirar e qualquer outra doença relativa ao pulmão, inflamações intestinais cons- tipação. - Doença da pele e alergia.
  • 231. 230 34 - CORAÇÃO MANUSEIO - Polegar indicação doença do coração recuperação doenças ataque cardíaco, coração fraco, e arritmia. INDICAÇÃO - Doença do coração. - Recuperação doenças ataque cardíacos. - Coração fraco. - Arritmia.
  • 232. 231 C O N C L U S Ã O Conforme descrito na parte introdutória deste manual, os objetivos norteadores desta produ- ção bibliográfica são: socializar conhecimentos, contribuir com a massa crítica da Massoterapia e corroborar tanto com o profissional da área da saúde, quão com os respectivos clientes. Consideramos importante salientar que a atuação profissional ética consiste em qualificação teórica consistente e capacidade prática além de se observar ininterruptamente as diferentes nor- mas e Legislações que regem a prestação de serviços na área da saúde. O massoterapeuta pode integrar equipes multidisciplinares ou atuar de forma independente, sendo necessário o registro profissional específico. Em sua prática profissional deve estar implícito o cuidado com o cliente e dentre esses cui- dados destacamos: as contra indicações para o uso da Reflexologia - inflamações; câncer em trata- mento de quimioterapia e radioterapia, febre sem diagnóstico da causas, hemorragia, enfermidade da pele, problemas circulatórios, gravidez antes do terceiro mês de gestação e diabetes alterada. É salutar registrar que algumas reações podem ser experimentadas a partir da aplicação da técnica da Reflexologia: sintomas do tipo resfriado, como nariz escorrendo, catarro, e congestiona- mentos dos seios paranasais, tosse, enquanto o muco é eliminado dos pulmões e vias respiratórias, esvaziamento mais freqüentes da bexiga e dos intestinos, erupção da pele - algumas doenças de pele pioram antes de melhorar, bocejos, flatulência, cansaço, dor de cabeça, aumento da dor loca- lizada e posterior extinção. Finalizando, desejamos pontuar que em qualquer área de atuação profissional, um bom ser- viço jamais é fruto de casualidade, assim a formação continuada na área da saúde e especificamen- te com relação a prática profissional do massoterapeuta é indiscutível, o que é intimamente ligado ao sucesso profissional, conquista e manutenção de clientes satisfeitos.
  • 233. 232
  • 234. 233 G L O S S Á R I O Assepsia - Fazer a higienização Arritmia - Falta de regularidade nas pulsações. Cistite - inflamação da bexiga, localizada no canal do uretra, causado por bactérias. Ciatalgia - inflamação e a dor que ocorre no trajeto do nervo ciático. Corroborar - Dar força, Fortalecer e fortificar. Desobstrução - Desintupimento. Espasmo - Contração involuntária , violenta e súbita, de um músculo ou grupo de músculos, acom- panhado por dor. Flatulência - Distensão do estômago ou do intestino por ar ou gases. Fotossensíveis - à ação da energia radiante á da luz Hipertireoidismo - Atividade funcional excessiva da glândula tireóide (Sintomas magreza, sudore- se, agitação, nervosismo, insônia). Hiportireoidismo - Atividade insuficiente da glândula tireóide (Sintomas- Frios, obesidade, lentidão de movimentos e raciocínio, prisão de ventre). Iliocecal - Diz se da Válvula que está situada na parte terminal do Intestino delgado Impostação - Emitir corretamente a voz.. Labirintite - Inflamação do Labirinto, espécie de Otite interna que ataca o labirinto. Lombalgia - Dor e inflamação na região lombar. Mastite - Inflamação das Glândulas mamárias, em geral causadas por infecções. Sacro - Osso impar, mediano, simétrico, em forma de pirâmide com o vértice voltado para baixo, resultante da soldadura das vértebras sacras, situado no ilíacos
  • 235. 234 Síndrome - Conjunto de sintomas que se apresentam numa doença e que a caracterizam. Sinusite - é a inflamação das mucosas dos seios da face, região do crânio, formado por cavidade ósseas ao redor do nariz, maçã do rosto e olho. Otite - Inflamação da membrana mucosa do ouvido. Palavras com a Terminação - Algia - Dor Palavras com a Terminação - Ite - Inflmação. Palavras com as Terminação - Plagia - Paralisia. Pélvis - Cavidade Óssea formada pela união dos ossos ilíacos com o sacro e o cóccix. Tendões - feixe de fibras que geralmente une os músculos aos ossos, em forma de cordões.
  • 236. 235 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CONBRAMASSO. Conselho Brasileiro de Auto-Regulamentação da Massoterapia. Código de Ética do(a) Massoterapeuta. atual. São Paulo, jul. 2003. NAMBU, Suzana Kioko. Reflexologia Podal e os Cincos Elementos. Apostila do SENAC, São Paulo, [s.d.]. (xerocopiada). SILVA et al. (Coords.). Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. Encyclopaedia Britannica do Bra- sil Publicações Ltda. 16. ed. São Paulo: Companhia Melhoramentos, 2000.
  • 237. 236
  • 238. 9 788590 875000 ISBN 978-85-908750-0-0