Atividade: O Horror Nosso de Cada Dia

1.466 visualizações

Publicada em

Atividade escolar sobre interpretação de três reportagens de jornais para uso no ensino médio.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.466
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
833
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Atividade: O Horror Nosso de Cada Dia

  1. 1. ATIVIDADE DE SOCIOLOGIA – O HORROR NOSSO DE CADA DIA Nome:.............................................................. Turma:................... Data: ...../...../...... A) Os zumbis são personagens que aparecem em contextos variados, não apenas em filmes/séries de terror/horror, eles servem para fazer comédia também, para animar fantasias infantis de halloween, são os componentes principais de divertidas zombie walks ao redor do mundo, são personagens de filmes caseiros de cineastas amadores, são objetos de análise para críticos culturais, etc. Além disso, os zumbis podem aparecer em manifestações de trabalhadores como na reportagem abaixo. Após lê-la, responda às questões 1 até 3. Fantasiadosdezumbis,bancáriosemgrevefazempasseataemPortoAlegre G1 RS 14/10/2015 Manifestação ocorreu nesta quarta-feira (14) no Centro da capital do RS. Ato era para chamar atenção para as condições de saúde no trabalho. Os bancários de Porto Alegre resolveram se caracterizar como zumbis durante uma manifestação realizada nesta quarta-feira (14), no Centro da cidade, para chamar atenção sobre as condições de saúde no trabalho e para o movimento grevista da categoria, iniciado no dia 6. Durante o ato foi realizado, inclusive, um flash mob com os participantes caracterizados de mortos-vivos. A ideia foi inspirada em um movimento que ocorre em diversos países, no qual as pessoas se caracterizam como zumbis para caminhar pelas ruas. De acordo com o Sindicato dos Bancários de Porto Alegre, uma pesquisa apontou que quase 50% dos profissionais sofrem de alguma doença mental. A caminhada ocorreu na Praça da Alfândega, no coração de Porto Alegre, e depois de um almoço com churrasco, eles andaram pelas ruas como zumbis. Com sangue falso e maquiagem no rosto, eles chamaram a atenção de quem passou pelo local. Os bancários estão em greve desde o dia 6. De acordo com o presidente do sindicato, Everton Gimenis, sem uma nova proposta dos bancos, a categoria deve seguir em greve. A proposta apresentada pelos bancos, segundo a entidade, foi de reajuste salarial de 5,5%. O Comando Nacional dos Bancários apresentou uma contraproposta prevendo aumento de 16% nos salários. 1) Sobre a manifestação dos bancários relatada na reportagem acima responda (F) para as afirmativas falsas e (V) para as afirmativas verdadeiras: (__) Os bancários se vestiram de zumbis para reclamarem das condições de saúde do trabalhador dos bancos. (__) Os bancários se vestiram de zumbis apenas para chamar a atenção da população para a sua greve. (__) De acordo com o sindicato dos bancários, 2 de cada 5 trabalhadores da categoria sofrem de alguma doença mental. (__) Os bancários usaram sangue falso e maquiagem no rosto para se caracterizarem de zumbis. (__) A proposta apresentada pelos bancos foi de aumento salarial de 16%, segundo o Comando Nacional dos Bancários. 2) Na reportagem foi mencionada uma manifestação cultural conhecida por “flash mob”. Você já tinha lido ou ouvido falar sobre o que é uma “flash mob”: (__) Sim (__) Não 3) Sublinhe na reportagem uma frase que sintetiza o que é uma “flash mob” de zumbis. B) São relativamente comuns as analogias entre as imagens de zumbis e grupos de viciados em crack, pela degradação física, as vestimentas maltrapilhas e por sua aglomeração nas chamadas cracolândias. Aliás, a comparação entre a fixação pela droga no toxicômano faz lembrar a simples obsessão zumbi por carne fresca. Se os viciados passam por um processo de decadência corporal e mental que os assemelha a mortos-vivos, também é de se esperar, que quando postos em situações extremas ou conflitivas, reajam através de episódios de violência gratuita, já que suas emoções e sua racionalidade estão comprometidas pelo uso de drogas. A
  2. 2. violência gratuita é um aspecto de regressão humana à animalidade, característica dos zumbis, e que chama a atenção na reportagem abaixo, onde um jovem, mula do tráfico, a beira da morte, responde violentamente ao socorro recebido, mordendo um dos passageiros. Após ler a reportagem, responda às questões 4 e 5. Brasileiro que morreu em voo transportava cocaína no estômago O Estado de S. Paulo 20/10/2015 Autópsia revelou que John Kennedy dos Santos Gurjão, que viajava de Lisboa para Dublin, havia ingerido 80 cápsulas da droga. O brasileiro John Kennedy dos Santos Gurjão, de 24 anos, que morreu nesta segunda-feira, 19, em um voo entre Lisboa e Dublin, transportava 80 cápsulas de cocaína no estômago o equivalente a cerca de 800 gramas, segundo resultado da autópsia assinada pelo patologista Margot Bolster e divulgada pelo jornal The Irish Times. Uma das cápsulas teria estourado, causando a morte do rapaz. Segundo a imprensa irlandesa, as polícias de Portugal e da Irlanda estão em contato com a do Brasil para estabelecer os movimentos de Gurjão. Uma outra passageira do mesmo voo uma angolana, de 44 anos, com passaporte português foi presa após desembarcar com uma mala com 1,8 quilo de um pó branco. O material foi enviado para um laboratório e constatou-se que se tratava de bicarbonato de sódio, como ela havia informado à polícia. Investigadores tentam entender por que ela transportava essa substância e se havia alguma relação entre ela e o brasileiro. Gurjão passou mal na segunda-feira quando viajava no voo EI 485, da companhia Aer Lingus, entre Lisboa e Dublin. O rapaz foi levado à parte traseira do avião por várias pessoas que tentaram acalmá-lo e o imobilizar. Nesse processo, o jovem respondeu mordendo um passageiro que continua hospitalizado por causa dos ferimentos. O piloto do avião decidiu então fazer uma aterrissagem de emergência no aeroporto de Cork, no sul da Irlanda. Duas enfermeiras e um médico que viajavam a bordo do avião tentaram salvar a vida do brasileiro, mas não conseguiram. Após a aterrissagem, os outros 167 passageiros tiveram de permanecer durante aproximadamente duas horas no avião para serem interrogados pela polícia irlandesa. A maioria dos passageiros continuou a viagem depois, com exceção do ferido pela mordida e da angolana. 4) Quantas gramas de cocaína havia aproximadamente na cápsula que se rompeu no estômago do brasileiro? _________________________________________________________________________________ 5) Descreva uma hipótese que você teria para explicar o porquê de uma passageira, do mesmo voo da tragédia, transportar1,8quilodebicarbonatodesódioemsuamala,deformaaligá-laaocasodobrasileiromorto. ______________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________. C) Uma das mais presentes cenas de horror em narrativas de zumbis é aquela em que corpos humanos são destroçados e comidos. O horror da cena está intimamente ligado a forma como a alimentação em nossa cultura está regulada. Nós criamos uma série de regras relativas à alimentação que vão desde o que é permitido comer, ao modo de preparação, aos cardápios típicos, aos horários e às regras de convivência, pois muitas vezes não comemos sozinhos. De modo que, ao entrar num restaurante, por exemplo, mesmo que todos os presentes estejam armados de garfos, facas e dentes, uma pessoa pode se sentir segura e esperar que o uso destes instrumentos esteja condicionado aos alimentos apropriados. Uma das regras básicas de nossa cultura está no veto à alimentação de carne humana. Assim, um dos piores sinais de animalização humana, também presente nas narrativas de apocalipse zumbi, pode estar no fato relatado pela reportagem abaixo, onde violência gratuita está associada ao canibalismo num contexto em que as regras culturais comuns mais básicasparecemterperdidoqualquersentido.Apóslerareportagem,respondaasquestões6atéa12.
  3. 3. PromotordenunciacasodecanibalismonoPresídiodePedrinhas G1 MA 20/10/2015 Segundo ação, detentos torturaram e comeram o fígado de outro preso. Há outros casos sendo investigados, diz promotor Gilberto Câmara Júnior. Um desentendimento entre seis integrantes de uma facção criminosa acaba com um deles sentenciado à morte. O condenado é torturado, morto a facadas, esquartejado e tem o fígado assado e servido em um banquete aos seus algozes. O ritual canibalístico digno de filme de terror ocorreu no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, e foi denunciado à Justiça pelo promotor Gilberto Câmara Júnior, da 12ª Promotoria de Justiça de Substituição Plena. Na ação, consta que os fatos aconteceram em dezembro de 2013, na Cela 1, Bloco C do Presídio São Luís 2 (PSL 2), uma das oito casas que formam o Complexo Penitenciário de Pedrinhas. A unidade abriga presos que cumprem penas pelos crimes em regime fechado. O caso macabro só veio à tona porque uma autoridade policial (não-identificada no processo) que investigava homicídios em presídios encontrou uma "testemunha-chave" que revelou o crime após ter sido transferida da unidade prisional. Segundo o promotor, a vítima, identificada como Edson Carlos Mesquita da Silva, teve o corpo dividido em 59 fragmentos. O estado dos restos mortais ficou tão drástico que a identificação só foi possível por causa de uma tatuagem. "Foi reconhecido por seu cunhado, em razão de uma tatuagem que a vítima possuía cuja inscrição homenageava a sua filha: 'Vitória razão do meu viver'", explica Câmara Júnior. A identidade foi confirmada posteriormente por certidão de óbito, laudo de exame cadavérico e laudo de exame em local de morte violenta. O Ministério Público aponta como autores do crime Rones Lopes da Silva, o Rony Boy; Geovane Sousa Palhano, o Bacabal; Enilson Vando Matos Pereira, o Matias; e Samyro Rocha de Souza, o Satanás. Também participaram dois homens não-identificados, que constam nos autos como "Indivíduo X" e Bruno, além de Joelson da Silva Moreira, o Índio, que já está morto. Executores e vítima eram integrantes de uma mesma facção, dissidente de outro grupo criminoso. Edson teria se desentendido com Indivíduo X após ter ofendido Rony Boy, um dos líderes do grupo, que está preso em um presídio federal. Por causa da ofensa, Bacabal e Índio amarraram e torturaram a vítima por horas. Matias interveio e ligou para Rony Boy, que decidiu que Edson deveria ser morto por Indivíduo X, com quem se desentendeu, e entregue à direção do presídio. Indivíduo X, Bacabal, Índio e Samyro Rocha de Souza, o Satanás, mataram a vítima a facadas. No dia seguinte, Bacabal decidiu que não entregaria o corpo à direção e o esquartejaria, livrando-se dos restos mortais. Após dividirem o corpo em 59 partes, o trio jogou sal no cadáver para retardar a decomposição da carne e disfarçar o odor, depositando os restos mortais em sacos plásticos em lixeiras espalhadas. O fígado foi retirado, assado em fogo na brasa e ingeridos pelos três, que também enviaram pedaços a outros presidiários. Para evitar delações, os integrantes da facção se mudaram das celas dos fundos para os xadrezes da frente, próximo ao portão de acesso. Os autores foram acusados por homicídio qualificado por motivo torpe e por meios que dificultaram a defesa da vítima (vantagem numérica), tortura e destruição e vilipêndio de cadáver. "Considerando o imoral inconformismo dos agentes, que diante deste fato, agiram de forma sórdida e repugnante", justifica Câmara. O promotor afirma que pelo menos dois outros casos de canibalismo estão confirmados e têm investigações em andamento. Ele explica que a "Lei do Silêncio" que impera nos presídios dificulta que crimes do tipo sejam descobertos pelas autoridades. "As investigações foram iniciadas com o intuito de identificar testemunhas que pudessem esclarecer os motivos do fatídico, porém, a Lei do Silêncio que impera dentro do presídio, cujos detentos se mantém receosos ante represálias de facções criminosas atuantes dentro do sistema prisional, é um fator dificultador", explica Câmara Júnior. O Complexo Penitenciário de Pedrinhas passou por uma vistoria do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) em agosto deste ano. O relator especial sobre tortura e outros tratamentos ou penas cruéis, desumanos ou degradantes, Juan Méndez, afirmou haver alto grau de tortura a presos no país. No início de 2014, a ONU pediu que o Brasil apurasse as recentes violações de direitos humanos e os atos de violência que ocorreram nos presídios do Maranhão, em especial no Complexo de Pedrinhas. Em comentário sobre a situação, o Alto-Comissariado de Direitos Humanos da ONU expressou preocupação com imagens divulgadas pelo jornal "Folha de S. Paulo", que mostraram presos decapitados dentro da penitenciária. A ONU acrescentou que ficou "perturbada" com o relatório do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) divulgado em dezembro de 2013, que apontou 59 presos mortos dentro desse presídio, devido a uma série de rebeliões e confrontos entre facções criminosas.
  4. 4. 6) Você concorda com a frase: “Bandido bom é bandido morto”. (__) Sim (__) Não 7) Justifique sua resposta à questão anterior: __________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________. 8) Qual é a atuação do Ministério Público? Por que tal órgão existe? __________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________. 8) Por que é tão difícil para o Ministério Público apurar uma morte como essa, se todos estão presos sob a tutela do Estado: _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________. 9) Sublinhe a passagem do texto que enumera os crimes cometidos pelos detentos ao matarem Edson Carlos Mesquita da Silva. Por que o motivo do crime foi considerado torpe pelo Ministério Público? ______________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________. 10) Qual o papel de “Rony Boy” no crime descrito na reportagem: (apenas 1 alternativa correta) (A) Matou Edson a facadas juntamente com Satanás e Bacabal; (B) impôs a “lei do silêncio” se mudando com sua facção para os xadrezes da frente; (C) esquartejou o corpo em 59 fragmentos e jogou sal nos pedaços junto com Matias; (D) identificou o corpo através de uma tatuagem e colaborou com o Ministério Público; (E) decidiu por telefone que Édson deveria ser morto pelo Indivíduo X. 11) Você acredita que a atuação do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) no Complexo Penitenciário de Pedrinhas irá resultar: (marque apenas 1 alternativa) (A) em nenhuma alteração da situação vivida pelos presos; (B) na formação de mais regalias para os presos; (C) na diminuição da tortura e dos assassinatos no presídio; (D) na instalação de um inquérito para apurar as responsabilidades do governo estadual do Maranhão pelo caos vivido no presídio; (E) na efetiva transformação do presídio num espaço que recupere para a sociedade alguém que cometeu algum crime e precisa pagar por ele. 12) Justifique sua resposta à questão anterior: _____________________________________________________________________________________ ____________________________________________________________________________________.

×