IIU - 1

796 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
796
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
109
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

IIU - 1

  1. 1. Neste trabalho iremos abordar vários tópicos relativamente à Reprodução Assistida mais precisamente a Inseminação Artificial, que consiste em introduzir no colo do útero da mulher, na altura da ovulação, espermatozoides do homem do casal ou de um dador. Os espermatozoides mais eficazes são selecionados e, depois, introduzidos no útero da mulher com uma simples injeção elaborada com as ferramentas mais adequadas. Ao longo deste trabalho iremos ver, mais profundamente, o que é a inseminação artificial, as suas técnicas, os seus dados estatísticos e revelar algumas curiosidades relativamente a este tema. Figura 1: bebé http://fotodinamica.com.pt
  2. 2. A inseminação artificial é uma técnica simples de reprodução medicamente assistida, que consiste no depósito artificial do esperma no aparelho reprodutor feminino. A inseminação intrauterina ou inseminação artificial, utiliza-se em casos em que os espermatozoides não conseguem atingir as trompas. Consiste em transferir, para a cavidade uterina, os espermatozoides previamente recolhidos e processados com a seleção dos espermatozoides morfologicamente mais normais e móveis. Figura2: processo de inseminação http://conceptfertility.com.my Método rápido e prático Pouca eficácia para trompas obstruídas - +
  3. 3. 1ª Etapa • Inicia-se a estimulação dos ovários através de substâncias que induzem a ovulação. A ovulação conduz por vezes ao desenvolvimento de vários óvulos, o que aumenta o risco em 15-20% de gravidezes múltiplas. 2ª Etapa • É feita a seleção e concentração dos espermatozoides móveis, visto que a sua fraca mobilidade é um dos fatores que podem afetar de forma negativa o desejo de uma gravidez. As amostras de semen são preparadas através das técnicas de capacitação seminal. 3ª Etapa • Consiste no processo de inseminação em si. A mulher é inseminada e não é necessário qualquer tipo de anestesia. A mulher é, geralmente, inseminada durante dois dias seguidos, depois de se ter induzido a ovulação. A inseminação artificial, também designada inseminação intrauterina consiste na colocação de forma artificial do semen do parceiro ou dador no interior do útero da mulher. Todo este processo pode ser diferenciado em três etapas: Figura 3: técnica de inseminação artificial http://sdb3fernanda.blogspot.com/
  4. 4.  Em cada 100 ciclos de inseminação, 13 resultam em gestação.  Em cada 100 casais que completam 4 ciclos de inseminação, dos quais 60 conseguem atingir uma gestação.  Segundo os resultados obtidos através de inseminação artificial, saiba ainda que entre 15 a 20% das gravidezes concretizadas são gemelares e que 15% terminam com uma situação de aborto. Figura 5:mulher grávida http://www.francoanicley.com/2011_06_12_ archive.html Figura 4: criança http://pensenao.wordpress.com 84% gravidez única 83% gémeos 17% trigémeos 16% múltiplas Figura 6: Percentagem de Gravidezes por inseminação artificial
  5. 5.  O britânico Robert Edwards foi o fundador desta técnica .  A inseminação intra-uterina (IIU) foi introduzida em Portugal, em 1985, no Porto.  Uma inseminação artificial custa cerca de 1500 euros.  Quase todos ao países da União Europeia fazem este tipo de Reprodução Assistida.  A primeira gravidez por inseminação artificial foi em 1971 e foi realizada pelo médico John Hunter. Figura 7: Robert Edwards http://www.csmonitor.com
  6. 6. No final deste trabalho concluímos que a inseminação artificial é um processo que consiste no depósito artificial do esperma no aparelho reprodutor feminino. Conseguimos perceber melhor as estatísticas deste método e a forma como resulta de mulher para mulher. Concluímos que esta técnica de reprodução assistida combate a infertilidade, dando assim a oportunidade ao homem e à mulher de terem os seus próprios filhos. Figura 8: Bruno Ribeiro Figura 9: Catarina Magalhães Figura 10: Cristina Isabel
  7. 7. • http://bebes.kazulo.pt/5952/inseminacao-artificial---tudo-o-que-precisa-saber.htm • http://pt.calameo.com • http://www.cnpma.org.pt/centros_lista.aspx • http://www.ivi.pt/tratamientos/inseminacao-artificial_124.aspx • http://pt.wikipedia.org/wiki/Insemina%C3%A7%C3%A3o_artificial • http://www.youtube.com/watch?v=z1wbtnwpsCk

×