FERTILIZAÇÃO IN VITRO
Escola S/3 Arq. Oliveira
Ferreira
Marques, P.;
Ribeiro, R.;
Fernandes. R.
O que é?
 A fertilização in vitro (FIV) é uma técnica de
reprodução medicamente assistida que consiste
na colocação, em a...
Fertilização in vitro é um processo em 4 etapas:
 Fase 1: Estimulação ovárica, monitorização e
desencadeamento da ovulaçã...
Fase 1:Estimulação ovárica,
monitorização e desencadeamento da
ovulação
 O corpo da mulher normalmente liberta
apenas um ...
Fase 2: Recuperação do Óvulo
 Quando a estimulação ovárica for concluída e os folículos
amadurecerem, o médico tentará re...
Fase 3: Fertilização
 Cerca de duas horas antes da recuperação dos
óvulos, uma amostra de semen é recolhida do
homem e pr...
Fase 4: Transferência do Embrião
 Os embriões são colocados num tubo e
transferidos para o útero.
Curiosidades
 O número de embriões transferidos depende
da idade da mulher, da causa da infertilidade,
historial de gravi...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

FIV - 1

2.628 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.628
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
103
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
48
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

FIV - 1

  1. 1. FERTILIZAÇÃO IN VITRO Escola S/3 Arq. Oliveira Ferreira Marques, P.; Ribeiro, R.; Fernandes. R.
  2. 2. O que é?  A fertilização in vitro (FIV) é uma técnica de reprodução medicamente assistida que consiste na colocação, em ambiente laboratorial (in vitro), de um número significativo de espermatozoides, 50 a 100 mil, ao redor de cada ovócito II, procurando obter pré-embriões de boa qualidade que serão transferidos, posteriormente, para a cavidade uterina.
  3. 3. Fertilização in vitro é um processo em 4 etapas:  Fase 1: Estimulação ovárica, monitorização e desencadeamento da ovulação.  Fase 2: Recuperação do Óvulo.  Fase 3: Fertilização.  Fase 4: Transferência do Embrião.
  4. 4. Fase 1:Estimulação ovárica, monitorização e desencadeamento da ovulação  O corpo da mulher normalmente liberta apenas um óvulo maduro por mês, as medicações hormonais são usadas para estimular os ovários a desenvolver mais folículos ováricos.  As medicações também controlam o momento em que deve ocorrer a ovulação de modo a tornar a recuperação dos óvulos mais facilitada.
  5. 5. Fase 2: Recuperação do Óvulo  Quando a estimulação ovárica for concluída e os folículos amadurecerem, o médico tentará recuperar o maior número de óvulos possível, embora nem todos possam ser usados num único ciclo de FIV.  Os folículos maduros são identificados através de uma ecografia, procendendo-se à inserção de uma seringa através da vagina para retirar o fluido do folículo maduro. O fluido é imediatamente examinado ao microscópio verificando-se se foi recuperado um óvulo. Todos os óvulos recuperados são removidos do fluido folicular e colocados numa incubadora.  O tratamento com progesterona vaginal pode ser iniciado na noite após a recuperação para ajudar a preparação da camada de revestimento uterino que vai receber o óvulo fertilizado.
  6. 6. Fase 3: Fertilização  Cerca de duas horas antes da recuperação dos óvulos, uma amostra de semen é recolhida do homem e processada para a seleção dos espermatozoides mais fortes e mais ativos.  Os espermatozoides são então colocados juntamente com os óvulos na incubadora para mantê-los à mesma temperatura que a do corpo da mulher.  No dia seguinte, os óvulos são examinados ao microscópio para determinar se a fertilização ocorreu. No caso de ter ocorrido fecundação, os embriões resultantes estarão prontos para a transferência, em cerca de 72 horas, para o útero.
  7. 7. Fase 4: Transferência do Embrião  Os embriões são colocados num tubo e transferidos para o útero.
  8. 8. Curiosidades  O número de embriões transferidos depende da idade da mulher, da causa da infertilidade, historial de gravidez e outros fatores.  Se existirem embriões adicionais que apresentem boas características, poderão ser congelados para utilização posterior, desde que sejam cumpridos os critérios das normas para congelação (criopreservação).

×