Mosteiro da luz

1.645 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre o mosteiro da luz

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.645
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
47
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mosteiro da luz

  1. 1. Mosteiro da Luz André M. Lima Daniel Felipe Outa Yoshida Denise Jankovic Leonardo Katsuzo Oda Luciana Molinari Monteforte Raul Lima Silva Profª Maria Lúcia Bressan Pinheiro
  2. 2.
  3. 3. O Mosteiro• O primeiro registro da existência da Igreja de N. Sra. da Luz (por volta de 1579, segundo cartas do Padre Anchieta)• De iniciativa de Frei Galvão e Irmã Helena Maria do Sacramento, o Mosteiro foi construído como ampliação da Igreja da Luz.• Em 1774 Frei Galvão envia à Câmara um ofício para a criação do Recolhimento da Luz, no sítio da igreja. São iniciadas, assim, as obras de ampliação da igreja e construção do convento.• Frei Galvão morreu em 1822, antes da conclusão da obra. No ano de 1788 o conjunto já apresentava sua feições atuais.
  4. 4. Mapa da Cidade de São Paulo eseus SubúrbiosC. A. Bresser - s/dFonte: São Paulo antigo- Plantas daCidade de São PauloComissão de IV centenário dacidade de São Paulo
  5. 5. Frei Galvão (1739-1822)• Devoto da Ordem Franciscana• Frei Galvão foi o idealizador do desenho e arquitetura do mosteiro.• Foi mestre de obras e taipeiro e, através de seu projeto, tentou proporcionar um ambiente mais salubre para as religiosas confinadas.• Morre em 1822.
  6. 6. Aspectos Construtivos• As paredes mestras foram executadas com a técnica da taipa de pilão, com a espessura de 1m para suportar segundo pavimento.• As paredes internas, sem função estrutural foram feitas com a técnica da taipa de mão (pau-a-pique).• As portas e janelas são estreitas.• São construções sem ornatos e de paredes retas em virtude das limitações da taipa.
  7. 7. Técnica construtiva: Taipa de Pilão
  8. 8. Alterações na obra• 1774-1788 Obras de ampliação do edifício• 1788 Inauguração dos novos claustros.• 1788-1802 Acesso lateral construído passa a ser o principal - voltado para a avenida Tiradentes.• 1827-1835 Alteração do novo frontispício - frontão inaugural eliminado para receber torre de sinos.• 1835-1868 Reformulação da antiga entrada principal (lateral) - introduzem-se contrafortes e pilastras para reforçar um desenho barroco no edifício.• 1868-1897 O muro de alinhamento recebe um pórtico neoclássico.• 1908 Construção de nova ala em estilo neoclássico.• 1929 Alteração do telhado e fachada da nova ala.
  9. 9. Croquis e Plantas
  10. 10. Mudanças na tipologia do edifícioFachada R. Jorge Miranda- entrada principal até 1801 Fachada Av. Tiradentes- 1802 – Acesso LateralFachada Av. Tiradentes - 1835- 1868 – Elementos barrocos e torrede sino
  11. 11. Fachada Av. Tiradentes- 1908 – Construção da nova ala em alvenariaFachada Av. Tiradentes- 1928 até os dias de hoje – Janelas com características coloniais
  12. 12. Vista do Pátio Interno
  13. 13. Fotos
  14. 14. 1908 1835 1788Vista aérea do mosteiro
  15. 15. Fachada da Av. Tiradentes – Fachada da Rua Jorge Miranda
  16. 16. Vista do pátio interno
  17. 17. Janelas e conversadeira.
  18. 18. Taipa de pilão Taipa de sopapo AdobeExemplo das técnicas e materiais empregados na construção do mosteiro
  19. 19. Desenho existente naparede do Mosteiro da Luz,de autoria de Frei Galvão.

×