Engenharia de Software I - Aula 13

334 visualizações

Publicada em

Slides da 13ª aula da disciplina "Engenharia de Software I".

Curso: Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
334
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Engenharia de Software I - Aula 13

  1. 1. Alessandro Almeida | www.alessandroalmeida.com
  2. 2. Prova 1:Dia 9 de outubro
  3. 3. O que vimos nas aulas passadas?
  4. 4.  Ferramenta de modelagem gráfica da solução Permite imaginar um sistema como uma rede de processos funcionais, interligados por dutos e tanques de armazenamentos de dados Pode ser apresentado para o cliente!  Se for construído da forma correta, é claro
  5. 5. Entendendo a estrutura – Parte 1
  6. 6. Entendendo a estrutura – Parte 2
  7. 7. 1. Escolher nomes significativos para os processos, fluxos, depósitos e terminadores2. Numerar os processos3. Evitar DFDs complexos demais4. Refazer o DFD tantas vezes forem necessárias, até obter uma boa estética5. Certificar-se de que o DFD seja internamente consistente
  8. 8. Entendendo a estrutura – Parte 3
  9. 9.  Nem sempre o DFD vai se ajustar em uma folha A4  Em projetos reais, o fluxo de dados é maior e mais complexo...  Difícil de entender! O que fazer nestes casos?  “Quebrar” o DFD em níveis!
  10. 10.  Vantagens...  Os níveis permitem uma visão geral... ▪ Nos níveis 0 e 1 é possível compreender o diagrama sem a necessidade de entrar no detalhe dos processos, fluxos e depósitos que compõem o DFD  Os níveis permitem o entendimento gradual... ▪ Você pode apresentar um nível de cada vez ▪ Não vai se assustar e nem assustar o cliente e demais envolvidos com um diagrama complexo e extenso logo na primeira apresentação
  11. 11.  Vantagens...  Mantém a documentação enxuta  Garante a 3ª diretriz para elaborar um (bom) DFD: Evitar DFDs complexos demais
  12. 12. Mapas
  13. 13. Neste exemplo, estamosdetalhando somente oprocesso 2. Remeter Livros
  14. 14. Exercitando os novos aprendizados...
  15. 15.  Estruturem o DFD do seu projeto nos níveis 0, 1e2
  16. 16. alessandro.almeida@uol.com.brwww.slideshare.net/alessandroalmeida

×