Comunidades de prática_Adelina Silva_2008

407 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
407
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
79
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Comunidades de prática_Adelina Silva_2008

  1. 1. Adelina SilvaPorto, 4 de Julho de 2008
  2. 2. Typaldos, C. (2000), RealCommunities.com
  3. 3.  Relações interpessoais sustentadas; Promoção de envolvimento colectivo partilhado (comum); Fluxos de informação e propagação de inovação rápidos; Ausência de preâmbulos introdutórios – as interacções são uma mera continuação de um processo contínuo de comunicação; Forte sentimento de pertença; Conhecimento do que os outros sabem, o que sabem fazer e como contribuem;
  4. 4.  Capacidade de percepcionar a adequação de acções e de produtos; Utilização de ferramentas específicas, representações e outros artefactos; Histórias partilhadas, de vocabulário específico; Certos estilos são reconhecidos como característicos dos membros; Discurso partilhado que reflecte uma determinada perspectiva sobre o mundo.
  5. 5. 12 princípios das Envolvimento mútuo Comunidades: •Objectivo •Identidade •Reputação •Grupos •Comunicação Empreendimento comum •Ambiente •Confiança •Limites •História •Gestão Repertório partilhado •Expressão •Intercâmbio
  6. 6. Premissas sobre a aprendizagem e o conhecimento:1. Somos seres sociais - aspecto central da Aprendizagem.2. O Conhecimento é uma questão de competência respeitante a um empreendimento valorizado.3. O Conhecimento constrói-se participando na procura de empreendimentos, ou seja, na experiência activa do mundo.4. O Significado – a nossa capacidade de experienciar o mundo e o nosso empreendimento como significativo – é o que a Aprendizagem produz. Teoria Social de Aprendizagem ou Teoria de Aprendizagem Situada
  7. 7. 1. Domínio do Conhecimento2. Identificação dos principais objectivos3. Partilha de saberes4. Ambiente de confiança5. Reciprocidade em que todos têm voz6. Moderação actuante7. Participação de “especialistas” no domínio do conhecimento da comunidade8. Sentimento de Pertença9. Conhecimento dos membros da Comunidade – quem são10. Existência de regras de comportamento
  8. 8. π π Troca de ValoresTroca de π Troca de ππ Ideias Competências π π π ππ ππ π ππ π ππ π π π π π Troca de Troca de Informação Artefactos ππ Troca de Papeis Sociais Pierre Levy, CRC, Université d’Ottawa
  9. 9. 1. A aprendizagem colaborativa insere-se no conceito de CdP na medida em que assenta nos pressupostos de confiança, de possibilidade de colaboração, de participação num ambiente de comunicação adequado a uma compreensão recíproca e num horizonte de longevidade credível.2. A aprendizagem colaborativa manifesta-se no conceito de CdP desde logo no exercício da liderança, na definição ou clarificação de objectivos, na identificação de regras e de políticas de interacção e de exploração de recursos, assim como na concepção dos espaços, no suporte dos contactos e na gestão da vida da comunidade.

×