Oratória summo

435 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
435
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Oratória summo

  1. 1. Vindosbemo/Sejam
  2. 2. AíFala
  3. 3. Você temproblemaspara falarem público?
  4. 4. ConheceVocêAlguém?
  5. 5. 07 em cada 10pessoas possuemdificuldade parafalar em público.
  6. 6. VAIENCARAR?
  7. 7. caraESSE
  8. 8. SauloVeríssimoSaulo Veríssimo é Gestor e consultorde DHO(Des. Humanoe Organizacional), Palestrante eConferencista, Especialistaem Marketing,Vendas e Motivação.Consultorcom mais de 13 anos de atuação emempresas de médio e grande portes, nacionaise multinacionais.
  9. 9. VocêÉQuem
  10. 10. OENSAIOFOI ÓTIMO
  11. 11. VAMOSPRATICAR?
  12. 12. VAMOSPRATICAR?
  13. 13. BaterVamosUm papoSobre
  14. 14. COMUNICAÇÃO??
  15. 15. “Quem nãose comunica,se trumbica”Chacrinha
  16. 16. CONTANDO HISTÓRIASO grande grupo será repartido ao meio e cadasub grupo terá uma missão a ser cumprida.EXERCÍCIO 2
  17. 17. 1º Passo: Livre-se de preconceitos e filtros que interferemnos na comunicação;2º Passo: Tome a iniciativa e aprenda tudo sobre o(s)interlocutor(es);3º Passo: Seja um bom receptor. “Existiria som, semalguém para ouvi-lo?”;4º Passo: Interprete as mensagens com cuidado;
  18. 18. 5º Passo: Defina o propósito da comunicação;6º Passo: Adapte-se ao meio e ao público;7º Passo: Lembre-se que a mensagem é o mais importanteneste processo;8º Passo: Transmita a mensagem de forma clara, objetiva esegura.
  19. 19. A comunicação é a base detoda relação, quando feita deforma clara e coerente écapaz de transformar pessoasou situações, porém quandonegligenciada por menoresque sejam as falhasacarretarão enormesproblemas.
  20. 20. EMISSORMensagemCódigoRECEPTORDecodificaçãoFeedbackCANAL
  21. 21. INTERLOCUTORMensagemCódigoINTERLOCUTORDecodificaçãoFeedbackDecodificaçãoFeedback
  22. 22. INTERLOCUTORDecodificaçãoFeedbackMensagemCódigoDecodificaçãoFeedbackINTERLOCUTOR
  23. 23. EMISSORMensagemCódigoRECEPTORESDecodificaçãoFeedback
  24. 24. Para o processo de comunicação amensagem é o ponto principal, e suacompreensão dependeráespecialmente da maneira como épercebida pelo receptor.
  25. 25. A interpretação (decodificação) damensagem passará por filtros pré-existentes na mente do receptor, ondeseus valores, caráter e principalmentevivências definirão o sentido damensagem.
  26. 26. Por isso, caso não conheça oreceptor o bom senso deveránortear a comunicação.
  27. 27. EXERCÍCIOCONHECENDO O SEU INTERLOCUTORFormaremos duas fileiras, cada participante de frente para ooutro deverá buscar o máximo de informações sobre o colega, adupla terá 2 minutos para isso.Em seguida serão trocadas as duplas até que todos seconheçam.Ao término do exercício cada um falará de quem mais lhechamou a atenção e o por que.
  28. 28. 03 NÍVEIS DACOMUNICAÇÃODr Lair Ribeiro
  29. 29. BOCA - OUVIDO
  30. 30. Nesse nível, uma pessoa fala e a outra ouve, semnecessariamente escutar.Ouvir e escutar são funções diversas de partesdiferentes do nosso corpo. Ouvir é função dosouvidos; escutar é função do cérebro. Enquantoo ouvir constitui um ato passivo, o escutar é umato ativo que envolve processamento deinformação.BOCA - OUVIDO
  31. 31. CÉREBRO - CÉREBRO
  32. 32. Através da repetição e de associações é possívelbuscar a assimilação do interlocutor para a mensagemque está sendo propagada.Utiliza-se de perguntas (preferencialmente abertas) econfirmações a fim de checar se o orador se fezentender e se foi possível para os receptoresguardarem a mensagem central da comunicação.CÉREBRO - CÉREBRO
  33. 33. Busque de seu interlocutor que repita a mensagemque foi entregue com suas próprias palavras a fim deestimulá-lo a refletir a respeito e assimilar a suamensagem.CÉREBRO - CÉREBRO
  34. 34. Utilize-se de perguntas abertas, permita que seuinterlocutor interaja com sua mensagem de maneira afazê-lo se expor e tecer comentários. Desta maneiranecessariamente você exigirá dele atenção.CÉREBRO - CÉREBRO
  35. 35. Reforce a identificação do seu interlocutor, repitavárias vezes o seu nome ou o nome de alguns dosouvintes. Destas maneira você criará um elo entrevocê e ele(s).CÉREBRO - CÉREBRO
  36. 36. Como memorizar nomes?1) Ouça o nome;2) Repetição contínua;3) Faça associações;
  37. 37. CORAÇÃO - CORAÇÃO
  38. 38. Neste nível você busca tocar as emoções dointerlocutor, seus valores, sonhos, anseios e tudo quetoca o coração do seu interlocutor.É possível fazer uma viagem no imaginário e criarcenários para que o seu interlocutor sinta a emoçãoque envolve a comunicação.CORAÇÃO - CORAÇÃO
  39. 39. COMUNICAÇÃO & FALA
  40. 40. Quando falares, procura queas tuas palavras sejammelhores que o teu silêncio.(Provérbio Indiano)
  41. 41. A VOZA voz determina a própria personalidade de quemfala.Se estamos alegres, tristes, apressados, seguros, etc, aprimeira identificação destes comportamentos étransmitida pela voz.Por que será que a voz reflete com tanta nitidez o quese passa no interior das pessoas?
  42. 42. O RIT MOO Ritmo é a musicalidade da fala, levando emconta a sua acentuação, a alternância da altura davoz e da velocidade que imprimimos às frases, oraalta, ora normal, ora baixa; rápida em certosmomentos, lenta em outros, fazendo com que esteconjunto melodioso influa no espírito, e navontade da platéia, transmitindo as emoçõesnecessárias ao discurso.
  43. 43. RESPIRAÇÃOO primeiro cuidado que se deve tomar para que avoz adquira a qualidade desejada é respirarcorretamente.Algumas pessoas falam quando ainda estãoinspirando ou continuam a falar quando o arpraticamente já terminou.
  44. 44. RESPIRAÇÃOExiste normalmente falta de sincronismo fono-respiratório, o que prejudica sensivelmente afabricação da voz mais adequada.A respiração adequada auxilia no relaxamento antese durante o discurso.
  45. 45. #RESPIRAÇÃO
  46. 46. A DICÇÃOÉ a pronúncia dos sons das palavras,notamos que a sua deficiência équase sempre provocada porproblemas de negligência.
  47. 47. A DICÇÃOÉ costume quase generalizado omitir os“r” e os “s” finais, como, por exemplo:“levá”, no lugar de levar, “trazê” nolugar de trazer, “fizemo” no lugar defizemos, da mesma forma que se omitemcomumente os “is” intermediários:“janero” em lugar de janeiro, ...
  48. 48. Certos vícios de linguagem ou alterações fonéticasprovocam erros na pronúncia das palavras como:Hipértese – é a transposição de som de uma sílabapara outra da mesma palavra: trigue (tigre),drento (dentro), e daMetátese – é a transposição de som dentro deuma mesma sílaba: troce (torce), proque (porque).A DICÇÃO
  49. 49. Rotacismo – É a troca do “l” por “r”; crássico(clássico), Cráudio (Cláudio).Lambdacismo – É a troca do “r” pelo “l”; talde(tarde), folte (forte).A DICÇÃO
  50. 50. Um exercício útil paramelhorar a dicção é fazerleitura em voz alta,colocando obstáculos naboca como o lápis, odedo ou qualquer outroque possa dificultar apronúncia das palavrasdurante o treinamento.A DICÇÃO
  51. 51. Um outroexercício muitosimples eeficiente é ofamoso trava alíngua.A DICÇÃO
  52. 52. Maria-Mole é molenga, se não émolenga, Não é Maria-Mole.É coisa malemolente, Nem mala,nem mola, nem Maria, nemmole.Trava a Língua
  53. 53. O sabiá não sabia.Que o sábio sabia.Que o sabiá não sabia assobiar.Trava a Língua
  54. 54. Olha o sapo dentro do sacoO saco com o sapo dentro,O sapo batendo papo,E o papo soltando o vento.Trava a Língua
  55. 55. A aranha arranha a rã.A rã arranha a aranha.Nem a aranha arranha a rã.Nem a rã arranha a aranha.Trava a Língua
  56. 56. Larga a tia, largatixa!Lagartixa, larga a tia!Só no dia que sua tiaChamar largatixade lagartinha!Trava a Língua
  57. 57. • Pô!• Peraí!• Falô!• Tá legal!• Tudo em cima!• Tipo!• Tá limpo!• Sem chance!• Oi, cara! Tudo Jóia! Tchau, Tchau!FUJA DAS GÍRIAS
  58. 58. VELOCIDADEOutra dúvida que surge com freqüência é quanto àvelocidade correta a ser empregada na fala:1 – Rápida2 – Muito rápida3 – Lenta4 – Muito lentaCada orador e cada assunto terão sua velocidade própria,dependerão da capacidade de respiração, da emoção, daclareza da pronúncia e da mensagem transmitida.
  59. 59. Alguém dizendo:Passou rápido como a luz,É evidente que a velocidade será maior que a normal.Dizendo entretanto:Desceu lentamente como as sombras da noite,É claro também que a pronúncia das palavras se darácom velocidade mais lenta.VELOCIDADE
  60. 60. INTENSIDADE DA VOZÉ preciso também exercitar e vigiar a intensidade davoz. Não poderemos falar aos berros para um pequenoauditório, nem aos sussurros para uma multidão.
  61. 61. “O VOCABULÁRIOIDEAL”O vocabulário ideal é aquele que se adapta aqualquer auditório (público).Embora simples, traduz as ideias claramente, semdivagações.Lembremo-nos sempre, entretanto, que palavrassimples não são palavras sem consistência.O conceito de simples restringe-se à clareza dasideias e à compreensão dos ouvintes.
  62. 62. Dê um colorido à sua voz!Uma palestra tem como característica o fato de ser, emessência, um monólogo, ainda que o conferencista utilizerecursos variados, incluindo a participação da plateia.Por isso, durante a exposição, alterne a entonação e avelocidade da voz, ora falando mais alto, ora sussurrando; oradiscorrendo pausadamente, ora acelerando as frases.“O VOCABULÁRIOIDEAL”
  63. 63. Cuidado com o vocabulário!A linguagem utilizada na comunicação deve estar alinhada aoperfil dos participantes.Assim, jargão profissional e termos técnicos podem serutilizados com seus pares, mas são inadequados para umaaudiência heterogênea.Além disso, tenha atenção especial em relação às regrasgramaticais, conjugação de verbos, concordância, coesão ecoerência textual.“O VOCABULÁRIO IDEAL”
  64. 64. CAPRICHE NO ENCERRAMENTO!Uma mensagem poderosa e consistente ao términode sua apresentação, poderá ganhar a simpatia dosouvintes, inclusive daqueles que estiveram reticentes aolongo de toda a explanação. É sugerido finalizar aspalestras:1 – declamando um poema;2 – contanto uma passagem profissional;3 – contando uma história ilustrativa;“O VOCABULÁRIO IDEAL”
  65. 65. PREPARE SEU DISCURSOPrepare um discurso com no máximo 05 minutos, ondevocê irá utilizar as técnicas aprendidas até aqui eimpressionar os seus colegas.EXERCÍCIO 3
  66. 66. Comunicação é só o que se fala?
  67. 67. 20%EXPRESSÃO FACIALAPARÊNCIAPOSTURAOLHARTOQUESGESTOS70%10%PALAVRA
  68. 68. O Estudo indica que no processo de comunicação,somente:07% do impacto da mensagem decorre de seu conteúdo;38% da comunicação verbal(intensidade e velocidade da voz)55% da linguagem não-verbal(gestos, postura, contato visual).OBS: O sucesso da comunicação interpessoal não está naquiloque você diz, mas em como diz.
  69. 69. Todo o nosso corpo fala quando estamoscomunicando.A posição dos pés e das pernas, o movimento dotronco, dos braços, das mãos e dos dedos, apostura dos ombros, o balanço da cabeça, ascontrações do semblante e a expressão do olhar,cada gesto possui um significado próprio,carrega em si uma mensagem.
  70. 70. “ A NATURALIDADE DOS GESTOS”Recomendamos não falar:Com os braços para trásCom os braços cruzadosBraços apoiados constantemente sobre a mesa outribunaIndicando arrogância ou prepotência
  71. 71. “ A NATURALIDADE DOS GESTOS”Recomendamos não usar:As mãos nos bolsosGestos repetitivosGestos com “duplo sentido”Excessos de gestos ou desconformes ao tom dodiscursoBraços abaixados
  72. 72. “ A NATURALIDADE DOS GESTOS”Controle• As pernas e pés• A movimentação no “Auditório”• A maneira de Caminhar• Excessos de gestos ou desconformes ao tom dodiscurso
  73. 73. “ A NATURALIDADE DOS GESTOS”O ideal• Manter movimentos suaves• Adequar a movimentação do corpo ao ritimo dodiscurso• Utilizar a técnica da moldura
  74. 74. “Técnica da MolduraConsiste em manter o foco doseu espectador em seus gestos eexpressões acima da linha dacintura, especialmente no rosto.Para isso deve-se observar osmovimentos desta região commais atenção e manter asuavidade no quadril, pernas epés, evitando o desvio daatenção.
  75. 75. • Se apresentar com a postura do corpo indicandoexcesso de humildade, curvada para frente• Levando as mãos aos: olhos, cabelos, nariz,bigode, bolso da camisa, botões da camisa,orelhas, zíper da calça, óculos, etc• Com a cabeça levantada olhando por cima doauditório.EVITE:
  76. 76. NÃO ADQUIRA VÍCIOS:Botões do paletó;Bolsos;Caneta ou lápis;Folha de papel;Livro;Fio do microfone;Não poderão oferecer-lhe segurança !Já observou quantos oradores procuram acalmar-se, mexendo nosbotões do paletó ou colocando as mãos nos bolsos?
  77. 77. • Cada sentimento possui formas diferentes paraser apresentado pelo semblante. O queixo, aboca, as faces, o nariz, os olhos, a sobrancelhae a testa trabalham isoladamente, ou emconjunto, para demonstrar idéias e sentimentostransmitidos pelas palavras e muitas vezes sema existência delas.
  78. 78. • O semblante trabalha também como indicadorde coerência e de sinceridade das palavras.• Se falamos de um assunto que deveriaprovocar tristeza, não podemos demonstraruma fisionomia alegre e indiferente.• Seria o mesmo que assinar um atestado defalsidade.
  79. 79. EXERCÍCIO 4Escolha uma história, que seja ou não fictícia, etransmita para seus colegas, de maneira que elesconsigam identificar qual emoção você querpassar.
  80. 80. De todo o semblante, os olhos possuem importânciamais evidenciada para o sucesso da Expressão Verbal.Através dos olhos poderemos obter o retorno damensagem que colocamos para o auditório. Verificamoscom os olhos o comportamento da plateia, se todosestão interessados nas nossas informações, se estãoentendendo o que dizemos, se concordam com asnossas afirmações, se apresentam resistência adeterminadas ideias.
  81. 81. • Quem se apresentar com o comportamento frio,insensível, apático, inalterado, provocará odesinteresse dos ouvintes, porque ele mesmoparecerá desinteressado por aquilo que fala.• O entusiasmo é uma espécie de combustível daExpressão Verbal.
  82. 82. COMUNICAÇÃO VERBALCOMUNICAÇÃO NÃO VERBALENTENDIMENTO
  83. 83. EXERCÍCIO 5Busque um conteúdo de seu interesse, prepare umbom discurso, considerando os pontos que jáforam abordados e impressione a todos com suadesenvoltura. Você terá 05 minutos para dar umshow !!
  84. 84. CONVERSA COM O CLIENTE• Planeje-se• Tenha em mãos caneta e papel• Tome nota do nome e das informações passadas• Jamais o interrompa• Enquanto ouve, sinalize que concorda com sua cabeça• Mantenha o tronco direcionado para ele e os olhos atentos• Evite movimentos excessívos ou exagerados• Apresente suas idéias com calma e objetividade• Busque conduzir o diáligo• Reforçe os pontos acordados• Finalize com cordialidade
  85. 85. REUNIÃO DE NEGÓCIOS• Planeje-se, crie uma pauta e busque seguí-la• Tenha em mãos caneta e papel• Tome nota dos pontos tratados• Busque a atenção dos demais de forma sutil e assertiva• Mantenha-se atento a todos os envolvidos• Mantenha o tronco direcionado para quem estiver falando• Jamais tome toda atenção para você• Apresente suas idéias com calma e objetividade• Busque ouvir a opinião dos demais a respeito de suas idéias• Não jesticule demais• Peça a palavra, jamais interrompa• Finalize com cordialidade
  86. 86. APRESENTAÇÕES• Conheça bastante o conteúdo• Prepare sua apresentação de forma objetiva• Slides com cores sóbrias, crie tópicos e tenha um material de apoio• Cuide bem da apresentação pessoal• Comunique-se de forma clara, objetiva e cordial• Simpatia• Cuidado com os vícios de linguagem• Tenha um cuidado especial com a linguagem corporal• Busque interagir com os espectadores• Transforme sua apresentação em um show• Não assassine o português
  87. 87. ENTREVISTA DE EMPREGO• Busque conhecer a empresa com antecedência• Chegue antes do combinado ao menos 30 minutos• Antes do processo começar, interaja com os demais participantes• Na dinâmica de grupo, busque observar e em seguida se mostrar demaneira assertiva• Mantenha o foco em seus potenciais• Caso concorde, complemente o pesamento do outro candidato• Porte-se de maneira moderada• Não deixe para ser o último a se apresentar• Busque o olhar do entrevistador• Seja natural• Não assassine o português
  88. 88. DEBATE• Lembre-se, um debate não é uma guerra• Tenha o propósito do debate como foco principal• Se discordar tenha uma sugestão a oferecer• Questione com coerencia• Jamais atropele os outros• Peça a vez ao falar• Seja objetivo• Separe os valores pessoais, lembre-se do foco• Busque compreender o ponto de vista do outro• Tenha fundamentação além de suas opiniões pessoais• Controle as emoções
  89. 89. AO TELEFONE• Monte um roteiro e busque seguí-lo• Seja cordial, fale num tom agradável• Use da simpatia• Tome nota de detalhes• Esqueça o gerúndio• Não interrompa• Não dispense quem está do outro lado• Cuidado especial com a entonação e linguística
  90. 90. EMOÇÕESLidando com as
  91. 91. EMOÇÕESMovimento, agitação do organismo.É o estado em que organismo sai do seu equilíbrio.A manifestação emocional é um distúrbio da atividadeglandular e muscular.Emoção é uma interferência no equilíbrio do indivíduo.
  92. 92. “As emoções influenciam nacomunicação involuntária, assimcomo na corporal e verbal”EMOÇÕES
  93. 93. “Controlar nossas emoçõesé regra de sobrevivência”.EMOÇÕES
  94. 94. “Bons comunicadores são aqueles que além dedominarem muito bem o conteúdo, as técnicas e aplateia, fazem uso da inteligência emocional, doauto conhecimento e em especial do auto controlepara se destacarem em suas apresentações.”EMOÇÕES
  95. 95. Questione-se !
  96. 96. Como minhas emoçõestêm me ajudado ouatrapalhado?
  97. 97. Dicas
  98. 98. Busque o auto conhecimento:É fundamental conhecer bem suas característicaspessoais, além das limitações e possíveis impulsosexternos que te levam a perder o controle.EMOÇÕES
  99. 99. Cuidado com sua postura:Bons profissionais sabem separar bem a condutapessoal da profissional, sem perder a simplicidade.EMOÇÕES
  100. 100. Controle seus impulsosSiga as regras:Pare, Pense e FALEPare, Pense e AJALembre-se que as consequências de seus aospoderão ser irreversíveis.EMOÇÕES
  101. 101. Auto ControleBusque um momento de relaxamento através detécnicas de respiração, meditação, oração e etc como objetivo de melhor controlar suas emoções.EMOÇÕES
  102. 102. somosSomos o queOu o que aparentamos?
  103. 103. O mundo julga-nos, nãopelo que somos, mas peloque parecemos ser“ “Albert Delpit
  104. 104. Identidade: soma das característicasfísicas e intelectuais de um indivíduo /instituição;Identidade e Imagem
  105. 105. Imagem: é a projeção pública, é o eco daidentidade.Refere-se ao plano do simbolismo, dainstuição e conotação apreendidas pelo níveldo inconsciente.Dessa forma, a identidade se projeta naimagem!Identidade e Imagem
  106. 106. Ao ato de criarmos uma imagem pessoal,dá-se o nome de visagismo.Identidade e Imagem
  107. 107. Visagismo é a arte de criar uma imagempessoal que revela as qualidades interioresde uma pessoa, de acordo com suascaracterísticas físicas e os princípios dalinguagem visual.Identidade e Imagem
  108. 108. Identidade e Imagem
  109. 109. Qual é a imagemvocê estácomunicando?
  110. 110. Vestuário
  111. 111. Qual o correto?
  112. 112. Adeque-se ao contexto
  113. 113. Aparência física
  114. 114. Qual o correto?
  115. 115. Comunique saúde equalidade de vida.
  116. 116. Comportamentos
  117. 117. Qual o correto?
  118. 118. Invista em valores quemarcam.
  119. 119. Vocabulário
  120. 120. Qual o correto?
  121. 121. O mais acessível !
  122. 122. LembretesDicase sugestões finais
  123. 123. Domine o tema;Conheça os seus ouvintes;Conheça o espaço físico;Cuidado com piadas e desculpas;Pronuncie bem as palavras;Cultive o bom humor;Planeje o discurso;Capriche no encerramento.LembretesDicas e sugestões finais
  124. 124. LembretesDicas e sugestões finaisQuando comunicamos impactamos as pessoasatravés...Português bem escrito e falado;Nossa atenção;Informação;Conhecimento;Boa aparência;Boa leitura;Amor;
  125. 125. LembretesDicas e sugestões finaisBusque:Ser pontual;Cultivar o bom humor;Manter uma fisionomia agradável;Manter o equilíbrio;Numerar as páginas do discurso ou texto;Estar preparado para algum problema;Citar nome de alguém *Andar adequadamente;Olhar para todos;
  126. 126. LembretesDicas e sugestões finaisBusque:Saber ouvir;Se ouvir;Dar atenção ao público;Falar sem alisar as pessoas e você;Não interromper o outro;Dominar o conteúdo;Evitar falar enquanto escreve;Não virar as costas para o público;
  127. 127. LembretesDicas e sugestões finaisBusque:Se preparar para o momento;Usar palavras simples para todos entenderem;Evitar determinadas frases como: sem maisdemoras, etc.Evitar gestos excessivos;Evitar gritos e gargalhadas;Evitar barulho na boca;
  128. 128. LembretesDicas e sugestões finaisBusque:Evitar rir de algo inusitado;Evitar falar assuntos pessoais;Evitar justificar-se;Evitar exageros nas saudações;
  129. 129. LembretesDicas e sugestões finaisO que não se deve fazer enquanto se comunica:Demonstrar insegurança;Procurar palavras no ar. Ex: é……..Abrir a gravata;Deixar os papéis espalhados;Se escorar no púlpito;Pegar no microfone;Levantar os papéis;Colocar a mão no bolso;Segurar o braço;Cruzar os braços;Perguntar: entendeu??
  130. 130. LembretesDicas e sugestões finaisO que não se deve fazer enquanto se comunica:Utilizar achismo;Contar piadas;Dobrar ou enrolar o discurso;Deixar se sufocar pela emoção e não conseguir concluiratropelando-se no texto;Usar único tom de voz;Escrever no verso e na folha;Descarregar sua tensão na tribuna ou no ajuste domicrofone;Atacar políticos ou religiosos ou quaisquer grupos sociais;Sair correndo quando concluir o discurso.
  131. 131. DiscursoFINAL!
  132. 132. O mais importante éaproveitar todas asoportunidades!Pratique sempre!!!
  133. 133. (81) 9832 0650falecom@sauloverissimo.com.brFacebook.com/PalestranteSauloVerissimowww.sauloverissimo.com.br

×