Locução profissional cistã

2.318 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.318
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
224
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Locução profissional cistã

  1. 1. Locução Radiofônica A Arte de falar aos outros!
  2. 2. Temas abordados1. Elementos da Comunicação2. O papel da respiração na locução3. Como articular melhor as palavras4. Ritmo na comunicação5. Dicas práticas
  3. 3. PROCESSO INTERATIVO DA COMUNICAÇÃO  Comunicação INTRApessoal Comunicação INTERpessoal
  4. 4. Recursos da Comunicação Interpessoal Natural VOZ – produção sonora; sonoridade; elemento físico da linguagem Natural FALA – articulação de fonemas e palavras; voz articulada; combinação de sons com significado Adquirid a LINGUAGEM – meio de comunicação ou comunicação por qualquer meio (oral, escrita, gestual); expressão de conceitos; troca de idéias e experiências; faculdade que o ser humano possuir de expressar de forma ordenada o pensamento; voz e fala organizada em pensamento
  5. 5. Para lembrar...NÃO IMPORTA O QUE SE DIZ E SIM, COMO SE DIZ!
  6. 6. RESPIRAÇÃO É um dos elementos básicos na comunicação verbal que tem como função primordial promover as trocas gasosas fornecendo energia ao organismo e purificando o sangue.
  7. 7. Exercícios Inspirar pelo nariz – pausar – expirar pela boca com alívio (5x) Inspirar pelo nariz – pausar – expirar pela boca lentamente (5x) Com a boca aberta, inspirar pelo nariz – pausar – expirar pela boca (5x) Inspirar pelo nariz – pausar – expirar pelo nariz, continuando pela boca (5x) Inspirar pelo nariz – pausar – expirar como um pneu esvaziando (5x)
  8. 8. Exercícios Inspirar lentamente pelo nariz – pausar – expirar lentamente pela boca soprando (5x) Inspirar pelo nariz – pausar – expirar – pausar – expirar soprando (5x) Inspirar – pausar – expirar – pausar – expirar – pausar – expirar soprando (3x) Inspirar – pausar – emitir sssss – pausar – emitir sssss (5x) Inspirar – pausar – emitir zzzzz – pausar – emitir zzzzz (5x)
  9. 9. Exercícios para ampliar acapacidade fonoarticulatório(fôlego) apenas uma inspiração eDizer com expiração! O Pedro tem cuidado com a capa belga de cor preta que comprou do Conde Tadeu que andou longo tempo na Bélgica comprando quadros do colega pintor Gaspar e também pintando quadros ganhando bastante prática com os
  10. 10. ArticulaçãoÉ a produção de sons de fala por meio da interrupção ou constrição da corrente de ar expiratória, sonorizada ou não, ocasionada pelos movimentos de lábios, língua e véu. Está relacionada à dicção, que é a pronuncia dos sons da palavra; à maneira e à arte de dizer; de recitar
  11. 11. ARTICULAÇÃO DEENCONTROS CONSONANTAISCR- O crépido crepúsculo da crendice creditou a crença na criação crente. A cretinização do cretense cravou a cruz crócea na cromática do croinha.CL- Na clava do clássico clarim clareou a clemência do clero clínico. A clina do claro ciclita clamou à clã eclética.BR- brejal brenhoso brilhou na bruma. Os bruxos do breu bravo bravejaram o bramoso brechão do brasílico.
  12. 12. ARTICULAÇÃO DEENCONTROS CONSONANTAISPL- O plágio do plástico platonista pleiteou o plantão plenipotente do plévio pleito da plenitude.TR- O tribunal triclínico do trombeteiro triunfou no trono trópico do triturado triunfo triste.GR- A gramática gritou o gráfico do grafólogo graduado em granita exgranizada grecânia.
  13. 13. ARTICULAR Ditongos, Tritongos e HiatosO aio da aia aiou aiuê / aio da aia aiou aiuê / O aio da aia aiou aiuê.O réu Leléu tirou o véu seu para ver o céu.A saia da Maia baila na paina e vaia a faina.Os cristãos celestiais põem os corações sobre as mãos de Deus.
  14. 14. Articular as VOGAISA- A aramaica falava da clara mata pois cantava a alva Lalá aladaE- Belelelê fez belelelé para a lebre a leve do célebre dendê do Belém.I- O impossível Quindim quis tinir tintin pinintintin sem sirlinlin.
  15. 15. Articular as VOGAISO- O ovo do lodo não monologou o sono do osso horroroso nem tomou o poço nono do pomposo vovô.U- O mumu sem zunzum do urutu e uruçus furtou o vulto do Dudu.
  16. 16. ARTICULAÇÃO DE CONSOANTES(Construtiva fricativa labiodental sonora)V O Veda vazou a valeta do vale para valer valentemente. O valenciano velou o valão vocal numa vacilação vadia. O vagonete variável vai variado para a vaticinante vatinga. A vela do vedóia vedou a volta do vigoroso vazanteiro. (construtiva fricativa labiodental surda)F O forte fossilizado ofuscou o fragor do frade. O fotófobo fugiu da fotocromia fragmentada. A fraga foi ferida pela francesa fornalha do funcional fumívoro forqueado. (oclusiva bilabial sonora nasal)M Mandado manchar o manaié o manajeiro mandou o maníaco manipular a mantilha. O manuseio mais maravilhou o mameluco mambira O mamífero mamote mastigou a mamoma mamiforme. O mamulengo do mamute melodiou o mama-mamá para a mamãezinha malsã.
  17. 17. ARTICULAÇÃO DE CONSOANTES(oclusiva bilabial sonora oral)B A boneca boba borrifada pela botica bailava no box. O brado do botelheiro braçal brevejou o bamboleio do braçal búzio. A bússola do broeiro bromou na bruguéia broqueada sem o brio do brilhante brinde do bragantino brônzeo e brunido. A brutalidade do brutal barbarizou a bananeira baiana do bandeiro bancado. (oclusiva linguodental surda)T Tiraram o tição da tulha tunesiana que entulhou Tupã de tumulto torpe. Tereza tem tudo triplicamente no tanque tomista. O teorético téologo do teorema teorizou a teogonia. O tagal trocou a tagarela pelo tagaté tafona da talentosa Tatúia. (oclusiva labiodental sonora)D Dedé, Dodó e Dudu dedilharam o decurso do dédalo com dedicação definida. A dedicada decrépita datilografou o decomposto débito do decaído. O decalque do decálogo do didi dinâmico debilitou a debutante Dadá. (construtiva lateral alveolar sonora ápico-alveolar)L O lince sonolento levou a linda Línea para o lago lamuriante da lápide lavada.O latifloro da latência lírica latejou o línquem leve do tumulto das
  18. 18. Trava língua Não confunda Ornitorrinco com Otorrinolaringologista, Ornitorrinco com ornitologista, Ornitologista com Otorrinolaringologista, Porque ornitorrinco É ornitorrinco, Ornitologista é ornitologista! E otorrinolaringologista é Otorrinolaringologista.
  19. 19. Trava Língua O original não se desoriginaliza! O original não se desoriginaliza! O original não se desoriginaliza! Se desoriginalizásemo-lo original não seria! Paulo Pereira Pinto Peixoto, pobre pintor português, pinta perfeitamente, portas, paredes e pias, por parco preço, patrão.
  20. 20. Trava língua Disseram que na minha rua tem paralelepípedo feito de paralelogramos. Seis paralelogramos tem um paralelepípedo. Mil paralelepípedos tem uma paralelepipedovia. Uma paralelepipedovia tem mil paralelogramos. Então uma paralelepipedovia é uma paralelogramolandia?
  21. 21. Trava línguaPedreiro da catedral está aqui o padre Pedro? – Qual padre Pedro?– O padre Pedro Pires Pisco Pascoal. – Aqui na catedral tem três padres Pedros Pires Piscos Pascoais. Como em outras catedrais.
  22. 22. RITMO NO FALARNa fala o ritmo está relacionado tanto a inteligibilidade como também expressividade, a velocidade da emissão.Precisamos treinar e saber adequar o ritmo da nossa fala de acordo com as situações vividas para que nossas idéias possam ser compreendidas com clareza.Nem depressa demais e nem lento
  23. 23. Dicas1. Viva cada dia como se fosse o único.2. Conviva sempre com os melhores, com os que pensam grande. Assim você terá em quem se espelhar e superar.3. Para tornar-se um locutor de sucesso você tem que sentir prazer no que faz. Fazer de verdade, não simplesmente por fazer. Fazer por um objetivo na vida.4. Não basta você oferecer às pessoas o que elas querem. O ideal é oferecer um algo a mais. Descubra o que as pessoas a sua volta desejam.5. Fique tranqüilo, porque ninguém sabe mais que
  24. 24. Dicas Ninguém é bom em tudo. Não tenha vergonha de perguntar. Não tenha medo de errar. Errando se aprende. É caindo que você pega forçar para se firmar. O melhor investimento é aprender. Seus bens materiais um dia acabarão e o que se aprende fica para sempre. Siga seus princípios, mesmo que o caminho seja mais difícil e demorado. Se não há caminho a seguir, abra sua própria trilha. Seja extraordinário e dê o melhor de si.
  25. 25. Dicas Evite corrigir. Tem vezes que o melhor é deixar o erro passar, e se desculpar, ao invés de tentar corrigir e errar novamente. Se você não tem certeza, informe-se primeiro, mas nunca “chute” uma informação. Você nunca deve “achar alguma coisa” quando estiver no ar, tenha sempre certeza do que está falando. Cuidado para não depreciar uma empresa ou alguém. Concentre-se. Pense bem no que vai falar. Leia bastante jornais, revistas e livros. Agrade o público feminino. Elas são as principais ouvintes e as mais detalhistas.
  26. 26. Dicas Não fuja do seu roteiro. Seja você mesmo. Nenhuma técnica é mais importante que a sua naturalidade. Não chegue em cima da hora. Prepare-se antes. Fale num bom volume de voz e no seu tom certo. Fale com bom ritmo, alternando a velocidade da fala para manter aceso o interesse dos ouvintes. Tenha um vocabulário adequado ao seu perfil de público. Fale com emoção. Demonstre interesse e envolvimento pelo assunto.
  27. 27.  Tenha postura física correta para sua voz sair melhor. Dê à sua fala um início, meio e fim. Cuidado com as gaguejadas e com os hãaaaaa…. Isso passa insegurança. Não tente decorar sua fala. Faça um roteiro com as principais informações. Se der o “branco”, diga aos ouvintes que depois retomará esse assunto. É bom que você sempre tenha sempre um texto de apoio para caso você se perca na explicação. Gesticule e faça a expressão facial trabalhar a seu favor. A fisionomia tem que estar relaxada, com um ar natural e descontraída, mesmo que as pessoas não estejam lhe vendo. Nunca perca a calma.
  28. 28.  Tenha cuidado para não falar demais. Você pode acabar perdendo o foco. Entenda sobre o que você está falando. Nunca fale sobre algo que não conhece. Tenha sempre uma “carta na manga” para improvisar. Promova reuniões com bolo e café para toda a equipe. Em um momento assim de descontração dá para se aproveitar bastante coisa e ter novas idéias de programas e promoções. Transmita objetividade, segurança e credibilidade na leitura da informação. Marque as palavras que devem ser lidas com ênfase. Marque pausas da sua respiração.
  29. 29.  “Traduza” números romanos e ordinais. Procure “abrasileirar” palavras estrangeiras. Leia sem pressa. Interprete o texto. Respeite o tom da informação. Acredite no que está lendo. Cuide da dicção, articule bem as palavras, sem comer letras ou sílabas inteiras, nem deixar cair o tom de voz no final das frases. Dê um ritmo à leitura. Fique a uma boa distância do microfone para evitar a saturação do mesmo e acabar provocando distorção no áudio. Leia pelo menos duas vezes o texto antes de ser apresentado no ar.
  30. 30.  Antes de começar, teste e certifique-se que todos os comandos a serem dados à mesa de áudio estão preparados, tais como, músicas, vinhetas ou trilhas. Esteja sempre atento para saber se existe alguma novidade na programação, tais como novas músicas, promoções, ou alterações técnicas nos equipamentos do estúdio. Procure freqüentar eventos relacionados à sua área, coloque-se a disposição de rádios comunitárias para prestar serviços voluntários ou junto a colégios e universidades para explicar aos alunos sobre o dia-a-dia do seu trabalho. Conheça bem sua rádio. Entenda o que você faz e para quem você faz, para fazer sempre o melhor.
  31. 31.  Talvez nem fosse preciso dizer, mas a humildade é o ponto principal para quem almeja o sucesso. Ninguém faz nada sozinho e ninguém é insubstituível. Então faça o melhor e confie em você, mas sem querer passar os outros para trás. Não seja mais um, seja o número 1. Especialize-se e vá em frente, sempre! O sucesso só depende de você. Sonhe e mexa-se para realizá-lo. Mais dicas no livro: VOCÊ NUNCA OUVIU NADA IGUAL – COMO O RÁDIO PODE MUDAR A SUA VIDA. Autor: Watson Zucco Weber
  32. 32. Uma boa comunicação atodos!

×