SlideShare uma empresa Scribd logo

Introdução as terapias florais

1 de 36
Baixar para ler offline
INTRODUÇÃO AS TERAPIAS
FLORAIS
Renata Patricia Pudo Ribeiro
2010
O QUE SÃO FLORAIS
É uma freqüência de onda que contém a força vital de
uma determinada planta que pode ser preservada numa
solução à base de água e uma solução à base de álcool
que por sua vez atua como conservante.
São geralmente preparadas a partir de uma infusão
solar de flores, como também a partir de plantas, fungos,
líqüens, cristais vegetais e minerais, até mesmo
ambientes naturais.
PRODUÇÃO DAS ESSÊNCIAS
FLORAIS
As essências florais são preparados vibracionais
conseguidos a partir da exposição de flores ao sol, na
água sob a presença do pesquisador que participa
emitindo pensamentos e compondo intenções a partir do
seu conhecimento
Existem florais que são feito de outros maneiras.

Recomendados

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fito modos de preparo , indicação e contra indicação, NATUROPATIA, TERAPIAS N...
Fito modos de preparo , indicação e contra indicação, NATUROPATIA, TERAPIAS N...Fito modos de preparo , indicação e contra indicação, NATUROPATIA, TERAPIAS N...
Fito modos de preparo , indicação e contra indicação, NATUROPATIA, TERAPIAS N...Innap Naturopatia
 
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013Márcio Ravazoli
 
PES 2.0 Dispensação de Medicamentos e Formas Farmacêuticas
PES 2.0 Dispensação de Medicamentos e Formas FarmacêuticasPES 2.0 Dispensação de Medicamentos e Formas Farmacêuticas
PES 2.0 Dispensação de Medicamentos e Formas FarmacêuticasFarmacêutico Digital
 
Ppt etapa 1 introducao_ao_estudo_de_plantas_medicinais_v14_10042017
Ppt etapa 1 introducao_ao_estudo_de_plantas_medicinais_v14_10042017Ppt etapa 1 introducao_ao_estudo_de_plantas_medicinais_v14_10042017
Ppt etapa 1 introducao_ao_estudo_de_plantas_medicinais_v14_10042017sedis-suporte
 
Atendente de Farmácia - Origem e evolução da farmácia
Atendente de Farmácia - Origem e evolução da farmáciaAtendente de Farmácia - Origem e evolução da farmácia
Atendente de Farmácia - Origem e evolução da farmáciaLuis Antonio Cezar Junior
 
01 atendente de farmácia (conceitos fundamentais)
01   atendente de farmácia (conceitos fundamentais)01   atendente de farmácia (conceitos fundamentais)
01 atendente de farmácia (conceitos fundamentais)Elizeu Ferro
 
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos FármacosAtendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos FármacosLuis Antonio Cezar Junior
 
Fontes de informação sobre medicamentos
Fontes de informação sobre medicamentosFontes de informação sobre medicamentos
Fontes de informação sobre medicamentosCassyano Correr
 
Curso farmacotécnica de fitoterápicos
Curso farmacotécnica de fitoterápicosCurso farmacotécnica de fitoterápicos
Curso farmacotécnica de fitoterápicosNemésio Carlos Silva
 
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)Renato Santos
 
Aula 01 farmacologia prof. clara mota
Aula 01   farmacologia prof. clara motaAula 01   farmacologia prof. clara mota
Aula 01 farmacologia prof. clara motaClara Mota Brum
 

Mais procurados (20)

1ª aula atendente de farmácia
1ª aula atendente de farmácia1ª aula atendente de farmácia
1ª aula atendente de farmácia
 
Fito modos de preparo , indicação e contra indicação, NATUROPATIA, TERAPIAS N...
Fito modos de preparo , indicação e contra indicação, NATUROPATIA, TERAPIAS N...Fito modos de preparo , indicação e contra indicação, NATUROPATIA, TERAPIAS N...
Fito modos de preparo , indicação e contra indicação, NATUROPATIA, TERAPIAS N...
 
Formas farmaceuticas
Formas farmaceuticasFormas farmaceuticas
Formas farmaceuticas
 
Medicamentos
MedicamentosMedicamentos
Medicamentos
 
Fitoterapia racional
Fitoterapia racionalFitoterapia racional
Fitoterapia racional
 
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
 
PES 2.0 Dispensação de Medicamentos e Formas Farmacêuticas
PES 2.0 Dispensação de Medicamentos e Formas FarmacêuticasPES 2.0 Dispensação de Medicamentos e Formas Farmacêuticas
PES 2.0 Dispensação de Medicamentos e Formas Farmacêuticas
 
Conceitos em Farmácia
Conceitos em FarmáciaConceitos em Farmácia
Conceitos em Farmácia
 
Ppt etapa 1 introducao_ao_estudo_de_plantas_medicinais_v14_10042017
Ppt etapa 1 introducao_ao_estudo_de_plantas_medicinais_v14_10042017Ppt etapa 1 introducao_ao_estudo_de_plantas_medicinais_v14_10042017
Ppt etapa 1 introducao_ao_estudo_de_plantas_medicinais_v14_10042017
 
Atendente de Farmácia - Origem e evolução da farmácia
Atendente de Farmácia - Origem e evolução da farmáciaAtendente de Farmácia - Origem e evolução da farmácia
Atendente de Farmácia - Origem e evolução da farmácia
 
01 atendente de farmácia (conceitos fundamentais)
01   atendente de farmácia (conceitos fundamentais)01   atendente de farmácia (conceitos fundamentais)
01 atendente de farmácia (conceitos fundamentais)
 
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos FármacosAtendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
 
Administração farmacêutica aula 01
Administração farmacêutica aula 01Administração farmacêutica aula 01
Administração farmacêutica aula 01
 
Fontes de informação sobre medicamentos
Fontes de informação sobre medicamentosFontes de informação sobre medicamentos
Fontes de informação sobre medicamentos
 
Curso farmacotécnica de fitoterápicos
Curso farmacotécnica de fitoterápicosCurso farmacotécnica de fitoterápicos
Curso farmacotécnica de fitoterápicos
 
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
 
Introdução à farmacologia
Introdução à farmacologiaIntrodução à farmacologia
Introdução à farmacologia
 
Vida Natural: Horta Medicinal
Vida Natural: Horta MedicinalVida Natural: Horta Medicinal
Vida Natural: Horta Medicinal
 
Farmacobotânica parte1
Farmacobotânica parte1Farmacobotânica parte1
Farmacobotânica parte1
 
Aula 01 farmacologia prof. clara mota
Aula 01   farmacologia prof. clara motaAula 01   farmacologia prof. clara mota
Aula 01 farmacologia prof. clara mota
 

Destaque

APRESENTAÇÃO BIO FLORAIS
APRESENTAÇÃO BIO FLORAIS APRESENTAÇÃO BIO FLORAIS
APRESENTAÇÃO BIO FLORAIS jairamoretti
 
florais de-bach manual
 florais de-bach manual florais de-bach manual
florais de-bach manualIzabela Matos
 
Curso de formação em florais de Bach e Bioquanticos
Curso de formação em florais de Bach e BioquanticosCurso de formação em florais de Bach e Bioquanticos
Curso de formação em florais de Bach e BioquanticosMarcos Dias
 
Ficha de atendimento
Ficha de atendimentoFicha de atendimento
Ficha de atendimentoLeandro_Roque
 
Introdução a Homeopatia
Introdução a HomeopatiaIntrodução a Homeopatia
Introdução a HomeopatiaSafia Naser
 
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacaoadrianapolonio
 
As qualides positivas florais bach
As qualides positivas florais bachAs qualides positivas florais bach
As qualides positivas florais bachallanyanjos
 
I Forum Regional Dos Florais De Saint Germain
I Forum Regional Dos Florais De Saint GermainI Forum Regional Dos Florais De Saint Germain
I Forum Regional Dos Florais De Saint Germainfigueiraconsultores
 
Forca Vital, segundo a Ciencia Moderna
Forca Vital, segundo a Ciencia ModernaForca Vital, segundo a Ciencia Moderna
Forca Vital, segundo a Ciencia Modernaadoryeva sylva
 
The bach flowers remedies
The bach flowers remediesThe bach flowers remedies
The bach flowers remediesCassia Do Vale
 
Florais e tinturas brasileiras – medicina alternativa
Florais e tinturas brasileiras – medicina alternativaFlorais e tinturas brasileiras – medicina alternativa
Florais e tinturas brasileiras – medicina alternativaFilosofo cultural
 

Destaque (20)

Florais do dr bach
Florais do dr bachFlorais do dr bach
Florais do dr bach
 
SR Florais De Bach
SR Florais De BachSR Florais De Bach
SR Florais De Bach
 
APRESENTAÇÃO BIO FLORAIS
APRESENTAÇÃO BIO FLORAIS APRESENTAÇÃO BIO FLORAIS
APRESENTAÇÃO BIO FLORAIS
 
florais de-bach manual
 florais de-bach manual florais de-bach manual
florais de-bach manual
 
Curso de formação em florais de Bach e Bioquanticos
Curso de formação em florais de Bach e BioquanticosCurso de formação em florais de Bach e Bioquanticos
Curso de formação em florais de Bach e Bioquanticos
 
terapia floral
terapia floralterapia floral
terapia floral
 
Florais
FloraisFlorais
Florais
 
Apostila fdde
Apostila fddeApostila fdde
Apostila fdde
 
Terapia Floral
Terapia FloralTerapia Floral
Terapia Floral
 
Ficha de atendimento
Ficha de atendimentoFicha de atendimento
Ficha de atendimento
 
75269444 manual-anamnese-holistica
75269444 manual-anamnese-holistica75269444 manual-anamnese-holistica
75269444 manual-anamnese-holistica
 
Introdução a Homeopatia
Introdução a HomeopatiaIntrodução a Homeopatia
Introdução a Homeopatia
 
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
20136090 anamnese-modelos-de-fichas-para-avaliacao
 
Dicionário dos remédios florais do dr
Dicionário dos remédios florais do drDicionário dos remédios florais do dr
Dicionário dos remédios florais do dr
 
As qualides positivas florais bach
As qualides positivas florais bachAs qualides positivas florais bach
As qualides positivas florais bach
 
I Forum Regional Dos Florais De Saint Germain
I Forum Regional Dos Florais De Saint GermainI Forum Regional Dos Florais De Saint Germain
I Forum Regional Dos Florais De Saint Germain
 
Forca Vital, segundo a Ciencia Moderna
Forca Vital, segundo a Ciencia ModernaForca Vital, segundo a Ciencia Moderna
Forca Vital, segundo a Ciencia Moderna
 
Florais de bach
Florais de bachFlorais de bach
Florais de bach
 
The bach flowers remedies
The bach flowers remediesThe bach flowers remedies
The bach flowers remedies
 
Florais e tinturas brasileiras – medicina alternativa
Florais e tinturas brasileiras – medicina alternativaFlorais e tinturas brasileiras – medicina alternativa
Florais e tinturas brasileiras – medicina alternativa
 

Semelhante a Introdução as terapias florais

Florais araretama e_acupuntura_estetica
Florais araretama e_acupuntura_esteticaFlorais araretama e_acupuntura_estetica
Florais araretama e_acupuntura_esteticaRenata Pudo
 
A iris maravilhosa
A iris maravilhosaA iris maravilhosa
A iris maravilhosaMarcos Dias
 
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02Alberto Barth
 
Medicina E O Espiritismo
Medicina E O EspiritismoMedicina E O Espiritismo
Medicina E O EspiritismoAndySans 2008
 
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMO
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMOELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMO
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMOguest9002b0
 

Semelhante a Introdução as terapias florais (20)

Florais
FloraisFlorais
Florais
 
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 01 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -doc - 01 docApostila obsessão   lar rubataiana -doc - 01 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 01 doc
 
5- Florais de Bach.ppt
5- Florais de Bach.ppt5- Florais de Bach.ppt
5- Florais de Bach.ppt
 
Terapia floral
Terapia floralTerapia floral
Terapia floral
 
A medicina e o espiritismo
A medicina e o espiritismoA medicina e o espiritismo
A medicina e o espiritismo
 
01 apostila [1]..
01 apostila [1]..01 apostila [1]..
01 apostila [1]..
 
01 apostila [1]..
01 apostila [1]..01 apostila [1]..
01 apostila [1]..
 
Medicina e o Espiritismo
Medicina e o EspiritismoMedicina e o Espiritismo
Medicina e o Espiritismo
 
Florais araretama e_acupuntura_estetica
Florais araretama e_acupuntura_esteticaFlorais araretama e_acupuntura_estetica
Florais araretama e_acupuntura_estetica
 
A iris maravilhosa
A iris maravilhosaA iris maravilhosa
A iris maravilhosa
 
80012497 florais-saint-germain-essencias-individuais
80012497 florais-saint-germain-essencias-individuais80012497 florais-saint-germain-essencias-individuais
80012497 florais-saint-germain-essencias-individuais
 
80012497 florais-saint-germain-essencias-individuais
80012497 florais-saint-germain-essencias-individuais80012497 florais-saint-germain-essencias-individuais
80012497 florais-saint-germain-essencias-individuais
 
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02
Medicinaeoespiritismo 091220141822-phpapp02
 
Medicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismoMedicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismo
 
Medicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismoMedicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismo
 
Medicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismoMedicina e o_espiritismo
Medicina e o_espiritismo
 
Medicina E O Espiritismo
Medicina E O EspiritismoMedicina E O Espiritismo
Medicina E O Espiritismo
 
Medicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismoMedicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismo
 
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMO
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMOELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMO
ELIZETH CORONA - MEDICINA E O ESPIRITISMO
 
M E D I C I N A E E S P I R I T I S M O
M E D I C I N A  E  E S P I R I T I S M OM E D I C I N A  E  E S P I R I T I S M O
M E D I C I N A E E S P I R I T I S M O
 

Mais de Renata Pudo

A relação da dor com a Medicina Chinesa e a Psicossomática
A relação da dor com a Medicina Chinesa e a PsicossomáticaA relação da dor com a Medicina Chinesa e a Psicossomática
A relação da dor com a Medicina Chinesa e a PsicossomáticaRenata Pudo
 
Estética na mândala da prosperidade ararêtama
Estética na mândala da prosperidade ararêtamaEstética na mândala da prosperidade ararêtama
Estética na mândala da prosperidade ararêtamaRenata Pudo
 
Vasos maravilhosos
Vasos maravilhososVasos maravilhosos
Vasos maravilhososRenata Pudo
 
Os 05 elementos 2 e 3 2011
Os 05 elementos 2 e 3 2011Os 05 elementos 2 e 3 2011
Os 05 elementos 2 e 3 2011Renata Pudo
 
Pontos Fonte E Lo
Pontos  Fonte E  LoPontos  Fonte E  Lo
Pontos Fonte E LoRenata Pudo
 
05 elementos 2 e 3
05 elementos 2 e 305 elementos 2 e 3
05 elementos 2 e 3Renata Pudo
 
M Distintos Adapt
M Distintos AdaptM Distintos Adapt
M Distintos AdaptRenata Pudo
 
Rinite E Sinusite
Rinite E SinusiteRinite E Sinusite
Rinite E SinusiteRenata Pudo
 
CefaléIa HipertensãO
CefaléIa HipertensãOCefaléIa HipertensãO
CefaléIa HipertensãORenata Pudo
 
IntroduçãO à EstéTica Com Acupuntura E Oligoelementos
IntroduçãO  à EstéTica Com Acupuntura E OligoelementosIntroduçãO  à EstéTica Com Acupuntura E Oligoelementos
IntroduçãO à EstéTica Com Acupuntura E OligoelementosRenata Pudo
 

Mais de Renata Pudo (14)

A relação da dor com a Medicina Chinesa e a Psicossomática
A relação da dor com a Medicina Chinesa e a PsicossomáticaA relação da dor com a Medicina Chinesa e a Psicossomática
A relação da dor com a Medicina Chinesa e a Psicossomática
 
Estética na mândala da prosperidade ararêtama
Estética na mândala da prosperidade ararêtamaEstética na mândala da prosperidade ararêtama
Estética na mândala da prosperidade ararêtama
 
Vasos maravilhosos
Vasos maravilhososVasos maravilhosos
Vasos maravilhosos
 
Vaso governador
Vaso governadorVaso governador
Vaso governador
 
Mão
MãoMão
Mão
 
Os 05 elementos 2 e 3 2011
Os 05 elementos 2 e 3 2011Os 05 elementos 2 e 3 2011
Os 05 elementos 2 e 3 2011
 
Congresso afa
Congresso afaCongresso afa
Congresso afa
 
Pontos Fonte E Lo
Pontos  Fonte E  LoPontos  Fonte E  Lo
Pontos Fonte E Lo
 
05 elementos 2 e 3
05 elementos 2 e 305 elementos 2 e 3
05 elementos 2 e 3
 
Mtm
MtmMtm
Mtm
 
M Distintos Adapt
M Distintos AdaptM Distintos Adapt
M Distintos Adapt
 
Rinite E Sinusite
Rinite E SinusiteRinite E Sinusite
Rinite E Sinusite
 
CefaléIa HipertensãO
CefaléIa HipertensãOCefaléIa HipertensãO
CefaléIa HipertensãO
 
IntroduçãO à EstéTica Com Acupuntura E Oligoelementos
IntroduçãO  à EstéTica Com Acupuntura E OligoelementosIntroduçãO  à EstéTica Com Acupuntura E Oligoelementos
IntroduçãO à EstéTica Com Acupuntura E Oligoelementos
 

Introdução as terapias florais

  • 1. INTRODUÇÃO AS TERAPIAS FLORAIS Renata Patricia Pudo Ribeiro 2010
  • 2. O QUE SÃO FLORAIS
  • 3. É uma freqüência de onda que contém a força vital de uma determinada planta que pode ser preservada numa solução à base de água e uma solução à base de álcool que por sua vez atua como conservante.
  • 4. São geralmente preparadas a partir de uma infusão solar de flores, como também a partir de plantas, fungos, líqüens, cristais vegetais e minerais, até mesmo ambientes naturais.
  • 6. As essências florais são preparados vibracionais conseguidos a partir da exposição de flores ao sol, na água sob a presença do pesquisador que participa emitindo pensamentos e compondo intenções a partir do seu conhecimento Existem florais que são feito de outros maneiras.
  • 7. Os níveis mais profundos de energia em plantas podem ser apurados somente pelo que podemos melhor chamar de intuição.
  • 8. UM BREVE RELATO DA HISTÓRIA
  • 9. Devemos muito ao Dr. Edward Bach pelo seu pioneirismo na criação da terapia floral, na década de 30, na Inglaterra. Formado em medicina atuava como bacteriologista, depois passou a praticar homeopatia. Deixou sua clínica em Londres e foi para o campo desenvolver um novo sistema de remédios naturais feito com flores silvestres.
  • 10. Foi um pioneiro na compreensão do relacionamento das emoções com a saúde do corpo e da psique. Ele percebeu que para termos saúde precisamos que os aspectos emocionais e espirituais sejam tratados.
  • 12. ACONTECIMENTOS ANTERIORES  Nascimento da Homeopatia – Samuel Hahnemann  Inicio do uso da Hipnose pelos psiquiatras para tratar disturbios dos soldados que retornam da Primeira Grande Guerra.
  • 13. Década de 30 Conceito da medicina Psicossomática desenvolvida pelo Dr. Franz Alexander e outros Dr. Hans Seyle iniciou seu trabalho sobre stress Inicio da Terapia Floral pelo Dr. Edward Bach
  • 15.  A propriedade de uma essência quando integrada ao corpo atua como uma harmonizador de freqüência  A freqüência da energia da planta interage com as freqüência do corpo trazendo do desequilíbrio para a harmonia, restaurando assim o equilíbrio energético
  • 17.  Não segue a Lei da Semelhança da Homeopatia  Não segue a Lei dos Contrários da Alopatia  Promove uma integração das polaridades no interior da nossa psique, levando a uma ressonância onde as freqüências vibram em conjunto e harmoniosamente
  • 19. SISTEMA DO DR. BACH São no número de 38 essências agrupados sob os seguintes títulos: 1. Para o medo 2. Para a indecisão 3. Para a falta de interesse pelas circunstâncias atuais 4. Para a solidão 5. Para a sensibilidade excessiva para a influência e opiniões 6. Para o desalento ou desespero 7. Para a excessiva preocupação com o bem-estar dos outros
  • 21.  F.E.S. California  2 sistemas do Australianos (Bush Essences e Living Essences);  2 sistemas do Alaska (Essências Florais e Ambientais)  1 do Deserto (Desert Alchemy)  1 do Pacífico  1 do Havaí  1 da Holanda  1 da França (Devas)  1 da Argentina (Flores da Raff) Entre outros….
  • 23.  Florais de Minas  Filhas de Gaia  Joel Aleixo  Sistema Agnes  Arco Iris  Sistema Araretâma
  • 25.  Sistema formado por 34 essências vibracionais  As essência foram uma mandala também chamada de oito níveis de evolução.  Os florais são elaborados a partir de bromélias, cipós, liquens, cogumelos, seivas…  Sempre que possível as essências são preparadas sem corte ou retirada de seus locais de origem respeitando o prncípio da preservação.
  • 27.  Os oito Níveis de Evolução: 1. Origem 2. Força vital 3. Movimento 4. Relacionamento 5. Vivenciamento 6. Limpeza 7. Ancoramento 8. Sabedoria Centro irradiador
  • 28. ORIGEM  O que trago na minha memória de vida(s) ou na minha memória genética pode interferir nas minhas realizações?  Quais delas, se acessadas podem ser úteis?
  • 29. FORÇA VITAL  Sinto-me desvitalizado?  Tenho força vital suficiente para buscar o que realmente desejo?  Sinto-me nutrido emocionalmente?
  • 30. MOVIMENTO  Sinto-me imóvel ou estagnado?  Consigo mover-me e alcançar meus objetivos
  • 31. RELACIONAMENTO  Consigo relacionar-me comigo mesmo e com os outros que me cercam?  Sou capaz de ouvir e acreditar em minha voz interior?  Consigo ouvir o que os outros tem a me dizer, ou será que o que tenho a dizer é mais importante?
  • 32. VIVENCIAMENTO  Será que realmente vivo os meus momentos ou talvez tenha deixado de vivê-los por manter-me apegado ao passado?  Ou então, será que por não ter alcançado um determinado objetivo, talvez, seja menor não tentar alcançá-lo novamente sem perceber que parei no tempo e deixei de viver?
  • 33. LIMPEZA  Tenho capacidade de me livrar dos pesos inúteis que carrego pela vida?  Como me vejo em relação a este desafio?  Será que não estou me colocando em uma condição limitada, vendo-me menor do que realmente sou?  Estou com pena de mim mesmo?  O quanto equilíbrio minha razão e minha emoção?  Teria este desafio se apresentado por eu ter criado barreiras e assim, ter de enfrentá-lo temendo por expandir meu potencial?
  • 34. ANCORAMENTO  Será que estou ciente de que vivo neste mundo e tenho de lidar com eventuais desafios que surjam e enfrentá-los?  Ou meu mundo é outro, de viagens e ilusões?  Estou com meus pés na terra onde posso ter oportunidades de concretizar minhas idéias e assim, realizar minha missão?
  • 35. SABEDORIA  Será que efetivamente utilizo os meus recurso que me são dados através de minha sabedoria?  Ou não dou ouvidos a ela e contrario minha intuição?  Será que não valorizo demais a opinião do outro esquecendo a minha própria?
  • 36. CENTRO IRRADIADOR  Como sustentação a esta grande escada em espiral existe um eixo centro de irradiação baseado no amor e na comunhão consigo mesmo e com o cosmo na metabolização eficaz do processo.  Consigo concluir meus ciclos de vida?  Sou impulsivo?  Consigo agir em equilíbrio com aquilo que sinto?  Posso estar aberto ao mundo, sem ser vulnerável a tudo que acontece ao meu redor?