1185612751 251.a violencia_no_trabalho

893 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
893
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
162
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1185612751 251.a violencia_no_trabalho

  1. 1. A Violência no Trabalho Trabalho de Grupo do Módulo PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO Ana Teresa Ferreira Rui Salvador Albano Silva
  2. 2. As Organizações e a violência As Organizações, independentemente do domínio de actuação e da sua dimensão, são constituídas por pessoas. E são essas pessoas, pequenos, Universos de individualidade, que muitas vezes no seu relacionamento são geradoras de situações de conflito. PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 2
  3. 3. As Organizações e a violência Tradicionalmente, a violência surge no contexto de trabalho, porque de alguma forma foi possível acontecer uma situação de conflito que se tornou incontrolável. O conflito acontece principalmente:  Por falhas da organização;  Pela confrontação de personalidades com visões antagónicas sobre um mesmo assunto;  Pelas duas razões anteriores;  Por questões meramente pessoais e extrínsecas ao processo produtivo;  Pelo abuso de autoridade de um agente sobre outro;  … PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 3
  4. 4. Situações de conflito CLIMA ORGANIZACIONAL Descontrolo Violência PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 4
  5. 5. O que é a violência no trabalho? São formas de pressão exercida sobre trabalhadores e consubstanciadas em insultos, ameaças ou agressão física ou psicológica, por parte de pessoas relacionadas com o local de trabalho (trabalhadores, chefias, fornecedores, clientes, vizinhança, etc.) e que se reflectem como um risco para a sua saúde, a segurança e o bem-estar dos trabalhadores. PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 5
  6. 6. Tipos de violência A violência nos locais de trabalho pode revestir-se de diversas formas. Podem ir desde o acto primário da agressão pura e simples, até formas mais subtis e insidiosas, mas nem por isso menos violentas, como sejam a perseguição, a humilhação, a intriga, a calúnia e o assédio. A violência psicológica inclui o amedrontamento de grupo, pela intimidação e a perseguição sem contacto físico. PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 6
  7. 7. Tipos de violência Os actos de agressão ou assumem diversas formas atingir a vítima na sua física ou psicológica: violência e podem estrutura PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 7
  8. 8. Tipos de violência  Comportamento descortês - falta de respeito pelos outros;  Agressão física ou verbal - intenção de magoar (Exºs: perseguição com e sem contacto físico);  Assédio moral e sexual – forma de perseguição configurando situações de dependência ou exercício abusivo de poder (Exºs: humilhação, intriga, calúnia);  Ameaça – sob a forma de chantagem (Exºs: amedrontamento de grupo/individual pela intimidação);  Ataque - intenção de prejudicar a outra pessoa. PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 8
  9. 9. Consequências Normalmente associam-se duas reacções distintas: – O agredido reage em conformidade; – O agredido interioriza a agressão e não reage no imediato; As consequências de qualquer forma de violência, variam naturalmente com a vulnerabilidade psicológica do agredido: medos, fobias, stress, desmotivação, perturbações físicas e psicológicas, nervosismo, falta de atenção, perturbações do sono, etc. PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 9
  10. 10. Consequências Este tipo de reacções têm, obviamente, interferência sobre a capacidades do indivíduo, particularmente no que diz respeito à sua exposição a situações de risco profissional. A responsabilidade da Organização é a sua detecção e controlo, sob pena de consequências gravosas para o processo. PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 10
  11. 11. Avaliação dos riscos, prevenção e gestão de conflitos As Organizações nas suas Avaliações de Risco, devem ter em consideração as perturbações emocionais dos trabalhadores, em que medida estas podem afectar o Clima Organizacional e, serem elas mesmas, geradoras de potenciais situações de conflito ou mesmo violência. PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 11
  12. 12. Avaliação dos riscos, prevenção e gestão de conflitos O processo pode ser dividido numa série de etapas: – Planeamento da avaliação em consulta com o pessoal. – Identificação dos perigos. – Identificação quem se encontra em perigo, onde e como. – Avaliação do nível do risco e decisão sobre o modo de procedimento. – Adopção de medidas no sentido de eliminar ou reduzir o risco. – Acompanhamento e análise das medidas adoptadas. PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 12
  13. 13. Prevenção A prevenção dos riscos de violência realiza-se a dois níveis: Ao primeiro nível, o objectivo é basicamente nível impedir a ocorrência de actos de violência ou, pelo menos, reduzir os efeitos dos mesmos. Ao segundo nível, se o acto de violência já nível ocorreu, é necessário providenciar apoio à vítima do incidente e adoptar mecanismos correctivos para o incidente. Este apoio deverá procurar minimizar os efeitos nocivos do incidente e impedir quaisquer sentimentos de vitimização que possam surgir após um acto de agressão e prevenir o sofrimento da vítima. PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 13
  14. 14. Prevenção – 1º nível Promoção de um clima de harmonia e bom relacionamento entre trabalhadores; Identificação de incidentes ou conflitos geradores de descontentamento; Acompanhamento de indivíduos potencialmente agressivos; Auscultação dos trabalhadores de forma secreta (Cxª de sugestões) Questionários de auto-avaliação, sob a forma de check-list); Sensibilização das chefias; … PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 14
  15. 15. Prevenção – 2º nível Apoio à vítima; Investigação exaustiva das causas determinantes; Quantificação, se possível, de que forma é que o processo foi afectado; Proposta de alterações (orgânicas, funcionais, etc.) com vista a evitar repetições; Punição dos faltosos como exemplo dissuasor; … PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 15
  16. 16. Gestão dos conflitos O aparecimento de situações de conflito, não é de todo inevitável. Elas surgem por razões internas (por perturbação da estrutura laboral), ou externas à organização (roubo, assalto, defesa do património, etc.). PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 16
  17. 17. Gestão dos conflitos Quando estas situações surgem é necessário a organização tenha: – Uma pronta intervenção; – Correcção das causas determinantes; PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 17
  18. 18. Gestão dos conflitos Naturalmente que se a organização tivesse adoptado uma cultura de responsabilidade e um clima de promoção da harmonia de trabalho e de bom relacionamento, muitas das situações de violência nem chegavam a ser despoletadas. PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 18
  19. 19. Conclusões A violência no trabalho, apresente-se como se apresentar, é sempre uma forma ignóbil de relacionamento entre pares. Deve ser combatida e denunciada por todos os que lidam de perto com tais situações. PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 19
  20. 20. Conclusões Todas as formas de violência exercidas em contexto de trabalho, devem ser severamente punidas, por caracterizarem uma cobardia inqualificável. PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 20
  21. 21. Conclusões As chefias têm uma responsabilidade acrescida na identificação e controlo de tais situações. Por isso mesmo, sempre que qualquer forma de violência tem origem numa chefia, a situação é bem mais grave, por ser mais difícil de provar, pela receio do testemunho, pelo superioridade de domínio do agressor no processo, etc. PSICOSSOCIOLOGIA DO TRABALHO 21

×