O PAI BATIA MUITONA MÃE QUANDOCHEGAVA BÊBADOA CASAJoana, 8 anos, no 2º ano deescolaridade
Desenvolvimento O texto que apresentamos foi realizado a partirde um artigo publicado na revista “Visão”, mêsde março. O ...
Desenvolvimento No meio destas situações, as crianças assistemaos maus tratos ocorridos em casa, e nesteartigo ficamos a ...
Desenvolvimento “ Homem que bate não ama. “ Esta foi uma dasfrases que fez com que a vítima de violênciadoméstica abrisse...
DesenvolvimentoNo mesmo artigo, é possível ficar a sabercomo reagir quando as crianças crescemnuma casa onde existe violên...
Conclusão Nós escolhemos este artigo para alertar queexistem muitos casos de violência doméstica. Outra razão foi o fact...
Catarina Fernandes, nº 2- 9ºDCarlos Mendes, nº 8- 9ºDDisciplina: Português.2012/2013
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Violência Doméstica

669 visualizações

Publicada em

Violência Doméstica

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
669
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
239
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Violência Doméstica

  1. 1. O PAI BATIA MUITONA MÃE QUANDOCHEGAVA BÊBADOA CASAJoana, 8 anos, no 2º ano deescolaridade
  2. 2. Desenvolvimento O texto que apresentamos foi realizado a partirde um artigo publicado na revista “Visão”, mêsde março. O artigo refere mais um dos variadoscasos que existem sobre a violência doméstica. Na maior parte dos casos, é o homem a baterna mulher, mas também existe o contrário emque a mulher bate no homem, tornando-se estaa agressora. O artigo explica também a razão das vítimasde violência doméstica não abandonarem, namaior parte das vezes, os maridos/as esposas.
  3. 3. Desenvolvimento No meio destas situações, as crianças assistemaos maus tratos ocorridos em casa, e nesteartigo ficamos a saber como vários especialistasas preparam para irem falar em tribunal. Tivemos ainda conhecimento que muitaspessoas vão a tribunal para testemunhar quempratica a violência doméstica, mas, uma vez nolocal, calam-se, por terem medo dasconsequências. Testemunhos assumem que não saem de casaporque não têm como sustentar os filhos sem oapoio da outra parte.
  4. 4. Desenvolvimento “ Homem que bate não ama. “ Esta foi uma dasfrases que fez com que a vítima de violênciadoméstica abrisse os olhos e saísse de casa. Ao ouvir esta frase, Joana, a filha da vítima, virou-se para a mãe e disse: “ Temos que sair daqui,não podes aguentar mais isto.” A mãe, ao ouvir oque a filha disse, ergueu a cabeça e viu querealmente aquela situação não tinha lógica.Chamou a GNR pela primeira vez e fez queixa domarido.
  5. 5. DesenvolvimentoNo mesmo artigo, é possível ficar a sabercomo reagir quando as crianças crescemnuma casa onde existe violência doméstica: - “Dê-lhes apoio e oiça-as”; - “Fale com um profissional de saúde, pediatra oupsicólogo”; - “Certifique-se que os miúdos sabem que nãosão culpados”; - “Diga-lhes para se afastarem, se as agressõesdecorrerem na sua presença”.
  6. 6. Conclusão Nós escolhemos este artigo para alertar queexistem muitos casos de violência doméstica. Outra razão foi o facto de percebermos quese trata de casos reais e que infelizmenteestão a ocorrer cada vez mais, devido àconjuntura económica e social queatravessamos no momento presente. Também gostaríamos de salientar quenenhum ser humano se deve submeter a estetipo de tratamento.
  7. 7. Catarina Fernandes, nº 2- 9ºDCarlos Mendes, nº 8- 9ºDDisciplina: Português.2012/2013

×