COLÉGIO ESTADUAL TENENTE SPRENGER
ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO
CONJUNTO ATUBA – PINHAIS – PR
Vocabulário
de
F I L O S O F I ...
“Todos os temas são passíveis de serem
tratados de maneira filosófica. A filosofia
não depende de seus assuntos. Não é uma...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
1
V O C A B U L Á R I O D E F I L O S O F I A
A posteriori • Diz-se d...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
2
condição.
Antítese • Oposição por contrariedade, ou por contradição...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
3
“teoria do Caos”.
Capcioso • Manhoso, ardiloso; Insinuante, envolve...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
4
Clinamen • Do latim “clinamen” = inclinação. No epicurismo, desvio ...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
5
Contingente • O que não tem em si a razão de sua existência. Diz-se...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
6
Deriva • Sem rumo; solto, perdido; arrastado, levado; conduzido por...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
7
Empirismo • Doutrina ou atitude que admite, quanto à origem do conh...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
8
Escatologia • Tratado sobre os fins últimos do homem. Doutrina sobr...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
9
suscitava e a forma acessível em que podia ser exposto, por se trat...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
10
Formal • Relativo às leis, às regras ou à linguagem próprias de de...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
11
investigado e que vale, quer pela confirmação dessas característic...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
12
Inato • Que pertence à natureza de um ser. Que nasce com o indivíd...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
13
verdadeira ou falsa.
Kant • Immanuel Kant (1724-1804), filósofo al...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
14
Materialismo • Tendência, atitude ou doutrina que admite, ou que a...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
15
• Figura de retórica que consiste em transportar uma palavra, de s...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
16
qualquer dos sentidos.
Obscuro • Sombrio, tenebroso; obscurecido; ...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
17
– caso da universal afirmativa que se converte em particular afirm...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
18
Proposição • Expressão verbal ou simbólica suscetível de ser dita ...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
19
Retórica • Quando dizem isso é apenas retórica: Discurso de forma ...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
20
Simbolismo • Escola literária do fim do séc. XIX, que se originou ...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
21
todo o real. Doutrina segundo a qual a única realidade no mundo é ...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
22
Termo menor • Premissa menor (o sujeito da conclusão).
Tese • O pr...
VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt
23
Bibliografia:
JOLIVET, Regis. Vocabulário de Filosofia.Rio de Jane...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Dicionário de filosofia

600 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
600
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dicionário de filosofia

  1. 1. COLÉGIO ESTADUAL TENENTE SPRENGER ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO CONJUNTO ATUBA – PINHAIS – PR Vocabulário de F I L O S O F I A Prof. Francisco Bornholdt PINHAIS - 2004
  2. 2. “Todos os temas são passíveis de serem tratados de maneira filosófica. A filosofia não depende de seus assuntos. Não é uma ‘matéria’ a ser ensinada nem um campo a cultivar; é um estado de espírito, um modo de se servir do próprio intelecto. O filósofo não tem um objeto próprio. Parte das idéias aceitas, das opiniões do senso comum, das ideologias dominantes, das revelações religiosas, das respostas dadas pela ciência, para submetê-las a um exame. Tudo, portanto, é objeto de sua reflexão. O neófito não tem nenhuma necessidade de construir para si uma montanha de assuntos apropriados a essa disciplina. Eles não existem. Não há especificidade do objeto da filosofia: filosofar é questionar, no sentido banal do termo, aquilo que já está dado como resposta e que, na verdade, não convém. Verifica-se que as respostas pululam, opõem-se e se contradizem. O filósofo procura enxergar com clareza, pôr ordem nessa confusão, fazer da razão o árbitro.” (Marc Sautet)
  3. 3. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 1 V O C A B U L Á R I O D E F I L O S O F I A A posteriori • Diz-se de argumento, prova, raciocínio ou demonstração que passe de fatos a conclusões gerais, como os que vão do condicionado ao condicionante; empírico. A priori • Diz-se de conhecimento admitido provisoriamente, ainda não suficientemente justificado, sendo incerto se o virá a ser. Abstração • Ato de separar mentalmente um ou mais elementos de uma totalidade complexa (coisa, representação, fato), os quais só mentalmente podem subsistir fora dessa totalidade. Acaso • Acontecimento fortuito; fato imprevisto; casualidade. Caráter de acontecimento imprevisível com relação às causas que o determinam (p. ex., a premiação de um bilhete); ou injustificável com respeito à significação assumida (p. ex., um atraso de segundos que provoca um desastre). Casualmente, acidentalmente, fortuitamente; Eventualmente... O acaso existe? (O simples fato de desconhecermos a(s) causa(s) de um determinado fenômeno, não significa necessariamente que estejamos diante de um “acaso”! Acidente • Característica que não faz parte da essência de uma coisa, podendo ou não ser a ela atribuída. O que resulta de contingência ou de “acaso”. Alegoria • Exposição de um pensamento sob forma figurada. Seqüência de metáforas que significam uma coisa nas palavras e outra no sentido. Por exemplo: “Alegoria da Caverna” de Platão. Alma • Em diversos textos filosóficos está no sentido de espírito, razão ou racionalidade. Princípio espiritual do homem concebido como separável do corpo e imortal. Ambigüidade • Sofisma verbal. Que se pode tomar em mais de um sentido; equívoco, indeterminado, impreciso, incerto, com duplo sentido. Amor platônico • Amor contemplativo, alheio a interesses ou gozos materiais; ideal, casto. Analogia • Ponto de semelhança entre coisas diferentes. Animal • Ser vivo organizado, dotado de sensibilidade e movimento (em oposição aos vegetais). Animismo • Doutrina segundo a qual uma só e mesma alma é o princípio da vida e do pensamento; monodinamismo. Modo de pensamento ou sistema de crenças em que se atribui a seres vivos, objetos inanimados e fenômenos naturais um princípio vital pessoal, isto é, uma alma. Antecedente • Aquilo que, no tempo, precede de modo imediato. Em relação de implicação, os termos ou proposições que implicam. Ex.: no silogismo categórico, as premissas; na proposição hipotética, a proposição que é
  4. 4. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 2 condição. Antítese • Oposição por contrariedade, ou por contradição, entre dois termos ou duas proposições. Antropologia • O estudo ou reflexão acerca do ser humano, do que lhe é específico. (filosófica, cultural, biológica, social, física) Apócrifo • Diz-se de obra ou fato sem autenticidade, ou cuja autenticidade não se provou. Areté • Do (grego): Virtude, virtuosimo. Alguém dotado de virtude Argumento • Raciocínio, indício ou prova pelo qual se tira uma conseqüência ou dedução. Aristoi • Do (grego): Os “bons, belos ou melhores” Arquétipo • Imagens psíquicas do inconsciente coletivo, que são patrimônio comum a toda a humanidade; Padrão, exemplar, modelo, protótipo... Ascese • Exercício prático que leva à efetiva realização da virtude, à plenitude da vida moral. Introspecção, reflexão. Atomismo • Doutrina defendida por Demócrito (460 a.C.-370 a.C.) e Epicuro (epicurismo), que sustenta ser a matéria formada de átomos que se agrupam em combinações casuais e por processos mecânicos. Atributo • Qualidade; Aquilo que é próprio de um ser. Caráter essencial de uma substância. Autarcia • Do (grego) “autárkeia” auto-suficiência. Auto-suficiência econômica de uma nação; auto-suficiência; Até hoje, uma empresa pública que gere sus próprios recursos é chamada de “autarquia”. Autonomia • Faculdade de se governar por si mesmo. Oposto de heteronomia. Axioma • Premissa imediatamente evidente que se admite como universalmente verdadeira sem exigência de demonstração. Proposição que se admite como verdadeira porque dela se podem deduzir as proposições de uma teoria ou de um sistema lógico ou matemático. Behaviorismo • Psicologia: estudo objetivo dos estímulos e reações verificadas no físico, com desprezo total dos fatos anímicos; condutismo.(Betcherew, Pavlov, Watson) Método psicológico que exclui a introspecção e não admite senão o estudo da maneira de comportar-se (= reagir) do indivíduo (homem ou animal). Bom senso • Retidão natural, o juízo sobre as coisas práticas. Caos • Do latim “chaos” grego “cháos”: confuso, desordenado... Em Física, ver
  5. 5. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 3 “teoria do Caos”. Capcioso • Manhoso, ardiloso; Insinuante, envolvente; Argucioso para iludir; caviloso Cartesianismo • Doutrina de René Descartes, filósofo, matemático e físico francês (1596- 1650), e de seus seguidores, caracterizada pelo racionalismo, pela consideração do problema do método como garantia da obtenção da verdade, e pelo dualismo metafísico. Influência de Descartes na filosofia. Categorias apriori • Em Kant, conceitos fundamentais do entendimento puro Categórico • Claro, explícito, positivo. Causa • Aquilo pelo qual uma coisa se realiza. Termo correlacionado a efeito e que se concebe de maneiras diversas, que se compreendem a partir de dois enfoques fundamentais: a) relação entre um ser inteligente e o ato que ele praticou voluntariamente e pelo qual é responsável; b) vínculo que correlaciona os próprios fenômenos e que faz com que um ou vários deles apareçam como condição da existência de outros. Causa eficiente • Condição do fenômeno que produz outro fenômeno. Causa final • Condição daquilo em vista de que algo se produz. Causa formal • Condição daquilo pelo que alguma coisa é tal ser determinado. Causa material • Condição daquilo de que uma coisa é feita. Causalidade • Qualidade da relação de causa e efeito. Censura • Ato ou efeito de censurar. Ceticismo • Atitude ou doutrina segundo a qual o homem não pode chegar a qualquer conhecimento indubitável, quer nos domínios das verdades de ordem geral, quer no de algum determinado domínio do conhecimento. Cético • Diz-se do partidário do cepticismo. Que duvida de tudo; descrente. Cientificismo • Atitude segundo a qual a ciência dá a conhecer as coisas como são, resolve todos os reais problemas da humanidade e é suficiente para satisfazer todas as necessidades legítimas da inteligência humana. Cinismo • Doutrina e modo de vida dos seguidores dos filósofos socráticos Antístenes de Atenas (444-356 a.C.) e Diógenes de Sínope (413-323 a.C.), fundadores da Escola Cínica, que pregavam a volta à vida em estrita conformidade com a natureza e, por isso, se opunham radicalmente aos valores, aos usos e às regras sociais vigentes. Impudência, desvergonha, desfaçatez, descaramento.
  6. 6. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 4 Clinamen • Do latim “clinamen” = inclinação. No epicurismo, desvio espontâneo que sofrem os átomos e que lhes propicia o encontro e a aglomeração. Coexistência • Qualidade ou condição de coexistente. Existir simultaneamente. Cogito ergo sum • De René Descartes: “penso, logo existo”. Verdade firme e assegurada, de que não se pode duvidar, princípio primeiro do cartesianismo. Cognição • O conjunto dos processos mentais, no pensamento, na percepção, na classificação, reconhecimento. Aquisição de um conhecimento. Cognitivo • Relativo à cognição, ou ao conhecimento. Coisa • Termo amplamente utilizando em filosofia: aquilo que existe ou pode existir. Conceito • Representação dum objeto pelo pensamento, por meio de suas características gerais. Ação de formular uma idéia por meio de palavras; definição, caracterização. Concepção • O ato de conceber ou criar mentalmente, de formar idéias, especialmente abstrações; entendimento que se tem sobre algo. Conclusão • Proposição que é afirmada ou negada a partir de outras (premissas). Concomitante • Que se manifesta simultaneamente com outro. Confluência • Qualidade do que é confluente. Lugar onde se juntam dois ou mais rios; afluência. Congênito • Inato, Nascido com o indivíduo; conatural, conato. Conotação • Equivale à compreensão ou intenção (ver denotação).Referência do termo às entidades correspondentes. Exemplo: o termo “homem” denota mais do que o termo “árabe” e este conota mais do que o termo “homem”. Propriedade que possui um termo de designar um ou vários atributos com o objeto que ele significa. Sentido translato, ou subjacente, às vezes de teor subjetivo, que uma palavra ou expressão pode apresentar paralelamente à acepção em que é empregada. Relação que se nota entre duas ou mais coisas. Consciência • Autoconsciência. Faculdade de estabelecer julgamentos morais dos atos realizados. Atributo altamente desenvolvido na espécie humana e que se define por uma oposição básica: é o atributo pelo qual o homem toma em relação ao mundo (e, posteriormente, em relação aos chamados estados interiores, subjetivos) aquela distância em que se cria a possibilidade de níveis mais altos de integração. Conseqüente • Em relação a antecedente: o termo que é implicado.
  7. 7. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 5 Contingente • O que não tem em si a razão de sua existência. Diz-se de função lógica que ora se converte numa proposição verdadeira, ora numa proposição falsa, conforme os valores assumidos por suas variáveis. Contraditório • Relação entre as proposições ou premissas universais afirmativas e particulares negativas; entre particulares afirmativas e universais negativas. Em que há, ou que encerra contradição; oposto. Controvérsia • Contestação, polêmica. Coprofagia • Modo de alimentação dos animais que se nutrem de excremento. Estado mórbido que impele o indivíduo a comer excremento. Corporativismo • Ação (sindical, política, etc.) em que prevalece a defesa dos interesses ou privilégios de um setor organizado da sociedade, em detrimento do interesse público. Cosmológico • Qualquer doutrina ou narrativa a respeito da origem, da natureza e dos princípios que ordenam o mundo ou o universo, em todos os seus aspectos Criticismo • Posição metodológica própria do kantismo (q. v.) caracterizada por considerar que a análise crítica da possibilidade, da origem, do valor, das leis e dos limites do conhecimento racional, deve ser o ponto de partida da reflexão filosófica. Darwinismo • Corrente teórica da segunda metade do séc. XIX e primeira metade do séc. XX. Sistema de história natural cuja conclusão extrema é o parentesco fisiológico e a origem comum de todos os seres vivos, com a formação de novas espécies por um processo de seleção natural Dedução • Na lógica clássica, raciocínio que parte de uma ou mais premissas gerais e chega a uma ou mais conclusões particulares. Na lógica formal contemporânea, raciocínio cuja conclusão é necessária em virtude da aplicação correta das regras lógicas. O que resulta de um raciocínio; conseqüência lógica; ilação, inferência; conclusão. Definição • Ato ou efeito de definir. Equivalência estabelecida entre um termo e outros termos conhecidos e pela qual se cria um objeto determinado de pensamento. Degenerado • Que degenerou. Depravado, corrompido. Denotação • Equivale à extensão(ver conotação). Um termo mais denota, quanto menos conota. Exemplo: o termo “homem” denota mais do que o termo “árabe” e este conota mais do que o termo “homem”. Deontologia • O estudo dos princípios, fundamentos e sistemas de moral. Tratado dos deveres. Ética das profissões.
  8. 8. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 6 Deriva • Sem rumo; solto, perdido; arrastado, levado; conduzido por. Destino • Fim último; Sucessão de fatos que podem ou não ocorrer, e que constituem a vida do homem, considerados como resultantes de causas independentes de sua vontade; sorte, fado, fortuna. Determinismo • Relação entre os fenômenos pela qual estes se acham ligados de modo tão rigoroso que, a um dado momento, todo fenômeno está completamente condicionado pelos que o precedem e acompanham, e condiciona com o mesmo rigor os que lhe sucedem. Devir • Do latim “devenire”: Vir a ser; tornar-se; devenir. Dialética • Conforme Hegel, a natureza verdadeira e única da razão e do ser que são identificados um ao outro e se definem segundo o processo racional que procede pela união incessante de contrários -- tese e antítese -- numa categoria superior, a síntese. Segundo Marx, o processo de descrição exata do real. Dicotomia • Divisão lógica de um conceito em dois outros conceitos, em geral contrários, que lhe esgotam a extensão. Ex.: animal = vertebrado e invertebrado. Dilema • Raciocínio cuja premissa é alternativa, de sorte que qualquer dos seus termos conduz à mesma conseqüência. Dogmático • Ponto fundamental e indiscutível duma doutrina religiosa. Dualismo • Coexistência de dois princípios ou posições contrárias, opostas. Por exemplo: bem, mal; certo, errado; perfeito, imperfeito; mente, corpo, céu, inferno; etc. Eclético • Relativo ao, ou que é partidário do ecletismo. Formado de elementos colhidos em diferentes gêneros ou opiniões. P. ext. Posição intelectual ou moral caracterizada pela escolha, entre diversas formas de conduta ou opinião, das que parecem melhores, sem observância duma linha rígida de pensamento. Efeito • Produto necessário ou fortuito de uma causa. Resultado, conseqüência. Resultado de um ato qualquer. Termo correlacionado a causa. Ego • O eu de qualquer indivíduo. Egocêntrico • Diz-se daquele que refere tudo ao próprio eu, tomado como centro de todo o interesse; personalista. Empírico • Baseado apenas na experiência e, pois, sem caráter científico. Derivado de experimento ou de observação da realidade. Diz-se de conhecimento que provém, sob perspectivas diversas, da experiência.
  9. 9. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 7 Empirismo • Doutrina ou atitude que admite, quanto à origem do conhecimento, que este provenha unicamente da experiência, seja negando a existência de princípios puramente racionais, seja negando que tais princípios, existentes embora, possam, independentemente da experiência, levar ao conhecimento da verdade. Ênfase • Sofisma da ênfase. Entonação especial para fazer ressaltar alguma palavra ou expressão. Realce, destaque, relevo. Energia excessiva na gesticulação ou na fala. Ensaio • Obra filosófica ou literária em prosa, analítica ou interpretativa, sobre determinado assunto, porém menos aprofundada e/ou menor que um tratado formal e acabado. Ente • Aquilo que existe; coisa, objeto, matéria, substância, ser. Enunciado • Proposição; exposição. Epicurismo • Doutrina de Epicuro, filósofo materialista grego (341-270 a.C.), e de seus seguidores, entre os quais se distingue Lucrécio, poeta latino (98-55 a.C.), caracterizada, na física, pelo atomismo, e na moral, pela identificação do bem soberano com o prazer, o qual, concretamente, há de ser encontrado na prática da virtude e na cultura do espírito. Epicuro • Epicuro, filósofo materialista grego (341-270 a.C. Epiquirema • Silogismo em que pelo menos uma das premissas é provada. Silogismo dialético. Epistemologia • Teorias do conhecimento. Conjunto de conhecimentos que têm por objeto o conhecimento científico, visando a explicar os seus condicionamentos (sejam eles técnicos, históricos, ou sociais, sejam lógicos, matemáticos, ou lingüísticos), sistematizar as suas relações, esclarecer os seus vínculos, e avaliar os seus resultados e aplicações. Eqüidade • Disposição de reconhecer igualmente o direito de cada um. Sentimento de justiça avesso a um critério de julgamento ou tratamento rigoroso e estritamente legal. Equívoco • Interpretação ambígua. Sofisma verbal que consiste em dar sentidos diferentes a uma palavra dentro de um mesmo raciocínio; equivocação. Que tem mais de um sentido ou se presta a mais de uma interpretação; ambíguo. Que dá margem a suspeita. Eros • Ente mitológico equivalente ao cupido. Princípio de ação, símbolo do desejo, cuja energia é a libido. Erótico • Inspirado ou provocado pelo erotismo. Inspirado pelo amor; que tem o caráter de lirismo amoroso. Sensual, lascivo.
  10. 10. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 8 Escatologia • Tratado sobre os fins últimos do homem. Doutrina sobre a consumação do tempo e da história. Escolástica • Doutrinas teológico-filosóficas dominantes na Idade Média, dos sécs. IX ao XVII, caracterizadas sobretudo pelo problema da relação entre a fé e a razão, problema que se resolve pela dependência do pensamento filosófico, representado pela filosofia greco-romana, da teologia cristã. Desenvolveram-se na escolástica inúmeros sistemas que se definem, do ponto de vista estritamente filosófico, pela posição adotada quanto ao problema dos universais (q. v.), e dos quais se destacam os sistemas de Santo Anselmo, de São Tomás e de Guilherme de Ockham . Esotérico • Diz-se do ensinamento que, em escolas filosóficas da antiguidade grega, era reservado aos discípulos completamente instruídos. Diz-se de ensinamento ligado ao ocultismo. Especificidade • Qualidade do que é específico. Qualidade típica de uma espécie. Especulação • Ato ou efeito de especular. Investigação teórica, de natureza exploratória, sem apoio de evidência sólida: Essência • O que constitui a natureza de um ser, independentemente de este existir de fato ou atualmente. O que constitui o cerne de um ser; natureza. Aquilo que constitui a natureza das coisas; substância. Estético • Relativo à estética, ao sentimento do belo. Que tem características de beleza; belo, harmonioso. Estoicismo • Designação comum às doutrinas dos filósofos gregos Zenão de Cício (340-264) e seus seguidores Cleanto (séc. III a.C.), Crisipo (280-208) e os romanos Epicteto (c.55-c.135) e Marco Aurélio (121-180), caracterizadas sobretudo pela consideração do problema moral, constituindo a ataraxia o ideal do sábio. Etimologia • Origem e evolução histórica de um vocábulo. O estudo das palavras, de sua história, e das possíveis mudanças de seu significado. Eutanásia • Morte serena, sem sofrimento. Prática, sem amparo legal, pela qual se busca abreviar, sem dor ou sofrimento, a vida de um doente reconhecidamente incurável. Evidência • Caráter de objeto de conhecimento que não comporta nenhuma dúvida quanto à sua verdade ou falsidade. Exíguo • De pequenas proporções; diminuto. Escasso, minguado. Existencialismo • Filosofia existencialista de Jean-Paul Sartre. Exotérico • Diz-se de ensinamento que, em escolas da Antiguidade grega, era transmitido ao público sem restrição, dado o interesse generalizado que
  11. 11. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 9 suscitava e a forma acessível em que podia ser exposto, por se tratar de ensinamento dialético, provável, verossímil. Explicito • Expresso formalmente; claro, desenvolvido, explicado Extrínseco • Que é exterior; não pertencente à essência de uma coisa. Faculdade • Capacidade, natural ou adquirida, de fazer alguma coisa. Aptidão inata; disposição, tendência, talento, dom. Fatalidade • Sorte inevitável; destino, fado, fatalismo. Acontecimento funesto; infortúnio, desgraça. Fatalismo • Atitude ou doutrina que admite que o curso dos acontecimentos está previamente fixado, nada podendo alterá-lo. Atitude daqueles que acreditam nessa teoria. Feedback • Termo inglês que designa retroação. Fenômeno • Objeto de experimentação; fato. O que se manifesta à consciência. No kantismo, tudo que é objeto de experiência possível, i. e., que se pode manifestar no tempo e no espaço através da intuição sensível e segundo as leis do entendimento. Fetiche • Objeto animado ou inanimado, feito pelo homem ou produzido pela natureza, ao qual se atribui poder sobrenatural e se presta culto; ídolo, manipanço. Filologia • Estudo da língua em toda a sua amplitude, e dos documentos escritos que servem para documentá-la. Filosofia • Do grego “philosophía”, “amor à sabedoria.” Estudo que se caracteriza pela intenção de ampliar incessantemente a compreensão da realidade, no sentido de apreendê-la na sua totalidade, quer pela busca da realidade capaz de abranger todas as outras, o Ser (ora 'realidade suprema', ora 'causa primeira', ora 'fim último', ora 'absoluto', 'espírito', 'matéria', etc.), quer pela definição do instrumento capaz de apreender a realidade, o pensamento (as respostas às perguntas: que é a razão? o conhecimento? a consciência? a reflexão? que é explicar? provar? que é uma causa? um fundamento? uma lei? um princípio? etc.), tornando-se o homem tema inevitável de consideração. Ao longo da sua história, em razão da preeminência que cada filósofo atribua a qualquer daqueles temas, o pensamento filosófico vem-se cristalizando em sistemas, cada um deles uma nova definição da filosofia. Conjunto de estudos ou de considerações que tendem a reunir uma ordem determinada de conhecimentos (que expressamente limita seu campo de pesquisa, p. ex., à natureza, ou à sociedade, ou à história, ou a relações numéricas, etc.) em um número reduzido de princípios que lhe servem de fundamento e lhe restringem o alcance. Conjunto de doutrinas de uma determinada época ou país, ou sistema constituído de filosofia.
  12. 12. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 10 Formal • Relativo às leis, às regras ou à linguagem próprias de determinado domínio do conhecimento, e que se consideram independentemente do conteúdo, da matéria ou da situação concreta a que se aplicam: Lógica Formal. Formalismo • Tendência a priorizar, em qualquer domínio do conhecimento, as características e relações formais dos objetos. Concepção fundamental da lógica matemática, desenvolvida principalmente a partir dos trabalhos de David Hilbert (1862-1943), matemático alemão, que assegura a coerência dos sistemas pelo uso da linguagem simbólica e do método axiomático. Glamour • Encanto pessoal; magnetismo, charme. Globalização • Processo típico da segunda métade do séc. XX que conduz a crescente integração das economias e das sociedades dos vários países, no que toca à produção de mercadorias e serviços, aos mercados financeiros, e à difusão de informações. Gnose • Conhecimento esotérico e perfeito da divindade, e que se transmite por tradição e mediante ritos de iniciação. Gnóstico • Relativo à gnose, ao conhecimento. Gregário • Que faz parte de grei ou rebanho; que vive em bando, da tribo, do grupo... Habito • Maneira usual de ser. Hedonismo • Doutrina moral do cirenaísmo. Doutrina que considera que o prazer individual e imediato é o único bem possível, princípio e fim da vida moral. Hedonismo • Doutrina que considera que o prazer individual e imediato é o único bem possível, princípio e fim da vida moral; Doutrina moral do cirenaísmo. Hegelianismo • Georg Wilhelm Friedrich Hegel (1770-1831), filósofo alemão, e de seus seguidores, idealismo absoluto que identifica a realidade com a razão ("todo real é racional"), compreendida esta por meio do desenvolvimento histórico da consciência, do que resultou a criação do método dialético. Heterogênico • De diferente natureza. Composto de partes de diferente natureza. Heteronomia • Ausência de autonomia. Condição de pessoa ou de grupo que receba de um elemento que lhe é exterior, ou de um princípio estranho à razão, a lei a que se deve submeter. Hipótese • Proposição que se admite de modo provisório como princípio do qual se pode deduzir um conjunto dado de proposições. Suposição que orienta uma investigação por antecipar características prováveis do objeto
  13. 13. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 11 investigado e que vale, quer pela confirmação dessas características, quer pelo encontro de novos caminhos de investigação; hipótese heurística. Homo sapiens • Homem, detentor de conhecimentos. Humanismo • Doutrina ou atitude que se situa expressamente numa perspectiva antropocêntrica, em domínios e níveis diversos, assumindo, com maior ou menor radicalismo, as conseqüências daí decorrentes. Manifesta-se o humanismo no domínio lógico e no ético. No primeiro, aplica-se às doutrinas que afirmam que a verdade ou a falsidade dum conhecimento se definem em função da sua fecundidade e eficácia relativamente à ação humana; no segundo, aplica-se àquelas doutrinas que afirmam ser o homem o criador dos valores morais, que se definem a partir das exigências concretas, psicológicas, históricas, econômicas e sociais que condicionam a vida humana. Doutrina e movimento dos humanistas da Renascença, que ressuscitaram o culto das línguas e literaturas greco- latinas. Idealismo • Tendência, atitude ou doutrina que, em graus e sentidos diversos, reduz o ser ao pensamento ou a alguma entidade de ordem subjetiva, considerando que o espírito, ou a consciência, ou as idéias, ou a vontade, etc., são o dado primário com base no qual se hão de resolver os problemas filosóficos. Doutrina segundo a qual a finalidade da arte é a representação fictícia de algo que será mais satisfatório para o espírito do que a realidade objetiva. Identidade • Em lógica, “princípio de identidade” = cada coisa é o que é. Relação de duas coisas distintas reduzidas à unidade de algum ponto-de-vista. Parecença de duas coisas que só numericamente se distinguem. Leibnis nega que possam existir, neste sentido, coisas idênticas, porque, diz ele, seriam “indiscerníveis” - “ princípio dos indiscerníveis”. Ignorância • Estado de quem ignora ou desconhece alguma coisa, não tem conhecimento dela. Ignorância vencível ou invencível (segundo seja ou não possível fazê-la desaparecer); ignorância culpável ou excusável, (segundo haja ou não o dever de fazê-la desaparecer). Iluminismo • Filosofia das luzes. Partidário do iluminismo. Imanente • (opõe-se ao transcendente). Diz-se daquilo de que um ser participa, ou a que um ser tende, ainda que por intervenção de outro ser. Que está contido em ou que provém de um ou mais seres, independentemente de ação exterior. Imperativo • Proposição que tem a forma de uma ordem. Implícito • Que está envolvido, mas não de modo claro; tácito, subentendido. Impulso • Agir por impulso: agir sem pensar, sem planejar... Inapto • Não apto; não capacitado ou habilitado; inábil, incapaz.
  14. 14. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 12 Inato • Que pertence à natureza de um ser. Que nasce com o indivíduo; congênito, conato. Influxo • Força extrínseca. Informal • Lógica, que além da “forma” prioriza o “conteúdo” também. Insofismável • Não sofismável. Instância • Ordem ou grau da hierarquia judiciária. Instinto • Fator inato do comportamento dos animais, variável segundo a espécie, e que se caracteriza, em determinadas condições, por atividades elementares e automáticas. Forças de origem biológica inerentes ao homem e aos animais superiores, e que atuam, em geral, de modo inconsciente, mas com finalidade precisa, e independentemente de qualquer aprendizado. Impulso espontâneo e alheio à razão; intuição. Intelecto • A faculdade cognitiva pela qual as impressões recebidas pelos sentidos se tornam inteligíveis, apropriadas ao intelecto passivo; intelecto agente. Faculdade cognitiva pela qual as impressões dos sentidos, já espiritualizadas pelo intelecto ativo , são plenamente conhecidas (tradição aristotélico-tomista); Inteligível • Que se conhece pela inteligência ou pela razão. Inserido em um sistema de significações ou relações lógicas já conhecidas. Que se compreende bem. Intrínseco • Que está inseparavelmente ligado a uma pessoa ou coisa; inerente; peculiar. Que está dentro de uma coisa ou pessoa e lhe é próprio; interior, íntimo. Introspecção • Observação da vida interior pelo próprio sujeito; exame que alguém faz dos próprios pensamentos e sentimentos. Introspectivo • Relativo ou pertencente à introspecção. Em que há introspecção. Intuição • Conhecimento imediato de um objeto na plenitude da sua realidade, seja este objeto de ordem material, ou espiritual. Apreensão direta, imediata e atual de um objeto na sua realidade individual. Ato de ver, perceber, discernir; percepção clara e imediata; discernimento instantâneo; visão. Intuitivo • Que se percebe por intuição; claro, manifesto, evidente, imediato. Dotado de intuição. Ironia • Modo de interrogar pelo qual Sócrates levava o interlocutor ao reconhecimento da sua própria ignorância. Juízo • Estabelecimento de uma relação determinada entre dois ou mais termos (sujeito e predicado), relação que pode assumir o caráter de ser
  15. 15. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 13 verdadeira ou falsa. Kant • Immanuel Kant (1724-1804), filósofo alemão. Sua doutrina caracterizou- se pelo criticismo que exclui da possibilidade do conhecimento racional os objetos da metafísica e da religião, e leva à necessidade de fundamentar a moral em imperativos categóricos gerados pela razão prática. Lapso • Erro cometido por descuido, distração, ou esquecimento; engano involuntário. Liberalismo • O conjunto de idéias e doutrinas que visam a assegurar a liberdade individual no campo da política, da moral, da religião, etc., dentro da sociedade. Político: Doutrina que visa a estabelecer a liberdade política do indivíduo em relação ao Estado e preconiza oportunidades iguais para todos. Econômico: Doutrina que enfatiza a iniciativa individual, a concorrência entre agentes econômicos, e a ausência de interferência governamental, como princípios de organização econômica. Libido • Energia motriz dos instintos de vida, de toda a conduta ativa e criadora da espécie humana. Instinto ou desejo sexual. Livre-arbítrio • “Liberum arbitrum”= livre decisão. Opõe-se ao determinismo. Possibilidade de exercer um poder sem outro motivo que não a existência mesma desse poder; liberdade de indiferença. Logos • O princípio de inteligibilidade; a razão. Segundo Platão, o princípio de ordem, mediador entre o mundo sensível e o inteligível. Segundo Heráclito, o princípio supremo de unificação, portador do ritmo, da justiça e da harmonia que regem o Universo. Maiêutica • Processo dialético e pedagógico socrático, em que se multiplicam as perguntas a fim de obter, por indução dos casos particulares e concretos, um conceito geral do objeto em questão. A Maiêutica era utilizada para ensinar ao passo que a ironia para “demolir” os pretensos sábios... Maniqueísmo • Doutrina do persa Mani ou Manes (séc. III), sobre a qual se criou uma seita religiosa que teve adeptos na Índia, China, África, Itália e S. da Espanha, e segundo a qual o Universo foi criado e é dominado por dois princípios antagônicos e irredutíveis: Deus ou o bem absoluto, e o mal absoluto ou o Diabo. Hoje, emprega-se o termo “maniqueísmo” para referi-se ao dualismo: bem ou mal; céu ou inferno... Marx • Karl Marx (1818-1883) filósofo alemão Marxismo • Doutrina dos teóricos do socialismo, os filósofos alemães Karl Marx (1818-1883) e Friedrich Engels (1820-1895), fundada no materialismo dialético, e que se desenvolveu através das teorias da luta de classes e da elaboração do relacionamento entre o capital e o trabalho, do que resultou a criação da teoria e da tática da revolução proletária.
  16. 16. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 14 Materialismo • Tendência, atitude ou doutrina que admite, ou que a matéria, concebida segundo o desenvolvimento paralelo das ciências, ou que as chamadas condições concretas materiais, são suficientes para explicar todos os fenômenos que se apresentem à investigação, inclusive os fenômenos mentais, sociais ou históricos. O materialismo se afirma sobretudo ante o problema da origem do mundo (que dispensa a criação divina e se explica em termos evolutivos), o problema ético (dele resultando moral hedonística), o problema psicológico (orientando a pesquisa no sentido de estabelecer as relações diretas entre os fenômenos psíquicos e as reações do organismo aos estímulos ambientais), e o problema do conhecimento (em que afirma a adequação da razão ao conhecimento do mundo, adequação que se evidencia pelo incessante progresso do conhecimento científico). Materialismo Histórico: Doutrina do marxismo que afirma que o modo de produção da vida material condiciona o conjunto de todos os processos da vida social, política e espiritual. Materialismo Dialético: Doutrina fundamental do marxismo, cuja idéia central é que o mundo não pode ser considerado como um complexo de coisas acabadas, mas de processos, onde as coisas e os reflexos delas na consciência, os conceitos, estão em incessante movimento, gerado pelas mudanças qualitativas que decorrem necessariamente do aumento de complicação quantitativa. Materialismo Mecanicista: Doutrina que explica os fenômenos da natureza reduzindo- os a processos mecânicos, a processos que se explicam pelas leis do movimento dos corpos no espaço e por mudanças puramente quantitativas. Mecanicista • Relativo ao mecanicismo. Mecanicismo: Doutrina que admite que determinado conjunto de fenômenos, ou mesmo toda a natureza, se reduz a um sistema de determinações mecânicas. Megalomania • Mania de grandeza; superestima patológica de si mesmo, das próprias qualidades; macromania Mérito • Propriedade do ato humano em virtude do qual o homem tem direito, quer a uma recompensa, quer a um castigo. No âmbito do direito: questão ou questões fundamentais, de fato ou de direito, que constituem o principal objeto da lide. Metafísica • Parte da filosofia, que com ela muitas vezes se confunde, e que, em perspectivas e com finalidades diversas, apresenta as seguintes características gerais, ou algumas delas: é um corpo de conhecimentos racionais (e não de conhecimentos revelados ou empíricos) em que se procura determinar as regras fundamentais do pensamento (aquelas de que devem decorrer o conjunto de princípios de qualquer outra ciência, e a certeza e evidência que neles reconhecemos), e que nos dá a chave do conhecimento do real, tal como este verdadeiramente é (em oposição à aparência). Segundo Aristóteles, estudo do ser enquanto ser e especulação em torno dos primeiros princípios e das causas primeiras do ser. Metáfora
  17. 17. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 15 • Figura de retórica que consiste em transportar uma palavra, de seu significado natural e próprio, para outro sentido que só por analogia lhe convém. Tropo que consiste na transferência de uma palavra para um âmbito semântico que não é o do objeto que ela designa, e que se fundamenta numa relação de semelhança subentendida entre o sentido próprio e o figurado; translação. Metempsicose • Doutrina segundo a qual uma mesma alma pode animar sucessivamente corpos diversos, homens, animais ou vegetais; transmigração. Mito • Narrativa na qual aparecem seres e acontecimentos imaginários, que simbolizam forças da natureza, aspectos da vida humana, etc. Representação de fatos ou personagens reais, exagerada pela imaginação popular, pela tradição, etc. Monismo • Doutrina filosófica segundo a qual o conjunto das coisas pode ser reduzido à unidade, quer do ponto de vista da sua substância (e o monismo poderá ser um materialismo ou um espiritualismo), quer do ponto de vista das leis (lógicas ou físicas) pelas quais o Universo se ordena (e o monismo será lógico ou físico). Monoteísmo • Crença em um só Deus. Moral • Conjunto de regras de conduta consideradas como válidas, quer de modo absoluto para qualquer tempo ou lugar, quer para grupo ou pessoa determinada. Mórbido • Fúnebre, enfermo, doente. Mortal • Sujeito à morte. Que possui um ciclo biológico de vida. Narcisismo • O estado em que a libido é dirigida ao próprio ego; amor excessivo a si mesmo. Necessário • Opõe-se ao contingente. Diz-se de proposição que sendo verdadeira não poderia ser falsa, e sendo falsa não poderia ser verdadeira. Diz-se daquilo que, dados determinados antecedentes, não pode ser, ou só pode ser, tal como é. Neoplatônico • Neo = “novo”, “moderno”. Relativo ao, ou que é adepto do neoplatonismo. Nirvana • No budismo, estado de ausência total de sofrimento; paz e plenitude a que se chega por uma evasão de si que é a realização da sabedoria. Non sequitur • Não se segue que Objeção • Ato ou efeito de objetar; réplica; contestação Objeto • Na relação de conhecimento, o correlato do sujeito, isto é, o que é conhecido, em oposição ao que conhece. Tudo que é perceptível por
  18. 18. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 16 qualquer dos sentidos. Obscuro • Sombrio, tenebroso; obscurecido; Difícil de entender; confuso; enigmático. Ostracismo • Em Atenas e outras cidades da Grécia antiga, desterro temporário determinado em plebiscito contra um cidadão. Exclusão, proscrição, banimento; exílio. Pampsiquismo • Doutrina segundo a qual toda matéria é viva e/ou possui uma natureza psíquica análoga à do espírito humano. Panspermia • Do grego “panspermía” = “mistura de sementes de todas as espécies.” Sistema daqueles segundo os quais os germes dos seres organizados se acham espalhados por toda parte, aguardando apenas circunstâncias favoráveis para se desenvolverem. Panteísmo • Doutrina segundo a qual só Deus é real e o mundo é um conjunto de manifestações ou emanações. Doutrina segundo a qual só o mundo é real, sendo Deus a soma de tudo quanto existe. Paradigma • Termo com o qual Thomas Kuhn designou as realizações científicas (p. ex., a dinâmica de Newton ou a química de Lavoisier) que geram modelos que, por período mais ou menos longo e de modo mais ou menos explícito, orientam o desenvolvimento posterior das pesquisas exclusivamente na busca da solução para os problemas por elas suscitados. Parâmetro • Qualquer dado que, ao mudar de valor, modifica a solução de um problema ou a representação de um objeto, sem mudar a natureza dos mesmos. Patrística • Ciência que tem por objeto a doutrina dos Santos Padres e a história literária dessa doutrina. Nem todos os autores estudados, pertinentes a patrística foram necessariamente padres. Petição • Petição de princípio: Paralogismo que consiste em apoiar-se uma demonstração sobre a tese que se pretende demonstrar. Politeísmo • Religião em que há pluralidade de deuses. Por acaso • Caráter de acontecimento imprevisível com relação às causas que o determinam (p. ex., a premiação de um bilhete), ou injustificável com respeito à significação assumida (p. ex., um atraso de segundos que provoca um desastre). Na concepção aristotélica-tomista o acaso não existe: o simples fato de ser possível de ocorrer, exclui o caso Por acidente • Em razão das circunstâncias. Sofisma do acidente: consiste em tomar pó essencial ou habitual, o que não passa de um acidente.(Ex. “Este remédio me produziu fadiga; portanto, todos os remédios são nocivos”); Conversão por acidente: na qual invertem uma mudança de quantidade
  19. 19. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 17 – caso da universal afirmativa que se converte em particular afirmativa (Ex. Todo homem é mortal. Algum homem é mortal). Por compreensão • Conotação. Conjunto das características gerais que formam um conceito e que são os atributos dos objetos designados por um termo. Por extensão • Denotação. Conjunto dos objetos designados por um termo, e dos quais o conceito é atributo comum; / generalização. Positivismo • Doutrina de Auguste Comte, caracterizada, sobretudo, pela orientação antimetafísica e antiteológica que pretendia imprimir à filosofia, e por preconizar como válida unicamente a admissão de conhecimentos baseados em fatos e dados da experiência; comtismo Postulado • Proposição não evidente nem demonstrável, que se admite como princípio de um sistema dedutível, de uma operação lógica ou de um sistema de normas práticas. Pragmático • Relativo ao pragmatismo; pragmatista. Suscetível de aplicações práticas; voltado para a ação. Pragmatismo: As doutrinas de C. S. Peirce, W. James, J. Dewey e do literato alemão Friedrich J. C. Schiller (1759- 1805), cuja tese fundamental é que a verdade de uma doutrina consiste no fato de que ela seja útil e propicie alguma espécie de êxito ou satisfação. Práxis • No marxismo, o conjunto das atividades humanas tendentes a criar as condições indispensáveis à existência da sociedade e, particularmente, à atividade material, à produção; prática. Preceito • Regra de proceder; norma. Ensinamento, doutrina. Ordem, determinação, prescrição. Premissa • Cada uma das proposições de um silogismo que serve de base à conclusão. Premissa maior: A que encerra o termo maior, (o predicado da conclusão). Premissa menor: A que encerra o termo menor, (o sujeito da conclusão). Premonição • Sensação ou advertência antecipada do que vai acontecer; pressentimento. Prerrogativa • Faculdade ou vantagem de que desfrutam os seres de um determinado grupo ou espécie; apanágio, privilégio. Primazia • Prioridade. Excelência, superioridade. Procedente • Que procede; proveniente, oriundo. Por ex. “Seu argumento procede” (é pertinente, faz sentido...) Prólogo • (Teatral) A primeira parte, dialogada, da tragédia, no antigo teatro grego. Cena introdutória, onde, em geral, se fornecem dados prévios elucidativos do enredo da peça.
  20. 20. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 18 Proposição • Expressão verbal ou simbólica suscetível de ser dita verdadeira ou falsa; sentença. Proposição categórica: Proposição que afirma ou nega que uma classe esteja incluída em outra, no todo ou em parte. Providencial • Que vem a propósito; muito oportuno; feliz Pseudo • Falso Psique • A alma, o espírito, a mente. Raciocínio • Processo discursivo pelo qual se passa de proposições conhecidas ou assumidas (as premissas) a outra proposição (a conclusão) à qual são atribuídos graus diversos de assentimento; argumento. Racionalismo • Doutrina que considera ser o real plenamente cognoscível pela razão ou pela inteligência, em detrimento da intuição, da vontade, da sensibilidade, etc.; intelectualismo. Doutrina que admite, quanto à origem do conhecimento, que este, em última instância, é determinado por princípios racionais, inatos ou a priori, ainda que se possa condicionar a validade do uso desses princípios à disponibilidade de dados empíricos. Realidade • Caráter do que é real. Aquilo que existe efetivamente (seja de que modo for). Reflexão • Ato pelo qual a atenção é afastada do mundo exterior e concentrada nos fatos de consciência (imagem, idéia, juízo) enquanto objeto. Refutabilidade • Filosofia das Ciências: doutrina do falseamento de Karl Popper (1902- 1994) O falsificacionista admite francamente que a observação é guiada pela teoria e a pressupõe. Uma vez propostas, as teorias especulativas terão que ser comprovadas rigorosa e implacavelmente pela observação e a experimentação. As teorias que não superam as provas observáveis e experimentais devem ser eliminadas e substituídas por outras conjecturas especulativas. A ciência progride graças ao ensaio e ao erro, às conjecturas e refutações. Refutação • Ato ou efeito de refutar. Trecho do discurso no qual se refutam ou rebatem os argumentos do adversário. Relativismo • Atitude ou doutrina que afirma que as verdades (morais, religiosas, políticas, científicas, etc.) variam conforme a época, o lugar, o grupo social e os indivíduos. Relevância • Qualidade de relevante. Grande valor, conveniência ou interesse; importância, relevo. Restrição • Ato ou efeito de restringir. Reticente • Reservado, incompleto
  21. 21. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 19 Retórica • Quando dizem isso é apenas retórica: Discurso de forma primorosa, porém às vezes vazio de conteúdo. Estudo do uso persuasivo da linguagem, em especial para o treinamento de oradores. Retroativo • Relativo ao passado. Que retroage. Retrógrado • Aquele que contribui para retroceder uma sociedade ou instituição a um estado que se julga inferior. Romantismo • Movimento de reação ao iluminismo, cujos representantes principais foram Johann Gottlieb Fichte (1762-1814), Friedrich Wilhelm Joseph von Schelling (1775-1854), Friedrich von Schlegel (1772-1829) e Hegel, filósofos idealistas alemães, e o teólogo alemão Friedrich Ernst Daniel Schleiermacher (1768-1834), que, na busca da unidade com o Absoluto, preconizava a volta aos temas medievais, a inspiração nas religiões orientais, a exaltação dos instintos, dos sentimentos, da imaginação e da fantasia, e a valorização dos transportes místicos. Semântica • O estudo da relação de significação nos signos e da representação do sentido dos enunciados. Estudo das mudanças ou translações sofridas, no tempo e no espaço, pela significação das palavras; semasiologia, sematologia, semiótica. Sêneca • Annaeus Sêneca, o Velho – 55 a.C. – 39 d.C. (Declamações) Lucius Annaeus Seneca (4 a.C. - 65 d.C) Filósofo do estoicismo eclético. Retórico, advogado, membro do Senado Romano. Perseguido por Calígula, tornou-se conselheiro de Nero em 62 d.C. e em 65 d.C., condenado ao suicídio pelo próprio Nero. Sensível • Dotado de sentido. O que o sentido percebe em razão de si mesmo (Por exemplo: a cor para a vista, o odor para o olfato, etc.) Que pode ser conhecido pelos sentidos. Ser • É um dos vocábulos mais difíceis de esclarecimento, não só por causa das suas diversas significações mas também por causa das muitas interpretações que se têm dado a cada uma das significações. Às vezes entende-se o ser como a essência, outras vezes como a existência; outras como o ente; outras ainda como a substância. O ser é amplamente estudado em Filosofia. Existem tratados sobre o ser. Silogismo • Dedução formal tal que, postas duas proposições, chamadas premissas, delas, por inferência, se tira uma terceira, chamada conclusão. Silogismo apodíctico: Aquele cujas premissas são verdadeiras; silogismo demonstrativo; Silogismo categórico: Silogismo composto de três juízos categóricos. Silogismo dialético: Segundo Aristóteles, aquele cujas premissas são prováveis (epiquerema). Silogismo disjuntivo: O que tem como premissa maior uma proposição disjuntiva. Silogismo hipotético: Silogismo que tem ao menos uma premissa hipotética. Silogismo modal: O que tem por premissa pelo menos uma proposição modal.
  22. 22. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 20 Simbolismo • Escola literária do fim do séc. XIX, que se originou na França, surgida como reação contra o parnasianismo, e que, caracterizando-se por uma visão subjetiva, simbólica e espiritual do mundo, adotou novas formas de expressão, traduzindo as impressões por meio de uma linguagem em que dominava a preocupação estética. Escola de tendências análogas, nas artes plásticas e na música. Simultâneo • Que ocorre ou é feito ao mesmo tempo ou quase ao mesmo tempo que outra coisa; concomitante; tautócrono Sinapse • Conexão entre dois neurônios vizinhos, da qual há mais de um tipo, segundo as formações que fazem o contato entre essas células para que se propague o impulso nervoso de uma para outra. Sincronismo • Relação entre fatos, movimentos ou eventos sincrônicos. Carl Jung (1875- 1961), Sincronicidade e o Inconsciente Colectivo: Afirmou haver uma sincronicidade entre a mente e o mundo fenomenológico da percepção. Sincronicidade é um principio explicatório; explica "coincidencias significativas" . Singular • Que não é vulgar; especial, raro, extraordinário. Que se aplica a um só sujeito. Sintaxe • Parte da gramática que estuda a disposição das palavras na frase e a das frases no discurso, bem como a relação lógica das frases entre si; construção gramatical. Comando que os programadores desenvolvem para que um programa execute uma determinada função. Estrutura formal da lógica. Síntese • Fusão de uma tese e de uma antítese numa noção ou numa proposição nova que retém o que elas têm de legítimo e as combina mediante a introdução de um ponto de vista superior. Determinação de proposições que são conseqüência de proposições consideradas como certas. Sofisma • Argumento aparentemente válido, mas, na realidade, não conclusivo, e que supõe má-fé por parte de quem o apresenta; falácia, silogismo erístico. Argumento que parte de premissas verdadeiras, ou tidas como verdadeiras, e chega a uma conclusão inadmissível, que não pode enganar ninguém, mas que se apresenta como resultante das regras formais do raciocínio; falácia. Sofista • Cada um dos personagens contemporâneos de Sócrates que chamavam a si a profissão de ensinar a sabedoria e a habilidade, e entre os quais se destacam Protágoras (480-410 a.C.), que afirmava ser o homem a medida de todas as coisas, e Górgias (485-380 a.C.), que atribuía grande importância à linguagem. Os sofistas desenvolveram especialmente a retórica, a eloqüência e a gramática. Solipsismo • Extrema conseqüência do idealismo que consiste em afirma que o eu individual (com o sistema de suas representações) constitui por si só
  23. 23. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 21 todo o real. Doutrina segundo a qual a única realidade no mundo é o eu. Subjetivismo • Tendência a atribuir caráter subjetivo à realidade, à verdade e aos valores. Tendência a reduzir toda existência à existência do pensamento em geral. Subjetivo • Diz-se do que é válido para um só sujeito e que só a ele pertence, pois integra o domínio das atividades psíquicas, sentimentais, emocionais, volitivas, etc. deste sujeito Subsídio • Referencial teórico, embasamento... Substância • Na tradição aristotélico-tomista, o que há de permanente nas coisas que mudam, e que é o suporte sempre idêntico das sucessivas qualidades resultantes das transformações; hipóstase. O que existe por si mesmo, sem supor outro ser de que seja atributo. Substrato • O que serve de suporte a outra existência, considerada esta outra como modo ou acidente. Subverter • Desordenar, corromper. Sucessão • Relação de termos temporais que se seguem de um modo contínuo... Sui generis • Que não apresenta analogia com nenhuma outra (pessoa ou coisa); peculiar. Sujeição • Ato ou efeito de sujeitar(-se). Dependência; submissão, obediência: Servidão, escravidão. Sujeito • O indivíduo real, que é portador de determinações e que é capaz de propor objetivos e praticar ações. Na relação de conhecimento, o correlato objeto, isto é, o que conhece, em oposição ao que é conhecido: o pensamento, a percepção, a intuição, etc. Na proposição, termo de que se nega ou se afirma alguma coisa. Superego • Instância da personalidade formadora de ideais, e que age inconscientemente sobre o ego contra as pulsões suscetíveis de provocar sentimento de culpa. Supérfluo • Que é demais; inútil por excesso; desnecessário Suposição • Ato ou efeito de supor. Hipótese, conjetura. Tangível • Que pode ser tangido, tocado ou apalpado; palpável, sensível. Teísmo • Doutrina que admite a existência de um deus pessoal, causa do mundo. (põe-se ao ateísmo) Termo maior • Premissa maior (o predicado da conclusão).
  24. 24. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 22 Termo menor • Premissa menor (o sujeito da conclusão). Tese • O primeiro momento do processo dialético: tese, antítese e síntese. Na argumentação, afirmação de um ponto de doutrina que nos comprometemos a provar ou a defender contra as objeções. Tomismo • Doutrina escolástica de S. Tomás de Aquino (1225-1274), teólogo italiano, adotada oficialmente pela Igreja Católica, e que se caracteriza sobretudo pela conciliação do aristotelismo com o cristianismo. Tópico • Parte da sentença sobre a qual se veicula informação; tema. Num parágrafo, a sentença que contém a idéia principal. Totem • Em diversos povos e sociedades, animal, vegetal ou qualquer entidade ou objeto em relação ao qual um grupo ou subgrupo social (p. ex., uma tribo ou um clã) se coloca numa relação simbólica especial, que envolve crenças e práticas específicas, variáveis conforme a sociedade ou cultura considerada. Transcendência • Qualidade ou estado de transcendente. O conjunto de atributos do Criador que lhe ressaltam a superioridade em relação à criatura. Transobjetivo • Caráter do que está além do objeto pensado como tal. Upanixades • Texto filosófico composto entre os séc. VIII e IV a. C., anexado ao Veda (livros sagrados), e no qual se desenvolve a reflexão acerca do relacionamento entre Átmã e Brama; vedanta. Utopia • País imaginário, criação de Thomas Morus (1480-1535), escritor inglês, onde um governo, organizado da melhor maneira, proporciona ótimas condições de vida a um povo equilibrado e feliz. Projeto irrealizável; quimera; fantasia. Utópico • Relativo a utopia. Que encerra utopia; irrealizável, quimérico. Valor • Caráter do que, de modo relativo (ou para um só ou para alguns) ou de modo absoluto (para todos), é tido ou deve ser tido como objeto de estima ou de desejo. Virtude • Disposição firme e constante para a prática do bem. (Opõe-se a vício); Boa qualidade moral; força moral; valor. Ato virtuoso. Castidade, pureza. Modo austero de vida. Vontade • Capacidade de escolha, de decisão; Faculdade de representar mentalmente um ato que pode ou não ser praticado em obediência a um impulso ou a motivos ditados pela razão.
  25. 25. VOCABULÁRIO DE FILOSOFIA - Prof. Francisco Bornholdt 23 Bibliografia: JOLIVET, Regis. Vocabulário de Filosofia.Rio de Janeiro, Ed. Agir. 1975; MORA, José Ferrater. Dicionário de Filosofia. Lisboa, Publicações Dom Quixote, 1978. MARIA, Julian. História da Filosofia. Porto, Ed. Sousa e Almeida, (?) JOLIVET, Regis. “Tratado de Filosofia, Rio de Janeiro, Ed. Agir 1972. (vol I, II e III). Dicionário Aurélio Eletrônico Século XXI de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira.

×