As revoluções

2.166 visualizações

Publicada em

A rainha Elizabeth morre e não deixa herdeiros. Os tempos são outros...Novas teorias científicas são defendidas e o poder absolutista dos monarcas passa a ser questionado. As posições se radicalizam e como consequência cabeças rolam. É a Revolução.

  • Seja o primeiro a comentar

As revoluções

  1. 1. As RevoluçõesBurguesasJanaina/2007
  2. 2. REVOLUÇÃO• CONCEITO: mudança radical, profunda ou completa de uma estrutura política, econômica e social que se processa em um contexto histórico (dic. Larousse Cultural)• REFORMA: mudança aparente, superficial
  3. 3. REVOLUÇÃO INGLESA(1640/1689)ANTECEDENTESa) a dinastia Tudor: Henrique VII, Henrique VIII e Elizabeth - estreita relação entre a alta burguesia, a nobreza e a monarquia. Controle do Parlamento pelos Tudor - Absolutismo consentido.b) a nova burguesia: detentora dos monopólios comerciaisc) os cercamentos: parcelas de terra de ondese expulsavam os camponeses, substituindo aatividade agrícola pela rendosa criação de carneiros
  4. 4. A s religiões• Anglicanos: constituíam o grupo predominante no poder. O rei era o chefe da Igreja Anglicana composta pela elite da nobreza e dos setores mais ligados ao monarca• Católicos: eram em grandeparte provenientes da nobreza feudal.
  5. 5. C o nt.• Calvinistas presbiterianos puritanosPresbiterianos: liderados pela alta burguesia, oposição moderada, defendiam monarquia parlamentar.Puritanos: nova e pequena burguesia, mais radicais, defendiam a república.
  6. 6. OS STUARTA) Jaime I (1603-1625): união da Escócia, Irlanda e Inglaterra formando o Reino Unido da Grã- Bretanha.• Violenta perseguição aos católicos e Calvinistas;• Austera política fiscal e tributária• Oposição: Parlamento X Realeza
  7. 7. Cont.B) Carlos I (1625-1642): em 1628 o Parlamento exigiu que do rei o juramento da Petição de Direitos (Bill of Rights)• dissolução do Parlamento pelo rei• tentativa de anglicanizar a Igreja Presbiteriana escocesa• Curto Parlamento - Short Parliament• Longo Parlamento - Long Parliament
  8. 8. G ue rra C iv il ( 16 4 2 - 16 4 8) Cavaleiros Cabeças redondasrei + católicos presbiterianos + +anglicanos puritanos Carlos I Oliver Cromwell
  9. 9. Oliver Cromwell• Principal líder e comandante do exercito puritano.• A frente do Parlamento vence o Rei Carlos I
  10. 10. República Puritana• Em 1649, após sete anos de lutas, os “cabeças redondas” derrotaram os “cavaleiros”, julgaram e executaram o monarca Carlos I, suprimiram a monarquia e proclamaram a República na Inglaterra, chamada de Commonwealth.• Estabelece uma república burguesa liderada por Cromwell.
  11. 11. • Cont. Perseguição às outras religiõese elementos radicais como os niveladores, os escavadores e• Questão da Irlanda -1649;• Atos de Navegação - 1650: decreto que estabelecia que somente embarcações inglesas poderiam realizar o comércio de mercadorias procedentes da Inglaterra ou a ela destinadas.• Dissolução do Parlamento - 1653: início da Ditadura pessoal e vitalícia de Cromwell- Lorde Protetor da Inglaterra• Oposição a Cromwell:: ranters e seekers.
  12. 12. RESTAURAÇÃO STUART• Em 1658, depois de uma década no poder, morria Cromwell.• Dois anos depois a monarquia era restaurada na Inglaterra• Parlamento inglês reconvocado em 1660 e restabelece a monarquia coroando Carlos II, filho de Carlos I, que reinou até 1685
  13. 13. Cont.• Carlos II: Ato de Exclusão - católicos excluídos dos postos de governo e dos cargos públicos;• Parlamento: lei do Habeas-Corpus, medida jurídica que garantiu ao indivíduo proteção legal contra detenções arbitrárias e liberdade pessoal perante os detentores do poder público;• impasse entre Parlamento X Monarquia - 1683 dissolução do Parlamento
  14. 14. Jaime II• Católico convicto e declarado.• Voltar ao catolicismo significa retorno ao absolutismo e perda dos privilégios da nobreza anglicana.
  15. 15. Revolução Gloriosa• Guilherme de Orange - príncipe protestante casado com Maria Stuart, filha mais velha de Jaime II.• 1688 - Guilherme desembarcou na Inglaterra e não encontrou resistência apoiado pelo Parlamento
  16. 16. Cont. • 1689 - substituição do absolutismo pela monarquia constitucional em que a realeza ficava submetida ao Parlamento. • Declaração de Direitos - só o Parlamento tem direito de aprovar ou rejeitar impostos, garantia a liberdade individual e a propriedade privada. A divisão dos três poderes (Legislativo, Executivo e Judiciário) • “o rei reina, o Parlamento governo”
  17. 17. Conseqüências• Participação da burguesia nas decisões políticas;• substituição do mercantilismo pelo liberalismo econômico;• geração das condições econômicas, políticas, sociais e culturais que favoreceram o desencadeamento da Revolução Industrial na segunda metade do século XVIII.
  18. 18. Revolução:Aplicação do conceito • Veremos o que se processa com uma lagarta. • Inicialmente sua aparência é roliça, rasteja, é cheia de patas, se alimenta de folhas de árvores e com seus pêlos, quando tocada, se defende liberando uma substância que queima a pele.
  19. 19. Após algum tempo nocasulo ela experimentauma transformaçãoradical (revolução) noqual as antigasestruturas sãotransformadascompletamente dandoorigem a um novo ser.
  20. 20. R a c io c in a n d o b ib l ic a me n t e ...• ROMANOS 12:2 –“ Não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação das vossas mentes para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”• Deus é revolucionário e nos convida a sermos transformados (mente, coração) pelo seu Espírito Santo, deixando para traz as coisas velhas e avançando para aquelas que estão diante de nós.
  21. 21. • Impossível termos um encontro com Deus e não sermos impactados pelo seu poder e amor.• O exemplo de Saulo - Atos 9:1-19 e 13:9• Após um encontro marcante com o Senhor Jesus ele foi transformado de perseguidor em apóstolo. Foi uma mudança profunda e radical.
  22. 22. Jesus Cristo veio promover uma revolução• O nascimento, vida e morte de Jesus sem dúvida foi o maior acontecimento da história do mundo pois até o tempo é contado a partir de seu nascimento. • Seus ensinos denotam um discurso ultra revolucionário, marcado pelo amor e não pelos legalismos e religiosidades.

×