Revolução Francesa

471 visualizações

Publicada em

Revolução Francesa -

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Revolução Francesa

  1. 1. A composição de Delacroix A Liberdade Guiando o Povo é uma das mais conhecidas obras do pintor, e a mais conhecida imagem da Revolução de Julho, em Paris, que pôs fim à monarquia dos Bourbon, em que lutaram homens, mulheres, jovens e crianças. Presume-se que a barricada imortalizada pelo pintor seja retratada na praça de San Antonio, a atual praça da Bastilha. No quadro de estrutura piramidal, com a bandeira tricolor no alto da pirâmide, existe uma mistura de realidade e fantasia. O objetivo do pintor é repassar a capacidade que o povo francês tem de superar suas tragédias. A cena mostra a derrubada das barricadas pelos rebeldes republicanos, atrás das quais lutaram homens de diferentes estratos sociais. O grupo avança em direção ao observador. Eugène Delacroix. A Liberdade guiando o povo, 1830. Museu do Louvre, Paris, França.
  2. 2. No primeiro plano, encontram-se à direita, os corpos de dois soldados mortos e, à esquerda, o corpo seminu do revolucionário tombado, trazendo uma única meia nos pés. Como acontece até nos dias de hoje, o levante não levou apenas os trabalhadores e burgueses descontentes às ruas, mas também mendigos organizados e criminosos do submundo de Paris. Alguns estudiosos do quadro justificam, que a presença do homem nu na composição, indica que ele teve suas vestes roubadas. Mais acima, à esquerda, empunhando armas, encontram-se um operário com a camisa aberta, segurando um sabre e trazendo uma arma no cinto; um burguês com chapéu de copa, casaco e gravata borboleta, segurando um rifle de caça, e um rapazote, abaixo dos dois, de arma em punho, que parece observar o morto à sua frente. Ao fundo, um chapéu de dois bicos indica a presença de um aluno politécnico. Alguns acham que o burguês tem como modelo o próprio pintor. A mulher, com os seios nus, carregando as três cores francesas e uma baioneta, simboliza a Liberdade e a França. Em tamanho bem superior ao dos demais personagens, ela se posiciona como o bem maior do povo francês. A bandeira erguida pelo braço direito simboliza a pátria francesa e o rifle a necessidade de lutar para preservar a liberdade da pátria. A cabeça voltada para trás convoca o povo a segui-la.
  3. 3. Sua postura, assim como suas vestes, denota movimento. Seu passo é largo e decidido. O que significa que os rebeldes não possuíam líder, mas tinham apenas a Liberdade para guiá-los. Ela está personificada na composição como uma deusa da Antiguidade. À frente da Liberdade, um jovem mal vestido, que mais parece um menino, carrega duas pistolas. Ele representa a juventude francesa. O trabalhador ajoelhado aos pés da Liberdade traz nas roupas as mesmas cores da bandeira. Ao fundo, à esquerda, é possível ver uma bandeira, já aos farrapos, tremulando. E ao fundo, à direita, também em segundo plano, ainda é possível ver uma parte da catedral de Nostradamus, com a bandeira francesa em meio à fumaça pardacenta, que vai se espalhando, e o clarão dos tiros. As cores predominantes na composição são o branco, o vermelho e o azul, cores da bandeira do país. O vermelho da bandeira está pintado sobre uma parte do céu azul, o que torna o tom ainda mais vibrante. Delacroix demonstra sua destreza no domínio do claro-escuro na obra. A Liberdade Guiando o Povo incluía-se entre os mais de 40 quadros expostos no Salão parisiense, que tinham por tema “os dias de glória”, ou seja, a vitória dos rebeldes. Esta composição foi muito aclamada pela crítica e pelo público, levando De a ganhar a Cruz da Legião de Honra.
  4. 4. Curiosidades: Os artistas românticos estavam exigindo liberdade na arte, na vida cotidiana e na política. No entanto, muito poucos foram para as barricadas em 28 de julho de 1830. Eles ficaram em casa sob os mais diversos pretextos. Jornalistas liberais também escreveram proclamações incendiárias contra arbitrariedade do Estado, na segurança de seus escritórios, mas eles não eram homens de ação. No entanto, os jovens românticos ouviram os artistas e os jornalistas, e estavam entusiasmados e dispostos a lutar e a morrer. Dos 1.800 rebeldes mortos, a maioria era jovens. O escritor romântico Victor Hugo ergueu-lhes um monumento em seu romance Os Miseráveis, 1862. Talvez o escritor tenha se inspirado no quadro de Delacroix, uma tela de força arrebatadora e de claro compromisso político, que se tornou uma obra fundamental do romantismo francês. (Taschen)
  5. 5. PRÉ-REQUISITOS  Transição do Feudalismo ao Capitalismo;  Caracterização do Antigo Regime.
  6. 6. FEUDALISMO X CAPITALISMO
  7. 7. CARACTERÍSTICAS DO ANTIGO REGIME
  8. 8. FRANÇA PRÉ-REVOLUCIONÁRIA Caricatura francesa do século XVIII. Observe a crítica ao Antigo Regime, sustentado na exploração dos camponeses.
  9. 9. A FRANÇA ÀS VÉSPERAS DA REVOLUÇÃO A França às vésperas da revolução
  10. 10. Considerada o marco inicial da e um dos acontecimentos mais influentes da história. Pôs fim ao Antigo Regime, colocou o Estado nas mãos da burguesia e promoveu as transformações necessárias para o pleno desenvolvimento capitalista. A REVOLUÇÃO FRANCESA (1789-1799)
  11. 11. Litografiacolorida,França,c.1900,pertencenteàsérieHistóriadaFrançaentre1789 e1799.
  12. 12. OS ESTADOS GERAIS E A TOMADA DA BASTILHA
  13. 13. Fases do processo revolucionário Abril de 1789: Convocação dos Estados Gerais. Impasse quanto à forma de votação: -voto por Estado; - voto Por cabeça. Não aceitando o voto por Estado, o Terceiro Estado retira-se da reunião e decide se reunir separadamente. Apoiados por deputados dissidentes da nobreza e do clero, o Terceiro Estado declarara estar reunido em Assembleia Nacional.
  14. 14. “LIBERDADE, E FRATERNIDADE.”
  15. 15.  Instituído em 1793  Tinha como data inicial o dia 22 de novembro de 1792 (instauração da República Francesa)  Substituir o calendário gregoriano e tornar-se universal.  12 meses de trinta dias  eliminados os domingos e os feriados  Cada mês tinha três semanas  cada semana dez dias (décadas).  Cada hora do Calendário Revolucionário equivale a 2h 24 min convencionais.  Os dias de cada década receberam os nomes de primidi, duodi, tridi, quartidi, quintidi, sextidi, septidi, octidi, nonidi, décadi. Calendário Republicano A divisão do dia em base decimal jamais foi usada na prática, tendo sido abolida oficialmente em 1795. COMO ERA O CALENDÁRIO CRIADO PELA REVOLUÇÃO FRANCESA?
  16. 16. http://colegiosacramentinas.com.br/300anos/?p=5804 REFERENCIAIS http://virusdaarte.net/delacroix-a-liberdade-guiando-o-povo/ www.submit.10envolve.com.br/.../3737c0e0651905d98065896e65a4f3. http://sagradomarilia.com.br/arqdownloads/vera-08ano-eranapoleonica.pdf http://blog.educacaoadventista.org.br/tuuudoehistoria/index.php?op=post&idpost=77&titul o=Como+era+o+calendario+criado+pela+Revolucao+Francesa?

×