Diversidade brasileira Paratodos
Chico Buarque
O meu pai era paulista
Meu avô, pernambucano
O meu bisavô, mineiro
Meu tata...
Caetano Veloso
Bezerra da Silva
Erasmos Carlos
Cartola
Luiz Gonzaga
Pixinguinha
Anita
Criolo Ivete Sangalo
Mumuzinho
Mc Gui
Luan Santana
Rock
Diversidade
social
• Acesso aos bens sociais como:
Água
Escola
Segurança
Moradia
Alimentos
Lazer
Trabalho
Profissões
OPORT...
Brasil e Grandes
Regiões
Até 1/4 SM²
Mais de
1/4 a 1/2 SM
Mais de
1/2 a 1 SM
Mais de
1 a 2 SM
Mais de
2 a 3 SM
Mais de
3 a...
Até 2011, quase metade (47,8%) das famílias no Brasil tinha rendimentos médios
mensais per capita até 1 SM. Mais da metade...
•Emigrar: Deixar um país para estabelecer-se em
outro. Sair (da pátria) para residir em outro país.
•Imigrar: Entrar (num ...
O ESTRANGEIRO
• Primeiro é que é preciso distinguir o viajante do estrangeiro. O
estrangeiro, para Georg Simmel, é aquele ...
Um olhar de estranhamento em relação a diversidade social brasileira
Um olhar de estranhamento em relação a diversidade social brasileira
Um olhar de estranhamento em relação a diversidade social brasileira
Um olhar de estranhamento em relação a diversidade social brasileira
Um olhar de estranhamento em relação a diversidade social brasileira
Um olhar de estranhamento em relação a diversidade social brasileira
Um olhar de estranhamento em relação a diversidade social brasileira
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Um olhar de estranhamento em relação a diversidade social brasileira

1.780 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.780
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.008
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Um olhar de estranhamento em relação a diversidade social brasileira

  1. 1. Diversidade brasileira Paratodos Chico Buarque O meu pai era paulista Meu avô, pernambucano O meu bisavô, mineiro Meu tataravô, baiano Meu maestro soberano Foi Antonio Brasileiro Foi Antonio Brasileiro Quem soprou esta toada Que cobri de redondilhas Pra seguir minha jornada E com a vista enevoada Ver o inferno e maravilhas Nessas tortuosas trilhas A viola me redime Creia, ilustre cavalheiro Contra fel, moléstia, crime Use Dorival Caymmi Vá de Jackson do Pandeiro Vi cidades, vi dinheiro Bandoleiros, vi hospícios Moças feito passarinho Avoando de edifícios Fume Ari, cheire Vinícius Beba Nelson Cavaquinho Para um coração mesquinho Contra a solidão agreste Luiz Gonzaga é tiro certo Pixinguinha é inconteste Tome Noel, Cartola, Orestes Caetano e João Gilberto Viva Erasmo, Ben, Roberto Gil e Hermeto, palmas para Todos os instrumentistas Salve Edu, Bituca, Nara Gal, Bethania, Rita, Clara Evoé, jovens à vista O meu pai era paulista Meu avô, pernambucano O meu bisavô, mineiro Meu tataravô, baiano Vou na estrada há muitos anos Sou um artista brasileiro
  2. 2. Caetano Veloso Bezerra da Silva Erasmos Carlos Cartola Luiz Gonzaga Pixinguinha
  3. 3. Anita Criolo Ivete Sangalo Mumuzinho Mc Gui Luan Santana Rock
  4. 4. Diversidade social • Acesso aos bens sociais como: Água Escola Segurança Moradia Alimentos Lazer Trabalho Profissões OPORTUNIDADES!!!! Você conhece o seu bairro? E a sua cidade? Seu estado? Você conhece os Brasis?!!!
  5. 5. Brasil e Grandes Regiões Até 1/4 SM² Mais de 1/4 a 1/2 SM Mais de 1/2 a 1 SM Mais de 1 a 2 SM Mais de 2 a 3 SM Mais de 3 a 5 SM Mais de 5 SM Sem Rendimento Brasil 6,7 14,1 27 25,8 8,6 5,7 4,9 2,2 Norte 12,1 21 28,7 18,7 5,3 3,7 2,7 3,3 Nordeste 15,4 22,7 29,9 16 4 2,5 2,3 2,9 Sudeste 2,5 10 25,3 30 10,6 6,9 6,2 1,9 Sul 2,4 8,7 25,4 32,6 12,3 8,2 5,9 1,6 Centro-Oeste 2,8 11,6 28,6 29,3 9,2 6,7 7,2 2,2 Famílias residentes em domicílios particulares, por Grandes Regiões, segundo as classes de rendimento médio famailiar per capita(%) – 2011¹ ¹ - As porcentagens apresentadas não somam 100% pois a coluna “sem declaração” não foi utilizada na análise. A tabela completa pode ser acessada na página do IBGE: ftp://ftp.ibge.gov.br/Indicadores_Sociais/Sintese_de_Indicadores_ Sociais_2012/pdf/padrao_vida_pdf.pdf>. Acesso em: 7 ago. 2013. ² - SM: salários mínimos. Fonte de dados: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2011. IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação e Rendimento.
  6. 6. Até 2011, quase metade (47,8%) das famílias no Brasil tinha rendimentos médios mensais per capita até 1 SM. Mais da metade (52,8%) possuíam entre 1/2 e 2 SM. Somente 4,9% das famílias tinham rendimentos médios mensais per capita acima de 5 SM; As regiões Norte e Nordeste são as que apresentam as piores situações, pois possuem 12,1% e 15,4% de suas famílias, respectivamente, com rendimentos médios mensais per capita com até 1/4 de SM, ao passo que a média brasileira para essa faixa de renda é 6,7%. As regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste apresentam menos de 3% de suas famílias nessa faixa; Quando são somadas as duas faixas mais pobres (até 1/4 e mais de 1/4 a 1/2 SM), as disparidades se mantêm. Enquanto a média nacional é de 20,8%, no Nordeste a proporção sobe para 38,1%, ou seja, quase o dobro da média nacional. Já a região Sul, com 11,1% das famílias nessa situação, é aquela que possui a menor proporção de famílias com rendimentos médios mensais per capita nos estratos mais baixos;
  7. 7. •Emigrar: Deixar um país para estabelecer-se em outro. Sair (da pátria) para residir em outro país. •Imigrar: Entrar (num país estranho) para nele viver. •Migrar: Mudar periodicamente ou passar de uma região para outra, de um país para outro. • Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. 5. ed. Versão eletrônica. Curitiba: Positivo, 2010.
  8. 8. O ESTRANGEIRO • Primeiro é que é preciso distinguir o viajante do estrangeiro. O estrangeiro, para Georg Simmel, é aquele que chega e não vai embora. Logo, não é um mero viajante. É a figura que se muda de um lugar para outro, para ali residir, e não o turista; • Como estrangeiro, sua posição em relação ao grupo é marcada pelo fato de não pertencer ao grupo desde o início do mesmo ou desde que nasceu. • Destaca-se ainda a ambiguidade do estrangeiro em relação ao grupo. Ele é um elemento do grupo, mesmo que não se veja como um, ou que não seja visto como parte dele pelos demais membros

×