SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
SOCIOLOGIA
1ª Série 1º Bimestre
O Processo de desnaturalização ou
estranhamento da realidade.
07/03/2015 Prof. Manoelito 1
07/03/2015 Prof. Manoelito 2
Conteúdos e temas:
 A construção de um olhar de
estranhamento sobre a realidade;
 Diferenciação entre o olhar do
sociólogo e o olhar do senso comum.
07/03/2015 Prof. Manoelito 3
Competências e habilidades:
 Desenvolver o espírito crítico e sua capacidade de
observação da sociedade;
 Desenvolver habilidades de leitura, produção de
textos contínuos e expressão oral;
 Iniciar a construção de um olhar sociológico sobre a
realidade;
 Tornar o aluno consciente de que não há olhar
natural, todos os olhares são sempre construções.
07/03/2015 Prof. Manoelito 4
Por que é importante entender a
especificidade do olhar sociológico sobre a
realidade? Qual é esse olhar?
O Processo de construção do
olhar sociológico.
07/03/2015 Prof. Manoelito 5
Para a construção do olhar sociológico, é
preciso lançar um olhar de estranhamento sobre
a realidade, é preciso “desnaturalizar” o olhar.
A Sociologia, enquanto ciência, possui
preocupações próprias e, consequentemente,
uma forma específica de voltar seu olhar para a
realidade.
07/03/2015 Prof. Manoelito 6
O treino do olhar é o primeiro passo para a
construção de um olhar sociológico para a
realidade, e este se faz com base no
estranhamento do cotidiano.
Estamos acostumados a encarar tudo como
natural, como se o mundo e as coisas que nos
cercam fossem “naturais” e sempre tivessem
sido assim.
Para desenvolver um olhar sociológico é
preciso quebrar tal forma de encarar a realidade.
07/03/2015 Prof. Manoelito 7
O olhar de estranhamento tem a ver com
observar a realidade e compreender que o
nosso olhar nunca é neutro. O ser humano
não olha simplesmente. Toda vez que
observa algo, o faz a partir de uma
perspectiva, de um ponto de vista.
07/03/2015 Prof. Manoelito 8
Esse olhar é repleto de prenoções que
podem ser positivas ou negativas. E o
estranhamento nos ajuda a ter consciência
disso. Um dos objetivos da Sociologia, no
Ensino Médio, é debruçar-se sobre tais
preconceitos e prenoções, identificando e
ressignificando-os.
07/03/2015 Prof. Manoelito 9
O imediatismo do olhar
Por que é preciso se distanciar do olhar
do senso comum para desenvolver um olhar
científico? É porque a Sociologia é uma
ciência e o conhecimento científico não é
construído com base no senso comum.
07/03/2015 Prof. Manoelito 10
Leiam os dois textos reproduzidos a
seguir que podem ajudá-los na tarefa de
mostrar a importância do estudo da
Sociologia e a diferença entre o olhar
da ciência e o olhar do senso comum.
07/03/2015 Prof. Manoelito 11
Texto 1
Olhamos o mundo e parece que simplesmente vemos
as coisas tal como elas são. Entretanto, ao olhar
alguma coisa e nomeá-la, é preciso ter antes uma ideia
do que ela seja; as pessoas têm alguma ideia do que é
um carro, e, por isso, quando veem diferentes carros,
podem dizer que viram um. O olhar humano sempre
está repleto de prenoções sobre a realidade que nos
ajudam a compreendê-la. E elas estão repletas de
conhecimento do senso comum.
07/03/2015 Prof. Manoelito 12
O conhecimento do senso comum é
uma forma válida de pensamento, mas
não é a única possível. Há, por
exemplo, o conhecimento científico. O
conhecimento científico parte do senso
comum para olhar a realidade, mas ele
sempre precisa ir além do senso
comum.
07/03/2015 Prof. Manoelito 13
Nosso olhar nunca é um olhar neutro, ele está
sempre repleto dessas prenoções que vêm do senso
comum. Para lançar um olhar sociológico sobre a
realidade é necessário afastar-se dessa forma de
observá-la. E é necessário um método. Método é a
forma pela qual um cientista observa e analisa seu
objeto de estudo. Ou seja, é o modo como estuda a
realidade. Os métodos variam de uma ciência para
outra, dependendo do seu objeto de estudo, ou seja,
daquilo que elas estudam.
07/03/2015 Prof. Manoelito 14
Toda construção científica é um lento
processo de afastamento do senso comum.
Não se pensa sociologicamente quando
imerso no senso comum.
O problema é que estamos imersos nele.
Nossa maneira de pensar, de agir e de sentir
está repleta desse tipo de conhecimento.
07/03/2015 Prof. Manoelito 15
Apesar de ser uma forma válida de
conhecimento, não é ciência. A ciência se
constrói a partir de um cuidado metodológico ao
olhar a realidade que procura se afastar dos
juízos de valor típicos do senso comum.
E para construir um olhar sociológico sobre a
realidade, o primeiro recurso metodológico é o
olhar de estranhamento.
07/03/2015 Prof. Manoelito 16
Texto 2
Sociologia e formação pessoal: A importância do
estudo da Sociologia
Em que medida a Sociologia pode contribuir para a
sua formação pessoal? Muitos diriam que essa ciência
social, num currículo de ensino médio, tem a função
de formar o “cidadão crítico”. Mas essa justificativa –
até porque a ideia de formar o cidadão crítico anda
meio banalizada –, não é suficiente.
07/03/2015 Prof. Manoelito 17
Pensar sobre esse tema significa uma
oportunidade ímpar para se aproximar da
sociologia como campo de saber e compreender
algo de suas preocupações. Vale a pena inserir
nesse contexto o papel mais fundamental que o
pensamento sociológico realiza na formação do
jovem: a desnaturalização das concepções ou
explicações dos fenômenos sociais.
07/03/2015 Prof. Manoelito 18
Razões objetivas e humanas
Desnaturalizar os fenômenos sociais
significa não perder de vista a sua
historicidade. É considerar que eles nem
sempre foram assim. É perceber que certas
mudanças ou descontinuidades históricas
são fruto de decisões. Estas revelam
interesses e, portanto, são fruto de razões
objetivas e humanas.
07/03/2015 Prof. Manoelito 19
A desnaturalização dos fenômenos
sociais também depende de nos
distanciarmos daquilo que nos rodeia e de
que participamos, para focalizar as relações
sociais sem estarmos envolvidos. Significa
considerar que os fenômenos sociais não
são imediatamente conhecidos.
07/03/2015 Prof. Manoelito 20
Reconhecendo as causas
Para explicar um fenômeno social é preciso
procurar as causas que estão além do sujeito,
isto é, buscar as causas externas a ele, mas que
têm implicações decisivas sobre ele. Essas
causas devem apresentar certa regularidade,
periodicidade e um papel específico em relação
ao todo social.
07/03/2015 Prof. Manoelito 21
Aprender a observar
Uma aproximação em relação à sociologia, mesmo
no ensino médio, exige que o aluno aprenda
procedimentos mais rigorosos de observação das
relações sociais. E, ainda, que saiba, pelo menos em
alguma medida, como o conhecimento é elaborado nas
ciências sociais. Para compreender e formular
explicações para os fenômenos sociais é preciso ter
conhecimento da linguagem por meio da qual esse
conhecimento é criado e comunicado.
07/03/2015 Prof. Manoelito 22
Características do conhecimento do senso
comum.
 Imediatista: o senso comum caracteriza-se,
muitas vezes, por ser extremamente simplista
e despreocupado quanto ao emprego de
definições e terminologias. Não é, portanto,
fruto de uma reflexão cuidadosa;
07/03/2015 Prof. Manoelito 23
Superficial: a superficialidade dessa
forma de conhecimento está relacionada
com o fato de que ele se conforma com a
aparência, com o que lhe é familiar,
permanecendo na superfície das coisas;
07/03/2015 Prof. Manoelito 24
Acrítico: outra característica é o fato de
ele ser, muitas vezes, uma forma de
conhecimento acrítico, ou seja, não
estabelece uma visão aprofundada do que
vê, não questiona o que é dito;
07/03/2015 Prof. Manoelito 25
Cheio de sentimentos: muitas vezes,
nossa visão da realidade é excessivamente
marcada pelas nossas emoções, e as
emoções normalmente tiram a objetividade
da pessoa, pois são pessoais e não estão
baseadas na razão. Elas podem nos fazer
agir de forma irracional;
07/03/2015 Prof. Manoelito 26
Cheio de preconceitos: ele também é, muitas
vezes, repleto de preconceitos. O preconceito é o
conceituar antecipadamente, ou seja, é a atitude
de achar que já se sabe algo, sem realmente
conhecê-lo, valendo-se de explicações prontas
repletas de juízos de valor. Portanto, a atitude
preconceituosa em relação à realidade e a tudo o
que a cerca é aquela da pessoa que julga sem
conhecer, com base no que acredita que é ou no
que deva ser.
07/03/2015 Prof. Manoelito 27
Tais características estão intimamente
relacionadas, pois alimentam umas às
outras. Desse modo, se quisermos construir
um conhecimento coerente e consistente,
precisamos afastar as prenoções e os
julgamentos de valor que estão presentes no
senso comum.
07/03/2015 Prof. Manoelito 28
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
Alison Nunes
 
Banco de questões de sociologia
Banco de questões de sociologiaBanco de questões de sociologia
Banco de questões de sociologia
José Luiz Costa
 
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
homago
 

Mais procurados (20)

Sociologia em movimento - Volume único.pdf
Sociologia em movimento - Volume único.pdfSociologia em movimento - Volume único.pdf
Sociologia em movimento - Volume único.pdf
 
Prova de sociologia eo gabarito (1)
Prova de sociologia eo gabarito (1)Prova de sociologia eo gabarito (1)
Prova de sociologia eo gabarito (1)
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
 
Atividades de Reflexão - Sociologia 1
Atividades de Reflexão - Sociologia 1Atividades de Reflexão - Sociologia 1
Atividades de Reflexão - Sociologia 1
 
Slides da aula de Sociologia (Luciano) sobre Divisão Social do Trabalho
Slides da aula de Sociologia (Luciano) sobre Divisão Social do TrabalhoSlides da aula de Sociologia (Luciano) sobre Divisão Social do Trabalho
Slides da aula de Sociologia (Luciano) sobre Divisão Social do Trabalho
 
A sociologia e o olhar sociológico
A sociologia e o olhar sociológicoA sociologia e o olhar sociológico
A sociologia e o olhar sociológico
 
As relações entre indivíduo e sociedade
As relações entre indivíduo e sociedadeAs relações entre indivíduo e sociedade
As relações entre indivíduo e sociedade
 
Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
 
Atividades senso cumum topico 1 e 2 sociologia
Atividades senso cumum   topico 1 e 2 sociologiaAtividades senso cumum   topico 1 e 2 sociologia
Atividades senso cumum topico 1 e 2 sociologia
 
O que é e como surgiu a sociologia?
O que é e como surgiu a sociologia?O que é e como surgiu a sociologia?
O que é e como surgiu a sociologia?
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CIDADANIA- DEMOCRACIA- PARTICIPAÇÃO CIDADÃ - Prof. ...
 
Sociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e SociedadeSociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e Sociedade
 
Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)
 
Banco de questões de sociologia
Banco de questões de sociologiaBanco de questões de sociologia
Banco de questões de sociologia
 
Estratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade SocialEstratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade Social
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
 
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
1 ano sociologia as relações entre indivíduo e sociedade
 
Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais Os Movimentos Sociais
Os Movimentos Sociais
 
Jogo de Tabuleiro Sociologia - Correntes Sociológicas
Jogo de Tabuleiro Sociologia - Correntes Sociológicas Jogo de Tabuleiro Sociologia - Correntes Sociológicas
Jogo de Tabuleiro Sociologia - Correntes Sociológicas
 
Trabalho e Sociedade
Trabalho e SociedadeTrabalho e Sociedade
Trabalho e Sociedade
 

Destaque (10)

10 sociologia - 1º ano
10   sociologia - 1º ano10   sociologia - 1º ano
10 sociologia - 1º ano
 
Avaliaçoes de sociologia pip
Avaliaçoes de sociologia  pipAvaliaçoes de sociologia  pip
Avaliaçoes de sociologia pip
 
Sociologia 1ºano - 01
Sociologia   1ºano - 01Sociologia   1ºano - 01
Sociologia 1ºano - 01
 
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii   aula 1 - Cultura e SociedadeSociologia ii   aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
 
O processo de desnaturalização da realidade
O processo de desnaturalização da realidadeO processo de desnaturalização da realidade
O processo de desnaturalização da realidade
 
Apresentação - Segundo Semestre - 1ª serie
Apresentação -  Segundo Semestre - 1ª serieApresentação -  Segundo Semestre - 1ª serie
Apresentação - Segundo Semestre - 1ª serie
 
Questões Objetivas sobre Max Weber
Questões Objetivas sobre Max WeberQuestões Objetivas sobre Max Weber
Questões Objetivas sobre Max Weber
 
Projeto Enem 2016
Projeto Enem 2016Projeto Enem 2016
Projeto Enem 2016
 
A sociologia alemã max weber
A sociologia alemã   max weberA sociologia alemã   max weber
A sociologia alemã max weber
 
Cultura - Sociologia
Cultura - SociologiaCultura - Sociologia
Cultura - Sociologia
 

Semelhante a Sociologia - O processo de desnaturalização ou estranhamento da realidade.

Psicologia do desenvolvimento e folio c
Psicologia do desenvolvimento e folio cPsicologia do desenvolvimento e folio c
Psicologia do desenvolvimento e folio c
mariliaclopessilva
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
IsabellaGomes58
 
O surgimento da filosofia na grégia antiga
O surgimento da filosofia na grégia antigaO surgimento da filosofia na grégia antiga
O surgimento da filosofia na grégia antiga
EdvaldoArajo2
 
Sociologia 1 s_em_volume_1_(2014)
Sociologia 1 s_em_volume_1_(2014)Sociologia 1 s_em_volume_1_(2014)
Sociologia 1 s_em_volume_1_(2014)
Eduardo Oliveira
 

Semelhante a Sociologia - O processo de desnaturalização ou estranhamento da realidade. (20)

Material 1 - Introdução às Ciências Sociais.pptx
Material 1 - Introdução às Ciências Sociais.pptxMaterial 1 - Introdução às Ciências Sociais.pptx
Material 1 - Introdução às Ciências Sociais.pptx
 
Situação de aprendizagem 1
Situação de aprendizagem 1Situação de aprendizagem 1
Situação de aprendizagem 1
 
Apostila de sociologia 1⺠termo Eja
Apostila de sociologia   1⺠termo EjaApostila de sociologia   1⺠termo Eja
Apostila de sociologia 1⺠termo Eja
 
A sociologia e o olhar sociológico
A sociologia e o olhar sociológicoA sociologia e o olhar sociológico
A sociologia e o olhar sociológico
 
Senso Crítico
Senso CríticoSenso Crítico
Senso Crítico
 
Imaginação sociológica j markline
Imaginação sociológica  j marklineImaginação sociológica  j markline
Imaginação sociológica j markline
 
Introdução ao estudo da sociologia
Introdução ao estudo da sociologiaIntrodução ao estudo da sociologia
Introdução ao estudo da sociologia
 
IndAgação e a filosofia do questionamento
IndAgação e a filosofia do questionamentoIndAgação e a filosofia do questionamento
IndAgação e a filosofia do questionamento
 
As regras do método sociológico
As regras do método sociológico As regras do método sociológico
As regras do método sociológico
 
Psicologia do desenvolvimento e folio c
Psicologia do desenvolvimento e folio cPsicologia do desenvolvimento e folio c
Psicologia do desenvolvimento e folio c
 
Apresentação aprendizagem significativa
Apresentação aprendizagem significativaApresentação aprendizagem significativa
Apresentação aprendizagem significativa
 
(SLIDE)+AULA+01+-+METODOLOGIA+CIENTIFICA.pdf
(SLIDE)+AULA+01+-+METODOLOGIA+CIENTIFICA.pdf(SLIDE)+AULA+01+-+METODOLOGIA+CIENTIFICA.pdf
(SLIDE)+AULA+01+-+METODOLOGIA+CIENTIFICA.pdf
 
A psicologia das organizações na modernidade
A psicologia das organizações na modernidadeA psicologia das organizações na modernidade
A psicologia das organizações na modernidade
 
Por um olhar sociológico
Por um olhar sociológicoPor um olhar sociológico
Por um olhar sociológico
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Resumo
ResumoResumo
Resumo
 
O surgimento da filosofia na grégia antiga
O surgimento da filosofia na grégia antigaO surgimento da filosofia na grégia antiga
O surgimento da filosofia na grégia antiga
 
Sociologia 1 s_em_volume_1_(2014)
Sociologia 1 s_em_volume_1_(2014)Sociologia 1 s_em_volume_1_(2014)
Sociologia 1 s_em_volume_1_(2014)
 
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe AssunçãoATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
 
Introdução à Psicologia: Elementos e Ciência
Introdução à Psicologia: Elementos e CiênciaIntrodução à Psicologia: Elementos e Ciência
Introdução à Psicologia: Elementos e Ciência
 

Mais de Manoelito Filho Soares

Filosofia como atividade reflexiva e sua
Filosofia como atividade reflexiva e suaFilosofia como atividade reflexiva e sua
Filosofia como atividade reflexiva e sua
Manoelito Filho Soares
 
O preconceito em relação à filosofia
O preconceito em relação à filosofiaO preconceito em relação à filosofia
O preconceito em relação à filosofia
Manoelito Filho Soares
 

Mais de Manoelito Filho Soares (18)

Eletiva
EletivaEletiva
Eletiva
 
Vídeo a evolução tecnológica
Vídeo a evolução tecnológicaVídeo a evolução tecnológica
Vídeo a evolução tecnológica
 
Cidadania moderna direitos sociais
Cidadania moderna   direitos sociaisCidadania moderna   direitos sociais
Cidadania moderna direitos sociais
 
Cidadania moderna. direitos politicos
Cidadania moderna. direitos politicosCidadania moderna. direitos politicos
Cidadania moderna. direitos politicos
 
Amigos
AmigosAmigos
Amigos
 
Filosofia como atividade reflexiva e sua
Filosofia como atividade reflexiva e suaFilosofia como atividade reflexiva e sua
Filosofia como atividade reflexiva e sua
 
O preconceito em relação à filosofia
O preconceito em relação à filosofiaO preconceito em relação à filosofia
O preconceito em relação à filosofia
 
Filosofia inutil util
Filosofia inutil utilFilosofia inutil util
Filosofia inutil util
 
Cidadania moderna direitos civis
Cidadania moderna   direitos civisCidadania moderna   direitos civis
Cidadania moderna direitos civis
 
O que é cidadania
O que é cidadaniaO que é cidadania
O que é cidadania
 
Enem 2012
Enem 2012Enem 2012
Enem 2012
 
Michel foucault
Michel foucaultMichel foucault
Michel foucault
 
O homem como ser politico
O homem como ser politicoO homem como ser politico
O homem como ser politico
 
Paul Rieucouer
Paul RieucouerPaul Rieucouer
Paul Rieucouer
 
Mito e filosofia
Mito e filosofiaMito e filosofia
Mito e filosofia
 
3ª série 2º bimestre Filosofia e Religião
3ª série 2º bimestre   Filosofia e Religião3ª série 2º bimestre   Filosofia e Religião
3ª série 2º bimestre Filosofia e Religião
 
John Locke, liberdade, John Stuart Mill e Jeremy Bentham, utilitarismo, praz...
John Locke, liberdade,  John Stuart Mill e Jeremy Bentham, utilitarismo, praz...John Locke, liberdade,  John Stuart Mill e Jeremy Bentham, utilitarismo, praz...
John Locke, liberdade, John Stuart Mill e Jeremy Bentham, utilitarismo, praz...
 
EE BATISTA RENZI - Seminário 2ª SÉRIE E
EE BATISTA RENZI - Seminário 2ª SÉRIE E EE BATISTA RENZI - Seminário 2ª SÉRIE E
EE BATISTA RENZI - Seminário 2ª SÉRIE E
 

Último

História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
azulassessoria9
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 

Último (20)

"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigasPeça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
Peça de teatro infantil: A cigarra e as formigas
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 

Sociologia - O processo de desnaturalização ou estranhamento da realidade.

  • 1. SOCIOLOGIA 1ª Série 1º Bimestre O Processo de desnaturalização ou estranhamento da realidade. 07/03/2015 Prof. Manoelito 1
  • 2. 07/03/2015 Prof. Manoelito 2 Conteúdos e temas:  A construção de um olhar de estranhamento sobre a realidade;  Diferenciação entre o olhar do sociólogo e o olhar do senso comum.
  • 3. 07/03/2015 Prof. Manoelito 3 Competências e habilidades:  Desenvolver o espírito crítico e sua capacidade de observação da sociedade;  Desenvolver habilidades de leitura, produção de textos contínuos e expressão oral;  Iniciar a construção de um olhar sociológico sobre a realidade;  Tornar o aluno consciente de que não há olhar natural, todos os olhares são sempre construções.
  • 4. 07/03/2015 Prof. Manoelito 4 Por que é importante entender a especificidade do olhar sociológico sobre a realidade? Qual é esse olhar? O Processo de construção do olhar sociológico.
  • 5. 07/03/2015 Prof. Manoelito 5 Para a construção do olhar sociológico, é preciso lançar um olhar de estranhamento sobre a realidade, é preciso “desnaturalizar” o olhar. A Sociologia, enquanto ciência, possui preocupações próprias e, consequentemente, uma forma específica de voltar seu olhar para a realidade.
  • 6. 07/03/2015 Prof. Manoelito 6 O treino do olhar é o primeiro passo para a construção de um olhar sociológico para a realidade, e este se faz com base no estranhamento do cotidiano. Estamos acostumados a encarar tudo como natural, como se o mundo e as coisas que nos cercam fossem “naturais” e sempre tivessem sido assim. Para desenvolver um olhar sociológico é preciso quebrar tal forma de encarar a realidade.
  • 7. 07/03/2015 Prof. Manoelito 7 O olhar de estranhamento tem a ver com observar a realidade e compreender que o nosso olhar nunca é neutro. O ser humano não olha simplesmente. Toda vez que observa algo, o faz a partir de uma perspectiva, de um ponto de vista.
  • 8. 07/03/2015 Prof. Manoelito 8 Esse olhar é repleto de prenoções que podem ser positivas ou negativas. E o estranhamento nos ajuda a ter consciência disso. Um dos objetivos da Sociologia, no Ensino Médio, é debruçar-se sobre tais preconceitos e prenoções, identificando e ressignificando-os.
  • 9. 07/03/2015 Prof. Manoelito 9 O imediatismo do olhar Por que é preciso se distanciar do olhar do senso comum para desenvolver um olhar científico? É porque a Sociologia é uma ciência e o conhecimento científico não é construído com base no senso comum.
  • 10. 07/03/2015 Prof. Manoelito 10 Leiam os dois textos reproduzidos a seguir que podem ajudá-los na tarefa de mostrar a importância do estudo da Sociologia e a diferença entre o olhar da ciência e o olhar do senso comum.
  • 11. 07/03/2015 Prof. Manoelito 11 Texto 1 Olhamos o mundo e parece que simplesmente vemos as coisas tal como elas são. Entretanto, ao olhar alguma coisa e nomeá-la, é preciso ter antes uma ideia do que ela seja; as pessoas têm alguma ideia do que é um carro, e, por isso, quando veem diferentes carros, podem dizer que viram um. O olhar humano sempre está repleto de prenoções sobre a realidade que nos ajudam a compreendê-la. E elas estão repletas de conhecimento do senso comum.
  • 12. 07/03/2015 Prof. Manoelito 12 O conhecimento do senso comum é uma forma válida de pensamento, mas não é a única possível. Há, por exemplo, o conhecimento científico. O conhecimento científico parte do senso comum para olhar a realidade, mas ele sempre precisa ir além do senso comum.
  • 13. 07/03/2015 Prof. Manoelito 13 Nosso olhar nunca é um olhar neutro, ele está sempre repleto dessas prenoções que vêm do senso comum. Para lançar um olhar sociológico sobre a realidade é necessário afastar-se dessa forma de observá-la. E é necessário um método. Método é a forma pela qual um cientista observa e analisa seu objeto de estudo. Ou seja, é o modo como estuda a realidade. Os métodos variam de uma ciência para outra, dependendo do seu objeto de estudo, ou seja, daquilo que elas estudam.
  • 14. 07/03/2015 Prof. Manoelito 14 Toda construção científica é um lento processo de afastamento do senso comum. Não se pensa sociologicamente quando imerso no senso comum. O problema é que estamos imersos nele. Nossa maneira de pensar, de agir e de sentir está repleta desse tipo de conhecimento.
  • 15. 07/03/2015 Prof. Manoelito 15 Apesar de ser uma forma válida de conhecimento, não é ciência. A ciência se constrói a partir de um cuidado metodológico ao olhar a realidade que procura se afastar dos juízos de valor típicos do senso comum. E para construir um olhar sociológico sobre a realidade, o primeiro recurso metodológico é o olhar de estranhamento.
  • 16. 07/03/2015 Prof. Manoelito 16 Texto 2 Sociologia e formação pessoal: A importância do estudo da Sociologia Em que medida a Sociologia pode contribuir para a sua formação pessoal? Muitos diriam que essa ciência social, num currículo de ensino médio, tem a função de formar o “cidadão crítico”. Mas essa justificativa – até porque a ideia de formar o cidadão crítico anda meio banalizada –, não é suficiente.
  • 17. 07/03/2015 Prof. Manoelito 17 Pensar sobre esse tema significa uma oportunidade ímpar para se aproximar da sociologia como campo de saber e compreender algo de suas preocupações. Vale a pena inserir nesse contexto o papel mais fundamental que o pensamento sociológico realiza na formação do jovem: a desnaturalização das concepções ou explicações dos fenômenos sociais.
  • 18. 07/03/2015 Prof. Manoelito 18 Razões objetivas e humanas Desnaturalizar os fenômenos sociais significa não perder de vista a sua historicidade. É considerar que eles nem sempre foram assim. É perceber que certas mudanças ou descontinuidades históricas são fruto de decisões. Estas revelam interesses e, portanto, são fruto de razões objetivas e humanas.
  • 19. 07/03/2015 Prof. Manoelito 19 A desnaturalização dos fenômenos sociais também depende de nos distanciarmos daquilo que nos rodeia e de que participamos, para focalizar as relações sociais sem estarmos envolvidos. Significa considerar que os fenômenos sociais não são imediatamente conhecidos.
  • 20. 07/03/2015 Prof. Manoelito 20 Reconhecendo as causas Para explicar um fenômeno social é preciso procurar as causas que estão além do sujeito, isto é, buscar as causas externas a ele, mas que têm implicações decisivas sobre ele. Essas causas devem apresentar certa regularidade, periodicidade e um papel específico em relação ao todo social.
  • 21. 07/03/2015 Prof. Manoelito 21 Aprender a observar Uma aproximação em relação à sociologia, mesmo no ensino médio, exige que o aluno aprenda procedimentos mais rigorosos de observação das relações sociais. E, ainda, que saiba, pelo menos em alguma medida, como o conhecimento é elaborado nas ciências sociais. Para compreender e formular explicações para os fenômenos sociais é preciso ter conhecimento da linguagem por meio da qual esse conhecimento é criado e comunicado.
  • 22. 07/03/2015 Prof. Manoelito 22 Características do conhecimento do senso comum.  Imediatista: o senso comum caracteriza-se, muitas vezes, por ser extremamente simplista e despreocupado quanto ao emprego de definições e terminologias. Não é, portanto, fruto de uma reflexão cuidadosa;
  • 23. 07/03/2015 Prof. Manoelito 23 Superficial: a superficialidade dessa forma de conhecimento está relacionada com o fato de que ele se conforma com a aparência, com o que lhe é familiar, permanecendo na superfície das coisas;
  • 24. 07/03/2015 Prof. Manoelito 24 Acrítico: outra característica é o fato de ele ser, muitas vezes, uma forma de conhecimento acrítico, ou seja, não estabelece uma visão aprofundada do que vê, não questiona o que é dito;
  • 25. 07/03/2015 Prof. Manoelito 25 Cheio de sentimentos: muitas vezes, nossa visão da realidade é excessivamente marcada pelas nossas emoções, e as emoções normalmente tiram a objetividade da pessoa, pois são pessoais e não estão baseadas na razão. Elas podem nos fazer agir de forma irracional;
  • 26. 07/03/2015 Prof. Manoelito 26 Cheio de preconceitos: ele também é, muitas vezes, repleto de preconceitos. O preconceito é o conceituar antecipadamente, ou seja, é a atitude de achar que já se sabe algo, sem realmente conhecê-lo, valendo-se de explicações prontas repletas de juízos de valor. Portanto, a atitude preconceituosa em relação à realidade e a tudo o que a cerca é aquela da pessoa que julga sem conhecer, com base no que acredita que é ou no que deva ser.
  • 27. 07/03/2015 Prof. Manoelito 27 Tais características estão intimamente relacionadas, pois alimentam umas às outras. Desse modo, se quisermos construir um conhecimento coerente e consistente, precisamos afastar as prenoções e os julgamentos de valor que estão presentes no senso comum.