Extreme programming (xp) - Resumo

8.274 visualizações

Publicada em

Slide com resumo da aula sobre Extreme Programming [XP]

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.274
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
225
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
374
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Extreme programming (xp) - Resumo

  1. 1. eXtremeProgramming (XP)Desenvolvimento ágilINSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO,CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA – IFROPROFESSOR: DANIEL BRANDÃO
  2. 2. Programação ágil – ExtremeProgramming [XP]• A constante necessidade de se obter resultadosfavoráveis na economia mundial tem obrigado aindústria a reunir esforços para dinamizar o seuprocesso produtivo.• O Extreme Programming – uma metodologia ágil,que visa um rápido desenvolvimento, atende àsreais necessidades do cliente e, ainda, permitemodificações, à medida que novas necessidadesapareçam.INTRODUÇÃO
  3. 3. Programação ágil – ExtremeProgramming [XP]• Extreme Programming (XP) é uma metodologia dedesenvolvimento de software que se destinatambém a melhorar a qualidade do software e acapacidade de resposta à evolução dasnecessidades dos clientes.INTRODUÇÃO
  4. 4. Programação ágil – ExtremeProgramming [XP]• Com XP, um projeto de desenvolvimento deaplicativo é realizado em pequenosincrementos. Você pode implementar oaplicativo parcial, que deverá permitir queas pessoas executem algum nível detrabalho, mesmo que o aplicativo ainda nãofaça tudo que você pretende para ele nofim.INTRODUÇÃO
  5. 5. A criação• O Extreme Programming é um modelo de desenvolvimento desoftware, criado entre 1996-1997, por Kent Bech, noDepartamento de Computação da montadora de carrosChrysler.• O XP é um conjunto bem definido de regras, que vemganhando um grande número de adeptos por oferecercondições para que os desenvolvedores respondam comeficiência a mudanças no projeto, mesmo nos estágios finaisdo ciclo de vida do processo, devido a cinco lemas adotadospor seus seguidores, que correspondem a cinco conceitos apartir das quais os projetos podem ser melhorados. São eles:Comunicação, Simplicidade, FeedBack, Coragem e Respeito.
  6. 6. Valores do XP•Simplicidade•Comunicação•Feedback•Respeito•Coragem
  7. 7. Metodologia
  8. 8. Princípios básicos• Feedback rápido: Quanto mais demorado o retorno, menor oaprendizado produzido por ele.• Simplicidade assumida: Desenvolver a solução mais simplesque possa funcionar. Não construir complexidadedesnecessária.• Mudança incremental: Grandes mudanças tendem a nãofuncionar: os problemas são normalmente resolvidos comuma série de pequenas mudanças naquilo que faz diferença.• Aceitar mudanças: A mudança é inevitável. Ao invés decombater a mudança, aceita-la como normal e saudável parao projeto.• Trabalho de qualidade: Se as pessoas que estão no projetonão gostam da qualidade do trabalho que estão fazendo, atendência do projeto e fracassar.
  9. 9. Práticas de Programação Extrema• Planejamento (Jogo de Planejamento - Planning Game): Odesenvolvimento é feito em iterações semanais. No início dasemana, desenvolvedores e cliente reúnem-se para priorizar asfuncionalidades. Essa reunião recebe o nome de Jogo doPlanejamento. Nela, o cliente identifica prioridades e osdesenvolvedores as estimam. O cliente é essencial nesteprocesso e assim ele fica sabendo o que está acontecendo e oque vai acontecer no projeto.• Fases pequenas (Small Releases): A liberação de pequenasversões funcionais do projeto auxilia muito no processo deaceitação por parte do cliente, que já pode testar uma partedo sistema que está comprando. As versões chegam a serainda menores que as produzidas por outras metodologiasincrementais, como o RUP.ASPRINCIPAIS
  10. 10. Práticas de Programação Extrema• Testes de Aceitação (Customer Tests): São testes construídospelo cliente e conjunto de analistas e testadores, para aceitarum determinado requisito do sistema.• Reuniões em pé (Stand-up Meeting): Reuniões em pé paranão se perder o foco nos assuntos, produzindo reuniõesrápidas, apenas abordando tarefas realizadas e tarefas arealizar pela equipe.• Padronização do Código (Coding Standards): A equipe dedesenvolvimento precisa estabelecer regras para programar etodos devem seguir estas regras. Desta forma parecerá quetodo o código fonte foi editado pela mesma pessoa, mesmoquando a equipe possui 10 ou 100 membros.ASPRINCIPAIS(Continuação...)
  11. 11. Práticas de Programação Extrema• Metáfora (Metaphor): Procura facilitar a comunicação como cliente, entendendo a realidade dele. É preciso traduzir aspalavras do cliente para o significado que ele espera dentrodo projeto.• Semana de 40 horas (Sustainable Pace): Trabalhar comqualidade, buscando ter ritmo de trabalho saudável (40horas/semana, 8 horas/dia), sem horas extras, exetoquando trouxerem muita produtividade. As horas devemser bem aproveitadas, para isto o ambiente de trabalho e amotivação da equipe devem estar sempre em harmonia.ASPRINCIPAIS(Continuação...)
  12. 12. Ciclo de vida
  13. 13. Concluindo• Estando ciente de que este tema tratado é amplo, pode-seconcluir que a inclusão do Extreme Programming no dia a diado desenvolvimento de software enriquece a comunidade deprogramação, independente do segmento das empresas nosquais os profissionais desempenham suas atividades,garantindo a evolução dos negócios e dinamismo na economiaatual.• Constatamos também que o que garante o sucesso de umprojeto não é somente a adoção de uma metodologiacomprovadamente eficaz, a adaptação ou a mesclagem devárias delas, mas sim a incorporação integral nas rotinas dedesenvolvimento por parte da equipe e a crença de que taisprincípios, valores e práticas terão o resultado esperado nofinal do projeto.
  14. 14. PERGUNTAS?• Espaço aberto para debate, opiniões edúvidas sobre Extreme Programming [XP]• Blog:www.ProfDanielBrandao.wordpress.com• E-mail:professorDanielBrandao@gmail.com

×