SlideShare uma empresa Scribd logo

Sistemas operacionais de redes II

Uma segunda apostila que também trata de Sistemas Operacionais de Redes, dando enfoque em Linux e Windows. Vale a pena a leitura!

1 de 6
Baixar para ler offline
Sistemas operacionais de rede:
Windows e Linux
Por JonathanRibas.com
Descrição da aula
Todo usuário, seja de qualquer nível, já experimentou problemas de rede ou internet.
Alguns tipos de problema só podem ser resolvidos através de um técnico que necessita
mexer no “servidor”. Mas o que é este tal de “servidor” e como ele funciona?. Esta aula
mostra uma comparação simples de dois sistemas operacionais de rede, comparando os
seus recursos e funcionalidades de um ponto de vista que visa a melhor opção para um
usuário normal, experiente e avançado.
Introdução
Um sistema operacional de rede é simplesmente um sistema operacional com serviços de
rede, que chamamos de um modo geral de “servidor”. Dependendo do caso em que a rede
se encontra, podemos usar vários tipos de estruturas de servidores, algumas delas estão
citadas abaixo:
1. Cliente – Servidor
2. Ponto – a – ponto
3. Terminal burro
4. Cloud.
Mas para que servem os servidores? Simples, servem para suprir as necessidades dos
usuários, que neste contexto chamamos de “clientes”. Alguns exemplos de necessidades e
soluções baseadas em sistemas operacionais de rede estão descritos abaixo.
• Para integrar um banco de arquivos de uma empresa, instalamos um servidor de
arquivos ftp.
• Se a empresa possui um software que necessite de vários bancos de dados,
instalamos um servidor de banco de dados.
• Se os alunos de uma escola entram em material impróprio no contexto escolar,
instalamos um servidor proxy.
• Se um projeto necessita de grande poder de processamento, usamos um sistema
ponto-a-ponto ou um servidor cloud.
• Se uma biblioteca deseja criar uma lan house onde os seus clientes tenham
identificações únicas, podemos criar terminais burros e as credenciais ficam em
um servidor que opera um sistema operacional de rede.
Tipos de servidores
Existem servidores para todo o tipo de situação, mas o mais importante é saber para que o
servidor vai funcionar. Dependendo do tipo de ambiente (local onde será instalado o
sistema, problema a ser resolvido ou recurso a ser criado) um servidor é melhor que o
outro. Porém os sistemas operacionais de rede são bem flexíveis e permitem que se
instale um ou mais servidores em um único sistema operacional. Alguns tipos de
servidores e suas características estão descritas abaixo.
Cliente-Servidor
Atualmente é o tipo de arquitetura mais indicado quando se precisa de permissões,
controle e integridade. Podemos dizer que em um lado da “ponta” da rede está o servidor
que fornece os recursos (arquivos, banco de dados, dns etc). E do outro lado da “ponta”
está o cliente que utiliza os recursos do servidor.
Podemos exemplificar esta arquitetura como uma academia. O administrador do servidor
seria o dono da academia que fazem as regras da academia, horário de abertura e
fechamento, hierarquias e permissões e cobrança do serviço que os clientes utilizam
(pessoas que frequentam a academia).
Há também os instrutores, normalmente pessoas formadas em educação física. Estes
instrutores ajudam as pessoas da academia em seus exercícios físicos e notificam as
pessoas que estão fazendo errado com advertências. Os instrutores da academia podem
ser comparados com os moderadores que monitoram os clientes e notificam para o
administrador do sistema falhas de segurança e infração de regras feitos pelos clientes.
E finalmente temos as pessoas que utilizam a academia. Elas pagam pelo serviço que
academia oferece e praticam exercícios físicos com a ajuda dos instrutores que estão
sempre por perto para auxiliar e informar como se deve proceder os exercícios físicos. As
pessoas da academia podem ser comparadas aos clientes (usuários) do sistema, que
utilizam os recursos do servidor e são monitorados pelos moderadores.
Nesta arquitetura nós temos duas divisões: O cliente – servidor dedicado e o cliente –
servidor não dedicado.
Cliente-Servidor dedicado
O cliente – servidor dedicado é usado geralmente quando um serviço é utilizado por vários
clientes em tempo integral e que precise ser seguro e confiável. Por exemplo, a loja
Vende+ possui além da sua matriz, 100 filiais espalhadas pelo país. Esta mesma loja
possui um sistema integrado que conecta todas as lojas, então caso um cliente desta loja
queira que um produto seja entregue em outra cidade que também possui uma loja
Vende+.
É óbvio que o sistema da loja Vende+ vai precisar de um servidor de banco de dados para
armazenar informações e também é óbvio que este banco de dados precisa ser guardado
com segurança e tenha rotinas de backup para garantir sua integridade. Então o ideal para
este sistema é uma estrutura cliente – servidor dedicado, pois além de precisar de um
poder de processamento maior do que o cliente – servidor não dedicado, precisa de uma
rede de alta velocidade e um maior investimento.
Podemos concluir então que a arquitetura cliente – servidor dedicado é utilizada
geralmente para soluções que necessitem de uma confiabilidade muito grande e que não
deixem o cliente “na mão”.
Cliente-Servidor não dedicado
O Cliente – Servidor não dedicado é utilizado quando se precisa utilizar o servidor para
outros fins que não sejam recursos compartilhados. Podemos utilizar como exemplo um
pequeno escritório de advocacia onde os advogados João e Maria trabalham.
Os dois advogados foram contratados para trabalhar em um caso de propaganda
enganosa. Eles querem dividir os documentos eletrônicos que estão produzindo como
provas para ganhar a causa. Então o ideal para eles é criarem um servidor de arquivos
onde os dois irão gravar e ler os documentos.
Não é necessário um alto poder de processamento, nem permissões de arquivo, pois os
dois advogados só querem compartilhar os arquivos. Então o ideal para este caso é uma
estrutura cliente – servidor não dedicado.
João poderá utilizar seu computador como servidor de arquivos e ao mesmo tempo
produzir seus documentos enquanto Maria poderá ler os arquivos de João e compartilhar
os seus também. Além de arquivos, eles podem compartilhar a mesma impressora ou
qualquer outro dispositivo através de um servidor em qualquer um dos computadores,
desde que estejam ligados á rede.
Podemos concluir então que enquanto o servidor dedicado se “dedica” apenas à tarefas
relacionadas com servidores, o servidor não dedicado pode tanto ser utilizado como
servidor como pode ser utilizado com uma interface gráfica onde podem ser executados
aplicativos que só um usuário utiliza.
Ponto-a-ponto
Ao contrário da arquitetura cliente – servidor, o foco do ponto – a – ponto (que também
pode ser chamada de peer-to-peer ou p2p) é a distribuição de serviços, onde todo mundo
é ao mesmo templo um cliente e um servidor. Atualmente as melhores aplicações desta
arquitetura são de resolução de problemas matemáticos e distribuição de arquivos pela
internet. Devido à baixa restrição que este tipo de arquitetura oferece comparado ao
cliente-servidor, ainda não é utilizado para sistemas operacionais em grande escala.
Terminal burro
Semelhante ao cliente – servidor o terminal burro consiste um servidor que fornece todos
os recursos de processamento para vários periféricos de entrada e saída. Estes periféricos
estão conectados à um computador de baixo processamento, que conectado à rede com o
servidor, envia os dados do usuário e depois que estes dados são processados pelo
servidor, são mostrados na tela para o usuário que fica com a ilusão que ele está usando
uma máquina local quando na verdade tudo o que está acontecendo fica dentro do
servidor.
Cloud
A arquitetura do tipo “nuvem” é um conceito antigo porém sua fama vem aumentado
devido à internet. Esta arquitetura consiste em um computador conectado à Internet que
provê o servidor e todos os aplicativos de dentro da “nuvem”, pois não se sabe o lugar e
nem como os dados do cliente estão sendo processados. Esta arquitetura independe da
plataforma e sistema que é utilizado no cliente. A única coisa que é preciso em um
computador para que esta arquitetura funcione é um navegador de internet e a própria
conexão com a “nuvem”. Alguns exemplos que utilizam esta arquitetura estão listados
abaixo.
• Google Drive
• Eye OS
• Google Docs
• Sky drive
• Netflix
• Google Analytics
• ICloud
Como já comentado nesta aula, a melhor arquitetura dependerá do problema que deve ser
resolvido. Da mesma forma que um servidor dedicado não deve ser configurado com um
sistema operacional que foca mais a interatividade com usuário do que com diretivas de
segurança você não deve configurar um sistema operacional extremamente complexo
para uma simples troca de músicas entre duas pessoas. Por isto uma análise completa da
situação do problema, infraestrutura e recursos disponíveis, tempo e necessidade da
solução e outros pontos vão ser indispensáveis para aplicação de um servidor. Abaixo
estão algumas comparações dos serviços oferecidos por dois sistemas operacionais que
possuem vantagens e desvantagens dependentes do tipo de servidor escolhido.
Windows Server
Da empresa Microsoft este sistema operacional está sempre do lado do usuário,
dificultando a vida dos administradores de redes. Para o contexto de sistemas
operacionais de rede, poucas pessoas são realmente capacitadas para desenvolver um
servidor que seria tão bom comparado à um servidor Linux. Porém algumas tarefas de
configuração são bem mais fáceis de serem executadas, pois a maioria dos computadores
ainda usarem os sistemas operacionais desta empresa.
Características principais
• Software proprietário, isto é, pago.
• Aplicações mais fáceis de planejar e construir
• Configurações simplificadas
• Manutenção e atualizações constantes
• Menor custo a curto prazo, maior custo à longo prazo.
• Baixa flexibilidade
• Multitarefa
• Multiprocessamento
• Maior quantidade de erros e bugs.
• Instável quando muitos clientes conectam simultaneamente
• Ideal para pequenas empresas e lugares onde não utilizem muitos recursos
variados
Tipos de servidores
• Servidor de arquivos : Diretórios compartilhados do windows.
• Controle de acesso: Windows Active Directory
• Servidor HTTP : Apache
• Servidor de aplicações : . NET
• Servidor de impressão
• Servidor de comunicação
• Terminal Server
Linux Server
Existem várias distribuições que vêm com núcleo “Linux” e que possuem as mesmas
funções, com pequenas alterações que se adaptam ao gosto do administrador de rede.
Alguns preferem utilizar a distribuição “Ubuntu” por ser mais interativa e descomplicada.
Outros preferem utilizar a distribuição “Slackware” que é mais complexa no início, porém
possui uma estrutura extremamente simplória estável e segura. Outras distribuições
populares estão listadas abaixo.
• Fedora
• BSD
• Linux Mint
• Mandriva
• Xubuntu
• openSUSE
• Debian
As distribuições são diferentes porém o propósito é o mesmo. Servir como base de
soluções em servidores simples e com a máxima eficiência. Algumas características de
servidores baseados no núcleo “Linux” estão descritas abaixo.
Características principais
• Software open-source, isto é, grátis.
• Aplicações necessitam de maior planejamento e configuração
• Configurações complexas que necessitam de estudo e manual
• Raramente acontecem manutenção e atualizações
• Maior custo a curto prazo, menor custo à longo prazo.
• Alta flexibilidade
• Multitarefa
• Multiprocessamento
• Confiável
• Estável
• Ideal para administradores de redes que necessitam de um servidor seguro e de
pouca manutenção
Tipos de servidores
• Servidor de arquivos : Samba
• Controle de acesso: openLDAP
• Servidor HTTP : Apache
• Servidor de aplicações : PHP, Tomcat,
• Servidor de impressão : CUPS
• Servidor de comunicação
• Terminal Server : LTS
Conclusão
Os sistemas operacionais de rede nunca estiveram tão complexos de entender e
completos para aprender. Existem na internet infindáveis soluções para cada tipo de
servidor, desde configurações simples em janelas até compilações complexas de serviços
específicos. O principal para saber por onde se guiar é saber o que se quer encontrar. Não
adianta vasculhar a internet procurando uma solução baseado em um planejamento vago.
É preciso estudo e análise da situação para conseguir criar um bom planejamento para
instalar um servidor de maneira rápida e que não precise de muitas manutenções, pois
cada manutenção custa tempo e dinheiro.
O objetivo desta aula foi mostrar da forma mais simples possível o que são sistemas de
computador de rede e quais suas diferenças na arquitetura e programação. Alguns itens
foram deixados de lado para a aula não ficar muito extensa. Podemos citar aqui por
exemplo os componentes de uma rede, as topografias e os tipos de camadas que
envolvem a parte de comunicação de um computador para o outro. Porém estes assuntos
ficam para uma próxima oportunidade.
Dúvidas
Surgiu alguma dúvida? Esse é o espaço para debatermos e conversarmos a respeito do
assunto proposto. Muito obrigado!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

222097384 aulas-de-rede-tipos-de-servidores
222097384 aulas-de-rede-tipos-de-servidores222097384 aulas-de-rede-tipos-de-servidores
222097384 aulas-de-rede-tipos-de-servidoresMarco Guimarães
 
Windows Server 2008 vs Windows Server 2003
Windows Server 2008 vs Windows Server 2003Windows Server 2008 vs Windows Server 2003
Windows Server 2008 vs Windows Server 2003Igor Domingos
 
S.o. windows server2008
S.o. windows server2008S.o. windows server2008
S.o. windows server2008teacherpereira
 
Windows Server 2003 VS Windows Server 2008
Windows Server 2003 VS Windows Server 2008Windows Server 2003 VS Windows Server 2008
Windows Server 2003 VS Windows Server 2008Ricardo Pereira
 
Sistemas Distribuídos - Aula 02
Sistemas Distribuídos - Aula 02Sistemas Distribuídos - Aula 02
Sistemas Distribuídos - Aula 02Arthur Emanuel
 
Conhecendo o Windows Server 2012
Conhecendo o Windows Server 2012Conhecendo o Windows Server 2012
Conhecendo o Windows Server 2012Eduardo Sena
 
Windows server 2003
Windows server 2003Windows server 2003
Windows server 2003guestdf16d4b
 
Sistemas operativos servidor
Sistemas operativos servidorSistemas operativos servidor
Sistemas operativos servidorsimoesflavio
 
Linux Redes e Servidores - guia pratico
Linux  Redes e Servidores - guia pratico Linux  Redes e Servidores - guia pratico
Linux Redes e Servidores - guia pratico SoftD Abreu
 
Windows Server 2008 - Marcio
Windows Server 2008 - MarcioWindows Server 2008 - Marcio
Windows Server 2008 - MarcioAnderson Favaro
 
Apresentação Windows Server 2012 R2
Apresentação Windows Server 2012 R2Apresentação Windows Server 2012 R2
Apresentação Windows Server 2012 R2Invent IT Solutions
 
Sistemas Distribuídos - Aula 03
Sistemas Distribuídos - Aula 03Sistemas Distribuídos - Aula 03
Sistemas Distribuídos - Aula 03Arthur Emanuel
 
Configurando as ferramentas do Windows Server 2008
Configurando as ferramentas do Windows Server 2008Configurando as ferramentas do Windows Server 2008
Configurando as ferramentas do Windows Server 2008Guilherme Lima
 
Sistemas Distribuídos - Aula 07 - Servicos Web
Sistemas Distribuídos - Aula 07 - Servicos WebSistemas Distribuídos - Aula 07 - Servicos Web
Sistemas Distribuídos - Aula 07 - Servicos WebArthur Emanuel
 

Mais procurados (20)

222097384 aulas-de-rede-tipos-de-servidores
222097384 aulas-de-rede-tipos-de-servidores222097384 aulas-de-rede-tipos-de-servidores
222097384 aulas-de-rede-tipos-de-servidores
 
Windows Server 2008 vs Windows Server 2003
Windows Server 2008 vs Windows Server 2003Windows Server 2008 vs Windows Server 2003
Windows Server 2008 vs Windows Server 2003
 
S.o. windows server2008
S.o. windows server2008S.o. windows server2008
S.o. windows server2008
 
Windows Server 2003 VS Windows Server 2008
Windows Server 2003 VS Windows Server 2008Windows Server 2003 VS Windows Server 2008
Windows Server 2003 VS Windows Server 2008
 
Sistemas Distribuídos - Aula 02
Sistemas Distribuídos - Aula 02Sistemas Distribuídos - Aula 02
Sistemas Distribuídos - Aula 02
 
Conhecendo o Windows Server 2012
Conhecendo o Windows Server 2012Conhecendo o Windows Server 2012
Conhecendo o Windows Server 2012
 
Windows server 2003
Windows server 2003Windows server 2003
Windows server 2003
 
Sistemas operativos servidor
Sistemas operativos servidorSistemas operativos servidor
Sistemas operativos servidor
 
Apostila oracle
Apostila oracleApostila oracle
Apostila oracle
 
Sos final
Sos finalSos final
Sos final
 
Servidores de Aplicações
Servidores de AplicaçõesServidores de Aplicações
Servidores de Aplicações
 
Windows server
Windows serverWindows server
Windows server
 
Linux Redes e Servidores - guia pratico
Linux  Redes e Servidores - guia pratico Linux  Redes e Servidores - guia pratico
Linux Redes e Servidores - guia pratico
 
Redes e Servidores
Redes e ServidoresRedes e Servidores
Redes e Servidores
 
Windows Server 2008 - Marcio
Windows Server 2008 - MarcioWindows Server 2008 - Marcio
Windows Server 2008 - Marcio
 
Apresentação Windows Server 2012 R2
Apresentação Windows Server 2012 R2Apresentação Windows Server 2012 R2
Apresentação Windows Server 2012 R2
 
Sistemas Distribuídos - Aula 03
Sistemas Distribuídos - Aula 03Sistemas Distribuídos - Aula 03
Sistemas Distribuídos - Aula 03
 
Tipos de Servidores
Tipos de ServidoresTipos de Servidores
Tipos de Servidores
 
Configurando as ferramentas do Windows Server 2008
Configurando as ferramentas do Windows Server 2008Configurando as ferramentas do Windows Server 2008
Configurando as ferramentas do Windows Server 2008
 
Sistemas Distribuídos - Aula 07 - Servicos Web
Sistemas Distribuídos - Aula 07 - Servicos WebSistemas Distribuídos - Aula 07 - Servicos Web
Sistemas Distribuídos - Aula 07 - Servicos Web
 

Destaque

Sistemas operativos distribuidos e de redes
Sistemas operativos distribuidos e de redesSistemas operativos distribuidos e de redes
Sistemas operativos distribuidos e de redesPortal_do_Estudante_SD
 
Notas sobre Sistemas Operacionais
Notas sobre Sistemas Operacionais Notas sobre Sistemas Operacionais
Notas sobre Sistemas Operacionais Daniel Brandão
 
Sistemas operacionais de rede exercicio de sala
Sistemas operacionais de rede exercicio de salaSistemas operacionais de rede exercicio de sala
Sistemas operacionais de rede exercicio de salaCarlos Melo
 
Atributos de produtos de software
Atributos de produtos de softwareAtributos de produtos de software
Atributos de produtos de softwareTiago Pinhão
 
Portabilidade de uma aplicação
Portabilidade de uma aplicaçãoPortabilidade de uma aplicação
Portabilidade de uma aplicaçãoTiago Pinhão
 
Introdução aos sistemas operacionais cap 01 (i unidade)
Introdução aos sistemas operacionais cap 01 (i unidade)Introdução aos sistemas operacionais cap 01 (i unidade)
Introdução aos sistemas operacionais cap 01 (i unidade)Faculdade Mater Christi
 
Aula 11 - Automaçao Escritorio
Aula 11 -  Automaçao EscritorioAula 11 -  Automaçao Escritorio
Aula 11 - Automaçao EscritorioCharles Lima
 
Aula 03 - Definições da linguagem Java
Aula 03 - Definições da linguagem JavaAula 03 - Definições da linguagem Java
Aula 03 - Definições da linguagem JavaDaniel Brandão
 
Programação Orientação a Objetos - Herança
Programação Orientação a Objetos - HerançaProgramação Orientação a Objetos - Herança
Programação Orientação a Objetos - HerançaDaniel Brandão
 
Tipos de dados do MySQL 5
Tipos de dados do MySQL 5Tipos de dados do MySQL 5
Tipos de dados do MySQL 5Daniel Brandão
 
Apostila xp programação ágil
Apostila xp   programação ágilApostila xp   programação ágil
Apostila xp programação ágilDaniel Brandão
 
Automação de Escritório
Automação de EscritórioAutomação de Escritório
Automação de EscritórioPricila Yessayan
 
Apostila Multimidia Aplicada a Educação
Apostila Multimidia Aplicada a EducaçãoApostila Multimidia Aplicada a Educação
Apostila Multimidia Aplicada a EducaçãoDaniel Brandão
 
Fórmulas Condicionais em Excel
Fórmulas Condicionais em ExcelFórmulas Condicionais em Excel
Fórmulas Condicionais em ExcelDaniel Brandão
 
Aula 1 - Programação Dinâmica para Web
Aula 1 - Programação Dinâmica para WebAula 1 - Programação Dinâmica para Web
Aula 1 - Programação Dinâmica para WebDaniel Brandão
 
PHP Aula 06 - Include, Require e Querystring
PHP Aula 06 - Include, Require e QuerystringPHP Aula 06 - Include, Require e Querystring
PHP Aula 06 - Include, Require e QuerystringDaniel Brandão
 
Arrays (vetores) em Java
Arrays (vetores) em JavaArrays (vetores) em Java
Arrays (vetores) em JavaDaniel Brandão
 
Aula 02 - Sistemas, Dados, Informação
Aula 02 - Sistemas, Dados, InformaçãoAula 02 - Sistemas, Dados, Informação
Aula 02 - Sistemas, Dados, InformaçãoDaniel Brandão
 
Introdução à informática
Introdução à informáticaIntrodução à informática
Introdução à informáticaDaniel Brandão
 

Destaque (20)

Sistemas operativos distribuidos e de redes
Sistemas operativos distribuidos e de redesSistemas operativos distribuidos e de redes
Sistemas operativos distribuidos e de redes
 
Notas sobre Sistemas Operacionais
Notas sobre Sistemas Operacionais Notas sobre Sistemas Operacionais
Notas sobre Sistemas Operacionais
 
Sistemas operacionais de rede exercicio de sala
Sistemas operacionais de rede exercicio de salaSistemas operacionais de rede exercicio de sala
Sistemas operacionais de rede exercicio de sala
 
Atributos de produtos de software
Atributos de produtos de softwareAtributos de produtos de software
Atributos de produtos de software
 
Portabilidade de uma aplicação
Portabilidade de uma aplicaçãoPortabilidade de uma aplicação
Portabilidade de uma aplicação
 
Introdução aos sistemas operacionais cap 01 (i unidade)
Introdução aos sistemas operacionais cap 01 (i unidade)Introdução aos sistemas operacionais cap 01 (i unidade)
Introdução aos sistemas operacionais cap 01 (i unidade)
 
Aula 11 - Automaçao Escritorio
Aula 11 -  Automaçao EscritorioAula 11 -  Automaçao Escritorio
Aula 11 - Automaçao Escritorio
 
Aula 03 - Definições da linguagem Java
Aula 03 - Definições da linguagem JavaAula 03 - Definições da linguagem Java
Aula 03 - Definições da linguagem Java
 
Programação Orientação a Objetos - Herança
Programação Orientação a Objetos - HerançaProgramação Orientação a Objetos - Herança
Programação Orientação a Objetos - Herança
 
Tipos de dados do MySQL 5
Tipos de dados do MySQL 5Tipos de dados do MySQL 5
Tipos de dados do MySQL 5
 
Sistemas Operacionais
Sistemas OperacionaisSistemas Operacionais
Sistemas Operacionais
 
Apostila xp programação ágil
Apostila xp   programação ágilApostila xp   programação ágil
Apostila xp programação ágil
 
Automação de Escritório
Automação de EscritórioAutomação de Escritório
Automação de Escritório
 
Apostila Multimidia Aplicada a Educação
Apostila Multimidia Aplicada a EducaçãoApostila Multimidia Aplicada a Educação
Apostila Multimidia Aplicada a Educação
 
Fórmulas Condicionais em Excel
Fórmulas Condicionais em ExcelFórmulas Condicionais em Excel
Fórmulas Condicionais em Excel
 
Aula 1 - Programação Dinâmica para Web
Aula 1 - Programação Dinâmica para WebAula 1 - Programação Dinâmica para Web
Aula 1 - Programação Dinâmica para Web
 
PHP Aula 06 - Include, Require e Querystring
PHP Aula 06 - Include, Require e QuerystringPHP Aula 06 - Include, Require e Querystring
PHP Aula 06 - Include, Require e Querystring
 
Arrays (vetores) em Java
Arrays (vetores) em JavaArrays (vetores) em Java
Arrays (vetores) em Java
 
Aula 02 - Sistemas, Dados, Informação
Aula 02 - Sistemas, Dados, InformaçãoAula 02 - Sistemas, Dados, Informação
Aula 02 - Sistemas, Dados, Informação
 
Introdução à informática
Introdução à informáticaIntrodução à informática
Introdução à informática
 

Semelhante a Sistemas operacionais de redes II

Cliente e servidor
Cliente e servidorCliente e servidor
Cliente e servidorDavi Silva
 
Apostilas - cliente servidor - aula 1 - fabiula
Apostilas - cliente servidor - aula 1 - fabiulaApostilas - cliente servidor - aula 1 - fabiula
Apostilas - cliente servidor - aula 1 - fabiulaDaniel Silveira
 
Arquitetura cliente servidor
Arquitetura cliente servidorArquitetura cliente servidor
Arquitetura cliente servidorMarcia Abrahim
 
Armazenamento em nuvem como funciona e principais serviços.pptx
Armazenamento em nuvem como funciona e principais serviços.pptxArmazenamento em nuvem como funciona e principais serviços.pptx
Armazenamento em nuvem como funciona e principais serviços.pptxCidrone
 
Fundamentos da arquitetura cliente servidor.
Fundamentos da arquitetura cliente servidor.Fundamentos da arquitetura cliente servidor.
Fundamentos da arquitetura cliente servidor.Valdeir Frizzera
 
[Workshop] Azure Fundamentals
[Workshop] Azure Fundamentals[Workshop] Azure Fundamentals
[Workshop] Azure FundamentalsJaqueline Ramos
 
Módulo 3-Sistema Operativo Servidor - V1.pdf
Módulo 3-Sistema Operativo Servidor - V1.pdfMódulo 3-Sistema Operativo Servidor - V1.pdf
Módulo 3-Sistema Operativo Servidor - V1.pdfFChico2
 
O que é computação em nuvem.docx
O que é computação em nuvem.docxO que é computação em nuvem.docx
O que é computação em nuvem.docxPriscillaZambotti
 
O que é computação em nuvem.docx
O que é computação em nuvem.docxO que é computação em nuvem.docx
O que é computação em nuvem.docxPriscillaZambotti
 
Joana costa tp 1 – trabalho prático www
Joana costa tp 1 – trabalho prático wwwJoana costa tp 1 – trabalho prático www
Joana costa tp 1 – trabalho prático wwwJoana Costa
 
Virus de boot e Time Bomb
Virus de boot e Time BombVirus de boot e Time Bomb
Virus de boot e Time BombMario Kleber
 
Cloud Computing - Conceitos e Aplicações Práticas
Cloud Computing - Conceitos e Aplicações PráticasCloud Computing - Conceitos e Aplicações Práticas
Cloud Computing - Conceitos e Aplicações PráticasRafael Bandeira
 
Introdução à Computação em Nuvem
Introdução à Computação em NuvemIntrodução à Computação em Nuvem
Introdução à Computação em NuvemTonyEsa
 

Semelhante a Sistemas operacionais de redes II (20)

Cliente e servidor
Cliente e servidorCliente e servidor
Cliente e servidor
 
Redes de computador
Redes de computadorRedes de computador
Redes de computador
 
World Wide Web
World Wide WebWorld Wide Web
World Wide Web
 
Apostilas - cliente servidor - aula 1 - fabiula
Apostilas - cliente servidor - aula 1 - fabiulaApostilas - cliente servidor - aula 1 - fabiula
Apostilas - cliente servidor - aula 1 - fabiula
 
Arquitetura cliente servidor
Arquitetura cliente servidorArquitetura cliente servidor
Arquitetura cliente servidor
 
Armazenamento em nuvem como funciona e principais serviços.pptx
Armazenamento em nuvem como funciona e principais serviços.pptxArmazenamento em nuvem como funciona e principais serviços.pptx
Armazenamento em nuvem como funciona e principais serviços.pptx
 
Fundamentos da arquitetura cliente servidor.
Fundamentos da arquitetura cliente servidor.Fundamentos da arquitetura cliente servidor.
Fundamentos da arquitetura cliente servidor.
 
Cloud Computing.pdf
Cloud Computing.pdfCloud Computing.pdf
Cloud Computing.pdf
 
[Workshop] Azure Fundamentals
[Workshop] Azure Fundamentals[Workshop] Azure Fundamentals
[Workshop] Azure Fundamentals
 
Módulo 3-Sistema Operativo Servidor - V1.pdf
Módulo 3-Sistema Operativo Servidor - V1.pdfMódulo 3-Sistema Operativo Servidor - V1.pdf
Módulo 3-Sistema Operativo Servidor - V1.pdf
 
Could Computing
Could ComputingCould Computing
Could Computing
 
Segurança Em Computaçao Na Nuvem
Segurança Em Computaçao Na NuvemSegurança Em Computaçao Na Nuvem
Segurança Em Computaçao Na Nuvem
 
O que é computação em nuvem.docx
O que é computação em nuvem.docxO que é computação em nuvem.docx
O que é computação em nuvem.docx
 
O que é computação em nuvem.docx
O que é computação em nuvem.docxO que é computação em nuvem.docx
O que é computação em nuvem.docx
 
Manutenção de Servidores.pptx
Manutenção de Servidores.pptxManutenção de Servidores.pptx
Manutenção de Servidores.pptx
 
Intro to cloud
Intro to cloudIntro to cloud
Intro to cloud
 
Joana costa tp 1 – trabalho prático www
Joana costa tp 1 – trabalho prático wwwJoana costa tp 1 – trabalho prático www
Joana costa tp 1 – trabalho prático www
 
Virus de boot e Time Bomb
Virus de boot e Time BombVirus de boot e Time Bomb
Virus de boot e Time Bomb
 
Cloud Computing - Conceitos e Aplicações Práticas
Cloud Computing - Conceitos e Aplicações PráticasCloud Computing - Conceitos e Aplicações Práticas
Cloud Computing - Conceitos e Aplicações Práticas
 
Introdução à Computação em Nuvem
Introdução à Computação em NuvemIntrodução à Computação em Nuvem
Introdução à Computação em Nuvem
 

Mais de Daniel Brandão

PHP Aula07 - conexão Com Banco de Dados
PHP Aula07 - conexão Com Banco de DadosPHP Aula07 - conexão Com Banco de Dados
PHP Aula07 - conexão Com Banco de DadosDaniel Brandão
 
Introdução ao editor de texto Word
Introdução ao editor de texto WordIntrodução ao editor de texto Word
Introdução ao editor de texto WordDaniel Brandão
 
CSS - Módulo Básico de WEB
CSS - Módulo Básico de WEBCSS - Módulo Básico de WEB
CSS - Módulo Básico de WEBDaniel Brandão
 
Introducao a Programacao Web - HTML
Introducao a Programacao Web - HTMLIntroducao a Programacao Web - HTML
Introducao a Programacao Web - HTMLDaniel Brandão
 
Introdução ao Banco de dados - Prof. Daniel Brandão
Introdução ao Banco de dados - Prof. Daniel BrandãoIntrodução ao Banco de dados - Prof. Daniel Brandão
Introdução ao Banco de dados - Prof. Daniel BrandãoDaniel Brandão
 
Introdução a Banco de Dados
Introdução a Banco de DadosIntrodução a Banco de Dados
Introdução a Banco de DadosDaniel Brandão
 
Assistente de programação visual gráfica
Assistente de programação visual gráficaAssistente de programação visual gráfica
Assistente de programação visual gráficaDaniel Brandão
 
Logotipos e seus significados
Logotipos e seus significadosLogotipos e seus significados
Logotipos e seus significadosDaniel Brandão
 
Extreme programming (xp) - Resumo
Extreme programming (xp) - ResumoExtreme programming (xp) - Resumo
Extreme programming (xp) - ResumoDaniel Brandão
 
Resumo sistemas operacionais
Resumo sistemas operacionaisResumo sistemas operacionais
Resumo sistemas operacionaisDaniel Brandão
 
Sistemas operacionais mobile
Sistemas operacionais mobileSistemas operacionais mobile
Sistemas operacionais mobileDaniel Brandão
 
Protocolos de Redes: TFTP e DHCP
Protocolos de Redes: TFTP e DHCPProtocolos de Redes: TFTP e DHCP
Protocolos de Redes: TFTP e DHCPDaniel Brandão
 

Mais de Daniel Brandão (18)

PHP Aula07 - conexão Com Banco de Dados
PHP Aula07 - conexão Com Banco de DadosPHP Aula07 - conexão Com Banco de Dados
PHP Aula07 - conexão Com Banco de Dados
 
Introdução ao editor de texto Word
Introdução ao editor de texto WordIntrodução ao editor de texto Word
Introdução ao editor de texto Word
 
CSS - Módulo Básico de WEB
CSS - Módulo Básico de WEBCSS - Módulo Básico de WEB
CSS - Módulo Básico de WEB
 
Introducao a Programacao Web - HTML
Introducao a Programacao Web - HTMLIntroducao a Programacao Web - HTML
Introducao a Programacao Web - HTML
 
Introdução ao Banco de dados - Prof. Daniel Brandão
Introdução ao Banco de dados - Prof. Daniel BrandãoIntrodução ao Banco de dados - Prof. Daniel Brandão
Introdução ao Banco de dados - Prof. Daniel Brandão
 
Painél semântico
Painél semânticoPainél semântico
Painél semântico
 
Modelo de briefing
Modelo de briefingModelo de briefing
Modelo de briefing
 
Introdução a Banco de Dados
Introdução a Banco de DadosIntrodução a Banco de Dados
Introdução a Banco de Dados
 
Assistente de programação visual gráfica
Assistente de programação visual gráficaAssistente de programação visual gráfica
Assistente de programação visual gráfica
 
Logotipos e seus significados
Logotipos e seus significadosLogotipos e seus significados
Logotipos e seus significados
 
Tipos de dados em MySQL
Tipos de dados em MySQLTipos de dados em MySQL
Tipos de dados em MySQL
 
Extreme programming (xp) - Resumo
Extreme programming (xp) - ResumoExtreme programming (xp) - Resumo
Extreme programming (xp) - Resumo
 
Registros no windows 7
Registros no windows 7Registros no windows 7
Registros no windows 7
 
Introdução à Web
Introdução à WebIntrodução à Web
Introdução à Web
 
Resumo sistemas operacionais
Resumo sistemas operacionaisResumo sistemas operacionais
Resumo sistemas operacionais
 
Sistemas operacionais mobile
Sistemas operacionais mobileSistemas operacionais mobile
Sistemas operacionais mobile
 
Protocolos de Redes: TFTP e DHCP
Protocolos de Redes: TFTP e DHCPProtocolos de Redes: TFTP e DHCP
Protocolos de Redes: TFTP e DHCP
 
REDES: Camada física
REDES: Camada físicaREDES: Camada física
REDES: Camada física
 

Sistemas operacionais de redes II

  • 1. Sistemas operacionais de rede: Windows e Linux Por JonathanRibas.com Descrição da aula Todo usuário, seja de qualquer nível, já experimentou problemas de rede ou internet. Alguns tipos de problema só podem ser resolvidos através de um técnico que necessita mexer no “servidor”. Mas o que é este tal de “servidor” e como ele funciona?. Esta aula mostra uma comparação simples de dois sistemas operacionais de rede, comparando os seus recursos e funcionalidades de um ponto de vista que visa a melhor opção para um usuário normal, experiente e avançado. Introdução Um sistema operacional de rede é simplesmente um sistema operacional com serviços de rede, que chamamos de um modo geral de “servidor”. Dependendo do caso em que a rede se encontra, podemos usar vários tipos de estruturas de servidores, algumas delas estão citadas abaixo: 1. Cliente – Servidor 2. Ponto – a – ponto 3. Terminal burro 4. Cloud. Mas para que servem os servidores? Simples, servem para suprir as necessidades dos usuários, que neste contexto chamamos de “clientes”. Alguns exemplos de necessidades e soluções baseadas em sistemas operacionais de rede estão descritos abaixo. • Para integrar um banco de arquivos de uma empresa, instalamos um servidor de arquivos ftp. • Se a empresa possui um software que necessite de vários bancos de dados, instalamos um servidor de banco de dados. • Se os alunos de uma escola entram em material impróprio no contexto escolar, instalamos um servidor proxy. • Se um projeto necessita de grande poder de processamento, usamos um sistema ponto-a-ponto ou um servidor cloud. • Se uma biblioteca deseja criar uma lan house onde os seus clientes tenham identificações únicas, podemos criar terminais burros e as credenciais ficam em um servidor que opera um sistema operacional de rede. Tipos de servidores
  • 2. Existem servidores para todo o tipo de situação, mas o mais importante é saber para que o servidor vai funcionar. Dependendo do tipo de ambiente (local onde será instalado o sistema, problema a ser resolvido ou recurso a ser criado) um servidor é melhor que o outro. Porém os sistemas operacionais de rede são bem flexíveis e permitem que se instale um ou mais servidores em um único sistema operacional. Alguns tipos de servidores e suas características estão descritas abaixo. Cliente-Servidor Atualmente é o tipo de arquitetura mais indicado quando se precisa de permissões, controle e integridade. Podemos dizer que em um lado da “ponta” da rede está o servidor que fornece os recursos (arquivos, banco de dados, dns etc). E do outro lado da “ponta” está o cliente que utiliza os recursos do servidor. Podemos exemplificar esta arquitetura como uma academia. O administrador do servidor seria o dono da academia que fazem as regras da academia, horário de abertura e fechamento, hierarquias e permissões e cobrança do serviço que os clientes utilizam (pessoas que frequentam a academia). Há também os instrutores, normalmente pessoas formadas em educação física. Estes instrutores ajudam as pessoas da academia em seus exercícios físicos e notificam as pessoas que estão fazendo errado com advertências. Os instrutores da academia podem ser comparados com os moderadores que monitoram os clientes e notificam para o administrador do sistema falhas de segurança e infração de regras feitos pelos clientes. E finalmente temos as pessoas que utilizam a academia. Elas pagam pelo serviço que academia oferece e praticam exercícios físicos com a ajuda dos instrutores que estão sempre por perto para auxiliar e informar como se deve proceder os exercícios físicos. As pessoas da academia podem ser comparadas aos clientes (usuários) do sistema, que utilizam os recursos do servidor e são monitorados pelos moderadores. Nesta arquitetura nós temos duas divisões: O cliente – servidor dedicado e o cliente – servidor não dedicado. Cliente-Servidor dedicado O cliente – servidor dedicado é usado geralmente quando um serviço é utilizado por vários clientes em tempo integral e que precise ser seguro e confiável. Por exemplo, a loja Vende+ possui além da sua matriz, 100 filiais espalhadas pelo país. Esta mesma loja possui um sistema integrado que conecta todas as lojas, então caso um cliente desta loja queira que um produto seja entregue em outra cidade que também possui uma loja Vende+. É óbvio que o sistema da loja Vende+ vai precisar de um servidor de banco de dados para armazenar informações e também é óbvio que este banco de dados precisa ser guardado com segurança e tenha rotinas de backup para garantir sua integridade. Então o ideal para este sistema é uma estrutura cliente – servidor dedicado, pois além de precisar de um poder de processamento maior do que o cliente – servidor não dedicado, precisa de uma rede de alta velocidade e um maior investimento.
  • 3. Podemos concluir então que a arquitetura cliente – servidor dedicado é utilizada geralmente para soluções que necessitem de uma confiabilidade muito grande e que não deixem o cliente “na mão”. Cliente-Servidor não dedicado O Cliente – Servidor não dedicado é utilizado quando se precisa utilizar o servidor para outros fins que não sejam recursos compartilhados. Podemos utilizar como exemplo um pequeno escritório de advocacia onde os advogados João e Maria trabalham. Os dois advogados foram contratados para trabalhar em um caso de propaganda enganosa. Eles querem dividir os documentos eletrônicos que estão produzindo como provas para ganhar a causa. Então o ideal para eles é criarem um servidor de arquivos onde os dois irão gravar e ler os documentos. Não é necessário um alto poder de processamento, nem permissões de arquivo, pois os dois advogados só querem compartilhar os arquivos. Então o ideal para este caso é uma estrutura cliente – servidor não dedicado. João poderá utilizar seu computador como servidor de arquivos e ao mesmo tempo produzir seus documentos enquanto Maria poderá ler os arquivos de João e compartilhar os seus também. Além de arquivos, eles podem compartilhar a mesma impressora ou qualquer outro dispositivo através de um servidor em qualquer um dos computadores, desde que estejam ligados á rede. Podemos concluir então que enquanto o servidor dedicado se “dedica” apenas à tarefas relacionadas com servidores, o servidor não dedicado pode tanto ser utilizado como servidor como pode ser utilizado com uma interface gráfica onde podem ser executados aplicativos que só um usuário utiliza. Ponto-a-ponto Ao contrário da arquitetura cliente – servidor, o foco do ponto – a – ponto (que também pode ser chamada de peer-to-peer ou p2p) é a distribuição de serviços, onde todo mundo é ao mesmo templo um cliente e um servidor. Atualmente as melhores aplicações desta arquitetura são de resolução de problemas matemáticos e distribuição de arquivos pela internet. Devido à baixa restrição que este tipo de arquitetura oferece comparado ao cliente-servidor, ainda não é utilizado para sistemas operacionais em grande escala. Terminal burro Semelhante ao cliente – servidor o terminal burro consiste um servidor que fornece todos os recursos de processamento para vários periféricos de entrada e saída. Estes periféricos estão conectados à um computador de baixo processamento, que conectado à rede com o servidor, envia os dados do usuário e depois que estes dados são processados pelo servidor, são mostrados na tela para o usuário que fica com a ilusão que ele está usando uma máquina local quando na verdade tudo o que está acontecendo fica dentro do servidor.
  • 4. Cloud A arquitetura do tipo “nuvem” é um conceito antigo porém sua fama vem aumentado devido à internet. Esta arquitetura consiste em um computador conectado à Internet que provê o servidor e todos os aplicativos de dentro da “nuvem”, pois não se sabe o lugar e nem como os dados do cliente estão sendo processados. Esta arquitetura independe da plataforma e sistema que é utilizado no cliente. A única coisa que é preciso em um computador para que esta arquitetura funcione é um navegador de internet e a própria conexão com a “nuvem”. Alguns exemplos que utilizam esta arquitetura estão listados abaixo. • Google Drive • Eye OS • Google Docs • Sky drive • Netflix • Google Analytics • ICloud Como já comentado nesta aula, a melhor arquitetura dependerá do problema que deve ser resolvido. Da mesma forma que um servidor dedicado não deve ser configurado com um sistema operacional que foca mais a interatividade com usuário do que com diretivas de segurança você não deve configurar um sistema operacional extremamente complexo para uma simples troca de músicas entre duas pessoas. Por isto uma análise completa da situação do problema, infraestrutura e recursos disponíveis, tempo e necessidade da solução e outros pontos vão ser indispensáveis para aplicação de um servidor. Abaixo estão algumas comparações dos serviços oferecidos por dois sistemas operacionais que possuem vantagens e desvantagens dependentes do tipo de servidor escolhido. Windows Server Da empresa Microsoft este sistema operacional está sempre do lado do usuário, dificultando a vida dos administradores de redes. Para o contexto de sistemas operacionais de rede, poucas pessoas são realmente capacitadas para desenvolver um servidor que seria tão bom comparado à um servidor Linux. Porém algumas tarefas de configuração são bem mais fáceis de serem executadas, pois a maioria dos computadores ainda usarem os sistemas operacionais desta empresa. Características principais • Software proprietário, isto é, pago. • Aplicações mais fáceis de planejar e construir • Configurações simplificadas • Manutenção e atualizações constantes • Menor custo a curto prazo, maior custo à longo prazo. • Baixa flexibilidade • Multitarefa • Multiprocessamento
  • 5. • Maior quantidade de erros e bugs. • Instável quando muitos clientes conectam simultaneamente • Ideal para pequenas empresas e lugares onde não utilizem muitos recursos variados Tipos de servidores • Servidor de arquivos : Diretórios compartilhados do windows. • Controle de acesso: Windows Active Directory • Servidor HTTP : Apache • Servidor de aplicações : . NET • Servidor de impressão • Servidor de comunicação • Terminal Server Linux Server Existem várias distribuições que vêm com núcleo “Linux” e que possuem as mesmas funções, com pequenas alterações que se adaptam ao gosto do administrador de rede. Alguns preferem utilizar a distribuição “Ubuntu” por ser mais interativa e descomplicada. Outros preferem utilizar a distribuição “Slackware” que é mais complexa no início, porém possui uma estrutura extremamente simplória estável e segura. Outras distribuições populares estão listadas abaixo. • Fedora • BSD • Linux Mint • Mandriva • Xubuntu • openSUSE • Debian As distribuições são diferentes porém o propósito é o mesmo. Servir como base de soluções em servidores simples e com a máxima eficiência. Algumas características de servidores baseados no núcleo “Linux” estão descritas abaixo. Características principais • Software open-source, isto é, grátis. • Aplicações necessitam de maior planejamento e configuração • Configurações complexas que necessitam de estudo e manual • Raramente acontecem manutenção e atualizações • Maior custo a curto prazo, menor custo à longo prazo. • Alta flexibilidade • Multitarefa • Multiprocessamento • Confiável • Estável
  • 6. • Ideal para administradores de redes que necessitam de um servidor seguro e de pouca manutenção Tipos de servidores • Servidor de arquivos : Samba • Controle de acesso: openLDAP • Servidor HTTP : Apache • Servidor de aplicações : PHP, Tomcat, • Servidor de impressão : CUPS • Servidor de comunicação • Terminal Server : LTS Conclusão Os sistemas operacionais de rede nunca estiveram tão complexos de entender e completos para aprender. Existem na internet infindáveis soluções para cada tipo de servidor, desde configurações simples em janelas até compilações complexas de serviços específicos. O principal para saber por onde se guiar é saber o que se quer encontrar. Não adianta vasculhar a internet procurando uma solução baseado em um planejamento vago. É preciso estudo e análise da situação para conseguir criar um bom planejamento para instalar um servidor de maneira rápida e que não precise de muitas manutenções, pois cada manutenção custa tempo e dinheiro. O objetivo desta aula foi mostrar da forma mais simples possível o que são sistemas de computador de rede e quais suas diferenças na arquitetura e programação. Alguns itens foram deixados de lado para a aula não ficar muito extensa. Podemos citar aqui por exemplo os componentes de uma rede, as topografias e os tipos de camadas que envolvem a parte de comunicação de um computador para o outro. Porém estes assuntos ficam para uma próxima oportunidade. Dúvidas Surgiu alguma dúvida? Esse é o espaço para debatermos e conversarmos a respeito do assunto proposto. Muito obrigado!