reformador-2005-01

633 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
633
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

reformador-2005-01

  1. 1. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 3 EDITORIAL 4 Caridade na Casa Espírita Revista de Espiritismo Cristão PRESENÇA DE CHICO XAVIER 16 Ano 123 / Janeiro, 2005 / No 2.110 Oração diante do Tempo – Irmão X ENTREVISTA: LEO GAUDET 17 Como surgiu o Movimento Espírita em Quebec, Canadá ESFLORANDO O EVANGELHO 21 Inverno – Emmanuel PÁGINAS DA REVUE SPIRITE 29 O Espiritismo no Brasil – Extrato do Diário da Bahia – Allan Kardec Fundada em A FEB E O ESPERANTO 30 21 de janeiro de 1883 Fundador: Augusto Elias da Silva Departamento de Esperanto da FEB – Affonso Soares ISSN 1413-1749 Homenagem a um pioneiro 31 Propriedade e orientação da FEB – CONSELHO FEDERATIVO NACIONAL 33 Federação Espírita Brasileira Direção e Redação CFN realiza a Reunião Ordinária de 2004 Av. L-2 Norte – Q. 603 – Conj. F (SGAN) 70830-030 – Brasília (DF) SEARA ESPÍRITA 42 Tel.: (61) 321-1767; Fax: (61) 322-0523 Home page: http://www.febnet.org.br Solidariedade – Juvanir Borges de Souza 5 E-mail: feb@febrasil.org.br webmaster@febnet.org.br Acidente na estrada – Carlos Abranches 8 Prosseguimento na luta – Bezerra de Menezes 10Para o BrasilAssinatura anual R$ 30,00 O Espírito do Bem – Paulo Nunes Batista 11Número avulso R$ 4,00Para o Exterior Fatos que nos lançam no rumo da tese reencarnacionista – 12Assinatura anualSimples US$ 35,00 Jorge HessenAérea US$ 45,00 Um ano maravilhoso – Richard Simonetti 15Diretor – Nestor João Masotti; Diretor-Substituto e Edi-tor – Altivo Ferreira; Redatores – Affonso Borges Spartaco Ghilardi 18Gallego Soares, Antonio Cesar Perri de Carvalho,Evandro Noleto Bezerra e Lauro de Oliveira São Mensagem – Sylvino Canuto Abreu 19Thiago; Secretária – Sônia Regina Ferreira Zaghetto; Quem é Jesus? – Ruy Gibim 20Gerente – Amaury Alves da Silva; REFORMADOR:Registro de Publicação no 121.P.209/73 (DCDP Compromisso com a Paz Global – Organização das 22do Departamento de Polícia Federal do Ministério daJustiça), CNPJ 33.644.857/0002-84 – I. E. 81.600.503. Nações Unidas Repensando Kardec – Da Lei de Reprodução – 24 Departamento Editorial e Gráfico Rua Souza Valente, 17 Inaldo Lacerda Lima 20941-040 – Rio de Janeiro (RJ) – Brasil Tel.: (21) 2187-8282; Fax: (21) 2187-8298 A chave do reino dos céus – Paulo Roberto Viola 26 E-mail: redacao.reformador@febrasil.org.br FEB/CFN – Comissões Regionais – Calendário 28 E-mail: assinaturas.reformador@febrasil.org.br das Reuniões Ordinárias de 2005Capa: Alessandro Figueredo O livre exercício da mediunidade – Mauro Paiva Fonseca 32Tema da Capa: Comemorando a chegada de um Presença de Raul e Divaldo em Brasília 37Novo Ano, o tema SOLIDARIEDADE é mensagemde Esperança e Paz aos nossos leitores. William Crookes – Marco Túlio Laucas 38
  2. 2. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 4 Editorial Caridade na Casa Espírita bem conhecida a orientação que os Espíritos Superiores oferecem, através da Doutrina Espíri- É ta, com relação ao que nos cabe fazer diante da permanente necessidade de solucionar nossos problemas, aprimorando-nos e aprimorando o mundo em que vivemos: “Fora da caridade não há salvação.” Para não deixar dúvidas quanto ao que nos queriam dizer, explicaram qual o verdadei- ro sentido da palavra caridade, como a entendia Jesus: “Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas.” (Questão 886 de O Livro dos Espíritos.) A despeito da abrangência com que nos é colocada, a prática da caridade tem sido interpretada, normalmente, como atividade a ser desenvolvida junto a pessoas fora dos nossos círculos de ativida- de, necessitadas de recursos, principalmente materiais. Nos próprios núcleos espíritas, todavia, à medida que as tarefas aumentam e os desafios se des- dobram, sente-se, cada vez mais, o imperativo da prática da caridade interior, aquela que é exercida entre os companheiros de trabalho doutrinário. Com ela, exercitando a benevolência, aumentamos a nossa capacidade de ajudar nosso irmão mais próximo, procurando conhecer e compreender as suas necessidades, atenuando-as e prevenin- do-as tanto quanto possível. Com ela, ainda, exercitando a indulgência, reconhecemos o colabora- dor da seara espírita, com as imperfeições que também nos caracterizam, esperando a nossa com- preensão pacificadora. Com ela, finalmente, exercitando o perdão, aprendemos a importância do aguilhão, sempre presente em nossa vida, a convocar-nos para a prática do amor incondicional, úni- co que nos permite ascender a níveis mais altos de vivência moral. Será sempre através da prática da caridade no seio das nossas Casas Espíritas que teremos condi- ções de estabelecer e fortalecer a união entre os seus colaboradores, indispensável à execução do tra- balho que nos dignifica. Se pretendemos, realmente, a realização correta da nobre tarefa que assumimos diante da Providência Divina, de promover o estudo, a difusão e a prática da Doutrina Espírita – visando à construção de um mundo novo, com a formação de melhores homens –, cabe-nos vivenciar a cari- dade entre nós, lembrando-nos de que fora da união não há solução. 2 Reformador/Janeiro 2005 4
  3. 3. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 5 Solidariedade Juvanir Borges de Souza mesmo reconhecendo que ainda Por isso, os mais atrasados na não temos condições de conhecê-lO marcha evolutiva são auxiliados pe- na sua plenitude e na sua natureza los mais adiantados. Qualquer que ela concepção de Deus, a cau- íntima, já podemos sentir a grande- seja a posição ocupada pelo ser, há P sa primária de tudo o que existe, inteligência suprema, tal como a Doutrina dos Espíritos za e a beleza de suas leis, sempre justas, a reger tudo o que Ele criou e cria, em todo o infinito do Uni- sempre um dever de solidariedade de sua parte para com seus seme- lhantes mais necessitados. apresenta o Criador dos Universos, verso. Essa regra divina explica o fato podemos perceber que os Espíritos Com essas noções essenciais re- de todos os povos, todas as raças Reveladores procuraram evitar uma veladas pelos Espíritos a serviço do humanas, em todas as épocas, te- definição limitativa do que é infini- Cristo de Deus, retificam-se muitas rem recebido emissários enviados to, em todos os seus atributos. idéias geradas por crenças, religiões, pelo Governo do Orbe Terrestre, “A inferioridade das faculdades filosofias e superstições decorrentes para proporcionar-lhes melhor en- do homem não lhe permite com- da multiplicidade dos deuses antro- tendimento da Vida, seja no terre- preender a natureza íntima de pomorfos de todo o passado da no religioso, no campo científico Deus”, observa o Codificador da Humanidade. ou na organização social. Doutrina, em nota à questão 11 de A idéia correta de Deus, oriun- Explica também a vinda do O Livro dos Espíritos, mas “pode- da dos ensinos de Jesus, o Cristo, Cristo a esta Esfera que habitamos, mos [os homens] formar idéia de ampliada e explicada pelo Consola- embora soubesse Ele que não seria algumas de suas perfeições” (ques- dor por Ele prometido e enviado, entendido imediatamente pela gran- tão 12). demonstra que toda a raça humana de maioria daqueles a quem se diri- Esclareceram, ainda, os Instru- é filha do mesmo Pai e que existe gia. tores Espirituais, que há questões naturalmente um laço de solidarie- Apesar de saber como seria tra- que estão muito acima da capacida- dade entre todos os seres, oriundos tado, em razão da incompreensão, de de entendimento do homem, da mesma fonte criadora. do atraso e da ignorância dos ho- por mais inteligente que seja. Essa solidariedade decorre das mens, nem por isso deixou de ofe- Na fase evolutiva em que se en- leis divinas e funciona independen- recer-lhes novos conhecimentos, contram os habitantes deste plane- temente da liberdade individual, do exemplos marcantes de amor, na ta, bastante superior às de períodos atraso decorrente dos desvios de ca- sua expressão mais sublime de per- milenares anteriores, foi possível à da um e da incompreensão que dão, de sacrifício e de renúncia. Espiritualidade Superior revelar leis atinge grandes contingentes de Es- A solidariedade é uma forma divinas que regem toda a Criação, píritos, movidos por crenças e filo- de expressão do amor, lei universal embora tenha advertido claramen- sofias em desacordo com a realida- do Criador que abrange toda a Cria- te que o Criador, na sua infinita sa- de e com a Verdade. ção. bedoria, não permite que ao ho- Em outras palavras, a solidarie- Revelações sucessivas, inspira- mem, por suas naturais limitações, dade é uma conseqüência das pró- ções superiores no campo das ciên- seja tudo revelado neste mundo. prias leis divinas, ou naturais, esta- cias e das artes, intuições comuns Relembrando essas noções bá- belecidas para todos os Espíritos, recebidas pelas criaturas, sem mes- sicas da Doutrina Espírita a respei- em qualquer grau evolutivo em que mo saberem da sua procedência, to do Deus de nossos corações, se encontrem. são formas de auxílio superior em Reformador/Janeiro 2005 3 5
  4. 4. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 6 favor dos que habitam a Terra. Não corrigir os desvios, despertar os Todos os Espíritos foram cria- deixam de ser formas de socorro, de adormecidos e enganados em seus dos simples e ignorantes. A evolu- amor, de solidariedade, de frater- objetivos, relembrando a todos a ção de cada um depende dos esfor- nidade. sua natureza espiritual de seres ços, da dedicação, do trabalho, da O Consolador prometido por imortais, que precisam continuar aplicação de seus dons de inteligên- Jesus e por Ele enviado é uma for- suas jornadas para além da morte cia e de sentimentos em relação aos ma de Amor de Deus a suas criatu- do corpo perecível. outros seres com os quais convive ras, justamente na época e na hora A par desses objetivos, ela cum- ou mantém relacionamento. tão difícil atravessada pela Huma- pre a promessa do Cristo de deixar A Lei de Justiça, Amor e Cari- nidade, no “século das luzes” e do com os homens, para sempre, o dade, que sintetiza todas as leis mo- materialismo. Foi e continua a ser outro Consolador, em complemen- rais, pressupõe um relacionamento pelo tempo futuro uma forma de tação ao anterior – o Cristo e sua permanente do ser com seu Criador solidariedade do Superior ao infe- Mensagem. e com as outras criaturas. Ninguém rior, num momento de influências pode viver inteiramente isolado dos negativas, materialistas, niilistas, outros seres. que precisavam ser contestadas. Co- A Revelação Espírita Nessa circunstância da vida de mo os homens não demonstraram relação, podemos perceber a fatali- ter capacidade para oposição ao é um despertamento dade e a necessidade da solidarieda- materialismo triunfante, o Mundo de entre os seres. Espiritual Superior apresentou os permanente para as Na ordem material, intelectual esclarecimentos indispensáveis para e moral, tudo o que o ser faz, diz ou a elucidação, tão necessária, sob a almas adormecidas pensa tem repercussão nos outros forma de uma Nova Revelação. seres. Cada revelação vinda de Cima Daí a regra áurea ensinada por é continuação de outras anteriores. Esse Consolador estará relem- Jesus e que se encontra como nor- O Espiritismo, a Doutrina dos brando ao homem, em caráter per- ma moral de diversas filosofias e re- Espíritos, é não só a continuação da manente, o seu destino de criatura ligiões antigas: Doutrina do Cristo, mas também o imortal, desenvolvendo-lhe seus re- “Fazes ao teu próximo o que outro Consolador prometido por cursos e aptidões latentes para tor- quererias que ele te fizesse.” Ele, que sabia das necessidades fu- nar-se melhor, mais feliz e mais so- Não há regra mais justa e de turas de uma Humanidade carente lidário com seus semelhantes. mais fácil entendimento, mesmo de reajustamentos em seus conheci- A Revelação Espírita é um des- para criaturas iniciantes no conhe- mentos e sentimentos. pertamento permanente para as cimento e na moralidade, já que Grande parte dos Espíritos en- almas adormecidas iniciarem ou rei- parte do desejo natural do bem pa- carnados na Terra, esquecidos ou niciarem sua marcha evolutiva, ex- ra si próprio, aplicado aos outros. ignorantes de seu destino e de sua plicando que têm um passado que condição de seres em evolução, vai muito além do renascimento na ... deixaram-se influenciar por diver- vida atual, ligada a um corpo, e que sas formas de materialismo, profun- o futuro que as espera não é um céu O sentimento da solidariedade damente prejudiciais ao seu pro- ou um inferno criados pela ignorân- é sempre mais evidente quanto gresso. cia dos homens, mas um desdo- mais evoluído é o ser. As religiões tradicionais e as bramento, uma conseqüência dos O exemplo maior de solidarie- ciências influenciadas pelo materia- pensamentos e dos atos gerados e dade é o Amor de Deus para com lismo não tinham condições de se praticados no presente e no passado. todas as suas criaturas, por meno- opor aos desvios humanos em sua Mas o Espírito, encarnado ou res que sejam, ou por estarem no marcha ascendente. livre, não pode isolar-se do meio início da evolução a que são desti- A Nova Revelação veio, assim, em que vive. nadas. 6 4 Reformador/Janeiro 2005
  5. 5. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 7 Por isso, na Revelação Espírita, deiramente sacrificiais, com o obje- prevalecem o erro e as paixões, a torna-se inadmissível, por injusta e tivo de auxílio direto a seus entes maldade e a insensibilidade, se não incompatível com a Justiça e a Bon- amados. houvesse a solidariedade e o amor dade de Deus, a idéia de um infer- A reencarnação de missionários dos que estão à frente, com o dese- no eterno de sofrimentos para as com tarefas definidas, objetivando jo de auxiliá-los e mostrar-lhes o ca- criaturas que infringem as leis di- o esclarecimento, ou o avanço de minho do bem? vinas. um povo, seja no campo dos co- Espíritos que já compreende- Concepções antiqüíssimas de nhecimentos científicos, seja no do ram o alto sentido da solidariedade, homens muito atrasados e interpre- aperfeiçoamento dos sentimentos, que já sentem a importância do tações equivocadas das escrituras re- ou da ordem social, não são magní- amor e a prática da caridade, envol- ligiosas, mesmo nas denominadas ficos exemplos de solidariedade? vem em seus sentimentos seus com- Igrejas cristãs, são responsáveis por panheiros mais atrasados na jorna- esse erro terrível, que a Doutrina da evolutiva. dos Espíritos procura retificar, den- A solidariedade Mesmo em nossa Esfera carnal, tro da lógica, da razão e da sabedo- mundo de expiações e provas, a ria dos ensinos da Espiritualidade é o oposto do sensibilidade, por eles desenvolvida, Superior. estende-se à Natureza que os envol- Nenhum Espírito se perde em egoísmo, ve e por isso passam a admirar o fir- condenação eterna de seu Criador. mamento, com os astros visíveis à A Justiça de Deus tem muitas for- o grande noite, a beleza plácida dos mares, mas de retificar os erros de suas dos rios e lagos, o reino vegetal na criaturas, por mais rebeldes que se- característico variedade das espécies e das flores jam, sem necessidade de recorrer a multicoloridas, os animais com seus contradições com seu Amor e Bon- dos seres instintos. dade. Descobrem, então, que a soli- Quanto mais elevado na escala imperfeitos dariedade é, na Criação Divina, evolutiva, mais solidário é o Espíri- muito mais vasta do que parece, to para com aqueles que amou, os não se limitando aos seres racionais, que partilharam suas alegrias e tris- Sem dúvida, são vibrações de mas está presente em todos os rei- tezas e ficaram para trás em reencar- amor solidário de criaturas que já nos da Natureza. nações terrestres. alcançaram posições superiores, por Dentro dessa comunhão soli- A evolução espiritual não apa- seus próprios esforços, que se pro- dária, compreendendo os seres ra- ga os laços de amor, amizade e soli- pagam em mundos materiais como cionais e os outros reinos da Natu- dariedade para com aqueles que se o nosso, graças à ação sacrificial ca- reza, o Espírito liberto das inferio- atrasaram na carreira evolutiva. paz de renovar a fé, a esperança, a ridades já ultrapassadas, e movido Sem desobediência aos precei- vontade de melhorar, naqueles que pela compreensão da grandeza e do tos das leis divinas, Espíritos radio- estão na retaguarda. poder do Criador de todas as coisas, sos, bem mais adiantados que os Na verdade, na vida coletiva, impele naturalmente seu pensa- encarnados na Terra, compadecem- progridem, espiritualmente, aque- mento, impregnado de sentimentos -se de seus irmãos retardatários, les que trabalham e se esforçam pa- de gratidão e de reconhecimento, inspirando-os no bem, sem ferir- ra servir aos outros e não somente a ao Deus de nossos corações. -lhes a liberdade de decisão. si próprios, egoisticamente. É o sentido da prece em louvor Há, na literatura espírita, rela- A solidariedade é o oposto do ao Deus de Amor e Justiça, toda tos do interesse e da solidariedade egoísmo, o grande característico dos sentimento, que independe de pa- de seres bem adiantados, em relação seres imperfeitos. lavras, de fórmulas decoradas e de aos que ficaram para trás, que se Que seria dos Espíritos retarda- recitativos, usuais nas religiões for- submeteram a reencarnações verda- dos, inferiores, das Esferas em que malistas. > Reformador/Janeiro 2005 5 7
  6. 6. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 8 Acidente na estrada Pedido, louvor ou agradeci- mento, a prece verdadeira resulta do convencimento sincero do ser de que é um elo da corrente de dimen- sões infinitas da Criação. Não im- Carlos Abranches porta que esse elo seja pequenino. Ligado à grande corrente, sente os efeitos da solidariedade dos seres Pela estimativa do órgão, ocor- oriundos da mesma Causa. rem por dia 723 acidentes nas ro- Esse pensamento, impregna- dovias pavimentadas, morrendo no do de sentimentos elevados de res- local 36 pessoas; 418 pessoas ficam peito e de admiração à Inteligên- feridas, sendo que destas 30 irão fa- cia e ao Poder Supremo, é a mais pesar de o Ministério da Saú- lecer nos hospitais. alta expressão da fé e da esperan- ça já encontradas pelo ser no ca- minho ascensional para a felici- A de divulgar 32 mil mortes por ano decorrentes de acidentes de trânsito no Brasil, o SOS Estra- ... A abordagem do assunto nesta dade. das, programa de redução de aci- página espírita pretende levar a Alcançado esse estado de soli- dentes, estima que pelo menos 42 questão para um ângulo diferencia- dariedade e de compreensão, o mil pessoas morrem no trânsito do do problema. Como fica o lado egoísmo e o orgulho, as grandes brasileiro todos os anos. espiritual das vítimas de um aciden- chagas que prevalecem nas Esfe- O SOS é um programa elabo- te de trânsito? Qual é o peso de ras inferiores, estarão dominados e rado pelo site www.estradas.com.br, uma desencarnação nessas condi- ultrapassados pelos seres que já maior portal de rodovias do Brasil. ções para o quadro cármico das ví- descobriram um novo sentido da De acordo com a pesquisa “Morte timas? Em que tipo de processo o Vida. no Trânsito – Tragédia Rodoviária”, causador do acidente se enquadra, Todos os Espíritos imperfeitos divulgada em maio de 2004, o nú- perante a lei natural? que habitamos este mundo áspe- mero de vítimas é equivalente ao de Refiro-me a esse fato depois de ro e que, às vezes, nos chocamos mortos em acidentes de trânsito acompanhar de perto um brutal com acontecimentos profundamen- nos Estados Unidos, país com 293 acidente próximo de São José dos te tristes – guerras, conflitos, se- milhões de habitantes e frota de au- Campos (SP), ocorrido no dia 13 qüestros, crimes, miséria, decadên- tomóveis dez vezes maior que a de julho de 2004. Ele aconteceu na cia moral e corrupção – precisamos brasileira. rodovia dos Tamoios, que dá aces- meditar profundamente na necessi- Dos acidentes com morte no so ao litoral norte do Estado de São dade de reverter esses quadros ter- local ou durante o transporte para Paulo, envolvendo dois carros: uma ríveis. o hospital, 69% dos óbitos ocorrem caminhonete com 4 pessoas – o pai A orientação para tanto já se decorrentes de acidentes nas estra- e três filhos –, e um Monza com 6 encontra no mundo, há muito, e se das. Pelo menos 11 mil feridos de viajantes dentro. expressa na Mensagem do Cristo, acidentes rodoviários morrem nos Os seis ocupantes do Monza resumida na necessidade de amar a hospitais. morreram e os quatro da picape fi- Deus e aos nossos semelhantes, e Segundo projeções feitas pelo caram gravemente feridos. reafirmada pelo Consolador por Ele SOS Estradas, 24 mil pessoas mor- Segundo a Polícia Rodoviária enviado. rem em decorrência de acidentes Estadual, o motorista da D-20 te- A solidariedade, na Terra, re- nas estradas, o que representa 57% ria perdido o controle do veículo e sulta da compreensão dessa Mensa- do total de 42 mil vítimas fa- colidido frontalmente com o Mon- gem e da sua prática, pela sua vi- tais em acidentes de trânsito em za. vência pela maioria dos habitantes áreas urbana e rodoviária em todo deste planeta. o País. ... 8 6 Reformador/Janeiro 2005
  7. 7. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 9 Fechando os olhos objetivos do tudo é mobilizado para garantir ao cesso de velocidade, a irresponsa- fato em si, para abrir a percepção acidentado as melhores condições bilidade na condução de um carro da realidade espiritual que envolve de recuperação imediata, em busca provocam revolta, sobretudo se o ocorrências como essa, é possível da preservação do equilíbrio emo- causador da tragédia sobrevive ao vislumbrar o cenário da tragédia, cional. impacto. tomando como que de surpresa to- O que fica para analisar-se de- O que se depreende disso tu- dos os envolvidos. pois são as causas cármicas de todo do, considerando-se a excelência Ali estão os viajantes, que nem o processo. O que via de regra leva dos fundamentos evangélicos da vi- de longe se permitem ao menos um grupo de pessoas a morrer em são espírita do fato, é que se o “es- imaginar a possibilidade de um um mesmo acidente são compro- cândalo” for necessário, ele será o acidente no percurso. Na pista missos semelhantes em atos pregres- elemento aferidor do resgate. Alívio contrária, igualmente vem um mo- sos, que desencadearam nos envol- para quem sofre o processo, desafio torista, ou uma família, concentra- vidos os mesmos processos de para quem o desencadeia. O desa- da apenas em completar bem a resgate para o futuro. tento, o invigilante, aquele que pro- viagem. vocou o acidente acaba assumindo De repente, sob circunstâncias responsabilidades perante a mesma inesperadas, a derrapagem, o estou- Quando se quita Lei que legitimou o retorno dos ou- ro de um pneu, a quebra de uma tros a padrões de maior equilíbrio peça do veículo. O barulho da pan- a conta negativa, interior. cada e a dor dos gemidos... ... Enquanto pessoas que passam ganha-se crédito ajudam nos primeiros socorros às Resta ao espírita consciente vítimas, o lado espiritual também de alívio diante agir de forma serena e amorosa atua imediatamente, acionando nesse momento. Ao presenciar dra- equipes de plantão responsáveis pe- da Lei mas como o de um acidente, não lo trecho da pista em que o aciden- apenas propiciar apoio ao que se te ocorreu. exigir de imediato, mas também O atendimento começa de ime- Naquele momento, na mesma manter a atenção ao que se passa diato, no acompanhamento médi- situação, eis que a cena da dívida se na realidade espiritual, colaboran- co-espiritual das vítimas mergulha- revela, facultando o pagamento co- do em prece para que o ambiente das no tenso ambiente da desencar- mum do débito espiritual. na cena da tragédia permaneça o nação dramática. Quando se quita a conta nega- mais ameno possível, a fim de que Segundo as referências biblio- tiva, ganha-se crédito de alívio dian- os que desencarnam voltem à vida gráficas confiáveis em que nos fir- te da Lei. É de supor-se que, apesar plena com uma carga mais leve de mamos para escrever esta página*, da brutalidade do acidente e do dores. a condução dos acidentados é feita estado lastimável em que ficam os Sabemos da importância cru- dentro de parâmetros semelhantes corpos dos acidentados, o Espírito cial do pensamento reto e elevado, aos da Terra. Ambulâncias, macas, pode, dependendo de suas condi- focado na oração. É em vivências equipamentos de alta sofisticação, ções ético-morais, em breve tempo como essa que ela se faz suave brisa recuperar o equilíbrio e adequar-se em torno do sofredor, dando a ele *Manoel Philomeno de Miranda narra uma si- às novas condições de vida após a o amparo necessário, vindo de tuação parecida no livro Painéis da obsessão. morte. quem sabe o que significa voltar ao Divaldo Franco e Chico Xavier receberam me- O que dói nas reflexões de mundo espiritual, sobretudo em diunicamente diversas mensagens de pessoas quem fica são as causas do acidente circunstância tão dolorosa. mortas em acidentes. Essas mensagens, de alta consolação para os parentes, estão em diversos que levou tantos amores para a vi- Façamos a nossa parte, e cola- livros da produção mediúnica dos dois traba- da do mais além. A possível impru- boremos com o mundo melhor que lhadores espíritas. dência do causador da batida, o ex- tanto queremos... Reformador/Janeiro 2005 7 9
  8. 8. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 10 Prosseguimento na luta Mensagem do Dr. Bezerra de Menezes na Reunião do CFN de 2004 Filhos da alma: ram através dos impositivos restri- rosas para enxugar as lágrimas e os Que o Senhor nos abençoe! tivos à liberdade individual e das suores de todos aqueles que sofrem, massas. mas sobretudo, para eliminar as Não podemos negar que este é causas do sofrimento, erradicando- criatura terrestre destes dias, o grande momento de transição do -as por definitivo... E essa tarefa ca- A guindada pela ciência e pela tecnologia a patamares eleva- dos do conhecimento, ainda estor- Mundo de Provas e de Expiações para o Mundo de Regeneração. Trava-se em todos os segmen- be à educação. Criando nas mentes novas o pensamento perfeitamente consentâneo com o Evangelho de cega nas aflições do seu processo tos da sociedade, nos mais diferen- Nosso Senhor Jesus-Cristo, retiran- evolutivo. ciados níveis do comportamento fí- do as anfractuosidades teológicas e As conquistas relevantes logra- sico, mental e emocional, a grande dogmáticas com que o revestiram, das até este momento não conse- batalha. produzindo arestas lamentáveis ge- guiram equacionar o problema da O Espiritismo veio para estes radoras de atritos e de perturbações. criatura em si mesma. momentos, oferecendo os nobres Não é possível mais postergar Avolumam-se os conflitos en- instrumentos do amor, da concór- o momento da iluminação de cons- tre as nações apesar do esforço de dia, do perdão, da compaixão. ciência. E o sofrimento que decor- abnegados missionários na área da Iluminou o conhecimento ter- re da abnegação e do sacrifício que política e da diplomacia interna- restre com as diretrizes próprias pa- nos deve constituir estímulos são cionais. Cresce o conflito entre os ra o encaminhamento seguro na di- os meios únicos e eficazes para que grupos sociais, nada obstante o em- reção da verdade. seja demonstrada a excelência dos penho de dedicados seareiros do Ensejou à filosofia uma visão paradigmas e dos postulados da Bem, tornando-se pontes para o en- mais equânime e otimista a respei- Codificação Espírita. tendimento entre os grupos liti- to da vida na Terra. As criaturas humanas estão de- gantes. Facultou à religião o desalge- cepcionadas com as propostas feitas O espectro da fome vigia as na- mar das criaturas humanas, arre- pelo utopismo que governa algu- ções tecnológica e economicamen- bentando os elos rigorosos dos seus mas mentes desavisadas. Mulheres te menos aquinhoadas, ameaçando dogmas e da sua intolerância, a fim e homens honestos encontram-se de extermínio larga fatia da popu- de que viceje a fraternidade que de- sem rumo, cansados de palavras ar- lação terrestre, não se considerando ve viger entre todas criaturas. dentes e de propostas entusiastas, os milhões de indivíduos que, so- Cabe a todos nós, aos espíritas mas vazias de conteúdo e de sig- brevivendo à calamidade, permane- encarnados e aos Espíritos-espíritas, nificação. cerão com seqüelas inamovíveis. a tarefa de ampliar as balizas do O Espiritismo, meus filhos, é a A violência urbana, por todos Reino de Deus entre as criaturas da resposta do Céu aos apelos mudos conhecida, atinge níveis quase in- Terra. ou não formulados mentalmente suportáveis. E apesar do sacrifício Divulgar o Espiritismo por to- sequer, de todas as criaturas ter- de legisladores abençoados pelo dos os meios e modos dignos ao al- restres. Mundo Espiritual Superior, cada cance, é tarefa prioritária. Estais honrados com a bênção dia faz-se mais agressiva e hedion- A dor é colossal neste momen- do conhecimento libertador. Estais da, sem arrolarmos os prejuízos dos to no mundo terrestre... E o Con- investidos da tarefa de ressuscitar a fatores pretéritos que a desencadea- solador distende-lhe as mãos gene- palavra da Boa Nova, amortalhada Reformador/Janeiro 2005 10 8
  9. 9. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 11 pela indiferença ou sob o utilitaris- fiando nessa ação, sem temerdes, e depois da jornada cumprida, para mo apressado dos que exploram sem deterdes o passo e sem retro- que desempenheis a missão que vos as massas inconscientes, conduzin- cederdes. diz respeito hoje e quando a tives- do-as para o seu sítio de exploração Estais acompanhando Jesus tes em épocas transatas e falhastes... e de ignorância. que, à frente, continua dizendo: Já não há tempo para enganos. Vós recebestes o chamado do “Vinde pois a mim, vós todos que A decisão tomada precede a ação da Senhor para preparar a terra, a fim estais cansados e aflitos, conduzin- vitória, e com o amor no sentimen- de que a ensementação da verdade do o vosso fardo e sob as vossas afli- to, o conhecimento na mente, tereis faça-se de imediato. ções, comigo esse fardo é leve e es- a sabedoria de permanecer fiéis ate Unidos, amando-vos uns aos sas aflições são consoladas, porque o fim outros, mesmo quando discrepan- eu vos ofereço a vida plena de paz e Que o Senhor de Bênçãos vos do em determinadas colocações de de felicidade.” abençoe, amados filhos da alma. como fazer ou quando realizar, le- Avancemos pois, filhos da al- São os votos dos vossos amigos vai adiante o propósito de servir ao ma! espirituais que aqui estão convosco Mestre antes que o interesse de ca- Corações em festa, embora as e do servidor humílimo e paternal da qual servir-se a si mesmo lágrimas nos olhos; passo firme, de sempre, Já não há tempo para adiarmos inobstante os joelhos desconjunta- Bezerra a proposta de renovação do planeta. dos, Espírito erecto, não obstante o Conhecemos as vossas dificulda- peso das necessidades. (Mensagem psicofônica recebida pelo mé- dium Divaldo Pereira Franco, no encerra- des pessoais, sabemos das vossas lutas O Senhor, que nos ama, é nos- mento da Reunião do Conselho Federati- íntimas e identificamos os desafios sa força e garantia de êxito. vo Nacional, em 21 de novembro de que se vos apresentam amiúde, tes- Nunca vos faltarão os recursos 2004, na Federação Espírita Brasileira, em tando-vos as resistências morais. próprios, que vindes recebendo e Brasília, DF.) Não desfaleçais! Os homens e que recebereis até o momento final Nota: Texto revisado pelo Autor espiritual. as mulheres, a serviço do bem com Jesus, são as suas cartas vivas à Hu- manidade, a fim de que todas as O Espírito do Bem criaturas leiam nas suas condutas o Paulo Nunes Batista conteúdo restaurado do Evangelho, as colocações seguras dos Imortais e O Espírito que é bom, por onde passa catalogadas pelo insigne mensagei- espalha o Bem, perfuma, dulcifica ro Allan Kardec. e deita no ar um jeito assim da Graça Uma nova mentalidade, uma de Deus, que a alma que é boa faz mais rica. mentalidade nova vem surgindo nos arraiais do Movimento Espíri- O Espírito do Bem seu rumo traça ta. Cada lutador compreende a ne- e a toda alma que é boa santifica, cessidade de mais integrar-se na ati- porque é o Bem a pérola sem jaça vidade doutrinária, a fim de que, que ao ser humano em luzes plenifica. com mais rapidez se processe a Era de Renovação Social e Moral pre- O Espírito do Amor ama e perdoa conizada pelo preclaro mestre de e ao próprio Mal, benigno, abençoa, Lyon. e o transforma nas pétalas do Bem. Não vos faltam os instrumen- tos próprios para o êxito, a fim de O Espírito da Paz a paz semeia que areis as terras do coração hu- e – como é Luz – as dúvidas clareia mano, para que desbraveis as pro- aqui e noutros mundos que há no além... víncias das almas terrestres, por- Reformador/Janeiro 2005 9 11
  10. 10. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 12 Fatos que nos lançam no rumo da tese reencarnacionista Jorge Hessen le poderia ser um pré-adoles- Beatriz. Goethe sabia escrever em de dois dos programas de maior au- E cente comum se já não estives- se prestes a cursar um douto- rado em Matemática em Oxford. É diversas línguas antes da idade de 10 anos. Victor Hugo, o gênio maior da França, escreveu Irtamen- diência nos Estados Unidos.“Nun- ca vi um caso como esse em 40 anos de profissão”, disse, recentemente à um norte-americano de 13 anos de te com 15 anos de idade. Pascal, aos ABC News, Linda Silverman, dire- idade e sua precocidade surpreen- 2 anos, sem livros e sem mestres, tora do Centro de Desenvolvimen- de. Aos 14 meses Gregory Robert demonstrou em Geometria até a to de Superdotados, de Denver, no Smith resolvia problemas simples 32a proposição de Euclides; aos 16 Colorado.3 O próximo alvo acadê- da sua matéria preferida, aos 10 anos, escreveu um tratado de “se- mico de Greg é o doutorado em anos começava a graduação pela ções cônicas” e logo adiante escre- Matemática, Biomedicina, Enge- Randolph-Macon College, em Wa- veu obras de Física e de Matemáti- nharia Espacial e Ciência Política. shington. É presidente de uma fun- ca. Miguel Ângelo, com a idade de Para o futuro, duas pretensões: pri- dação, a Youth Advocates, dedicada à 8 anos, foi dispensado pelo seu pro- meiro, fazer carreira na diplomacia defesa de jovens carentes; já esteve fessor de escultura porque este já internacional e, depois, sentar na com Bill Clinton, Michail Gorba- nada mais tinha a ensinar-lhe. Al- cadeira que hoje é de George W. chev e a Rainha Noor, da Jordânia, lan Kardec, examinando a questão, Bush. “Na presidência, poderei tra- discutindo o futuro da Humanida- perguntou aos Benfeitores como balhar muito pelo meu país e pelos de; e foi indicado para o Nobel da entender este fenômeno e estes res- pobres de todo o mundo”, ele ante- Paz de 2002.1 ponderam: “Lembrança do passado; cipa.4 Gregory tem Q.I. muito acima progresso anterior da alma (...).” 2 “Nos testes de inteligência, os de 200 e pertence a uma classe de Gregory começou a falar com gênios precoces costumam estar anos superdotados que representam ape- apenas 2 meses de idade. Quando à frente dos colegas de classe”, diz nas 0,1% da população mundial. completou 1 ano, já resolvia proble- Zélia Ramozzi Chiarottino, 46 Da estirpe dele, lembramos Ama- mas de álgebra e memorizava o anos, do Instituto de Psicologia da deus Mozart, que tocava piano aos conteúdo de livros volumosos – ti- Universidade de São Paulo. Ela 2 anos, falava três idiomas (alemão, nha na cabeça a coleção inteira de aponta o adolescente Fábio Dias francês e latim) aos 3 anos, tocava Júlio Verne. Aos 5, terminou o co- Moreira como exemplo. Aos 14 violino aos 4, compunha minuetos legial e era capaz de dissecar tudo anos, ele conquistou 11 medalhas aos 5 anos e escreveu sua primeira sobre a Terra, de sua pré-história de ouro em olimpíadas de Matemá- ópera aos 14. John Stuart Mill aos dias atuais. Virou estrela: capa tica, quatro delas em disputas in- aprendeu o alfabeto grego aos 3 do The Times Magazine, manchete ternacionais. Aluno da segunda sé- anos de idade. Dante Alighieri de- do New York Times e do Washington dicou aos 9 anos um soneto a Post. Foi sabatinado por David Let- 3 Entrevista à Revista Magazine. Por João Ma- terman e Oprah Winfrey, anfitriões galhães. Disponível em< http://www.vegeta- rianismo.com.br/artigos-revistas/genio.html 1 2 Acesso em 10/6/2004. Revista Veja, edição 1800, de 30 de abril de KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos, 4 2003, p. 63. questão 219, Ed. FEB, RJ, 1987. Idem. 10 Reformador/Janeiro 2005 12
  11. 11. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 13 rie do curso médio do Colégio PH, atualmente. Muitas teorias têm am- necessário porque as temos; se usa- da Tijuca, Zona Norte do Rio, o fi- pliado o conceito de inteligência, das, permitiriam que processásse- lho temporão prefere estudar a ir a fugindo ao esquema ultrapassado mos vários trilhões de informações festas com colegas e não gosta de de medição dela pelo Quociente In- durante nossas vidas. Usamos esti- esportes. Sob nenhuma hipótese telectual, o Q.I., mediante aplicação madamente menos de 5% dessa ca- troca os livros de Matemática por do Teste de Binet. pacidade. A maneira como usamos uma pelada com os colegas, mas ga- Gênios como Gregory teriam esse sistema complexo é crucial pa- nhou a simpatia da turma, de quem Q.I. acima de 200, mas o que esse ra o desenvolvimento da inteligên- tira todas as dúvidas de matemáti- número responderia sobre a origem cia e personalidade, e da própria ca.5 desta “anormalidade”? Se há con- qualidade de vida que experimen- A revista ISTOÉ registra ainda senso entre especialistas sobre a ma- tamos enquanto crescemos.” 7 que o excepcional desempenho es- neira de tratar os superdotados, há Para alguns pesquisadores, os colar, o vocabulário rico e as con- divergências em relação aos testes genes são os agentes fisiológicos e da versas de “adulto” levaram outro de inteligência. Um polêmico estu- conduta; o fenótipo é o resultado da superdotado, Pedro Henrique de do publicado no final da década de interação do meio com o genótipo. Souza Rendt, 8 anos, a uma classe 80 pelo cientista político James Destarte, os genes determinam os li- reservada para gênios-mirins. Na se- Flynn, da Nova Zelândia, revelou mites das capacidades ou potenciais gunda série, ele quer ser veterinário que o Quociente de Inteligência do organismo, de qualquer aprendi- quando crescer e adora música clás- (Q.I.) medido nos testes de avalia- zagem, e deve ocorrer, necessaria- sica. “Prefiro as sinfonias de Bee- ção aumentou 25 pontos em uma mente, dentro dos limites dados pe- thoven a jogar com os amigos” 6, geração. A dúvida é se os jovens de los genótipos, que sofrerão influên- confessa o garoto. hoje seriam mais inteligentes que cia do meio, o qual dará a expressão Casos de crianças precoces seus pais ou se os métodos de ava- final das características. sempre despertam a atenção. A Aca- liação da inteligência precisam ser Howard Gardner, professor da demia de Ciência não possui uma repensados. Universidade de Harvard, nos Esta- explicação consistente sobre o tema, Segundo a Dra. Barbara Clark, dos Unidos, afiança que não existe atribui a uma “miraculosa” predis- da Universidade da Califórnia, inteligência absoluta. Gardner ma- posição biogenética potencializada EUA, dois indivíduos com aproxi- peou várias formas de inteligência e por estímulos de ordem externa. madamente a mesma capacidade para demonstrar a multivariedade Outra enorme dificuldade encon- genética para desenvolver inteligên- de expressão intelectual desenvol- trada na Academia é a não concor- cia podem ser considerados poten- veu a Teoria das Inteligências Múl- dância na definição do termo “su- cialmente superdotados ou retar- tiplas, que permite compreender perdotação”. Alguns pesquisadores dados educáveis, dependendo do a manifestação da inteligência hu- distinguem superdotado de talento- ambiente em que interagem; para mana pelas capacidades verbal-lin- so, sendo o primeiro considerado compreender como alguns indiví- güística, lógico-matemática, visual como aquele indivíduo de alta ca- duos se tornam superdotados e ou- espacial, rítmica musical, corporal pacidade intelectual, ou acadêmica, tros não, precisamos familiarizar- sinestésica, interpessoal, intrapessoal e o segundo como possuindo habi- -nos com a estrutura básica e a fun- e naturalista dos indivíduos. Outro lidades superiores nas áreas das ar- ção do cérebro humano. Ao nascer, professor da Universidade de Har- tes, música, teatro. O debate sobre declara Clark, o cérebro humano vard, Robert Coles, defende a teo- o que é realmente a inteligência tem cerca de 100 a 200 bilhões de ria da existência do que chamou de nunca foi tão promissor como células. Cada célula tem seu lugar e Inteligência Moral, isto é, a capaci- está pronta para ser desenvolvida e dade de refletir sobre o certo e o er- 5 Revista ISTOÉ in: “Cérebro Mentes geniais”, para ser usada e realizar os mais al- rado. > seção: CIÊNCIA E TECNOLOGIA, publica- tos níveis do potencial humano. da em 28/3/2002. “Apesar de não desenvolvermos mais 7 B. Clark. (1997), Growing Up Gilted. Colum- 6 Idem. as células neurais, isso não se faz bus, OH Merrill/Prentice Hall. Reformador/Janeiro 2005 11 13
  12. 12. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 14 O grande embaraço dessas te- Doutrina Espírita, mas já é um rios distúrbios congênitos como hi- ses é desconsiderar o fato de a inte- avanço no entendimento integral drocefalia, síndrome de Down, es- ligência ser atributo ou conquista do indivíduo. quizofrenia, cardiopatias graves, au- do próprio indivíduo, resultante da Os fatos nos lançam, inevi- tismos? Na reencarnação vemos a soma de conhecimentos e vivências tavelmente, no rumo da tese reen- Justiça Divina corrigindo os tiranos, de existências anteriores. Nesse sen- carnacionista. os suicidas, os homicidas, os viciados tido, admitindo-se a reencarnação, Nos últimos anos, com o de- e libertinos de vidas passadas. as idéias inatas são apenas lembran- senvolvimento e o reconhecimento No século XIX, numerosos pen- ças espontâneas do patrimônio cul- crítico do papel da Ciência como sadores reuniram-se à reencarnação: tural do ser, em diferentes esferas de expressão cultural de uma época, Dupont de Nemours, Charles Bon- expressão, alguns em estado mais particularmente como conjunto de net, Lessing, Constant Savy, Pierre latente como nas crianças-prodígio. teorias e sistemas conceituais coe- Leroux, Fourier, Jean Reynaud. A Desse modo, ficaria bem mais fácil rentes com uma determinada visão doutrina das vidas sucessivas foi vul- compreender toda essa complexida- de mundo8, o homem tem-se lança- garizada para o grande público por de da mente humana. do ao estudo de si mesmo com autores como Balzac, Théophile Só a pluralidade das existências maior maturidade e maior equilí- Gautier, George Sand e Victor Hu- pode explicar a diversidade dos ca- brio quanto ao papel dos modelos go. Pesquisadores como Ian Steven- racteres, a variedade das aptidões, a e mapas teóricos e científicos sobre son9, Brian L. Weiss, H. N. Baner- desproporção das qualidades mo- a realidade, sempre relativos. Em jee, Raymond A. Moody Jr., Edite rais, enfim, todas as desigualdades especial, a partir do movimento da Fiore e outros trouxeram resultados que alcançam a nossa vista. Fora contra-cultura dos anos sessenta, a notáveis sobre a tese reencarna- dessa lei, indagar-se-ia inutilmente visão de mundo acadêmica e tradi- cionista. É possível que num futuro por que certos homens possuem ta- cional, moldada nos rígidos parâ- não muito longínquo os estudos lento, sentimentos nobres, aspira- metros do Positivismo, teve de tor- nesta direção chegarão aos mesmos ções elevadas, enquanto muitos ou- nar-se mais flexível ante novos ques- resultados já afirmados pelo Espiri- tros só tiveram em partilha tolices, tionamentos e abrir-se, pelo menos tismo, porém, de todo o vasto leque paixões e instintos grosseiros. em parte, a idéias e pesquisas que, a de tentativas de se estudar superdo- A influência do meio, a heredi- rigor, não são, ou melhor, não eram tados sem considerar a existência do tariedade, as diferenças de educação bem aceitas pelo paradigma cartesia- Espírito, a maior parte tem esbarra- não bastam, obviamente, para ex- no de nossa ciência tecnicista, apoia- do em resultados ou em dificulda- plicar esses fenômenos. Vemos os da e financiada por uma sociedade des em que se faz necessário consi- membros de uma mesma família, industrialista e mecanicista e, por- derar esta hipótese, sem a qual se semelhantes pela carne e pelo san- tanto, ligada a uma visão de mundo entra num beco sem saída... gue, pelo histórico genético e edu- igualmente mecanicista. cados nos mesmos princípios, dife- Se nascem gênios, por que 9 rençarem-se em muitos pontos. também nascem crianças com sé- Stevenson, Ian. Vinte casos sugestivos de reen- Mais recentemente, o Doutor carnação. Difusora Cultural, São Paulo, 1978 Richard Wolman, também de Har- e Vida antes da vida, Livraria Freitas Bastos, 8 Kuhn, 1962; Prigogine & Stangers, 1993. Rio de Janeiro, 1988. vard, incorporou às demais teorias em voga o conceito de Inteligência Espiritual, que seria a capacidade humana de fazer perguntas funda- mentais sobre o significado da vida e de experimentar simultaneamen- te a conexão perfeita entre cada um de nós e o mundo em que vivemos. Não é exatamente o que define a 14 12 Reformador/Janeiro 2005
  13. 13. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 15 Um ano maravilhoso Richard Simonetti iz Jesus (Lucas 4:18-19):..... Em favor dos homens, repre- dos companheiros a nos cobrarem D O Espírito do Senhor está so- bre mim, pelo que me ungiu para evangelizar aos pobres. En- sentados por familiares, amigos, vi- zinhos, colegas de trabalho, tran- seuntes, e todos aqueles que cruzam a presença. Podemos estar dispostos a aten- der eventualmente o pobre que bate viou-me para apregoar liberdade nosso caminho, somos convocados à nossa porta, ajudar um colega de aos cativos, dar vista aos cegos, pôr a fazer o melhor, tanto quanto serviço, atender à necessidade de em liberdade os oprimidos e anun- gostaríamos que eles o fizessem por um vizinho, visitar um doente… ciar o ano aceitável do Senhor. nós. Mas será sempre algo por de- Isso nos remete aos valores do mais elementar para nos situar co- Coletivamente, envolvendo a perdão, da caridade, da solidarie- mo legítimos servidores. Humanidade, podemos dizer que o dade, da tolerância, da paciência e É preciso dar regularidade e ano aceitável do Senhor foi aquele das demais virtudes evangélicas, que constância a esse empenho. em que a mensagem de Jesus co- o Mestre não se cansou de ensinar Para tanto, a melhor alternativa meçou a ser transmitida, no ano e exemplificar ao longo de seu apos- é o Centro Espírita, a escola abençoa- trinta da Era Cristã, segundo a cro- tolado. da das Almas, onde, num primeiro nologia estabelecida. momento, aprendemos a raciocinar Individualmente, será aquele ... como Espíritos imortais em jornada em que estivermos dispostos a acei- de aprendizado pela Terra. tar Jesus em plenitude, buscando No empenho de servir os ca- E se houver empenho de nossa colocar em prática seus ensinamen- rentes de todos os matizes, há que parte nesse mister, logo percebere- tos. considerar nossa integração em gru- mos que ali está também a nossa pos de trabalho. abençoada oficina de trabalho, ... Aqueles que servem com efi- onde, unidos em torno do ideal co- ciência, que produzem em benefí- mum de servir, integramo-nos nos A orientação para essa vivência cio da coletividade, invariavelmente abençoados serviços da solidarie- está contida nas excelências do estão associados a outras pessoas, dade, que emprestam significado e Evangelho, que tem a sua síntese no unidos por ideais comuns. objetivo à existência. Sermão da Montanha, o mais belo Há estímulos recíprocos em Uma boa proposta para o Ano poema da Humanidade. que nos beneficiamos e somos be- Novo. Nele temos o roteiro perfeito neficiados, em relação ao serviço. Integrando-nos nas atividades para cumprir a vontade de Deus Se nos propomos, por exem- da Casa Espírita, participando de e edificar o Reino Divino na Terra. plo, a visitar doentes num hospital, suas campanhas, contribuindo para E o próprio Sermão da Mon- cumprindo solitariamente a tarefa, seus serviços, estaremos fazendo de tanha pode ser sintetizado, con- sempre haverá certo constrangi- 2005 um ano aceitável do Senhor, forme a expressão de Jesus (Mateus, mento na abordagem dos pacientes. aquele ano maravilhoso em que, 7:12): Por outro lado, dificilmente sus- despertando para as realidades re- tentaremos a assiduidade. veladas pela Doutrina Espírita, es- Tudo o que quiserdes que os Se integrados num movimento tejamos dispostos a arregaçar as homens vos façam, fazei-o assim de solidariedade, haverá sempre a mangas, buscando a glória de também a eles. segurança do grupo e o estímulo servir. Reformador/Janeiro 2005 13 15
  14. 14. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 16 PRESENÇA DE CHICO XAVIER Oração diante do Tempo Aceitaste a cruz do escárnio e da morte, com abnegação e humil- dade, a fim de que aprendêssemos a procurar contigo a divina ressur- Obedecendo, atendíamos à vin- reição... gança. Entretanto, ainda hoje, decor- enhor Jesus!............................. Resistíamos a todos os teus ridos quase vinte séculos sobre o teu S Diante do calendário que se renova, deixa que nos ajoelhe- mos para implorar-te compaixão. apelos, em tenebrosos labirintos de opressão e delinqüência, quando vieste ensinar-nos o caminho liber- sacrifício, não temos senão lágrimas de remorso e arrependimento para fecundar o Saara de nossos cora- Tu que eras antes que fôssemos, tador. ções... que nos tutelastes, em nome do Não te limitaste a crer na gló- Em teu nome, discípulos in- Criador, na noite insondável das ori- ria do Pai Celeste. fiéis que temos sido, espalhamos gens, não desvies de nós teu olhar, Estendeste-Lhe a incomparável nuvens de discórdia e crueldade nos para que não venhamos a perder o bondade. horizontes de toda a Terra! É por is- adubo do sangue e das lágrimas, Não te circunscreveste à fé que so que o Tempo nos encontra hoje oriundos das civilizações que mor- renova. tão pobres e desventurados como reram sob o guante da violência!... Abraçaste o amor que redime. ontem, por desleais ao teu Evange- Determinaste que o Tempo, à Não te detiveste entre os elei- lho de Redenção. feição de ministro silencioso de tua tos da virtude. Não nos deixeis, contudo, ór- justiça, nos seguisse todos os pas- Comungaste o ambiente das fãos de tua bênção... sos... vítimas do mal, para reconduzi-las No oceano encapelado das E, com os séculos, carregamos ao bem. provações que merecemos, a tem- o pedregulho da ilusão, dele ex- Não te ilhaste na oração pura e pestade ruge em pavorosos açoites... traindo o ouro da experiência. simples. Nosso mundo, Senhor, é uma em- Do berço para o túmulo e do Ofertaste mãos amigas às ne- barcação que estala aos golpes rijos túmulo para o berço, temos sido se- cessidades alheias. do vento. Entre as convulsões da nhores e escravos, ricos e pobres, fi- Não te isolaste, junto à digni- procela que nos arrasta e o abismo dalgos e plebeus. dade venerável de Salomé, a ventu- que nos espreita, clamamos por teu Entretanto, em todas as posi- rosa mãe dos filhos de Zebedeu. socorro! E confiamos em que te le- ções, temos vivido em fuga cons- Acolheste a Madalena, possuí- vantarás luminoso e imaculado so- tante da verdade, à caça de triunfo da de sete gênios sombrios. bre a onda móvel e traiçoeira, apla- e dominação para o nosso velho Não consideraste tão-somente cando a fúria dos elementos e egoísmo. a Bartimeu, o mendigo cego. exclamando para nós, como outro- Na governança, nutríamos a Consagraste generosa atenção ra disseste aos discípulos aterrados: vaidade e a miséria. a Zaqueu, o rico necessitado. – “Homens de pouca fé, porque Na subalternidade, alentáva- Não apenas aconselhaste a fra- duvidastes?” mos o desespero e a insubmissão. ternidade aos semelhantes. Irmão X Na fortuna, éramos orgulhosos Praticaste-a com devotamento e inúteis. e carinho, da intimidade do lar ao (Página recebida pelo médium Francisco Na carência, vivíamos intem- sol meridiano da praça pública. Cândido Xavier.) perantes e despeitados. Não pregaste a doutrina do Administrando, alongávamos o perdão e da renúncia exclusivamen- Fonte: Reformador de janeiro de 1957, crime. te para os outros. p. 9 (5). 16 14 Reformador/Janeiro 2005
  15. 15. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 17 ENTREVISTA: LEO GAUDET Como surgiu o Movimento Espírita em Quebec, Canadá Leo Gaudet, canadense radicado em Montreal, encontra na Doutrina Espírita as razões para a morte e se dedica a amplo trabalho de difusão do Espiritismo P. – Como conheceu o Espiri- Leo – Simultaneamente ao tismo? Centro já citado, elaboramos o pro- Leo – A primeira informação jeto do Mouvement Spirite Québé- que ouvi sobre a Doutrina Espírita cois ( MSQ ) com o propósito de foi com um brasileiro que estudava criar-se oportunidade de aproxima- na Universidade de Montreal, sim- ção e de estimular-se a formação de patizante do Espiritismo, e que con- grupos espíritas. Assim, surgiu o siderava Allan Kardec o francês mais Groupe Spirite Justice, Amour e conhecido no Brasil. Em seguida, Charité e obtivemos o apoio do encontrei O Céu e o Inferno em uma Centre Spirite Messagers Lumières livraria de livros usados, em Mon- e Paix. Com exceção deste último, treal. Fiquei emocionado ao lê-lo e freqüentado por portugueses, e adquiri todas as obras de Kardec. Já preexistente, pois já possui 14 anos era interessado em assuntos espiri- de funcionamento, os demais são tualistas, procurava a razão para a Leo Gaudet predominantemente freqüentados morte e encontrei-a no livro. Passei tivo de iniciarmos reuniões de estu- por residentes na Província de Que- a procurar grupos espíritas e pela do sobre a Doutrina Espírita. Nes- bec, com tradição na cultura e no internet localizei o grupo de Tours te Centro há várias reuniões sema- idioma franceses. Atualmente está (França). Fui visitá-lo e dialoguei nais de estudo sobre O Livro dos sendo formado um grupo espírita com Roger Perez, que me fez refe- Espíritos e O Evangelho segundo o em Gatineau. O MSQ, que se en- rência à pujança do Espiritismo no Espiritismo, grupo de estudo sobre contra no quarto ano de funciona- Brasil. Depois de algumas dificul- mecanismo da mediunidade, reu- mento, conta com sede própria no dades iniciais, localizei vários livros niões mediúnicas, aulas para crian- bairro de Maisonneuve. Nesta sede espíritas no Brasil. ças e curso de português. Este últi- designada Espace Espirita Interna- P. – E o início de suas ativida- mo para facilitar-se a leitura dos tional – e o detalhe é que o “Espí- des espíritas em Montreal? livros espíritas em português. Sen- rita” se encontra mesmo em portu- Leo – Contei com o estímulo timos uma grande predisposição guês –, ocorrem palestras proferidas de Roger Perez para que fundasse dos quebequenses, de tradição fran- por espíritas de Montreal e por vá- um grupo espírita em Montreal. cesa, em aceitar os princípios es- rios visitantes de outros países –. Com o apoio de brasileiros que se píritas. Há uma biblioteca e a sede da re- haviam mudado para ali de Paris e P. – Como se desenvolvem as cém-fundada Editions Espírita. O de São Paulo fundamos o Centre atividades do Mouvement Spirite local é freqüentado pelos integran- d’Étude Allan Kardec, com o obje- Québécois? tes dos grupos espíritas da cidade. Reformador/Janeiro 2005 15 17
  16. 16. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 18 Spartaco Ghilardi P. – Como o MSQ se relaciona internacionalmente? Leo – O MSQ é membro da União Espírita Francesa e Francofô- nica, pela afinidade da cultura e do idioma franceses. Temos mantido muito intercâmbio com o Brasil, Desencarnou em Grupo Espírita Ba- realizando visitas a São Paulo, Rio de São Paulo (SP), no tuíra e a Instituição Janeiro e Uberaba. No início de Hospital Alemão Os- Beneficente Nosso 2002 chegamos a conhecer o mé- waldo Cruz, em 29 de Lar, ambos da capital dium Francisco Cândido Xavier e outubro de 2004, aos paulista, e o Grupo enviamos representante para uma 90 anos de idade, o Espírita Batuíra, de Reunião do Conselho Espírita Inter- médium e seareiro do Lisboa, Portugal. nacional, realizada em Brasília. Fre- Cristo Spartaco Ghi- Das suas diversas qüentamos o Congresso promovido lardi, cuja vida esteve a faculdades mediúni- pela Associação Médico-Espírita In- serviço da Doutrina cas, a que mais se des- ternacional, em São Paulo, e estamos Espírita e do Evange- tacou foi a psicofo- iniciando preparativos para a funda- lho, com total dedica- nia, surgindo, depois, ção de Associação similar em Mon- ção aos seus irmãos ca- espontaneamente, a treal. Participamos dos Simpósios rentes do corpo e da vidência, a clariau- Franco-Belgas e de Congressos Espí- alma. Seu corpo foi velado no Hos- diência, a receitista, o desdobra- ritas Mundiais, promovidos pelo pital Beneficência Portuguesa, com mento e a premonição. Conselho Espírita Internacional, e o comparecimento de cerca de 700 Ele foi discípulo fiel de Fran- recebemos a visita de representantes pessoas, dentre as quais inúmeros cisco Cândido Xavier desde a épo- do CEI. Na Reunião do Conselho representantes de Instituições Espí- ca em que este morava em Pedro Espírita Internacional, realizada em ritas de nosso País. Leopoldo (MG). É incontável o nú- Paris, em outubro de 2004, o MSQ Spartaco Ghilardi nasceu no mero de pessoas encaminhadas por foi aceito como convidado-obser- dia 12 de maio de 1914, na provín- Chico Xavier ao Grupo Espírita vador. Enviamos representante à reu- cia de Viareggio, região da Toscana, Batuíra, para receberem orientação nião do Conselho Espírita dos Esta- no Sul da Itália. Eram seus pais o espiritual e conforto, através de dos Unidos, em Washington. Sr. Gino Ghilardi e a Sra. Assunta Spartaco. P. – Quais os projetos do MSQ? Fioravante Ghilardi. Em 29 de no- O sepultamento do seu corpo Leo – Estamos empenhados vembro de 1945 contraiu núpcias ocorreu no Cemitério da Vila Ma- no funcionamento de Editions Es- com D. Zita Calichio Ghilardi – riana, às 14 horas do dia 30 de ou- pírita. Pretendemos editar em fran- dedicada companheira em toda a tubro, com a presença de centenas cês as Obras Básicas do Espiritismo sua atividade missionária –, tendo de amigos e confrades do Movimen- e, mediante contatos com a FEB, a o casal duas filhas, Rita e Anália, to Espírita, entre os quais se incluía série de obras de André Luiz, além dois netos, duas netas e duas bisne- o Presidente da Federação Espírita de outras obras publicadas em por- tas. Brasileira, Nestor João Masotti. tuguês, como Máscaras da Obses- Spartaco iniciou o desenvolvi- Em seu retorno à Pátria Espi- são, de Marlene Rossi Severino No- mento de sua mediunidade na Fe- ritual, receba o irmão Spartaco bre. Nosso objetivo é de contribuir deração Espírita do Estado de São Ghilardi a recompensa a que faz jus para ampliar a divulgação da Dou- Paulo (FEESP). Como médium, te- o servidor do Bem, sob as bênçãos trina Espírita, principalmente em ve papel decisivo na fundação da de Jesus. francês. No momento, está sendo Associação Médico-Espírita de São lançada nossa página eletrônica Paulo e na fundação de várias insti- Fonte: Texto “Retrato de um médium”, (www.espaceespirita.com). tuições espíritas, entre as quais o de Geraldo Ribeiro da Silva. 18 16 Reformador/Janeiro 2005
  17. 17. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 19 os inúmeros equívocos que costumamos cometer, Mensagem quando caminhantes da vilegiatura corporal, vale con- siderar a importância de fazer com que a gloriosa in- formação da Codificação penetre nossa intimidade, a fim de que respiremos esse portentoso pensamento es- llanKardec! pírita, convertendo-o em nossa real filosofia de vida, A Este nome é um marco de um tempo novo. É uma legenda de luz e de força moral que edifica um tempo especial de regeneração humana, e que, ao o que nos capacitará para a conquista da felicidade. Quantos que ainda supõem que é possível ser es- pírita sem ajustar a própria existência aos preceitos da longo de mais de seis décadas, esteve no mundo das Codificação, e que se enganam com essa suposição? formas para materializar os ensinamentos do Mundo Quantos que ainda crêem na ventura post Etéreo, junto às almas terrenas. mortem longe dos esforços para a superação de limi- Alma de escol, sem embargo, Allan Kardec veio ao tações e obstáculos encontrados nas vias mundanas, e planeta para representar no campo físico a Equipe Lu- que se frustram no além? minosa do Espírito da Verdade, que jorrava claridade ... sobre o orbe sob a ação venturosa do Cristo Excelso. Nesse tempo em que o Espiritismo está no mun- Acho-me sob intensa emoção. Lutamos, durante do, como esplendente Sol diluindo os miasmas da um tempo longo, junto aos valorosos Benfeitores do longa noite moral humana, ainda que pouco a pouco, nosso Movimento Espírita Internacional, para que es- são incontáveis aqueles que vêm recebendo o susten- te momento fosse corporificado aqui, nos campos fluí- to para viver com entusiasmo, a motivação para pros- dicos da alma francesa. E o Senhor da Vida no-lo con- seguir nas árduas lutas, sem pensar em fugir dos pros- sentiu. Mais do que isso, destacou eminentes Numes cênios dificultosos dessas graves experiências das de vários países para formar a coordenação deste even- sociedades terrenas. to, a efeméride do 4o Congresso Espírita Mundial, sob Quantos se arredaram das idéias suicidas, pelo en- a inspiração do próprio Codificador. tendimento de que ninguém morre essencialmente? Cabe-nos vibrar, então, ao se fecharem as cortinas Quantos desistiram do abortamento por terem admi- deste Congresso, certos de que suas luzes não se apa- tido o acinte que tal coisa representa contra as divinas garão. Os elementos energéticos que absorvemos aqui, leis de Deus? Quantos se decidiram por manter ilu- resguardados por luminosos Prepostos de Jesus, acom- minada por Jesus a estrutura do lar, ao verificarem sua panhar-nos-ão como inspiração para os trabalhos futu- importância para o progresso familiar? Quantos se de- ros e como medicação valiosa para que, daqui para a dicaram a estudar as leis da vida e a estudar-se, ane- frente, logremos o fortalecimento da alma para estudar, lando o entendimento e a melhoria de si mesmos? para amar e servir, mais conscientes dos nossos deveres Quantos abriram mão dos preconceitos de raça, de cor para conosco, para com Jesus e para com a vida, agora da epiderme, de gênero, de cultura e tantos outros, aclarada em seus fundamentos pelos ensinamentos do libertando-se dessa forma de ignorância que se demo- Espiritismo que, vitorioso no mundo, impulsiona-nos ra no seio das sociedades? Quantos que se esforçam a ter maior clareza e penetração da razão, ao mesmo por servir, por amar, desejosos de se tornarem cada vez tempo que, dedicados ao bem, possamos ser felizes. mais úteis no campo da existência? Quantos hão re- Deixo o meu abraço emocionado a todos quan- nunciado às pressões do homem-velho, na corajosa tos vibraram, vibram e vibrarão com essa realização busca dos valores do homem-novo, conforme as con- bendita no solo francês, e a todos desejo paz e muita siderações do Apóstolo Paulo? Quantos sofrem e cho- luz junto à Seara do Espiritismo. ram seus tormentos de agora, conscientes quanto às Servidor de todos, agradecido e vibrante, razões desses complexos dramas, sem se permitir mur- Sylvino Canuto Abreu char pelo desânimo, ante a visão lúcida que o Espiri- (Mensagem psicografada pelo médium Raul Teixeira, por tismo enseja? ocasião da sessão de encerramento do 4o Congresso Espírita Hoje, quando reconhecemos, na Pátria Espiritual, Mundial, em 5/10/2004, Paris – França.) Reformador/Janeiro 2005 17 19
  18. 18. Janeiro 2005.qxp 12/1/2005 16:52 Page 20 Quem é Jesus? Ruy Gibim cas dos filantropos generosos, na É por isso que Allan Kardec, frase incisiva dos pregadores arden- desejando indicar-nos o guia real da tes e nem nas mensagens dos ben- ascensão humana, formulou a per- feitores desencarnados. gunta de número 625 em O Livro ara a maioria dos estudiosos, Em todos eles encontraremos, dos Espíritos, indagando qual o tipo P Jesus permanece situado na História, modificando o cur- so dos acontecimentos políticos do em maior ou menor porção, virtu- des e defeitos, acertos e desacertos, luzes e sombras, belezas e fealdades, mais perfeito que Deus concedeu ao planeta Terra para servir de guia e modelo aos homens. E o Espírito mundo. Para a maioria dos teólo- discordâncias e contradições, entre- respondeu: Jesus. Como a dizer-nos gos, Jesus é objeto de estudo, nas le- tanto, todos eles são credores de que só Jesus é a síntese da sabedoria tras do Velho e do NovoTestamen- nossa gratidão e de nosso respeito e do amor e que somente Ele deve to, imprimindo novo rumo às pela cultura e pelo amor que plas- ser seguido na Terra, como sendo o interpretações de fé. Para os filóso- maram em nossas mentes e em nos- nosso Mestre e Senhor. fos, Jesus é o centro de polêmicas e sos corações, mas no campo da Hu- Apenas a pesquisa metódica, cogitações infindáveis. Para a mul- manidade só existe um orientador orientada e perseverante nos levará tidão dos religiosos, Jesus é o ben- completo, irrepreensível e inques- a descobrir as diversas contribuições feitor providencial nas crises inquie- tionável, que renunciou à compa- que o Cristianismo deu no passado, tantes da vida comum. nhia dos anjos para viver e conviver dá no presente e dará no futuro ao Para nós espíritas, que conhe- com os homens. E sem recursos desenvolvimento moral, assisten- cemos a missão de Jesus, sabemos materiais, viveu para os outros, des- cial, educacional, consolador e so- perfeitamente que ele não é apenas cerrando os tesouros do coração. bretudo libertador. o reformador da civilização, o legis- lador da crença, o condutor do ra- ciocínio ou o doador de facilidades terrestres, mas acima de tudo Ele foi, é e será sempre o Caminho, a Verdade e a Vida, ou seja: a síntese da Ciência, da Filosofia e da Re- ligião. CORRESPONDÊNCIA ELETRÔNICA Jamais encontraremos no pla- neta Terra uma diretriz integral pa- 1 – ARTIGOS E NOTÍCIAS: ra a nossa felicidade, na tribuna dos E-MAIL: redacao.reformador@febrasil.org.br grandes filósofos, na retorta dos cientistas eméritos, no trabalho dos 2 – ASSINATURAS E DEMAIS ASSUNTOS: pesquisadores ilustres, na cátedra E-MAIL: assinaturas.reformador@febrasil.org.br dos professores distintos, nos decre- tos dos legisladores mais nobres, no ESTES ENDEREÇOS PASSAM A VIGORAR verbo eloqüente dos advogados, na o A PARTIR DE 1 DE JANEIRO DE 2005 palavra dos juízes corretos, na pena dos escritores enobrecidos, nas ar- Reformador/Janeiro 2005 20 18

×