SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
FUIDOTERAPIA
      -
ATENDIMENTO
  FRATERNO



               302
FLUIDOTERAPIA NA CASA ESPÍRITA
                            ATENDIMENTO FRATERNO
                             O QUE É ATENDIMENTO FRATERNO?
    O Atendimento fraterno consiste em receber fraternalmente a pessoa que busca o Centro Espírita e
proporcionar-lhe oportunidade de expor livremente, em caráter privativo, suas dificuldades.
    O que denominamos atendimento fraterno é um verdadeiro gabinete de análises psico-espirituais em auxílio às
criaturas.
    Quase todos os que buscam orientação amiga,
desejam antes de tudo, falar das suas lutas e aflições;
desabafar com alguém, por isso mesmo, muitas vezes, a
tarefa do médium que está nesta atividade é ofertar
atenção e carinho ouvindo os dramas humanos.
    Muitas pessoas, narrando os seus conflitos
existenciais, realizam uma catarse que, em psicanálise,
significa: técnica psicoterápica através da exteriorização
verbal e emocional dos conflitos.
    Daí a sensação de bem estar que sentem após a
entrevista. Não podemos esquecer que durante a
conversação a assistência espiritual é bastante efetiva.

                                  O ORIENTADOR FRATERNO
   O orientador Fraterno, após ouvir atentamente a pessoa que está sendo atendida, deverá orientar e transmitir
os estímulos de que ela esteja precisando, podendo até, conforme o caso, oferecer-lhe ligeiras noções
doutrinárias, para a compreensão dos seus problemas;
   O Orientador Fraterno deve ser simples e objetivos no falar, "lembre-se do exemplo de Jesus, que com poucas
palavras bem colocadas trazia ensinamentos profundos".
   Não se deve em poucos minutos querer fazer um resumo de toda a Codificação Espírita, nem tampouco falar
de tudo o que está contido no Evangelho.
   O remédio se dá em doses, tomar todo o vidro de remédio de uma vez pode matar, pense nisto.
   A seguir encaminhar o entrevistado a reunião de estudos ou de exposição doutrinária do Centro Espírita que
considere a mais apropriada.


                       OBJETIVOS DO ATENDIMENTO FRATERNO
   O Atendimento Fraterno tem como objetivo primordial receber e orientar as pessoas que o procuram,
facultando-lhes uma compreensão elevada de suas dificuldades à luz da Doutrina Espírita e do Evangelho de
Jesus. Com base nos ensinamentos espíritas e no Evangelho de Jesus, o atendimento fraterno abre amplas
perspectivas para o paciente, mostrando-lhe um roteiro de libertação e de paz, com o entendimento de que o
sucesso depende dele, que deve promover, desde logo, o processo de reformulação interior.
   O trabalho não se propõe a solucionar os problemas que lhes sejam apresentados, mas a sugerir caminhos
para a reabilitação do usuário, que somente será alcançada com o seu próprio esforço, secundado pelo ensino
espírita e pelo socorro dos irmãos atendentes posicionados tanto na esfera física quanto na pátria espiritual.
   A atividade do Atendimento Fraterno é tão importante quanto a atividade mediúnica para Doutrinação dos
Espíritos. A diferença está apenas que no Atendimento Fraterno a doutrinação é feita para um espírito que está
encarnado.


                      QUEM BUSCA O ATENDIMENTO FRATERNO?



   A Casa Espírita é freqüentemente procurada por pessoas desejosas de obter
ajuda para a solução dos problemas com que se debatem. Buscam o Templo
Espírita, muitas delas, após esgotados os outros recursos e, por isso, precisam
encontrar alguém para expor suas aflições. Suas dificuldades precisam ser
ouvidas com atenção, a fim de se fundamentar uma adequada orientação.


                                                                                                           303
QUEM FAZ O ATENDIMENTO FRATERNO?
   Para esse tipo de atendimento, é aconselhável constituir equipes de trabalhadores. Cada membro da equipe
deverá ter por requisitos mínimos:
   • Saber tratar as pessoas com generosidade, simpatia, brandura, indulgência e segurança;
   • Comunicar-se adequadamente;




   Os componentes das equipes, de preferência de ambos os sexos, deverão receber treinamento prévio,
visando:
• Familiarização com as atividades a serem desempenhadas;
• Unidade de atendimento (todos os atendentes devem falar a mesma linguagem);
• Conhecimento da Doutrina Espírita, das normas e de todas as atividades da Casa Espírita;
• Conscientização da importância do trabalho a ser realizado;
• Conscientização da necessidade de preparação da equipe, através da prece e leitura de um texto evangélico,
    antes do início dos trabalhos do dia.




   Aos entrevistadores o atendimento fraterno enseja valiosas oportunidades de crescimento espiritual, através do
desenvolvimento do sentimento do amor, no relacionamento com as pessoas carentes de afeto e compreensão
   A relação que temos durante a entrevista não é a de simples aconselhamento.
   É sim, um momento de doação de nossa parte, doação de carinho, de atenção, de um interesse sincero, não
pelos problemas que ela está vivendo, mas pela pessoa, pelos sentimentos que carrega no coração.
   Nosso papel como entrevistador é, em primeiro lugar, dar apoio e apoiar é estar ao lado, é ouvir de fato, é ser
atencioso, é manifestar nos gestos, no olhar, no tom de voz, que nos importamos, e se ele não tiver a quem
recorrer, ali está uma casa e ali estamos nós com quem ele pode compartilhar o seu momento de vida.


             ONDE E QUANDO É FEITO O ATENDIMENTO FRATERNO?

   Esse atendimento deve ser realizado antes da denominada palestra pública. Se
necessário, e havendo condições, poderá ser realizado, também, simultaneamente
com o trabalho de passe, porém em recinto separado.
   Convém destacar que o atendimento fraterno não deve ser obrigatório a todas
as pessoas que pretendam assistir a palestra e receber o passe. Esse atendimento
só será dado àqueles que o desejarem.




                                                                                                              304
COMO DEVE SER FEITO O ATENDIMENTO FRATERNO?
   OBJETIVOS:
A) Envolver o usuário num clima de paz, tranqüilidade, confiança e descontração, conduzindo a pessoa a fazer
   espontaneamente a sua "catarse", falando objetiva e sinteticamente de seus problemas e aflições;
B) Tornar mais simples e objetivas as consultas e consequentemente as entrevistas, gerando uma capacidade
   maior de apoio e orientação aos assistidos;

   IDENTIFICAR A CAUSA DO PROBLEMA:
   De uma forma geral existem três causas principais que levam uma pessoa buscar o Atendimento Fraterno:
A) Enfermidades Físicas
B) Desajustes Emocional/Mental
C) Envolvimentos Espirituais

O alvo dos entrevistadores é identificar qual das três causas trouxe o paciente ao Atendimento Fraterno:

Enfermidades Físicas
Descrição: A pessoa apresenta doenças ou sintomas em seu organismo físico. Significa que o assistido encarnado
está debilitado ou doente, a princípio todos os males físicos tem origem no espírito, o nosso objetivo será
pesquisar as origens, a gravidade e a orientação para a cura.
Causa: A causa da enfermidade física poderá ser cármica, ou seja, o assistido já trazia esta doença gravada no
perispirito ao reencarnar, ou poderá ter sido nesta existência através de desregramentos mentais ou
comportamentais.
Cura: Se a doença for cármica, o tratamento que ofertamos através da fluidoterapia terá a simples função de
amenizar os sofrimentos, ou, se o debito cármico está no fim, será acelerar o processo de refazimento até a cura.
Se a doença for originada por desregramentos desta vida o paciente deverá buscar atitude mental positiva e
renovação dos sentimentos apoiados no Evangelho.

Desajustes Emocional/Mental
Descrição: A pessoa apresenta desequilíbrios de sentimentos e de pensamentos quase sempre não se sentindo
em condições de enfrentar as dificuldades que o atormentam e afligem. Diz respeito aos sentimentos e
pensamentos da pessoa, que são cultivados habitualmente (Aflição, incompreensão, nervosismo, impaciência,
apatia, acomodação, desânimo, tristeza, mágoa, insatisfação, descrença, incredulidade, falta de fé, falta de
confiança, pessimismo, negativismo, derrotista, etc).
Causa: Os desequilíbrios íntimos são produzidos pelo próprio paciente que não se ajuda para melhorar seus
pensamentos e sentimentos. Este paciente é um assíduo frequentador de todos os tipos de tratamentos que a
Casa Espírita oferece, porque mesmo após uma série de ajuda o assistido não apresenta melhoras. As vezes as
pessoas sentem sintomas de envolvimento espiritual ou males físicos sem tê-los.
Cura: O estado emocional é, em verdade, a raiz de todos os males físicos e espirituais e sendo a causa o estado
evolutivo da pessoa, só ocorrerá a cura verdadeira quando a pessoa aprimorar seus sentimentos. E importante
esclarecer o assistido, que a origem do problema está no seu intimo e que se ele não procurar modificar-se poderá
ainda agravar a sua situação contraindo males físicos ou envolvimentos espirituais.

Envolvimentos Espirituais
Descrição: A pessoa apresenta sintomas de influências espirituais negativas ou de caráter mediúnico. Significa
que o assistido encarnado possui junto a si companheiros espirituais, e que não são os seus mentores. O
Envolvimento Espiritual ocorre pelas seguintes razões:
• Cármico
• Afinidades
• Emocional (Circunstancial)
• Desenvolvimento Mediúnico

Cármico
Causa: Tais envolvimentos são motivados por laços profundos de adversidade entre os espíritos, gerados nesta
ou em vidas passadas, na qual o assistido prejudicou seus obsessores, e por forca da lei de ação e reação,
cobram agora através dos danos da dor imposta ao encarnado.
Cura: Levar o assistido a renovar-se, evangelizar-se e, elevar seu padrão vibratório, dessa forma se afasta
de seus obsessores, passando então a pagar os débitos com vibrações de amor fraterno.

Afinidades
Causa: O envolvimento por afinidade é aquele no qual os desencarnados buscam ficar juntos as pessoas que
sintam e comportem-se tal qual eles.
Cura: A atitude do assistido será muito importante, pois se a causa não for removida, ou seja, o vicio corrigido, os
obsessores serão logo substituídos por outros de igual matiz, sendo assim a cura só virá pela mudança de
sentimentos/comportamentos.
                                                                                                                305
Emocional (Circunstancial)
Causa: São ocasionados pelos fatos que nos levam a estados temporários de depressão, angustia, solidão,
aflição, tais como: A perda de um ente querido, os negócios que vão mal, uma doença, os conflitos no lar, etc.
Cura: Nestes casos deve ser dado apoio moral, escutar empaticamente, fortalecer a fé e o bom ânimo, fazendo
com que o paciente reequilibre seu coração e mente, vencendo as fortes emoções geradas pelo problema que o
aflige.

Desenvolvimento Mediúnico
Causa: Neste caso, é a mediunidade-tarefa desequilibrada, sabemos, que a mediunidade -tarefa é um recurso,
uma ferramenta de evo-lução, emprestada ao espírito reencarnado para que ele pague com o trabalho mediúni-co
no bem, as dividas cármicas, se aprimore na ciência espiritual e nos valores cristãos.
Cura: A cura dependerá da disposição do assistido em assumir a sua missão mediúnica, entrar nas fileiras de
trabalhador do espiritismo, ou seja, no estudo e no trabalho caritativo cristão.




          RECOMENDAÇÕES QUANTO AO ATENDIMENTO FRATERNO?
Com relação ao trabalhador do centro espírita, na tarefa do atendimento:
 Deve estar plenamente consciente e preparado para a tarefa;
 É recomendável que o atendimento se dê em dupla de trabalhadores, um de cada sexo;
 Deve ser portador de razoável conhecimento doutrinário e de conduta moral-evangélica segura;
 Não esquecer, jamais, que o aspecto principal de sua tarefa é o de saber ouvir e orientar, carinhosamente,
   aos que procurem o Centro Espírita em face dos seus motivos pessoais;
 A afabilidade e a brandura deverão ser os veículos do bom relacionamento, uma vez que o entrevistado
   carece de calor espiritual para seu amparo e segurança;
 A simplicidade deve ser uma de suas características, visto que favorecerá o fácil entrosamento com o
   assistido;
 É seu dever moral não julgar;
 É seu dever moral não comentar sobre as pessoas ou os assuntos tratados com os que lhe buscam a palavra
   amiga, principalmente em função do papel que desempenha;

Com relação ao local do diálogo:
 Sugere-se que o diálogo se estabeleça em local distante das demais pessoas, visto que é necessário
   preservar na intimidade as aflições, as dúvidas e os problemas do entrevistado, assim como evitar
   constrangimentos que possam bloquear a conversação;

Com relação ao diálogo propriamente dito:
 Ao orientador cabe, primeiramente, ouvir o assistido, buscando conduzir o diálogo para aspectos que julgar
   importantes, com a única finalidade de melhor orientá-lo em suas dificuldades e anseios;
 Deve fundamentar suas respostas na Doutrina Espírita, para oferecer consolo, apoio e orientação, em bases
   fraternas e cristãs;
 Nossas opiniões pessoais, nossos conselhos não devem ser aplicados;
 Deve o orientador frisar que, apesar de sua melhora depender de vários fatores, o mais importante deles é o
   esforço próprio;
 Sugerir a freqüência em reuniões de exposição doutrinária, nas quais o assistido poderá receber
   esclarecimentos maiores, além da própria assistência espiritual, e orientá-lo quanto ao programa disciplinar
   existente no ambiente de trabalho de que irá participar;
 Quando o entrevistado estiver alterado por uso de qualquer produto ou substância, deve ser ter muito cuidado,
 neste caso não demorar-se porque se falar 5 minutos ou 5 dias não vai fazer diferença alguma;
 A entrevista deve durar em média em torno de 20 minutos;
 Os entrevistadores devem dar um tempo para que a pessoa exponha seu problema, evitar que a pessoa fique
   dissertando longamente;
 Evitar colocar mais de um entrevistado no ambiente, principalmente se forem familiares, a não ser que haja
   consentimento de ambos;




                                                                                                           306

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Capelania hospitalar
Capelania hospitalarCapelania hospitalar
Capelania hospitalarLourdes Rocha
 
Apoio espiritual na hospitaliza+º+úo
Apoio espiritual na hospitaliza+º+úoApoio espiritual na hospitaliza+º+úo
Apoio espiritual na hospitaliza+º+úoPrLinaldo Junior
 
Atendimento fraterno
Atendimento fraternoAtendimento fraterno
Atendimento fraternoJorge Elarrat
 
At+® quando reanimar pr. linaldo oliveira
At+® quando reanimar   pr. linaldo oliveiraAt+® quando reanimar   pr. linaldo oliveira
At+® quando reanimar pr. linaldo oliveiraPrLinaldo Junior
 
A seriedade da visita hospitalar
A seriedade da visita hospitalarA seriedade da visita hospitalar
A seriedade da visita hospitalarpastorlinaldo
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Leonardo Pereira
 
1 5051346843967946904
1 50513468439679469041 5051346843967946904
1 5051346843967946904carol brandao
 
Introdução ao Curso entrevistador- a Casa Espirita
Introdução ao Curso entrevistador- a Casa EspiritaIntrodução ao Curso entrevistador- a Casa Espirita
Introdução ao Curso entrevistador- a Casa EspiritaCeile Bernardo
 
A recepção na casa espirita
A recepção na casa espiritaA recepção na casa espirita
A recepção na casa espiritacarlos freire
 
Livro a cura - bert hellinger
Livro   a cura - bert hellingerLivro   a cura - bert hellinger
Livro a cura - bert hellingerKatia Bertolazi
 
A seriedade da visita hospitalar goiania
A seriedade da visita hospitalar goianiaA seriedade da visita hospitalar goiania
A seriedade da visita hospitalar goianiaPrLinaldo Junior
 
Saúde e espiritualidade
Saúde e espiritualidadeSaúde e espiritualidade
Saúde e espiritualidadeSônia Marques
 
2015 a seriedade da visita hospitalar
2015    a seriedade da visita hospitalar2015    a seriedade da visita hospitalar
2015 a seriedade da visita hospitalarPrLinaldo Oliveira
 
Os aspectos religiosos envolvidos no processo de morte e luto.
Os aspectos religiosos envolvidos no processo de morte e luto.Os aspectos religiosos envolvidos no processo de morte e luto.
Os aspectos religiosos envolvidos no processo de morte e luto.PrLinaldo Junior
 
Traumas emocionais benne den
Traumas emocionais   benne denTraumas emocionais   benne den
Traumas emocionais benne denGabriela Villar
 

Mais procurados (19)

Capelania hospitalar
Capelania hospitalarCapelania hospitalar
Capelania hospitalar
 
A cura espiritual
A cura espiritualA cura espiritual
A cura espiritual
 
Apoio espiritual na hospitaliza+º+úo
Apoio espiritual na hospitaliza+º+úoApoio espiritual na hospitaliza+º+úo
Apoio espiritual na hospitaliza+º+úo
 
Atendimento fraterno
Atendimento fraternoAtendimento fraterno
Atendimento fraterno
 
Apostila capelania
Apostila capelaniaApostila capelania
Apostila capelania
 
At+® quando reanimar pr. linaldo oliveira
At+® quando reanimar   pr. linaldo oliveiraAt+® quando reanimar   pr. linaldo oliveira
At+® quando reanimar pr. linaldo oliveira
 
A seriedade da visita hospitalar
A seriedade da visita hospitalarA seriedade da visita hospitalar
A seriedade da visita hospitalar
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
1 5051346843967946904
1 50513468439679469041 5051346843967946904
1 5051346843967946904
 
A mediunidade e o seu despertar ii
A mediunidade e o seu despertar  iiA mediunidade e o seu despertar  ii
A mediunidade e o seu despertar ii
 
Introdução ao Curso entrevistador- a Casa Espirita
Introdução ao Curso entrevistador- a Casa EspiritaIntrodução ao Curso entrevistador- a Casa Espirita
Introdução ao Curso entrevistador- a Casa Espirita
 
A recepção na casa espirita
A recepção na casa espiritaA recepção na casa espirita
A recepção na casa espirita
 
Livro a cura - bert hellinger
Livro   a cura - bert hellingerLivro   a cura - bert hellinger
Livro a cura - bert hellinger
 
Mediunidade o que é isso apostila 016
Mediunidade o que é isso   apostila 016Mediunidade o que é isso   apostila 016
Mediunidade o que é isso apostila 016
 
A seriedade da visita hospitalar goiania
A seriedade da visita hospitalar goianiaA seriedade da visita hospitalar goiania
A seriedade da visita hospitalar goiania
 
Saúde e espiritualidade
Saúde e espiritualidadeSaúde e espiritualidade
Saúde e espiritualidade
 
2015 a seriedade da visita hospitalar
2015    a seriedade da visita hospitalar2015    a seriedade da visita hospitalar
2015 a seriedade da visita hospitalar
 
Os aspectos religiosos envolvidos no processo de morte e luto.
Os aspectos religiosos envolvidos no processo de morte e luto.Os aspectos religiosos envolvidos no processo de morte e luto.
Os aspectos religiosos envolvidos no processo de morte e luto.
 
Traumas emocionais benne den
Traumas emocionais   benne denTraumas emocionais   benne den
Traumas emocionais benne den
 

Semelhante a 45 fluiodoterapia- atendimento fraterno

O valor do acolhimento na casa espírita
O valor do acolhimento na casa espíritaO valor do acolhimento na casa espírita
O valor do acolhimento na casa espíritaHelio Cruz
 
Pps Psicoterapia[1]
Pps   Psicoterapia[1]Pps   Psicoterapia[1]
Pps Psicoterapia[1]formacaocep
 
Pps Psicoterapia[1]
Pps   Psicoterapia[1]Pps   Psicoterapia[1]
Pps Psicoterapia[1]ioseph
 
Material complementar aconselhamento cristão 3.pdf
Material complementar aconselhamento cristão 3.pdfMaterial complementar aconselhamento cristão 3.pdf
Material complementar aconselhamento cristão 3.pdfmayaramariane0694
 
Seminário-O Atendimento Fraterno Na Casa Espírita-Marcelo do N.Rodrigues-cem
Seminário-O Atendimento Fraterno Na Casa Espírita-Marcelo do N.Rodrigues-cemSeminário-O Atendimento Fraterno Na Casa Espírita-Marcelo do N.Rodrigues-cem
Seminário-O Atendimento Fraterno Na Casa Espírita-Marcelo do N.Rodrigues-cemMarcelo do Nascimento Rodrigues
 
Conheça Kayuá
Conheça KayuáConheça Kayuá
Conheça KayuáKayuá
 
Comunicacao e dialogo com os Espiritos
Comunicacao e dialogo com os EspiritosComunicacao e dialogo com os Espiritos
Comunicacao e dialogo com os EspiritosAri Carrasco
 
Assistencia espiritual-e-espiritismo
Assistencia espiritual-e-espiritismoAssistencia espiritual-e-espiritismo
Assistencia espiritual-e-espiritismoVictor Passos
 
Atendimento Fraterno (Livro) - Projeto Manoel Philomeno de Miranda
Atendimento Fraterno (Livro) - Projeto Manoel Philomeno de MirandaAtendimento Fraterno (Livro) - Projeto Manoel Philomeno de Miranda
Atendimento Fraterno (Livro) - Projeto Manoel Philomeno de MirandaEdna Costa
 
Divaldo -atendimento_fraterno-manoel_p._miranda
Divaldo  -atendimento_fraterno-manoel_p._mirandaDivaldo  -atendimento_fraterno-manoel_p._miranda
Divaldo -atendimento_fraterno-manoel_p._mirandazfrneves
 
FRANCO, Divaldo Pereira - Atendimento Fraterno -Manoel Philomeno de Miranda-.pdf
FRANCO, Divaldo Pereira - Atendimento Fraterno -Manoel Philomeno de Miranda-.pdfFRANCO, Divaldo Pereira - Atendimento Fraterno -Manoel Philomeno de Miranda-.pdf
FRANCO, Divaldo Pereira - Atendimento Fraterno -Manoel Philomeno de Miranda-.pdfJulianeSNTorres
 

Semelhante a 45 fluiodoterapia- atendimento fraterno (20)

Ampliaçao da desobsessão
Ampliaçao da desobsessãoAmpliaçao da desobsessão
Ampliaçao da desobsessão
 
O valor do acolhimento na casa espírita
O valor do acolhimento na casa espíritaO valor do acolhimento na casa espírita
O valor do acolhimento na casa espírita
 
Pps Psicoterapia[1]
Pps   Psicoterapia[1]Pps   Psicoterapia[1]
Pps Psicoterapia[1]
 
Pps Psicoterapia[1]
Pps   Psicoterapia[1]Pps   Psicoterapia[1]
Pps Psicoterapia[1]
 
Material complementar aconselhamento cristão 3.pdf
Material complementar aconselhamento cristão 3.pdfMaterial complementar aconselhamento cristão 3.pdf
Material complementar aconselhamento cristão 3.pdf
 
Seminário-O Atendimento Fraterno Na Casa Espírita-Marcelo do N.Rodrigues-cem
Seminário-O Atendimento Fraterno Na Casa Espírita-Marcelo do N.Rodrigues-cemSeminário-O Atendimento Fraterno Na Casa Espírita-Marcelo do N.Rodrigues-cem
Seminário-O Atendimento Fraterno Na Casa Espírita-Marcelo do N.Rodrigues-cem
 
Sala de Acolhimento do Centro Espírita
Sala de Acolhimento do Centro EspíritaSala de Acolhimento do Centro Espírita
Sala de Acolhimento do Centro Espírita
 
Conheça Kayuá
Conheça KayuáConheça Kayuá
Conheça Kayuá
 
Comunicacao e dialogo com os Espiritos
Comunicacao e dialogo com os EspiritosComunicacao e dialogo com os Espiritos
Comunicacao e dialogo com os Espiritos
 
Assistencia espiritual-e-espiritismo
Assistencia espiritual-e-espiritismoAssistencia espiritual-e-espiritismo
Assistencia espiritual-e-espiritismo
 
Atendimento Fraterno (Livro) - Projeto Manoel Philomeno de Miranda
Atendimento Fraterno (Livro) - Projeto Manoel Philomeno de MirandaAtendimento Fraterno (Livro) - Projeto Manoel Philomeno de Miranda
Atendimento Fraterno (Livro) - Projeto Manoel Philomeno de Miranda
 
Divaldo -atendimento_fraterno-manoel_p._miranda
Divaldo  -atendimento_fraterno-manoel_p._mirandaDivaldo  -atendimento_fraterno-manoel_p._miranda
Divaldo -atendimento_fraterno-manoel_p._miranda
 
Atendfraterno
AtendfraternoAtendfraterno
Atendfraterno
 
Atendimentofraterno
AtendimentofraternoAtendimentofraterno
Atendimentofraterno
 
Quais são os serviços oferecidos para pessoas com doenças sé
Quais são os serviços oferecidos para pessoas com doenças séQuais são os serviços oferecidos para pessoas com doenças sé
Quais são os serviços oferecidos para pessoas com doenças sé
 
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 11 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -doc - 11 docApostila obsessão   lar rubataiana -doc - 11 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 11 doc
 
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 11 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 11 docApostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 11 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 11 doc
 
E-BOOK ACONSELHAMENTO CRISTÃO.pdf
E-BOOK ACONSELHAMENTO CRISTÃO.pdfE-BOOK ACONSELHAMENTO CRISTÃO.pdf
E-BOOK ACONSELHAMENTO CRISTÃO.pdf
 
FRANCO, Divaldo Pereira - Atendimento Fraterno -Manoel Philomeno de Miranda-.pdf
FRANCO, Divaldo Pereira - Atendimento Fraterno -Manoel Philomeno de Miranda-.pdfFRANCO, Divaldo Pereira - Atendimento Fraterno -Manoel Philomeno de Miranda-.pdf
FRANCO, Divaldo Pereira - Atendimento Fraterno -Manoel Philomeno de Miranda-.pdf
 
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 15 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 15 docApostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 15 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 15 doc
 

Mais de Antonio SSantos

O homem integral livro!!!!!!!!!!!!!!!!! -1 - imprimir
O homem integral  livro!!!!!!!!!!!!!!!!! -1 - imprimirO homem integral  livro!!!!!!!!!!!!!!!!! -1 - imprimir
O homem integral livro!!!!!!!!!!!!!!!!! -1 - imprimirAntonio SSantos
 
65 referências bibliográficas
65  referências bibliográficas65  referências bibliográficas
65 referências bibliográficasAntonio SSantos
 
64 células tronco e a doutrina espírita
64 células tronco e a doutrina espírita64 células tronco e a doutrina espírita
64 células tronco e a doutrina espíritaAntonio SSantos
 
63 doação de orgãos (um ato de amor ao próximo)
63 doação de orgãos (um ato de amor ao próximo)63 doação de orgãos (um ato de amor ao próximo)
63 doação de orgãos (um ato de amor ao próximo)Antonio SSantos
 
62 emoções que curam (quimica do bem)
62 emoções que curam (quimica do bem)62 emoções que curam (quimica do bem)
62 emoções que curam (quimica do bem)Antonio SSantos
 
61 familia-mudar prá melhor
61 familia-mudar prá melhor61 familia-mudar prá melhor
61 familia-mudar prá melhorAntonio SSantos
 
60 oportunidades de praticar o bem
60 oportunidades de praticar o bem60 oportunidades de praticar o bem
60 oportunidades de praticar o bemAntonio SSantos
 
58 escrever e reescrever a história da nossa vida
58 escrever e reescrever a história da nossa vida58 escrever e reescrever a história da nossa vida
58 escrever e reescrever a história da nossa vidaAntonio SSantos
 
56 higienização espiritual da terra
56 higienização espiritual da terra56 higienização espiritual da terra
56 higienização espiritual da terraAntonio SSantos
 
55 transcomunicação instrumental
55 transcomunicação instrumental55 transcomunicação instrumental
55 transcomunicação instrumentalAntonio SSantos
 
54 obesessão e desobsessão
54 obesessão e desobsessão54 obesessão e desobsessão
54 obesessão e desobsessãoAntonio SSantos
 
52 perda e suspensão da mediunidade
52 perda e suspensão da mediunidade52 perda e suspensão da mediunidade
52 perda e suspensão da mediunidadeAntonio SSantos
 
51 desdobramento animico (apometria)
51 desdobramento animico (apometria)51 desdobramento animico (apometria)
51 desdobramento animico (apometria)Antonio SSantos
 

Mais de Antonio SSantos (20)

Amizade
AmizadeAmizade
Amizade
 
Projetos (1ª 2013
Projetos (1ª  2013Projetos (1ª  2013
Projetos (1ª 2013
 
Eu no comando (4ª2013)
Eu no comando   (4ª2013)Eu no comando   (4ª2013)
Eu no comando (4ª2013)
 
Certanejos (3ª-2013)
Certanejos (3ª-2013)Certanejos (3ª-2013)
Certanejos (3ª-2013)
 
O homem integral livro!!!!!!!!!!!!!!!!! -1 - imprimir
O homem integral  livro!!!!!!!!!!!!!!!!! -1 - imprimirO homem integral  livro!!!!!!!!!!!!!!!!! -1 - imprimir
O homem integral livro!!!!!!!!!!!!!!!!! -1 - imprimir
 
65 referências bibliográficas
65  referências bibliográficas65  referências bibliográficas
65 referências bibliográficas
 
64 células tronco e a doutrina espírita
64 células tronco e a doutrina espírita64 células tronco e a doutrina espírita
64 células tronco e a doutrina espírita
 
63 doação de orgãos (um ato de amor ao próximo)
63 doação de orgãos (um ato de amor ao próximo)63 doação de orgãos (um ato de amor ao próximo)
63 doação de orgãos (um ato de amor ao próximo)
 
62 emoções que curam (quimica do bem)
62 emoções que curam (quimica do bem)62 emoções que curam (quimica do bem)
62 emoções que curam (quimica do bem)
 
61 familia-mudar prá melhor
61 familia-mudar prá melhor61 familia-mudar prá melhor
61 familia-mudar prá melhor
 
60 oportunidades de praticar o bem
60 oportunidades de praticar o bem60 oportunidades de praticar o bem
60 oportunidades de praticar o bem
 
59 amar a sí mesmo
59 amar a sí mesmo59 amar a sí mesmo
59 amar a sí mesmo
 
58 escrever e reescrever a história da nossa vida
58 escrever e reescrever a história da nossa vida58 escrever e reescrever a história da nossa vida
58 escrever e reescrever a história da nossa vida
 
57 a energia do amor
57 a energia do amor57 a energia do amor
57 a energia do amor
 
56 higienização espiritual da terra
56 higienização espiritual da terra56 higienização espiritual da terra
56 higienização espiritual da terra
 
55 transcomunicação instrumental
55 transcomunicação instrumental55 transcomunicação instrumental
55 transcomunicação instrumental
 
54 obesessão e desobsessão
54 obesessão e desobsessão54 obesessão e desobsessão
54 obesessão e desobsessão
 
53 o sono e os sonhos
53 o sono e os sonhos53 o sono e os sonhos
53 o sono e os sonhos
 
52 perda e suspensão da mediunidade
52 perda e suspensão da mediunidade52 perda e suspensão da mediunidade
52 perda e suspensão da mediunidade
 
51 desdobramento animico (apometria)
51 desdobramento animico (apometria)51 desdobramento animico (apometria)
51 desdobramento animico (apometria)
 

45 fluiodoterapia- atendimento fraterno

  • 1. FUIDOTERAPIA - ATENDIMENTO FRATERNO 302
  • 2. FLUIDOTERAPIA NA CASA ESPÍRITA ATENDIMENTO FRATERNO O QUE É ATENDIMENTO FRATERNO? O Atendimento fraterno consiste em receber fraternalmente a pessoa que busca o Centro Espírita e proporcionar-lhe oportunidade de expor livremente, em caráter privativo, suas dificuldades. O que denominamos atendimento fraterno é um verdadeiro gabinete de análises psico-espirituais em auxílio às criaturas. Quase todos os que buscam orientação amiga, desejam antes de tudo, falar das suas lutas e aflições; desabafar com alguém, por isso mesmo, muitas vezes, a tarefa do médium que está nesta atividade é ofertar atenção e carinho ouvindo os dramas humanos. Muitas pessoas, narrando os seus conflitos existenciais, realizam uma catarse que, em psicanálise, significa: técnica psicoterápica através da exteriorização verbal e emocional dos conflitos. Daí a sensação de bem estar que sentem após a entrevista. Não podemos esquecer que durante a conversação a assistência espiritual é bastante efetiva. O ORIENTADOR FRATERNO O orientador Fraterno, após ouvir atentamente a pessoa que está sendo atendida, deverá orientar e transmitir os estímulos de que ela esteja precisando, podendo até, conforme o caso, oferecer-lhe ligeiras noções doutrinárias, para a compreensão dos seus problemas; O Orientador Fraterno deve ser simples e objetivos no falar, "lembre-se do exemplo de Jesus, que com poucas palavras bem colocadas trazia ensinamentos profundos". Não se deve em poucos minutos querer fazer um resumo de toda a Codificação Espírita, nem tampouco falar de tudo o que está contido no Evangelho. O remédio se dá em doses, tomar todo o vidro de remédio de uma vez pode matar, pense nisto. A seguir encaminhar o entrevistado a reunião de estudos ou de exposição doutrinária do Centro Espírita que considere a mais apropriada. OBJETIVOS DO ATENDIMENTO FRATERNO O Atendimento Fraterno tem como objetivo primordial receber e orientar as pessoas que o procuram, facultando-lhes uma compreensão elevada de suas dificuldades à luz da Doutrina Espírita e do Evangelho de Jesus. Com base nos ensinamentos espíritas e no Evangelho de Jesus, o atendimento fraterno abre amplas perspectivas para o paciente, mostrando-lhe um roteiro de libertação e de paz, com o entendimento de que o sucesso depende dele, que deve promover, desde logo, o processo de reformulação interior. O trabalho não se propõe a solucionar os problemas que lhes sejam apresentados, mas a sugerir caminhos para a reabilitação do usuário, que somente será alcançada com o seu próprio esforço, secundado pelo ensino espírita e pelo socorro dos irmãos atendentes posicionados tanto na esfera física quanto na pátria espiritual. A atividade do Atendimento Fraterno é tão importante quanto a atividade mediúnica para Doutrinação dos Espíritos. A diferença está apenas que no Atendimento Fraterno a doutrinação é feita para um espírito que está encarnado. QUEM BUSCA O ATENDIMENTO FRATERNO? A Casa Espírita é freqüentemente procurada por pessoas desejosas de obter ajuda para a solução dos problemas com que se debatem. Buscam o Templo Espírita, muitas delas, após esgotados os outros recursos e, por isso, precisam encontrar alguém para expor suas aflições. Suas dificuldades precisam ser ouvidas com atenção, a fim de se fundamentar uma adequada orientação. 303
  • 3. QUEM FAZ O ATENDIMENTO FRATERNO? Para esse tipo de atendimento, é aconselhável constituir equipes de trabalhadores. Cada membro da equipe deverá ter por requisitos mínimos: • Saber tratar as pessoas com generosidade, simpatia, brandura, indulgência e segurança; • Comunicar-se adequadamente; Os componentes das equipes, de preferência de ambos os sexos, deverão receber treinamento prévio, visando: • Familiarização com as atividades a serem desempenhadas; • Unidade de atendimento (todos os atendentes devem falar a mesma linguagem); • Conhecimento da Doutrina Espírita, das normas e de todas as atividades da Casa Espírita; • Conscientização da importância do trabalho a ser realizado; • Conscientização da necessidade de preparação da equipe, através da prece e leitura de um texto evangélico, antes do início dos trabalhos do dia. Aos entrevistadores o atendimento fraterno enseja valiosas oportunidades de crescimento espiritual, através do desenvolvimento do sentimento do amor, no relacionamento com as pessoas carentes de afeto e compreensão A relação que temos durante a entrevista não é a de simples aconselhamento. É sim, um momento de doação de nossa parte, doação de carinho, de atenção, de um interesse sincero, não pelos problemas que ela está vivendo, mas pela pessoa, pelos sentimentos que carrega no coração. Nosso papel como entrevistador é, em primeiro lugar, dar apoio e apoiar é estar ao lado, é ouvir de fato, é ser atencioso, é manifestar nos gestos, no olhar, no tom de voz, que nos importamos, e se ele não tiver a quem recorrer, ali está uma casa e ali estamos nós com quem ele pode compartilhar o seu momento de vida. ONDE E QUANDO É FEITO O ATENDIMENTO FRATERNO? Esse atendimento deve ser realizado antes da denominada palestra pública. Se necessário, e havendo condições, poderá ser realizado, também, simultaneamente com o trabalho de passe, porém em recinto separado. Convém destacar que o atendimento fraterno não deve ser obrigatório a todas as pessoas que pretendam assistir a palestra e receber o passe. Esse atendimento só será dado àqueles que o desejarem. 304
  • 4. COMO DEVE SER FEITO O ATENDIMENTO FRATERNO? OBJETIVOS: A) Envolver o usuário num clima de paz, tranqüilidade, confiança e descontração, conduzindo a pessoa a fazer espontaneamente a sua "catarse", falando objetiva e sinteticamente de seus problemas e aflições; B) Tornar mais simples e objetivas as consultas e consequentemente as entrevistas, gerando uma capacidade maior de apoio e orientação aos assistidos; IDENTIFICAR A CAUSA DO PROBLEMA: De uma forma geral existem três causas principais que levam uma pessoa buscar o Atendimento Fraterno: A) Enfermidades Físicas B) Desajustes Emocional/Mental C) Envolvimentos Espirituais O alvo dos entrevistadores é identificar qual das três causas trouxe o paciente ao Atendimento Fraterno: Enfermidades Físicas Descrição: A pessoa apresenta doenças ou sintomas em seu organismo físico. Significa que o assistido encarnado está debilitado ou doente, a princípio todos os males físicos tem origem no espírito, o nosso objetivo será pesquisar as origens, a gravidade e a orientação para a cura. Causa: A causa da enfermidade física poderá ser cármica, ou seja, o assistido já trazia esta doença gravada no perispirito ao reencarnar, ou poderá ter sido nesta existência através de desregramentos mentais ou comportamentais. Cura: Se a doença for cármica, o tratamento que ofertamos através da fluidoterapia terá a simples função de amenizar os sofrimentos, ou, se o debito cármico está no fim, será acelerar o processo de refazimento até a cura. Se a doença for originada por desregramentos desta vida o paciente deverá buscar atitude mental positiva e renovação dos sentimentos apoiados no Evangelho. Desajustes Emocional/Mental Descrição: A pessoa apresenta desequilíbrios de sentimentos e de pensamentos quase sempre não se sentindo em condições de enfrentar as dificuldades que o atormentam e afligem. Diz respeito aos sentimentos e pensamentos da pessoa, que são cultivados habitualmente (Aflição, incompreensão, nervosismo, impaciência, apatia, acomodação, desânimo, tristeza, mágoa, insatisfação, descrença, incredulidade, falta de fé, falta de confiança, pessimismo, negativismo, derrotista, etc). Causa: Os desequilíbrios íntimos são produzidos pelo próprio paciente que não se ajuda para melhorar seus pensamentos e sentimentos. Este paciente é um assíduo frequentador de todos os tipos de tratamentos que a Casa Espírita oferece, porque mesmo após uma série de ajuda o assistido não apresenta melhoras. As vezes as pessoas sentem sintomas de envolvimento espiritual ou males físicos sem tê-los. Cura: O estado emocional é, em verdade, a raiz de todos os males físicos e espirituais e sendo a causa o estado evolutivo da pessoa, só ocorrerá a cura verdadeira quando a pessoa aprimorar seus sentimentos. E importante esclarecer o assistido, que a origem do problema está no seu intimo e que se ele não procurar modificar-se poderá ainda agravar a sua situação contraindo males físicos ou envolvimentos espirituais. Envolvimentos Espirituais Descrição: A pessoa apresenta sintomas de influências espirituais negativas ou de caráter mediúnico. Significa que o assistido encarnado possui junto a si companheiros espirituais, e que não são os seus mentores. O Envolvimento Espiritual ocorre pelas seguintes razões: • Cármico • Afinidades • Emocional (Circunstancial) • Desenvolvimento Mediúnico Cármico Causa: Tais envolvimentos são motivados por laços profundos de adversidade entre os espíritos, gerados nesta ou em vidas passadas, na qual o assistido prejudicou seus obsessores, e por forca da lei de ação e reação, cobram agora através dos danos da dor imposta ao encarnado. Cura: Levar o assistido a renovar-se, evangelizar-se e, elevar seu padrão vibratório, dessa forma se afasta de seus obsessores, passando então a pagar os débitos com vibrações de amor fraterno. Afinidades Causa: O envolvimento por afinidade é aquele no qual os desencarnados buscam ficar juntos as pessoas que sintam e comportem-se tal qual eles. Cura: A atitude do assistido será muito importante, pois se a causa não for removida, ou seja, o vicio corrigido, os obsessores serão logo substituídos por outros de igual matiz, sendo assim a cura só virá pela mudança de sentimentos/comportamentos. 305
  • 5. Emocional (Circunstancial) Causa: São ocasionados pelos fatos que nos levam a estados temporários de depressão, angustia, solidão, aflição, tais como: A perda de um ente querido, os negócios que vão mal, uma doença, os conflitos no lar, etc. Cura: Nestes casos deve ser dado apoio moral, escutar empaticamente, fortalecer a fé e o bom ânimo, fazendo com que o paciente reequilibre seu coração e mente, vencendo as fortes emoções geradas pelo problema que o aflige. Desenvolvimento Mediúnico Causa: Neste caso, é a mediunidade-tarefa desequilibrada, sabemos, que a mediunidade -tarefa é um recurso, uma ferramenta de evo-lução, emprestada ao espírito reencarnado para que ele pague com o trabalho mediúni-co no bem, as dividas cármicas, se aprimore na ciência espiritual e nos valores cristãos. Cura: A cura dependerá da disposição do assistido em assumir a sua missão mediúnica, entrar nas fileiras de trabalhador do espiritismo, ou seja, no estudo e no trabalho caritativo cristão. RECOMENDAÇÕES QUANTO AO ATENDIMENTO FRATERNO? Com relação ao trabalhador do centro espírita, na tarefa do atendimento:  Deve estar plenamente consciente e preparado para a tarefa;  É recomendável que o atendimento se dê em dupla de trabalhadores, um de cada sexo;  Deve ser portador de razoável conhecimento doutrinário e de conduta moral-evangélica segura;  Não esquecer, jamais, que o aspecto principal de sua tarefa é o de saber ouvir e orientar, carinhosamente, aos que procurem o Centro Espírita em face dos seus motivos pessoais;  A afabilidade e a brandura deverão ser os veículos do bom relacionamento, uma vez que o entrevistado carece de calor espiritual para seu amparo e segurança;  A simplicidade deve ser uma de suas características, visto que favorecerá o fácil entrosamento com o assistido;  É seu dever moral não julgar;  É seu dever moral não comentar sobre as pessoas ou os assuntos tratados com os que lhe buscam a palavra amiga, principalmente em função do papel que desempenha; Com relação ao local do diálogo:  Sugere-se que o diálogo se estabeleça em local distante das demais pessoas, visto que é necessário preservar na intimidade as aflições, as dúvidas e os problemas do entrevistado, assim como evitar constrangimentos que possam bloquear a conversação; Com relação ao diálogo propriamente dito:  Ao orientador cabe, primeiramente, ouvir o assistido, buscando conduzir o diálogo para aspectos que julgar importantes, com a única finalidade de melhor orientá-lo em suas dificuldades e anseios;  Deve fundamentar suas respostas na Doutrina Espírita, para oferecer consolo, apoio e orientação, em bases fraternas e cristãs;  Nossas opiniões pessoais, nossos conselhos não devem ser aplicados;  Deve o orientador frisar que, apesar de sua melhora depender de vários fatores, o mais importante deles é o esforço próprio;  Sugerir a freqüência em reuniões de exposição doutrinária, nas quais o assistido poderá receber esclarecimentos maiores, além da própria assistência espiritual, e orientá-lo quanto ao programa disciplinar existente no ambiente de trabalho de que irá participar;  Quando o entrevistado estiver alterado por uso de qualquer produto ou substância, deve ser ter muito cuidado,  neste caso não demorar-se porque se falar 5 minutos ou 5 dias não vai fazer diferença alguma;  A entrevista deve durar em média em torno de 20 minutos;  Os entrevistadores devem dar um tempo para que a pessoa exponha seu problema, evitar que a pessoa fique dissertando longamente;  Evitar colocar mais de um entrevistado no ambiente, principalmente se forem familiares, a não ser que haja consentimento de ambos; 306