SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
15 FEV
  O Sistema Urbano do
Litoral da Região Centro
         (SULRC)
         em 2030
    Natalino Martins
      Economista
   (natalino@martins.st)
15 FEV
1. A metodologia do estudo – os
   cenários

2. As três incertezas cruciais

3. Os quatro cenários para 2030

4. A posição de Leiria nos cenários
1. A metodologia do estudo –
               os cenários                           15 FEV
Estudo de prospectiva / cenarização finalizado em Junho de 2010
no Departamento de Prospectiva e Planeamento do ex-MAOTDR
                 (Disponível em www.dpp.pt)
A cenarização consiste na prospecção de futuros possíveis, tendo
em conta um conjunto de factores cuja evolução é razoavelmente
 certa (Elementos pré-determinados) e um conjunto de factores
        cuja evolução é muito incerta (Incertezas cruciais)

     Da configuração dos Elementos pré-determinados e do
   cruzamento das configurações contrastadas das Incertezas
    cruciais resultam as narrativas de futuros possíveis – os
                            cenários
2. As três incertezas cruciais
                                                        15 FEV

    I -Atracção de investimentos e de novas actividades & a
            internacionalização das cidades do SULRC

    II - A Região do Centro na organização das acessibilidades
internacionais de Portugal e na estruturação vertical do território
                             nacional

  III – A forma de articulação entre o Sistema Urbano Litoral da
   Região do Centro (SULRC) e o eixo urbano interior da Região
           como factor decisivo da coesão interna regional
2. As três incertezas cruciais
                                 15 FEV
2. As três incertezas cruciais
                                 15 FEV
2. As três incertezas cruciais
                                 15 FEV
3. Os quatro cenários para 2030
                                                              15 FEV
                   Esquema comum de apresentação:

  O QUE SE PASSOU NO PAÍS:          O QUE SE PASSOU NA REGIÃO – OS
                                     ACTORES E AS SUAS RELAÇÕES:
I - Reformas estruturais
                                   I - As transformações das actividades
II - Decisões relativas a infra-   do SULRC e a dinâmica das suas
estruturas e serviços de           cidades
conectividade
                                   II – As cidades do SULRC e os
                                   desafios da sustentabilidade

                                   III – A interacção do SULRC com o
                                   resto da Região do Centro
3. Os quatro cenários para 2030
                                           (excertos)
                                                                             15 FEV
                      CENÁRIO 1: Um corredor de passagem
    O QUE SE PASSOU NO PAÍS:                        O QUE SE PASSOU NA REGIÃO :

Bloqueamento de reformas estru-               Competição entre Univ. e ausência de escala
turais internas e sucessivas inter-           europeia na I&D
venções da UE forçando reformas
avulsas sem incentivos ao cresci-             Manutenção das vocações industriais com fuga
mento e à eficiência.                         de talentos nas TIC, e evolução nas indústrias
                                              locais para os novos “habitat” , energias
Eixo de AV entre Lisboa/Leiria/ Avei-         renováveis e aproveitamento energético de
ro/Porto e ausência de ligação de             recursos naturais endógenos.
Aveiro a Salamanca
                                              Investimentos urbanos no ambiente: sa-
Fraca articulação entre plataformas           neamento e transportes sustentáveis
logísticas do litoral e do Interior e de
Espanha (Salamanca)
3. Os quatro cenários para 2030
                                      (excertos)
                                                                        15 FEV
         CENÁRIO 2: Um Centro integrado, uma vocação global
    O QUE SE PASSOU NO PAÍS:
                                               O QUE SE PASSOU NA REGIÃO :
Reformas estruturais internas ba-
                                         Cooperação entre Univ. e Politécnicos po-
seadas em largo consenso e maior
                                         larizada por Coimbra, com maior projecção
atractividade internacional de PT
                                         internacional apoiada em alianças com univ.
                                         Europeias. Sistema Urbano Metropolitano.
Rede de AV em bitola dupla para
passageiros e carga articulando a
                                         Vocação industrial com evolução significativa
direcçãoN-S com a direcção Litoral-
                                         para novas carteiras de actividades e pólos de
Interior para Espanha e França
                                         competitividade nas
                                         comunicações, saúde, mobilidade electrica e
Com as novas
                                         novos materiais, e turismo
acessibilidades, alargamento do
                                         senior/saúde/termal/ aventura/ desp. radicais.
Centro “Litoral” para o Interior em
termos de atractividade
                                         Mobilidade inteligente e adaptação às AC na Ria
empresarial, valorizando Viseu .
                                         de Aveiro
3. Os quatro cenários para 2030
                                       (excertos)
                                                                          15 FEV
              CENÁRIO 3: Um Centro em busca de dinamismo
    O QUE SE PASSOU NO PAÍS:                    O QUE SE PASSOU NA REGIÃO :

Bloqueamento de reformas estru-           Forte competição entre Univ. com Coimbra
turais internas e sucessivas inter-       reforçada por alianças com UE e EUA
venções da UE forçando reformas
avulsas sem incentivos ao cresci-         Mantém vocação industrial sem grande evo-
mento e à eficiência.                     lução na sua composição. Desenvovimento
                                          assente na inovação nos clusters tradicionais e
Apoios das Redes Transeuropeias.          nas indústrias pesadas.
Linha VE Lisboa-Porto e eixo hori-
zontal Aveiro-Salamanca-Irun (bitola      Maior proximidade das cidades entre si, e com
dupla) / Diagonal rodoviária Braga-       Lisboa e Porto, leva a uma maior segmentação
Viseu e plataforma logística inter-       de actividades em quatro eixos urbanos, com
modal em Viseu. Alargamento do CL         maior articulação de Aveiro para Porto e de
para o Interior.                          Leiria para Lisboa.
3. Os quatro cenários para 2030
                                        (excertos)
                                                                          15 FEV
       CENÁRIO 4: Um Centro atlântico, cidades em competição
    O QUE SE PASSOU NO PAÍS:                     O QUE SE PASSOU NA REGIÃO:

Reformas estruturais internas ba-          Competição entre cidades e universidades.
seadas em largo consenso e maior
atractividade internacional de PT          Vocação industrial com evolução significativa
                                           para novas carteiras de actividades e pólos de
Eixo de AV entre Lisboa/Leiria/ Avei-      competitividade nas
ro/Porto e ausência de ligação de          comunicações, saúde, mobilidade electrica e
Aveiro a Salamanca.                        novos materiais, e turismo
                                           senior/saúde/termal/ aventura/ desp. radicais.
Auto Estradas do Mar como meio
privilegiado de transporte de mer-         Investimentos urbanos no ambiente: sanea-
cadorias do Norte e Centro                 mento e mobilidade inteligente, com forte
                                           aposta na energia das ondas para a produção
                                           de electricidade em Aveiro
4. A posição de Leiria nos cenários
                            Em 2030                15 FEV

AS ACTIVIDADES PRODUTIVAS:

A região de Leiria poderá conhecer uma evolução inovatória na sua carteira de
actividades tradicionais no caso da emergência dos cenários 1 – Um corredor de
passagem ou 3 – Um Centro em busca de dinamismo.

No caso dos cenários 2 - Um Centro integrado, uma vocação global ou 4 – Um Centro
atlântico, cidades em competição, de forma mais ambiciosa, Leiria pode registar um up-
grading significativo da sua carteira de actividades por via da consolidação e sucesso
dos pólos de desenvolvimento PRODUTECH e ENGINEERING & TOOLS, com evolução
para o micromanufacturing, e ainda nas cerâmicas com evolução para o fabrico de novos
materiais (no caso do cenário 4).

No cenário 2, Leiria/Marinha Grande poderiam transformar-se numa base de
proximidade para apoio ao projecto DESERTEC (centrais solares no Norte de África)
4. A posição de Leiria nos cenários
                               Em 2030                15 FEV
AS INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTE E A CONECTIVIDADE:

Nos cenários 2 - Um Centro integrado, uma vocação global e 4 - Um Centro
atlântico, cidades em competição, e também no cenário 1 - Um corredor de passagem
, Leiria fica melhor posicionada sobre a rede ferroviária de AV, em especial na direcção
NS, o que, nos dois primeiros casos, contribui para a evolução mais rica na sua carteira de
actividades

RELAÇÕES INSTITUCIONAIS E POSICIONAMENTO GEO-ESTRATÉGICO:

No Cenário 4 – Um Centro Atlântico, cidades em competição, as relações entre municípios
e instituições de ES do SULRC seriam fracas o que, conjugadamente com o encurtamento
da distância em tempo, favoreceria uma maior aproximação de Leiria à AML. No cenário 3
– Um Centro em busca de dinamismo verificar-se-ia fenómeno semelhante, ainda que sem
grande melhoria de posição de Leiria na rede de AV

No Cenário 1 – Um corredor de passagem a competição entre Univ. enfraqueceria a
região, enquanto no cenário 2 - Um Centro integrado, uma vocação global a maior
cooperação intra-regional favoreceria um SULRC mais coeso face às Áreas Metropolitanas
15 FEV
Muito obrigado pela
     atenção!
  Natalino Martins
    Economista
 (natalino@martins.st)

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Cenários futuros para o Sistema Urbano do Litoral da Região Centro (SULRC) em 2030

EQUIPAMENTOS E INFRA-ESTRUTURAS DE VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO
EQUIPAMENTOS  E INFRA-ESTRUTURAS  DE VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIOEQUIPAMENTOS  E INFRA-ESTRUTURAS  DE VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO
EQUIPAMENTOS E INFRA-ESTRUTURAS DE VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIOCláudio Carneiro
 
Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) - Porto Maravilha (Rio de Janeiro/RJ)
Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) - Porto Maravilha (Rio de Janeiro/RJ)Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) - Porto Maravilha (Rio de Janeiro/RJ)
Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) - Porto Maravilha (Rio de Janeiro/RJ)Demétrio Luiz Riguete Gripp
 
O Novo Mapa de Portugal
O Novo Mapa de Portugal O Novo Mapa de Portugal
O Novo Mapa de Portugal Idalina Leite
 
Mobilidade e Transportes na Europa
Mobilidade e Transportes na EuropaMobilidade e Transportes na Europa
Mobilidade e Transportes na EuropaCláudio Carneiro
 
Apostar nas tecnologias para atrair talentos e investimento
Apostar nas tecnologias para atrair talentos e investimentoApostar nas tecnologias para atrair talentos e investimento
Apostar nas tecnologias para atrair talentos e investimentoCláudio Carneiro
 
A reorganizacao da_rede_urbana
A reorganizacao da_rede_urbanaA reorganizacao da_rede_urbana
A reorganizacao da_rede_urbanaIlda Bicacro
 
Uma perspectiva de desenvolvimento do sistema portuário para Moçambique
Uma perspectiva de desenvolvimento do sistema portuário para MoçambiqueUma perspectiva de desenvolvimento do sistema portuário para Moçambique
Uma perspectiva de desenvolvimento do sistema portuário para Moçambiqueaplop
 
Apresentação DES ECONÔMICO
Apresentação DES ECONÔMICOApresentação DES ECONÔMICO
Apresentação DES ECONÔMICOClaudia Bagwell
 
Apresentação Dep. Ana Paula Vitorino
Apresentação Dep. Ana Paula VitorinoApresentação Dep. Ana Paula Vitorino
Apresentação Dep. Ana Paula VitorinoFDP PS Porto
 
A reorganização da rede urbana
A reorganização da rede urbanaA reorganização da rede urbana
A reorganização da rede urbanaIlda Bicacro
 
A distribuição espacial das redes de transporte
A distribuição espacial das redes de transporteA distribuição espacial das redes de transporte
A distribuição espacial das redes de transporteIlda Bicacro
 
Materiales construcción moçambique (13 abril)
Materiales construcción moçambique (13 abril)Materiales construcción moçambique (13 abril)
Materiales construcción moçambique (13 abril)Charles Dayan
 
Distribuição espacial das redes de transporte
Distribuição espacial das redes de transporteDistribuição espacial das redes de transporte
Distribuição espacial das redes de transporteInsMonteiro40
 
Correção das fichas 25 a 34 do caderno de atividadesesrp
Correção das fichas 25 a 34 do caderno de atividadesesrpCorreção das fichas 25 a 34 do caderno de atividadesesrp
Correção das fichas 25 a 34 do caderno de atividadesesrpGeografias Geo
 
Artigo revista APDC Estado da Nação Rui Franco RENTELECOM 20131113
Artigo revista APDC Estado da Nação Rui Franco RENTELECOM 20131113Artigo revista APDC Estado da Nação Rui Franco RENTELECOM 20131113
Artigo revista APDC Estado da Nação Rui Franco RENTELECOM 20131113Rui Franco
 
Política regional europeia
Política regional europeiaPolítica regional europeia
Política regional europeiaIdalina Leite
 

Semelhante a Cenários futuros para o Sistema Urbano do Litoral da Região Centro (SULRC) em 2030 (20)

EQUIPAMENTOS E INFRA-ESTRUTURAS DE VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO
EQUIPAMENTOS  E INFRA-ESTRUTURAS  DE VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIOEQUIPAMENTOS  E INFRA-ESTRUTURAS  DE VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO
EQUIPAMENTOS E INFRA-ESTRUTURAS DE VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO
 
Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) - Porto Maravilha (Rio de Janeiro/RJ)
Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) - Porto Maravilha (Rio de Janeiro/RJ)Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) - Porto Maravilha (Rio de Janeiro/RJ)
Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) - Porto Maravilha (Rio de Janeiro/RJ)
 
Carlos Figueiredo - be IN Portalegre
Carlos Figueiredo - be IN PortalegreCarlos Figueiredo - be IN Portalegre
Carlos Figueiredo - be IN Portalegre
 
O Novo Mapa de Portugal
O Novo Mapa de Portugal O Novo Mapa de Portugal
O Novo Mapa de Portugal
 
Mobilidade e Transportes na Europa
Mobilidade e Transportes na EuropaMobilidade e Transportes na Europa
Mobilidade e Transportes na Europa
 
Revista APS N.º 80 – Dezembro 2020
Revista APS N.º 80 – Dezembro 2020Revista APS N.º 80 – Dezembro 2020
Revista APS N.º 80 – Dezembro 2020
 
Apostar nas tecnologias para atrair talentos e investimento
Apostar nas tecnologias para atrair talentos e investimentoApostar nas tecnologias para atrair talentos e investimento
Apostar nas tecnologias para atrair talentos e investimento
 
A reorganizacao da_rede_urbana
A reorganizacao da_rede_urbanaA reorganizacao da_rede_urbana
A reorganizacao da_rede_urbana
 
Infraestrutura do Setor Rodoviário de Cargas
Infraestrutura do Setor Rodoviário de CargasInfraestrutura do Setor Rodoviário de Cargas
Infraestrutura do Setor Rodoviário de Cargas
 
Vladimir cogeae aula_1_2011_2 pp
Vladimir cogeae aula_1_2011_2  ppVladimir cogeae aula_1_2011_2  pp
Vladimir cogeae aula_1_2011_2 pp
 
Uma perspectiva de desenvolvimento do sistema portuário para Moçambique
Uma perspectiva de desenvolvimento do sistema portuário para MoçambiqueUma perspectiva de desenvolvimento do sistema portuário para Moçambique
Uma perspectiva de desenvolvimento do sistema portuário para Moçambique
 
Apresentação DES ECONÔMICO
Apresentação DES ECONÔMICOApresentação DES ECONÔMICO
Apresentação DES ECONÔMICO
 
Apresentação Dep. Ana Paula Vitorino
Apresentação Dep. Ana Paula VitorinoApresentação Dep. Ana Paula Vitorino
Apresentação Dep. Ana Paula Vitorino
 
A reorganização da rede urbana
A reorganização da rede urbanaA reorganização da rede urbana
A reorganização da rede urbana
 
A distribuição espacial das redes de transporte
A distribuição espacial das redes de transporteA distribuição espacial das redes de transporte
A distribuição espacial das redes de transporte
 
Materiales construcción moçambique (13 abril)
Materiales construcción moçambique (13 abril)Materiales construcción moçambique (13 abril)
Materiales construcción moçambique (13 abril)
 
Distribuição espacial das redes de transporte
Distribuição espacial das redes de transporteDistribuição espacial das redes de transporte
Distribuição espacial das redes de transporte
 
Correção das fichas 25 a 34 do caderno de atividadesesrp
Correção das fichas 25 a 34 do caderno de atividadesesrpCorreção das fichas 25 a 34 do caderno de atividadesesrp
Correção das fichas 25 a 34 do caderno de atividadesesrp
 
Artigo revista APDC Estado da Nação Rui Franco RENTELECOM 20131113
Artigo revista APDC Estado da Nação Rui Franco RENTELECOM 20131113Artigo revista APDC Estado da Nação Rui Franco RENTELECOM 20131113
Artigo revista APDC Estado da Nação Rui Franco RENTELECOM 20131113
 
Política regional europeia
Política regional europeiaPolítica regional europeia
Política regional europeia
 

Mais de Plataforma Empreendedor

Guia professor Academia Empreender Jovem
Guia professor Academia Empreender JovemGuia professor Academia Empreender Jovem
Guia professor Academia Empreender JovemPlataforma Empreendedor
 
Manual do Aluno - Academia Empreender Jovem
Manual do Aluno - Academia Empreender JovemManual do Aluno - Academia Empreender Jovem
Manual do Aluno - Academia Empreender JovemPlataforma Empreendedor
 
Plano de negocios_empreender e inovar no turismo
Plano de negocios_empreender e inovar no turismoPlano de negocios_empreender e inovar no turismo
Plano de negocios_empreender e inovar no turismoPlataforma Empreendedor
 
Apresentação bx alentejo e alentejo litoral
Apresentação bx alentejo e alentejo litoralApresentação bx alentejo e alentejo litoral
Apresentação bx alentejo e alentejo litoralPlataforma Empreendedor
 
be Involved Coimbra - Apresentação Pedro Vaz Serra
be Involved Coimbra - Apresentação Pedro Vaz Serrabe Involved Coimbra - Apresentação Pedro Vaz Serra
be Involved Coimbra - Apresentação Pedro Vaz SerraPlataforma Empreendedor
 
be Involved Coimbra - Apresentação António Henriques
be Involved Coimbra - Apresentação António Henriquesbe Involved Coimbra - Apresentação António Henriques
be Involved Coimbra - Apresentação António HenriquesPlataforma Empreendedor
 
Luís Sousa e Ricardo Alves - be IN Algarve
Luís Sousa e Ricardo Alves - be IN AlgarveLuís Sousa e Ricardo Alves - be IN Algarve
Luís Sousa e Ricardo Alves - be IN AlgarvePlataforma Empreendedor
 
be Involved - Aveiro - José Carlos Mota
be Involved - Aveiro - José Carlos Motabe Involved - Aveiro - José Carlos Mota
be Involved - Aveiro - José Carlos MotaPlataforma Empreendedor
 
be Involved - AML - António Fonseca Ferreira
be Involved - AML - António Fonseca Ferreirabe Involved - AML - António Fonseca Ferreira
be Involved - AML - António Fonseca FerreiraPlataforma Empreendedor
 
be Involved - "Colaborar para Empreender" - APGICO
be Involved - "Colaborar para Empreender" - APGICObe Involved - "Colaborar para Empreender" - APGICO
be Involved - "Colaborar para Empreender" - APGICOPlataforma Empreendedor
 

Mais de Plataforma Empreendedor (20)

Guia professor Academia Empreender Jovem
Guia professor Academia Empreender JovemGuia professor Academia Empreender Jovem
Guia professor Academia Empreender Jovem
 
Manual do Aluno - Academia Empreender Jovem
Manual do Aluno - Academia Empreender JovemManual do Aluno - Academia Empreender Jovem
Manual do Aluno - Academia Empreender Jovem
 
Sara nerbe
Sara nerbeSara nerbe
Sara nerbe
 
Ppt trienal alentejo_template
Ppt trienal alentejo_templatePpt trienal alentejo_template
Ppt trienal alentejo_template
 
Plano de negocios_empreender e inovar no turismo
Plano de negocios_empreender e inovar no turismoPlano de negocios_empreender e inovar no turismo
Plano de negocios_empreender e inovar no turismo
 
Cefpe sessão de_23_abril_2013
Cefpe sessão de_23_abril_2013Cefpe sessão de_23_abril_2013
Cefpe sessão de_23_abril_2013
 
Apresentação bx alentejo e alentejo litoral
Apresentação bx alentejo e alentejo litoralApresentação bx alentejo e alentejo litoral
Apresentação bx alentejo e alentejo litoral
 
Maisfitness essência
Maisfitness  essênciaMaisfitness  essência
Maisfitness essência
 
Iluztra apresentação be-in
Iluztra apresentação be-inIluztra apresentação be-in
Iluztra apresentação be-in
 
be Involved Coimbra - Apresentação Pedro Vaz Serra
be Involved Coimbra - Apresentação Pedro Vaz Serrabe Involved Coimbra - Apresentação Pedro Vaz Serra
be Involved Coimbra - Apresentação Pedro Vaz Serra
 
be Involved Coimbra - Apresentação António Henriques
be Involved Coimbra - Apresentação António Henriquesbe Involved Coimbra - Apresentação António Henriques
be Involved Coimbra - Apresentação António Henriques
 
Luís Sousa e Ricardo Alves - be IN Algarve
Luís Sousa e Ricardo Alves - be IN AlgarveLuís Sousa e Ricardo Alves - be IN Algarve
Luís Sousa e Ricardo Alves - be IN Algarve
 
Jânio Monteiro - be IN Algarve
Jânio Monteiro - be IN AlgarveJânio Monteiro - be IN Algarve
Jânio Monteiro - be IN Algarve
 
be IN - Apresentção Algarve
be IN - Apresentção Algarvebe IN - Apresentção Algarve
be IN - Apresentção Algarve
 
be Involved - Aveiro - José Carlos Mota
be Involved - Aveiro - José Carlos Motabe Involved - Aveiro - José Carlos Mota
be Involved - Aveiro - José Carlos Mota
 
be Involved - AML - António Fonseca Ferreira
be Involved - AML - António Fonseca Ferreirabe Involved - AML - António Fonseca Ferreira
be Involved - AML - António Fonseca Ferreira
 
be Involved - "Colaborar para Empreender" - APGICO
be Involved - "Colaborar para Empreender" - APGICObe Involved - "Colaborar para Empreender" - APGICO
be Involved - "Colaborar para Empreender" - APGICO
 
Apresentação apgico
Apresentação apgicoApresentação apgico
Apresentação apgico
 
Sandra Vicente - be IN Coimbra
Sandra Vicente - be IN Coimbra Sandra Vicente - be IN Coimbra
Sandra Vicente - be IN Coimbra
 
Joana Ramos - be IN Coimbra
Joana Ramos - be IN CoimbraJoana Ramos - be IN Coimbra
Joana Ramos - be IN Coimbra
 

Cenários futuros para o Sistema Urbano do Litoral da Região Centro (SULRC) em 2030

  • 1. 15 FEV O Sistema Urbano do Litoral da Região Centro (SULRC) em 2030 Natalino Martins Economista (natalino@martins.st)
  • 2. 15 FEV 1. A metodologia do estudo – os cenários 2. As três incertezas cruciais 3. Os quatro cenários para 2030 4. A posição de Leiria nos cenários
  • 3. 1. A metodologia do estudo – os cenários 15 FEV Estudo de prospectiva / cenarização finalizado em Junho de 2010 no Departamento de Prospectiva e Planeamento do ex-MAOTDR (Disponível em www.dpp.pt) A cenarização consiste na prospecção de futuros possíveis, tendo em conta um conjunto de factores cuja evolução é razoavelmente certa (Elementos pré-determinados) e um conjunto de factores cuja evolução é muito incerta (Incertezas cruciais) Da configuração dos Elementos pré-determinados e do cruzamento das configurações contrastadas das Incertezas cruciais resultam as narrativas de futuros possíveis – os cenários
  • 4. 2. As três incertezas cruciais 15 FEV I -Atracção de investimentos e de novas actividades & a internacionalização das cidades do SULRC II - A Região do Centro na organização das acessibilidades internacionais de Portugal e na estruturação vertical do território nacional III – A forma de articulação entre o Sistema Urbano Litoral da Região do Centro (SULRC) e o eixo urbano interior da Região como factor decisivo da coesão interna regional
  • 5. 2. As três incertezas cruciais 15 FEV
  • 6. 2. As três incertezas cruciais 15 FEV
  • 7. 2. As três incertezas cruciais 15 FEV
  • 8. 3. Os quatro cenários para 2030 15 FEV Esquema comum de apresentação: O QUE SE PASSOU NO PAÍS: O QUE SE PASSOU NA REGIÃO – OS ACTORES E AS SUAS RELAÇÕES: I - Reformas estruturais I - As transformações das actividades II - Decisões relativas a infra- do SULRC e a dinâmica das suas estruturas e serviços de cidades conectividade II – As cidades do SULRC e os desafios da sustentabilidade III – A interacção do SULRC com o resto da Região do Centro
  • 9. 3. Os quatro cenários para 2030 (excertos) 15 FEV CENÁRIO 1: Um corredor de passagem O QUE SE PASSOU NO PAÍS: O QUE SE PASSOU NA REGIÃO : Bloqueamento de reformas estru- Competição entre Univ. e ausência de escala turais internas e sucessivas inter- europeia na I&D venções da UE forçando reformas avulsas sem incentivos ao cresci- Manutenção das vocações industriais com fuga mento e à eficiência. de talentos nas TIC, e evolução nas indústrias locais para os novos “habitat” , energias Eixo de AV entre Lisboa/Leiria/ Avei- renováveis e aproveitamento energético de ro/Porto e ausência de ligação de recursos naturais endógenos. Aveiro a Salamanca Investimentos urbanos no ambiente: sa- Fraca articulação entre plataformas neamento e transportes sustentáveis logísticas do litoral e do Interior e de Espanha (Salamanca)
  • 10. 3. Os quatro cenários para 2030 (excertos) 15 FEV CENÁRIO 2: Um Centro integrado, uma vocação global O QUE SE PASSOU NO PAÍS: O QUE SE PASSOU NA REGIÃO : Reformas estruturais internas ba- Cooperação entre Univ. e Politécnicos po- seadas em largo consenso e maior larizada por Coimbra, com maior projecção atractividade internacional de PT internacional apoiada em alianças com univ. Europeias. Sistema Urbano Metropolitano. Rede de AV em bitola dupla para passageiros e carga articulando a Vocação industrial com evolução significativa direcçãoN-S com a direcção Litoral- para novas carteiras de actividades e pólos de Interior para Espanha e França competitividade nas comunicações, saúde, mobilidade electrica e Com as novas novos materiais, e turismo acessibilidades, alargamento do senior/saúde/termal/ aventura/ desp. radicais. Centro “Litoral” para o Interior em termos de atractividade Mobilidade inteligente e adaptação às AC na Ria empresarial, valorizando Viseu . de Aveiro
  • 11. 3. Os quatro cenários para 2030 (excertos) 15 FEV CENÁRIO 3: Um Centro em busca de dinamismo O QUE SE PASSOU NO PAÍS: O QUE SE PASSOU NA REGIÃO : Bloqueamento de reformas estru- Forte competição entre Univ. com Coimbra turais internas e sucessivas inter- reforçada por alianças com UE e EUA venções da UE forçando reformas avulsas sem incentivos ao cresci- Mantém vocação industrial sem grande evo- mento e à eficiência. lução na sua composição. Desenvovimento assente na inovação nos clusters tradicionais e Apoios das Redes Transeuropeias. nas indústrias pesadas. Linha VE Lisboa-Porto e eixo hori- zontal Aveiro-Salamanca-Irun (bitola Maior proximidade das cidades entre si, e com dupla) / Diagonal rodoviária Braga- Lisboa e Porto, leva a uma maior segmentação Viseu e plataforma logística inter- de actividades em quatro eixos urbanos, com modal em Viseu. Alargamento do CL maior articulação de Aveiro para Porto e de para o Interior. Leiria para Lisboa.
  • 12. 3. Os quatro cenários para 2030 (excertos) 15 FEV CENÁRIO 4: Um Centro atlântico, cidades em competição O QUE SE PASSOU NO PAÍS: O QUE SE PASSOU NA REGIÃO: Reformas estruturais internas ba- Competição entre cidades e universidades. seadas em largo consenso e maior atractividade internacional de PT Vocação industrial com evolução significativa para novas carteiras de actividades e pólos de Eixo de AV entre Lisboa/Leiria/ Avei- competitividade nas ro/Porto e ausência de ligação de comunicações, saúde, mobilidade electrica e Aveiro a Salamanca. novos materiais, e turismo senior/saúde/termal/ aventura/ desp. radicais. Auto Estradas do Mar como meio privilegiado de transporte de mer- Investimentos urbanos no ambiente: sanea- cadorias do Norte e Centro mento e mobilidade inteligente, com forte aposta na energia das ondas para a produção de electricidade em Aveiro
  • 13. 4. A posição de Leiria nos cenários Em 2030 15 FEV AS ACTIVIDADES PRODUTIVAS: A região de Leiria poderá conhecer uma evolução inovatória na sua carteira de actividades tradicionais no caso da emergência dos cenários 1 – Um corredor de passagem ou 3 – Um Centro em busca de dinamismo. No caso dos cenários 2 - Um Centro integrado, uma vocação global ou 4 – Um Centro atlântico, cidades em competição, de forma mais ambiciosa, Leiria pode registar um up- grading significativo da sua carteira de actividades por via da consolidação e sucesso dos pólos de desenvolvimento PRODUTECH e ENGINEERING & TOOLS, com evolução para o micromanufacturing, e ainda nas cerâmicas com evolução para o fabrico de novos materiais (no caso do cenário 4). No cenário 2, Leiria/Marinha Grande poderiam transformar-se numa base de proximidade para apoio ao projecto DESERTEC (centrais solares no Norte de África)
  • 14. 4. A posição de Leiria nos cenários Em 2030 15 FEV AS INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTE E A CONECTIVIDADE: Nos cenários 2 - Um Centro integrado, uma vocação global e 4 - Um Centro atlântico, cidades em competição, e também no cenário 1 - Um corredor de passagem , Leiria fica melhor posicionada sobre a rede ferroviária de AV, em especial na direcção NS, o que, nos dois primeiros casos, contribui para a evolução mais rica na sua carteira de actividades RELAÇÕES INSTITUCIONAIS E POSICIONAMENTO GEO-ESTRATÉGICO: No Cenário 4 – Um Centro Atlântico, cidades em competição, as relações entre municípios e instituições de ES do SULRC seriam fracas o que, conjugadamente com o encurtamento da distância em tempo, favoreceria uma maior aproximação de Leiria à AML. No cenário 3 – Um Centro em busca de dinamismo verificar-se-ia fenómeno semelhante, ainda que sem grande melhoria de posição de Leiria na rede de AV No Cenário 1 – Um corredor de passagem a competição entre Univ. enfraqueceria a região, enquanto no cenário 2 - Um Centro integrado, uma vocação global a maior cooperação intra-regional favoreceria um SULRC mais coeso face às Áreas Metropolitanas
  • 15. 15 FEV Muito obrigado pela atenção! Natalino Martins Economista (natalino@martins.st)

Notas do Editor

  1. Pólos de competitividade e clusters com incidências em Leiria: PRODUTECH- Pólo das Tecnologias de Produção – Leiria, Marinha Grande e AlcanenaEngegineering & Tooling: Marinha Grande, Leiria, Martingança, Vieira de Leiria (moldes e plásticos)Tecnologia Agroindustrial – Pombal (Derovo – ovos)Outras actividades com relevância em Leiria:Conservas de peixe em PenicheEstaleiros navais em PenicheCluster Habitat Sustentável (Cerâmica e vidro) – Marinha Grande, Alcobaça (SPAL)Cerâmicas: Alcobaça,Caldas da Rainha
  2. Pólos de competitividade e clusters com incidências em Leiria: PRODUTECH- Pólo das Tecnologias de Produção – Leiria, Marinha Grande e AlcanenaEngegineering & Tooling: Marinha Grande, Leiria, Martingança, Vieira de Leiria (moldes e plásticos)Tecnologia Agroindustrial – Pombal (Derovo – ovos)Outras actividades com relevância em Leiria:Conservas de peixe em PenicheEstaleiros navais em PenicheCluster Habitat Sustentável (Cerâmica e vidro) – Marinha Grande, Alcobaça (SPAL)Cerâmicas: Alcobaça,Caldas da Rainha