Federação das Indústrias do Estado de São Paulo - FIESP <br />VI Encontro de Logística e TRansportes<br />Infraestrutura d...
1. Introdução<br />2. Abrangência da Infraestrutura do setorrodoviário de cargas<br />3. O papel da infraestrutura no cont...
1. Introdução1.1. Contexto econômico global<br />Com a globalização o mundo se tornou uma grande planta logística: <br />a...
1.2. Contexto econômico nacional<br />Diversas atividades econômicas exigem elevada escala de produção.<br />Criam-se pólo...
1.3. Contexto do planejamento da infraestrutura<br />Ferroviário<br />Rodoviário<br />Visão Logística<br />1850<br />1950<...
2. Abrangência da Infraestrutura do setor rodoviário de cargas2.1. Macrologística<br />Sistema rodoviário<br />Integração ...
Fontes: CNT, DNIT, ABMAQ, 2010.<br />2.2. Sistema rodoviário<br />
2.2. Sistema Rodoviário II<br />Transportadores e frota de veículos<br />Atualizado em: 08/06/2011 às 14:00<br />Fonte: ht...
3. O papel da infraestrutura do setor rodoviário no contexto logístico e na economia<br />3.1. No contexto logístico<br />...
3.2. Na economia<br />Trata-se de uma atividade meio, que não agrega valor ao produto transportado. <br />No entanto, é vi...
3.2. Na economia <br />Segundo anuário da ABIMAQ, o Custo Brasil faz com que um mesmo produto agrícola seja produzido no B...
3.3. Vocação do modal rodoviário I<br />Deve-se considerar sua maior aptidão para transporte de cargas em curtas e médias ...
3.3. Vocação do modal rodoviário II<br />Para percursoslongos, podenão ser o meio de transportemaisadequado, perdeemcompet...
3.3. Vocação do modal rodoviário III<br />Grande flexibilidade de rotas dada a disponibilidade da malhaviária.<br />Aptidã...
4. Aspectos estratégicos e inserção no planejamento 4.1. Investimentos do Ministério dos Transportes / PIB (%)<br />“Baixo...
4.2. A importância do planejamento<br />No setor público: <br />PNLT – Plano Nacional de Logística e Transportes (MT)<br /...
4.2. A importância do planejamento<br />No setor público: <br />SGV – Sistema Georreferenciado de Informações Viárias (DNI...
4.2. A importância do planejamento<br />No setor privado (exemplo): <br />SIAM: Petrobras<br />
5. Brasil: sem medo de crescer5.1. Evolução do PIB<br />
5.2. Investimentos no setor de transportes<br /><ul><li>Evolução da disponibilidade orçamentária do MT – Modal Rodoviário ...
É relevante que o setor privado participe dos investimentos em infraestrutura logística;  <br />Cabe também ao poder públi...
5.3. Destaques do PNLT: diretrizes para as rodovias <br />Eixos estratégicos: <br />Duplicação e adequação de capacidade <...
5.3. Destaques do PNLT: diretrizes para as rodovias<br />Elevação do percentual da malha de “bom e excelente” para 60% até...
6. Conclusões6.1. Tendências consolidadas<br />Economia globalizada: gera crescimento no COMEX, demandando maior infraestr...
6.2. Ações<br />Em uma visão de futuro, há que se consolidar um novo papel para o setor rodoviário de cargas: <br />A malh...
Referências<br />ABIMAQ , Anuário 2009/2010.<br />ANTT, 2011.<br />CNT, 2010.<br />DNIT, 2011.<br />PPP's em rodovias no B...
Amir MattarValente, Dr.<br />amir.labtrans@gmail.com<br />Valter ZanelaTani, Dr.<br />vztani@gmail.com<br />Obrigado!<br />
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Infraestrutura do Setor Rodoviário de Cargas

2.513 visualizações

Publicada em

Abrangência da Infraestrutura do setor rodoviário de cargas
O papel da infraestrutura no contexto logístico e na economia
Aspectos estratégicos e inserção no planejamento
Brasil: sem medo de crescer

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.513
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
120
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Infraestrutura do Setor Rodoviário de Cargas

  1. 1. Federação das Indústrias do Estado de São Paulo - FIESP <br />VI Encontro de Logística e TRansportes<br />Infraestrutura do Setor Rodoviário de Cargas Brasil: sem medo de crescer<br />Amir Mattar Valente, Dr.<br />ValterZanelaTani, Dr.<br />Junho de 2011<br />www.labtrans.ufsc.br<br />
  2. 2. 1. Introdução<br />2. Abrangência da Infraestrutura do setorrodoviário de cargas<br />3. O papel da infraestrutura no contexto logístico e na economia<br />4. Aspectos estratégicos e inserção no planejamento <br />5. Brasil: sem medo de crescer<br />6. Conclusões<br />Sumário<br />
  3. 3. 1. Introdução1.1. Contexto econômico global<br />Com a globalização o mundo se tornou uma grande planta logística: <br />alguns países criam os projetos; <br />outros fornecem a matéria-prima;<br />outros contribuem com a mão-de-obra;<br />e em alguns mercados, mais intensamente, acontece o consumo.<br />A competitividade do setor produtivo está associada à uma logística eficiente.<br />
  4. 4. 1.2. Contexto econômico nacional<br />Diversas atividades econômicas exigem elevada escala de produção.<br />Criam-se pólos de produção (agrobusiness e indústria).<br />O consumo está concentrado nos grandes centros.<br />Para suprir o mercado interno, a conexão entre produção e consumo requer logística eficiente.<br />
  5. 5. 1.3. Contexto do planejamento da infraestrutura<br />Ferroviário<br />Rodoviário<br />Visão Logística<br />1850<br />1950<br />2000<br />Século XXI<br />
  6. 6. 2. Abrangência da Infraestrutura do setor rodoviário de cargas2.1. Macrologística<br />Sistema rodoviário<br />Integração com o sistema logístico<br />
  7. 7. Fontes: CNT, DNIT, ABMAQ, 2010.<br />2.2. Sistema rodoviário<br />
  8. 8. 2.2. Sistema Rodoviário II<br />Transportadores e frota de veículos<br />Atualizado em: 08/06/2011 às 14:00<br />Fonte: http://www.antt.gov.br/rntrc_numeros/rntrc_emnumeros.asp<br />
  9. 9. 3. O papel da infraestrutura do setor rodoviário no contexto logístico e na economia<br />3.1. No contexto logístico<br />O modal tem papel de destaque, responde por 60% do total transportado.<br />Fonte: PNLT, 2010.<br />No Brasil um caminhão pode trafegar de norte à sul, mais de 3000 km.<br />
  10. 10. 3.2. Na economia<br />Trata-se de uma atividade meio, que não agrega valor ao produto transportado. <br />No entanto, é vital para o setor econômico.<br />É um instrumento primordial para gerar desenvolvimento econômico e regional.<br />
  11. 11. 3.2. Na economia <br />Segundo anuário da ABIMAQ, o Custo Brasil faz com que um mesmo produto agrícola seja produzido no Brasil com custo 36% maior do que nos EUA e Alemanha. <br /> Fonte: ABIMAQ, 2010.<br />
  12. 12. 3.3. Vocação do modal rodoviário I<br />Deve-se considerar sua maior aptidão para transporte de cargas em curtas e médias distâncias.<br />C1<br />C2<br />Rodoviário<br />C3<br />Custo de Transporteporunidade<br />Ferroviário<br />HIdroviário<br />D1<br />D2<br />Distância<br />
  13. 13. 3.3. Vocação do modal rodoviário II<br />Para percursoslongos, podenão ser o meio de transportemaisadequado, perdeemcompetitividade e custospara o ferroviário e o hidroviário.<br />Único que oferece a operação porta-a-porta, e se torna fundamental para viabilizar os outros modais (ferroviário, hidroviário e aéreo).<br />
  14. 14. 3.3. Vocação do modal rodoviário III<br />Grande flexibilidade de rotas dada a disponibilidade da malhaviária.<br />Aptidão para o transporte de produtos de médio e alto valor agregado, dados a velocidade das operações e o tratamento customizado das cargas.<br />
  15. 15. 4. Aspectos estratégicos e inserção no planejamento 4.1. Investimentos do Ministério dos Transportes / PIB (%)<br />“Baixos níveis de investimento em infraestrutura geraram problemas a serem superados, distribuídos em todos os diversos modos de transporte, gerando ineficiências, custos adicionais e acidentes.”<br />Perrupato, (2010)<br />
  16. 16. 4.2. A importância do planejamento<br />No setor público: <br />PNLT – Plano Nacional de Logística e Transportes (MT)<br />PNLP – Plano Nacional de Logística Portuária (SEP/PR)<br />PHE - Plano Hidroviário Estratégico (MT)<br />PNIH – Plano Nacional de Integração Hidroviária (ANTAQ).<br />SISLOG – Sistema Logístico(ANTT)<br />
  17. 17. 4.2. A importância do planejamento<br />No setor público: <br />SGV – Sistema Georreferenciado de Informações Viárias (DNIT)<br />
  18. 18. 4.2. A importância do planejamento<br />No setor privado (exemplo): <br />SIAM: Petrobras<br />
  19. 19. 5. Brasil: sem medo de crescer5.1. Evolução do PIB<br />
  20. 20. 5.2. Investimentos no setor de transportes<br /><ul><li>Evolução da disponibilidade orçamentária do MT – Modal Rodoviário </li></ul>“O PNLT recomenda investimentos de R$74,4 bilhões em Infraestrutura de transporte no modo rodoviário para o período de 2008 a 2023, devendo também ser considerados mais R$16 bilhões estimados como necessários pelo DNIT para Manutenção e Conservação da malha até 2016.” Perrupato, (2010)<br />
  21. 21. É relevante que o setor privado participe dos investimentos em infraestrutura logística; <br />Cabe também ao poder público a eficiente regulação do setor.<br />
  22. 22. 5.3. Destaques do PNLT: diretrizes para as rodovias <br />Eixos estratégicos: <br />Duplicação e adequação de capacidade <br />Construção e pavimentação.<br />Áreas urbanas:<br />Construção de contornos e travessias.<br />
  23. 23. 5.3. Destaques do PNLT: diretrizes para as rodovias<br />Elevação do percentual da malha de “bom e excelente” para 60% até 2014.<br />Eliminação do percentual correspondente a “mau e péssimo”. (nos termos da avaliação do SGP - Sistema de Gerência de Pavimentos do DNIT).<br />
  24. 24. 6. Conclusões6.1. Tendências consolidadas<br />Economia globalizada: gera crescimento no COMEX, demandando maior infraestrutura logística e integração. <br />Necessidade de eficiência logística para manter a competitividade do setor produtivo.<br />A redução de custos logísticos é imperiosa para o setor industrial voltado a produtos de alto valor agregado. <br />
  25. 25. 6.2. Ações<br />Em uma visão de futuro, há que se consolidar um novo papel para o setor rodoviário de cargas: <br />A malha rodoviária deve estar integrada a um sistema logístico, envolvendo os setores ferroviário, hidroviário e aéreo, terminais de integração, centros integrados de logística (CILs) e conectando, ao menor custo, produtores e consumidores.<br />Transportadores têm que se transformar em operadores logísticos;<br />O setor produtivo (embarcadores) também deve ter o seu eficiente planejamento logístico.<br />
  26. 26. Referências<br />ABIMAQ , Anuário 2009/2010.<br />ANTT, 2011.<br />CNT, 2010.<br />DNIT, 2011.<br />PPP's em rodovias no Brasil: Atualização e Perspectivas - Marcelo Perrupato, Secretário de Políticas do Ministério dos Transportes, 2010.<br />I Seminário de Logística e 10º Seminário de Transportes Multimodais de MG - Marcelo Perrupato, Secretário de Políticas do Ministério dos Transportes, 2010.<br />
  27. 27. Amir MattarValente, Dr.<br />amir.labtrans@gmail.com<br />Valter ZanelaTani, Dr.<br />vztani@gmail.com<br />Obrigado!<br />

×