N.º 13 o ideias abril 97 ano iii

238 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
238
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

N.º 13 o ideias abril 97 ano iii

  1. 1. Abril 97 Ano III Nº 13 50$00 O mundo evolui a um ritmo SUMÁRIO alucinante. Com as novas tecnologias diariamente somos bombardeados com feitos e descobertas inimagináveis que nos transportam para uma realidade nova e surpreendente. Pág. 2 Colunas de som para PC Sabemos que os avanços da ciência e da tecnologia constituem um fundamento para a melhoria das condições de vida de todos nós, noentanto é necessário avaliar cuidadosamente as suasrepercussões para além do presente. Pág. 3 A importância dum jornal Por exemplo, quando navegamos na Internet achamos académicosimplesmente fantástica aquela disponibilidade deinformação e de trocas de diversa ordem, mas raramenteparamos para pensar até onde nos pode levar toda essa Pág. 4 Reflexões sobre o ensinofacilidade num futuro próximo. superior Outro avanço científico que considero importante ebastante falado desde há tempos é o da clonagem de animais,apesar de já ser frequente em plantas e vegetais, a Pág. 5 Honesto estudo com longapossibilidade de criar seres idênticos geneticamente podetrazer uma nova dimensão à existência. experiência misturada Assim a clonagem de animais e a Internet são“progressos” (bastante diferentes um do outro) que à partidapretendem ser um contributo positivo para a humanidade, Pág. 6 Recordações da infância dee todos nós (ou pelo menos a maioria) têm sobre eles uma António Guterresopinião positiva. Um pode ser considerado mais polémicoque o outro, no entanto ambos se mostram envoltos numagrande nuvem de incerteza no que respeita à sua implicação Pág. 8 Eng.º Ramos toma possena sociedade do futuro. Normalmente não me considero uma pessoa“tradicionalista”, no entanto a ideia de um futuro controladopor máquinas e a possibilidade “óbvia” da clonagem de sereshumanos ainda me “intriga”. Mas, como já alguém dizia Pág. 10 Entrevista a um estudante dequando não encontro respostas no futuro procuro-as no Teologiapassado e tento encontrar fenómenos tecnológicos ehumanos que alteraram a sociedade do início do século e quea fizeram chegar até aos nossos dias tal como ela é; adiferença é abismal, num século o mundo evoluiu de umaforma inacreditável, basta pensarmos no caso de Portugalque há um século atrás era uma monarquia, as condições devida eram precárias, os meios de transporte e aacessibilidade das populações do interior do país à capitaldeixavam muito a desejar, a pobreza, as epidemias, asguerras, a baixa esperança média de vida, parecem-noscoisas de um passado muito remoto, no entanto esses temposestão apenas à distância da vida dos nossos avós e bisavós,isto é, há três ou quatro gerações atrás. Ao ritmo que as coisas CHARLOTse têm processado até aqui, ao imaginar como será a BARsociedade na qual os nossos netos e bisnetos crescerão é fácilsentir a insignificância de cada ser individual no rumo e noritmo em que o mundo se transforma e nos transforma. Luzia Valentim "O seu espaço"
  2. 2. O Ideias ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ COLUNAS DE SOM/MULTIMEDIA PARA PC Decidi escrever sobre colunas de quem está realmente interessado em “fusco” e pouco limpo. Pois é, tira umsom para computadores, porque na adquirir um bom KIT multimedia de pouco a vontade de jogar, é como estar aminha opinião este é um tema um pouco certeza que não deixará em vão a ver um filme no cinema e não ter som adescurado, ou pelo menos pouco falado, qualidade/potência das colunas, no acompanhá-lo, é “chato” não é?verificando-se por vezes como um tema entanto para os mais distraídos, o que A esta altura devem estar a pensarde segundo plano considerando-se as provavelmente acontecerá é que quando mal dos KIT’s multimedia e das colunasditas colunas de som como meros estiverem a desembrulhar o seu neles inseridas, mas não é caso para isso,acessórios que acabam por ser fresquinho KIT, começam todos porque como já referi atrás o material“impingidas” aos consumidores, sem entusiasmados a retirar o CD ROM, a dos KIT’s até costuma ser de boaque estes (em algumas situações) tenham placa de som, o microfone (se este estiver qualidade (mas há sempre excepções àvoto na matéria. incluído no pacote), os manuais de regra). Finalmente são boas as notícias E quando nos deslocamos a uma instalação, etc. e quando chegam às que vos tenho para dar, é que osloja, ou simplesmente observamos um colunas, ficam a observá-las com um construtores das ditas colunas de som/folheto de publicidade e verificamos que olhar de quem já está arrependido da multimedia, cada vez mais estão atemos um computador com X compra que acabou de fazer, ou pelos trabalhar com o intuito de colocar nocaracterísticas, com um monitor de Y menos ficam a pensar que aquelas coisas mercado à disposição dos consumidorespolegadas, CD ROM de “tantas” minúsculas não devem “dar” grande deste tipo de produtos, colunas comvelocidades, placa de som 16/32 bits e som. Como se costuma dizer «a performances razoavelmente equanto às colunas? Nada. E quando há esperança é a última a morrer», há que extremamente boas e com uma estéticaalgo sobre estas, pelo que tenho lido em instalar o dito hardware e o de invejar, mas claro que o factor preçovárias revistas de informática, é algo do correspondente software (o que cada vez está sempre presente e existem colunasseguinte género: «1 par de colunas mais está facilitado com o já conhecido para todos os gostos e bolsas, mas nãoestéreo» ou «1 par de colunas plug n’ play). Quando tudo está desanimem, por uma quantia entre osamplificadas»... Para além disso, quando correctamente instalado, eis que chegou dez e os quinze mil escudos podemhá referência às ditas colunas, a sua o derradeiro momento; coloca-se então possuir umas colunas já bastantepotência é expressa em watts, a preferida um CD audio no CD ROM e ... voilá, interessantes.pelos comerciantes, digamos que é a que estamos a ouvir música. O mais O que leva os construtores achama mais à atenção do consumidor, espantoso é que se colocarmos o volume pensarem mais nestes produtos, deve-semas na realidade não revela a sua a pouco mais de “meio gás”, o som sai em grande parte ao acréscimo daverdadeira potência que é medida em distorcido e as coitadinhas das colunas concorrência, numa época em que cadadécibeis, enfim estratégias de venda que estremecem que nem “varas verdes”, é vez mais se fala em Multimedia e todosfelizmente não são das piores ... então aqui que o sentimento de nós sabemos perfeitamente o que é que a Mas, e quando a realidade é outra, arrependimento se acentua, mas nem concorrência pode fazer no mercado daou seja, já possui um computador e está tudo está perdido, é só uma questão de informática.interessado em “transformá-lo” num PC comprar umas colunas novas e de Se realmente estiverem interessadosMultimedia e decide comprar um KIT preferência umas que já satisfaçam em adquirir umas colunas ou KITmultimedia as notícias podem também razoavelmente até os mais exigentes. multimedia, o meu conselho é o denão ser muitos agradáveis, e reparem Se pensarmos bem, tanto a recorrerem a casas de informática para seque frisei podem, uma vez que nem qualidade como a potência sonora de informarem sobre as características dotodos os KIT’s correspondem ao padrão umas colunas influenciam positiva ou material que querem comprar; podemque tenho vindo a descrever. Na negativamente o trabalho de quem tem também obter alguma informaçãogeneralidade a qualidade do material de as usar, e nem é preciso ir mais longe, proveitosa através da leitura de revistasque os KIT’s trazem consigo é bastante imaginem-se a jogar um bom jogo (os da especialidade; tentem contactar comboa (contudo é necessário ter bastante quais cada vez mais vêm recheados de pessoas/amigos que eventualmente jáatenção na escolha), mas estarão os óptimas bandas sonoras, excelentes tiveram esta experiência ...leitores a questionarem-se: qual o “mal” efeitos sonoros ...) e estarem De qualquer modo, não sedos KIT’s? Bem; mal, mal não há porque constantemente a ouvir um som algo precipitem na compra, é preferível ser prudente a ficar mal servido. Nuno Bernardo Ficha Técnica O Jornal "O Ideias" é Endereço para contactos: Directora: Luzia Valentim publicado nos meses de Jornal "O Ideias" - Escola Superior de Redacção: José Luís Carvalho, Nuno Janeiro, Março, Abril, Maio, Gestão de Santarém Bernardo e António Braçais Junho, Novembro e Dezembro Complexo Andaluz Montagem: Rui Costa e Hugo Matos com uma tiragem de 600 Apartado 295 Revisão: José Luís Carvalho exemplares. 2003 Santarém Codex Publicidade: Luzia Valentim, Rui Pode ser fotocopiado Tel.:332121 Fax: 332152 Costa e Nuno Bernardo para distribuição gratuita. Impressão: Tipografia Escolar 2
  3. 3. ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ Abril/1997 A Importância dum Jornal Académico No âmbito do 2.º aniversário deste enquanto o hortelão pode mostrar os académica, a legislação da comunicaçãojornal de reconhecida vitalidade e cuja produtos hortícolas como fruto do seu social, etc. Qualquer pessoa queintervenção académica no seio da escola, trabalho, o operário da construção civil desempenhe com afinco ee mais recentemente no meio envolvente, pode mostrar os prédios ou as moradias responsabilidade funções num jornaltem sido de grande importância, penso que constrói, o sapateiro o calçado que académico certamente viveráser oportuno fazer aqui uma reflexão fabrica ou conserta, já o professor não experiências inesquecíveis e teráacerca da essência desta actividade que é pode mostrar a sabedoria dos seus aproveitado muito melhor que os seuso jornalismo académico. pupilos porque a essa sabedoria colegas, duma forma geral, a sua Em primeiro lugar não posso deixar ninguém dá valor se não tiver utilidade formação académica.de referir que é sempre saudável a prática. Nestes termos o jornal Outra das vantagens inerentes aosexistência dum jornal académico que académico surge não só como fruto da jornais académicos diz respeito àfomente o debate, a crítica e a capacidade de trabalho dos estudantes, normalização do acesso à informação. Ocomunicação interna. No fundo trata-se mas também como produto da jornal como veículo de informaçãode fazer pedagogia. Mas qualquer jornal capacidade dos profes-sores em fazer permite que toda a comunidadeacadémico pode ir sempre mais longe: descobrir nos alunos uma utilidade estudantil se mantenha informada, e nóspode, por exemplo, instituir-se como prática para alguns dos conhecimentos sabemos perfeitamente o quanto, porelemento de ruptura e motor da adquiridos nas aulas. vezes, é difícil fazer circular aevolução através do desafio. Todos nós Mas de entre as funções dum jornal informação.sabemos perfeitamente que as mudanças académico a mais nobre é talvez a que Mas qualquer jornalno sistema de ensino são mais lentas do consiste no estabelecimento duma académico permite também aosque aquilo que seria desejável. Por vezes ligação entre a escola e o educadores uma melhoras pessoas não conseguem fugir à mundo da realidade penetração e compreensãotentação de impor às gerações mais empresarial. Os da psicologia discente quenovas os métodos que as formaram (ou professores e os apesar de algunsdeformaram). E neste contexto o jornal estudantes estudos, uns maisacadémico pode assumir um papel j á antigos outros maisímpar abrindo novos debates recentes, continua a ser umconsubstanciados em sugestões, opiniões domínio um tanto ou quanto misteriosoe críticas, servindo de elo de ligação e a que o sistema educativo se alheiaentre professores, alunos e progressivamente. Um jornal académicofuncionários e abraçando consegue, por si só, e entre muitas outrasdesta forma várias coisas, a libertação psíquica de quemgerações. perceberam nele trabalha abrindo caminho para a Mas as vantagens que a escola libertação psíquica de quem o lê, criandodum jornal académico jamais poderá simultaneamente, e tal como já referinão terminam aqui. Um cumprir os seus anteriormente, uma disciplina nova quejornal de índole escolar objectivos se viver é a disciplina do trabalho, pois permiteacaba sempre por ser, mais desligada da realidade também compreender as relaçõescedo ou mais tarde, um empresarial. Uma das melhores laborais, a importância de ter umaálbum de recordações e até formas para se iniciar e consolidar essa capacidade de resposta para asmesmo um instrumento de relação é precisamente através do jornal necessidades dos leitores, etc.consulta. Felizmente já lá vai o tempo em académico pelo qual as empresas tomam Seja como for, em meu entender,que aquilo que o ensino mais valorizava conhecimento da cultura académica este jornal tem contribuído para que naera a forma como os alunos organizavam existente na escola, das iniciativas dos nossa escola triunfe uma pedagogia deos cadernos e a capacidade que tinham alunos e do tipo de formação dos sucesso. Atrevo-me mesmo a reivindicarpara se adaptar a um saber livresco, pelo mesmos, permitindo também, e de certa para “O Ideias” o título de estruturaque quase todas as recordações dos forma, um grau de intervenção da associativa mais activa e dinâmica daantigos alunos passavam pelas páginas comunidade empresarial no ensino. No ESGS. Por isso espero que os estudantesdos cadernos ou dos livros escolares. fundo, o texto impresso no jornal vai continuem a dar vida a este projecto eHoje as recordações que um estudante buscar a sua inspiração, não aos livros, que sejam também concedidas melhoresleva da escola passam também pelas mas à vida e é isto que em meu entender condições de trabalho à equipanotícias e pelos artigos publicados no valoriza o ensino. redactorial, a qual conseguiu que “Ojornal académico que nunca deixará de Mas o jornal é também uma fonte Ideias” fosse o que é, devidoser o testemunho duma identidade inquestionável de vantagens para quem essencialmente à grande força decolectiva. nele trabalha, na medida em que permite vontade em elevar e dignificar o nome da Por outro lado o jornal académico ampliar os conhecimentos dos nossa escola.pode também ser o produto final (ou estudantes em campos tão diversos Que o aniversário de “O Ideias” setalvez seja melhor dizer - intermédio) do como a ortografia, a gramática, a repita por muitos e bons anos!processo de aprendizagem. De facto redacção, a informática, a legislação José Luís Carvalho 3
  4. 4. O Ideias ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ REFLEXÕES SOBRE O ENSINO SUPERIOR O Ensino e o Associativismo esqueçamos que quanto maior for o grau professores para a escolaridade de participação dos indivíduos nas obrigatória, que na altura era de seis anos. O ensino em Portugal tem sido nos actividades, maior será também a sua Em 86, quando a escolaridade obrigatóriaúltimos anos alvo de preocupações motivação. foi alargada para nove anos, não houveaparentes por parte dos sucessivos coragem política para fazer aquilo quegovernos e dos não menos sucessivos estamos agora a propôr”. Assim sendo, eministros da educação. No entanto, todas As ESE’s e a Alteração À LBSE vistas as coisas nesta perspectiva queroessas preocupações em vez de serem Já que falei em debates e aqui manifestar o meu total acordo nestamotivo de profundos debates manifestações não posso deixar agora matéria com o Ministro da Educação. Nãosubstanciados numa participação também de falar das razões que estiveram obstante quero deixar bem claro queconsciente por parte de todos os no epicentro dos últimos debates e das enganam-se aqueles que pensam que aestudantes (e não só), praticamente apenas últimas manifestações académicas. De possibilidade das ESE’s formaremderam lugar a contestações que ganharam todas essas razões a que terá sido mais professores para o 3.º ciclo do ensinoem forma aquilo que perderam em polémica foi certamente a alteração à Lei básico vem trazer uma melhoria daconteúdo. Ainda guardo na minha de Bases do Sistema Educativo (LBSE), qualidade do ensino ministrado naquelasmemória o facto de muitos colegas meus sobretudo ao permitir que as Escolas escolas; primeiro é necessário que hajade Lisboa terem sido obrigados (nas suas Superiores de Educação (ESE’s) passem uma melhoria na qualidade do ensino e sópróprias palavras) e enquanto caloiros a também a formar professores para o 3.º depois é que deve ser facultada aquelacorporarem um conjunto de manifestações ciclo do ensino básico. Os estudantes das possibilidade às ESE’s. Isto porque, aoestudantis em frente à Assembleia da universidades argumentavam que não se contrário de alguns dos intervenientes noRepública sem saberem exactamente deveria conferir uma mesma habilitação a sistema educativo, eu penso que o ensinoaquilo que estavam a contestar. A única s pessoas que hajam obtido uma licenciatura começa nas faculdades e escolas superiorescoisa que os “Exmos. Sr . Veteranos” lhes apenas ao fim de seis anos (quatro de e não nas escolas primárias. De facto é opediam era que fizessem barulho. Quero âmbito escolar e dois no âmbito dum superior que fornece os docentes aosdesde já salientar que sou frontalmente estágio pedagógico) e a pessoas que para outros níveis de ensino.contra a política de ensino seguida nos obterem essa licenciatura bastaram quatroúltimos anos no nosso país e que acima de anos (três de âmbito escolar e um detudo contesto a reforma do ensino iniciada As Propinas estágio). É certo que este argumento não éem 1986 porque entendo que não cria muito sólido, na medida em que, por um Outra questão, mais recente, mas nãomelhores condições para o lado, não é a quantidade que determina a menos polémica é a questão das propinas.desenvolvimento pessoal, humano e qualidade e, por outro, as universidades, Assim que este governo tomou posse,cultural dos alunos, mas também quero uma vez que gozam de autonomia, podem apressou-se a suspender a lei das propinasafirmar que entendo que não há nada mais sempre reduzir o tempo de duração das sem definir previamente um novo sistemaerrado que combater de forma inadequada suas licenciaturas. Aliás essa é uma de financiamento do ensino superior. Opolíticas cuja aplicação não favorece o tendência actual do ensino em vários tempo foi passando sem quesistema educativo. É óbvio que por detrás países europeus (e mesmo em Portugal), aparentemente alguma coisa estivesse ade muitas destas movimentações poderão deixando para os cursos de pós-graduação ser feita e de repente tomamosestar interesses inerentes às juventudes as especializações em áreas específicas. conhecimento, através da comunicaçãopartidárias que encontram nas escolas Penso mesmo que esta terá sido uma social, que todos os estudantes vão ter quealguns meios para desenvolverem as suas intenção que terá estado por detrás da pagar uma propina de valor igual aoacções, o que do meu ponto de vista proposta de alteração à LBSE porque como salário mínimo nacional. Admitindo que adesvirtualiza as manifestações académicas é óbvio o Estado vai gastar mais dinheiro lei anterior era geradora de váriasque passam a estar subjacentes a interesses se continuar a formar licenciados em 6 injustiças esta proposta não se fica atrás. Épartidários. anos do que gastaria se os formasse em inacreditável como alunos provenientes de Mas se nós em Santarém não nos apenas 4 anos. Além disto não faz agregados familiares modestos têm quepodemos queixar muito da submissão de qualquer sentido dividir o mercado de pagar de propinas o mesmo que os colegasinteresses académicos aos interesses trabalho de forma a reparti-lo pelos provenientes de agregados familiares cujopartidários de dirigentes associativos, o diferentes sub-sistemas de ensino apenas rendimento dava para sustentar váriasmesmo já não se pode dizer no que diz porque os licenciados pelas universidades famílias.respeito ao acesso à informação. De facto têm receio de perder o monopólio de Nestes termos, no caso desta propostaou os nossos dirigentes associativos vivem alguns níveis de ensino. Por outro lado as ser aprovada, e sem querer fazerà margem dos assuntos académicos sobre ESE’s devem de facto formar professores futurologia, atrevo-me a prever queos quais deveriam tomar posições ou então para o 3.º ciclo do ensino básico porque enquanto os pais dos meninos ricos vão terentendem que a informação académica a essa é no fundo uma das suas funções. Foi que pagar as propinas os meninos pobresque têm acesso deve ser vedada aos o próprio Ministro da Educação, Marçal vão-se limitar a transferir a bolsa para acolegas. Que ninguém tenha ilusões: não Grilo, que disse, aquando da cerimónia de tesouraria da escola para que os taisse consegue incentivar quem quer que seja abertura do ano lectivo do Instituto meninos ricos (que estão nos órgãos dea participar seja no que for se o acesso à Politécnico de Santarém, que “as ESE’s gestão da escola) decidam o destino a darinformação não estiver garantido. Não nos foram criadas em 1977 para formar ao dinheiro proveniente das propinas. 4
  5. 5. ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ Abril/1997 Recentemente o Secretário de Estado funcionamento, os representantes dos educadores de infância. Esta medida a serdo Ensino Superior veio dizer para a alunos perdem poder ao nível das decisões tomada permite antever a transformaçãocomunicação social que para o caso dos que se prendem com o destino a dar a esse dos actuais bacharelatos em licenciaturas,alunos bolseiros, estes vão passar a receber mesmo dinheiro. mas acima de tudo vai criar graves tensõesuma bolsa que é estabelecida pela acção 2.ª - Assim que os meninos ricos se se não for acompanhada de medidassocial escolar e que “comporta por cima o aperceberem que o Estado se substitui aos complementares que permitam aosvalor da propina que o estudante tem que meninos pobres no pagamento das bacharéis obter, de forma digna (e não depagar”. A mim isto só me parece uma propinas farão aumentar as constetações, forma administrativa) uma licenciatura.anedota. Todos nós sabemos que os alunos na medida em que não aceitarão esta Assim o regime de transição deverá sermais carenciados são precisamente aqueles situação. Aliás as propinas sempre foram feito com cautela e de forma coordenadaque não têm possibilidades de cometer mais contestadas por aqueles que as para não se desvirtualizar a missão dofalcatruas no processo de candidatura às podem pagar do que por aqueles que não Politécnico e para não frustar asbolsas e mesmo assim muitas vezes vêem as podem pagar. expectativas daqueles que enveredaramo montante das mesmas reduzir-se ano Ainda relativamente ao por opção por este subsistema.após ano sem que haja qualquer explicação financiamento do ensino superior Por tudo o que aqui foi dito e emborapara isso. Assim como é que nós podemos aguardamos todos com muita expectativa este artigo esteja longe duma análisesaber que as nossas bolsas vão comportar o sistema de empréstimos aos estudantes global ao sistema educativo sou levado apor cima o valor das propinas? Mas mesmo que tão apregoado tem sido. concluir que o ensino superior encontra-seadmitindo que todo este processo vai estar numa crise de identidade, facto a que nãodespido de qualquer truque de ilusionismo é alheio certamente o acesso ao mesmo de Licenciatura Para Todosduas preocupações se levantam: novas camadas sociais, a respectiva 1.ª - O Estado ao pagar as propinas Uma outra questão relativa ao ensino descentralização geográfica e a queda dosdos alunos bolseiros vai aumentar os seus que eu considero da maior importância, valores colectivistas a favor doencargos financeiros a menos que o valor mas que passou despercebida entre os individualismo. Mas acima de tudo odas propinas não seja considerado como estudantes em geral e muito ensino deverá ser encarado não como umareceita adicional, o que por um lado concretamente aqui em Santarém foi o meta, mas como um meio para aumentar acompromete um dos objectivos desta anúncio por parte do Ministério da competitividade das nossas empresas e oproposta, que é o do dinheiro ser aplicado Educação da subida da fasquia da bem estar social.na melhoria da qualidade do ensino, e por formação inicial de professores. É intenção José Luís Carvalhooutro, uma vez que o dinheiro passa a ser do Ministério exigir a licenciatura paracanalizado para despesas de todos os professores, incluindo os “H n s oE t d c mL n aE p r ê c aM s u a a oet suo o og xeini itrd” É esta a divisa da Universidade de se o “saber e a experiência” não adquiridos Notáveis, que, para além de orientarem asÉvora. Sendo esta a segunda Universidade nas salas de aulas, havendo então lugar praxes académicas, representam aa ter sido construída em Portugal, é para o convívio entre os elementos dos instituição nas solenidades maisperfeitamente compreensível que a diferentes cursos da U.E. importantes.experiência e a tradição académica, sejam Porém, se é na noite eborense, Um Coisa é certa: tanto em Évora comovalores a preservar. principalmente às quartas e quintas feiras, em Santarém, há bons e maus alunos, bons Nos claustros desta Universidade, que todos se reúnem, durante o dia, e visto e maus professores. Há muita gente queposso afirmar sem receio nenhum, “respira- não haver lugares suficientes no edifício custa a perceber a diferença entre serse história”. É o peso dos séculos, a herança principal, todos estão em locais diferentes. estudante e ser universitário! Tudo tem ode todos aqueles que por aqui passaram A Universidade tem apostado em vários seu peso, cada coisa tem a sua importância,(alunos e professores) e que com a sua pólos, criando diversos edifícios, para que mas é necessário conjugar o estudo com umpassagem, marcaram definitivamente as assim possa haver uma separação dos tempo de vida que nunca mais voltaremossuas vidas e a evolução da própria vários departamentos de ensino. Olhando a ter!Universidade. para tudo isto, e principalmente para o E porque não fazer-vos um convite? A meu ver, Évora consegue, por crescente número de alunos e de residências Apareçam por Évora na Queima dasenquanto, manter algumas coisas que universitárias, afirmo que a Universidade Fitas deste ano, e quem sabe, se por entreconsidero indispensáveis para uma boa está a crescer, fazendo votos para que, a este noites bem “regadas”, entre petiscos evida académica: é um meio pequeno em crescimento, não corresponda uma perda de novas amizades, não vão descobrir umque todos se cruzam, todos se misturam qualidade. pouco daquilo que vos tenho vindo a falar?(falo de cursos, evidentemente!) e acima de A fim de preservar a tradição Felicidades para o vosso Politécnico, etudo todos se respeitam. académica de que tanto nos orgulhamos, e Viva o Espírito Académico!! Nos chamados “Locais de culto”, isto é de fomentar o “espírito académico”, foi, bares, tabernas, tascas, cafés, etc., difunde- criado há já alguns anos o Conselho de João F. Carapito - Port/Francês U.E. 5
  6. 6. O Ideias ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ A DET-BIC NA E.S.G.S. Realizou-se no passado dia 18 de então que a audiência tomou oferece, dentro de um territórioMarço no auditório da nossa escola um conhecimento que nos E.U.A. a situação determinado e atendendo àsseminário sobre a criação de empresas é inversa, ou seja, a maior ambição dos potencialidades empresariaisorganizado pelo Núcleo de Estudantes alunos da área da gestão é precisamente existentes, um sistema completo ede Gestão de Empresas e com a a criação da sua empresa logo após a integrado de actividades e serviçoscolaboração do Eng.º Sérgio Rato. O conclusão do curso. de excelência à pequena e médiaseminário teve como oradores o Dr.º Da documentação distribuída a empresa, tendo em vista a criação eFernando Canela e o Dr.º Pedro todos os participantes seleccionámos o o desenvolvimento de actividadesMarques da DET-BIC, um organismo excerto que transcrevemos de seguida já inovadoras e independentes.que tem como objectivo protagonizar o que nos apercebemos que a maior parte • Na prática, o BIC produz e oferece:início duma nova etapa no dos estudantes não sabia o que era um Promoção de iniciativasdesenvolvimento regional de Santarém BIC. empresariais;através da criação de condições e Detecção de projectos deincentivos à criação de empresas. Para O QUE É UM BIC? actividades inovadoras/isso a DET possui uma área coberta de empreendedores;5.000 m2 na zona industrial de Santarém • Um BIC (Business and Innovation Avaliação e selecção depara instalação de empresas. Entre os Centre) é um organismo de apoio à projectos;apoios facultados a quem pretenda criação, dinamização e Desenvolvimentos de atitudesconstituir uma empresa contam-se a modernização empresarial. de gestão;elaboração de projectos e dossiers de • Deriva de uma política Aconselhamento e assistênciacandidatura, formação, apoio implementada pela Comissão em Marketing;administrativo e logístico, Europeia, através da DG XVI Aconselhamento e assistência nafinanciamento, etc. (Direcção Geral das Políticas elaboração do Plano de Neste seminário ficámos a saber Regionais), e teve o seu início em Negócios;em primeira mão que a DET-BIC e o 1984. Aconselhamento e assistênciaInstituto Politécnico de Santarém estão • Os BIC estão ligados entre si, em em áreas tecnológicasa negociar a assinatura dum protocolo toda a Europa, através da EBN - específicas;que vai abranger todas as escolas European Business and Innovation Acompanhamento no acesso adaquele Instituto, no entanto não foram Centre Network, uma rede de financiamentos e apoios;avançados quaisquer pormenores uma parceiros que possibilita o comércio Implementação e alojamento devez que ainda estavam a decorrer as internacional, a permuta de empresas;negociações. experiências e de Know-how e uma Acesso a serviços logísticos Depois da intervenção dos política efectiva de sinergias. comuns;oradores os alunos tiveram • O BIC destina-se a empresas Acompanhamento pós-oportunidade de solicitar existentes que desejem modernizar- arranque, durante 3 anos.esclarecimentos sobre a temática da se e implementar novos conceitos decriação de empresas e sobre o projecto excelência, bem assim como a Quem estiver interessado emDET-BIC. Nesta altura notámos que promotores com projectos novos que obter uma cópia da documentaçãoembora alguns alunos desejem desejem constituir empresas distribuída neste seminário deveenveredar pela criação do seu próprio inovadoras. dirigir-se ao colega Alexandre Silvanegócio não o pretendem fazer logo • Poderão ser apoiados projectos que (presidente do N.E.G.E.).após a conclusão do curso, mas sim revistam carácter inovador, noapós um período durante o qual âmbito da indústria ou dos serviços CONTACTO DA DET-BICpretendem adquirir alguma experiência auxiliares à indústria. Telef.: (043) 3500150trabalhando por conta de outrém. Foi • É um organismo que produz e Fax: (043) 3500160 Recordações da infância de António Guterres Nesta edição rumamos até à cuidada, com cheiro a mimosa e ao que Donas, e fora da sua ocupaçãoinfância do Primeiro Ministro do nosso de mais puro se sente na natureza. profissional havia sido solicitada porpaís (António Gueterres), pegamos no Com a simpática colaboração da familiares do pequeno Toni (nome pelomapa e na bagagem e viajamos até à Sr.ª Maria de Lurdes começamos a qual é conhecido na aldeia), pararegião da beira interior. nossa viagem ao passado de António desempenhar a sua actividade de um Perdida num vale, tendo como Guterres, mais precisamente ao modo particular, solicitação essa que ahorizonte o mais alto ponto de Portugal momento do despontar da sua muito Sr.ª Maria de Lurdes aceitou com gosto.continental, encontramos uma aclamada paixão, a Sr.ª Maria de Lurdes A sua segunda ocupação passou a sersimpática aldeiazinha muito bem era professora na escola primária das desde então, ensinar a ler e a escrever o 6
  7. 7. ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ Abril/1997pequeno Toni de quatro anos, que professora e disse-lhe: “- Minha Sr.ª, muito facilmente a tabuada e parapassava uma longa temporada na aldeia temos que escrever uma carta ao Sr. resolver contas nunca chegou a contarjunto dos avós. Como ainda era muito Director...escrever não, melhor, temos pelos dedos, aprendeu logo a fazernovinho a professora estabeleceu que que ir falar com o Sr Director para cálculos mentalmente, o quenum ano lhe ensinaria a ler e escrever e sabermos o que devemos fazer com o surpreendeu mais uma vez ano ano seguinte a fazer contas, e assim Amaral”, deixando a professora professora.foi, o pequeno Toni revelou-se um aluno surpreendida com o profundo sentido Mas um dia partiu para a grandemuito aplicado e muito responsável, de hierarquia, e com a demonstrada cidade onde cresceu, à pequena aldeiaquando do largo da Igreja via chegar a preocupação em resolver ao mais alto só voltava para passar as fériasprofessora largava a brincadeira e ia a nível um problema que o ultrapassava. escolares com os avós, raramente se viacorrer para casa buscar a mala para ir Desde então a professora acreditou que pelas ruas, ia às fazendas com o avô eaprender. o pequeno Toni seria alguém muito bem regressava a casa onde perdia largas De vez em quando pedia à colocado na vida, embora nunca horas a estudar história e a ler livros,professora se o deixava ir ajudá-la na suspeitasse que pudesse alguma vez visto ser um dos seus passatemposescola, pedido que era quase sempre chegar a Primeiro Ministro. preferidos.aceite e bem vindo, uma vez que uma só À parte destes episódios, E foi essa pequena aldeia que oprofessora ensinava os todas as classes soubemos também que no recreio viu correr pelas ruas com a mala dasdesde a 1ª à 4ª. brincava com as outras crianças, não coisas da escola que um dia se encheu Sempre que ia para a escola, ligava muito a ninhos e a outras de orgulho quando o menino Toni foi“ajudar a professora”, costumava marotices que se fazem na infância, eleito para Primeiro Ministro dasentar-se junto de um menino com quando o mundo todo é uma aventura República Portuguesa. Hoje em dia é omenos capacidade para aprender interminável; ao invés disso orgulho da pequena aldeia das Donas,chamado Amaral, que à sua maneira lhe acompanhava o avô pelas muitas nela fomos incapazes de encontrar umtentava explicar a matéria dada pela fazendas que possuía. Segundo consta habitante que fosso que não tivesse umaprofessora, mas vendo que os seus era um menino muito aplicado, com boa imagem do Toni, como ainda éesforços eram em vão e já um pouco uma inteligência acima da média, que tratado por lá.desanimado, chegou ao pé da ao contrário do que se pensa aprendeu Luzia Valentim Coelho & Sá, Lda. INDÚSTRIA ALIMENTAR DA MELHOR QUALIDADE PARA ENTREGA IMEDIATA TEMOS: FRUTAS EM CALDA ABÓBORA BRANCA • CASCA DE LARANJA • CIDRÃO • TANGERINA FRUTAS SORTIDA PICADA • ABÓBORA ENCARNADA MARACUJÁ • FIGO • ABÓBORA VERDE • CEREJA VERDE CEREJA VERMELHA • PÊRA • CHILA FRUTAS CRISTALIZADAS • FRUTOS SECOS Rua Jacinta Marto, 78 – R/C 2495 FÁTIMA – PORTUGAL – Tels.: (049) 53 24 47 / 53 20 45 Fax: 53 14 45 7
  8. 8. O Ideias ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ENG.º RAMOS TOMA POSSE Realizou-se no passado dia 16 de Abril a cerimónia de tomada de posse do primeiro Conselho Directivo da nossa Escola.Tomaram posse o Sr. Eng.º Ramos, como Presidente, o Dr. Emílio Mateus e o Dr. Victor Costa, como Vice-Presidentes, o nossocolega José Luís Carvalho, como representante dos alunos e o Dr. Beirante como representante do pessoal não docente.A equipade “O Ideias” deseja aos membros do C.D. as melhores felicitações académicas. De seguida transcrevemos na íntegra o discursoda tomada de posse do primeiro Presidente do C.D. A Escola Superior de Gestão de população de técnicos e quadros de no sentido de permitir oSantarém é a mais jovem das três empresas, nomeadamente da região. reconhecimento internacional dosEscolas que constituem o Instituto Aliás, os cursos de Gestão de diplomas da ESGS.Politécnico de Santarém. Cooperativas Agrícolas (CESE) e Neste quadro, 47 alunos Começou a funcionar no ano de Gestão Autárquica (bacharelato e frequentaram desde 1991, estágios de 31986 com o bacharelato em Gestão CESE), vocacionados para o desen- meses em Escolas Superiores Inglesas ed e Empresas. Em 1988 iniciou o volvimento regional, são pioneiros no Francesas.bacharelato em Informática de Gestão, País – contribuindo de forma muito Recentemente, a ESGS integrou umem 1993 o bacharelato em Gestão particular para a projecção do nome dos programas de avaliação do ensinoAutárquica e em 1995 o bacharelato em desta escola muito para lá das superior consagrados na política doMarketing. Entretanto, começou fronteiras do distrito. Ministério da Educação e que vemtambém a leccionar cursos conferindo o De referir ainda cursos de curta sendo conduzido pelo Conselhograu de licenciatura: O CESE em duração para técnicos de empresas e Coordenador dos InstitutosMarketing e Consumo (1990), o CESE instituições públicas, designadamente o Politécnicos, tendo concluído a fase deem Gestão de Cooperativas Agrícolas curso superior de Gestão Industrial auto-avaliação interna referente ao(1991) e o CESE em Informática e para a Indústria de Curtumes e bacharelato em Informática de Gestão.Gestão (1994). Indústria de Bebidas: vinhos e Está já entretanto prevista, para o Este ano foram ainda aprovados derivados, apoiado financeiramente corrente ano, a entrada em processo dedois novos CESE’S (ou Licenciaturas), pelo PEDIP I e o curso de Sensibilização avaliação em Gestão de Empresas.um de Gestão Financeira e outro de para a intermunicipalidade, financiado Em suma, todo este conjunto deGestão Autárquica e Regional, tendo o pelo PROFAP. actividades e resultados testemunha asseu início previsto para Junho e Para acompanhar tal expansão, a potencialidades e o dinamismo daOutubro respectivamente. ESGS vem reforçando os seus quadros nossa Escola, confirmando a sua A ESGS tem tido, pois, um de pessoal (docente e não-docente) e importância no contexto do subsistemacrescimento bastante significativo: em tem prosseguido uma intensa política de ensino superior politécnico,11 anos, a sua população escolar passou de investimento em instalações e incluindo o seu significativo contributode apenas 41 alunos, para ser equipamentos. para a valorização sustentada dasactualmente de 1005. A Escola já Tendo começado há 11 anos com 9 capacidades endógenas da região.formou 312 diplomados com o grau de docentes e 7 funcionários, os quadros Tal só foi possível com interesse ebacharel e 75 licenciados, boa parte dos de pessoal da escola integram hoje 51 dedicação de docentes, funcionários equais se encontra colocada e em docentes e 29 funcionários, enquanto os alunos. A todos, os nossosfunções de responsabilidade em investimentos realizados, ascendem a agradecimentos.empresas, na administração pública, 230.000 contos.. Também é justo agradecer aosem cooperativas e em autarquias. Porém, mais importante do que membros das Comissões Instaladoras, Dando corpo à sua missão estes números é o esforço de valo- nomeadamente à Dr.ª Maria Emília deenquanto escola do subsistema do rização pedagógica e científica que o Sousa e à Dr.ª Maria Irene Veloso, peloensino superior politécnico, a ESGS corpo docente da ESGS vem trabalho que desenvolveram navem formando técnicos vocacionados desenvolvendo. Em pouco mais de 6 expansão da Escola ao longo de váriospara uma fácil e rápida inserção no anos, a ESGS passou a contar com os anos.mercado de trabalho, constituindo-se actuais 14 mestres e mais 13 candidatoscomo um dos mais importantes pólos a mestre e 2 a doutoramento; há que Minhas senhoras e meus senhores,do saber aplicado de nível superior acrescentar ainda 4 docentes comexistentes no distrito de Santarém. cursos de pós-graduação. No futuro, a ESGS deverá ter umNesse sentido, é de realçar que no A Escola Superior de Gestão de papel mais dinâmico em matéria debacharelato em gestão de empresas Santarém também foi das primeiras em criação e difusão do saber e dafunciona, desde 1986, uma turma Portugal no desenvolvimento de inovação, por forma a apoiar asnocturna para trabalhadores- programas de cooperação entre grandes transformações do tecidoestudantes; por outro lado, na instituições de ensino superior produtivo regional e encontrar soluçõesfrequência dos CESE’S é atribuída politécnicas europeias, através do adequadas a um desenvolvimentopreferência aos candidatos com prática Programa ERASMUS, nomeadamente dinâmico e sustentado que conduza àprofissional, o que tem contribuído no intercâmbio de alunos e na afirmação da nossa Escola comopara que esta instituição seja elaboração de “curricula” comuns a Instituição de qualidade, cultural efrequentada por uma significativa várias Escolas Superiores da Europa, socialmente reconhecida. 8
  9. 9. ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ Abril/1997 Para atingirmos este objectivo, a particular atenção à forma como a I.P.S., presididos pelo Senhor Prof.nossa acção deverá pautar-se por Escola se relaciona com a Comunidade, Doutor Jorge Justino. Igualmente umaprincípios de iniciativa, inovação, quer empresas, quer outras palavra de amizade, colaboração e deequidade e transparência, concretizada organizações regionais e locais, com as solidariedade com os demais órgãosnas linhas orientadoras da actuação do quais pretendemos estabelecer laços de institucionais do I.P.S. e das outrasConselho Directivo a que chamámos cooperação e intercâmbio. Escolas do nosso Politécnico.“Bases Programáticas” quando Assim, pensamos pôr a funcionaranunciámos a nossa candidatura. rapidamente o Conselho Consultivo da Minhas senhoras e meus senhores, Entre os vectores estratégicos de ESGS, onde instituições e pessoastais linhas orientadoras, permitam-me representativas da comunidade social e A concluir, gostaríamos de reiterarsalientar: empresarial participem activamente na que o Conselho Directivo da ESGS, em 1º. – O desenvolvimento definição dos cursos, programas e articulação com os demais órgãos de sustentado da Escola; demais actividades desta escola, nos gestão, procurará contribuir para que a 2º. – A qualidade e competência domínios do ensino, da formação, da nossa Escola seja uma instituição do ensino; investigação e da consultadoria. prestigiada, reconhecida pelo rigor e 3º. – O enriquecimento cultural e Uma grande preocupação será qualidade do seu ensino. Para isso é científico; também, neste contexto, a de viabilizar essencial um ambiente de estabilidade 4º. – A ligação da Escola à saídas profissionais para os nossos na Escola que permita criar um clima Comunidade; estudantes, através de apoios à sua de harmonia, cooperação e bom 5ª. – O aperfeiçoamento das inserção no mercado de trabalho, ou a funcionamento. condições de funcionamento da processos de criação do próprio Pessoalmente, procurarei pautar a Escola. emprego ou iniciativas empresariais. minha acção por princípios de inserção, Uma grande prioridade desta Refira-se ainda a continuação de rigor e diálogo franco e aberto, comEscola será a formação dos docentes, uma intensiva política de investimento todos os docentes, discentes evisando incrementar rapidamente o que começará pelo financiamento e funcionários da nossa Escola.número dos possuidores de graus de acompanhamento dos projectos já Cientes destes desafios, iremosmestre e doutor. A obtenção dos graus desencadeados – um novo edifício para procurar contribuir com o melhor donão é vista, entretanto, como um a Biblioteca e as redes Intra e Internet. nosso esforço e dedicação para que asimples objectivo em si, será antes um É de mais elementar justiça uma Escola Superior de Gestão de Santarémmeio para o reforço geral da qualidade palavra de agradecimento e seja um Centro de Excelência no ensinocientífica e pedagógica do ensino, a reconhecimento a todas as Presidências e formação em Gestão.promoção das actividades de do I.P.S., por toda atenção e apoio que Muito sensibilizado pela vossainvestigação e da revitalização dos ao longo destes 11 anos de vida em presença e atenção, contarei com atermos e da dinâmica com que se vem comum nos tem dispensado, e estamos vossa futura colaboração, que desde já,processando a ligação da escola à certos, será prosseguida e renovada – reconhecidamente agradeço.comunidade. como tem acontecido ultimamente – Bem hajam. Tencionamos, com efeito, dar com os novos corpos directivos do 9

×