Barras paralelas

1.070 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.070
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Barras paralelas

  1. 1. Barras Paralelas Diego Marcelino Valdevson Alcântara Veruska Silva Yan Farias
  2. 2. As Barras paralelas são um aparelho creditado ao alemão Friedrich Ludwig Jahn utilizado na ginástica artística e exclusivamente para homens. O aparelho é formado por dois barrotes paralelos,1apoiados em dois suportes de metal. Este aparelho foi criado inicialmente para um treinamento de suporte para fortalecer os braços, limitadas a poucos movimentos, com o passar do tempo se observou que poderia ser desenvolvido nele uma série de movimentos, o que o tornou um dos aparelhos preferidos dos ginastas. Com o passar dos anos e a evolução dos materiais que compunham os barrotes, as apresentações acompanharam esta melhoria e hoje, composta por movimentos de força e equilíbrio, tem por vezes, suas rotinas ditas como de maiores dificuldades para os braços e ombros, apesar de possuir os desmontes mais conservadores dos atletas das barras.
  3. 3. O Aparelho O aparato consiste em duas barras de madeira, recobertas com fibra de vidro com 3,50m de comprimento, colocados a uma distância que varia de 42 cm a 52cm uma da outra ,dependendo da largura ombro- ombro do atleta , a uma altura de 1,95m . Atualmente, os barrotes são cobertos com o mesmo material utilizado nas barras assimétricas e na barra fixa. A diferença é que não há cabos de aço que prendam o aparelho ao chão.
  4. 4. Característica da competição Os exercícios nas paralelas combinam diversos movimentos, mas principalmente largadas e balanços, chamados elementos de impulso. Em uma série de exercícios neste aparato deverão constar ainda elementos de força e estáticos. As habilidades desenvolvidas pelo ginasta durante a prática são o equilíbrio, a força e a agilidade, e são executados em suspensão e apoio. A técnica básica deste equipamento é o apoio, onde o atleta fica com os braços completamente estendidos, ombros alinhados, peito cavado para dentro e cabeça ao centro.
  5. 5. Para uma série ser bem sucedida, o ginasta necessita: - Percorrer toda a extensão dos barrotes, seja com largadas e retomadas, seja com movimentos de equilíbrio. - Executar movimentos em ambas as barras simultaneamente e em apenas uma delas. - Executar ao menos uma largada. O movimento acrobático – que envolve mortais e piruetas – não desconta ponto ao ginasta que não o executa, mas deixa sua rotina com uma nota A (de partida) mais baixa. - Manter a postura angular correta: 180º vertical e 90º nas paradas e movimentos de equilíbrio, além da correta execução das largadas. - Finalizar sua apresentação com um salto de saída de dificuldade D. - Para não sofrer despontuação, o ginasta não deve arrumar suas mãos nas barras quando não estiver executando o próprio movimento, desprender-se do aparelho, perder a postura – como dobrar os joelhos e cotovelos -, não cumprir com as exigências acrobáticas e plásticas exigidas pelo Código de Pontos, tocar as pernas nas barras em qualquer situação e não finalizar um movimento – qualquer passagem ou acrobacia .
  6. 6. Movimentos Esquadro: O ginasta forma uma figura angular com o corpo, apenas em um dos barrotes. O ginasta firma as mãos e passa as pernas por entre os braços, parando na posição que se assemelha a um esquadro.
  7. 7. • Luftrolle: O movimento começa com o ginasta erguendo as pernas em posição esticada para se lançar ao impulso. Como em um mortal esticado para trás, o atleta larga as barras e chega em posição esticada, como uma parada de mãos. Este movimento se assemelha ao giro-gigante executado na barra fixa.
  8. 8. Stützkehre: O ginasta parte da posição “parada de mãos”, sobre as barras. Lançando-se à frente, solta-se de apenas um dos barrotes, faz- se um giro de 180º graus do corpo e torna à “parada de mãos”, dessa vez, virado para o outro lado.
  9. 9. Felge: Movimento utilizado para entradas nas barras. Partindo da parte de baixo, o ginasta desenha, lançando as pernas esticadas para cima, uma forma angular com o corpo, de modo a atingir, durante o embalo, um X entre as pernas e os braços. Ao elevar-se, passa-se à “parada de mãos”.
  10. 10. Ginastas Destaques • O chinês Li Xiaopeng bicampeão mundial e bicampeão olímpico. • O japonês bicampeão olímpico Sawao Kato. • O russo soviético Vladimir Artemov tricampeão mundial e campeão olímpico.
  11. 11. Bibliografia NUNOMURA, Myrian & NISTA-PICCOLO, Vilma Lení, Compreendendo a Ginástica Artística, Editora Phorte. http://www.ginasticas.com.br/ginasticas/gin_art istica_aparelhos_paralelas.html

×