Estrutura da Ponte

1.948 visualizações

Publicada em

Ponte, neuroanatomia, anatomia, medicina

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.948
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
35
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estrutura da Ponte

  1. 1. Estrutura da Ponte Guilherme Bruzarca e Rôlmerson Robson
  2. 2. Introdução → A Ponte é dividida em duas porções: 1. Ventral ou Base; 2. Dorsal ou Tegmento. → Entre essas porções localiza-se o corpo trapezoide;
  3. 3. Base da Ponte ou Parte ventral da Ponte
  4. 4. → Localiza-se entre o nervo trigémeo V ( sup ) e a medula oblonga ( inf ); → Repousa sobre o clivus do osso esfenoide ( ant ) e forma a porção cefálica da fossa romboide do 4º ventrículo ( post ); → Na porção anterior há uma depressão rasa para a Artéria Basilar.
  5. 5. Porção Ventral ou Basilar → Os feixes de fibras se subdividem em dois grupos: Superficiais 1. Fibras transversais Profundas Córtico-espinhal 2. Fascículos Longitudinais Córtico-nuclear Córtico-pontino 3. Núcleos pontinos.
  6. 6. Fibras Transversais, Pontinas ou Ponto Cerebelares → As superficiais formam uma camada na face ventral; → As profundas se cruzam com o fascículo longitudinal, dorsal a ele; → Ambas cruzam o plano mediano e penetram no cerebelo, vindas do braço da ponte.
  7. 7. Núcleos Pontinos → Pequenos agrupamentos de células entre as fibras transversais; → São vias intermediarias na via corticopontocerebelar
  8. 8. Fascículos Longitudinais → Tracto Córtico-espinhal: → Dirigem-se das áreas motoras do córtex para neurônios motores da medula; → Se aglomeram e formam a pirâmide na medula oblonga;
  9. 9. → Tracto Córtico-Nuclear: → Fibras provenientes de áreas motoras do córtex para o núcleo dos nervos cranianos, principalmente V e VI
  10. 10. → Tracto Córtico-Pontino: → Fibras do córtex cerebral que terminam nos Núcleos Pontinos
  11. 11. Tegmento da Ponte ou Parte dorsal da Ponte
  12. 12. Tegmento da Ponte ou Parte dorsal da Ponte → Assemelha-se ao bulbo e ao tegmento do mesencéfalo, com os quais é contínua → Fibras: Ascendentes, Descendentes e Transversais → Núcleos de Nervos cranianos → Substância cinzenta (própria da ponte)
  13. 13. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  14. 14. Núcleos do NC VIII V E S T I B U L O C O C L E A R As fibras sensitivas que constituem as partes coclear e vestibular do nervo vestíbulococlear terminam, respectivamente, nos núcleos cocleares e vestibulares da ponte, cujas conexões e funções são muito diferentes T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  15. 15. → NÚCLEOS COCLEARES Núcleos do NC VIII Núcleos Cocleares, Corpo Trapezóide, Lemnisco Lateral → Dorsal → Ventral Nestes núcleos terminam as fibras que constituem a porção coclear do nervo vestíbulo-coclear e são os prolongamentos centrais dos neurônios sensitivos do gânglio espiral T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  16. 16. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  17. 17. T r a j e t o: T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  18. 18. Núcleos do NC VIII Núcleos Cocleares, Corpo Trapezóide, Lemnisco Lateral T r a j e t o: #1 Maioria das fibras desse núcleo → cruza para o lado oposto → Corpo Trapezóide #2 Fibras contornam → núcleo olivar superior, inflectem-se cranialmente → Lemnisco lateral #3 Terminando: colículo inferior → impulsos nervosos seguem → corpo geniculado medial T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  19. 19. Núcleos do NC VIII Núcleos Cocleares, Corpo Trapezóide, Lemnisco Lateral T r a j e t o: Observações → Um número significativo de fibras dos núcleos cocleares termina no núcleo olivar superior, do mesmo lado ou do lado oposto → de onde os impulsos nervosos seguem pelo lemnisco lateral → Muitas fibras dos núcleos cocleares sobem no lemnisco lateral do mesmo lado ou terminam nos núcleos olivares desse mesmo lado. Por isso, a via auditiva → componentes cruzados e não cruzados: o hemisfério cerebral de um lado recebe informações auditivas provenientes dos dois ouvidos. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  20. 20. Núcleos do NC VIII Núcleos Vestibulares e suas conexões T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  21. 21. Núcleos do NC VIII Núcleos Vestibulares e suas conexões → NÚCLEOS VESTUBULARES → Lateral → Medial → Superior → Inferior # Localização: Assoalho do IV ventrículo: Área Vestibular # Recebem impulsos nervosos originados na parte vestibular do ouvido interno e que informam sobre a posição e os movimentos da cabeça. #Estes impulsos passam pelos neurônios sensitivos do gânglio vestibular e chegam aos núcleos vestibulares pelos prolongamentos centrais destes neurônios, que, em conjunto, formam a parte vestibular do nervo vestíbulo-coclear. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  22. 22. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  23. 23. Núcleos do NC VIII Núcleos Vestibulares e suas conexões # Fibras provenientes do Cerebelo → chegam também nos Núcleos Vestibulares → Estão relacionadas ao equilíbrio. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  24. 24. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  25. 25. As fibras eferentes dos núcleos vestibulares formam ou entram na composição dos seguintes tractos e fascículos: T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  26. 26. Núcleos do NC VIII Núcleos Vestibulares e suas conexões #1 Fascículo vestíbulo-cerebelar — formado por fibras que terminam no córtex do arquicerebelo; #2 Fascículo longitudinal medial — nos núcleos vestibulares origina-se a maioria das fibras que entram na composição do fascículo longitudinal medial, Este fascículo está envolvido em reflexos que permitem ao olho ajustar-se aos movimentos da cabeça. As informações sobre a posição da cabeça chegam ao fascículo longitudinal medial através de suas conexões com os núcleos vestibulares; #3 Tracto vestíbulo-espinhal — suas fibras levam impulsos aos neurônios motores da medula e são importantes para manutenção do equilíbrio; #4 Fibras vestíbulo-talâmicas — admite-se a existência de fibras vestíbulo-talâmicas que levam impulsos ao tálamo, de onde vão ao córtex. A localização e o significado destas fibras são discutidos T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  27. 27. Núcleos dos NC VI e VII A B D U C E N T E E F A C I A L T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  28. 28. Núcleos dos NC VI e VII A B D U C E N T E E F A C I A L → As fibras que emergem do núcleo do nervo facial têm inicialmente direção dorso-medial. → Formam um feixe compacto que logo abaixo do assoalho do IV ventriculo se encurva em direção cranial. → Estas fibras percorrem uma certa distância ao longo do lado medial do núcleo do nervo abducente, → Encurvam-se lateralmente sobre a superfície dorsal deste núcleo, contribuindo para formar a elevação do assoalho do IV ventriculo, conhecida como coliculo facial T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  29. 29. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  30. 30. Núcleos dos NC VI e VII → A curvatura das fibras do nervo facial em torno do núcleo do abducente constitui o joelho interno do nervo facial. → Após contornar o núcleo do abducente, as fibras do nervo facial tomam direção ventrolateral e ligeiramente caudal para emergir no sulco bulbo-pontino. As fibras do facial têm, pois, relações muito íntimas com o núcleo do abducente e, por isso lesões conjuntas de ambas as estruturas podem ocorrer. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  31. 31. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  32. 32. Núcleos Salivatório superior e Lacrimal → Pertencem à parte craniana do SNA-Parassimpático → Dão origem a fibras pré ganglionares → emergem pelo nervo intermédio: Gl. Submandibular Gl. Sublingual Gl. Lacrimal T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  33. 33. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  34. 34. Núcleos do NC V T R I G ÊM E O T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  35. 35. Núcleos do NC V T R I G ÊM E O → Além do núcleo do trácto espinhal descrito no bulbo, o nervo trigêmeo tem ainda, na ponte, o núcleo sensitivo principal, o núcleo do tracto mesencefálico e o núcleo motor → medialmente: o núcleo motor / lateralmente: núcleo sensitivo principal, este último uma continuação cranial e dilatada do núcleo do tracto espinhal → A partir do núcleo principal, estende-se cranialmente em direção ao mesencéfalo o núcleo do tracto mesencefálico do trigêmeo acompanhado pelas fibras do tracto mesencefálico do trigêmeo. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  36. 36. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  37. 37. Núcleos do NC V → O núcleo motor fibras para os músculos → mastigadores → denominado → Núcleo mastigador → Os demais núcleos: Recebem impulsos relacionados com a sensibilidade somática geral de grande parte da cabeça. Deles saem fibras ascendentes, que se reúnem para constituir o lemnisco trigeminal, que termina no tálamo. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  38. 38. Correlações Anatomoclínicas → Lesões da ponte → Comprometimento das funções de acordo com a localização Ex.: Alterações na sensibilidade da face: V par Alterações na motricidade da musculatura mastigadora: V par Alterações da mímica: VII par Alteração do m. reto lateral: VI par Tonteira e alterações do equilíbrio VIII par Pode haver também: paralisia ou perda de sensibilidade no tronco e membros por lesão das vias ascendentes e descendentes que transitam pela ponte T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  39. 39. Sistematização das estruturas da ponte Como no bulbo, distinguimos na substância branca da ponte fibras transversais e fibras longitudinais, estas últimas podendo ainda ser descendentes, ascendentes e de associação. #1 Lemnisco medial: Ocupa na ponte, ao contrário do bulbo, uma faixa de disposição transversal, cujas fibras cruzam perpendicularmente as fibras do corpo trapezóide; #2 Lemnisco espinhal: É formado pela união dos tractos espino-talâmico lateral e espino-talâmico anterior; #3 Pedúnculo cerebelar superior: Emerge do cerebelo constituindo inicialmente a parede dorsolateral da metade cranial do IV ventriculo. A seguir, aprofunda-se no tegmento e já no limite com o mesencéfalo suas fibras começam a se cruzar com as do lado oposto, constituindo o início da decussação dos pedúnculos cerebelares superiores. Os pedúnculos cerebelares superiores constituem o mais importante sistema de fibras eferentes do cerebelo. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  40. 40. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  41. 41. T e g m e n t o d a P o n t e - L i g a A c a d e m i c a d e N e u r o a n a t o m i a d e C a x i a s
  42. 42. 1) Marque verdadeiro e falso nas seguintes opções sobre a delimitação da ponte: I – Superiormente ela é separada do pedúnculo cerebelar superior pelo nervo V; II – Repousa sobre o clivus do osso esfenóide anteriormente; III – Os nervos VI, VII e VIII marcam seu limite inferior. A) Todas estão corretas. B) II e III estão corretas. C) Apenas III está incorreta. D) I e III estão corretas. E) Apenas II está correta. Questões
  43. 43. Questões 2. Quais as principais estruturas encontradas na porção ventral da ponte: a) Fibras transversas que se dividem em superficiais e profundas, fibras longitudinais que se dividem em tracto córtico-pontino, tracto córtico-nuclear e tracto córtico-espinhal, e núcleos pontinos. b) Fibras longitudinais que se dividem em superficiais e profundas, fibras transversas que se dividem em tracto córtico-pontino, tracto córtico-nuclear e tracto córtico-espinhal, e núcleos pontinos. c) Núcleos pontinos, fibras cruzadas e fibras longitudinais d) Fibras transversas que se dividem em superficiais e profundas, fibras longitudinais que se dividem em tracto córtico-pontino, tracto córtico-nuclear e tracto córtico-espinhal e fibras cruzadas.
  44. 44. Questões 3) Identifique as letras icógnitas da figura abaixo: AA BB CC DD A) A: Núcleos vestibulares; D: Lemnisco medial ; B: Núcleo do nervo abducente e C: Núcleos salivatórios superior e inferior B) C: Núcleos vestibulares; B: Núcleo do nervo Abducente ; A: Núcleo Coclear anterior e D: Núcleos salivatórios superior e inferior C) D: Núcleos vestibulares; A: Núcleo do nervo Abducente; B: Núcleo Coclear posterior e C: Núcleos salivatórios superior e inferior D) B: Lemnisco lateral; C: Núcleo motor do trigêmeo; D: Lemnisco medial e A: Núcleo do nervo Facial E) A: Núcleo do nervo facial; C: Núcleos vestibulares; B: Lemnisco lateral ; e D: Lemnisco medial
  45. 45. Questões 4) “BSC, Homem, 37 anos, branco, caminhoneiro, deu entrada na clínica com histórico de fraqueza progressiva no lado esquerdo do corpo no últimos 4 meses, diminuição da sensação de tato nos membros superiores esquerdos. Apresentou Nistagmo horizontal em ambos os lados, todos os outros nervos cranianos estavam normais. A tomografia revelou, realçada pelo constraste, uma lesão cística na ponte, à direita da linha mediana.” Este paciente foi diagnosticado com neurocisticercose, pode-se deduzir pelos sintomas que os cisticercos estavam alojados no(s) núcleo(s) de qual par de nervos cranianos? A) I B) IV C) III D) VI E) II
  46. 46. Questões 5) A estrutura em destaque tem a seguinte função: A) Coordenar o equilíbro do corpo B) Movimentar os músculos dos olhos C) Movimentar os músculos mímicos D) Controla glandulas salivares e lacrimais E) Movimentar os músculos da mastigação
  47. 47. GABARITO 1 B 2 A 3 C 4 D 5 E
  48. 48. 1) Marque verdadeiro e falso nas seguintes opções sobre a delimitação da ponte: I – Superiormente ela é separada do pedúnculo cerebelar superior pelo nervo V; II – Repousa sobre o clivus do osso esfenóide anteriormente; III – Os nervos VI, VII e VIII marcam seu limite inferior. A) Todas estão corretas. B) II e III estão corretas. C) Apenas III está incorreta. D) I e III estão corretas. E) Apenas II está correta. GABARITO
  49. 49. GABARITO 2. Quais as principais estruturas encontradas na porção ventral da ponte: a) Fibras transversas que se dividem em superficiais e profundas, fibras longitudinais que se dividem em tracto córtico-pontino, tracto córtico-nuclear e tracto córtico-espinhal, e núcleos pontinos. b) Fibras longitudinais que se dividem em superficiais e profundas, fibras transversas que se dividem em tracto córtico-pontino, tracto córtico-nuclear e tracto córtico-espinhal, e núcleos pontinos. c) Núcleos pontinos, fibras cruzadas e fibras longitudinais d) Fibras transversas que se dividem em superficiais e profundas, fibras longitudinais que se dividem em tracto córtico-pontino, tracto córtico-nuclear e tracto córtico-espinhal e fibras cruzadas.
  50. 50. GABARITO 3) Identifique as letras icógnitas da figura abaixo: AA BB CC DD A) A: Núcleos vestibulares; D: Lemnisco medial ; B: Núcleo do nervo abducente e C: Núcleos salivatórios superior e inferior B) C: Núcleos vestibulares; B: Núcleo do nervo Abducente ; A: Núcleo Coclear anterior e D: Núcleos salivatórios superior e inferior CC)) DD:: NNúúcclleeooss vveessttiibbuullaarreess;; AA:: NNúúcclleeoo ddoo nneerrvvoo AAbbdduucceennttee;; BB:: NNúúcclleeoo CCoocclleeaarr ppoosstteerriioorr ee CC:: NNúúcclleeooss ssaalliivvaattóórriiooss ssuuppeerriioorr ee iinnffeerriioorr D) B: Lemnisco lateral; C: Núcleo motor do trigêmeo; D: Lemnisco medial e A: Núcleo do nervo Facial E) A: Núcleo do nervo facial; C: Núcleos vestibulares; B: Lemnisco lateral ; e D: Lemnisco medial
  51. 51. GABARITO 4) “BSC, Homem, 37 anos, branco, caminhoneiro, deu entrada na clínica com histórico de fraqueza progressiva no lado esquerdo do corpo no últimos 4 meses, diminuição da sensação de tato nos membros superiores esquerdos. Apresentou Nistagmo horizontal em ambos os lados, todos os outros nervos cranianos estavam normais. A tomografia revelou, realçada pelo constraste, uma lesão cística na ponte, à direita da linha mediana.” Este paciente foi diagnosticado com neurocisticercose, pode-se deduzir pelos sintomas que os cisticercos estavam alojados no(s) núcleo(s) de qual par de nervos cranianos? A) I B) IV C) III D) VI E) II A resposta D é o único par que Se origina da Ponte.
  52. 52. GABARITO 5) A estrutura em destaque tem a seguinte função: A) Coordenar o equilíbro do corpo= NC VIII B) Movimentar os músculos dos olhos= Vários, mas o NC V não está incluso C) Movimentar os músculos mímicos= NC VII D) Controla glandulas salivares e lacrimais= Núcleo salivatório superior e lacrimal E) Movimentar os músculos da mastigação. É conhecido como núcleo mastigador
  53. 53. Referências: 1. MACHADO, Angelo. Neuroanatomia Funcional. 2.ª edição. São Paulo: Editora Atheneu. 2000. 2. NETTER NEUROANATOMIA ESSENCIAL 1/E - RUBIN, Michael; SAFDIEH, Joseph E. São Paulo: Elsevier. 2008 3. Arq. Neuro-Psiquiatr. vol.52 no.3 São Paulo Sept. 1994

×