FC Barcelona - Exercícios para a Construção do Sistema de Jogo

35.419 visualizações

Publicada em

Alguns exercícios realizados nos treinamentos da equipe principal do FC Barcelona para a construção do Sistema de Jogo da equipe dentro do 4x3x3, visando desenvolver um futebol plástico, técnico, de toques rápidos e de desmarcações.

Publicada em: Esportes
76 comentários
173 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
35.419
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.823
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
76
Gostaram
173
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

FC Barcelona - Exercícios para a Construção do Sistema de Jogo

  1. 1. SESSÕES DE EXERCÍCIOS DO FC BARCELONA PARA CONSTRUÇÃO DO SISTEMA DE JOGO RENATO LOPES MOREIRA 2013
  2. 2. Início: 7 jogadores, divididos em 3 grupos. Desenvolvimento: O jogador 1 (6) faz o passe para o jogador 2 (4), que já se posicionou de forma a criar a opção para receber o passe; O jogador 1 (6) faz o passe e se desloca para trás da fila, ocupando a última posição; O jogador 2 (4) recebe o passe, conduz a bola para o lado oposto ao que recebeu o passe, buscando o jogador 3 (8), que se apresenta para receber o passe. O jogador 2 (4) faz o passe para o jogador 3 (8) e se desloca para trás de seu companheiro. O jogador 3 (8) recebe a bola, faz o passe para o terceiro jogador do primeiro grupo e se desloca para trás de seu companheiro. A jogada recomeça. Variações: . Pode-se variar o sentido de rotação da bola (horário ou anti-horário); . Pode-se variar a direção do passe (Quem receber escolhe a direção); . Pode-se limitar o número de toques na bola (1, 2, etc); . Pode-se variar o deslocamento do jogador que faz o passe; . Pode-se aumentar o diminuir a roda, variando o tipo e a força do passe a ser utilizado.
  3. 3. Início: 7 jogadores, divididos em 3 grupos. Desenvolvimento: O jogador 1 (6) faz o passe para o jogador 2 (4), que já se posicionou de forma a criar a opção para receber o passe; O jogador 2 (4) devolve a bola para o jogador 1 (6), que se desloca em velocidade para receber o passe de volta; O jogador 1 (6) faz o passe lateral de volta para o jogador 2 (4), que se desloca na diagonal oposta para receber a bola; O jogador 1 (6) se desloca então para o final do grupo 2; O jogador 3 (8) se desloca diagonalmente, se posicionando de forma a criar opção para receber o passe; O jogador 2 (4) faz o passe para o jogador 3 (8) e se desloca para o final do grupo 3. O jogador 3 (8) faz o passe para o terceiro jogador do grupo 1 e se desloca para o final do mesmo. A movimentação recomeça. Variações: . Pode-se variar o sentido de rotação da bola (horário ou anti-horário); . Pode-se limitar o número de toques na bola (1, 2, etc); . Pode-se aumentar o diminuir a roda, variando o tipo e a força do passe a ser utilizado.
  4. 4. Início: 7 jogadores, divididos em 3 grupos. Desenvolvimento: O jogador 1 (6) faz o passe para o jogador 2 (4), que já se posicionou de forma a criar a opção para receber o passe; O jogador 2 (4) devolve a bola para o jogador 1 (6), que se desloca em velocidade para receber o passe de volta; O jogador 1 (6) faz o passe para o jogador 3 (8), e se desloca para o final do grupo 2; O jogador 3 (8) faz o passe para o jogador 2 (4), que se desloca em velocidade para receber o passe; O jogador 3 (8) se desloca diagonalmente, se posicionando de forma a criar opção para receber o passe; O jogador 2 (4) faz o passe para o jogador 3 (8) e se desloca para o final do grupo 3. O jogador 3 (8) faz o passe para o terceiro jogador do grupo 1 e se desloca para o final do mesmo. A movimentação recomeça. Variações: . Pode-se variar o sentido de rotação da bola (horário ou anti-horário); . Pode-se limitar o número de toques na bola (1, 2, etc); . Pode-se aumentar o diminuir a roda, variando o tipo e a força do passe a ser utilizado.
  5. 5. Início: 9 jogadores, divididos em 4 grupos. Desenvolvimento: O jogador 1 (21) faz o passe para o jogador 2 (17) e se desloca em velocidade para a frente; O jogador 2 (17) faz o passe rápido para o jogador 1 (21), de domina a bola e a conduz em velocidade para o final do grupo 4; O jogador 3 (4) faz o passe para o jogador 4 (6); O jogador 4 (6) devolve a bola de primeira para o jogador 3 (4), que faz o passe para o novo jogador 1 (2); O novo jogador 1 (2) recomeça a movimentação. Variações: . Pode-se variar o sentido de rotação da bola (horário ou anti-horário); . Pode utilizar os quatro grupos na movimentação (Começa no grupo 1 e termina no 3 por exemplo); . Pode-se limitar o número de toques na bola (1, 2, etc); . Pode-se aumentar o diminuir a roda, variando o tipo e a força do passe a ser utilizado.
  6. 6. Início: 7 jogadores, divididos em 4 grupos. Desenvolvimento: O jogador 1 (10) faz o passe para o jogador 3 (6), que já se posicionou de forma a criar a opção para receber o passe; O jogador 3 (6) faz o passe para o jogador 2 (8), que já se posicionou de forma a criar a opção para receber o passe; O jogador 2 (8) faz o passe para o jogador 4 (4), que recebe a bola e a conduz em velocidade até o primeiro grupo; A movimentação recomeça. Variações: . Pode-se variar o sentido de rotação da bola (horário ou anti-horário); . Pode-se fazer a bola retornar ao ponto inicial utilizando grupos menores de jogadores; . Pode-se limitar o número de toques na bola (1, 2, etc); . Pode-se aumentar o diminuir a roda, variando o tipo e a força do passe a ser utilizado.
  7. 7. Início: 6 jogadores, divididos em 3 duplas. Desenvolvimento: Dois jogadores se posicionam dentro do quadrado, enquanto os outros quatro ficam do lado de fora, cada um ocupando uma lateral; Os jogadores posicionados do lado de fora da área devem trocar passes entre si, sem que os jogadores do meio consigam interceptar a bola; Quando um dos jogadores do meio interceptar a bola os dois saem do meio e a dupla do jogador que errou o passe vai para o meio. Variações: . Pode-se variar o número de jogadores participantes; . Pode-se limitar o número de toques na bola (1, 2, etc); . Pode-se variar o tipo de interceptação da bola, sendo roubada ou retirada; . Pode-se colocar uma prenda ou pontuação após certo número de passes certos realizados; . Pode-se definir um período de tempo e organizar um rodízio entre os jogadores do meio; . Pode-se cobrar o deslocamento entre os jogadores de fora da área; . Pode-se aumentar o diminuir a roda, variando o tipo e a força do passe a ser utilizado.
  8. 8. JOGO POSICIONAL 4X4+3 Início: 8 jogadores, divididos em 2 equipes de 4. 3 jogadores que atuarão como “coringas”. Desenvolvimento: A equipe que tiver a posse de bola marca 1 ponto cada vez que fizer a bola ir de um coringa de uma extremidade até o coringa da outra; O coringa no meio da área de jogo atua pela equipe que tiver a posse de bola, caracterizando a situação ofensiva 5x4, e ele não desarma e nem participa da marcação; Um coringa de uma extremidade não pode lançar ou chutar a bola para o coringa da outra extremidade; Caso a defesa recupera a bola, ela passa a ter a função de passar a bola de um coringa ao outro, enquanto a equipe que perdeu a posse deverá tentar recuperá-la o mais rápido possível; Variações: . Pode-se aumentar ou diminuir o número de jogadores participantes; . Pode-se aumentar ou diminuir o número de coringas participantes; . Pode-se limitar o número de toques na bola pelos jogadores das equipes; . Pode-se limitar o número de toques na bola pelos coringas; . Pode-se aumentar a pontuação ou acrescentar novos elementos que contribuirão para o funcionamento do jogo; . Pode-se limitar o número de defensores por setor de jogo (3x1, 2x2 ou 4x0);
  9. 9. JOGO POSICIONAL 5X5+2 Início: 10 jogadores, divididos em 2 equipes de 5. 2 jogadores que atuarão como “coringas”. Desenvolvimento: A equipe que tiver a posse de bola marca 1 ponto cada vez que fizer a bola ir de um coringa de uma extremidade até o coringa da outra; Um coringa de uma extremidade não pode lançar ou chutar a bola para o coringa da outra extremidade; Caso a defesa recupera a bola, ela passa a ter a função de passar a bola de um coringa ao outro, enquanto a equipe que perdeu a posse deverá tentar recuperá-la o mais rápido possível; Variações: . Pode-se aumentar ou diminuir o número de jogadores participantes; . Pode-se aumentar ou diminuir o número de coringas participantes; . Pode-se limitar o número de toques na bola pelos jogadores das equipes; . Pode-se limitar o número de toques na bola pelos coringas; . Pode-se aumentar a pontuação ou acrescentar novos elementos que contribuirão para o funcionamento do jogo; . Pode-se limitar o número de defensores por setor de jogo (4x1, 3x2 ou 5x0);
  10. 10. JOGO POSICIONAL 6X6+2 Início: 12 jogadores, divididos em 2 equipes de 6. 2 jogadores que atuarão como “coringas”. Desenvolvimento: A equipe que tiver a posse de bola marca 1 ponto cada vez que fizer a bola ir de uma extremidade à outra; Os coringas atuam para a equipe que tiver a posse de bola, caracterizando uma situação 8x6 ofensiva; Os coringas não desarmam e nem marcam; Um jogador de uma extremidade não pode lançar ou chutar a bola para o jogador da outra extremidade; Caso a defesa recupera a bola, ela passa a ter a função de passar a bola de um coringa ao outro, enquanto a equipe que perdeu a posse deverá tentar recuperá-la o mais rápido possível; Variações: . Pode-se aumentar ou diminuir o número de jogadores participantes; . Pode-se aumentar ou diminuir o número de coringas participantes; . Pode-se limitar o número de toques na bola pelos jogadores das equipes; . Pode-se limitar o número de toques na bola pelos coringas; . Pode-se aumentar a pontuação ou acrescentar novos elementos que contribuirão para o funcionamento do jogo; . Pode-se limitar o número de defensores por setor de jogo (5x1, 4x2 ou 6x0);
  11. 11. JOGO POSICIONAL 7X7+3 Início: 14 jogadores, divididos em 2 equipes de 5. 3 jogadores que atuarão como “coringas”. Desenvolvimento: A equipe que tiver a posse de bola marca 1 ponto cada vez que fizer a bola ir de um coringa em uma extremidade até o coringa da outra; Um coringa de uma extremidade não pode lançar ou chutar a bola para o coringa da outra extremidade; O coringa no meio da área de jogo atua pela equipe que tiver a posse de bola, caracterizando a situação ofensiva 8x7, e ele não desarma e nem participa da marcação; Caso a defesa recupera a bola, ela passa a ter a função de passar a bola de um coringa ao outro, enquanto a equipe que perdeu a posse deverá tentar recuperá-la o mais rápido possível; Variações: . Pode-se aumentar ou diminuir o número de jogadores participantes; . Pode-se aumentar ou diminuir o número de coringas participantes; . Pode-se limitar o número de toques na bola pelos jogadores das equipes; . Pode-se limitar o número de toques na bola pelos coringas; . Pode-se aumentar a pontuação ou acrescentar novos elementos que contribuirão para o funcionamento do jogo; . Pode-se limitar o número de defensores por setor de jogo (6x1, 5x2, 4x3, ou 7x0);
  12. 12. É importante perceber que os jogadores devem sempre buscar um posicionamento que favoreça a linha de passe, dando mais de uma opção de passe ao jogador que tem a posse da bola. Dessa maneira é fácil observar a existência de triângulos de passe, o que acaba por facilitar a circulação da bola entre os jogadores da equipe, dificultando e confundindo a marcação da equipe adversária. Este tipo de posicionamento permite o trabalho com passes curtos, médios e longos (sem a necessidade de chutão para frente ou um passe forçado), além do jogo em diferentes níveis do campo. Outro aspecto a ser observado é a boa ocupação do campo pela equipe, devido à distribuição de seus jogadores pela área de jogo, favorecendo a amplitude e a profundidade da equipe.
  13. 13. JOGO POSICIONAL 11x11 Início: 22 jogadores, divididos em 2 equipes de 11. Desenvolvimento: As equipes jogarão entre si utilizando o esquema de jogo adotado, o 4x3x3; A linha da grande área é a linha limite e os jogadores de linha têm até ela para se posicionar e jogar. Só é permitido ultrapassar essa linha durante uma jogada de ataque; O goleiro atua como um coringa para a equipe que tiver a posse de bola, enquanto o atacante-central atua como o outro coringa da equipe, caracterizando assim a profundidade de jogo; Os atacantes que jogam pelos flancos do campo devem atuar bem abertos, assim como os laterais, caracterizando o jogo de amplitude; Quando a equipe que está defendendo recuperar a posse da bola ela passa a atacar, enquanto a equipe que perdeu a bola passa a defender. Variações: . Podem-se variar os esquemas de jogo, utilizando o 4x3x3 e/ou 3x4x3; . Pode-se usar o posicionamento básico de uma equipe adversária, caso seja véspera de um jogo importante ou a necessidade de praticar contra um determinado sistema de jogo; . Pode-se limitar o número de toques na bola pelos jogadores (1, 2, Livre, etc.); . Pode-se dividir o campo de jogo em zonas e, dentro dessas, restringir ou liberar o número de toques na bola; . Pode-se dividir o campo de jogo em zonas e, dentro dessas, restringir ou liberar o número de jogadores de defesa ou de ataque, criando situações de superioridade numérica; . Pode-se determinar certo número de passes entre a equipe antes de valer a criação e a finalização ao gol adversário.
  14. 14. Início: 10 jogadores. 2 goleiros. Desenvolvimento: Piqué (3) faz o passe invertendo o jogo até Abidal (22); Abidal (22) faz o passe para Iniesta (8), que toca curto com Busquets (16) e se desloca em velocidade para a grande área; Busquets (16) faz o passe para Messi (10), já posicionado para receber a bola, e se desloca diagonalmente dando opção para receber o passe de volta; Messi (10) faz o passe para Xavi (6), se desloca diagonalmente e de repente faz um giro rápido em direção à área adversária; Sanchez (9) se desloca em velocidade pelo flanco esquerdo do campo em direção à área adversária; Xavi (6) faz o passe buscando David Villa (7), que já se desloca em velocidade pelo flanco do campo; David Villa (7) recebe a bola de Xavi (6) e faz o passe para dentro da área adversária buscando Messi (10) ou Iniesta (8), já posicionados lá dentro ou mesmo Sanchez (9), posicionado mais aberto. Variações: . Abidal (22) pode fazer o passe para Sanchez (9), aproveitando o deslocamento em velocidade do atacante pelo flanco do campo; . Iniesta (8) pode fazer o passe para Sanchez (9), aproveitando o deslocamento em velocidade do atacante pelo flanco do campo, ou pode fazer o 1-2 com Messi (10), posicionado próximo à área adversária;
  15. 15. . Busquets (16) pode fazer o passe para Xavi (6); . Messi (10) pode fazer o 1-2 com Iniesta (8), pode fazer o passe para David Villa (7), aproveitando o deslocamento em velocidade do atacante pelo flanco do campo, ou mesmo girar sobre seu marcador e finalizar ao gol; . Xavi (6) pode fazer o 1-2 com Messi (10) e fazer o passe para Iniesta (8), aproveitando o deslocamento do meia em direção à área adversária; . Xavi (6) pode fazer o 1-2 com Messi (10) e fazer o passe para Sanchez (9), aproveitando o deslocamento do atacante em direção à área adversária. A intenção deste tipo de trabalho no treinamento é exatamente levar o jogador a “ver” e “perceber” o jogo à sua volta, possibilitando uma leitura da melhor opção de passe em uma determinada jogada diante das varias opções possíveis. Novamente aqui se ressalta a importância do posicionamento da equipe em campo (sistema de jogo 4x3x3) e a criação de linhas de passes, que podem ser percebidas pelos triângulos acima. Cada jogador, ao ter a posse da bola, tem pelo menos 3 opções seguras de passe, o que acaba favorecendo o jogo de possessão da equipe. Na situação acima, percebe-se as opções de linhas de passe em um posicionamento básico do Barcelona no 4x3x3, com as linhas um pouco mais recuadas para a saída de bola ou organização de jogadas começando de trás. O Victor Valdés (1) tem quatro opções de saídas de bola seguras (Piqué (3) ou Puyol (5) pelo centro, ou Daniel Alves (2) e Abidal (22) pelas laterais do campo). Os zagueiros (Piqué ou Puyol) têm quatro opções de linha de passe: Entre eles, pelas respectivas laterais (Daniel Alves (2) ou Abidal (22)) e pelo meio de campo, com Busquets (16), que é opção para ambos, Xavi (6) pelo lado direito e Iniesta (8) pelo lado esquerdo. Os laterais têm quatro opções de linha de passe: Daniel Alves (2) tem a opção de Piqué (3) na defesa, Xavi (6) no meio de campo e David Villa (7) no ataque. Abidal (22) pode jogar com Puyol (5) na defesa, Iniesta (8) no meio de campo e Alexis Sanchéz (9) no ataque. O meio de campo é responsável por fazer a circulação da bola no jogo do Barcelona. Por isso, são os jogadores com o maior número de linhas de passe disponíveis. Pelo seu posicionamento central,
  16. 16. Busquets (16) têm as opções de Piqué (3) e Puyol (5) na defesa, Xavi (6) e Iniesta (8) no meio de campo mais à frente e Messi (10) já no campo de ataque. Xavi (6) têm a opção de jogar pela direita com Daniel Alves (2) pela lateral, Piqué (3) pelo centro da defesa, Busquets (16) no centro do meio de campo, David Villa (7) pelo flanco direito ofensivo e Messi (10), posicionado mais centralmente no ataque. Iniesta (8) pode jogar na esquerda com Abidal (22) pela lateral, Puyol (5) pelo centro da defesa, Busquets (16) pelo centro do meio de campo, Alexis Sanchéz (9) pelo flanco esquerdo ofensivo e Messi (10) pelo centro do ataque. Se o posicionamento entre Xavi (6) e Iniesta (8) for mais próximo eles terão a oportunidade de passe entre eles, tendo mais uma linha de passe disponível, senão este passe é considerado arriscado e não deve ser realizado. Ao analisarmos o ataque, pode-se notar que os atacantes pelas pontas (David Villa (7) e Alexis Sanchéz (9)) têm três opções de passe. Já Messi (10), por ser o jogador central do ataque, têm cinco opções de linha de passe: tem o jogo pelo meio com Busquets (16), Xavi (6) e Iniesta (8), além do jogo pelas pontas com David Villa (7) e Alexis Sanchéz (9). Apesar de ser o atacante central Messi atua como um “falso 9” e por isso é o responsável pela circulação do jogo ofensivo do Barcelona, adiantando seu posicionamento às vezes até o meio de campo, levando a marcação adversária e abrindo espaços para seus companheiros se movimentarem. Já nesta segunda situação, as linhas do Barcelona estão mais adiantadas e há uma mudança no posicionamento da equipe em campo. O avanço das linhas permite uma pressão maior sobre a equipe adversária, deixando-a praticamente restrita ao seu campo de defesa para jogar. Com o avanço, também se nota uma diminuição do espaço entre as linhas do Barcelona, o que acaba por facilitar a troca de passes e circulação da bola (jogo ofensivo) e a pressão imediata sobre o adversário caso a equipe perca a posse de bola (jogo defensivo). Na defesa, Daniel Alves (2) e Abidal permanecem abertos pelos flancos do campo (amplitude), enquanto Piqué (3) adianta seu posicionamento para participar mais ativamente da circulação da bola no meio campo enquanto Puyol (5) permanece mais recuado. Este posicionamento se dá pela maior técnica com a bola nos pés de Piqué (3), deixando Puyol (5) mais para a sobra.
  17. 17. O meio de campo também muda seu posicionamento, com Busquets (16) mudando seu posicionamento mais para a direita, formando uma linha de três com Xavi (6) e Iniesta (8). Dessa forma os três meiocampistas ficam responsáveis pela circulação da bola, criando ainda mais opções de linha de passe entre eles. Detalhe para a linha de passe entre Xavi (6) e Iniesta (8), posicionados mais próximos que na situação anterior. No ataque, David Villa (7) e Alexis Sanchéz (9) permanecem abertos pelos flancos do campo (amplitude), enquanto Messi (10) se posiciona mais próximo à grande área adversária, assumindo sua posição central no ataque. Estes posicionamentos podem parecer complexos, mas na verdade não são. O Barcelona condiciona seus jogadores, desde a primeira idade da categoria de base (“La Masia”), a jogar e a entender o jogo dessa forma, neste contexto, neste sistema de jogo. Todos os exercícios realizados nos treinamentos são voltados para desenvolver o jogo plástico, de possessão de bola e de pressão. O jogador aprende a jogar com e sem bola, a sempre buscar o melhor posicionamento para receber a bola do companheiro que a possui e, quando a receber, a buscar a melhor opção para fazer o passe e seguir com a posse da bola. Observando os exercícios demonstrados anteriormente dá para perceber bem isso. Trabalho técnico e tático voltado para a possessão de bola, de toque rápido e envolvente com movimentação sem bola constante dos outros jogadores da equipe buscando o melhor posicionamento em campo e a necessidade de recuperar logo a bola quando a posse for perdida. Tudo isso desenvolvido dentro com amplitude e profundidade de jogo, premissas básicas do jogo do Barcelona. Com este condicionamento ao modelo de jogo, fica fácil dos jogadores executarem tudo que eles realizam nos treinamentos em uma partida, pois eles já terão um saberão o que fazer, quando fazer e como fazer, devido ao entendimento e à percepção do jogo nos treinos, tendo as opções disponíveis e podendo analisá-las rapidamente, tomando sempre a decisão correta para aquele determinado momento do jogo.

×