Inovação em Projetos Culturais - Andre Martinez (Março 2015)

660 visualizações

Publicada em

AULA 1 | Análise Dinergética e Planejamento Complexo | Cultura de Rede e teoria dos Sistemas, novas perspectivas para design e gestão. Sistemas Vivos: autonomia, organicidade, fluxos, auto-eco-poiese, acoplamento estrutural, feedback. Aprendizagem e desenvolvimento sustentável. Pensamento linear-cartesiano e pensamento complexo. Operador dialógico. Circularidade. Fractalidade. Interdisciplinaridade. Dinergia: quando “o limitado dá forma ao ilimitado”. Método dinergético. Quatro elementos: Sentido (fogo), Propósito (ar), Método (terra), Aprendizado (água). Círculos de sentidos e vetores de propósitos. Intercontextualidade e interconectividade.

AULA 2 | Inteligência Sociocriativa / Patrimônio Vivo Cultural, Criativo e Socioambiental | Noções gerais de Inteligência Sociocriativa / Ecoefetividade e impacto. Contextos colaborativos: instrumentos, linguagens e conteúdos; desenvolvimento humano e direitos culturais; emancipação econômica; identidade e patrimônio vivo; articulação em redes; governança e participação social; diversidade em diálogo; pesquisa em ação. / Efeitos de um empreendimento em relação às interfaces entre identidade, memória social, meio ambiente e patrimônio cultural material e imaterial da sociedade. Ecologia sociocultural.

AULA 3 | Ativos Culturais e Criativos / Empreendedorismo Criativo e Direitos Econômicos | Provendo instrumentos, linguagens e conteúdos para o mercado e a sociedade; Expressão artística e estética: arte e aprendizagem expansiva; Públicos intérpretes-criadores-realizadores / Economia criativa e desenvolvimento sustentável; Tendências, capacidade e movimentação econômica instalada no território: infraestrutura, know-how, uso responsável dos recursos econômicos, financeiros, tecnológicos e naturais. Cadeias de valor. Clustering: Arranjos produtivos e criativos.
AULA 4 | Articulação em Redes / Democratização e Coempreendedorismo | Diálogo com agendas públicas locais, nacionais e intergovernamentais, participação socioeconomica; Redes de colaboração e redes de conhecimento / Cooperação. Legitimidade social e comunitária; Uso de tecnologias para viabilizar a cogestão direta ou indireta pelos segmentos e mercados envolvidos no empreendimento; Governanças setoriais e intersetoriais.

AULA 5 | Diversidade em Diálogo / Pesquisa em Ação | Abordagem empreendedora a partir do princípio da diversidade cultural; Não-violência ativa e resolução de conflitos; T3C – Tecnologias de Convivência, Co-criação e Colaboração. Empreendedorismo e produção de conhecimento: metodologia de pesquisa–ação colaborativa, noções gerais.

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
660
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Inovação em Projetos Culturais - Andre Martinez (Março 2015)

  1. 1. INOVAÇÃO EM PROJETOS CULTURAIS Cemec / 2015 André Martinez www.andremartinezcult.com facebook.com/inteligenciasociocriativa facebook.com/andremartinezaprax Todos os direitos reservados.
  2. 2. Elementos metodológicos que serão abordados no curso{
  3. 3. O QUE É POSSÍVEL #realização O QUE PRETENDE O QUE VOCÊ AMA #SONHOS #ESCOLHAS #PLANOS
  4. 4. aprendizado método propósito #SONHOS #ESCOLHAS sentido #PLANOS
  5. 5. QUATRO ELEMENTOS
  6. 6. Arte e Linguagem Economia Sustentável Articulação em Redes Identidade e Memória Diversidade em Diálogo Cogestão Pesquisa em Ação SETE CONTEXTOS
  7. 7. perspectivas e contextos
  8. 8. No início éramos nômades…{
  9. 9. Sistemas vivos{
  10. 10. sistemas vivos autonomia cada parte tem a informação do todo fluxos auto-eco-poiese
  11. 11. Acoplamento Os organismos se autoproduzem, são produzidos pelo meio que habitam, e são produtores desse mesmo meio. As iniciativas (co)criadas pela comunidade a (re)criam simultaneamente. Ecoefetividade Uma ação empreendida, independentemente do recorte temático (cultura, esporte, educação, etc), provoca efeitos psicosociais-culturais- econômicos-ambientais múltiplos e interdependentes. Organicidade Um projeto sociocriativo é um sistema vivo. Um organismo. Circularidade Empreender é aprender. Planejamento e gestão realizados a partir da produção continuada de conhecimento interdisciplinar sobre a ação - preferencialmente por meio de pesquisa social participativa – permitem que cada período de gestão corresponda a uma nova e potente curva de aprendizagem.
  12. 12. Pensamento complexo{
  13. 13. economia ecologia viabilidade sustentabilidade
  14. 14. Geometria sagrada: dinergia e fractalidade{
  15. 15. A : B = B : A+B
  16. 16. O limitado da forma ao ilimitado.
  17. 17. Baseado em Nassim Haramein
  18. 18. Baseado em Nassim Haramein
  19. 19. Baseado em Nassim Haramein
  20. 20. Baseado em Nassim Haramein
  21. 21. Baseado em Nassim Haramein
  22. 22. Empreender é aprender, inovar é renovar.{
  23. 23. foto: Pedro Biondi . fonte: Agência Brasil
  24. 24. O passado está na frente e o futuro está na gente.
  25. 25. Quatro elementos{
  26. 26. aprendizado método propósito #SONHOS #ESCOLHAS sentido #PLANOS
  27. 27. Ser Grande Para ser grande, sê inteiro: Nada teu exagera ou exclui Sê todo em cada coisa. Pôe quanto és No mínimo que fazes. Assim em cada lago a lua inteira brilha, Porque alta vive. (Ricardo Reis) SENTIDO (elemento)
  28. 28. PROPÓSITO (elemento) Imaginar é o princípio da criação. Nós imaginamos o que desejamos, queremos o que imaginamos e, finalmente, criamos aquilo que queremos. (George Bernard Shaw)
  29. 29. MÉTODO (elemento) Eu sou a fonte original de toda a vida. Sou o chão que se prende à tua casa. Sou a telha da coberta de teu lar. A mina constante de teu poço. Sou a espiga generosa de teu gado e certeza tranquila ao teu esforço. (Cora Coralina, O cântico da terra)
  30. 30. APRENDIZADO (elemento) Se Nem For Terra Se Trans For Mar (Paulo Leminski)
  31. 31. S2 S1 P A2 M S3S4 Sn A1 An A3A4 FEEDBACK
  32. 32. ECOSSISTEMA EXTERIOR ECOSSISTEMA INTERIOR …DERIVA ANTERIOR DERIVA POSTERIOR… Sentido Método
  33. 33. Pessoas e papéis{
  34. 34. S2 S1 P A2 M S3S4 Sn A1 An A3A4 &1 &2 &3 &4 &n
  35. 35. PESSOAS São as pessoas físicas ou jurídicas (públicas ou privadas) em interação no intercontexto, discriminadas individualmente ou em segmentos.
  36. 36. PAPÉIS As pessoas em interação em um intercontexto podem assumir um ou mais papéis.
  37. 37. fruidores- brincantes PAPÉIS :: fruidores-brincantes Quem usufrui de expressões artísticas, públicos espectadores; participantes de manifestações culturais populares e tradicionais; quem exerce direitos e liberdades culturais.
  38. 38. intérpretes- criadores PAPÉIS :: intérpretes-criadores (Co)autores e/ou intérpretes de expressões artísticas ou intelectuais; geradores de conteúdos; artistas (inclusive naifs), criativos, curadores, educadores, pensadores, filósofos, contadores de histórias, griôs.
  39. 39. operadores- articuladores PAPÉIS :: operadores-articuladores Empreendedores criativos; diversos elos da cadeia econômica criativa, produtores, realizadores, distribuidores, estabelecimentos comerciais, programadores, difusores, consultores, agências de comunicação e publicidade.
  40. 40. ativadores- sustentadores PAPÉIS :: ativadores-sustentadores Governos, governanças, agências de fomento, incubadoras, instituições intergovernamentais, patrocinadores, instituições de advocacy, universidades, subredes com propósitos compartilhados, movimentos políticos institucionalizados.
  41. 41. Sete contextos colaborativos{
  42. 42. foto:  Pedro  Biondi  .    fonte:  Agência  Brasil  
  43. 43. Arte e Linguagem Economia Sustentável Articulação em Redes Identidade e Memória Diversidade em Diálogo Cogestão Pesquisa em Ação GEOMETRIA SOCIOCRIATIVA Contextos Colaborativos
  44. 44. Arte e Linguagem Identidade e Memória Diversidade em Diálogo Pesquisa em Ação
  45. 45. Economia Sustentável Articulação em Redes Cogestão Pesquisa em Ação
  46. 46. PESQUISA EM AÇÃO (contexto)
  47. 47. INVESTIGAÇÃO-AÇÃO
  48. 48. Pesquisa-ação “[...] um tipo de pesquisa social com base empírica que é concebida e realizada em estreita associação com uma ação ou com a resolução de um problema coletivo e no qual os pesquisadores e os participantes representativos da situação ou do problema estão envolvidos de modo cooperativo ou participativo.” MICHEL THIOLLENT
  49. 49. ü melhorar a prática dos participantes a sua compreensão dessa prática a situação onde se produz a prática ü envolver assegurar a participação dos integrantes do processo assegurar a organização democrática da ação propiciar compromisso dos participantes com a mudança
  50. 50. ARTE E LINGUAGEM (contexto)
  51. 51. IDENTIDADE E MEMÓRIA (contexto)
  52. 52. DIVERSIDADE EM DIÁLOGO (contexto)
  53. 53. discussão/debate Visa fechar questões Visa convencer Visa demarcar posições Visa defender idéias Visa persuadir e ensinar Visa explicar Visa as partes em separado Descarta as idéias “vencidas” Busca acordos diálogo Visa abrir questões Visa mostrar Visa estabelecer relações Visa compartilhar ideias Visa questionar e aprender Visa compreender Vê a interação partes/todo Faz emergir ideias Busca a pluralidade de ideias Baseado em Humberto Mariotti
  54. 54. http://www.theworldcafe.com) http://appreciativeinquiry.case.edu)
  55. 55. ECONOMIA SUSTENTÁVEL (contexto)
  56. 56. comunidade empreendimento ATIVIDADE
  57. 57. arranjos produtivos Lógica industrial Organização hierárquica - estática Gerenciamento da competição Tangíveis – produtos e serviços comerciais/industriais Padronização e repetição Target homogêneo Escala Inovação Fluxos
  58. 58. arranjos criativos Lógica criativa Organização em rede - dinâmica Gerenciamento da co-criação Intangíveis – produtos e serviços artístico-culturais Flexibilidade e re-criatividade Diversidade de públicos Originalidade Ruptura – transcendência Interconexão
  59. 59. arranjos criativos Lógica criativa Organização em rede - dinâmica Gerenciamento da co-criação Intangíveis – produtos e serviços artístico-culturais Flexibilidade e re-criatividade Diversidade de públicos Originalidade Ruptura – transcendência Interconexão arranjos produtivos Lógica industrial Organização hierárquica - estática Gerenciamento da competição Tangíveis – produtos e serviços comerciais/industriais Padronização e repetição Target homogêneo Escala Inovação Fluxos
  60. 60. VISÃO 4D
  61. 61. ARTICULAÇÃO EM REDES (contexto)
  62. 62. Agendas públicas são questões de interesse geral debatidas pela sociedade e articuladas em ideologias e ações de Estado, de organizações intergovernamentais e/ou de instituições de repercussão pública (mídia, fundações, partidos etc).
  63. 63. COGESTÃO (contexto)
  64. 64. Fundamentação científica e filosófica geral Biologia Cultural :: Humberto Maturana Teoria da Atividade :: Valery Leontiev Desenvolvimento Proximal :: Lev Vigotiski Complexidade e Auto-eco-poiese :: Edgar Morin Diálogo :: David Bohm, Paulo Freire Construcionismo Social :: Kenneth J. Gergen

×