Serão carrapatecias.....

129 visualizações

Publicada em

O textoserão carrapatecidas agrotóxicos apresenta de que forma os trabalhadores com gado percebem os carapatecidas se este causam danos a saúde ou não.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
129
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Serão carrapatecias.....

  1. 1. 1 Mestrado Profissional em Agroecossistema RESENHA CRITICA do artigo:Serão os carrapaticidas agrotóxicos? Implicações na saúde e na percepção de riscos de trabalhadores da pecuária leiteira. Mestrando: Paulo Davi Johann Trabalho apresentado a disciplina sanidade animal como pré-requisito para obtenção de grau de mestre profissional em agroecossistema ministrada pela Profa.: Patrizia Ana Bricarello. Florianópolis fevereiro – 2014
  2. 2. 2 DA SILVA, Tatiana Pastorello Pereira; MOREIRA, Josino Costa; PERES,Frederico. Serão os carrapaticidas agrotóxicos? Implicações na saúdee na percepção de riscos de trabalhadores da pecuária leiteira.In: Ciência & Saúde Coletiva, vol. 17, núm. 2, febrero, 2012, pp. 311-325,Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva Brasil. O artigo é parte da dissertação de mestrado de Tatiana Pastorelho Pereira da Silva com o título: “Tem veneno na pecuária? Riscos associados ao uso de carrapaticidas na pecuárialeiteira”. Nessa pesquisa ela apresenta o artigo elaborado pelos autores acima citados. Neste artigo os autores fazem uma análise sobre a composição química dos medicamentos de uso veterinários e sua implicação na saúde humana e no sistema biota. Assim como se os trabalhadores na pecuária leiteira percebem o risco que estão submetidos ao manipular estes produtos. A partir da composição química de muitos dos medicamentos de uso veterinário receitados pelos veterinários, principalmente nos utilizados no combate aos ectoparasitas (carrapatos e bernes), e utilizados pelos produtores de leite tem em sua composição princípios ativos que são considerados agrotóxicos. É a partir dessa constatação que os autores falam em agrotóxicos de uso veterinário. Embora os princípios ativos encontrados nos medicamentos utilizados no combate e controle dos carrapatos chamados de carrapaticidas são os mesmos encontrados nos agrotóxicos de uso agrícola, a lei nº (Lei 7.802 de11 de Julho de 19894) prevê que para o registro desse produto é necessário uma avaliação de um comitê interministerial formado pelos ministérios da Agricultura, Pecuária e abastecimento (MAPA),(que avalia a eficiênciaagronômica dos produtos), da Saúde (que avaliao potencial tóxico dos produtos à saúde humana)e do Meio Ambiente (que avalia o potencialtóxico dos produtos para o ambiente e a biota).Enquanto isso os agrotóxicos de uso veterinários são analisados única e exclusivamente pelo MAPA que avalia a sua eficácia. Segundo os autores: “Assim, produtosformulados com o mesmo princípio ativo,numa mesma concentração, podem ter avaliaçõesdistintas, para fins de registro, dependendode sua utilização na agricultura ou na pecuária”. É a partir dessa constatação os autores fazem o seguinte questionamento. Será que os trabalhadores que lidam com agrotóxicos de uso veterinário são mais vulneráveis ao efeito nocivo desses produtos do que os que utilizam agrotóxicos de uso agrícola? Haverá influência
  3. 3. 3 na percepção dos riscos que os trabalhadores da pecuária correm devido a diferenciação no registro desses produtos? A partir da pesquisa de campo ouvindo veterinários e trabalhadores da pecuária que utilizam estes agrotóxicos de uso veterinários constatam que o os trabalhadores não percebem o risco que correm em relação a saúde humana e a biota ao utilizar estes produtos. Isto se dá exatamente pelo fato de nesses produtos não constar a sua toxidez igual aos da agricultura.Nos agrotóxicos de uso agrícola a lei exige que consta a classe taxológica a qual pertence. Ou seja, se é muito toxico, medianamente toxico ou pouco toxico. Os trabalhadores da pecuária e os veterinários ao não perceber o risco que correm aomanusear estes produtos são mais suscetíveis e vulneráveis a se intoxicar e ter problemas de saúde do que os trabalhadores da agricultura. Segundo os autores para diminuir o risco em relação a saúde humana, torna-se urgente e necessário o enquadramento dos agrotóxicos de uso veterinário as mesmas leis dos agrotóxicos de uso agrícola. Este com certeza seria um avanço ao pensarmos o humano como um ser fora da natureza. Mas se pensarmos o ser humano como parte da natureza é preciso que avancemos mais. Este avançar mais significa pensar a saúde animal, saúde vegetal e saúde humana com um todo integrado. Nesse sentido o questionamento é: de que forma garantir a saúde animal, vegetal e humana sem necessitar de se utilizar desses produtos (agrotóxicos)?
  4. 4. 4

×