A SAÚDE DO
EDUCADOR:
Fatores de Risco
E.E.E.F. REINALDO VACCARI
FORMAÇÃO CONTINUADA 2013
Imbé / RS
www.orientarconsultoria.net.br
BURNOUT:
O EDUCADOR EM FOCO
Claudia Figueiró Souza
claudia@orientarconsultoria.net.br
2
O termo Burnout surgiu nos Estados Unidos em
meados dos anos 70, e se trata de uma composição
de “burn” (queima) e “out”(e...
As pesquisas demonstram que a síndrome afeta
principalmente aqueles que prestam assistência ou
são responsáveis pelo desen...
O Decreto nº 3048/99 reconhece e inclui no Grupo
V do CID-10 como doença do trabalho a “Síndrome
de Burn-Out” ou “Síndrome...
O termo Burnout surgiu como uma metáfora para
exprimir o sentimento de profissionais que
trabalhavam diretamente com pacie...
“Podia-se observar o sofrimento. Alguns
reclamavam que já não viam seus “pacientes”
como pessoas que necessitassem de cuid...
“A estes sintomas, agora pesquisados e analisados
em conjunto, atribuiu-se o nome de burnout.”
(Freudenberger, 1994).
Pesq...
A Síndrome de Burnout é caracterizada por três
dimensões:
- Exaustão Emocional (EE)
- Despersonalização (DE)
- Reduzida Re...
Se refere à sensação de esgotamento tanto físico
como mental, ao sentimento de não dispor mais de
energia para absolutamen...
Não significa que o indivíduo deixou de ter sua
personalidade, mas que esta sofreu ou vem
sofrendo alterações, levando o p...
Evidencia o sentimento de insatisfação com as
atividades laborais que vem realizando, sentimento
de insuficiência, baixa e...
SINTOMAS FÍSICOS
- Fadiga constante e progressiva;
- Distúrbios do sono;
- Dores musculares ou osteomusculares;
- Cefaléias e enxaquecas;
-...
SINTOMAS
PSÍQUICOS
- Falta de atenção e de concentração;
- Alterações de memória;
- Lentificação do pensamento;
- Sentimento de alienação e d...
SINTOMAS
COMPORTAMENTAIS
- Negligência ou excesso de escrúpulos;
- Irritabilidade e incremento da agressividade;
- Incapacidade para relaxar;
- Dif...
SINTOMAS
DEFENSIVOS
- Tendência ao isolamento;
- Sentimento de onipotência;
- Perda do interesse pelo trabalho (ou até pelo
prazer);
- Ironia,...
Sensível Diferença...
(Fonte: Folha de S. Paulo, 02/11/2010)
ESTRESSE
 REAÇÃO NATURAL A UMA
SITUAÇÃO DE
EMERGÊNCIA;
 ESG...
POR QUE O
EDUCADOR VEM SE
TORNANDO A MAIOR
VÍTIMA DO
BURNOUT ?
PENSEMOS EM NOSSO COTIDIANO:
- TER em detrimento de SER...
-Cobranças/Exigências...
-Multicompetências...
-Carga horária t...
É POUCO OU QUER
MAIS ?
PROCURO UMA
SOLUÇÃO. POR ONDE
DEVO COMEÇAR ?
- 1 minuto contra o estresse (mãos quentes !);
- Procure fazer o que gosta;
- Não negligencie a família, o lazer e a saúde...
- Cultive um tempo livre, sem fazer nada. As ideias
mais criativas e brilhantes podem surgir durante o
ócio, quando a cabe...
- Na alimentação, evite excessos com substâncias
conhecidas como “estressores” do organismo = sal,
álcool, açúcar refinado...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

1 burnout o educador em foco

275 visualizações

Publicada em

Oficina ministrada na formação continuada dos professores da Escola Nove de Maio.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
275
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1 burnout o educador em foco

  1. 1. A SAÚDE DO EDUCADOR: Fatores de Risco E.E.E.F. REINALDO VACCARI FORMAÇÃO CONTINUADA 2013 Imbé / RS
  2. 2. www.orientarconsultoria.net.br BURNOUT: O EDUCADOR EM FOCO Claudia Figueiró Souza claudia@orientarconsultoria.net.br 2
  3. 3. O termo Burnout surgiu nos Estados Unidos em meados dos anos 70, e se trata de uma composição de “burn” (queima) e “out”(exterior), sugerindo um estresse crônico associado ao mundo do trabalho, em que a pessoa sente “perder a energia”, o entusiasmo e o interesse, comprometendo a sua saúde e performance profissional. 3 INTRODUÇÃO
  4. 4. As pesquisas demonstram que a síndrome afeta principalmente aqueles que prestam assistência ou são responsáveis pelo desenvolvimento de outras pessoas, tais como médicos, enfermeiros, psicólogos, professores, assistentes sociais, agentes penitenciários, policiais, bombeiros, cuidadores de pessoas com doenças degenerativas, entre outros. 4
  5. 5. O Decreto nº 3048/99 reconhece e inclui no Grupo V do CID-10 como doença do trabalho a “Síndrome de Burn-Out” ou “Síndrome do Esgotamento Profissional”, referindo-se aos transtornos mentais e do comportamento relacionados à atividade laboral. 5 LEGISLAÇÃO
  6. 6. O termo Burnout surgiu como uma metáfora para exprimir o sentimento de profissionais que trabalhavam diretamente com pacientes dependentes de substâncias químicas. Nos primeiros anos da década de 70, um estudo com profissionais ligados ao tratamento de usuários de drogas mostrou que, após alguns meses de trabalho, esses profissionais compartilhavam alguns sintomas. 6 COMO SURGIU
  7. 7. “Podia-se observar o sofrimento. Alguns reclamavam que já não viam seus “pacientes” como pessoas que necessitassem de cuidados especiais, visto que eles não se esforçavam para parar de usar drogas. Outros reclamavam que estavam tão exaustos que às vezes desejavam nem acordar para não ter que ir para o trabalho. Outros ainda afirmavam que já não conseguiam mais atingir os objetivos que haviam imaginado. Sentiam-se incapazes de modificar o status quo; sentiam-se derrotados.” 7
  8. 8. “A estes sintomas, agora pesquisados e analisados em conjunto, atribuiu-se o nome de burnout.” (Freudenberger, 1994). Pesquisa feita pela Universidade de Brasília em 2006 com duração de 2 anos e meio envolvendo 52 mil professores de redes municipais, encontrou 48% sofrendo algum sintoma e 25% com síndrome instalada. 8
  9. 9. A Síndrome de Burnout é caracterizada por três dimensões: - Exaustão Emocional (EE) - Despersonalização (DE) - Reduzida Realização Profissional (RRP) 9
  10. 10. Se refere à sensação de esgotamento tanto físico como mental, ao sentimento de não dispor mais de energia para absolutamente nada, de haver chegado ao limite das possibilidades. 1 1º EXAUSTÃO EMOCIONAL - EE
  11. 11. Não significa que o indivíduo deixou de ter sua personalidade, mas que esta sofreu ou vem sofrendo alterações, levando o profissional a um contato frio e impessoal com os usuários de seus serviços (alunos, pacientes, clientes), passando a denotar atitudes de cinismo e ironia em relação às pessoas e indiferença ao que pode vir a acontecer aos demais. 1 2º DESPERSONALIZAÇÃO - DE
  12. 12. Evidencia o sentimento de insatisfação com as atividades laborais que vem realizando, sentimento de insuficiência, baixa estima, fracasso profissional, desmotivação, revelando pouca eficiência no trabalho. Por vezes, o indivíduo apresenta ímpetos de abandonar o emprego. 1 3º REDUZIDA REALIZAÇÃO PROFISSIONAL- RRP
  13. 13. SINTOMAS FÍSICOS
  14. 14. - Fadiga constante e progressiva; - Distúrbios do sono; - Dores musculares ou osteomusculares; - Cefaléias e enxaquecas; - Perturbações gastrointestinais; - Imunodeficiência; - Transtornos cardiovasculares; - Distúrbios do sistema respiratório; - Disfunções sexuais; - Alterações menstruais nas mulheres. 1
  15. 15. SINTOMAS PSÍQUICOS
  16. 16. - Falta de atenção e de concentração; - Alterações de memória; - Lentificação do pensamento; - Sentimento de alienação e de solidão; - Impaciência; - Sentimento de insuficiência e baixa estima; - Dificuldade de autoaceitação; - Desânimo, disforia, depressão, desconfiança, paranóia. 1
  17. 17. SINTOMAS COMPORTAMENTAIS
  18. 18. - Negligência ou excesso de escrúpulos; - Irritabilidade e incremento da agressividade; - Incapacidade para relaxar; - Dificuldade na aceitação de mudanças; - Perda de iniciativa; - Aumento do consumo de substâncias químicas; - Comportamento de alto risco e, no limite, suicídio! 1
  19. 19. SINTOMAS DEFENSIVOS
  20. 20. - Tendência ao isolamento; - Sentimento de onipotência; - Perda do interesse pelo trabalho (ou até pelo prazer); - Ironia, cinismo; - Absenteísmo. 2
  21. 21. Sensível Diferença... (Fonte: Folha de S. Paulo, 02/11/2010) ESTRESSE  REAÇÃO NATURAL A UMA SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA;  ESGOTAMENTO FÍSICO;  HIPERSENSIBILIDADE;  REDUÇÃO DA ENERGIA. BURNOUT  DESILUSÃO CAUSADA PELO EXCESSO DE SITUAÇÕES ESTRESSANTES;  ESGOTAMENTO EMOCIONAL;  FALTA DE SENSIBILIDADE;  REDUÇÃO DA MOTIVAÇÃO.
  22. 22. POR QUE O EDUCADOR VEM SE TORNANDO A MAIOR VÍTIMA DO BURNOUT ?
  23. 23. PENSEMOS EM NOSSO COTIDIANO: - TER em detrimento de SER... -Cobranças/Exigências... -Multicompetências... -Carga horária tripla para compensar baixos salários; -Mutações Tecnológicas... -Relações descartáveis, velozes, superficiais... -Ínfimo reconhecimento profissional... -Alta responsabilidade... 2
  24. 24. É POUCO OU QUER MAIS ?
  25. 25. PROCURO UMA SOLUÇÃO. POR ONDE DEVO COMEÇAR ?
  26. 26. - 1 minuto contra o estresse (mãos quentes !); - Procure fazer o que gosta; - Não negligencie a família, o lazer e a saúde; - Usufrua suas férias; - Estabeleça prioridades para o dia; - Selecione os estímulos que você ouve, fala, pensa e vê, além das companhias: pessimismo é contagiante ! 2
  27. 27. - Cultive um tempo livre, sem fazer nada. As ideias mais criativas e brilhantes podem surgir durante o ócio, quando a cabeça está mais arejada. - Aprenda a delegar funções, dividir responsabilidades e confiar no talento de seus colaboradores; - Seja mais flexível com as suas rotinas, porque os imprevistos acontecem e não precisam constituir motivo de desgaste; - Procure centrar-se no presente – viva o “aqui e agora”! 2
  28. 28. - Na alimentação, evite excessos com substâncias conhecidas como “estressores” do organismo = sal, álcool, açúcar refinado e cafeína; - Invista sempre em autoconhecimento – terapia, florais, acupuntura, homeopatia... Quanto mais você se conhece, melhor lida com os desafios! 2

×