Trabalho	  de	  Museologia	  e	  Curadoria	  Pós-­‐Graduação	  em	  Gestão	  Cultural	  FCHS	  –	  DLCA	  /	  DHAP	  Unive...
II. Caracterização	  da	  exposição	  de	  Artes	  Visuais	  e	  programa	  de	  acção	  cultural	  Seguindo	  uma	  refle...
Os	   públicos-­‐alvo	   para	   alem	   da	   comunidade	   geral,	   apresenta-­‐se	   principalmente	   para	   os	  ar...
A	  criação	  de	  espectáculos	  (o	  caderno	  de	  encargos)	  Os	   espectáculos	   serão	   apresentados	   em	   out...
cultural.	   No	   dia	   da	   inauguração	   da	   exposição	   “HUMANIDADEs”,	   o	   programa	   cultural	  conta	  ai...
Quadro	  resumo:	  Exposição de Artes Visuais (multidisciplinar) - “HUMANIDADEs”(duração 1 mês):_Performance “O Banquete” ...
III. Concepção	  e	  elaboração	  de	  um	  guião	  	  (Ficha	  técnica	  das	  obras:	  fotos+localização+dimensões)	    ...
Planta	  de	  localização	  no	  espaço	  (Antigo	  Quartel	  GNR)	                                                       ...
Título:	  Olhares	  nómadas	              Artista:	  Projecto	  audiovisual	  social:	  “Olhares	  nómadas”	  	           ...
 Nomad	  eyes	  -­‐	  Children	  from	  the	  lost	  generation	  (Filhos	  de	  uma	  geração	  perdida).	  Documentário,...
         	  	  	  	  	  	  	  Planta	  de	  localização	  no	  espaço	  (Antigo	  Quartel	  GNR)	  	                      ...
Sala	  3	  -­‐	  Cadeiras	  (equipamento	  reciclado)	  	              DVD	  vídeo	  	              Projector	  vídeo	  (p...
Título:	  	  “Surrealismo	  científico”	  /	  “Unicidade	  do	  Tempo”	                                                   ...
Planta	  de	  localização	  no	  espaço	  (Casa	  das	  Artes)	                                                           ...
Sobre	  a	  localização	  das	  obras:	                              	  Casa	  das	  Artes	  Sala	  1	  	  	  	           ...
Título:	  Yours	  truly,	  postcards	  from	  the	  suburbs	                 Artista:	  Pedro	  Duarte	  Bento	           ...
 	                                          	  No	  parking	  anytime	  Lambda	  print	  on	  white	  wooden	  frame	  and...
                                               	  Nashville,	  city	  entrance	  Lambda	  print	  on	  white	  wooden	  fr...
 Sunset	  at	  sunrise	  ville	  Lambda	  print	  on	  white	  wooden	  frame,	  100x100cm.	  2008.	  	  Exposição	  alter...
Planta	  de	  localização	  no	  espaço	  (Casa	  das	  Artes)	  	                                                        ...
Título:	  	  O	  Banquete	                  Artista:	  Patrícia	  Portela	                  Espaço:	  Hotel	  Vila	  Galé	...
IV. Cronograma	  da	  concepção/produção	  (Mensal)	                  	                  Calendarização	     Fase	  de	   ...
Acompanhamento	  das	                                                                                                criaç...
V. 	  Afectação	  de	  recursos	  materiais	  e	  humanos	  às	  acções	  a	  desenvolver	  	  Recursos	  humanos	  A	   n...
Transportes	  -­‐	  Urbanos	  Seguros	  -­‐	  Allianz	  	  Recursos	  materiais	  Os	  materiais	  necessários	  ao	  proj...
ORÇAMENTODESPESAS                                                           FORMA DE CÁLCULO                  TOTAL1. Equi...
5.2. Cenografia (materiais e construção)        materiais diverso e objectos utilitários5.3. Outros Materiais             ...
RECEITAS                                                       FORMA DE CÁLCULO                TOTAL10. Receitas próprias1...
RECEITAS                                                                                                                  ...
Apresento	   abaixo	   algumas	   opções	   gráficas	   para	   melhor	   entendimento	   das	   questões	  essenciais	  n...
                                                                                                                          ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mestrado Gestão Cultural

1.170 visualizações

Publicada em

Trab. Museologia e Curadoria

Publicada em: Diversão e humor
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.170
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
98
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mestrado Gestão Cultural

  1. 1. Trabalho  de  Museologia  e  Curadoria  Pós-­‐Graduação  em  Gestão  Cultural  FCHS  –  DLCA  /  DHAP  Universidade  do  Algarve  Docentes:  Dália  Paulo  e  Rui  Parreira         I. Resumo  Descritivo  O   presente   trabalho   da   Pós-­‐Graduação   em   Gestão   Cultural   visa   a   criação   de   uma  exposição   de   Artes   Visuais   no   âmbito   da   disciplina   Museologia   e   Curadoria.   Foi-­‐nos  solicitado  a  elaboração  de  um  trabalho  teórico  mas  com  vista  a  uma  possível  execução  prática.   Considerando   a   possibilidade   de   concretizar   o   programa   cultural   elaborado  pelos  alunos,  reflectindo  sobre  as  eventuais  possibilidades  de  concretização  e  sobre  os  factores   positivos   e   negativos   de   elaborar   uma   programação   mais   complexa,   optei   por  criar   um   projecto   cultural   mais   ambicioso,   que   por   sua   vez   iria   exigir   uma   maior  concepção,   produção   e   responsabilização,   sem   nunca   perder   de   vista   a  sustentabilidade   e   viabilidade   do   projecto.   Tornando   o   projecto   e   a   sua   concepção  intelectual  um  maior  desafio.  Para   o   projecto   em   questão   foi   concebida   uma   exposição   de   Artes   Visuais   e   um  programa  cultural  complementar  à  exposição  propriamente  dita.  No  cerne  do  projecto  está   a   exibição   de   obras   de   artistas   emergentes   e   alguns   já   consagrados,   ao   que   a  programação   cultural   apresenta   inevitavelmente   custos   acrescidos,   sendo   que   numa  possível  concretização  poderá  sofrer  alterações  ao  projecto  inicial.  A   exposição   constituída   por   vários   artistas   -­‐   exposição   colectiva   que   conjuga   várias  linguagens   artísticas   como   pintura,   fotografia   e   vídeo   -­‐   pretende   reflectir   sobre    problemáticas   da   sociedade   actual,   não   meramente   vocacionada   nos   problemas   da  sociedade  portuguesa,  deixando  de  fora  mas  ficando  presente  as  questões  prementes  da  Economia,  foca  essencialmente  o  lado  humano  da  sociedade  contemporânea.    Questões  como  os  “resquícios”  de  uma  humanidade  (no  sentido  mais  sentimental  do  termo)   perdida   ou   cada   vez   mais   esquecida,   numa   fase   em   que   o   consumo   e  economia,   assim   como   o   glamour   e   o   desejo   do   estrelado   assume   uma   dimensão   para  além  do  sentimento  e  da  bondade,  este  é  um  projecto  que  procura  criar  uma  pequena  pausa   nesse   desenvolvimento   desenfreado.   Pretende   apenas   uns   momentos   de  reflexão  e  diálogo  entre  a  arte  e  o  espectador.               1
  2. 2. II. Caracterização  da  exposição  de  Artes  Visuais  e  programa  de  acção  cultural  Seguindo  uma  reflexão  filosófica,  social  e  com  uns  ingredientes  de  sentimentalismo,  o  projecto   procura   chegar   ao   visitante   através   de   abordagens   multidisciplinares.   Desta  forma,  faz  algum  sentido  a  concretização  de  um  programa  cultural  diversificado,  com  vista  a  chegar  a  outros  públicos.  Só  desta  forma  a  mensagem  ganha  novas  dimensões  e  cumpre  com  o  seu  objectivo  principal  que  é  provocar  a  reflexão  e  criar  momentos  de  sensibilização.   Mais   que   uma   exposição   de   Artes   Visuais,   é   um   encontro   de   ideias,    abordagens   e   estéticas   multidisciplinares   (vídeo;   pintura;   fotografia   e   performance)  sobre  a  sociedade  actual.    Trata-­‐se   de   uma   conceptualização   e   de   uma   perspectiva   sobre   o   mundo,   sobre   os  problemas  actuais  das  transformações  socioculturais.  Porque  não  mais  um  novo  olhar  sobre  o  mundo?,  visto  que  a  contemporaneidade  é  uma  reflexão  constante  da  nossa  envolvência   e   existência.   Este   conceito   de   humanidade   extravasa   as   concepções   de  sociedade  ocidental  e/ou  oriental.  Por  isso  as  intervenções  artísticas  são  reflexões  da  sociedade  humana.          A   programação   paralela   constituída   por   performances   pluridisciplinares   permitiria  novas  perspectivas,  novas  questões  e  novas  experiências.    O  estranho  e  distante:  o  Eu,  o  Emigrante,  o  Explorador,  o  Extra-­‐terrestre.  Uma  tentativa  de  olhar  o  mundo  ao  nosso  redor.   Ver   o   mundo   distante   e   o   nosso   interior.   Um   despertar,   a   consciência   das  origens   e   memórias.   O   desvendar   as   máscaras   do   quotidiano,   a   clonagem   (pela  globalização  e  por  ADN)  e  a  imortalidade.   Um  olhar  desde  dentro  sobre  a  humanidade  no  mundo...      O  objectivo  principal  seria  a  reflexão  e  o  despertar  para  o  que  se  passa  ao  nosso  redor.  Tem   como   objectivo   também   a   reflexão   filosófica   da   existência,   mas   também   a   pura  descoberta   de   algo   novo   na   sociedade   humana   através   da   observação   de   novas  perspectivas   e   novos   olhares   sobre   os   problemas   do   ser   humano.   Até   mesmo   o  desconforto  e  o  mal-­‐estar  através  da  confrontação.    Um   possível   título   para   o   projecto   seria   “HUMANIDADEsi”.   Tendo   como   ponto   de  partida  o  título  e  a  sua  analogia  directa  ao  tema  a  tratar,  procura-­‐se  que  haja  uma  pré-­‐disposição,  uma  preparação  psicologia  e  intelectual  por  parte  do  espectador,  de  modo  que   confronte   ideias   e   pensamentos   no   momento   de   visita   à   exposição   e   aos  espectáculos.   Pretende-­‐se   um   espectador   interessado,   desperto   ou   receptivo   à  informação   que   se   pretende   transmitir:   a   mensagem   das   várias   humanidades  existentes  neste  planeta.  Este   projecto   é   constituído   sob   dois   prismas:   a   produção   de   exposições   de   vários  artistas   emergentes   (difusão   das   obras)   e   a   criação   de   abordagens   artísticas   por  artistas  da  região.  Na  vertente  de  difusão  artística  estão  as  linguagens  visuais  como  a  Pintura,  o   Vídeo,   a   Fotografia   e   mesmo   performances   dos   artistas   relacionadas   com   as  obras   ou   tema   em   questão.   Na   vertente   de   criação   a   Dança,   a   Música/   Teatro/   Poesia,  assim  como  o  Stand-­‐Up  Comedy.       2
  3. 3. Os   públicos-­‐alvo   para   alem   da   comunidade   geral,   apresenta-­‐se   principalmente   para   os  artistas   da   região,   para   os   interessados   pela   arte,   pessoas   com   o   mínimo   de  conhecimentos,   assim   como   para   os   públicos   escolares   poderem   ter   contacto   com  realidades  artísticas  diferentes.      O  projecto  contempla  várias  linguagens  artísticas:    _Performance – Patrícia Portela_Vídeo – Adriana Molder_Vídeo - projecto audiovisual social: “Olhares nómadas”_Fotografia – Pedro Duarte Bento_Pintura – Daniela Ribeiro_Criações a desenvolver para o projecto de artistas da região: _Stand-up comedy – Sandro Pires _Dança – corpodehoje _Música / Poesia / Teatro – Victor Correia_Acções educativas – Al’ Masrah e Museu de Tavira    As  obras  visuais  “HUMANIDADEs”  é  uma  exposição  de  artes  visuais  constituída  por  vários  artistas  que  trabalham  temáticas  com  alguma  aproximação  ao  tema  em  questão.  Dado  que  se  trata  de   uma   exposição   colectiva,   que   reflecte   temas   de   várias   sociedades   humanas   em  redor   do   planeta,   parece-­‐me   interessante   que   as   mesmas   estejam   espalhadas   por  diversos   espaços   pela   cidade   de   Tavira.   A   escolha   desses   mesmos   espaços   também  procura   reflectir   essa   mesma   diversidade   cultural   e   tenta   criar   vários   ambientes  intelectuais   e   psicológicos.   A   escolha   de   separar   as   obras   por   linguagens   artísticas  assenta  sobre  essa  mesma  premissa.  Foram  estipulados  alguns  espaços  com  menores  condições  para  exibir  obras  de  vídeo,  estando  a  pintura  e  fotografia  em  espaços  com  condições  museográficas.  Os  vídeos  estarão  presentes  em  espaços  não  convencionais  como   no   antigo   quartel   da   GNR,   a   fotografia   e   pintura   estará   patente   na   Casa   das  Artes.  A  não  definição  de  um  percurso  expositivo  prende-­‐se  com  o  facto  que  pretende-­‐se   deixar   a   liberdade   do   visitante   poder   efectuar   o   seu   percurso   ao   seu   ritmo   e   desejo  de  aprendizagem.  O  espaço  da  GNR  é  extremamente  interessante  pelo  facto  de  haver  uma  ligação  entre  as  salas  pelas  inúmeras  portas  de  acesso  aos  circundantes,  por  meio  de   portas   que   se   ligam   entre   elas.   Isto   permite   a   realização   de   um   percursos  completamente   livre   no   espaço   de   acolhimento.   A   escolha   destes   dois   espaços  também   assenta   sobre   a   perspectiva   de   oposição   obra   artística   vs   ser   humano   vs  espaços  de  criação  humana.  Ou  seja,  a  opção  de  colocar  num  espaço  expositivo  como  a  Casa  das  Artes  obras  que  representam  a  figura  humana  –  mas  transformadas  como  que   de   uma   outra   realidade,   no   caso   das   pinturas/máscaras   de   Daniela   Ribeiro   -­‐   e  obras   que   apresentam   cidades   e   locais   abandonados   ou   esquecidos,   num     espaço  expositivo  que  vive  da  relação  com  os  visitantes;  contraposto  com  um  outro  espaço  de  acolhimento  sem  condições  museográficas,  abandonado  e  esquecido  pela  comunidade  local,   mostra   obras   artísticas   onde   se   apresenta   várias   comunidades,   várias  sociedades,   assim   como,   uma   perspectiva   pessoal,   um   olhar   particular   sobre   essas  pessoas  e  suas  vidas,  sobre  realidades  diferentes...   3
  4. 4. A  criação  de  espectáculos  (o  caderno  de  encargos)  Os   espectáculos   serão   apresentados   em   outros   locais   como:   Dança   no   Espaço   da  Corredora   (em   alternativa   e   dependente   da   criação   artística,   pode   ser   apresentado   no  antigo   quartel   da   GNR);   Stand-­‐Up   no   Lagar   de   Azeite   (junto   à   Casa   das   Artes   ou   em  alternativa   no   Clube   de   Tavira);   Música   /   Teatro   /   Poesia   no   Lagar   de   Azeite;   e  Performance   no   Hotel   Vila   Galé.   A   facilidade   de   estacionamento   e   o   fácil   acesso   de  carro  ou  caminhando,  assim  como  a  proximidade  dos  espaços  de  apresentação,  tanto  como  outros  espaços  culturais  e  patrimoniais  como  a  Igreja  de  Santa  Ana  e  a  Academia  de  Música,  fazem  que  esta  zona  tenha  um  grande  potencial  sócio-­‐cultural.    As  criações  a  desenvolver  para  este  projecto  tem  como  ponto  de  partida  o  convite  a  agentes  culturais  da  região,  de  forma  a  que  pensem  sobre  a  problemática  em  questão,  podendo   basear-­‐se   ou   não   em   problemáticas   ou   experiências   regionais/locais.   Teria  todo   o   interesse   que   a   vertente   local   estivesse   presente,   já   que   estas   criações   têm  como   segundo   objectivo   a   aproximação   dos   artistas   locais   com   os   públicos   locais.  Obviamente,  os  conteúdos  estéticos  não  tem  que  necessariamente  conter  esta  faceta  regional,  não  pretendendo  em  algum  momento  criar  limites  à  criação.  Este  é  o  ponto  de  partida...          Os  conteúdos  programáticos  Trata-­‐se   de   uma   exposição   estratégica   temática,   sobre   uma   problemática   e   reflexão,   e  estética,   inerente   ao   valor   artístico   das   obras,   no   contexto   de   uma   visão   onde   a    tipologia   e   modo   de   exposição   assenta   sobre   uma   perspectiva   um   intenção   sócio-­‐cultural   (exposição-­‐informação;   exposição-­‐comunicação;   exposição   como   meio   de  exploração).  A  programação  associada  e  a  exposição  “HUMANIDADEs”  tem  a  duração  de  um  mês,  ao  que  os  espectáculos  irão  decorrendo  ao  longo  desse  tempo1.    A  curadoria/comissariado  da  exposição  ficará  a  cargo  do  Palácio  da  Galeria  de  Tavira.  Pretende-­‐se  que  com  esta  parceria  que  a  exposição  beneficie  do  apoio  de  uma  série  de  profissionais   com   experiência   inegável,   que   estarão   envolvidos   na   curadoria   e   na  montagem   e   desmontagem   da   exposição.   Esta   é   uma   parceira   estratégica   na  percussão  do  projecto,  dando  a  experiência  profissional  e  cientifica  necessária,  assim  como  o  contributo  institucional  e  sua  respectiva  importância  nas  questões  da  gestão                                                                                                                  1   Antes   de   entrar   na   programação,   fica   em   aberto   a   possibilidade   de   alguns   ajustes   ao   projecto.  Normalmente   esta   questão   não   surge   nos   dossiers   de   projecto   ou   dossiers   de   produção,   contudo   um  plano  B  é  essencial.  O  projecto  idealizado  na  sua  extensão  máxima  apresenta  um  orçamento  provisional  para   a   corresponde   programação,   mas   fica   em   aberto   a   possibilidade   de   redução   da   programação,   e,  por   conseguinte,   o   seu   valor   orçamental.   Para   além   da   redução   da   programação   cultural,   a   constituição  de   parcerias   com   algumas   entidades   na   região,   pode   contribuir   na   redução   do   orçamento   provisional.   A  requisição   de   material   (equipamento   para   a   exposição:   leitores   DVD,   projectores   vídeo)   às   parcerias,  pode   contribuir   para   a   concretização   do   projecto.   Procura-­‐se   com   o   estabelecimento   destas  alternativas,  constituir  uma  série  de  medidas  que  contribuem  para  a  sustentabilidade  e  viabilidade  do  projecto.   Dito   isto,   o   projecto   que   se   apresenta   é   na   sua   plenitude   e   objectivos   artísticos.   O  equipamento   adquirido   para   a   exposição,   será   doado   posteriormente   para   o   Museu   de   Tavira,   como  apoio  ao  projecto  e  no  âmbito  da  parceria  institucional.     4
  5. 5. cultural.   No   dia   da   inauguração   da   exposição   “HUMANIDADEs”,   o   programa   cultural  conta  ainda  com  o  primeiro  espectáculo  “O  Banquete”.  Pretende-­‐se  que  a  inauguração  do   projecto   seja   a   uma   sexta-­‐feira   ao   final   da   tarde,   sendo   concretizado   “O   Banquete”  ao  jantar.  O  segundo  espectáculo  “O  Banquete”  será  realizado  no  jantar  de  Sábado.    Na   sexta-­‐feira   seguinte   será   realizado   o   espectáculo   de   Stand-­‐up   comedy.   Desta   forma  serão  apresentadas  duas  abordagens  de  espectáculos  normalmente  não  associados  a  eventos  culturais.  Considero  que  a  temática  pode  beneficiar  de  uma  performance  de  comédia,  abrindo  o  leque  de  possibilidades  e  de  experiências.  A  comédia  performativa  atrai   novos   públicos,   que   pretende-­‐se   conquistar   para   as   exposições,   já   que  fisicamente   os   espaços   expositivos   são   todos   fisicamente   muito   próximo   uns   dos  outros.   No   terceiro   sábado   será   exibido   o   espectáculo   de   Dança   no   Espaço   da  Corredora.  No  último  sábado  é  apresentada  a  performance  de  Música/Teatro/Poesia  no  Lagar  de  Azeite.  Novamente,  é  intenção  terminar  os  espectáculos  num  espaço  físico  próximo   das   exposições,   tentando   criar   assim   condições   para   que   mais   público   seja  cativado  para  as  mesmas.        Para   além   da   exposição   e   criação   e   apresentação   de   espectáculos,   pretende-­‐se   que  sejam   elaboradas   acções   educativas   de   trabalho   com   a   comunidade.   O   trabalho  artístico   com   a   comunidade   é   essencial     no   desenvolvimento   regional,   pelo   que   se  pretende   que   a   companhia   Al’Masrah,   assim   como   os   Serviços   Educativos   do   Palácio  da   Galeria,   desenvolvam   várias   actividades   com   as   escolas,   com   instituições   de  solidariedade   e   comunidade   em   geral.   Estas   actividades   seriam   posteriormente  definidas   em   concertação   com   a   várias   entidades   envolvidas,   de   modo   a   que   se  construa  uma  programação  educativa  realmente  adaptada  e  ajustada  às  necessidades  da  comunidade.  Estas  acções  educativas  decorrem  ao  longo  do  mês  do  projecto,  sendo  Outubro  um  mês  de  ainda  início  das  escolas  o  que  deixa  margem  para  trabalhar  com  este  público-­‐alvo.      A  constituição  de  parceiras  institucionais  estratégicas  –  como  a  relação  com  o  Museu  de  Tavira  –  implica  respeitar  algumas  regras  politicas  das  entidades,  com  isto,  deveria  surgir  deste  projecto  a  concepção  de  um  catálogo  da  exposição.  Contudo,  neste  caso  específico,   considero   que   seria   mais   adequado   a   concepção   de   um   catálogo   digital   e  não   um   catálogo   impresso.   Um   catálogo   impresso   faz   sentido   já   que   não   se   trata   de  uma   exposição   representativa   da   primeira   década   do   século   XXI,   mas   uma   perspectiva  sobre  os  medos  e  receios,  das  realidades  culturais,  incidindo  sobre  um  momento  e  a  uma   parcela   da   história   económica,   social   e   cultural.   É   apenas   uma   peça   do   puzzle,  mas  igualmente  importante  para  ter  uma  visão  do  contexto  histórico.  Por  esse  motivo,  julgo  haver  interesse  para  a  criação  de  um  catálogo.  Não  só  para  ficar  como  registo  de  memória,   mas   também   como   elemento   de   estudo   para   os   profissionais,   para   os  artistas   e   para   os   interessados.   Contudo,   pelo   facto   deste   projecto   ser   constituído  sobre  dois  prismas:  a  exposição  e  os  espectáculos,  conjugados  para  atingir  a  reflexão  e  o   deslumbramento,   só   juntos   fazem   sentido,   proponho   um   registo   dos   espectáculos  associado  à  ficha  técnica  das  peças  visuais,  para  construir  um  catálogo  digital.             5
  6. 6. Quadro  resumo:  Exposição de Artes Visuais (multidisciplinar) - “HUMANIDADEs”(duração 1 mês):_Performance “O Banquete” – Patrícia Portela – Hotel Vila Galé_Vídeo – Adriana Molder – Antiga GNR_Vídeo (projecto audiovisual social) – Olhares nómadas – Antiga GNR_Pintura – Daniela Ribeiro – Casa das Artes (Antiga GNR)_Fotografia – Pedro Duarte Bento – Casa das Artes_Stand-up comedy – Sandro Pires – Lagar de Azeite (junto à Casa dasArtes)_Dança – corpodehoje – Espaço da Corredora_Música / Poesia / Teatro – Vítor Correia – Lagar de Azeite (junto à Casadas Artes)_Acções educativas – Museu Tavira – Espaços da iniciativa - Al’Masrah – Espaços da iniciativa    Espaços  de  apresentação:  1.  Antigo  Quartel  GNR    2.  Casa  das  Artes  Tavira  3.  Hotel  Vila  Galé  (Restaurante)  4.  Espaço  da  Corredora  5.  Lagar  de  Azeite        Espaços  alternativos:    1.  Sala  Pavilhão  Medieval  –  Palácio  da  Galeria    2.  Casa  André  Pilarte  3.  Clube  de  Tavira  4.  Restaurante  Hotel  Porta  Nova  5.  Restaurante  A  Ver  Tavira             6
  7. 7. III. Concepção  e  elaboração  de  um  guião    (Ficha  técnica  das  obras:  fotos+localização+dimensões)     Título:  “I  see...  my  self”  /  “Copycat”   Artista:  Adriana  Molder   Espaço:  Antigo  Quartel  da  GNR   Localização:  Salão;  Sala  8;  Sala  10   Obras:  3  vídeos      “Eu  Vejo  [I  see]”,  2005,  vídeo,  DVD,  color,  1:50  loop.  Projecto  vídeo  sobre  desenho  de  tinta-­‐da-­‐china  sobre  papel  esquisso.  Edição  de  3  vídeos.  Colecção  da  artista,  cortesia  da  Agência  de  Arte  Vera  Cortes.      “Mr.  Sophistication”,  2004/5,  vídeo,  DVD,  sound,  color,  1:28  loop.  Projecto  vídeo  sobre  desenho  de  tinta-­‐da-­‐china  sobre  papel  esquisso.  Edição  de  3  vídeos.  Colecção  da  artista,  cortesia  da  Agência  de  Arte  Vera  Cortes.      “Noite  Sem  Fim  [Endless  Night]”,  2005,    Excerto  de  vídeo,  DVD,  sound,  color,  12:08  loop.  Edição  de  3  vídeos.  Colecção  da  artista,  cortesia  da  Agência  de  Arte  Vera  Cortes.   7
  8. 8. Planta  de  localização  no  espaço  (Antigo  Quartel  GNR)                             Sobre  a  localização  das  obras:  Salão  –  Projecção  do  vídeo  “Noite  Sem  Fim  [Endless  Night]”  Sala  8  –  Projecção  do  vídeo  “Mr.  Sophistication”  Sala  10  -­‐  Projecção  do  vídeo  “Eu  Vejo  [I  see]”     Sobre  a  os  recursos  materiais:  Salão  –  Sofá  grande  e  cadeiras  (reciclagem  de  material)     DVD  vídeo     Projector  vídeo  (projecção  directamente  na  parede)     Suporte  para  equipamento     Extensão  eléctrica      Sala  8  -­‐  Cadeiras  (reciclagem  de  material)     DVD  vídeo     Projector  vídeo  (projecção  directamente  na  parede)     Suporte  para  equipamento     Extensão  eléctrica      Sala  10  -­‐  Cadeiras  (reciclagem  de  material)     DVD  vídeo     Projector  vídeo  (projecção  directamente  na  parede)     Suporte  para  equipamento     Extensão  eléctrica     8
  9. 9. Título:  Olhares  nómadas   Artista:  Projecto  audiovisual  social:  “Olhares  nómadas”     Espaço:  Antigo  Quartel  da  GNR   Localização:     Obras:  6  vídeos        No  hia  ma  (Encontrarte/To  meet  you)    Documentário,  Mini-­‐Dv  (2ccd-­‐bluefree),  27  Min,  Lao.  Sinopse:  http://olharesnomadas.blog.com/2009/09/20/no-­‐hia-­‐ma/          Sarkha  kho  sim  po  (Fendas  de  silêncio)    Documentário,  Mini  Dv.,  2009,  52 min, Tibete.  Sinopse:  http://olharesnomadas.blog.com/2009/09/12/sarkha-­‐kho-­‐sim-­‐po/      Nomad  roots    Documentário,  52  min,  Tailândia,  2009,  52′  Sinpse:  http://olharesnomadas.blog.com/2009/09/10/nomad-­‐roots-­‐trailer/         9
  10. 10.  Nomad  eyes  -­‐  Children  from  the  lost  generation  (Filhos  de  uma  geração  perdida).  Documentário,  7’52  min,  Cambodja.  Sinopse:  http://olharesnomadas.blog.com/2009/05/22/children-­‐from-­‐the-­‐lost-­‐generation/          The  last  of  the  never  die  birds  (O  último  dos  pássaros  que  nunca  morrem)  Documentário,  5´22  min,  Coreia  do  sul.    Edição:  Max  Rosenheim  &  Alex  Sinopse:  http://olharesnomadas.blog.com/2009/05/14/the-­‐last-­‐of-­‐the-­‐never-­‐die-­‐birds/          Ichamati  Documentário,  9´39  min,  West  Bengal.  Sinopse:  http://olharesnomadas.blog.com/2009/05/12/ichamati/       10
  11. 11.                Planta  de  localização  no  espaço  (Antigo  Quartel  GNR)               Sobre  a   localização  das  obras:    Sala  2  –  Projecção  do  vídeo  “Nomad  eyes  -­‐  Children  from  the  lost  generation”  Sala  3  –  Projecção  do  vídeo  “No  hia  ma  (Encontrarte/To  meet  you)  “  Sala  4  -­‐  Projecção  do  vídeo  “Sarkha  kho  sim  po  (Fendas  de  silêncio)  “                            Sala  5  –  Projecção  do  vídeo  “The  last  of  the  never  die  birds”    Sala  6  –  Projecção  do  vídeo  “Ichamati”  Sala  9  -­‐  Projecção  do  vídeo  “Nomad  roots“     Sobre  os  recursos  materiais:  Sala  2  –  Cadeiras  (equipamento  reciclado)     DVD  vídeo     Projector  vídeo  (projecção  directamente  na  parede)     Suporte  para  equipamento     Extensão  eléctrica         11
  12. 12. Sala  3  -­‐  Cadeiras  (equipamento  reciclado)     DVD  vídeo     Projector  vídeo  (projecção  directamente  na  parede)     Suporte  para  equipamento     Extensão  eléctrica      Sala  4  -­‐  Cadeiras  (equipamento  reciclado)     DVD  vídeo     Projector  vídeo  (projecção  directamente  na  parede)     Suporte  para  equipamento     Extensão  eléctrica      Sala  4  -­‐  Cadeiras  (equipamento  reciclado)     DVD  vídeo     Projector  vídeo  (projecção  directamente  na  parede)     Suporte  para  equipamento     Extensão  eléctrica      Sala  5  -­‐  Cadeiras  (equipamento  reciclado)     DVD  vídeo     Projector  vídeo  (projecção  directamente  na  parede)     Suporte  para  equipamento     Extensão  eléctrica       Legenda  da  obra    Sala  6  -­‐  Cadeiras  (equipamento  reciclado)     DVD  vídeo     Projector  vídeo  (projecção  directamente  na  parede)     Suporte  para  equipamento     Extensão  eléctrica     Legenda  da  obra    Sala  9  -­‐  Cadeiras  (equipamento  reciclado)     DVD  vídeo     Projector  vídeo  (projecção  directamente  na  parede)     Suporte  para  equipamento     Extensão  eléctrica                           12
  13. 13. Título:    “Surrealismo  científico”  /  “Unicidade  do  Tempo”   Artista:  Daniela  Ribeiro   Espaço:  Casa  das  Artes  de  Tavira   Localização:     Obras:  9  pinturas                              1.                                                                                            2.                                                                                                  3.                            4.                                                                                      5.                                                                                                                              6.                    7.                                                                                                                        8.                                                                                                                                                                                                                                                                        9.      Nota:  Não  foi  possível  apurar  títulos  das  obras  nem  as  respectivas  dimensões.       13
  14. 14. Planta  de  localização  no  espaço  (Casa  das  Artes)    Planta  de  localização  no  espaço  (Antigo  Quartel  GNR)   14
  15. 15. Sobre  a  localização  das  obras:    Casa  das  Artes  Sala  1         -­‐  Pintura  1     -­‐  Pintura  2     -­‐  Pintura  3     -­‐  Pintura  4     -­‐  Pintura  5     -­‐  Pintura  6     -­‐  Pintura  8      Antigo  Quartel  GNR  Sala  1     -­‐  Pintura  7     -­‐  Pintura  9         Sobre  os  recursos  materiais:    Dado  que  a  Casa  das  Artes  possui  uma  programação  de  artes  visuais  regular,  não  será  à  partida  necessário  qualquer  recurso  material.                       15
  16. 16. Título:  Yours  truly,  postcards  from  the  suburbs   Artista:  Pedro  Duarte  Bento   Espaço:  Casa  das  Artes  de  Tavira   Localização:     Obras:  10  fotografias      Barbie  Jeep  Lambda  print  on  white  wooden  frame  and  glass,  100x100cm  2008.      Old  woman  and  american  flag  Lambda  print  on  white  wooden  frame  and  glass,  100x100cm.  2009.      Chief’s  car  Lambda  print  on  white  wooden  frame  and  glass,  100x100cm.  2009.   16
  17. 17.      No  parking  anytime  Lambda  print  on  white  wooden  frame  and  glass,  100x100cm.  2009.      Odalis  and  the  next  door  Lambda  print  on  white  wooden  frame  and  glass,  70x70cm.  2008.        Blue  t-­‐shirt  on  green  wall  Lambda  print  on  white  wooden  frame  and  glass,  100x100cm.  2008.     17
  18. 18.    Nashville,  city  entrance  Lambda  print  on  white  wooden  frame  and  glass,  100x100cm.  2008.      Gás  station  Lambda  print  on  white  wooden  frame  and  glass,  70x70cm.  2008.          Empty  parking  lot  Lambda  print  on  white  wooden  frame  and  glass,  70x70cm.  2009.   18
  19. 19.  Sunset  at  sunrise  ville  Lambda  print  on  white  wooden  frame,  100x100cm.  2008.    Exposição  alternativa  à  proposta  anterior:    “Dawn at the china hotel”New york city, 2008.             19
  20. 20. Planta  de  localização  no  espaço  (Casa  das  Artes)           Sobre  a  localização  das  obras:  Casa  das  Artes  -­‐  Sala  2         -­‐  “Old  woman  and  american  flag”     -­‐  “Barbie  Jeep”       -­‐  “Chief’s  car”     -­‐  “No  parking  anytime”     -­‐  “Odalis  and  the  next  door”     -­‐  “Blue  t-­‐shirt  on  green  wall”     -­‐  “Nashville,  city  entrance”     -­‐  “Gás  station”     -­‐  “Empty  parking  lot”     -­‐  “Sunset  at  sunrise  ville”     Sobre  os  recursos  materiais:  Dado  que  a  Casa  das  Artes  possui  uma  programação  de  artes  visuais  regular,  não  será  à  partida  necessário  qualquer  recurso  material.         20
  21. 21. Título:    O  Banquete   Artista:  Patrícia  Portela   Espaço:  Hotel  Vila  Galé   Localização:  Restaurante   Obras:  Performance                                Banquete   é   um   projecto   transdisciplinar   onde   performers,   videastas,   um   designer   de  som,   cientistas   entrevistados   e   uma   chefe   de   cozinha   constroem,   em   conjunto,   uma  performance-­‐ambiente.   Este   evento   é   simultaneamente   um   jantar,   um   espectáculo  muito   subtil,   um   ambiente   inesperado,   um   concerto   estranho,   e   sobretudo,   e   um  debate   aceso   mas   silencioso   e   penetrante   sobre   clonagem,   imortalidade   e   memória.  Um   pianuter   (um   piano   modificado   geneticamente,   concebido   e   interpretado   por  Christoph   de   Boeck   dará   início   ao   ambiente   do   banquete,   oferecendo   uma  multiplicidade  de  atmosferas  através  de  mudanças  subtis  e  minimais,  fazendo  viajar  o  som  de  mesa  em  mesa,  e  de  regresso  ao  seu  piano.    trailer  Banquete:  http://vooruit.be/en/video/394         21
  22. 22. IV. Cronograma  da  concepção/produção  (Mensal)     Calendarização   Fase  de   Intervenientes   Datas   Espaços   Tarefas  a  desempenhar  /   Número  /  duração  das   projecto   e/ou   culturais   organização  acções  a   apresentações  /  eventos   duração   desenvolver  Pré-­‐produção   Equipa  produção   Outubro   Contacto  com  artistas  e   Exposição  e  programa     2010   definição  de  datas   cultural       Outubro   Contacto  com  espaços  e       2010   agendamento  de  datas       Novembro   Candidatura  apoio  da       2010   autarquia       Janeiro   Candidatura  a  apoio       2011   pontual/  Anual       Março   Procurar  parcerias  e       2011   patrocínios       Recolha  de  informações   dos  artistas,  definição   Abril  2011       lista  de  obras  e  fichas   técnicas       Requisição  das  obras  aos   Maio  2011     responsáveis  e     coleccionadores       Junho   Contacto  com  empresas       2011   gráficas  e  orçamentos     Equipa  artística,   Junho   Acompanhamento  das   Performances:  Dança,     Equipa  produção   2011   ideias  de  criação   Stand-­‐Up  e  Teatro/Poesia     Equipa  produção   Lista  definitiva  obras  e   Julho  2011     contratação  de  seguros  e     transportadora       Recolha  das  necessidades   dos  espaços.  Adjudicação   Julho  2011       da  identidade  gráfica.   Equipa  de  voluntariado.       Avaliação  da  pré-­‐ Agosto   produção  e  resolução       2011   problemas.  Recolha  dos   materiais  de  promoção   Produção   Equipa  produção   Aquisição  dos  materiais   e  artística   Setembro   para  os  espaços  e  início       2011   de  preparação  dos   mesmos.  Início  da   divulgação.   22
  23. 23. Acompanhamento  das   criações     Equipa  técnica  e   Setembro   Museu   Recepção  das  obras  e     produção   2011   Tavira   armazenamento.     Equipa   Setembro   Apoio  logístico  e   produção,       2011   resolução  problemas   técnica,  artística     Equipa   GNR,  Casa   produção,   Artes,   técnica,  artística   Outubro   Espaço   Inauguração  da  exposição   Exposição,  espectáculos  e   2011   Corredora,   e  programação  associada   acções  educativas   Hotel,  Lagar   Azeite       Equipa   GNR,  Casa   produção,   Artes,   técnica,  artística   Outubro   Espaço   Programação  cultural  e   Exposição,  espectáculos  e   2011   Corredora,   acções  educativas   acções  educativas   Hotel,  Lagar   Azeite       Equipa  produção   Outubro   Exposição,  espectáculos  e     Avaliação  Produção   2011   acções  educativas  Pós-­‐Produção   Equipa   GNR,  Casa   produção,   Artes,   Desmontagem  exposição   técnica,  artística   Novembro   Espaço   e  recolha  materiais  dos   Exposição  e  espectáculos   2011   Corredora,   espaços  associados   Hotel,  Lagar   Azeite       Equipa   Novembro   GNR,  Casa   Acondicionamento  e   produção,   Exposição  e  espectáculos   2011   Artes   transporte  das  obras   técnica     Equipa  produção   Dezembro   Avaliação  e  Balanço  final       2011   das  actividades               23
  24. 24. V.  Afectação  de  recursos  materiais  e  humanos  às  acções  a  desenvolver    Recursos  humanos  A   necessidade   de   recursos   humanos   afectos   ao   projecto   em   questão   levanta   alguns  problemas   sobre   o   acolhimento   e   vigilância   do   projecto   cultural.   O   mais   simples   é  sempre   sobrecarregar   a   autarquia   e   deixar   que   a   mesma   se   encarregue   desse   esforço.  Estou   convicto   que   é   possível   superar   esta   questão   através   do   voluntariado.   A   ideia  seria   elaborar   um   protocolo   com   a   Universidade   do   Algarve   e   propor   aos   cursos   de  Artes   Visuais,   Património   Cultural   e   outros   na   vertente   artística,   que   alguns   jovens  participem   no   projecto,   ficando   no   final   com   um   certificado   de   participação  profissional,   o   que   sendo   anexado   aos   respectivos   CV’s   ajuda   na   valorização  profissional   dos   jovens   (nas   áreas   de   acolhimento,   vigilância   e   assistentes   de  produção).            Deixo   ainda   em   aberto   a   possibilidade   de   serem   os   estudantes   de   Design   de  Comunicação   da   Universidade   do   Algarve   a   serem   os   autores   de   todos   os   materiais   de  comunicação   do   projecto,   assim   como   o   catálogo   digital.   Assim   como   o   curso   de  Estudos   Artísticos   ou   Artes   Visuais   no   registo   digital,   criação   e   concepção   dos  conteúdos   multimédia   para   integrar   o   catálogo   digital.   É   uma   oportunidade   de  valorização   e   experiência   profissional   dos   jovens,   para   além   da   respectiva   redução  orçamental   e   reforço   da   ligação   da   universidade   com   o   mundo   civil   e   a   realidade  profissional.      Relativamente   aos   profissionais   afectos   ao   projecto   que   iriam   promover   a  concretização   do   programa,   seria   constituído   pelos   técnicos   do   Museu   de   Tavira   na  montagem   e   desmontagem,   nos   serviços   educativos   e   na   coordenação   geral   da  exposição.   Sobre   o   comissariado   científico,   considero   que   a   Universidade   do   Algarve   e  o  CIAC,  possuem   pessoas   altamente   profissionais   como   a   Prof.   Miriam   Tavares   e   Xana,  que  poderiam  contribuir  na  concepção  cientifica  do  catálogo,  assim  como  texto  o  texto  geral   para   a   exposição   (este   texto   pretende   ter   uma   linguagem   simples   e   acessível,    não   sendo   um   texto   científico   nem   de   carácter   histórico,   procura   levantar   mais  questões   do   que   respostas,   contendo   um   limite   de   1500/2000   caracteres,   sendo  posteriormente  afixados  nas  paredes  de  entrada  dos  espaços  de  apresentação).      Ficha  técnica  Coordenação  geral  –  Jorge  Queiroz  Comissariado  científico  –  Universidade  do  Algarve  –  CIAC  Comissariado  executivo/Coordenação  e  Produção  –  Pedro  Nascimento  Serviço  Educativo  –  Luísa  Ricardo                      Patrícia  Gonçalves  Técnicos  de  Museografia  –  Carlos  Pires                      José  Fernandes                            José  Gregório                            José  Neves   24
  25. 25. Transportes  -­‐  Urbanos  Seguros  -­‐  Allianz    Recursos  materiais  Os  materiais  necessários  ao  projecto  estão  discriminados  nas  fichas  técnicas.  Contudo,  existem  sempre  alguns  imprevistos  que  são  necessários  para  a  boa  concretização  das  actividades.      Recursos  financeiros  Este  projecto  iria  tentar  ter  o  seu  financiamento  concretizado  por  meio  de  recurso  a  candidaturas   ao   Ministério   da   Cultura   (DGArtes/   DRCAlg),   a   solicitação   de   apoio   à  Câmara   Municipal   de   Tavira,   ao   Crédito   Agrícola   do   Sotavento   Algarvio   e   a   outras  empresas  que  seja  possível  convencer  para  colaborar  neste  projecto.  Ao  Ministério  da  Cultura  é  solicitado  apoio  à  criação  e  difusão  artística.  Neste  campo  está  incluída  a  exposição  e  a  criação  artística  associada  ao  projecto:  a  criação  de  dança,  stand-­‐up,  teatro  e  as  acções  educativas.  À  Câmara  Municipal  de  Tavira  é  solicitado  o  apoio  na  comunicação  e  no  apoio  logístico  de  armazenamento,  montagem  e  desmontagem  da  exposição,  e  respectivos   per  diems  (despesas  alojamento  e  refeições  dos  artistas).    No   que   respeita   ao   mecenato   e   patrocínio,   o   apoio   solicitado   vai   ao   encontro   da  aquisição   do   material   necessário   para   a   exposição   como:   projectores   vídeo,   leitores  DVD,  cabos  de  alimentação,  suportes,  etc.  Ao  Hotel  Vila  Galé  é  solicitado  o  apoio  no  alojamento   dos   artistas   e   disponibilização   do   restaurante   para   a   performance).   Todo   o  material  envolvido  na  performance  no  restaurante  está  incluída  no  orçamento.  Como   parceiros  destaco  o  Palácio  da  Galeria,  a  Universidade  do  Algarve,  a  Fundação  Irene  Rolo  e  Santa  Casa  da  Misericórdia.    Uma   parte   das   receitas   dos   espectáculos   de   dança,   performance   teatral   e   stand-­‐up  revertem  a  favor  dos  honorários  para  os  voluntários.  Apesar  da  ideia  de  voluntariado  não   implicar   renumerações,   considero   que   estas   pessoas   devem   ter   direito   a   uma  renumeração   mínima,   como   incentivo   ao   respectivo   esforço.   Esta   questão   fica  naturalmente  em  aberto,  sendo  apenas  considerada  no  final  das  acções  culturais.    As   receitas   dos   jantares   e   da   performance   revertem   para   o   orçamento   da   produção,  que  será  aplicado  na  resolução  de  problemas  ou  nas  actividades  associadas.      O  orçamento  aqui  apresentado  tenta  ser  o  mais  completo  possível,  contudo,  existem  alguns   custos   que   são   meramente   previsões,   havendo   ainda   outros   que   são  dificilmente   apurados   nesta   fase   de   projecto.   Trata-­‐se   de   um   orçamento   austero,   na  procura  da  sustentabilidade  e  viabilidade  financeira  e  artística.             25
  26. 26. ORÇAMENTODESPESAS FORMA DE CÁLCULO TOTAL1. Equipa de direcção1.1. Responsável pela direcção artística € x semanas1.2. Responsável pelo comissariado ejecutivo e produção 300€ x 12 meses 3.600 €1.3. Outro [especificar] Desvios de produção 8% 1,740 € Subtotal 5,340 €2. Equipa artística2.1. Coreografa 33€ x 12 semanas 400 €2.2. Encenador 33€ x 12 semanas 400 €2.3. Intérpretes Profissionais € x semanas2.4. Designer de Iluminação € x semanas2.5 Performance (Hotel Vila Galé) 2500€ x 2 apresentações 5,000 €2.6 Acções Educativas 300€ x 5 semanas 1,500 €2.7 Espectáculo Stand-up 33€ x 12 semanas (2 apresentações) 400 €2.8 Espectáculo Dança 300€ x 2 apresentações 600 €2.9 Espectáculo Teatro 100€ x 1 apresentação 100 € Subtotal 8,400 €3. Equipa técnica3.1. Técnico de Iluminação (montagem e operação) Equipa do Museu/CM Tavira3.2. Técnico de Som (montagem e operação) Equipa do Museu/CM Tavira Subtotal 0,00 €4. Equipamento e espaços de acolhimento4.1. Espaços de apresentação4.2. Estúdio para Ensaios € x semanas4.3. Equipamentos 400€ x 9 3,600 € Subtotal 3,600 €5. Produção e montagem5.1. Figurinos (materiais e confecção) materiais e confecção de figurinos num cálculo de 1€/figurino 26
  27. 27. 5.2. Cenografia (materiais e construção) materiais diverso e objectos utilitários5.3. Outros Materiais Fita, ferramentas, entre outros 50 € Subtotal 50,00 €6. Edição / Registo6.1. Registo de Vídeo Voluntariado6.2. Edição Vídeo Voluntariado Subtotal 0,00 €7. Logística 37,5€ x 4 pessoas (artistas)7.1. Deslocações e transportes 150 € 37,5€ x 8 pessoas (artistas performance) 300 €7.2. Alojamento € x 6 dias x 12 intérpretes profissionais (apoio Hotel) 30€ x 2 dias x 4 pessoas (artistas)7.3. Alimentação 250 € 30€ x 5 dias x 8 pessoas (intérpretes profissionais) 1200 € Subtotal 1,900 €8. Plano de comunicação8.1. Redacção e tradução de textos Equipa produção8.2. Design de comunicação Concepção gráfica 750 €8.3. Impressão / Produção de materiais Materiais comunicação 750 €8.4. Inserções de publicidade Subtotal 1,500 €9. Despesas administrativas e de gestão9.1. Encargos com instalações Tinteiros, resmas de papel, esferográficas9.2. Consumíveis e marcadores9.3. Comunicações Correio, internet e telecomunicações9.4. Seguros 20€ x obras 760 €9.5. Licenças e Direitos de Autor A cargo da autarquia9.6. Transportes Transporte das obras 1,500 € Subtotal 2,260 € TOTAL GERAL DAS DESPESAS 23,000 € 27
  28. 28. RECEITAS FORMA DE CÁLCULO TOTAL10. Receitas próprias10.1. Bilheteira 2,500 €10.2. Venda de espectáculos Subtotal 2,500 €11. Apoios e financiamentos11.1. Apoios11.1.1. Câmara Municipal de Tavira 6,000 €11.1.2. Ministério da Cultura 9,500 €11.2. Mecenato e patrocínios11.2.1. Crédito Agrícola Sotavento Algarvio 5,000 €11.2.1. [especificar]11.3. Outros11.3.1. OUTROS APOIOS (em negociação) Subtotal 23,000 €PATAMAR FINANCEIRO [30.000 €, 20.000 €, 10.000 € ou 5.000 €] 25,000 € TOTAL GERAL DAS RECEITAS 23,000 €QUADRO RESUMODESPESAS TOTAL1. Equipa de direcção 5,340 €2. Equipa artística 8,400 €3. Equipa técnica 0,00 €4. Espaços e equipamentos 3,600 €5. Produção e montagem 50,00 €6. Edição / Registo 0,00 €7. Logística 1,900 €8. Plano de comunicação 1,500 €9. Despesas administrativas e de gestão 2,260 € TOTAL GERAL DAS DESPESAS 23,000 € 28
  29. 29. RECEITAS TOTAL1. Receitas próprias 2,500 €2. Apoios e financiamentos 20,500€ TOTAL GERAL DAS RECEITAS 23,000 € PATAMAR FINANCEIRO MÁXIMO 25,000 € IV.  Promoção/divulgação  (Materiais/acções  de  divulgação)  A   estratégia   de   comunicação   da   iniciativa   passa   na   primeira   fase   pela   criação   da  identidade  visual  do  evento  e,  na  segunda  fase  pela  comunicação  aos  públicos.    A   identidade   visual   do   programa   cultural   contará   com   outdoors,   cartazes   (A3,   A4,  Mupis),  um  cartaz  para  a  imprensa  (preto  e  branco),  os  flyers,  os  convites  (impresso  e  digital),  vários  banners  (tela  exterior  vertical  para  afixar  nos  locais  e  versão  digital  para  colocação  em  sites).  A  identidade  visual  ficaria  a  cargo  de  uma  empresa  de  design   -­‐  ou  em   alternativa   a   concurso   lançado   aos   alunos   da   UAlg,   sendo   posteriormente  analisadas   as   propostas   e   escolhido   a   identidade   gráfica   mais   adequada,   entregando  posteriormente   à   gráfica   para   impressão   -­‐   que   seria   adjudicada   consoante   o  orçamentos  proposto  e  disponibilidade.  A   comunicação,   promoção   ou   divulgação   passaria   pela   criação   de   parceiros   na  comunicação,   pelo   envio   de   informação   à   imprensa,   em   newsletters,   eventualmente  alguma  publicidade  paga,  e,  divulgação  nos  sites  e  redes  sociais.        Considero  importante  a  constituição  de  uma  parceria  na  comunicação,  elaborando  um  acordo   com   um   jornal   e   uma   rádio   regional   ou   local,   onde   em   contrapartida   de  inclusão  do  logótipo  e  referência  da  entidade  em  todos  os  elementos  de  comunicação,  e,  em  troca,  solicita-­‐se  uma  cobertura  de  todos  os  espectáculos  e  exposição,  antes  e  durante   o   programa   cultural.   Desta   forma,   não   só   a   cobertura   jornalística   pode  contribuir   para   a   divulgação   do   projecto,   como   dá   notoriedade   aos   parceiros   no  projecto.      A   divulgação   passa   também   pela   criação   de   conteúdos   digitais   para   um   site/blogue  (sem   custos   para   o   projecto)   para   o   projecto,   assim   como   a   promoção   de   notas   de  imprensa,  newsletters  e  redes  sociais.                         29
  30. 30. Apresento   abaixo   algumas   opções   gráficas   para   melhor   entendimento   das   questões  essenciais  no  momento  da  criação  do  caderno  de  encargos  a  fornecer  às  empresas  de  design  de  comunicação.                        Opção gráfica A Opção gráfica B    Seguidamente   apresenta-­‐se   um   mapa   com   um   estudo   prévio   onde   colocar   os  elementos   de   comunicação   na   cidade   de   Tavira.   Não   será   indicado   o   plano   de  localização  dos  mupis,  mas  a  estratégia  seria  colocar  os  mesmos  em  locais  estratégicos  (perto  das  escolas,  junto  à  CMT,  Jardim  Municipal  e  vários  locais  de  acesso  à  cidade).   30
  31. 31.                                                                                                                       31

×