Anatomia e fisiologia da bexiga

22.324 visualizações

Publicada em

Elaborado por Gomes cumbe. www.gomescumbe.blogspot.com

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
22.324
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
228
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Anatomia e fisiologia da bexiga

  1. 1. Faculdade de MedicinaCADEIRA DE UROLOGIA DISCENTE: GOMES CUMBE 4º ano/2011
  2. 2. BEXIGA  Órgão do sistema urinário.  Musculomebranoso,  Que armazena a urina. No adulto → 350 à 450ml Está localizada na cavidade pélvica, atrás da sínfise púbica.
  3. 3. AnatomiaA bexiga vazia Tem a forma de um tetraedro (vértice inclinado para a frente). Ela apresenta um :  O fundo  O vértice  A superfície superior (fossa paravesical)  A superfície inferior
  4. 4. Anatomia Bexiga distendida 0,5 litros = oval (12) Nesta condição ele apresenta :  A superfície póstero-superior dirigido para cima e para trás  A superfície antero-inferior dirigido para baixo e para frente  O fundo apenas ligeiramente rebaixada.  A cúpula.
  5. 5. AnatomiaRelações Anatómicas
  6. 6. Anatomia Parte interna Revestida pela membrana mucosa → dobras Na distensão as dobras são apagados. Sobre uma pequena área triangular, chamado de Trígono-a mucosa esta sempre lisa (está firmemente ligado à camada muscular). Colo visical = Esficter interno e externo
  7. 7. Histologia A bexiga é composta por quatro túnicas: serosa, muscular, submucosa e mucosa.
  8. 8.  Serosa - A camada externa, parcialmente derivada do peritónio Muscular O músculo detrusor 3 camadas de fibras lisas (involuntário) do músculo.  Camada externa = longitudinal.  Camada média = circular,  Camada interna = longitudinal. Sub-mucosa - fina camada de tecido areolar que vagamente se conecta a camada muscular com a camada de muco. Mucoso  Tecido epitelial de transição que pode esticar.  Apresenta dobras (rugas).
  9. 9. Ligamentos  Pubovesicais .  Puboprostáticos (sendo um medial e outro lateral)  Retovesicais  Umbilical mediano (é um cordão fibroso, o vestígio do úraco que se estende do vértice da bexiga até o umbigo) Umbilicais mediais (vestígios das Aa. umbilicais, não são importantes na fixação da bexiga)
  10. 10. Irrigação: Duas ou três aa. vesicais superiores originam-se da parte permeável da a. umbilical e irrigam a parte superior da bexiga. No homem a base está irrigada pela a. do ducto deferente,e na mulher provavelmente pelas aa. vesical inferior e vaginal. A parte inferior, inclusive o colo, está irrigada pela a. vesical inferior, e na mulher também pela a. vaginal.
  11. 11. Drenagem venosa: Veias unem-se ao plexo prostático(vesical) de veias, que drena para a v.ilíaca interna.
  12. 12. Drenagem linfática: Vasos linfáticos das superfícies superior e inferolateral: linfonodos ilíacos externos Vasos da base: linfonodos ilíacos externo e interno Vasos do colo: linfonodos sacrais e ilíacos comuns.
  13. 13. Inervação:
  14. 14. Fisiologia da Micção O micção éconsciente neurológico A controle um evento complexo, não conhecido totalmente, mediado por da micção é dado pelo vias reflexas que do giro paracentral, estão sob controle voluntário, onde ocórtex lobo frontal, no comportamento é aprendido no desenvolvimento da criança. cerebral. O centro da micção Funções da bexiga e uretra. esta localizado na ponte
  15. 15. Fisiologia da Micção
  16. 16. Fisiologia da MicçãoDesenvolvimento neurofuncional  No recém-nascido a micção é reflexa, com seu centro na medula (S2-S4). A mielinização e maturação do sistema nervoso resultam na consciência da plenitude vesical, e depois na habilidade para inibir a micção e finalmente na habilidade para facilitá-la, tornando a micção um ato voluntário.  Com o crescimento da criança o controle voluntário da bexiga é atingido, primeiro por contracção activa do esfíncter e posteriormente por inibição da contracção reflexa do detrusor.  A criança adquire o controle funcional da bexiga e da uretra até os 5 anos.
  17. 17. Fisiologia da MicçãoFase de enchimento vesical
  18. 18. Fisiologia da MicçãoFase de Micção
  19. 19. Fisiologia da MicçãoFase de Micção
  20. 20. Bibliografia Smith, Urologia Geral, 11ª ed, Cap.1 Gray, Anatomia para Estudantes, 1ª ed, Madrid Apostilla, Disfunção Vesical, S/ed, 2008, São Paulo, Guyton, Fisiologia Humana, 11ª Ed. INTERNET: http://pt.wikipedia.org/wiki/Bexiga http://education.yahoo.com/reference/gray/subject s/subject/256

×