UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO – UPEFACULDADE DE CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DE GARANHUNS NÚCLEO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO À ...
FASCIITE NECROSANTE OU <br />FASCIITE NECRÓTICA CONHECIDA COMO: “BACTÉRIA COMEDORA DE CARNE                     <br />
A BACTÉRIA COMEDORA DE CARNE é uma infecção rara das camadas mais fundas da pele e tecidos subcutâneos, espalhando-se faci...
Nesses indivíduos o microrganismo atinge a corrente sangüínea, provocando o choque séptico, levando rapidamente à morte (c...
2. AGENTE ETIOLÓGICO- Vibrio vulnificus. É um patógeno oportunista, gram-negativo, halofílico, fermentador de lactose, enc...
3. OCORRÊNCIA - casos esporádicos podem ocorrer nos meses quentes do ano. Não há dados sobre a freqüência do patógeno no B...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

1 atividade de microbiologia

1.042 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.042
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1 atividade de microbiologia

  1. 1. UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO – UPEFACULDADE DE CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DE GARANHUNS NÚCLEO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO À DISTÂNCIALICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS   FASCIITE NECRÓTICA<br />MARLENE BARBOSA DA SILVA <br />SUÊNIA ALVES DOS SANTOS<br />WILKA MARCELINO DA SILVA <br />  GARANHUNS - PE2010 <br />
  2. 2. FASCIITE NECROSANTE OU <br />FASCIITE NECRÓTICA CONHECIDA COMO: “BACTÉRIA COMEDORA DE CARNE <br />
  3. 3. A BACTÉRIA COMEDORA DE CARNE é uma infecção rara das camadas mais fundas da pele e tecidos subcutâneos, espalhando-se facilmente pelo plano fascial dentro do tecido subcutâneo. Muitos tipos de bactérias podem causar fasciite necrosante (ex. Estreptococos do Grupo A de Lancefield, <br />Vibrio vulnificus, Clostridium perfringens, Bacteroides fragilis) do qual o estreptococo do grupo A (também conhecido como Streptococcus pyogenes) é a causa mais comum.<br />
  4. 4. Nesses indivíduos o microrganismo atinge a corrente sangüínea, provocando o choque séptico, levando rapidamente à morte (cer Trombocitopenia é comum e muitas vezes há evidências de coagulação intravascular disseminada. Lesões na pele ou lacerações provocadas por corais, peixes, etc., podem ser contaminadas com o organismo através da água do mar. Mais de 70% das pessoas infectadas podem apresentar lesões de pele tipo bulbar. Pessoas saudáveis ao ingerirem V. vulnificus podem ter gastroenterite. <br />1. DESCRIÇÃO DA DOENÇA- este organismo causa infecções em feridas, gastroenterites ou a síndrome conhecida como "septicemia primária". Infecções mais graves geralmente ocorrem em pessoas com comprometimento hepático, alcoolismo crônico ou hemocromatose e em imunodeprimidos. <br />
  5. 5. 2. AGENTE ETIOLÓGICO- Vibrio vulnificus. É um patógeno oportunista, gram-negativo, halofílico, fermentador de lactose, encontrado em ambientes marinhos associado a várias espécies marinhas como planctons, frutos do mar (ostras, mexilhões, caranguejos) e peixes com barbatanas. Sua sobrevivência está ligada a fatores como temperatura, PH, salinidade, e aumento de resíduos orgânicos neste meio. <br />A dose infectiva que causa gastroenterite em indivíduos saudáveis é desconhecida. Presume-se que menos de 100 organismos possam provocar septicemia em pessoas com doenças nas condições anteriormente descritas. <br />
  6. 6. 3. OCORRÊNCIA - casos esporádicos podem ocorrer nos meses quentes do ano. Não há dados sobre a freqüência do patógeno no Brasil.<br />4. PERÍODO DE INCUBAÇÃO- início da gastroenterite entre 12 horas e 3 dias após a ingestão de alimentos crus ou mal cozidos.<br />5. MODO DE TRANSMISSÃO- ingestão de produtos do mar crus ou mal cozidos ou contaminação de feridas com o microrganismo.<br />

×