Micose

4.776 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.776
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Micose

  1. 1. Micose<br />
  2. 2. INTRODUÇÃO<br /><ul><li>As micoses são infecções incômodas e resistentes, causadas por fungos, presentes em diversas partes do corpo humano.
  3. 3. Em condições favoráveis de umidade e calor ou quando a imunidade está comprometida, os fungos se reproduzem levando ao aparecimento das micoses.</li></li></ul><li>CAUSAS<br /><ul><li> As micoses propiciam infecção por bactérias. Essa situação é comum nas frieiras e micoses de mão, quando apresentam fissuras e vesículas localizadas entre os dedos.
  4. 4. A infecção superposta pode aparecer no couro cabeludo, na região inguinal, na barba e na mucosa vaginal. Também pode ocorrer na pitiríaseversicolor (micose de praia). </li></li></ul><li>Além da alteração típica na pele, os sintomas que podem acompanhar o quadro das micoses são: <br /><ul><li> Coceira;
  5. 5. Ardência;
  6. 6. Sensação de esquentamento no local. </li></ul>SINTOMAS<br />
  7. 7. DIAGNÓSTICO<br /><ul><li> O aspecto clínico das lesões é bastante sugestivo para o diagnóstico.
  8. 8. Em alguns casos é necessária a confirmação do agente causal, estando indicado o exame micológico direto e a cultura. </li></li></ul><li>TRATAMENTO<br /><ul><li> Procurar um médico com regularidade e, principalmente, aos primeiros sinais da doença é fundamental para que ele possa indicar o melhor tratamento para cada caso.
  9. 9. Somente o médico deverá orientar o paciente em relação aos procedimentos adequados e ao uso de remédios.
  10. 10. Na maioria dos casos, o tratamento local é suficiente. Nas lesões mais extensas e recorrentes, muitas vezes é necessário um tratamento com antifúngicos por via oral, sempre com controle clínico e laboratorial.</li></li></ul><li>PREVENÇÃO<br /><ul><li> Em se tratando de infecções com certo grau de contágio, deve-se evitar o contato com as lesões. A predisposição pessoal para a manifestação do quadro sugere que se evitem fatores desencadeantes, como umidade local e calor excessivo. Doenças imunodebilitantes (diabetes) devem ser controladas.
  11. 11. Alguns cuidados adicionais devem ser adotados com relação ao contato com animais de estimação, ao uso de lava-pés de piscinas e saunas e a andar descalço em pisos úmidos ou públicos.</li></li></ul><li>Procure sempre o seu médico.<br />Fontes: <br />Sociedade Brasileira de Dermatologia. <Disponível em>:<br />www.sbd.org.br/doenca/micose.aspx<br /> <br />Dra. Anna Gabriela Fuks (615039-RJ)<br />Editora médica<br /> <br />Roberto Maggessi (31.250-RJ)<br />Jornalista responsável<br />

×