Ambiente engenharia forense

1.067 visualizações

Publicada em

Trabalho de Engenharia forense no âmbito do ambiente apresentado em congresso.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.067
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ambiente engenharia forense

  1. 1. VI SEMINÁRIO NACIONAL DE PERÍCIAS EM CRIMES CONTRA O MEIO AMBIENTE III SEMINÁRIO NACIONAL DE ENGENHARIA FORENSEO presente trabalho sobre sistematização de procedimentos para coleta de dados emlocais de crimes visa alertar os peritos criminais a usarem os princípios da metodologiacientífica no desenvolvimento dos seus trabalhos, que são verdadeiramentecientíficos. Para que isso se comprove é necessário que todos tenham em mente e ematitude, esses procedimentos sistematizados de maneira a contemplar o que apesquisa científica requer.SISTEMATIZAÇÃO E COLETA DE DADOS EM LOCAIS DE CRIMESO QUE É SISTEMATIZAÇÃOÉ ORGANIZAÇÃO DE IDEIASÉ ORGANIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOSÉ UNIFORMIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOSPORQUE SISTEMATIZARPARA QUE TODOS FAÇAM A MESMA LEITURAPARA NÃO ESQUECER DETALHESPARA GANHAR TEMPOPARA GANHAR QUALIDADECOMO SISTEMATIZARCOM USO DE PLANILHASCOM USO DE PLANEJAMENTOSCOM USO DE DESENHOSCOM USO DE FOTOGRAFIACOM USO DE CORREÇÃO DOS DADOSO QUE VOCÊ GANHA COM A SISTEMATIZAÇÃOGANHA EM TEMPO DE TRABALHOGANHA EM QUALIDADE DE TRABALHOGANHA EM QUALIDADE DOS DADOSEVITA ESQUECIMENTOSEVITA IMPROVISAÇÕESO QUE A PERÍCIA GANHA COM A SISTEMATIZAÇÃOUNIFORMIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS
  2. 2. VALORIZAÇÃO DA INSTITUIÇÃOVALORIZAÇÃO DO TRABALHOPesquisa científica Segundo Ander-Egg, citado por... pesquisa é tão somente: “um procedimento reflexivo, sistemático, controlado e criativo, que permite descobrir novos fatos ou novos dados, relações ou leis, em qualquer campo do conhecimento.”Por se tratar de procedimento formal e sistemático, a pesquisa científica deveseguir um caminho anteriormente planejado, sistematizado, de acordo comnormas rígidas de controle dos fatores pertinentes.LAKATOS, Eva Maria & MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia Cientifica. 2a. ed. SãoPaulo: Editora Atlas. 1991. 242 p.Como estamos tratando mais detalhadamente de levantamento ou investigaçãode fenômenos criminalísticos, podemos dizer que ela, a pesquisa criminalística,é também uma pesquisa científica.Planejando os procedimentos de uma períciaPara a execução de um trabalho científico, assim como de um levantamentopericial, como ficou claro, o planejamento, com definição de etapassistematicamente organizadas, deve ser feita de tal forma que uma etapa leveà outra. Uma dá passagem para a outra, muitas vezes, uma indica a outra,sem, no entanto, prejudicar o que está por ser feito, nem algo importantedeixado de ser examinado em função dessa organização. Durante odesenvolvimento da investigação alguma coisa pode deixar de ser consideradaou feita sem uma sistematização consciente, baseada em princípiosconscientes e elaborados. Essa sistematização segue algumas etapas deacordo com a metodologia para a execução de qualquer pesquisa científica. Épreciso, portanto, fazer aqui e ali alguma adaptação, pois a criminalísticapossui características muito fortes, e precisa ser vista de certa forma com óticaprópria.De qualquer forma para a análise de um local ou de um objeto envolvido oupossivelmente envolvido com um fato criminoso, sugerimos as etapas a seguir:a – análise visual prévia do local ou do objeto;b – recolhimento dos primeiros dados;c – análise e levantamento progressivo;d – coleta de materiais para exames complementares;e – distribuição de materiais para os laboratórios de exames complementaresse for o caso;f - elaboração dos dados coletados;g – análise e interpretação desses dados;h – representação dos dados;i – conclusão dos trabalhos;
  3. 3. j – montagem de relatório – Laudo Pericial.DocumentaçãoPodemos definir como documentação, a coleção de dados e conhecimentosrelacionados ou necessários para uma pesquisa científica. No nosso caso parauma perícia. Isso inclui os conhecimentos anteriores, os conhecimentosacadêmicos e os adquiridos no momento da realização da perícia.Essa aquisição de conhecimentos pode ocorrer de forma:Documentação indiretaA possibilidade de uma pesquisa feita por meio de documentação indiretapassa integralmente pelo que já foi elaborado, pesquisado e documentado, porpesquisadores universais, de todas as áreas do conhecimento humano. Estãoagora registrados em instituições públicas ou particulares, e podem ser usadospelos pesquisadores dos fenômenos criminais.Documentação diretaA documentação direta, ao contrário do que foi colocado, é o levantamento denovas informações e o registro de novos conhecimentos. Dados esseslevantados de forma direta. Nascem de um encontro direto entre o perito e olocal onde ocorreu o sinistro, ou o objeto usado como arma.ObservaçãoObservação em ciência, não tão simples como observar um veículos passar enão questionar. A observação para a ciência vem com o questionamento, comas indagações e acima de tudo, com a vontade de obter respostas.A observação para satisfazer â ciência precisa ser metódica, sistemática eorganizada. Precisa ter um propósito. 9Com relação às técnicas da observação, diz Claire Selltiz (1965:233):A observação torna-se científica a medida que:•Formula um plano sistemático para os procedimentos da pesquisa;•Registra os dados de maneira metódica e relacionada com as proposiçõesmais gerais, sem atentar tanto para curiosidades sem interesse;•Está sujeita à verificações e controles sobre a validade e segurança.Pode-se dizer ainda mais, é científica à medida que os resultados podem sercomprovados por outros peritos.Coleta e registro de dadosA coleta e o registro dos dados em criminalística são de tanta importânciaquanto em qualquer outra ciência.CELLTZ et alii. Métodos de pesquisa em relações sociais. 2. Ed. São Paulo. Herder/EDUSP, 1967.Capítulo 2.
  4. 4. Sem essas duas atividades da pesquisa (coleta e registro de dados), perde-seem qualidade e em credibilidade, em confiança e segurança, até mesmo nacomodidade do perito criminal e do médico legista no momento elaborar aprova material do crime e o laudo pericial.EntrevistaA entrevista é um instrumento muito utilizado na investigação criminal. Deveser planejada com cuidado para buscar os objetivos desejados. Conhecimentosantecipados acerca do assunto ou da pessoa a ser entrevistada devem seradquiridos. Listar as questões a ser levantadas é outro item de valor a serconsiderado antecipadamente. Nunca deve o perito fazer questionamentos deforma sugestiva.FormuláriosA aplicação de formulários na coleta de dados pelo perito criminal e pelomédico legista é uma das formas mais usadas, por se constituir instrumento dereal importância. Deve, portanto, o formulário, de igual forma, nunca serimprovisado.Elaboração de desenhosUm meio para a coleta e registro de dados não comentado pelos autores demetodologia científica é a elaboração de desenhos do local ou do objetopesquisado.O desenho é uma das formas mais eficientes para a coleta e registro de dados,pois apresenta particularidades que muitas para uma descrição completadaquilo que esta sendo observado fica muito complexa. Então o pesquisadorusa do artifício do desenho. Para isso existem as formas de expressargraficamente um local, objeto ou idéia.Levantamento fotográficoAssim como o desenho tem sua aplicação no registro de dados em pesquisacientífica e em criminalística, a fotografia complementa o que o desenho temdificuldade em fazer. Desenhar muitos detalhes visíveis e completos, muitasvezes se torna inviável quando não impossível para quem não desenvolveuhabilidade para tal. Então a fotografia cumpre com eficiência essa tarefa.

×