Jornalismo e Mídias Sociais

1.488 visualizações

Publicada em

Material para evento Comunicação e Mídias Sociais na Faculdade Satc - Criciúma.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.488
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
555
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornalismo e Mídias Sociais

  1. 1. Um novo filão para os jornalistas
  2. 2. • Apresentar ideias e ferramentas que estimulem a criação de produtos jornalísticos e a produção de conteúdos diferenciados na internet.• Tags: foco, criatividade, gestão de conteúdo, mídia social, jornalismo cidadão, curadoria
  3. 3. • O jornalismo hiperlocal não chega a ser novidade.• É o modelo de jornalismo que está realmente próximo, inserido geográfica e editorialmente na vida do leitor.• O que é novidade e vem chamando atenção no mundo inteiro é que o conceito de jornalismo hiperlocal ganhou força e se tornou um filão com a internet, especialmente com a popularização das mídias sociais.
  4. 4. • Duas questões favorecem o jornalismo hiperlocal:o Editorialo Comercial
  5. 5. • Com a internet, o acesso à informação é maior. Por tabela, o volume de conteúdo também.• Surge a necessidade de o leitor encontrar aquilo que realmente interessa com maior facilidade.• E a navegação do leitor é cada vez mais focada (favoritos, RSS, Twitter...).• Logo, são grandes as chances de sucesso do site ou blog que destacar o trânsito, a segurança ou o time de uma cidade, bairro ou rua.
  6. 6. • Oferecer um produto com foco muito bem definido, com potencial de criar um relacionamento estreito com o leitor, é um grande atrativo para o anunciante.• A oferta de espaços comerciais cresce, mas também cresce o investimento em mídia cada vez mais selecionado, segmentado.• Para o jornalista que investe por conta própria, a boa notícia é que serviços de anúncios como o Google Adsense também “curtem” o hiperlocal.
  7. 7. • Com as novas mídias, todo jornalista tem a possibilidade de “empreender”, ser dono do próprio negócio, do próprio veículo.• Isso favorece também o fortalecimento do mercado – abre novas frentes de trabalho – e também do jornalismo independente.• Meios para isso não faltam – com um custo mínimo de produção, como veremos a seguir.
  8. 8. • Focar no hiperlocal é uma das possibilidades do jornalista empreender com a criação de:o Um blog.o Um blog coletivo.o Um microblog.o Uma #hashtag.
  9. 9. • Não acabou:o Um vídeo-blog.o Um programa ao vivo em vídeo.o Um podcast.o Uma newsletter.
  10. 10. • Tem mais:o Um álbum de fotos.o Um slideshow.o Um informativo em PDF ou JPEG.o E até uma revista online.
  11. 11. Para criar produtos e paradiferenciar o conteúdo
  12. 12. • Ter uma conta no Twitter ou no Facebook não é um diferencial.• Diferencial é o modo como o jornalista utiliza as mídias sociais para gerar conteúdo e entregar um material jornalístico mais encorpado para o leitor• Gerar conteúdo é diferente de navegar pelo Twitter e Facebook para encontrar pautas e publicar como notícia pura e simples em sites e blogs.
  13. 13. • Gerar conteúdo é:Criar uma lista no Twitter;Criar um mapa colaborativo no Google Maps;Criar uma lista de vídeos no YouTube;Criar um álbum coletivono Flickr...
  14. 14. • Navegar pelas mídias sociais no atual cenário, com mais usuários, e produzir um texto a partir de um tweet ou um post no Facebook não agrega valor.• Exemplo atual: monitoramento do @RafinhaBastos. Textos nos sites e blogs nada mais dizem além que ele já disse no Twitter e que muitos já leram porque o seguem ou porque algum amigo deu RT ou compartilhou no Facebook.
  15. 15. • E o que faz o Editor de Mídias Socias?• Certamente não é apenas o jornalista que publica chamadas nas mídias sociais, monitora menções e palavras-chave ou responde questionamentos de leitores.• Editor de Mídias Sociais cria conteúdo a partir de mídias sociais utilizando ferramentas como as citadas a seguir.
  16. 16. o Proposta editorialo Individual ou coletivoo Organizaçãoo Rotinas
  17. 17. o Listaso #Tagso Módulos
  18. 18. o Eventoso FanPageso Fotos
  19. 19. o Álbuns coletivoso Slideshow
  20. 20. o Lista de reproduçãoo Upload pró-Google
  21. 21. o Localização geográficao Curadoria
  22. 22. o Narrativaso Mídia socialo Conteúdo colaborativoo “A” ferramenta
  23. 23. Na prática
  24. 24. o Criar lista no Twitter com perfis de utilidade pública e gerar módulo para ser colocado em um post no blog;o Criar lista de reprodução no YouTube com vídeos públicos que mostram estragos causados pela chuva em Criciúma, copiar código para incorporar no post;o Criar álbum coletivo no Flickr com fotos da torcida do Criciúma no estádio;
  25. 25. o Criar mapa informativo no Google Maps a partir de notícias sobre segurança em Criciúma e região;o Criar narrativa no Storify com cinco blocos de conteúdo sobre polêmica do petit pavé no centro de Criciúma.
  26. 26. o Núcleo de Webjornalismo do Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina: uma proposta da gestão 2011- 2014.o Promover encontros e outros eventos para reunir profissionais para discutir temas específicos da atividade.o Acompanhe pelo www.sjsc.org.br.o Lá estão também todas as informações sobre como ficar sócio do SJSC.
  27. 27. • Entre em contato:o alexandre@agenteinforma.com.bro @agenteinformao facebook.com/alexandregoncalves• Visite também:o Coluna Extra: www.colunaextra.com.bro Rock SC: www.rocksc.com.br

×