<ul><li>Na natureza  é  poss í vel encontrar formas de animais que possuem um padrão distinto, favorecendo tra ç ar um pla...
 
Platelmintos
FILO PLATELMINTOS
CARACTERÍSTICAS EMBRIONÁRIAS - TRIBLÁSTICOS; - ACELOMADOS - PROTOSTÔMIOS - SIMETRIA BILATERAL FISIOLOGIA GERAL   - SISTEMA...
Turbellaria : Anatomia . A planária comum de água  doce  Dugesia
 
CICLO DE VIDA  Taenia solium   INTESTINO  ESCÓLEX VENTOSA GANCHOS PROGLÓTIDES MONÓICAS OVOS  EMBRIONADOS OVOS  EMBRIONADOS...
CICLO DE VIDA  Taenia saginata INTESTINO  OVOS  EMBRIONADOS OVOS  EMBRIONADOS OVOS EMBRIONADOS INGERIDOS PELA VACA CISTICE...
FÊMEA MACHO LARVA  MIRACÍDIO CARAMUJO Biomphalaria LARVA  CERCÁRIA CICLO DE VIDA  Schistosoma mansoni FEZES COM OVOS
 
Medidas de defesa  Tênia Assim como a maioria das infecções de origem alimentar, as tênias podem ser evitadas através do b...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Platelmintosaula1

1.112 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.112
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Platelmintosaula1

  1. 1. <ul><li>Na natureza é poss í vel encontrar formas de animais que possuem um padrão distinto, favorecendo tra ç ar um plano corporal, atrav é s de um sistema de eixos imagin á rios, sendo este plano denominado de simetria. Algumas esp é cies não possuem este padrão, sendo ditas assim é tricas. A maior parte das esp é cies que compõem o reino animal possui uma simetria bilateral, sendo chamado em conjunto de bilat é ria. </li></ul><ul><li>.Aspecto mais caracter í stico dos animais é a capacidade de movimenta ç ão ou motilidade, sendo uma conseq ü ência direta do padrão sim é trico, podendo relacionar da seguinte forma: simetria bilateral corresponde a maior motilidadeuma maior percep ç ão ambiental e coordena ç ão nervosa e muscular. </li></ul><ul><li>A aquisi ç ão da simetria bilateral conferiu aos animais um n í vel de organiza ç ão do sistema digestivo em um trato praticamente retil í neo, com uma abertura anterior e outra posterior, de forma que o caminho do alimento se faz num ú nico sentido, gerando um sistema digest ó rio completo na maioria das vezes. </li></ul><ul><li>Os organismos bilateriais possuem duas grandes linhas evolutivas distintas, todos com um arranjo de sinaliza ç ão intracelular e genes Homeobox hom ó logos, forma larval prim á ria, divergindo apenas no desenvolvimento embrion á rio, onde é poss í vel observar os protostômios e os deuterostômios. </li></ul><ul><li>O primeiro grupo, o blast ó poro origina a boca e, possuem como conjunto comum, geralmente, as seguintes caracter í sticas: larva livre do tipo troc ó fora; cefaliza ç ão, com sistema nervoso ventral e cordões nervosos; o sistema nervoso anterior circunda o trato digest ó rio. </li></ul><ul><li>Uma outra caracter í stica relevante, diz respeito a forma ç ão de compartimentos. Os primeiros bilat é rias são ditos acelomados, representados pelos platelmintos, a partir da í , surge com menor ou maior grau de especializa ç ões, unidades especializadas e preenchidas com l í quido, geralmente, onde repousa os ó rgãos. </li></ul><ul><li>No segundo grupo, o blast ó poro ir á originar o ânus. A exce ç ão quanto a bilateralidade, são os equinodermatas, que são animais de simetria radial. Durante muito tempo isto foi um problema para ser explicado, por é m ao se observar os est á gios larvais das diversas classes que compõem este filo se verificaram que a condi ç ão prim á ria era bilateral. </li></ul><ul><li>Postado por Zoologia&Revista          </li></ul>
  2. 3. Platelmintos
  3. 4. FILO PLATELMINTOS
  4. 5. CARACTERÍSTICAS EMBRIONÁRIAS - TRIBLÁSTICOS; - ACELOMADOS - PROTOSTÔMIOS - SIMETRIA BILATERAL FISIOLOGIA GERAL - SISTEMA DIGESTÓRIO INCOMPLETO - SISTEMA CIRCULATÓRIO AUSENTE - SISTEMA NEVOSO – GANGLIONAR E VENTRAL ESTRUTURA GERAL DOS PLATELMINTOS - SISTEMA RESPIRATÓRIO – DIFUSÃO PELA EPIDERME cérebro olhos faringe boca intestino - SISTEMA EXCRETOR – CÉLULAS FLAMA OU SOLENÓCITOS
  5. 6. Turbellaria : Anatomia . A planária comum de água doce Dugesia
  6. 8. CICLO DE VIDA Taenia solium INTESTINO ESCÓLEX VENTOSA GANCHOS PROGLÓTIDES MONÓICAS OVOS EMBRIONADOS OVOS EMBRIONADOS OVOS EMBRIONADOS INGERIDOS PELO PORCO CISTICERCOS CISTICERCOS INGERIDOS
  7. 9. CICLO DE VIDA Taenia saginata INTESTINO OVOS EMBRIONADOS OVOS EMBRIONADOS OVOS EMBRIONADOS INGERIDOS PELA VACA CISTICERCOS CISTICERCOS INGERIDOS
  8. 10. FÊMEA MACHO LARVA MIRACÍDIO CARAMUJO Biomphalaria LARVA CERCÁRIA CICLO DE VIDA Schistosoma mansoni FEZES COM OVOS
  9. 12. Medidas de defesa Tênia Assim como a maioria das infecções de origem alimentar, as tênias podem ser evitadas através do bom senso comum, como não comer carne crua ou mal cozida e praticar bons hábitos de higiene na cozinha. Esquistossomo Evite nadar em lagos, canais e rios em regiões onde a esquistossomose ocorre. Nadar no oceano e piscinas com cloro é geralmente considerado seguro. * Certifique-se que a água que bebe é segura. Caso tenha dúvidas, ferva a água.

×