SlideShare uma empresa Scribd logo
ZOOLOGIA -
Invertebrados
FILO PORÍFEROS
• Características gerais: animais filtradores, sem tecidos verdadeiros ,
ou seja, sem qualquer órgão ou sistema;
• Hábitat: ambientes aquáticos, sendo a maioria das espécies marinhas.
• Estrutura corporal:
-Poros : pequenas aberturas por onde entra a água trazendo
nutrientes.
-Atrio ou Espongiocele ( cavidade interna por onde circula a água )
-Ósculo : abertura superior por onde a água sai.
• Esqueleto : formado por espículas ( estruturas pontiagudas que
podem ser calcárias ou silicosas) ou por uma rede proteica de
Espongina.
• Tipos principais de células:
- Coanócitos : dotadas de um colarinho e um flagelo, realizam a
digestão intracelular.
- Amebócitos : presentes no meso-hilo (camada intermediária ),
locomovendo-se por pseudópodos, transportam os produtos da
Anatomia e Fisiologia:
-Sist. Digestivo: ausente (o alimento é fagocitado pelos
coanócitos); a digestão é intracelular.
-Sist. Cardiovascular: ausente (ocorre por difusão das
substâncias).
- Sist. Respiratório: ausente (trocas gasosas diretamente entre
as cels. e o ambiente, ou seja, por difusão).
- Sist. Excretor: ausente (excreções lançadas diretamente no
ambiente pelas cels, sendo por difusão).
-Sist. Nervoso: ausente
-Reprodução: assexuada, por fragmentação, brotamento
( podendo formar colônias), ou sexuada, com desenvolvimento
indireto (larva anfiblástula).
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
Gemulação é uma
reprodução assexuada
tipica de poríferos
dulcícolas
Brotamento ( rep. assexuada )
Rep. Sexuada
TIPOS DE PORÍFEROS
FILO CNIDÁRIOS
• Características gerais: animal com forma de pólipo (sésseis) ou de
medusa (livre natantes), diblásticos e com celulas. urticantes
(cnidoblastos ou cnidócitos); simetria radial; SÃO OS PRIMEIROS
ANIMAIS A APRESETAREM UMA CAVIDADE DIGESTIVA ( Cavidade
gastrovascular).
• Hábitat: ambientes aquáticos, sendo a maioria das espécies marinhas.
• Classes :
- Hydrozoa : predomina a forma pólipo. Ex.: Hidra, Caravela-Portuguesa
-Scyphozoa : formas pólipo e medusa ( predominante). Ex.: Água-viva
-Anthozoa : predomina forma pólipo. Ex.: Corais, Anêmonas.
-Cubozoa : predomina a forma medusa. Ex.: Vespas-do-mar.
• Exemplos: Physalia pelagica (caravela-portuguesa), Aurelia aurita
(grande medusa marinha), Hydra viridis (pequeno pólipo de água doce),
recifes coralíneos.
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
Anatomia e Fisiologia:
- Sist. Digestório: incompleto (não existe ânus); digestão extra e
intracelular.
- Sist. Cardiovascular: ausente (alimento distribuído
diretamente na cavidade gastrovascular).
- Sist. Respiratório: ausente (trocas gasosas diretamente entre
as cels. e o ambiente).
- Sist. Excretor: ausente (excreções lançadas diretamente no
ambiente pelas cels).
- Sist. Nervoso: presente (do tipo difuso por todo o corpo).
Reprodução: em alguns pólipos há reprodução assexuada por
brotamento; algumas espécies têm ciclos de vida com alternância de
gerações sexuada (medusas) e assexuada (pólipos), processo também
denominado Metagênese, com formação da larva Plânula , sendo
desenvolvimento indireto. Porém, existem espécies, como a Hidra, que
apresenta desenvolvimento direto.
Reprodução Sexuada por Metagênese
Rep. Assexuada por
Brotamento
Caravela
Água-viva
Anêmona
Hidra
Vespa-do-mar
FILO PLATELMINTOS
• Características gerais: vermes de corpo achatado,
triblásticos, acelomados e com simetria bilateral; são
protostômios.
• Hábitat: de vida livre, terrestres ou aquáticos, de
água doce ou salgada; e parasitas.
• Classes:
- Turbellaria : Dugesia tigrina (planária);
- Trematoda : Schistosoma mansoni (causador da
esquistossomose);
- Cestoda :Taenia solium (causador da teníase e da
cisticercose) e Taenia saginata (causador da teníase).
Anatomia e Fisiologia:
•Sist. Digestório: incompleto (não existe ânus); digestão extra e intracelular,
e intestino muito ramificado. Exceção: Cestódeos ( Tênias) não possuem
sistema digestório ( alimento são absorvidos pela superfície corpórea)
•Sist. Cardiovascular: ausente (alimento distribuído pelo intestino
ramificado a todas as células do corpo, compensando a ausência do sist.
cardiovascular).
•Sist. Respiratório: ausente (trocas gasosas diretamente entre as celulas. e o
ambiente por difusão); espécies aeróbias e anaeróbias.
•Sist. Excretor: presente (protonefridios com células.-flama ou solenócitos);
poros excretores presentes.
•Sist. Nervoso: presente (do tipo ganglionar com um par de gânglios
cerebrais de onde partem cordões nervosos); são os primeiros animais com
uma cefalização e centralização do sistema nervoso.
•Sist. Sensorial: presente , com órgãos especializados na captação de
estímulos luminosos ( OCELOS), mecânicos e químicos.
Sistema nervoso ganglionar centralizado
Intestino ramificado compensando a
ausência do sistema cardiovascular
EXCREÇÃO NOS PLATELMINTOS
Reprodução:
•Em algumas planárias pode haver reprodução assexuada por
fragmentação; as planárias são monóicas, sem auto fecundação e
com desenvolvimento direto;
• As tênias (classe Cestoda) também são monóicas mas se
reproduzem sexuadamente por auto fecundação e com
desenvolvimento indireto, ou seja, com fase larval (cisticerco);
• O esquitossomo (classe Trematoda) é dióico, com dimorfismo sexual
( macho diferente da fêmea ) e também apresenta estágio larval
( miracídio e cercária ).
PRINCIPAIS PARASITOSES CAUSADAS POR PLATELMINTOS
Teníase:
• Agente etiológico – Taenia solium e T. saginata (classe
Cestoda).
• H.D. : seres humanos (parede intestinal); / H.I. : suínos
(Taenia solium) e bovinos (Taenia saginata).
• Forma de contaminação – ingestão de larvas
cisticercos presentes na carne mal cozida.
• Formas evolutivas – embrião hexacanto ou oncosfera
(perfura a parede intestinal do H.I. e chega até a
musculatura, transformando-se na larva cisticerco).
• Profilaxia – não ingerir carnes mal-cozidas, hábitos
higiênicos e saneamento básico.
Taenia solium
Taenia saginata
A estrutura corporal de uma Tênia
é dividida em:
-Escólex ( cabeça );
-Colo ( pescoço );
-Estróbilo ( dividido em anéis ou
proglotides ou prglotes );
Tipos de proglotides:
-Jovens ( próximos ao escólex );
-Maduras ( contém as gônadas
masculinas e femininas );
-Grávidas ( contém os ovos );
1-Ao se alimentar de carnes cruas ou mal passadas, o homem pode ingerir cisticercos (lasvas de tênia).
2-No intestino, a larva se liberta, fixa o escólex, cresce e origina a tênia adulta.
Proglotes maduras, contendo testículos e ovários, reproduzem-se entre si e originam proglotes grávidas, cheias de ovos.
Proglotes grávidas despremdem-se unidas em grupos de 2 a 6 e são liberados durante ou após as evacuações.
3-No solo, rompem-se e liberam ovos. Cada ovo é esférico, mede cerca de 30 mm de diâmetro, possui 6 pequenos ganchos e é
conhecido como oncosfera. Espalha-se pelo meio e podem ser ingeridos pelo hospedeiro intermediário.
4-No intestino do animal, os ovos penetram no revestimento intestinal e cae no sangue. Atingem principalmente a musculatura
sublingual, diafragma, sistema nervoso e coração.
5-Cada ovo se transforma em uma larva, uma tênia em miniatura, chamada cisticerco, cujo tamanho lembra o de um pequeno
grão de canjica. Essa larva contém escólex e um curto pescoço, tudo envolto por uma vesícula protetora.
6-Por autoinfestação, ovos passam para a corrente sangüínea e desenvolvem-se em cisticercos (larvas) em tecidos humanos,
causando uma doenças - a cisticercose que pode ser fatal.
Cisticercose:
•Agente etiológico – larva cisticerco da Taenia solium.
•Forma de contaminação – ingestão de ovos presentes em
alimentos como verduras e frutos.
•Profilaxia – hábitos higiênicos como lavar as mãos antes das
refeições.
•Obs.: Ao ingerir os ovos da Tênia, o homem passa a ser o H.I.
desse verme; é uma doença rara porém muito mais perigosa que
a teníase pois os cisticercos passam pela corrente sangüínea e
se alojam em órgãos nobres como cérebro e coração.
Esquistossomose:
•Agente etiológico – Schistosoma mansoni (classe Trematoda).
•H.D. seres humanos (vasos sanguíneo do fígado e intestino –
Sistema Porta-Hepático).
•H.I. caramujo do gênero Biomphalaria .
•Forma de contaminação – penetração ativa das larvas
cercárias através da pele.
•Formas larvais – miracídios (penetram ativamente nos
caramujos) e cercárias (penetram ativamente nos humanos).
•Profilaxia – saneamento básico, não nadar em águas
infestadas por caramujos, hábitos higiênicos como não defecar
ao ar livre, ferver a água a ser bebida, entre outros.
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
OVOS DE ESQUISTOSSOMO
CERCÁRIA
BARRIGA D` ÁGUA OU ASCITE
FILO NEMATODA
• Características gerais: animal de corpo fino e tubular,
triblásticos, pseudocelomados e bilaterais; são
protostômios.
• Hábitat: animais de vida livre, terrestres ou aquáticos,
de água doce ou salgada e espécies parasitas de
animais e plantas.
• Exemplos:
Ascaris lumbricoides (lombriga), Ancylostoma
duodenale e Necator americanus, Enterobius
vermicularis ( Oxiuro) , Wuchereria bancrofti (Filária).
SISTEMA EM “H”
Anatomia e Fisiologia:
-Sist. Digestório: completo; digestão extra e intracelular.
- Sist. Cardiovascular: ausente (alimento distribuído pelo
fluido da cavidade do pseudoceloma).
- Sist. Respiratório: ausente (troca gasosa ocorre por
difusão entre células e o ambiente).
- Sist. Excretor: presente (par de células alongadas que
atuam como canais excretores que se unem na região anterior,
formando o aspecto da letra H – Sistema em H).
- Sist. Nervoso: presente (um anel nervoso em torno da
faringe com cordões nervosos longitudinais – Anel
periesofágico ou perifaringeano).
Reprodução:
• Sexuada; Espécies monóicas e dióicas; Desenvolvimento indireto
.
PRINCIPAIS PARASITOSES CAUSADAS POR
NEMATÓDEOS
Ascaridíase:
• Agente etiológico – Ascaris lumbricoides (Lombriga).
• Verme monoxeno (um só hospedeiro para terminar o
ciclo).
• Forma de contaminação – ingestão de ovos presentes
em alimentos e água.
• Formas larvais – larvas rabditóides.
• Profilaxia – saneamento básico, medidas higiênicas
como lavar as mãos antes das refeições, lavar bem os
alimentos e ingerir somente água potável ou filtrada.
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
Ciclo evolutivo do Ascaris lumbricoides
Ancilostomose:
•Agentes etiológicos:
Ancylostoma duodenale e Necator
americanus
•Verme monoxeno.
•Forma de contaminação:
penetração ativa das larvas através
da pele.
•Profilaxia: saneamento básico, não
defecar ao ar livre e utilização de
calçados.
•Obs.: também conhecida como
amarelão, devido á anemia causada
por lesões na mucosa intestinal.
Também é chamada Doença do
Jeca-Tatu ( personagem criado por
Monteiro Lobato)
Ancylostoma duodenale
Larva migrans:
•Agente etiológico :
Ancylostoma braziliensis e Ancylostoma caninum (parasitas
intestinais de cães e gatos).
•Forma de contaminação – penetração ativa das larvas através
da pele.
•Profilaxia – tratamento de cães e gatos parasitados, evitar
presença desses animais em áreas frequentadas por seres
humanos e uso de calçados.
•Obs.: esses parasitas só conseguem completar seus ciclos
quando atingem seus hospedeiros próprios; nos seres
humanos, as larvas não passam para a fase adulta e ficam
migrando pela pele; também conhecida como dermatite ou
bicho-geográfico.
Rastros semelhantes ao desenho de um mapa,
estes localizados predominantemente nos pés,
nádegas, costas e mãos – regiões do corpo que
mais entram em contato com o solo.
Enterobiose:
•Agente etiológico – Enterobius vermicularis.
•Verme monoxeno.
•Forma de contaminação – ingestão de ovos contaminando a
água e alimentos, além de auto-contaminação.
•Profilaxia – medidas higiênicas como lavar as mãos antes das
refeições, lavar bem os alimentos, ingerir somente água potável
ou filtrada, não coçar o ânus e trocar as roupas de cama
diariamente nas casas que tenha alguém parasitado.
•Obs.: também conhecida como oxiurose.
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
Filariose:
•Agente etiológico – Wuchereria bancrofti.
•Verme heteroxeno (H.D. são os seres humanos e H.I. são
os mosquitos do gênero Culex).
•Forma de contaminação – picada dos mosquitos fêmeas
do gênero Culex, que transmite as larvas do parasita que
entram na corrente sangüínea, promovem obstrução dos
vasos linfáticos, levando ao aumento desproporcional de
membros, como pernas, mamas, bolsa escrotal.
•Profilaxia – combate ao mosquito vetor protegendo as
casas com telas, uso de repelentes, combate às larvas,
entre outros.
•Obs.: também conhecida como Elefantíase.
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
FILO ANELÍDEOS
• Características gerais: animal de corpo metamerizado
(segmentado), triblástico, celomado e bilateral, são
protostômios.
• Hábitat: animais de vida livre, terrestres ou aquáticos, de
água doce ou salgada.
• Exemplos: minhoca (Oligoqueta terrestre), Nereis virens
(Poliqueta marinho) e sanguessuga (Hirudíneo de água
doce).
Anatomia e Fisiologia:
Sist. Digestório: completo (intestino com regiões diferenciadas –
faringe, papo, moela, etc); digestão extracelular. Presença de
Tiflossole no intestino ( aumenta a superfície de absorção no intestino).
Sist. Cardiovascular: presente, fechado (presença de vasos pulsáteis
– corações laterais); pigmentos respiratórios presentes.
Sist. Respiratório: ausente (trocas gasosas ocorrem pela superfície
corporal, ou seja, cutânea) ou branquial.
Sist. Excretor: presente (1 par de nefrídios em cada anel que divide o
corpo, retirando excretas do sangue e do celoma); amônia é o principal
composto excretado.
Sist. Nervoso: presente (composto por uma cadeia nervosa ventral,
com um par de gânglios por segmento; gânglios cerebróides bem
desenvolvidos).
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
Reprodução: sexuada, com espécies monóicas (minhocas) e
dióicas (certos poliquetas marinhos); o desenvolvimento pode
ser direto ou indireto ( larva Trocófora).
Presença de fecundação cruzada ( troca de espermatozóides
entre dois anelídeos).
Ex.: Minhocas
IMPORTÂNCIA DOS ANELÍDEOS
• As fezes da minhoca são ricas em restos alimentares que sofrem a ação
de bactérias decompositoras, fertilizando assim o solo. O húmus
(matéria orgânica em decomposição) é rico em nitrogênio (N), fósforo
(P) e potássio (K), que são macro-nutrientes necessários às plantas em
geral, dentre outros componentes.
• Além disto, ao escavar o solo, as minhocas formam túneis, favorecendo
a aeração das raízes das plantas e a penetração das águas das chuvas.
• Em séculos passados, elas eram utilizadas amplamente na medicina,
para extrair o sangue das pessoas e tratar de problemas circulatórios. O
paciente melhorava e não sentia nenhuma dor com este processo, pois a
sanguessuga libera uma substância anestésica e anticoagulante, a
hirudina. Porém, tal processo ainda é utilizado, atualmente.
FILO ARTRÓPODOS
• Características gerais: animal de patas
articuladas e exoesqueleto quitinoso, com o
corpo metamerizado, triblásticos, celomados
e bilaterais; são protostômios.
• Exoesqueleto sofre mudas ( Ecdises ) durante
a fase de crescimento, sendo controladas pelo
hormônio Ecdisona.
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
Classificação
• Subfilo Hexapoda : Classe Insecta
• Subfilo Cheliceriformes : Classe Arachnida
( aranhas, escorpiões, carrapatos, ácaros )
• Subfilo Crustacea ( Lagosta, camarão, siri,
Tatuzinho-de-jardim)
• Subfilo Miriapodos :
Classes Diplopoda ( Piolho-de-cobra ) e
Chilopoda ( Lacraia )
Insetos
Crustáceos
Aracnídeos
Diplopodos Quilopodos
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
Anatomia e Fisiologia:
•Sist. Digestório: completo (tubo digestivo com regiões diferenciadas e
glândulas acessórias), digestão extracelular; peças bucais para
manipular e triturar o alimento (maxilas, mandíbulas ,maxilípedes, etc).
•Sist. Circulatório: presente, aberto; sangue (hemolinfa) com ou sem
pigmentos.
•Sist.Respiratório: branquial (crustáceos), traqueal (insetos, aracnídeos,
diplópodos e quilópodos) e filotraqueal (aracnídeos).
Respiração Traqueal
•Sist. Excretor: glândulas verdes ou antenais (crustáceos), túbulos de
Malpighi (insetos ,aracnídeos, quilópodos e diplópodos) e glândulas
coxais (aracnídeos).
OBS:
Nos Insetos, Diplópodos e Quilópodos o sangue
não possui pigmentos respiratórios.
Portanto, a oxigenação dos tecidos
NÃO DEPENDE DA CIRCULAÇÃO .
•Sist. Nervoso: composto por gânglios cerebrais e por uma cadeia
nervosa ventral, com cadeias de gânglios dispostas em sequência.
•Sist. Sensorial: olhos (simples ou compostos com omatídeos),
órgãos de equilíbrio, sensores táteis e químicos.
REPRODUÇÃO
• Sexuada; espécies dióicas, fecundação externa ou interna;
desenvolvimesto direto ou indireto, com metamorfose gradual ou
completa.
Desenvolvimento quanto à metamorfose nos insetos:
- AMETÁBOLOS : sem metamorfose.
OVO FORMA JOVEM ( muito semelhante ao adulto) IMAGO
( adulto)
Ex.: Traça-de-livro.
- HEMIMETÁBOLOS : com metamorfose incompleta.
OVO NINFA ( semelhante ao adulto ) IMAGO
Ex.: Cupins, gafanhotos, cigarra, barata.
- HOLOMETÁBOLOS : com metamorfose completa.
OVO LARVA PUPA ( CRISÁLIDA ) IMAGO
Ex.: Borboletas, moscas, pulgas.
AMETÁBOLO
HEMIMETÁBOLO HOLOMETÁBOLO
APARELHO BUCAL DOS INSETOS
- sugador => no caso da mosca e da borboleta;
- picador-sugador => no caso dos mosquitos e dos
piolhos;
- mastigador ou triturador => no caso do gafanhoto,
do grilo, da barata e dos besouros;
- pungitivo => o caso das cigarras; e
- lambedor-sugador => no caso das abelhas.
ADAPTAÇÕES DOS INSETOS AO MEIO TERRESTRE
• Os insetos apresentam o corpo revestido por um exoesqueleto
de quitina, que, além de fornecer proteção mecânica, evita o
ressecamento do corpo.
• A respiração aérea é traqueal, que permite que o ar penetre
no corpo pelos espiráculos e alcance todos os tecidos do corpo
através das traquéias, levando o oxigênio a todas as células.
• Na grande maioria dos insetos, a fecundação é interna (o
macho deposita os espermatozóides diretamente no corpo da
fêmea).
• Excreção de ácido úrico, pois tal substância é insolúvel em
água. Portanto, quando o animal excreta ácido úrico, ele não irá
eliminar água junto com a tal excreta nitrogenada .
DIFERENÇAS ENTRE QUILÓPODOS E DIPLÓPODOS
Quilópodes
• Apresentam
movimentos rápidos;
• São carnívoros;
• Têm um par de antenas
longas;
• Produzem veneno;
• Dotados de patas
longas;
• Incapazes de enrolar-se;
• Corpo mais achatado;
• Menor número de
segmentos.
Diplópodes
•Apresentam movimentos
lentos;
•São herbívoros;
•Têm um par de antenas
curtas;
•Não produzem veneno;
•Dotados de patas curtas;
•Capazes de enrolar-se em
espiral;
•Corpo mais circular;
•Maior número de segmentos.
FILO MOLUSCOS
• Características gerais : animal de corpo mole, com ou sem
concha, triblásticos, celomados e bilaterais; são protostômios.
• Hábitat: animais de vida livre, terrestres ou aquáticos, de
água doce ou salgada; algumas poucas espécies apresentam
larvas e são parasitas de guelras de peixes.
• Exemplos: mexilhão, lula, polvo, caracol de jardim.
• Anatomia e Fisiologia:
• Sist. Digestivo: completo (intestinos com regiões
diferenciadas e glândulas digestivas associadas); presença da
rádula (exceto nos bivalves) e digestão predominantemente
extracelular.
• Sist. Circulatório: presente, aberta ou lacunar (com coração e
vasos sangüineos, nos quais circulam o fluido celômico –
sangue); fechado nos cefalópodes.
•Sist. Respiratório: presente (trocas gasosas ocorrem em
órgãos especializados, as brânquias e pulmões);
•Sist. Excretor: presente (excreção por meio de nefrídios).
•Sist. Nervoso: presente (composto por três ou quatro
pares de gânglios nervosos, ligados a nervos que atingem
todo o corpo).
Reprodução:
Sexuada, existindo espécies monóicas e dióicas; existem
espécies com desenvolvimento direto e espécies com
desenvolvimento indireto.
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
FORMAÇÃO DA PÉROLA
• A formação de uma pérola, também denominada de
margarita, ocorre em razão da penetração de substâncias,
partículas (areia) ou microrganismos (vermes) entre a concha
e o manto ( dobra da epiderme) de algumas espécies de
ostras.
Em resposta ao corpo estranho, o manto secreta uma série de
camadas de nácar ou madrepérola, substância composta por
pectatos de carbonato de cálcio na forma de cristais de
aragonita, desempenhando um mecanismo de defesa do
organismo.
FILO EQUINODERMAS
• Características gerais : simetria radial quando adultos, celomados, com
esqueleto interno e sem metameria (não são segmentados) são
deuterostômios.
• Hábitat: animais de vida livre, exclusivamente marinhos.
• Exemplos: ouriço-do-mar, estrela-do-mar, bolacha-de-praia, entre outros.
• Anatomia e Fisiologia:
• Sist. Digestivo: completo (com Lanterna de Aristóteles no ouriço-do-
mar); digestão extracelular.
• Sist. Circulatório: ausente ou muito reduzido (distribuição de substâncias
pelo fluido celômico).
• Sist. Respiratório: reduzido (branquial) ou ausente (trocas gasosas
facilitadas pelo Sistema hidrovascular ou Ambulacrário).
• Sist. Excretor: ausente (excreções liberadas diretamente na água).
• Sist. Nervoso: presente (anel nervoso em torno da boca e nervos radiais).
• Sist. Hidrovascular: exclusivo dos equinodermos, desempenha funções de
locomoção, fixação e captura de alimentos, contribuindo também na
respiração e excreção.
SISTEMA AMBULACRÁRIO
Reprodução:
•Sexuada;
•Espécies dióicas ;
•Fecundação externa ;
•Desenvolvimento indireto, com um ou mais tipos de larvas.
Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02
Estrela-do-mar Ouriço-do-mar
Lírio-do-mar Pepino-do-mar Serpente-do-mar

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Zoologia dos Invertebrados
Zoologia dos InvertebradosZoologia dos Invertebrados
Zoologia dos Invertebrados
Carlos Priante
 
7º ano cap 16 moluscos
7º ano cap 16   moluscos7º ano cap 16   moluscos
7º ano cap 16 moluscos
ISJ
 
Cnidários
CnidáriosCnidários
Cnidários
Jocimar Araujo
 
Aula Ensino Médio Zoologia de invertebrados I (Diversidade animal I - Porífer...
Aula Ensino Médio Zoologia de invertebrados I (Diversidade animal I - Porífer...Aula Ensino Médio Zoologia de invertebrados I (Diversidade animal I - Porífer...
Aula Ensino Médio Zoologia de invertebrados I (Diversidade animal I - Porífer...
Ronaldo Santana
 
Cnidários ou celenterados
Cnidários  ou  celenteradosCnidários  ou  celenterados
Cnidários ou celenterados
Adrianne Mendonça
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Animais invertebrados- Poríferos
Animais invertebrados- PoríferosAnimais invertebrados- Poríferos
Animais invertebrados- Poríferos
Andrea Barreto
 
Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1
Bio
 
Principais verminoses humanas
Principais verminoses humanasPrincipais verminoses humanas
Principais verminoses humanas
Marcos Santos
 
Zoologia invertebrados
Zoologia invertebradosZoologia invertebrados
Zoologia invertebrados
Jamille Nunez
 
Biologia - Cnidarios
Biologia - CnidariosBiologia - Cnidarios
Biologia - Cnidarios
Carson Souza
 
Tabela comparativa do reino animal.pdf
Tabela comparativa do reino animal.pdfTabela comparativa do reino animal.pdf
Tabela comparativa do reino animal.pdf
PatriciaDaSilvaMunho
 
Aula 8 ciclo celular mitose e meiose
Aula 8   ciclo celular mitose e meioseAula 8   ciclo celular mitose e meiose
Aula 8 ciclo celular mitose e meiose
MARCIAMP
 
Aula 3 cnidarios
Aula 3 cnidariosAula 3 cnidarios
Aula 3 cnidarios
Grupo UNIASSELVI
 
Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)
Bio
 
Anelídeos (Power Point)
Anelídeos (Power Point)Anelídeos (Power Point)
Anelídeos (Power Point)
Bio
 
Classe Calcarea
Classe CalcareaClasse Calcarea
Classe Calcarea
Lucas Machado
 
Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
Bio
 
Tabela comparativa invertebrados
Tabela comparativa invertebradosTabela comparativa invertebrados
Tabela comparativa invertebrados
SESI 422 - Americana
 
7º ano cap 14 porferos e celenterados
7º ano cap 14 porferos e celenterados7º ano cap 14 porferos e celenterados
7º ano cap 14 porferos e celenterados
ISJ
 

Mais procurados (20)

Zoologia dos Invertebrados
Zoologia dos InvertebradosZoologia dos Invertebrados
Zoologia dos Invertebrados
 
7º ano cap 16 moluscos
7º ano cap 16   moluscos7º ano cap 16   moluscos
7º ano cap 16 moluscos
 
Cnidários
CnidáriosCnidários
Cnidários
 
Aula Ensino Médio Zoologia de invertebrados I (Diversidade animal I - Porífer...
Aula Ensino Médio Zoologia de invertebrados I (Diversidade animal I - Porífer...Aula Ensino Médio Zoologia de invertebrados I (Diversidade animal I - Porífer...
Aula Ensino Médio Zoologia de invertebrados I (Diversidade animal I - Porífer...
 
Cnidários ou celenterados
Cnidários  ou  celenteradosCnidários  ou  celenterados
Cnidários ou celenterados
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Animais invertebrados- Poríferos
Animais invertebrados- PoríferosAnimais invertebrados- Poríferos
Animais invertebrados- Poríferos
 
Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1
 
Principais verminoses humanas
Principais verminoses humanasPrincipais verminoses humanas
Principais verminoses humanas
 
Zoologia invertebrados
Zoologia invertebradosZoologia invertebrados
Zoologia invertebrados
 
Biologia - Cnidarios
Biologia - CnidariosBiologia - Cnidarios
Biologia - Cnidarios
 
Tabela comparativa do reino animal.pdf
Tabela comparativa do reino animal.pdfTabela comparativa do reino animal.pdf
Tabela comparativa do reino animal.pdf
 
Aula 8 ciclo celular mitose e meiose
Aula 8   ciclo celular mitose e meioseAula 8   ciclo celular mitose e meiose
Aula 8 ciclo celular mitose e meiose
 
Aula 3 cnidarios
Aula 3 cnidariosAula 3 cnidarios
Aula 3 cnidarios
 
Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)
 
Anelídeos (Power Point)
Anelídeos (Power Point)Anelídeos (Power Point)
Anelídeos (Power Point)
 
Classe Calcarea
Classe CalcareaClasse Calcarea
Classe Calcarea
 
Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
 
Tabela comparativa invertebrados
Tabela comparativa invertebradosTabela comparativa invertebrados
Tabela comparativa invertebrados
 
7º ano cap 14 porferos e celenterados
7º ano cap 14 porferos e celenterados7º ano cap 14 porferos e celenterados
7º ano cap 14 porferos e celenterados
 

Semelhante a Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02

Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Bio
 
fdocumentos.tips_aula-de-zoologia-invertebrados-power-point.ppt
fdocumentos.tips_aula-de-zoologia-invertebrados-power-point.pptfdocumentos.tips_aula-de-zoologia-invertebrados-power-point.ppt
fdocumentos.tips_aula-de-zoologia-invertebrados-power-point.ppt
DanielMedina333918
 
Animais invertebrados (mazza)
Animais invertebrados (mazza)Animais invertebrados (mazza)
Animais invertebrados (mazza)
Romualdo Caetano Barros
 
Reino animal invertebrados
Reino animal   invertebradosReino animal   invertebrados
Reino animal invertebrados
Caroline Angeli Sancio
 
Filo porífero, cnidário, platelminto Biologia
Filo porífero, cnidário, platelminto Biologia Filo porífero, cnidário, platelminto Biologia
Filo porífero, cnidário, platelminto Biologia
Uiles Martins
 
AULA-13.ppt
AULA-13.pptAULA-13.ppt
AULA-13.ppt
WesleyAlvesNunes
 
Poriferos
PoriferosPoriferos
Poriferos
eebniltonkucker
 
Platelmintos.pdf
Platelmintos.pdfPlatelmintos.pdf
Platelmintos.pdf
Heber Mello
 
Filo dos Cnidários
Filo dos CnidáriosFilo dos Cnidários
Filo dos Cnidários
AndrezaCarvalho
 
Invertebrados marinhos 1o b
Invertebrados marinhos 1o bInvertebrados marinhos 1o b
Invertebrados marinhos 1o b
SESI 422 - Americana
 
Folhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slidesFolhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slides
Claudiapadao
 
Zoo 1 de poríferos a nematelmintos
Zoo 1    de poríferos a nematelmintosZoo 1    de poríferos a nematelmintos
Zoo 1 de poríferos a nematelmintos
aulasdotubao
 
Folhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slidesFolhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slides
Claudiapadao
 
Filo platelminto
Filo platelmintoFilo platelminto
Filo platelminto
Danie Gongui
 
Porferos e celenterados_-_2011
Porferos e celenterados_-_2011Porferos e celenterados_-_2011
Porferos e celenterados_-_2011
ISJ
 
Poriferos 2º "A"
Poriferos 2º "A"Poriferos 2º "A"
Poriferos 2º "A"
deboraolimpia
 
APOSTILA ZOOLOGIA PARTE 2
APOSTILA ZOOLOGIA PARTE 2APOSTILA ZOOLOGIA PARTE 2
APOSTILA ZOOLOGIA PARTE 2
Alexandre Pusaudse
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Zoologia dos Invertebrados
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Zoologia dos InvertebradosSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Zoologia dos Invertebrados
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Zoologia dos Invertebrados
Turma Olímpica
 
Animais primitivos
Animais primitivosAnimais primitivos
Animais primitivos
Fabio Santos Nery
 
Filo Nematoda
Filo Nematoda Filo Nematoda
Filo Nematoda
Luis Carlos
 

Semelhante a Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02 (20)

Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
 
fdocumentos.tips_aula-de-zoologia-invertebrados-power-point.ppt
fdocumentos.tips_aula-de-zoologia-invertebrados-power-point.pptfdocumentos.tips_aula-de-zoologia-invertebrados-power-point.ppt
fdocumentos.tips_aula-de-zoologia-invertebrados-power-point.ppt
 
Animais invertebrados (mazza)
Animais invertebrados (mazza)Animais invertebrados (mazza)
Animais invertebrados (mazza)
 
Reino animal invertebrados
Reino animal   invertebradosReino animal   invertebrados
Reino animal invertebrados
 
Filo porífero, cnidário, platelminto Biologia
Filo porífero, cnidário, platelminto Biologia Filo porífero, cnidário, platelminto Biologia
Filo porífero, cnidário, platelminto Biologia
 
AULA-13.ppt
AULA-13.pptAULA-13.ppt
AULA-13.ppt
 
Poriferos
PoriferosPoriferos
Poriferos
 
Platelmintos.pdf
Platelmintos.pdfPlatelmintos.pdf
Platelmintos.pdf
 
Filo dos Cnidários
Filo dos CnidáriosFilo dos Cnidários
Filo dos Cnidários
 
Invertebrados marinhos 1o b
Invertebrados marinhos 1o bInvertebrados marinhos 1o b
Invertebrados marinhos 1o b
 
Folhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slidesFolhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slides
 
Zoo 1 de poríferos a nematelmintos
Zoo 1    de poríferos a nematelmintosZoo 1    de poríferos a nematelmintos
Zoo 1 de poríferos a nematelmintos
 
Folhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slidesFolhas invertebrados slides
Folhas invertebrados slides
 
Filo platelminto
Filo platelmintoFilo platelminto
Filo platelminto
 
Porferos e celenterados_-_2011
Porferos e celenterados_-_2011Porferos e celenterados_-_2011
Porferos e celenterados_-_2011
 
Poriferos 2º "A"
Poriferos 2º "A"Poriferos 2º "A"
Poriferos 2º "A"
 
APOSTILA ZOOLOGIA PARTE 2
APOSTILA ZOOLOGIA PARTE 2APOSTILA ZOOLOGIA PARTE 2
APOSTILA ZOOLOGIA PARTE 2
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Zoologia dos Invertebrados
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Zoologia dos InvertebradosSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Zoologia dos Invertebrados
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Zoologia dos Invertebrados
 
Animais primitivos
Animais primitivosAnimais primitivos
Animais primitivos
 
Filo Nematoda
Filo Nematoda Filo Nematoda
Filo Nematoda
 

Mais de MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS

Acidosnucleicos
AcidosnucleicosAcidosnucleicos
Verminoses
VerminosesVerminoses
Tecidonervoso 151025142143-lva1-app6892
Tecidonervoso 151025142143-lva1-app6892Tecidonervoso 151025142143-lva1-app6892
Tecidonervoso 151025142143-lva1-app6892
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Lipdiosaulapowerpoint 100530095934-phpapp02
Lipdiosaulapowerpoint 100530095934-phpapp02Lipdiosaulapowerpoint 100530095934-phpapp02
Lipdiosaulapowerpoint 100530095934-phpapp02
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Tecidosanguineo 110316111550-phpapp02
Tecidosanguineo 110316111550-phpapp02Tecidosanguineo 110316111550-phpapp02
Tecidosanguineo 110316111550-phpapp02
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Lipdiosaulapowerpoint 100530095934-phpapp02
Lipdiosaulapowerpoint 100530095934-phpapp02Lipdiosaulapowerpoint 100530095934-phpapp02
Lipdiosaulapowerpoint 100530095934-phpapp02
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Protenas 121119130742-phpapp01 (2)
Protenas 121119130742-phpapp01 (2)Protenas 121119130742-phpapp01 (2)
Protenas 121119130742-phpapp01 (2)
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Saisminerais 170307141114
Saisminerais 170307141114Saisminerais 170307141114
Saisminerais 170307141114
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Aularelaesecolgicas 120313120118-phpapp01
Aularelaesecolgicas 120313120118-phpapp01Aularelaesecolgicas 120313120118-phpapp01
Aularelaesecolgicas 120313120118-phpapp01
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Preparação para obb
Preparação para obbPreparação para obb
Histologiaanimal 131019202849-phpapp01
Histologiaanimal 131019202849-phpapp01Histologiaanimal 131019202849-phpapp01
Histologiaanimal 131019202849-phpapp01
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Auladebioqumicacelular 120520175133-phpapp02
Auladebioqumicacelular 120520175133-phpapp02Auladebioqumicacelular 120520175133-phpapp02
Auladebioqumicacelular 120520175133-phpapp02
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Metabolismoenergtico 100509214926-phpapp02
Metabolismoenergtico 100509214926-phpapp02Metabolismoenergtico 100509214926-phpapp02
Metabolismoenergtico 100509214926-phpapp02
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Genetica 110513181400-phpapp01
Genetica 110513181400-phpapp01Genetica 110513181400-phpapp01
Genetica 110513181400-phpapp01
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Desenvolvimentoembrionario 121103093615-phpapp02
Desenvolvimentoembrionario 121103093615-phpapp02Desenvolvimentoembrionario 121103093615-phpapp02
Desenvolvimentoembrionario 121103093615-phpapp02
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Apresentaomtodohipottico dedutivo-131102095730-phpapp01
Apresentaomtodohipottico dedutivo-131102095730-phpapp01Apresentaomtodohipottico dedutivo-131102095730-phpapp01
Apresentaomtodohipottico dedutivo-131102095730-phpapp01
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Reinoplantae powerpoint-090726184322-phpapp02 (2)
Reinoplantae powerpoint-090726184322-phpapp02 (2)Reinoplantae powerpoint-090726184322-phpapp02 (2)
Reinoplantae powerpoint-090726184322-phpapp02 (2)
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 

Mais de MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS (20)

Acidosnucleicos
AcidosnucleicosAcidosnucleicos
Acidosnucleicos
 
Verminoses
VerminosesVerminoses
Verminoses
 
Tecidonervoso 151025142143-lva1-app6892
Tecidonervoso 151025142143-lva1-app6892Tecidonervoso 151025142143-lva1-app6892
Tecidonervoso 151025142143-lva1-app6892
 
Lipdiosaulapowerpoint 100530095934-phpapp02
Lipdiosaulapowerpoint 100530095934-phpapp02Lipdiosaulapowerpoint 100530095934-phpapp02
Lipdiosaulapowerpoint 100530095934-phpapp02
 
Tecidosanguineo 110316111550-phpapp02
Tecidosanguineo 110316111550-phpapp02Tecidosanguineo 110316111550-phpapp02
Tecidosanguineo 110316111550-phpapp02
 
Lipdiosaulapowerpoint 100530095934-phpapp02
Lipdiosaulapowerpoint 100530095934-phpapp02Lipdiosaulapowerpoint 100530095934-phpapp02
Lipdiosaulapowerpoint 100530095934-phpapp02
 
Protenas 121119130742-phpapp01 (2)
Protenas 121119130742-phpapp01 (2)Protenas 121119130742-phpapp01 (2)
Protenas 121119130742-phpapp01 (2)
 
Saisminerais 170307141114
Saisminerais 170307141114Saisminerais 170307141114
Saisminerais 170307141114
 
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
 
Aularelaesecolgicas 120313120118-phpapp01
Aularelaesecolgicas 120313120118-phpapp01Aularelaesecolgicas 120313120118-phpapp01
Aularelaesecolgicas 120313120118-phpapp01
 
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02Aulacitologia 091108142823-phpapp02
Aulacitologia 091108142823-phpapp02
 
Preparação para obb
Preparação para obbPreparação para obb
Preparação para obb
 
Histologiaanimal 131019202849-phpapp01
Histologiaanimal 131019202849-phpapp01Histologiaanimal 131019202849-phpapp01
Histologiaanimal 131019202849-phpapp01
 
Auladebioqumicacelular 120520175133-phpapp02
Auladebioqumicacelular 120520175133-phpapp02Auladebioqumicacelular 120520175133-phpapp02
Auladebioqumicacelular 120520175133-phpapp02
 
Metabolismoenergtico 100509214926-phpapp02
Metabolismoenergtico 100509214926-phpapp02Metabolismoenergtico 100509214926-phpapp02
Metabolismoenergtico 100509214926-phpapp02
 
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
 
Genetica 110513181400-phpapp01
Genetica 110513181400-phpapp01Genetica 110513181400-phpapp01
Genetica 110513181400-phpapp01
 
Desenvolvimentoembrionario 121103093615-phpapp02
Desenvolvimentoembrionario 121103093615-phpapp02Desenvolvimentoembrionario 121103093615-phpapp02
Desenvolvimentoembrionario 121103093615-phpapp02
 
Apresentaomtodohipottico dedutivo-131102095730-phpapp01
Apresentaomtodohipottico dedutivo-131102095730-phpapp01Apresentaomtodohipottico dedutivo-131102095730-phpapp01
Apresentaomtodohipottico dedutivo-131102095730-phpapp01
 
Reinoplantae powerpoint-090726184322-phpapp02 (2)
Reinoplantae powerpoint-090726184322-phpapp02 (2)Reinoplantae powerpoint-090726184322-phpapp02 (2)
Reinoplantae powerpoint-090726184322-phpapp02 (2)
 

Último

Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 

Último (20)

Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 

Zoologiainvertebrados 131019203941-phpapp02

  • 2. FILO PORÍFEROS • Características gerais: animais filtradores, sem tecidos verdadeiros , ou seja, sem qualquer órgão ou sistema; • Hábitat: ambientes aquáticos, sendo a maioria das espécies marinhas. • Estrutura corporal: -Poros : pequenas aberturas por onde entra a água trazendo nutrientes. -Atrio ou Espongiocele ( cavidade interna por onde circula a água ) -Ósculo : abertura superior por onde a água sai. • Esqueleto : formado por espículas ( estruturas pontiagudas que podem ser calcárias ou silicosas) ou por uma rede proteica de Espongina. • Tipos principais de células: - Coanócitos : dotadas de um colarinho e um flagelo, realizam a digestão intracelular. - Amebócitos : presentes no meso-hilo (camada intermediária ), locomovendo-se por pseudópodos, transportam os produtos da
  • 3. Anatomia e Fisiologia: -Sist. Digestivo: ausente (o alimento é fagocitado pelos coanócitos); a digestão é intracelular. -Sist. Cardiovascular: ausente (ocorre por difusão das substâncias). - Sist. Respiratório: ausente (trocas gasosas diretamente entre as cels. e o ambiente, ou seja, por difusão). - Sist. Excretor: ausente (excreções lançadas diretamente no ambiente pelas cels, sendo por difusão). -Sist. Nervoso: ausente -Reprodução: assexuada, por fragmentação, brotamento ( podendo formar colônias), ou sexuada, com desenvolvimento indireto (larva anfiblástula).
  • 5. Gemulação é uma reprodução assexuada tipica de poríferos dulcícolas Brotamento ( rep. assexuada ) Rep. Sexuada
  • 7. FILO CNIDÁRIOS • Características gerais: animal com forma de pólipo (sésseis) ou de medusa (livre natantes), diblásticos e com celulas. urticantes (cnidoblastos ou cnidócitos); simetria radial; SÃO OS PRIMEIROS ANIMAIS A APRESETAREM UMA CAVIDADE DIGESTIVA ( Cavidade gastrovascular). • Hábitat: ambientes aquáticos, sendo a maioria das espécies marinhas. • Classes : - Hydrozoa : predomina a forma pólipo. Ex.: Hidra, Caravela-Portuguesa -Scyphozoa : formas pólipo e medusa ( predominante). Ex.: Água-viva -Anthozoa : predomina forma pólipo. Ex.: Corais, Anêmonas. -Cubozoa : predomina a forma medusa. Ex.: Vespas-do-mar. • Exemplos: Physalia pelagica (caravela-portuguesa), Aurelia aurita (grande medusa marinha), Hydra viridis (pequeno pólipo de água doce), recifes coralíneos.
  • 9. Anatomia e Fisiologia: - Sist. Digestório: incompleto (não existe ânus); digestão extra e intracelular. - Sist. Cardiovascular: ausente (alimento distribuído diretamente na cavidade gastrovascular). - Sist. Respiratório: ausente (trocas gasosas diretamente entre as cels. e o ambiente). - Sist. Excretor: ausente (excreções lançadas diretamente no ambiente pelas cels). - Sist. Nervoso: presente (do tipo difuso por todo o corpo). Reprodução: em alguns pólipos há reprodução assexuada por brotamento; algumas espécies têm ciclos de vida com alternância de gerações sexuada (medusas) e assexuada (pólipos), processo também denominado Metagênese, com formação da larva Plânula , sendo desenvolvimento indireto. Porém, existem espécies, como a Hidra, que apresenta desenvolvimento direto.
  • 10. Reprodução Sexuada por Metagênese Rep. Assexuada por Brotamento
  • 12. FILO PLATELMINTOS • Características gerais: vermes de corpo achatado, triblásticos, acelomados e com simetria bilateral; são protostômios. • Hábitat: de vida livre, terrestres ou aquáticos, de água doce ou salgada; e parasitas. • Classes: - Turbellaria : Dugesia tigrina (planária); - Trematoda : Schistosoma mansoni (causador da esquistossomose); - Cestoda :Taenia solium (causador da teníase e da cisticercose) e Taenia saginata (causador da teníase).
  • 13. Anatomia e Fisiologia: •Sist. Digestório: incompleto (não existe ânus); digestão extra e intracelular, e intestino muito ramificado. Exceção: Cestódeos ( Tênias) não possuem sistema digestório ( alimento são absorvidos pela superfície corpórea) •Sist. Cardiovascular: ausente (alimento distribuído pelo intestino ramificado a todas as células do corpo, compensando a ausência do sist. cardiovascular). •Sist. Respiratório: ausente (trocas gasosas diretamente entre as celulas. e o ambiente por difusão); espécies aeróbias e anaeróbias. •Sist. Excretor: presente (protonefridios com células.-flama ou solenócitos); poros excretores presentes. •Sist. Nervoso: presente (do tipo ganglionar com um par de gânglios cerebrais de onde partem cordões nervosos); são os primeiros animais com uma cefalização e centralização do sistema nervoso. •Sist. Sensorial: presente , com órgãos especializados na captação de estímulos luminosos ( OCELOS), mecânicos e químicos.
  • 14. Sistema nervoso ganglionar centralizado Intestino ramificado compensando a ausência do sistema cardiovascular
  • 16. Reprodução: •Em algumas planárias pode haver reprodução assexuada por fragmentação; as planárias são monóicas, sem auto fecundação e com desenvolvimento direto; • As tênias (classe Cestoda) também são monóicas mas se reproduzem sexuadamente por auto fecundação e com desenvolvimento indireto, ou seja, com fase larval (cisticerco); • O esquitossomo (classe Trematoda) é dióico, com dimorfismo sexual ( macho diferente da fêmea ) e também apresenta estágio larval ( miracídio e cercária ).
  • 17. PRINCIPAIS PARASITOSES CAUSADAS POR PLATELMINTOS Teníase: • Agente etiológico – Taenia solium e T. saginata (classe Cestoda). • H.D. : seres humanos (parede intestinal); / H.I. : suínos (Taenia solium) e bovinos (Taenia saginata). • Forma de contaminação – ingestão de larvas cisticercos presentes na carne mal cozida. • Formas evolutivas – embrião hexacanto ou oncosfera (perfura a parede intestinal do H.I. e chega até a musculatura, transformando-se na larva cisticerco). • Profilaxia – não ingerir carnes mal-cozidas, hábitos higiênicos e saneamento básico.
  • 19. A estrutura corporal de uma Tênia é dividida em: -Escólex ( cabeça ); -Colo ( pescoço ); -Estróbilo ( dividido em anéis ou proglotides ou prglotes ); Tipos de proglotides: -Jovens ( próximos ao escólex ); -Maduras ( contém as gônadas masculinas e femininas ); -Grávidas ( contém os ovos );
  • 20. 1-Ao se alimentar de carnes cruas ou mal passadas, o homem pode ingerir cisticercos (lasvas de tênia). 2-No intestino, a larva se liberta, fixa o escólex, cresce e origina a tênia adulta. Proglotes maduras, contendo testículos e ovários, reproduzem-se entre si e originam proglotes grávidas, cheias de ovos. Proglotes grávidas despremdem-se unidas em grupos de 2 a 6 e são liberados durante ou após as evacuações. 3-No solo, rompem-se e liberam ovos. Cada ovo é esférico, mede cerca de 30 mm de diâmetro, possui 6 pequenos ganchos e é conhecido como oncosfera. Espalha-se pelo meio e podem ser ingeridos pelo hospedeiro intermediário. 4-No intestino do animal, os ovos penetram no revestimento intestinal e cae no sangue. Atingem principalmente a musculatura sublingual, diafragma, sistema nervoso e coração. 5-Cada ovo se transforma em uma larva, uma tênia em miniatura, chamada cisticerco, cujo tamanho lembra o de um pequeno grão de canjica. Essa larva contém escólex e um curto pescoço, tudo envolto por uma vesícula protetora. 6-Por autoinfestação, ovos passam para a corrente sangüínea e desenvolvem-se em cisticercos (larvas) em tecidos humanos, causando uma doenças - a cisticercose que pode ser fatal.
  • 21. Cisticercose: •Agente etiológico – larva cisticerco da Taenia solium. •Forma de contaminação – ingestão de ovos presentes em alimentos como verduras e frutos. •Profilaxia – hábitos higiênicos como lavar as mãos antes das refeições. •Obs.: Ao ingerir os ovos da Tênia, o homem passa a ser o H.I. desse verme; é uma doença rara porém muito mais perigosa que a teníase pois os cisticercos passam pela corrente sangüínea e se alojam em órgãos nobres como cérebro e coração.
  • 22. Esquistossomose: •Agente etiológico – Schistosoma mansoni (classe Trematoda). •H.D. seres humanos (vasos sanguíneo do fígado e intestino – Sistema Porta-Hepático). •H.I. caramujo do gênero Biomphalaria . •Forma de contaminação – penetração ativa das larvas cercárias através da pele. •Formas larvais – miracídios (penetram ativamente nos caramujos) e cercárias (penetram ativamente nos humanos). •Profilaxia – saneamento básico, não nadar em águas infestadas por caramujos, hábitos higiênicos como não defecar ao ar livre, ferver a água a ser bebida, entre outros.
  • 25. FILO NEMATODA • Características gerais: animal de corpo fino e tubular, triblásticos, pseudocelomados e bilaterais; são protostômios. • Hábitat: animais de vida livre, terrestres ou aquáticos, de água doce ou salgada e espécies parasitas de animais e plantas. • Exemplos: Ascaris lumbricoides (lombriga), Ancylostoma duodenale e Necator americanus, Enterobius vermicularis ( Oxiuro) , Wuchereria bancrofti (Filária).
  • 27. Anatomia e Fisiologia: -Sist. Digestório: completo; digestão extra e intracelular. - Sist. Cardiovascular: ausente (alimento distribuído pelo fluido da cavidade do pseudoceloma). - Sist. Respiratório: ausente (troca gasosa ocorre por difusão entre células e o ambiente). - Sist. Excretor: presente (par de células alongadas que atuam como canais excretores que se unem na região anterior, formando o aspecto da letra H – Sistema em H). - Sist. Nervoso: presente (um anel nervoso em torno da faringe com cordões nervosos longitudinais – Anel periesofágico ou perifaringeano). Reprodução: • Sexuada; Espécies monóicas e dióicas; Desenvolvimento indireto .
  • 28. PRINCIPAIS PARASITOSES CAUSADAS POR NEMATÓDEOS Ascaridíase: • Agente etiológico – Ascaris lumbricoides (Lombriga). • Verme monoxeno (um só hospedeiro para terminar o ciclo). • Forma de contaminação – ingestão de ovos presentes em alimentos e água. • Formas larvais – larvas rabditóides. • Profilaxia – saneamento básico, medidas higiênicas como lavar as mãos antes das refeições, lavar bem os alimentos e ingerir somente água potável ou filtrada.
  • 30. Ciclo evolutivo do Ascaris lumbricoides
  • 31. Ancilostomose: •Agentes etiológicos: Ancylostoma duodenale e Necator americanus •Verme monoxeno. •Forma de contaminação: penetração ativa das larvas através da pele. •Profilaxia: saneamento básico, não defecar ao ar livre e utilização de calçados. •Obs.: também conhecida como amarelão, devido á anemia causada por lesões na mucosa intestinal. Também é chamada Doença do Jeca-Tatu ( personagem criado por Monteiro Lobato) Ancylostoma duodenale
  • 32. Larva migrans: •Agente etiológico : Ancylostoma braziliensis e Ancylostoma caninum (parasitas intestinais de cães e gatos). •Forma de contaminação – penetração ativa das larvas através da pele. •Profilaxia – tratamento de cães e gatos parasitados, evitar presença desses animais em áreas frequentadas por seres humanos e uso de calçados. •Obs.: esses parasitas só conseguem completar seus ciclos quando atingem seus hospedeiros próprios; nos seres humanos, as larvas não passam para a fase adulta e ficam migrando pela pele; também conhecida como dermatite ou bicho-geográfico.
  • 33. Rastros semelhantes ao desenho de um mapa, estes localizados predominantemente nos pés, nádegas, costas e mãos – regiões do corpo que mais entram em contato com o solo.
  • 34. Enterobiose: •Agente etiológico – Enterobius vermicularis. •Verme monoxeno. •Forma de contaminação – ingestão de ovos contaminando a água e alimentos, além de auto-contaminação. •Profilaxia – medidas higiênicas como lavar as mãos antes das refeições, lavar bem os alimentos, ingerir somente água potável ou filtrada, não coçar o ânus e trocar as roupas de cama diariamente nas casas que tenha alguém parasitado. •Obs.: também conhecida como oxiurose.
  • 36. Filariose: •Agente etiológico – Wuchereria bancrofti. •Verme heteroxeno (H.D. são os seres humanos e H.I. são os mosquitos do gênero Culex). •Forma de contaminação – picada dos mosquitos fêmeas do gênero Culex, que transmite as larvas do parasita que entram na corrente sangüínea, promovem obstrução dos vasos linfáticos, levando ao aumento desproporcional de membros, como pernas, mamas, bolsa escrotal. •Profilaxia – combate ao mosquito vetor protegendo as casas com telas, uso de repelentes, combate às larvas, entre outros. •Obs.: também conhecida como Elefantíase.
  • 38. FILO ANELÍDEOS • Características gerais: animal de corpo metamerizado (segmentado), triblástico, celomado e bilateral, são protostômios. • Hábitat: animais de vida livre, terrestres ou aquáticos, de água doce ou salgada. • Exemplos: minhoca (Oligoqueta terrestre), Nereis virens (Poliqueta marinho) e sanguessuga (Hirudíneo de água doce).
  • 39. Anatomia e Fisiologia: Sist. Digestório: completo (intestino com regiões diferenciadas – faringe, papo, moela, etc); digestão extracelular. Presença de Tiflossole no intestino ( aumenta a superfície de absorção no intestino). Sist. Cardiovascular: presente, fechado (presença de vasos pulsáteis – corações laterais); pigmentos respiratórios presentes. Sist. Respiratório: ausente (trocas gasosas ocorrem pela superfície corporal, ou seja, cutânea) ou branquial. Sist. Excretor: presente (1 par de nefrídios em cada anel que divide o corpo, retirando excretas do sangue e do celoma); amônia é o principal composto excretado. Sist. Nervoso: presente (composto por uma cadeia nervosa ventral, com um par de gânglios por segmento; gânglios cerebróides bem desenvolvidos).
  • 41. Reprodução: sexuada, com espécies monóicas (minhocas) e dióicas (certos poliquetas marinhos); o desenvolvimento pode ser direto ou indireto ( larva Trocófora). Presença de fecundação cruzada ( troca de espermatozóides entre dois anelídeos). Ex.: Minhocas
  • 42. IMPORTÂNCIA DOS ANELÍDEOS • As fezes da minhoca são ricas em restos alimentares que sofrem a ação de bactérias decompositoras, fertilizando assim o solo. O húmus (matéria orgânica em decomposição) é rico em nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K), que são macro-nutrientes necessários às plantas em geral, dentre outros componentes. • Além disto, ao escavar o solo, as minhocas formam túneis, favorecendo a aeração das raízes das plantas e a penetração das águas das chuvas. • Em séculos passados, elas eram utilizadas amplamente na medicina, para extrair o sangue das pessoas e tratar de problemas circulatórios. O paciente melhorava e não sentia nenhuma dor com este processo, pois a sanguessuga libera uma substância anestésica e anticoagulante, a hirudina. Porém, tal processo ainda é utilizado, atualmente.
  • 43. FILO ARTRÓPODOS • Características gerais: animal de patas articuladas e exoesqueleto quitinoso, com o corpo metamerizado, triblásticos, celomados e bilaterais; são protostômios. • Exoesqueleto sofre mudas ( Ecdises ) durante a fase de crescimento, sendo controladas pelo hormônio Ecdisona.
  • 45. Classificação • Subfilo Hexapoda : Classe Insecta • Subfilo Cheliceriformes : Classe Arachnida ( aranhas, escorpiões, carrapatos, ácaros ) • Subfilo Crustacea ( Lagosta, camarão, siri, Tatuzinho-de-jardim) • Subfilo Miriapodos : Classes Diplopoda ( Piolho-de-cobra ) e Chilopoda ( Lacraia )
  • 48. Anatomia e Fisiologia: •Sist. Digestório: completo (tubo digestivo com regiões diferenciadas e glândulas acessórias), digestão extracelular; peças bucais para manipular e triturar o alimento (maxilas, mandíbulas ,maxilípedes, etc). •Sist. Circulatório: presente, aberto; sangue (hemolinfa) com ou sem pigmentos. •Sist.Respiratório: branquial (crustáceos), traqueal (insetos, aracnídeos, diplópodos e quilópodos) e filotraqueal (aracnídeos). Respiração Traqueal
  • 49. •Sist. Excretor: glândulas verdes ou antenais (crustáceos), túbulos de Malpighi (insetos ,aracnídeos, quilópodos e diplópodos) e glândulas coxais (aracnídeos).
  • 50. OBS: Nos Insetos, Diplópodos e Quilópodos o sangue não possui pigmentos respiratórios. Portanto, a oxigenação dos tecidos NÃO DEPENDE DA CIRCULAÇÃO . •Sist. Nervoso: composto por gânglios cerebrais e por uma cadeia nervosa ventral, com cadeias de gânglios dispostas em sequência. •Sist. Sensorial: olhos (simples ou compostos com omatídeos), órgãos de equilíbrio, sensores táteis e químicos.
  • 51. REPRODUÇÃO • Sexuada; espécies dióicas, fecundação externa ou interna; desenvolvimesto direto ou indireto, com metamorfose gradual ou completa. Desenvolvimento quanto à metamorfose nos insetos: - AMETÁBOLOS : sem metamorfose. OVO FORMA JOVEM ( muito semelhante ao adulto) IMAGO ( adulto) Ex.: Traça-de-livro. - HEMIMETÁBOLOS : com metamorfose incompleta. OVO NINFA ( semelhante ao adulto ) IMAGO Ex.: Cupins, gafanhotos, cigarra, barata. - HOLOMETÁBOLOS : com metamorfose completa. OVO LARVA PUPA ( CRISÁLIDA ) IMAGO Ex.: Borboletas, moscas, pulgas.
  • 53. APARELHO BUCAL DOS INSETOS - sugador => no caso da mosca e da borboleta; - picador-sugador => no caso dos mosquitos e dos piolhos; - mastigador ou triturador => no caso do gafanhoto, do grilo, da barata e dos besouros; - pungitivo => o caso das cigarras; e - lambedor-sugador => no caso das abelhas.
  • 54. ADAPTAÇÕES DOS INSETOS AO MEIO TERRESTRE • Os insetos apresentam o corpo revestido por um exoesqueleto de quitina, que, além de fornecer proteção mecânica, evita o ressecamento do corpo. • A respiração aérea é traqueal, que permite que o ar penetre no corpo pelos espiráculos e alcance todos os tecidos do corpo através das traquéias, levando o oxigênio a todas as células. • Na grande maioria dos insetos, a fecundação é interna (o macho deposita os espermatozóides diretamente no corpo da fêmea). • Excreção de ácido úrico, pois tal substância é insolúvel em água. Portanto, quando o animal excreta ácido úrico, ele não irá eliminar água junto com a tal excreta nitrogenada .
  • 55. DIFERENÇAS ENTRE QUILÓPODOS E DIPLÓPODOS Quilópodes • Apresentam movimentos rápidos; • São carnívoros; • Têm um par de antenas longas; • Produzem veneno; • Dotados de patas longas; • Incapazes de enrolar-se; • Corpo mais achatado; • Menor número de segmentos. Diplópodes •Apresentam movimentos lentos; •São herbívoros; •Têm um par de antenas curtas; •Não produzem veneno; •Dotados de patas curtas; •Capazes de enrolar-se em espiral; •Corpo mais circular; •Maior número de segmentos.
  • 56. FILO MOLUSCOS • Características gerais : animal de corpo mole, com ou sem concha, triblásticos, celomados e bilaterais; são protostômios. • Hábitat: animais de vida livre, terrestres ou aquáticos, de água doce ou salgada; algumas poucas espécies apresentam larvas e são parasitas de guelras de peixes. • Exemplos: mexilhão, lula, polvo, caracol de jardim. • Anatomia e Fisiologia: • Sist. Digestivo: completo (intestinos com regiões diferenciadas e glândulas digestivas associadas); presença da rádula (exceto nos bivalves) e digestão predominantemente extracelular. • Sist. Circulatório: presente, aberta ou lacunar (com coração e vasos sangüineos, nos quais circulam o fluido celômico – sangue); fechado nos cefalópodes.
  • 57. •Sist. Respiratório: presente (trocas gasosas ocorrem em órgãos especializados, as brânquias e pulmões); •Sist. Excretor: presente (excreção por meio de nefrídios). •Sist. Nervoso: presente (composto por três ou quatro pares de gânglios nervosos, ligados a nervos que atingem todo o corpo). Reprodução: Sexuada, existindo espécies monóicas e dióicas; existem espécies com desenvolvimento direto e espécies com desenvolvimento indireto.
  • 59. FORMAÇÃO DA PÉROLA • A formação de uma pérola, também denominada de margarita, ocorre em razão da penetração de substâncias, partículas (areia) ou microrganismos (vermes) entre a concha e o manto ( dobra da epiderme) de algumas espécies de ostras. Em resposta ao corpo estranho, o manto secreta uma série de camadas de nácar ou madrepérola, substância composta por pectatos de carbonato de cálcio na forma de cristais de aragonita, desempenhando um mecanismo de defesa do organismo.
  • 60. FILO EQUINODERMAS • Características gerais : simetria radial quando adultos, celomados, com esqueleto interno e sem metameria (não são segmentados) são deuterostômios. • Hábitat: animais de vida livre, exclusivamente marinhos. • Exemplos: ouriço-do-mar, estrela-do-mar, bolacha-de-praia, entre outros. • Anatomia e Fisiologia: • Sist. Digestivo: completo (com Lanterna de Aristóteles no ouriço-do- mar); digestão extracelular. • Sist. Circulatório: ausente ou muito reduzido (distribuição de substâncias pelo fluido celômico). • Sist. Respiratório: reduzido (branquial) ou ausente (trocas gasosas facilitadas pelo Sistema hidrovascular ou Ambulacrário). • Sist. Excretor: ausente (excreções liberadas diretamente na água). • Sist. Nervoso: presente (anel nervoso em torno da boca e nervos radiais). • Sist. Hidrovascular: exclusivo dos equinodermos, desempenha funções de locomoção, fixação e captura de alimentos, contribuindo também na respiração e excreção.
  • 62. Reprodução: •Sexuada; •Espécies dióicas ; •Fecundação externa ; •Desenvolvimento indireto, com um ou mais tipos de larvas.

Notas do Editor

  1. xuada