Reino animalia

4.103 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.103
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
880
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
91
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reino animalia

  1. 1.  De um modo geral, os animais apresentam um conjunto de características que os distinguem: São eucariontes multicelulares. São heterotróficos. Obtêm o alimento por ingestão e realizam digestão intracorporal, na maioria dos casos em cavidades ou em sistemas de órgãos especializados.
  2. 2.  Possuem diferenciação celular, com células especializadas em determinadas funções. A maioria tem locomoção, no decurso do seu ciclo de vida, pelo menos durante algum tempo. Muitos possuem um sistema nervoso que capta informações do meio e coordena essas informações, respondendo rapidamente a estímulos. Possuem reprodução sexuada, em que o gâmeta feminino é móvel e grande e o espermatozóide e pequeno e flagelado.
  3. 3.  Para a maioria das pessoas os animais mais familiares são os vertebrados, designação esta relacionada com a existência de esqueleto interno. É de salientar, no entanto, que os vertebrados representam apenas 5% dos animais existentes. Os restantes 95% são animais desprovidos de esqueleto, que habitualmente se designam, no seu conjunto, por invertebrados, embora este termo não corresponda, na actualidade, a qualquer grupo sistemático.
  4. 4.  A grande diversidade dos animais está distribuída por trinta e cinco filos. Para esta distribuição, os taxonomistas baseiam-se essencialmente em características estruturais e em critérios embriológicos. Embora a origem dos animais ainda não esteja completamente esclarecida, muitos biólogos admitem que evoluíram de formas protistas, provavelmente de protozoários flagelados.
  5. 5. Parazoa e Eumetazoa dizem respeito a sub-reinos
  6. 6.  Pela sua simplicidade anatómica, são muito diferentes de todos os outros animais. Por isso, muitos zoólogos formam com elas o sub-reino Parazoa (do grego para = ao lado de + zõon = animal) incluindo todos os outros filos no sub-reino Eumetazoa.
  7. 7.  Alguns animais têm simetria radiada e por isso formam o ramo Radiata, enquanto que o ramo Bilateria inclui os restantes filos com simetria bilateral. Deve, porém, notar-se que os Equinodermes (ex: Estrela do mar) têm, na forma definitiva, simetria aparentemente pentarradiada; no entanto, na forma larvar a simetria é nitidamente bilateral. Na classificação dos animais em filos, para além de características estruturais, são ainda fundamentais critérios relativos ao desenvolvimento embrionário, como já foi referido.
  8. 8. Larva de um Equinoderme com simetria bilateral
  9. 9. Simetria pentarradiada, na forma definitiva da estrela do mar (Equinoderme)
  10. 10.  A reprodução sexuada, presente em todos os animais, envolve sempre a formação de uma célula diplóide, o ovo. Esta célula, no decurso do desenvolvimento embrionário, entra em multiplicação, resultando células que se movimentam, tomando posições relacionadas com a sua futura diferenciação, para originarem a diversidade de tecidos e órgãos característicos dos animais. No decurso deste processo o embrião passa por diferentes processos.
  11. 11. Fases de desenvolvimento embrionário de diversos seres vivos.
  12. 12.  O embrião, ao atingir a fase de embrião didérmico, é constituído por dois folhetos embrionários, a ectoderme (externo) e a endoderme (interno). Este último folheto delimita uma cavidade correspondendo ao intestino primitivo, que comunica com o exterior por uma abertura, o blastóporo ou boca primitiva.
  13. 13.  Nos representantes de alguns filos, Cnidaria (medusas), por exemplo, o seu desenvolvimento embrionário termina com a diferenciação desses dois folhetos embrionários. São animais diploblásticos ou diblásticos, cuja parede do corpo é constituída apenas por duas camadas de células.
  14. 14.  Na maioria dos animais, porém, o desenvolvimento embrionário prossegue, atingindo a fase de embrião tridérmico, constituído por três folhetos embrionários: ectoderme, mesoderme e endoderme. Esses animais são triploblásticos.
  15. 15.  Em alguns deles não existe qualquer cavidade no organismo, para além da cavidade digestiva. Noutros forma-se uma cavidade entre a mesoderme e a endoderme, denominada pseudoceloma. Na maioria dos animais constitui-se uma cavidade uma cavidade no seio da mesoderme, totalmente delimitada por ela, que se chama celoma.
  16. 16.  A presença ou ausência destas cavidades permite distinguir: animais acelomados, sem celoma ou pseudoceloma como, por exemplo, os Platelmintes, animais pseudocelomados como os Nematelmintes, com pseudoceloma, e animais celomados, com celoma.
  17. 17.  Salienta-se ainda que existem duas linhas evolutivas diferentes dos celomados, de acordo com a origem da boca definitiva. Em muitos animais a boca primitiva origina a boca definitiva do animal, abrindo-se o ânus na extremidade oposta do tubo digestivo. Estes animais designam-se por protostómios (do grego proto = primeiro + stoma = boca). É comum incluir-se neste grupo, além dos Moluscos, Anelídeos e Artrópodes, também os Platelmintes e os Nematelmintes
  18. 18.  Moluscos (polvo, choco, lula, amêijoas, búzios – meio aquático; lesma e caracol – meio terrestre) Anelídeos (minhocas e sanguessugas) Artrópodes (escorpião, centopeia e a trilobite) Platelmintes (planária, ténia e distómio) Nematelmintes (lombriga)
  19. 19.  Nos Equinodermes e nos Cordados a boca primitiva origina o ânus, formando- se a boca definitiva na extremidade oposta – animais deuterostómios (do grego deutero = segundo + stoma = boca.
  20. 20. A- Animal protostómioB- Animal deuterostómio
  21. 21. Fim

×