Princípios estratigráficos

57.592 visualizações

Publicada em

Princípios da estratigrafia

Publicada em: Educação
4 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
57.592
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7.132
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
891
Comentários
4
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Princípios estratigráficos

  1. 1. Princípios estratigráficos
  2. 2. Princípio da horizontalidade dos estratos <ul><li>Os estratos sedimentares formam-se horizontalmente, isto é, os sedimentos depositam-se horizontalmente à medida que vão chegando à bacia de sedimentação, por efeito gravítico. </li></ul>
  3. 5. Princípio da sobreposição <ul><li>Numa sequência estratigráfica não deformada, um estrato mais recente sobrepõe-se a um estrato mais antigo, o que significa que os estratos serão tanto mais antigos, quanto mais profundos se encontrarem e tanto mais recentes quanto mais superiormente se encontrarem na sequência estratigráfica. </li></ul>
  4. 8. Princípio da identidade paleontológica ou do sincronismo <ul><li>Dois estratos apresentam a mesma idade se apresentarem o mesmo fóssil de idade. </li></ul>
  5. 10. <ul><li>A sequência estratigráfica põe ênfase na cronologia das camadas e na sucessão de ambientes sedimentares. A idade estabelecida por este processo é, no entanto, limitada. Nesta cronologia, o geólogo pode dizer que uma camada de rocha é mais antiga do que outra, mas não pode dizer quantos anos é mais velha, nem sequer quantos anos tem. </li></ul>
  6. 11. <ul><li>A velocidade e as condições de sedimentação variam ao longo do tempo e pode mesmo haver períodos de interrupção da sedimentação. Se as rochas afloram durante essa interrupção, podem ser emersas e erodidas. Se, posteriormente, a sedimentação, devido a nova imersão, prosseguir, forma-se um estrato que assenta numa superfície erodida. Essa superfície representa uma superfície de descontinuidade . </li></ul>
  7. 12. <ul><li>As grandes descontinuidades no registo geológico, marcadas pela ausência de camadas mais ou menos espessas, designam-se por discordâncias estratigráficas simples ou lacunas ou discordâncias estratigráficas angulares que podem ser explicadas por ausência de sedimentações no local ou por erosão de camadas que existiam. </li></ul>
  8. 14. Princípio da continuidade lateral <ul><li>Em diferentes pontos da Terra pode haver a mesma sequência estratigráfica, mesmo faltando um elemento tem a mesma idade, ou seja, é a correlação entre estratos distanciados lateralmente. </li></ul>
  9. 17. Princípio da intersecção <ul><li>Sempre que uma estrutura é intersectada por outra a que intersecta é mais recente. </li></ul><ul><li>São exemplos as fracturas, as falhas e as intrusões magmáticas </li></ul>
  10. 19. Princípio da inclusão <ul><li>O estrato que apresenta a inclusão é mais recente que os fragmentos do estrato incluído. Segundo, o princípio da inclusão fragmentos de rocha incorporados ou incluídos numa rocha –  encraves ou xenólitos – são mais antigos do que a rocha que os engloba. </li></ul><ul><li>São exemplos: Fragmentos de rochas antigas em rochas sedimentares mais recentes; Porções de rochas mais antigas no seio de intrusões ou extrusões magmáticas </li></ul>
  11. 21. Principio do actualismo ou das causas actuais <ul><li>1) os fenómenos geológicos existentes na actualidade são idênticos aos que ocorreram no passado, </li></ul><ul><li>2) os acontecimentos geológicos do passado, explicam-se através dos mesmos processos naturais que se observam na actualidade, </li></ul><ul><li>3) &quot; o presente é a chave do passado&quot;. </li></ul>
  12. 23. FIM

×