A Classificação Decimal de Dewey - CDD

46.822 visualizações

Publicada em

Traça pontos essenciais da Classificação Decimal de Dewey.

Publicada em: Educação, Tecnologia
2 comentários
20 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
46.822
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
152
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
806
Comentários
2
Gostaram
20
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Classificação Decimal de Dewey - CDD

  1. 1. A Classificação Decimal de Dewey - CDD Por Carla Façanha de Brito
  2. 2. O começo: processo mental <ul><li>Aristóteles e a razão inata: a substância e a forma </li></ul><ul><ul><li>Ex: Couro e sapato ?? </li></ul></ul><ul><li>Diferenciação entre o homem e as coisas ao seu redor?? </li></ul><ul><ul><li>Atitudes e ações </li></ul></ul><ul><ul><li>Suprir necessidades: vestir, comer, aquecer etc. </li></ul></ul><ul><li>James Duff Brown estabeleceu em 1916 que a classificação era um &quot; processo mental &quot; constantemente executado de forma consciente e inconsciente por qualquer ser humano, ainda que não reconhecido como tal. </li></ul>
  3. 3. Arrumando a casa !! <ul><li>Vivemos em um mundo complexo e heterogêneo: Idiomas diferenciados, variadas formas de expressão, novas idéias e teorias etc </li></ul><ul><li>Evolução da humanidade </li></ul><ul><li>Como conseguir que o conhecimento acumulado, e as novas descobertas sejam ordenados, para estes não venham a se perder? </li></ul><ul><ul><li>Busca da universalização e a internacionalização das formas de pensamento. </li></ul></ul><ul><li>Comunicação oral ?? </li></ul><ul><ul><li>Década de 60: 60.000 revistas científicas e um milhão de artigos individuais. </li></ul></ul><ul><li>As linguagens documentárias permitiram a pelo menos termos acesso aos avanços culturais e assim na construção de um novo conhecimento, por meio de uma ordenação. </li></ul>
  4. 4. A Trilogia <ul><li>Linguagem Comunicação Informação </li></ul><ul><li>Pela linguagem o homem recebe o que as gerações passadas passaram para ele. </li></ul><ul><ul><ul><li>Recebe não percebendo a extensão do mundo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Percebe a extensão do mundo, apropriando, modificando e construindo um mundo novo. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Comunicação: troca e relação com outros conhecimentos. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>E nessa comunicação, que se formam dois esteios importantes. O primeiro é fundamental e o outro, a sua conseqüência: a linguagem e a informação . </li></ul></ul></ul><ul><li>O que fazer para se ter uma linguagem compreensível que proporcione um comunicação? </li></ul>
  5. 5. Controle da linguagem <ul><li>A linguagem evolui no mesmo ritmo da evolução da humanidade. </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Linguagem + documentação + Necessidade de ordenação do conhecimento </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Necessidade e entendimento dos povos </li></ul></ul></ul></ul><ul><li>Segundo Emília Currás “ é importante ordenar o conhecimento e estabelecer as relações oportunas entre os diferentes idiomas, para não se cair novamente em uma Torre de Babel”. </li></ul>
  6. 6. O ato de classificar <ul><li>De acordo com Valente, a Classificação consiste no ato de classificar, de distribuir por classes, por categorias, segundo uma certa ordem e método. </li></ul><ul><li>Segundo Lentino (1971) , a classificação é, pois “ um processo mental, pelo qual as coisas são reunidas de acordo com o grau de semelhança ”. </li></ul><ul><li>Para ordenar o conhecimento é pertinente o estabelecimento de classes , ou seja, arrumar as idéias num sistema organizado do pensamento. Existem vários tipos de organizações, como por exemplo: as alfabéticas, as numéricas e as alfanuméricas. </li></ul><ul><li>As classificações são uma preciosa ajuda para a recuperação de informação , ajudam-nos a fazer uma triagem por assunto/ áreas de interesse. Quanto mais universal for a classificação, mais probabilidade terá de ser partilhada. </li></ul>
  7. 7. Melvil Dewey na busca de uma ordenação <ul><li>Melvil Dewey , nasceu em 1851. Com a idade de cinco anos revelava já o tipo de preocupação que lhe iria marcar a vida inteira: teria proporcionado à despensa de sua mãe uma organização sistemática , mais de acordo com a necessidade de recuperar os itens de mantimentos ali armazenados. </li></ul><ul><li>Aluno do Amherst College , de Amherst, Massachussetts , conseguiu, em 1872, o cargo de assistente de biblioteca , apresentando, no ano seguinte, um plano de reorganização da biblioteca daquele Colégio de maneira mais sistemática. </li></ul><ul><li>Em 1874 foi promovido a Assistant College Librarian , publicando em 1876, anonimamente, uma obra que viria revolucionar a Biblioteconomia de então , com enorme repercussão nos anos futuros: o Classification and Subject Index for Cataloguing and Arranging the Books and Pamphlets of a library. </li></ul><ul><li>Ainda em 1876 tornou-se o primeiro redator-chefe do Library Journal , além de membro-fundador da American Library Association , e seu primeiro secretário. Em 1887 fundou a primeira escola de Biblioteconomia dos Estados Unidos (Columbia Unversity), e, no transcurso de uma longa existência ( faleceu em 1931, com 80 anos ) participou ativamente não apenas de quase todos os aspectos da Biblioteconomia, mas também de áreas afins, como a reforma ortográfica da língua inglesa, por ele adotada nas primeiras edições do Sistema, cuja natureza e extensão podem ser vislumbradas ainda na Introdução de algumas edições mais antigas (como a 12a.) da mais famosa de suas contribuições para a Biblioteconomia: a Classificação Decimal . </li></ul>
  8. 8. A Classificação Decimal <ul><li>Na segunda metade do século XIX, surgiu nos Estados Unidos, a primeira classificação decimal de livros: </li></ul><ul><li>&quot;A Classificação Decimal de Melvil Dewey&quot;. </li></ul><ul><li>Uma idéia que hoje nos parece tão simples e que, no entanto, foi verdadeiramente revolucionária - a utilização de números arábicos decimais simbolizando os assuntos, para a arrumação de livros nas estantes das bibliotecas . </li></ul><ul><li>A concepção do jovem bibliotecário do Amherst College foi apresentada sem sua 1º edição sob a forma de um folheto de 42 páginas, em l876 , que trazia doze páginas de Introdução, doze de Tabelas e dezoito de Índice . Sua evolução foi tanta que em 1967, em sua 17° edição já contava com 2.000 páginas . </li></ul><ul><li>Hoje, em sua 21a. edição , a obra apresenta-se como um trabalho monumental, em 4 volumes , existindo toda uma organização editorial para a sua atualização. </li></ul><ul><ul><li>V.1 Introdução e tabelas auxiliares </li></ul></ul><ul><ul><li>V.2 Classes principais 0 a 5 </li></ul></ul><ul><ul><li>V.3 Classes principais 6 a 9 </li></ul></ul><ul><ul><li>V.4 Índice alfabético e manual </li></ul></ul>
  9. 9. O Sistema CDD <ul><li>O sistema de classificação de Dewey é o mais antigo, e, provavelmente, o de uso mais difundido dentre os denominados sistemas modernos. Segundo a Introdução de sua vigésima edição, é usado em mais de 135 países , e foi traduzido para mais de 30 idiomas . Nos Estados Unidos é o adotado pela maioria esmagadora (noventa e cinco por cento) das bibliotecas, isto é, a quase totalidade das bibliotecas públicas e escolares, vinte cinco por cento das universitárias e vinte por cento das especializadas. </li></ul><ul><li>Foi traduzido, com ou sem abreviação, expansão ou adaptação, para diversos idiomas, como, por exemplo, o espanhol, o norueguês, o turco, o francês, o japonês, o singalês, o português e o tailandês . </li></ul><ul><li>Em 1895 o antecessor do que é hoje a Federação Internacional de Informação e Documentação (FID), através de acordo com Melvil Dewey, adotou a Classificação Decimal como base para sua indexação bibliográfica internacional por assunto. Essa indexação se transformou na Classificação Decimal, conhecida também como Classificação de Bruxelas , hoje Classificação Decimal Universal (CDU), que, por sua vez, foi traduzida para diversas línguas. </li></ul><ul><li>Embora haja diferenças entre a CDD e a CDU, as bases de ambas permanecem essencialmente as mesmas. </li></ul>
  10. 10. Características <ul><li>A CDD é um sistema de classificação , isto é, um mapa completo das áreas do conhecimento, mostrando todos os seus conceitos e suas relações. É considerada, na verdade, como a primeira classificação verdadeiramente bibliográfica no sentido moderno. </li></ul><ul><li>É um sistema hierárquico , em que as idéias, os conceitos são representados em suas múltiplas relações de coordenação, de subordinação e de superordenação. </li></ul><ul><li>É um sistema de classificação decimal , isto é, adota como princípio fundamental a divisibilidade do todo, que é o conhecimento, em dez partes, baseando-se numa divisão inicial desse mesmo conhecimento em disciplinas e subdisciplinas. </li></ul><ul><li>As disciplinas são encaradas como grandes ramos do conhecimento, que englobam conceitos ou idéias menores, vistos como subdivisão ou derivação daquelas. Assim, a Filosofia, a Religião, as Ciência Sociais, as Ciências Puras, as Aplicadas, a História, são consideradas disciplinas, enquanto a Economia, a Sociologia, a Música, a Zoologia, a Botânica, são subdisciplinas em relação às grandes áreas em que se inserem. </li></ul>
  11. 11. Características <ul><li>É um sistema de classificação estruturado , abrangendo as seguintes partes: </li></ul><ul><ul><li>Conjunto de dez classes principais, reunindo obras sobre todos os assuntos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Conjunto de sete classes menores reunindo idéias adjetivas daquelas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Notação, que permite ordenar com lógica os assuntos e os documentos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Índice alfabético, para mais fácil acesso aos assuntos representados pelos </li></ul></ul><ul><ul><li>números do Sistema nas diversas classes. </li></ul></ul><ul><li>É um sistema de classificação enumerativo: relaciona todos os assuntos e todas as combinações/associações/relações possíveis entre os mesmos. É, por conseguinte, o oposto das classificações analítico-sintéticas, que proporcionam não listas fechadas (pré-coordenadas de assuntos), mas listas de propostas/ possibilidades/facetas, ficando a cargo do classificador a tarefa de combinar esses assuntos e seus símbolos segundo a necessidade e as exigências do contexto específico. </li></ul>
  12. 12. Estrutura da CDD <ul><li>A CDD organiza todo o conhecimento em dez classes principais que, segundo a descrição da Wikipédia , excluindo a primeira (000 Computadores, informação e referência geral), prosseguem do metafísico (filosofia e religião) ao mundano (história e geografia). </li></ul><ul><li>A inteligência da CDD está na escolha de números decimais para suas categorias; isto permite que o sistema seja ao mesmo tempo puramente numérico e infinitamente hierárquico . </li></ul><ul><li>Utiliza alguns mecanismos de uma classificação facetada, combinando elementos de diferentes partes da estrutura para construir um número representando o assunto do conteúdo (frequentemente combinando dois elementos de assuntos juntando números que representam áreas geográficas ou épocas) e sua forma, em vez de extrair a representação de uma única lista contendo cada classe e seu significado. </li></ul>
  13. 13. Classes Principais <ul><li>O sistema é composto de dez categorias: </li></ul><ul><li>000 Computadores, informação e referência geral </li></ul><ul><li>100 Filosofia e psicologia </li></ul><ul><li>200 Religião </li></ul><ul><li>300 Ciências sociais </li></ul><ul><li>400 Línguas </li></ul><ul><li>500 Ciência e matemática </li></ul><ul><li>600 Tecnologia </li></ul><ul><li>700 Arte e lazer </li></ul><ul><li>800 Literatura </li></ul><ul><li>900 História e geografia </li></ul>
  14. 14. As subdivisões Possibilidades infinitas de um sistema <ul><li>Cada classe é por sua vez dividida, sucessivamente, em grupos numerados de 1 a 9. A partir do terceiro algarismo, o sistema passa a desenvolver-se por meio de números decimais, continuando a ser subdividido por nove subclasses, até onde a especialização do assunto mostrar necessário. </li></ul><ul><li>Ex : A classe Ciências Sociais apresenta a seguinte subdivisão: </li></ul><ul><li>300 - Ciências Sociais 310 - Estatística 320 - Ciência Política 330 - Economia 340 - Direito 350 - Administração Pública 360 - Assistência Social e Instituições 370 - Educação 380 - Comércio e Comunicações 390 - Usos e Costumes </li></ul>
  15. 15. Tabelas auxiliares <ul><li>1. Subdivisões padrão </li></ul><ul><li>2. Subdivisões de área </li></ul><ul><li>3. Subdivisões de literaturas individuais </li></ul><ul><li>4. Subdivisões de línguas individuais </li></ul><ul><li>5. Subdivisões raciais, étnicas, nacionais </li></ul><ul><li>6. Subdivisões de línguas </li></ul><ul><li>7. Subdivisões de pessoas </li></ul>
  16. 16. A forma <ul><li>Os números de forma, ou divisões de forma, são adotados para agrupar, dentro de uma classe geral ou subdivisão, o material bibliográfico que apresenta certas características especiais na maneira em que o assunto é tratado. Como por exemplo, em forma de dicionário, em verbetes, em coletâneas de trabalhos esparsos ou em outras formas. </li></ul><ul><li>Os números de forma são os seguintes : 01 - Teoria, filosofia Assuntos expostos do ponto de vista teórico ou Filosófico. 02 - Compêndios Assuntos apresentados em forma resumida, geralmente para utilização no ensino. 03 - Dicionários e enciclopédias Assunto tratado, geralmente, em verbetes, dando somente o significado dos termos, no caso dos dicionários, ou mais longamente, o caso das enciclopédias. 04 - Discursos, ensaios, conferências Quando o material apresentado sob essas formas trata de um assunto específico. 05 - Periódicos Publicações em série, sobre determinado assunto, apresentadas em fascículos numerados, com duração indeterminada. O6 - Sociedades Publicações oficiais de sociedades eruditas: atas, relatórios, anuários etc. 07 - Estudo e Ensino A didática de um determinado assunto. 08 - Coleções, poligrafia Coletâneas de trabalhos diversos sobre um assunto, do mesmo ou de vários autores. 09 - A história de um assunto ou sua divisão por países </li></ul><ul><li>Exemplos: 340.03 - Enciclopédias ou dicionários de Direito 340.05 - Periódicos de Direito 342.29009 - História do Direito Marítimo </li></ul>
  17. 17. Emprego da Divisão Geográfica <ul><li>Qualquer assunto pode ser dividido geograficamente por meio da divisão de forma - História - seguida do número do país específico. Exemplo: Sociedades comerciais na França - 342.22 09 44 (Sociedades comerciais 342.22 + Número de forma - 09 + Número da França - 44) Em certos assuntos, porém, as tabelas já prevêem a divisão geográfica, mediante a indicação, dividir como 930-999. Nesses casos, não é necessária a utilização do número de forma 09, acrescentando-se, diretamente, ao número de assunto, o número do país. Exemplo: Constituições do Brasil - 341.24 81 (Constituições - 341.24 + Número do Brasil - 81) </li></ul>
  18. 18. Índice Alfabético <ul><li>Um elemento importante num sistema de classificação é o índice Alfabético de Assuntos, que representa a chave para a consulta às tabelas. </li></ul><ul><li>O usuário deve consultar sempre o índice antes de classificar qualquer publicação, o que poderá lhe dar a indicação de um novo aspecto do assunto em questão, no qual a obra ficará melhor localizada. </li></ul><ul><li>Porém, nunca deve ser feita a classificação diretamente pelo índice, sem consulta às tabelas, o que poderá induzir o classificador a graves erros. </li></ul>
  19. 19. Quem controla a CDD? <ul><li>A empresa Online Computer Library Center adquiriu a marca registrada e os direitos autorais relativos ao Systema Decimal de Dewey quando incorporou a editora Forest Press em 1988. A OCLC classifica livros novos lançados no mercado americano e atualiza o sistema de classificação. </li></ul>
  20. 20. Praticando a CDD <ul><li>Exercícios (ver quadro) </li></ul>
  21. 21. “ Livro algum [...] é tão bom que não possa torna-se melhor graças a um bom índice, e livro algum tão ruim que não possa, graças a esse acessório, fugir a pior das condenações” Sir. Edward Cook
  22. 22. Bibliografia <ul><li>KAULA, Prithvi N . Repensando os conceitos no estudo da classificação.< http://www.conexaorio.com/biti/kaula/index.htm > Acessado em: 02 de abril de 2007. </li></ul><ul><li>LENTINO, Noêmia. Guia teórico e prático e comparado dos principais sistemas de classificação bibliográfica . São Paulo: Polígono, 1971. </li></ul><ul><li>VALENTE, Iolanda Sofia Rendeiro. Comparação entre Formatos de Classificação CDD, CDU e LCC. Porto: NOVA ET NOVA, 2003.< http://www.cerem.ufp.pt/~nribeiro/aulas/tid/TID_iolanda_valente.pdf >. Acessada em: 03 de Abril de 2007. </li></ul><ul><li>WIKIPÉDIA, a enciclopédia livre . Classificação decimal de Dewey.< http://pt.wikipedia.org/wiki/Classifica %C3%A7%C3%A3o_ decimal_de_Dewey > Acessado em:02 de abril de 2007. </li></ul>
  23. 23. Obrigada pela atenção de todos!!! Carla Façanha de Brito [email_address]

×