O comércio mundial dianna e janete cv 13 3a

415 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
415
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
175
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O comércio mundial dianna e janete cv 13 3a

  1. 1. O comércio mundial O crescimento do comércio mundial foi extremamente acelerado no século XIX. Foi um crescimento mais rápido do que nos séculos anteriores ou mesmo posteriores e verificouse, em especial, nos países mais desenvolvidos da Europa e na América do Norte . Pela qual os países referidos pertenciam : Reino Unido,França, Alemanha; Holanda, Bélgica, Suíça,Escandinávia e Estado s Unidos da América A hegemonia destes países é explicada pelo tipo de trocas comerciais praticad as no século XIX.
  2. 2. Enquanto na Inglaterra o comércio se repartia entre aEuropa e as colónias. Esta distribuição geográfica do comércio mundial resultava do desenvolviment o de novos esquemas queincluíam trocas de matériasprimas minerais e produtos agrícolas por produtos industriais manufaturados e trocas de produtos manufaturados entre os países industrializados. O aumento do comércio de produtos primários foi um resultado da industrializa ção da Europa, que obrigou àimportação de grandes quantidades de materiais minerais e sobretudo de vegetais e de produtosalimentares consumidos por um a população em franco crescimento, mais bem nutrida em quantidade equalida de, devido ao aumento do rendimento per capita. Antigamente quando não havia dinheiro o comércio era designado por trocas por exemplo : trocar batatas por cebolas . Comércio é a troca de produtos. Antigamente, as trocas eram feitas por produtos de valor desconhecido onde cada um valorizava seu produto. Hoje, a troca é feita de forma indireta, uma pessoa troca o dinheiro pelo produto que deseja. A invenção do dinheiro contribuiu para a simplificação e promoção do desenvolvimento do comércio. O comércio pode estar relacionado com a economia formal que é firma registrada dentro da lei ou à economia informal que são firmas sem registros que não pagam impostos. O comércio informal traz prejuízos ao país, pois clonam qualquer tipo de produto para a venda mais barata e isso resulta em altíssimos prejuízos. O mercado é o lugar público onde negociantes expõem e vendem seus produtos. O surgimento do mercado como um espaço físico ocorreu na antiguidade antes da invenção do dinheiro. Independentemente da existência do dinheiro, é a oferta e a procura por mercadorias ou serviços que permite a existência do comércio. O comércio pode ser realizado entre países, o que chamamos de comércio exterior. Nesse caso, o país se organiza para importar e exportar. Exportar é quando um produto ou bem é vendido para fora do país e importar consiste na entrada de um produto estrangeiro no país. O comércio atacadista vende produtos em grandes quantidades visando donos de mercados que recebem descontos maiores por ainda revenderem a mercadoria enquanto o varejista vende produtos unitários e visa os consumidores finais para o próprio consumo do produto. Novo director da Organização Mundial do Comércio quer novo fôlego nas negociações
  3. 3. O novo director-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), o brasileiro Roberto Azevêdo, pediu nesta segunda-feira aos países para reavivarem as relações comerciais entre Estados e regiões e pediu um "novo fôlego" contra os perigos do proteccionismo. "O mundo percebe que nos esquecemos de negociar, somos vistos como estando paralisados, é essencial trazer um novo fôlego para as negociações", disse Azevêdo no primeiro discurso enquanto sucessor de Pascal Lamy à frente da OMC. Em funções desde o passado dia 1, o director-geral da OMC acrescentou que "o futuro do sistema multilateral do comércio está em risco" e que "os que têm mais a perdpequenos e vulneráveis". Os membros da OMC definiram as regras do comércio mundial na Ronda de Doha, no Qatar, em 2001, com o objectivo de abrir mercados e eliminar barreiras comerciais, como os subsídios ou os impostos alfandegários excessivos, mas as negociações nunca chegaram a bom porto, tendo sido rapidamente paralisadas, principalmente devido às discordâncias entre a China, a Índia, os Estados Unidos e a União Europeia. Uma nova ronda ministerial está prevista para Bali, em Dezembro. "O mundo não vai esperar indefinidamente pela OMC, ele vai seguir em frente com escolhas que não são nem tão eficazes nem tão globais", alertou o novo responsável, referindo-se aos acordos entre os Estados Unidos e a União Europeia e com 12 países da região do Pacífico. "Devemos manter-nos vigilantes contra o proteccionismo", vincou Roberto Azevêdo, citado pela AFP. OMC revê em baixa crescimento do comércio mundial em 2013
  4. 4. Entretanto, a OMC reviu em baixa, de 3,3% para 2,5%, a estimativa do crescimento do comércio Ver são os [países] mais pequenos e vulneráveis". Os membros da OMC definiram as regras do comércio mundial na Ronda de Doha, no Qatar, em 2001, com o objectivo de abrir mercados e eliminar barreiras comerciais, como os subsídios ou os impostos alfandegários excessivos, mas as negociações nunca chegaram a bom porto, tendo sido rapidamente paralisadas, principalmente devido às discordâncias entre a China, a Índia, os Estados Unidos e a União Europeia. Uma nova ronda ministerial está prevista para Bali, em Dezembro. "O mundo não vai esperar indefinidamente pela OMC, ele vai seguir em frente com escolhas que não são nem tão eficazes nem tão globais", alertou o novo responsável, referindo-se aos acordos entre os Estados Unidos e a União Europeia e com 12 países da região do Pacífico. "Devemos manter-nos vigilantes contra o proteccionismo", vincou Roberto Azevêdo, citado pela AFP. OMC revê em baixa crescimento do comércio mundial em 2013 Entretanto, a OMC reviu em baixa, de 3,3% para 2,5%, a estimativa do crescimento do comércio internacional para este ano, informou o secretáriogeral da organização. A OMC também reviu em baixa as trocas comerciais em 2014, com uma estimativa de crescimento de 4,5%, em vez de uma de 5,5% calculada previamente, segundo a revisão dos analistas da OMC divulgada por Roberto Azevêdo. Segundo este responsável, a razão principal da revisão em baixa das estimativas de crescimento do comércio internacional resultou da não-verificação das perspectivas calculadas pela OMC para a União Europeia, que previam uma recuperação económica a partir do segundo trimestre deste ano. Os sinais de melhoria da economia da UE só começaram a surgir recentemente, já no terceiro
  5. 5. trimestre. A revogação do regulamento do Modcom, sistema de incentivo a projetos de modernização comercial criado pelo executivo liderado José Sócrates em 2005, deu lugar a uma nova medida de incentivo ao comércio, adaptada às crescentes exigências do contexto económico atual. Concentrar o apoio “em projetos com crescente conteúdo qualitativo” que promovam a criação de fatores diferenciadores claros e melhorem os níveis de competitividade da oferta comercial é a principal prioridade da Comércio Investe”.
  6. 6. Na órbita de atuação do novo incentivo financeiro para o setor comercial estão inseridas as micro e pequenas empresas, assim como as associações empresariais do setor, num regime que abrange projetos de modernização comercial de natureza individual ou conjunta. Trabalho realizado Janete Diogo e Diana Gomes CURSO VOCAÇIONAL 13 3A

×