Oficina deMinistrante: Tiago H. Ribeiro
O jogo é maisantigo       que a     cultura.
O queé umjogo?             Processo ou resultado        		   Ação ativa ou passiva        		                 História
O jogo é um processo significante.              Não rola chamar de “instinto”,              “vontade” ou “espírito”.      ...
A essência do jogo está nodivertimento.
Está fora daesfera humana.        Não é puramente           mecânico.                        É algo                      i...
Quando criou a linguagem, o homem começou a brincar com essa faculdade.Com a metafora surgiu o primeiro        Jogo de pal...
E eis que surge omito             ... e logo depois, o culto e o ritual
Característicasfundamentaisdos jogos
Jogo é atividade voluntária.                           Sujeito a ordens,                           deixa de ser jogo
Liber          dadeSedução
Prazer
Jogo não é “vida corrente”.                                    Nem                              “vida real”
Evasão para uma outra esfera temporal.umoutromundo
“Todo jogo pode— a qualquer momento —     absorver   completamente      o jogador.”                    Huizinga, 1990.
Isso é diferente de o jogo não seralgo sério ou inferior.   Jogo é desinteressado          . Está fora   da satisfação ime...
Jogo cria ordem e é ordem.                    Desobedecer esta ordem                             estraga o jogo
Há umarelação íntima  entre jogo eestética
Equilíbrio
Compensação
Contraste e variação
União
E desunião também
Regras    oferecemritmo e harmonia
Jogo é tensão.                 Mas também                     solução
Embora esteja acima de bem ou mal,   há certo valor ético no jogo.
ilusão.Não respeitar regras priva o jogo da                  (inlusio, illudere, inludere = “em jogo”)
Quem não respeita as regrasé um “desmancha-prazeres”.   O jogador que blefa, entretanto,      é visto de modo diferente.
Jogos geram comunidadesde jogadores.                     O jogo permanece                        depois do jogo
Questão de identidade, cultura e sociedade. O “eles” e o “nós”.
Jogos permitemtornar-se outro
Dois aspectos fundamentaisdos jogos                  Uma   luta por alguma coisa      a   representação de alguma coisa
Esses aspectos também                    podem se confundirA representação                                    A luta porde...
BRINo que é umQUEDO?
regrasEstá livre de                Pode ser experimentado várias vezes,                          de várias formas diferent...
Os vários papéisde uma vidanormal
Pai de D, B e C     Esposo de Dona MProprietário do Apartamento L Funcionário da Empresa S       Dr. A - Médico       Namo...
Com tantos papéis assumidos         quem  é o exemplo de verdade?
Todas as identidades requisitam tempo.
A ludicidade, aexpressão criativa,o jogar e o brincarsão alimentos parao eu original
O que dá para fazer     nesse tempo?
Prefira umhobbyao invés de umpassatempo.
Atividade sem esforço físico.
Não use esse tempo para assistir nada.Isso também é passatempo.                                Lembre das crianças:       ...
Uma atividademanual é umaótima escolha.
vocêSó escolha o quecurtiria fazer.                       Quanto mais desnecessário                           para o mundo...
TROproduzaFÉUS
Finalidade     prática     do hobbyFazer você se manter bem e vivo no            meio da tormenta      .
HUIZINGA, Johan.Homo Ludens:o jogo como elemento da cultura.São Paulo. Editora Perspectiva.1990.                          ...
JUNIOR, Lucio Abbondati e                               ABBONDATI, Lucia Vasconcellos.                               Jogos...
GADAMER, Hans G.A arte comojogo, símboloe festaRio de Janeiro. Tempo Bras. 1985.                                          ...
sites                      altamente                      recomendadosilhadotabuleiro.com.brludomania.com.brtroisstudio.bl...
obrigado.Muito, mas muito                   Mesmo!
Oficina Jogos e Brinquedos
Oficina Jogos e Brinquedos
Oficina Jogos e Brinquedos
Oficina Jogos e Brinquedos
Oficina Jogos e Brinquedos
Oficina Jogos e Brinquedos
Oficina Jogos e Brinquedos
Oficina Jogos e Brinquedos
Oficina Jogos e Brinquedos
Oficina Jogos e Brinquedos
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Oficina Jogos e Brinquedos

1.709 visualizações

Publicada em

Slides para a oficina de Jogos e Brinquedos, ministrada no 1º Integra Design — semana acadêmica dos cursos de Design da UFPEL e do IFSUL.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.709
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
27
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Oficina Jogos e Brinquedos

  1. 1. Oficina deMinistrante: Tiago H. Ribeiro
  2. 2. O jogo é maisantigo que a cultura.
  3. 3. O queé umjogo? Processo ou resultado Ação ativa ou passiva História
  4. 4. O jogo é um processo significante. Não rola chamar de “instinto”, “vontade” ou “espírito”. É algo que possui um significado.
  5. 5. A essência do jogo está nodivertimento.
  6. 6. Está fora daesfera humana. Não é puramente mecânico. É algo imaterial.
  7. 7. Quando criou a linguagem, o homem começou a brincar com essa faculdade.Com a metafora surgiu o primeiro Jogo de palAvraS
  8. 8. E eis que surge omito ... e logo depois, o culto e o ritual
  9. 9. Característicasfundamentaisdos jogos
  10. 10. Jogo é atividade voluntária. Sujeito a ordens, deixa de ser jogo
  11. 11. Liber dadeSedução
  12. 12. Prazer
  13. 13. Jogo não é “vida corrente”. Nem “vida real”
  14. 14. Evasão para uma outra esfera temporal.umoutromundo
  15. 15. “Todo jogo pode— a qualquer momento — absorver completamente o jogador.” Huizinga, 1990.
  16. 16. Isso é diferente de o jogo não seralgo sério ou inferior. Jogo é desinteressado . Está fora da satisfação imediata das necessidades. Jogamos porque fomos cativados. Fascinados.
  17. 17. Jogo cria ordem e é ordem. Desobedecer esta ordem estraga o jogo
  18. 18. Há umarelação íntima entre jogo eestética
  19. 19. Equilíbrio
  20. 20. Compensação
  21. 21. Contraste e variação
  22. 22. União
  23. 23. E desunião também
  24. 24. Regras oferecemritmo e harmonia
  25. 25. Jogo é tensão. Mas também solução
  26. 26. Embora esteja acima de bem ou mal, há certo valor ético no jogo.
  27. 27. ilusão.Não respeitar regras priva o jogo da (inlusio, illudere, inludere = “em jogo”)
  28. 28. Quem não respeita as regrasé um “desmancha-prazeres”. O jogador que blefa, entretanto, é visto de modo diferente.
  29. 29. Jogos geram comunidadesde jogadores. O jogo permanece depois do jogo
  30. 30. Questão de identidade, cultura e sociedade. O “eles” e o “nós”.
  31. 31. Jogos permitemtornar-se outro
  32. 32. Dois aspectos fundamentaisdos jogos Uma luta por alguma coisa a representação de alguma coisa
  33. 33. Esses aspectos também podem se confundirA representação A luta porde uma luta representar melhor
  34. 34. BRINo que é umQUEDO?
  35. 35. regrasEstá livre de Pode ser experimentado várias vezes, de várias formas diferentes.
  36. 36. Os vários papéisde uma vidanormal
  37. 37. Pai de D, B e C Esposo de Dona MProprietário do Apartamento L Funcionário da Empresa S Dr. A - Médico Namorado de R Aluno Z, W, V Mora em Y Filho X A
  38. 38. Com tantos papéis assumidos quem é o exemplo de verdade?
  39. 39. Todas as identidades requisitam tempo.
  40. 40. A ludicidade, aexpressão criativa,o jogar e o brincarsão alimentos parao eu original
  41. 41. O que dá para fazer nesse tempo?
  42. 42. Prefira umhobbyao invés de umpassatempo.
  43. 43. Atividade sem esforço físico.
  44. 44. Não use esse tempo para assistir nada.Isso também é passatempo. Lembre das crianças: imaginam algo, pensam nos meios e partem para a ação.
  45. 45. Uma atividademanual é umaótima escolha.
  46. 46. vocêSó escolha o quecurtiria fazer. Quanto mais desnecessário para o mundo, melhor. Aqui ele não é seu público-alvo.
  47. 47. TROproduzaFÉUS
  48. 48. Finalidade prática do hobbyFazer você se manter bem e vivo no meio da tormenta .
  49. 49. HUIZINGA, Johan.Homo Ludens:o jogo como elemento da cultura.São Paulo. Editora Perspectiva.1990. RODARI, Gianni. Gramática da Fantasia São Paulo. Editora Summus. 1999. Livros recomendados
  50. 50. JUNIOR, Lucio Abbondati e ABBONDATI, Lucia Vasconcellos. Jogos & soluções interativas: sua importância para o universo corporativo, a educação, a saúde e as relações interpessoais no século XXI. Rio de Janeiro. Qualitymark Editora. 2007.SCHILLER, Friedrich.A educaçãoestética dohomem.São Paulo. Iluminuras. 1990. Livros recomendados
  51. 51. GADAMER, Hans G.A arte comojogo, símboloe festaRio de Janeiro. Tempo Bras. 1985. MUNARI, Bruno. Das coisas nascem as coisas São Paulo. Martins Editora. 1981. Livros recomendados
  52. 52. sites altamente recomendadosilhadotabuleiro.com.brludomania.com.brtroisstudio.blogspot.com.brrpgista.com.brdefensoresdetoquio.comboardgamegeek.comeaitemjogo.blogspot.com.br
  53. 53. obrigado.Muito, mas muito Mesmo!

×