TRANSUSTAINABLE HOUSE BY SUGAWARADAISUKE ARCHITECTS

1.070 visualizações

Publicada em

A TRANSUSTAINABLE HOUSE ESTÁ LOCALIZADA EM TÓQUIO, JAPÃO.
ESTA É UMA ANÁLISE DE SEU PROJETO ARQUITETÔNICO.

THE TRANSUSTAINABLE HOUSE IS LOCATED IN TOKYO, JAPAN.
THIS IS AN ARCHITETONIC PROJECT ANALYSIS.

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.070
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
176
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

TRANSUSTAINABLE HOUSE BY SUGAWARADAISUKE ARCHITECTS

  1. 1. DaisukeSugawara principal arquiteto 2013 –professor da faculdade de ciência e tecnologia. Universidade Nihon 2008 –fundou o Sugawaradaisuke 2006-07 –trabalhou em <shigerubanarchitecteurope> / frança 2004-05 –trabalhou em <jakob+ Macfarlane> / frança 2004 –trabalhou em <c + a tokyo> / japão 2003 –registrado em firstclassarchitect(licença n. 312817) 2003 –concluiu o mestrado da escola superior de ciência e engenharia da universidade waseda 2000 –bacharel em arquitetura pela universidade de nihon 1977 –nasceu em Tóquio japão
  2. 2. Construída na área residencial de Tóquio, visa responder às quatro características da habitação urbana: Local pequeno de construção Estilo diverso de viver Incessantemente atualizando a paisagem Diversos ambientes térmicos Transustainable house “este projeto mostra uma nova solução para a arquitetura sustentável, porque metamorfoseia sua existência ao longo do tempo.”
  3. 3. FuncionalLOCALIZAÇÃO A casa está localizada no distrito de chofu,cidade de Tóquio, capital do japão.
  4. 4. A casa está implantada em um quarteirão estreito e irregular, com sua fachada noroeste voltada para uma pequena rua asfaltada sem calçadas e, as fachadas nordeste e sudeste voltadas para outras casas, enquanto a sua fachada sudoeste dá para um terreno vazio. A estreita rua indica pouco fluxo de automóveis e a ausência de calçadas sugere a não existência de conflito entre veículos automotores e pedestres. Funcional entornO
  5. 5. A casa possui área construída de 38,62 metros quadrados, somando as duas áreas livres internas nas diagonais noroeste e sudeste, 76,30 metros quadrados, em um terreno de 100,08 metros quadrados O acesso é único para pedestres, ciclistas e automóveis. Funcional implantAÇÃO Delimitação do terreno
  6. 6. O terreno não possui declividade, assim, o projeto não necessitou de nenhuma adequação quanto à forma na implantação. Linha do solo rua FuncionalTOPOGRAFIA
  7. 7. FUNCIONAL ORIENTAÇÃO SOLAR E INSOLAÇÃO PAVIMENTO TÉRREO FACHADA NORDESTE FACHADA SUDOESTE FACHADA NOROESTE FACHADA SUDESTE A trajetória solar no hemisfério norte é de leste para oeste passando pelo sul. Na casa, o sol da manhã atinge o encontro das fachadas nordeste e sudeste – aquecendo os rooms direcionados aos possíveis dormitórios em ambos os pisos –, passando pelo place c e se pondo na fachada sudoeste – onde também se encontram o banheiro e o room a - e,o place d e a cozinha no piso superior. Pavimento superior
  8. 8. FUNCIONAL ACESSOS & CIRCULAÇÃO ACESSO único - RUA ACESSOS PARA O INTERIOR DA CASA Área de circulação Circulação verticAL CIRCULAÇÃO horizontal PAVIMENTO TÉRREO Pavimento superior FACHADA NOROESTE O acesso à casa se dá por uma única entrada, localizada na fachada noroeste. Para adentrar à edificação, o acesso se dá tanto pelo room a que está à direita, quanto à frente seguindo pelo place a (externo) e chegando ao place b (interno-externo). Os acessos de cada andar se dão principalmente pelos places internos-externos, a circulação vertical ocorre pela escada localizada à esquerda do place b, visível pela translucidez da fachada nordeste.
  9. 9. FUNCIONAL ZONEAMENTO O PROJETO, APESAR DE NÃO SER EM UMA Grande área, estende a percepção dos espaços para além de seus limites físicos. Sua composição de espaços permite diferentes arranjos, o que admite uma flexibilidade no zoneamento e na setorização, respondendo à transição do estilo de vida dos moradores.
  10. 10. CIRCULAÇÃO SERVIÇOS SOCIAL ÍNTIMA jovem casal Íntima pais Íntima pensionista FUNCIONAL SETORIZAÇÃO Pais jovem casal pensionista Uso comum No pavimento inferior, os places a e c são áreas livres internas. Os cômodos privados são chamados rooms e estão dispostos diagonalmente na casa, enquanto as áreas de convivência, também denominados places, são criadas entre eles, transformando o resto do espaço em área residencial semi interna. Os places b e d são considerados internos-externos, que deve-se ao fato de possuírem grande transparência e amplas aberturas que dão uma sensação mais forte da presença do exterior e é uma transição para os Rooms, totalmente internos e, os places a e c totalmente externos
  11. 11. FUNCIONALOrganização espacial A divisão entre os cômodos de uso social se dá principalmente por esquadrias de vidro, proporcionando uma integração interior maior e ao mesmo tempo dando uma sensação de amplitude. O módulo central corresponde aos espaços de circulação, convivência e banho, revestidos por material translúcido, permitindo maior aproveitamento da luz natural.. Estas mesmas sensações de integração e amplitude se dão em uma escala maior, que relaciona a casa com seu entorno, pela escolha dos materiais que proporcionam diferentes ambientes térmicos aos moradores.
  12. 12. formalGeometria da forma de ocupação A casa está implantada em um terreno retangular e se encontra no meio deste, deixando um pequeno espaço entre toda a área e as fachadas. Delimitação do terreno Delimitação da casa Delimitação dos módulos Forma de organização dos ambientes Podemos considerar que os ambientes do pavimento térreo se organizam de forma radial a partir do placeb, enquanto os ambientes do andar superior se organizam de forma espiral a partir da escada. a casa SE DIVIDE em três módulos: o frontal e o posterior correspondentes às fachadas noroeste e sudeste, respectivamente, são os que dividem os cômodos íntimos e de serviços.
  13. 13. formalvolumetria A forma da casa parte de um volume prismático inteiro. A partir de ações como deslize, recorte e preenchimento, a forma exterior final ainda se assemelha à ideia inicial, porém com diferentes noções de espaço com um jogo de cheios e vazios complementado pela translucidez, opacidade e textura vazada. A casa é ortogonal com a cobertura inclinada.
  14. 14. Formalfachadas As fachadas laterais são totalmente ortogonais e, a frontal e a posterior são pentagonais, todas revestidas de material metálico, ora vazado, ora fechado. Nas áreas em que o material é vazado, nota- se a presença de material translúcido revestindo as áreas sociais e, nos placessem cobertura, esta trama faz o papel do muro de uma residência comum. A superfície de todas as fachadas é pintada com uma mistura de ferro em pó e gesso, que exposta à chuva, vento e luz solar, se desgasta, enferruja e grava o microclima Assim, o aspecto arquitetônico não é concebido pelo arquiteto, mas definido pelo comportamento real dos fenômenos naturais
  15. 15. O exoesqueleto metálico da casa, de acordo com a função do ambiente, varia ser fechado ou vazado. A exposição à luz é diretamente proporcional ao tipo de privacidade que se deseja. OPACIDADE & TRANSPARÊNCIA Transparente Translúcido opaco
  16. 16. Construtivo materiais a casa é estruturada e revestida em madeira e isolante térmico, aberturas com vidro duplo, exoesqueleto metálico e cobertura de telha metálica sanduíche. Escada metálica única com dois lances. Piso de seixos/pedriscos soltos nos places térreos, cerâmico nos banheiros e cozinha e, de madeira nos demais cômodos. Exoesqueleto metálico Estrutura em madeira Elemento translúcido Vidro simples Vidro duplo Escada de metal Seixos/pedriscos soltos Piso em madeira Piso em cerâmica
  17. 17. Construtivológica estrutural A fundação da casa é feita em radier,exceto nos placesexternos. Estrutura em woodframe, vedações e pisos de madeira preenchidos com isolante térmico.
  18. 18. Construtivocobertura A cobertura é composta por dois planos em diedros desencontrados. A cobertura da cozinha é uma laje com claraboia, que além de que proporcionar iluminação zenital à cozinha, serve de acesso para o placeE. A cobertura é feita por telha metálica sanduíche, tipo de telha que envolve o material isolante térmico. Utiliza Treliças tipo gableende Sua inclinação evita o acúmulo de neve . telha sanduíche Madeiramento paralelo ao corte Madeiramento ortogonal ao corte Isolante térmico
  19. 19. Construtivoelementos de adequação climática A escolha da madeira como estrutura e vedação na casa deve-se ao fato da boa inércia térmica deste material, interagindo muito lentamente com a temperatura do redor.. A grande quantidade e amplitude das aberturas com vidro duplo tornam a casa propícia à insolação, aquecendo o interior do ambiente por efeito de estufa e evitando a perda de calor.. Os seixos/pedriscos soltos servem como fonte de calor radiante na medida em que são aquecidos pela insolação, além de remeter à tradição do jardim de pedras do japãofeudal. Seu exoesqueleto metálico serve como barreira física para as intempéries. Mesmo a escolha dos materiais sendo eficiente, devido às baixas temperaturas, um sistema de aquecimento mecânico é utilizado para complementar. Portanto, devido às baixas temperaturas locais, todos os elementos de adequação climática visam a otimização do aquecimento. Nesta casa, o artificial e o natural são misturados gradualmente, produzindo diversas escolhas a serem feitas de acordo com a percepção térmica dos moradores. Ela oferece quatro tipos de ambientes: alto controle é o interior onde o uso de ar condicionado mecânico e aquecedor são responsáveis pela climatização; o interior de médio controle corresponde à transição entre o climatizado e o exterior de médio controle, que é a parte dos placesexternos e; por último o exterior de condição natural de ar livre. Estas quatro abordagens criam incontáveis condições térmicas, não apenas devido às mudanças de estação, mas também pelas janelas e portas, estimulando os moradores a procurarem perceptivamente os locais adequados a cada momento. Exterior de médio controle interior de médio controle interior de alto controle Exterior de condição natural de ar livre
  20. 20. Construtivoelementos de adequação climática Aparelhos dispostos no exterior da edificação Localização das saídas de ar dentro da casa Sempre na parte superior dos cômodos
  21. 21. Construtivosistemas de aberturas AS ESQUADRIAS INTERNAS DA CASA EM SUA MAIORIA SÃO AMPLAS E DE VIDRO, QUE CORREM HORIZONTALMENTE EM CAIXILHOS METÁLICOS. ESTAS SERVEM TANTO COMO PORTAS QUANTO JANELAS, EM AMBOS OS PISOS OS ROOMS, DE USOsÍNTIMO E DE SERVIÇO, POSSUEM JANELAS QUADRADAS COM ABERTURA BASCULANTE, QUE SERVEM PARA ILUMINAÇÃO E VENTILAÇÃO CRUZADA. Estas estão voltadas para as fachadas Janelas dos roomse cozinha Portas/janelas para os places
  22. 22. referências Sugawaradaisukearchitecture+ artdirection<http://sugawaradaisuke.com/> Allabout<http://allabout.co.jp/gm/gc/440683/1/#1> Archdaily<http://www.archdaily.com/536042/transustainable-house- sugawaradaisuke/> Archello<http://www.archello.com/en/project/transustainable- house#> Deezen<http://www.dezeen.com/2014/08/08/transustainable-house- japan-by-sugawaradaisuke-rusted-exterior-tokyo-chofu/> Design boom <http://www.designboom.com/architecture/sugawaradaisuke- transustainable-house-tokyo-japan-08-06-2014/> Gooood<http://www.gooood.hk/transustainable-house.htm> Inhabitat<http://inhabitat.com/rusty-transustainable-house- blurs-the-indoor-outdoor-boundary-in-tokyo/> Ignant<http://www.ignant.de/2014/09/04/transustainable-house-by- sugawara-daisuke/> Ken platz<http://kenplatz.nikkeibp.co.jp/article/building/news/20140527/664409/> Novinky<http://www.novinky.cz/bydleni/tipy-a-trendy/346507- rezavy-dum-se-prizpusobuje-promenlivemu-zivotu-svych- obyvatel.html>

×