001 Criação em Propaganda

272 visualizações

Publicada em

Primeiro conteúdo da disciplina de Criação em Propaganda do curso de Publicidade e Propaganda da UCDB.

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
272
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

001 Criação em Propaganda

  1. 1. PROCESSO CRIATIVO Algumas pessoas veem a criatividade como uma atividade relativamente não estruturada de pular em tomo de ideias até se deparar com a ideia certa. Embora isto funcione para algumas pessoas, muitas situações da vida real requerem uma abordagem mais estruturada. A liberdade para experimentar é essencial para a criatividade, como também alguma disciplina para assegurar objetividade e consistência. 'e
  2. 2. PROCESSO CRIATIVO Seja qual for o nível de estruturação adotado, o processo criativo se fundamenta em três princípios: Atenção, Fuga e Movimento. O primeiro princípio nos diz: concentre-se na situação ou problema; o segundo: escape do pensamento convencional; o terceiro: dê vazão à sua imaginação.
  3. 3. Never Loo KEEP l< Back GOING. .. PROCESSO CRIATIVO Estas três ações mentais formam uma estrutura integrada em que se baseiam todos os métodos de pensamento criativo. As diferenças entre os diversos métodos encontrados na literatura especializada estão na ênfase dada a cada um destes princípios e nas ferramentas usadas.
  4. 4. «O 5 5;¡ ' v) ç . ç _ Í ana( ~ A Never ã PROCESSO CRIATIVO L k B I< As definições destes três prin ' 'os são parcialmente OO ' 'radas no trabalho de Pa . Plsek (Creativity, K E E p Q Q | N Ç _ _ _ vationandQuaIitvASQQualityPress).
  5. 5. Atenção
  6. 6. PROCESSO CRIATIVO ATENÇÃO A criatividade requer que primeiro concentremos nosso foco em algo, um problema ou uma oportunidade. “u, .. .ih . P/l/ _xla-r' ' x V¡
  7. 7. _ I A l ñ __ . ^-i: ~ni: ei: ..; ;oinic: iiini Iltlnumlllplâli , v - w». ç veia-t: aaailioihiojra-aziieiiauiia-: nm l nnupxaimasLgEto-nt: a» Vílllihlêlâü-: ueíl LQZÕÍâl-'isqlli' " _ 'em g_ ç *_ 11_ _o
  8. 8. PROCESSO CRIATIVO Se estivermos explorando oportunidades, 7-. _ voltamos nossa atenção para o que não i g funciona ou pode ser aperfeiçoado: 5 o que é dificil e complicado e pode se tomar fácil e simples; ' , . *A* o que é lento e pode se tornar ” P" ^ Í ' rápido, ou vice-versa; ' o que é pesado e pode se tornar t leve e portátil; › _ / o que é instável e pode se tornar _ estável e confiável; “- ; V o que está separado e pode ser combinado e unificado, ou viceversa; __. - -_ _ - - muitas outras possibilidades em '"-- -' n , ç que usualmente não prestamos atenção.
  9. 9. :r 'PROCESSO cRiAiivq- Çfíf: a mais acessivel e mais amigável, revoluciona o . › todaaindústriadeinformática. _Q z ' , _ 1'¡ - _ zh; / ¡ »f / v. .V. ' / l , . z . l' _ Y 1 1,1' . ç N_ ' t . .* -tê : - _ E A5/ '. n-J. " ”: / Í f¡ Até 1980, a indústria de computadores dirigia _ __ e sua atenção para a máquina, como torna-la_ ' - " ' - mais potente. Applee Windows tocaram sua ' ' " ' ' Í atençao no usuario, em como tornarb comgítagor- n
  10. 10. PROCESSO CRIATIVO Se estivermos analisando um problema, concentramos nossa atenção para compreender melhor a situação, suas diferenças e similaridades com outras situações conhecidas, as peculiaridades do problema analisado e suas possiveis causas. Tentamos entender a situação, procurando respostas para as seguintes questões: O que está acontecendo? Onde? Como? Quando? Por quê? Quem está envolvido?
  11. 11. PROCESSO CRIATIVO Tanto no caso de exploração de oportunidades, quanto no caso de solução de problemas, devemos ficar atentos aos paradigmas, aos sentimentos e às suposições que podem estar atuando sobre nossa percepção e entendimento da situação. Averdadeira viagem do descobrimento não consiste na procura de novas paisagens, mas em ter novos olhos- Marcel Proust.
  12. 12. ;NW PROCESSO CRIATIVO : Ne FUGA ~ › X a ~~ 'i Tendo concentrado nossa atenção na maneira comoias coisassãofeitas atualmente; o segundo principio do processo criativo nos chama a escapar mentalmente dos nossos atuais modelos de pensa7hento. É a hora de refletir sobre os nossos¡ _ bloqueios mentais e derrubar aspÍaredes que limitam nossa imaginação ao ' . . *i ' ' ' ' queseimpffiaemoaaoàueé rtáveles 'ro. . _ ç~ ' ' ' i i _ * _ - E o w' S' | 'g à [l k v › . a1 at, l i ' r r uma: :Í A** ^fli *A*
  13. 13. PROC 7:5'. ? CRl. -.'lí'l/ O Averdade é que os hábitos, mais do que nossas habilidades, predominam na escolha de nossos caminhos. Tendemos a trilhar sempre o mesmo vale, que se toma Lada vez mais profundo e mais dificil de escapar. Você não pode resolver um problema com a mesma atitude mental que o criou -Albert Einstein.
  14. 14. PROCESSO CRIATIVO MOVIMENTO Simplesmente prestar atenção e escapar do modelo de pensamento atual não é sempre suficiente para gerar ideias criativas. Movimento, o terceiro princípio nos leva a continuar a exploração e combinação de novas ideias. É o momento de dar asas à imaginação e gerar novas alternativas, sem perder de vista os propósitos do processo criativo. É o momento de fazer conexões l insólitas, de ver analogias e relações entre ideias e objetos que não eram anteriormente relacionados. v. .
  15. 15. PROCESSO CRIATIVO O conhecimento destes três princípios abre o caminho para o entendimento dos diversos métodos e técnicas de criatividade encontradas nos livros. As técnicas . _ existentes têm a finalidade de nos auxiliar em pelo *é ' . j menos um dos três princípios. Diferentes métodos _" * ~ ' ' resultam da diferentes combinações destas técnicas. ' Dominando os três princípios, Atenção, Fuga e s Movimento, você pode criar o seu próprio método, selecionando, combinando, ou mesmo criando as_ técnicas e ferramentas que mais se adaptam à sua personalidade e preferências. Você também pode adequar métodos e técnicas ao problema especifico que você está enfrenta ndo.
  16. 16. Atenção À qu! ? o Elementos da situaçao alual + Caracterlsiicas, atributos e categorias O Diferenças e similaridades 0 Suposiçoes. pedras e paraagiias o 0 que runciona e o que náo lunclovia é C0l$8$ ein que normalmente não prestamos atenção í; ,z Fuga De que? v# Ideias dominantes o Pensamento convencional O Restrições memais atirar: 6 Julgamentos prematuros 0 Barreiras e regras 6 suposições 6 Expenencias passadas 0 Tempo e lugar Mownmnu E m que sentido? o No tempo e no espaço Ô A Outro ponto oevlsia Ô DO geral D33 O particular e VlC e-versa 4- LMe associação de ideias -0 Explorar conaões ente carteiros. tecnologias e ou ecos
  17. 17. Uupzrtc e explore sua “ CE fiabilidade; r: lei-nina¡ : :ncncíur par¡ , _ . _ vmiividadr. “naum e ; oluçlo d: problemas _ _. l' , l as* ” r N f' a " eJÍ/ z _ ' Fit? " *7=~; _ lairo Siqueira lairo Siqueira

×