Criação Publicitária

256 visualizações

Publicada em

Novo conteúdo da disciplina de Criação Publicitária do curso de Publicidade e Propaganda da Estácio Campus TV Morena.

Publicada em: Design
  • Seja o primeiro a comentar

Criação Publicitária

  1. 1. Em ^ ml* 1), ', | Â Ã II vil
  2. 2. _i l mil i* l? ! i* l * ll . ^. . E AI'(= o1¡T= _nd(= nñl= u'I›«launmmn Itzlñiiíl» : :nom-Anil(omilapiulmlnnrunllo : lnur-Jlzrslorzio-laldro- camara-undlounnmmtz. PIawaonm-'Ionnnnn . me _QIQÍOIÍElÍVÍÇWHEIÍ/ (ãlíiio¡íâlo-llãâã íñnLwr-zoiurowlnnlllíl : L3 [n51 : pa: 4qgl! (=ulei]= _il: ..Ahdlomiluraldhmprâlo-huto-cllumaszsia-nnnik-lnliiñílvnk. 5§ÉEÍêlFrl! lC. Ê'= lÍ^IIVhll0)(§1=Illãiwlllldãlíà:
  3. 3. l lVtlsllliWlll . il , .-1 . Io)¡Plhlkllliomgiqlunio-dlucqoilt: : croar: :ncinza. u:›: .gi: .›zqluri. ~c›z. .z m: : e: proliâiiêhllillInmlnio-mldhlvnuunfínváiuma¡nríimnmcre : ..¡r= IIIII=7I= ciltralhllon¡roMo-(âiaibrro. “ít-*iillílgoiuuíllikíolfoin film-was'. iizqgainru¡ 'álixixolllltâlioindláWll¡Íilallifbiñílon@Raimi-a'“élligjlii= aufi›z1fíilio *iqLuáídlo”ilâilillim¡às! dlàtãliloñiioidhxvn: môranpmiílr'dlomâulllo pnmarçto¡rçiiginraomnêzq p 'laiisíclollilãsmhlllm _; meuLlllmiiíaxcllléiialialñqlílacbàl “r- e temum! ritmtasqluátamnaraw airmrq_orçirerqr~s~rfr+~r_ reuniram-iram¡ ia. . rz-atilnrgrczhnjaneiunm? à¡t-: inraiiiaruurmiqraumt ; gas 5;
  4. 4. @GMM é No início da década de 1960, Dr. RogerSperry e sua equipe trabalhando em um grande hospital americano realiza ram várias experiências com pacientes epiléticos, os quais tiveramas conexões entre os seus hemisférios cerebrais (direito e esquerdo) desfeitas através de uma cirurgia como uma maneira de reduzir os efeitos da epilepsia. Os estudos de Sperry confirmaram que os dois lados do cérebro cumprem funções diferentes. e @M
  5. 5. ri itfiiislr»“'t. i:~ii iii iii : ri O lado esquerdo (que controla o lado direito do corpo) lida principalmente com a linguagem, a lógica e o tempo; e o lado direito, principalmente, com emoção, imaginação, visão, intuição e orientação espacial. d' . Í _ J . of" u: n** f" r 4,5”. › u_ l u' . l › s
  6. 6. DOM l NÂNCIA CEREBRAL Esses estudos foram se torna ndo cada vez mais sofisticados até que o pesquisadoramericano Ned Herrmann apresentou a sua pesquisa, reconhecida mundialmente edividindo o cérebro em quatro quadrantes com as seguintes características:
  7. 7. ° Es uerdo Su erior *I ireito Su erior « . . ” ' l _ . i A - _ a ' -
  8. 8. DOMINÂNCIA CEREB Analítico - ANALISA os fatos - trata-os de forma lógica e racional. A pessoa com este tipo de dominância gosta de analisar as infonnações disponíveis e de entender o funcionamentodos processos.
  9. 9. DOMINÂNCIA CEREB Tem clareza no entendimento dos fatos. Gosta de esclarecer questões e serdesafiado. Para este resultado, percebe-se, normalmente, como ponto forte, o raciocínio lógico e, como aspecto a desenvolver, o relacionamento interpessoal e o trabalho em equipe.
  10. 10. DOMINÂNCIA CEREB A pessoa com este tipo de dominância é alguém que define objetivos, coleta dados e fatos e analisa as informaçõesdisponíveis. É lógico, crítico e realista. Para este resultado, percebe-se, normalmente, como ponto forte, acapacídade de análise e como aspecto a desenvolver, o relacionamento interpessoal.
  11. 11. @QM NCM CÉRÉB Experimental - VISUALIZA os “fatos” - trataos de forma intuitiva e holística. A pessoa com este tipo de dominância tende a sintetizar, integrar ideias e inventarsoluções. Pessoas deste tipogostam de correr riscos, de tervariedade em suas vidas e causar mudanças. Para este resultado, percebe-se, normalmente, como ponto forte, a busca incansável por novas oportunidades e como aspecto a desenvolver; acapacídade de lidarcom procedimentos e _g regras, além de planejamento eorganização. "í É,
  12. 12. BÚMEMÀNCM CEREBRML_ Controlador « - ORGANIZA os fatos -trata os detalhes de forma realista e cronológica. A pessoa com este tipo de dominância é alguém pontual, confiável e que ordena as ações para atingir os objetivos propostos. Faz análise de risco para avaliaras consequências da abordagem adotada, toma providências e é atentoa os detalhes.
  13. 13. BÚMWÀNCM CEREBRML_ Para este resultado, percebe-se, - normalmente, como ponto forte, a organização e o planejamento e como aspecto a desenvolver, a capacidade de lidar com riscos e a criatividade.
  14. 14. DOMI NÂNCIA CEREBRAL Relacional - SENTE os "fatos" - trata-os de forma expressiva e interpessoal.
  15. 15. , l '5 4 t u. l ll f l 'l l l v l A I l A. ¡ 1 , ~ 4. N _ y A Let »il f ('1àr'l* brain Ã* l* i_ ' tmn¡ i" ' t* 'iràéwezv . . ll-nq-_lu-iiu lw Iuirmilh. lJinAiilrinlv um. . * . _ ll l r *r 4 r . . r ~ V, r» ÍÀW *St *z u, M _ N¡ b ' i . . s . l *ia , - “ll o _ V; . "y . ..Í '
  16. 16. pomiiinncin CEEE As pesquisas realizadas nos últimos anos mostram que a maioria dos altos executivos, gerentes e supervisores tendem a ser indivíduos que desenvolveram fortemente preferências para utilizar ' 'i o lado esquerdo do cérebro e, ,l conseqüentemente, como resultado -Íjfi disto as organizações tendem a focar é . “5 as suas atividades em áreas que são , LÍ primariamenteorientadas para í essas características.
  17. 17. pomiiiâncin Canaa Portanto quais são as implicações para tudo isto? Quando uma organização foca apenas a satividades que estão mais dirigidas para o lado esquerdo, logo de cara estão utilizando -quando muito 50% da sua capacidade. Ao mesmo tempo por não valorizarem as funções do lado direito tendem a ser muito burocráticas, e têm os seus focos muito mais dirigidos para a área operacional e poreste motivo não conseguem se conectar com o todo.
  18. 18. «MNÀNWA Quando consideramos que o pensamento criativo gera um processo, através do qualutilizamos dois tipos de pensamento, ou seja, o pensamento divergente que é resultanteda ação focada no hemisfério cerebral direito (adiarjulgamento, imaginar, ousar, buscar novas alternativas, sair do velho paradigma), ao passo que o pensamento convergente é resultante da ação focada no hemisfério esquerdo (julga, avalia e escolhe).
  19. 19. «MNÂiXiüli/ iéi É a partirdaí que entendemos a importância do processo criativo nas organizaçõesjá que o mesmo tende a gerar um movimento entre os centros de pensamento divergente e convergente.
  20. 20. u¡ was_ ÍMNÂNÇIA CEREBRAL O individuo criativo não é àqüele que apenas usa o lado direito do cérebro, mas principalmente aquele que sabe utilizar bem os dois hemisférios cerebrais e, portanto, por utilizar mais seu potencial cerebral, consegue além do sucesso profissional, também encontra o desejado, procurado e importante sucesso ñnanceiro da sua carreira.

×