País: Portugal                                  Jornal de Negócios Online                                                 ...
curioso, empreendedor e aventureiro deve equacionar", afirma Antonio Tajani, vice -presidente da   Comiss ão Europeia, res...
desenvolve tecnologia propriet ária e patenteada em áreas como processamento de Imagem, Realidade    Aumentada, interfaces...
País: Portugal                                   Jornal de Negócios Online    "Temos muitos parceiros que t êm lojas em An...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Europa em busca da renovação

371 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
371
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Europa em busca da renovação

  1. 1. País: Portugal Jornal de Negócios Online Period.: Diária Âmbito: OnlineID: 37730876 29-09-2011 Pag.: 1 de 4 PME Europa em busca da renovação 29 Setembro 2011 | 11:06 Ana Pimentel - António Câmara e Miguel Pina Martins foram os dois empresários distinguidos pela Comissão Europeia para representarem Portugal na Semana do Empreendedorismo Europeu. Os Empreendedores do Ano 2009 e 2010 contam como lançaram a YDreams e a Science4You. Em Outubro, decorre a edição de 2011 desta iniciativa. Miguel Pina Martins tinha apenas 25 anos quando a Comiss ão Europeia o nomeou "Empreendedor do Ano 2010" e o convidou a representar Portugal na Semana do Empreendedorismo Europeu. Foi o segundo português que mostrou à Europa que por c á também se inova. Em causa, estava a Science4You, um projecto empresarial que come çou por ser um trabalho final de um curso de Finan ças do ISCTE e que acabou por tornar -se um sucesso de vendas em tr ês anos. Foi o que bastou. Antes de a Comiss ão lhe ter reconhecido o m érito, o jovem de 26 anos j á tinha sido distinguido com o "Prémio Empreendedor Finicia Jovem", em 2009, e com o primeiro lugar da "European Entreprise Awards", na categoria "Internacionalização", a nível nacional. Em três anos, a Science4You criou 42 brinquedos, está presente em cinco países e aumentou a facturação em cerca de 100% por ano. Quando a Comissão Europeia se reuniu com o IAPMEI, Miguel Pina Martins foi eleito o Empreendedor do Ano 2010. Empresa Science4You Cargo que ocupa Administrador Início de actividade 2008 Área de actividade Brinquedos e actividades de ci ência Número de colaboradores 18 Número de brinquedos 42 Objectivo de factura ção para 2011 500 mil euros A próxima edição do galard ão europeu é já em Outubro, sendo que a semana Europeia SME 2011 vai decorrer de tr ês a nove desse m ês. O evento pretende informar os empreendedores do que é que as autoridades locais, regionais, nacionais e a União Europeia estão a oferecer às micro, pequenas e médias empresas, em termos de apoios. Visa promover o empreendedorismo, para que cada vez mais jovens encarem o neg ócio por conta própria como uma carreira e estilo de vida, e reconhece a contribuição que os empreendedores distinguidos depositam na empregabilidade, inovação, competitividade e bem -estar europeu. O ano de estreia da iniciativa foi 2009. No ano passado, houve 1500 eventos em 37 pa íses. Em Viena, Áustria, pfoi promovida a confer ência sobre "Processos Inovadores de alimentos Artesanais", enquanto em Barcelona e Val ência se organizou "Os Dias do Empreendedor". No Porto, esteve houve o evento "SME & a Corrida do Empreendedorismo e em Belgrado decorreram os prémios "Flores de Sucesso", para as melhores empreendedoras, entre outros. "Estou convicto de que estas PME ser ão uma fonte inesgot ável de inspira ção para todas as pessoas, de todas as idades, que aspiram à criação do seu próprio emprego. O percurso de 36 dirigentes de PME prova -nos que não existe uma resposta única, mas sim um grande conjunto de op ções que um esp írito curioso, empreendedor e aventureiro deve equacionar", afirma Antonio Tajani, vice -presidente da Comiss ão Europeia, respons ável pela indústria e pelo empreendedorismo, na "Brochura do Sucesso" de 2010. As PME criam 80% de novos postos de trabalho e representam 99% da totalidade das empresas europeias, segundo o respons ável. Para Ant ónio Tajani, um dos efeitos fundamentais da crise financeira foi a redescoberta do papel central que as PME e os empresários desempenham na economia europeia. "Para continuar a ser competitiva, a Europa deve mobilizar todo o seu potencial humano dispon ível e estimular o esp írito empresarial nas nossas sociedades". Dois anos, duas conquistas
  2. 2. curioso, empreendedor e aventureiro deve equacionar", afirma Antonio Tajani, vice -presidente da Comiss ão Europeia, respons ável pela indústria e pelo empreendedorismo, na "Brochura do Sucesso" de 2010. País: Portugal Jornal de Negócios Online As PME criam 80% de novos postos de trabalho e representam 99% da totalidade das empresas Period.: Diária europeias, segundo o respons ável. Para Ant ónio Tajani, um dos efeitos fundamentais da crise financeira foi a redescoberta do papel central que as PME e os empresários desempenham na economia europeia. Âmbito: Online "Para continuar a ser competitiva, a Europa deve mobilizar todo o seu potencial humano dispon ível eID: 37730876 29-09-2011 estimular o esp írito empresarial nas nossas sociedades". Pag.: 2 de 4 Dois anos, duas conquistas Miguel Pina Martins reunia as caracter ísticas impostas pela Comissão Europeia. A Science4You tinha apenas dois anos de exist ência, tinha recorrido a um programa de financiamento gerido pelo IAPMEI - Instituto de Apoio às Pequenas e M édias Empresas e á Inova ção, o Finicia, o seu fundador tinha apenas 25 anos e a empresa empregava entre duas a 50 pessoas. "Não estava à espera, porque n ão há concurso. A Comiss ão Europeia escolhe algumas empresas que em Portugal tenham tido destaque e em conjunto com o IAPMEI distinguem um empreendedor que preencha os seus requisitos: ser jovem, ter financiamento atrav és da União Europeia e do Estado." E acrescenta: "mais importante do que ter sido distinguido, foi ter tido a honra de representar Portugal na Semana Europeia das PME." Não é por acaso que a Science4You utiliza o s ímbolo do "compre o que é nosso". "Sermos uma empresa portuguesa é fundamentalíssimo para n ós e não abdicamos disso por nada", revela. Contudo, ainda n ão foi desta que Miguel Pina Martins se sentiu com o dever cumprido. Para que isso aconte ça, quer criar mais emprego, mudar a vida de mais pessoas, desenvolver a sua actividade e contribuir mais para a balança comercial portuguesa, no que toca às exporta ções e importações. Em 2009, primeira edi ção do galard ão europeu, foi Ant ónio C âmara, da YDreams, que levou para casa o reconhecimento europeu. O projecto, lan çado em 2000 com Eduardo Dias, Edmundo Nobre, Miguel Remédio e Nuno Correia, come çou por se dedicar apenas a projectos na área dos telem óveis. "O primeiro projecto foi o Canal Mapas, para a Vodafone", conta Ant ónio C âmara. Há mais de dez anos, o objectivo dos cinco promotores era o de criar uma empresa global de tecnologia portuguesa. Conseguiram -no. A YDreams tornou -se um grupo de empresas que emprega cerca de 130 pessoas globalmente e divide -se em três áreas: a YDrems Life, que desenvolveu mais de 600 projectos em 25 países, YDreams DOOH, que vende produtos de "digital signage" em 20 pa íses e o Ylabs, que assegura a investigação do grupo. É parceira tecnol ógica e acionista de referencia na Audience Entertainment, sediada em Nova Iorque e criou quatro "spin -offs": a YVision, na área da Realidade Aumentada, a Ynvisible, cotada na bolsa de Frankfurt e que desenvolve superfícies interactivas através da química, a YDreams Robotics, que vai lan çar em 2012 "robots" para o grande consumo e a YDreams Atlantic, que se vai orientar para a exploração marinha nos A çores. Desde que António Câmara lançou a YDreams, criou quatro "spin-offs" da sua tecnologia: a YVision, Ynvisible, YDreams Robotics e a YDreams Atlantic. Em 2009, foi reconhecido pela Comiss ão Europeia como Empreendedor do Ano e a YDreams tornou -se membro do AR Consortium, um grupo de empresas globais pioneiras no desenvolvimento de tecnologia e ferramentas de Realidade Aumentada. Empresa YDreams Cargo que ocupa Presidente executivo) Início de actividade 2000 Área de actividade Novas tecnologias Número de colaboradores 130 Depois de todas as mudan ças, o que é que se manteve? "A ênfase na investiga ção, criação de propriedade intelectual e a ambi ção de tornar este grupo numa refer ência mundial", respondeu António C âmara ao Neg ócios. E explica: "Não sei exactamente porque fui nomeado directamente pela Comissão Europeia, apenas que o factor determinante foi a visita de uma pessoa chave na defini ção de políticas de inova ção na Europa." Apesar de já ter recebido v ários galard ões nacionais e internacionais ao longo da sua carreira, como o Pr émio Pessoa em 2006, este distingue-se pelo seu car ácter empreendedor. "A maioria dos pr émios que recebi deveu -se a contribuições espec íficas em inova ção", afirma. Aumentar a realidade A YDreams é especialista em tecnologias de interac ção, com foco na área de Realidade Aumentada. Nos últimos anos, tem vindo a desenvolver ambientes interactivos, de lojas a exposi ções, e produtos inovadores que combinam tecnologia e design. A empresa j á implementou mais de 500 projectos em todo o mundo e está a arrancar com processos de "spin -off" das suas tecnologias. E investiga e desenvolve tecnologia propriet ária e patenteada em áreas como processamento de Imagem, Realidade Aumentada, interfaces activadas por gestos e computa ção invisível. Tudo come çou em 2000, quando os cinco colegas do GASA, um laboratório de investigação da Universidade Nova de Lisboa - Faculdade de Ci ência e Tecnologia, resolveram fundar a Ideias Interactivas S.A. Em Abril de 2001, a empresa come ça a desenvolver jogos m óveis baseados em localização real, combinando a posi ção geográfica dos jogadores com o enredo do jogo. No ano seguinte, os fundadores mudam o nome da empresa para YDreams e lan çam o primeiro jogo móvel, Roskstar, na Vodafone Live. Em Janeiro de 2003, a empresa cria o Cubo Interactivo de 4x4
  3. 3. desenvolve tecnologia propriet ária e patenteada em áreas como processamento de Imagem, Realidade Aumentada, interfaces activadas por gestos e computa ção invisível. País: Portugal Jornal de Negócios Online Tudo come çou em 2000, quando os cinco colegas do GASA, um laboratório de investigação da Universidade Nova de Lisboa - Faculdade de Ci ência e Tecnologia, resolveram fundar a Ideias Period.: Diária Interactivas S.A. Em Abril de 2001, a empresa come ça a desenvolver jogos m óveis baseados em localização real, combinando a posi ção geográfica dos jogadores com o enredo do jogo. Âmbito: OnlineID: No ano seguinte, os fundadores mudam o nome da empresa para YDreams e lan çam o primeiro jogo 37730876 29-09-2011 Pag.: 3 de 4 móvel, Roskstar, na Vodafone Live. Em Janeiro de 2003, a empresa cria o Cubo Interactivo de 4x4 metros para a sede da Vodafone em Lisboa, em conjunto com a IDEO e, em Julho, começa a trabalhar em Realidade Aumentada. Este Cubo venceu o pr émio da Industrial Design Society of America. É em 2004 que a empresa come ça a expandir -se. Abre um escrit ório em Barcelona e cria ambientes interactivos para clientes como PT; Funda ção Portuguesa das Comunica ções, Museu da Presid ência, Trienal de Milão, entre outros. Em 2005, instala o primeiro virtual Sightseeing, em Pinhel, e um ano depois lança o jogo para telem óveis "Cristiano Ronaldo Underworld Footbal", em colabora ção com a Gestifute/PolarisSport, distribu ído no mundo inteiro. Dois anos depois, recebe investimento da ES Tech Venture (Grupo Espirito Santo) e da Herrick Partners, uma empresa norte -americana, no valor de 8,5 milhões de euros, e lan ça o maior projecto internacional da empresa at é à data, a Adidas Eye Ball. Em 2007, cria a primeira experiência de publicidade interactiva em cinema, em pa íses como Portugal, Espanha e Brasil e, no final desse ano, é referida na revista "The Economist" como a empresa pioneira em tecnologias de Realidade Aumentada. No ano seguinte, lan ça o produto Architek - Criador de Solu ções Alternativas, uma rede empresarial para o desenvolvimento de produtos revolucion ários e abre um escrit ório nos Estados Unidos da América. Em Fevereiro, cria a campanha interactiva, F ábrica da Felicidade, da Coca -Cola , no Brasil. Em 2009, a YDreams torna -se membro do AR Consortium, um grupo de empresas globais pioneiras no desenvolvimento de tecnologia e ferramentas de Realidade Aumentada. Quanto à presença da empresa na Semana Europeia do Empreendedorismo, Ant ónio C âmara afirma que foi uma "excelente iniciativa", mas lamenta que a sua comunica ção seja insuficiente a n ível europeu. A quem quer seguir as suas pisadas, só dá um conselho: nunca desistir do sonho. Produzir brinquedos cient íficos Quando o Neg ócios falou pela última vez com Miguel Pina Martins, a Science4You tinha 12 brinquedos à  venda e três campos de ac ção. Agora, vende mais 30. "Temos vindo a fazer uma aposta grande na área das actividades: campos de f érias, festas de anivers ário, "workshops" nas escolas, actividades extra-curriculares, entre outras." O empreendedor acredita que vai ser possível ter resultados muito positivos nesta área, sobretudo no pr óximo ano -lectivo. "Em termos de brinquedos j á estamos praticamente em todos os sítios onde queremos estar. E somos líderes de mercado, é praticamente un ânime, apesar de n ão haver dados sobre este tipo de mercado". Miguel Pina Martins sublinha que a Science4You n ão pretende ser uma marca de brinquedos cient íficos, mas sim um conceito de ciência. Quer oferecer aos seus clientes um vasto leque de opções, que permitem o desenvolvimento cognitivo e experimental das crian ças. Como? A crian ça compra o brinquedo, tem direito a uma oferta para os museus da ci ência e esta visita irá  estimulá-lo para este tipo de interacção e experimenta ção. "É precisamente a í que queremos chegar: fazer com que as crian ças se interessem pela ci ência não propriamente pelo estudo, mas pelo car ácter didático, educativo, mais a brincar, que a ci ência pode ter." Às festas de aniversário juntam-se os campos de f érias, no Ver ão ou no Natal e as actividades promovidas nas escolas. Em três anos, muita coisa mudou: a sala no ICAT - Instituto de Ciência Aplicada e Tecnologia é maior, o armaz ém deixou de ser um cub ículo para ocupar outras duas salas, t êm mais colaboradores, mais cientistas e uma equipa muito própria. "A coisa tem funcionado muito melhor, porque apesar de continuarmos a trabalhar com a faculdade, fazemo -lo de uma forma mais independente, o que nos permite criar novos produtos." Além da autonomia, a Sciencie4You tem ganho dimens ão. Abriu um escritório em Madrid e está a apostar "em grande" no mercado espanhol, muito maior do que o portugu ês em termos comerciais e de vendas. " É um mercado com mais poder de compra e com mais popula ção, acima de tudo, o que permite sonhar um bocadinho mais do que aquilo que se faz c á", adianta. Planos não faltam. Miguel Pina Martins quer abrir outros escrit órios na União Europeia, fabricar brinquedos noutras línguas e internacionalizar -se cada vez mais. J á são cinco os pa íses que a Science4You conquistou: Espanha, Brasil, Angola, Moçambique e Finlândia. "Para continuar a ser competitiva, a Europa deve mobilizar todo o seu potencial humano dispon ível e estimular o esp írito empresarial nas suas sociedades" , afirma Antonio Tajani . "Temos muitos parceiros que t êm lojas em Angola e Mo çambique e acabam por levar os brinquedos de uma forma natural para l á", explica. Um dos ex -colaboradores da empresa emigrou para o Brasil, onde abriu uma firma e representa a Science4You no país do samba. A surpresa vem da Finl ândia. "Um finlandês que estava em Portugal viu os nossos brinquedos num s ítio qualquer, achou giríssimo, voltou para a Finl ândia, meteu-se novamente num avi ão, veio até cá e quer
  4. 4. País: Portugal Jornal de Negócios Online "Temos muitos parceiros que t êm lojas em Angola e Mo çambique e acabam por levar os brinquedos de Period.: Diária uma forma natural para l á", explica. Um dos ex -colaboradores da empresa emigrou para o Brasil, onde abriu uma firma e representa a Science4You no país do samba. Âmbito: OnlineID: A surpresa vem da Finl ândia. "Um finlandês que estava em Portugal viu os nossos brinquedos num s ítio 37730876 29-09-2011 Pag.: 4 de 4 qualquer, achou giríssimo, voltou para a Finl ândia, meteu-se novamente num avi ão, veio até cá e quer levar os brinquedos para o seu pa ís", explica. Neste momento, a equipa de colaboradores da empresa encontra-se a fazer as tradu ções de todos os brinquedos para que o neg ócio se concretize. "O projecto está um bocadinho atrasado em rela ção às nossas expectativas, mas está a andar. Não vale a pena estarmos com pressas, porque o que é importante é as coisas ficarem bem feitas." O futuro est á em Espanha Quanto às vendas, s ó há aspectos positivos a destacar. Angola e Brasil t êm corrido ao seu ritmo natural, apesar do último sofrer por ser um país muito burocrático e proteccionista, segundo o jovem. O objectivo é ter todos os brinquedos posicionados no mercado brasileiro na altura do Natal. De Espanha, chega uma factura ção de 25% a 35%, o que "acaba por ser bom, tendo em conta que a empresa ainda n ão tem três anos de vendas". A ambi ção do empreendedor é que esta atinja os 50% no próximo ano. "Esperemos que Portugal comece a representar cerca de 40% em 2012, tendo em conta que os outros pa íses ainda n ão têm uma express ão muito grande." Miguel Pina Martins n ão poderia estar mais satisfeito. Apesar da crise que o pa ís vive, a Scinece4You cresceu 100% em rela ção ao ano passado. Come çou com 50 mil euros no primeiro ano, no segundo aumentou para 195 mil, no terceiro para 250 mil e o objectivo de 2011 é chegar aos 500 mil euros. "Neste momento, j á temos 200 mil. Tendo em conta que a época do ano que come ça em Setembro é  normalmente muito forte, esperamos conseguir alcançar entre os 400 e os 500 mil euros." Em 2012, se tudo correr como o empreendedor prev ê, vai conseguir chegar a um milh ão de euros, "um objectivo que apesar de ambicioso, é realista", comenta. A internacionaliza ção continua a ser uma prioridade, os brinquedos continuam a ter o mesmo conceito e a aposta na ciência é a mesma. Toda a miss ão e vis ão da empresa se mant êm. Os colaboradores continuam a trabalhar e a dedicarem -se e é isso que consegue que faz com que a Science4You cresça. "Sem trabalho e dedica ção, é praticamente imposs ível fazer -se seja o que for, a n ão ser que se tenha muita sorte na vida." Uma multinacional em tr ês anos "Mais importante do que ter uma ideia, é preciso ter vontade de trabalhar, porque projectos não faltam." Para o vencedor da última edição do prémio da Comiss ão Europeia, empreender foi a melhor decisão que tomou at é ao momento. Chega mesmo a afirmar que aprendeu muito mais nestes tr ês anos do que se tivesse estado 20 anos na faculdade. Miguel Pina Martins arriscou numa altura em que não tinha muito a perder: n ão tinha filhos, carro ou casa própria. Se algo corresse mal, perdia um ano da sua vida. Não só não correu mal, como n ão poderia ter corrido melhor. conseguiu montar uma multinacional em 36 meses. "Não é preciso ter pais ricos nem ir ao banco para criar uma empresa. Eu sou um exemplo disso." Miguel Pina Martins refere-se às capitais de risco, apoios com garantia mútua e outros mecanismos de incentivo às pequenas e m édias empresas presentes no Estado português. Só é preciso que todos os sonhadores estejam atentos.

×