Estrutura etária

250 visualizações

Publicada em

Estrutura Etária

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
250
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estrutura etária

  1. 1. ESTRUTURA ETÁRIA A Estrutura Etária consiste na distribuição da população por sexo (feminino ou masculino) e idade. A população divide-se em 3 grupos etários:  Jovens: 0 a 14 anos  Adultos: 15 a 64 anos  Idosos: 65 e mais anos O estudo da estrutura etária faz-se através das Pirâmides Etárias. O formato da pirâmide representa a demografia da região representada. Pela pirâmide é possível identificar se uma determinada população é jovem ou envelhecida. As pirâmides podem ainda apresentar classes ocas (classe etária em que o número de pessoas é inferior ao da classe seguinte). Pirâmides de países desenvolvidos (ex. Europa 2006) representam:  Taxa de Natalidade baixa  Elevada esperança média de vida  Pequena proporção de jovens  Crescimento demográfico reduzido  População Envelhecida Pirâmides de países em Desenvolvimento (ex. África 2006)representam:  Taxa de Natalidade elevada  Esperança média de vida baixa  Grande proporção de jovens  Forte crescimento demográfico  População Jovem As pirâmides classificam-se ainda como:  Pirâmide jovem ou Crescente (base larga e topo estreito - típica dos PED)  Pirâmide Adulta ou de Transição (base e centro largos - típica dos PEd onde se verificou uma quebra na natalidade e um aumento da EMV devido à redução da mortalidade)  Pirâmide Idosa ou Decrescente (base estreita em relação a um topo largo - típica dos PD)  Pirâmide Rejuvenescente (classes da base com um aumento - típica de países onde se aplicaram políticas natalistas - PD)
  2. 2. RITMOS DEMOGRÁFICOS POPULAÇÃO ENVELHECIDA - consequências:  Redução do Índice Sintético de Fecundidade (número médio de filhos por mulher em idade fértil: 15 até 49 anos)  Aumento da esperança média de vida  Diminuição da população activa  Diminuição do espírito de iniciativa e criativo  Aumento das despesas de Segurança Social (reformas)  Aumento das despesas com a saúde  Necessidade de construção de lares e adaptar equipamentos e serviços de lazeràs necessidades dos idosos POPULAÇÃO JOVEM - consequências:  Quando é retratado uma população jovem é importante referir:  Incapacidade de garantir educação e formação da população  Taxa de Analfabetismo e de Desemprego elevadas
  3. 3.  Incapacidade de garantir as necessidades básicas como habitação, alimentação, originando miséria e pobreza. POLÍTICAS DEMOGRÁFICAS POLÍTICAS NATALISTAS Nos países desenvolvidos, a preocupação com o envelhecimento da população justifica a escolha de uma política natalista. As medidas de incentivo são, nomeadamente:  Aumento do abono de família  Benefício, financeira e fiscalmente, das famílias numerosas  Aumento do período de licença de maternidade/paternidade  Melhoria da assistência médico-infantil  Construção de uma rede pública de ensino pré-primário  Flexibilização de horários de trabalho  Valorização da mulher no emprego POLÍTICAS ANTINATALISTAS Nos países em desenvolvimento, o controlo do crescimento populacional originou as seguintes medidas pertencentes a uma política antinatalista:  Benefícios, financeira e fiscalmente, das famílias pequenas  Divulgação do planeamento familiar  Incentivo ao casamento tardio  Valorização da mulher na sociedade  Distribuição gratuita de contraceptivos  Atribuição de bolsas de estudo a raparigas  Legalização do aborto

×