Lição 13                                                                                                22 a 29 de dezembr...
5Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição.6Bem-aventurado e san...
Recapitule os eventos revelados nesses versos, acontecimentos sobrenaturais que mostram a grandeza e o poder deDeus, em co...
O conceito de juízo na Bíblia é rico e multifacetado. O juízo final tem três fases, a primeira das quais é aquela associad...
cana até doze mil estádios; e o seu comprimento, largura e altura eram iguais.17 E mediu o seu muro, de cento e quarenta e...
Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. (Apoc. 21:1)Pois a criaç...
E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque asprime...
Resumo da lição 13 – Quando tudo se fizer novoTexto Chave: Apocalipse 21:4O aluno deverá:Saber: Descrever o juízo que prec...
bênção nasceria a partir dela. Qual era a natureza da maldição, como consequência do pecado, e como a maldiçãofinalmente s...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Quando tudo se fizer novo_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos

653 visualizações

Publicada em

A lição original com os textos bíblicos tem como finalidade facilitar a leitura ou mesmo o estudo, os versos estão na sequência correta, evitando a necessidade de procurá-los, o que agiliza, para os que tem o tempo limitado, vc pode levá-la no ipad, no pendrive, celular e etc, ler a qualquer momento e em qualquer lugar que desejar, até sem a necessidade de estar conectado na internet. 

O esbouço tem como objetivo facilitar para aqueles que querem responder a lição, mas tem pouco espaço na revista para isso. Ele vem com as perguntas e com os textos relacionados na ordem para respondê-las, sem nenhum tipo de comentários, para vc poder meditar e ligar a pergunta com o texto sugerido para a sua resposta. vc também tem a facilidade de poder pesquisar através do computador e copiar e colar textos, o que acrescenta muito a sua lição, e ainda podendo deixá-la armazenada para pesquisas posteriores sobre o mesmo assunto, estes são algumas, entre muitas outra vantagens. 

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2. 

Bom Estudo!

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
653
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Quando tudo se fizer novo_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos

  1. 1. Lição 13 22 a 29 de dezembro Quando tudo se fizer novoSábado à tarde Ano Bíblico: Ap 1–3VERSO PARA MEMORIZAR: “Deus limpará de seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor,nem dor, porque já as primeiras coisas são passadas” (Ap 21:4, RC).Leituras da semana: 1Ts 4:16-18; Ap 20; 1Co 4:5; Rm 8:20-22; Ap 21:11–22:5; Ap 21:3Pensamento-chave: O que é o milênio, quando acontecerá, e a que ele levará?Thomas More (1478-1535) foi um autor inglês que cunhou a palavra utopia a fim de descrever uma ilha imaginária comum sistema social e legal aparentemente perfeito. Desde então, a palavra é muitas vezes usada pejorativamente paradesignar a impossibilidade da ideia de uma sociedade perfeita. Afinal, considere quantas vezes os seres humanos têmtentado criar “utopias”. Eles sempre falharam e de modo lastimável.A Bíblia, porém, ensina sobre a verdadeira utopia. Em certo sentido, esse tem sido o objetivo para o qual a Divindadetrabalhou desde a queda da humanidade, no Jardim do Éden. Deus quer reconduzir a humanidade à utopia que Ele haviacriado originalmente para nós.No santuário celestial, Cristo concluirá Sua obra para a salvação da humanidade. Depois disso, Ele virá à Terra umasegunda vez, mas com uma glória nunca vista antes, ressuscitará os santos mortos e transformará os vivos. E todos elesreinarão com o Senhor Jesus no Céu por mil anos.Esse é o tempo que chamamos de “milênio” (equivalente à palavra mil). O início do milênio marca o começo da única“utopia” que os seres humanos conhecerão desde o Éden, antes da queda.Domingo Ano Bíblico: Ap 4–6Eventos que iniciam o milênioSe o milênio marca o início da “utopia” de Deus para Seu povo, é natural que tentemos saber quando ele começará ecomo será. O milênio, como um conceito, aparece em Apocalipse 20, onde é mencionado seis vezes, entre os versos 2-7.Para saber o tempo do milênio, o lugar de Apocalipse 20 no fluxo geral do livro precisa ser determinado. Embora o livronão siga uma linha direta de tempo, neste caso, não é muito difícil determinar quando começa o milênio.1. A descrição da ressurreição ajuda a determinar o tempo em que começa o milênio? Que eventos, ligados entre si,ocorrerão nessa ocasião? 1Ts 4:16-18; Ap 20Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus,descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremosarrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para semprecom o Senhor. Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras. (1 Ts 4:16-18)Os mil anos - Apoc. 20:1 E vi descer do céu um anjo que tinha a chave do abismo e uma grande cadeia na sua mão.2 Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos.3 E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que mais não engane as nações, até que os mil anosse acabem. E depois importa que seja solto por um pouco de tempo.4 E vi tronos; e assentaram-se sobre eles aqueles a quem foi dado o poder de julgar. E vi as almas daqueles que foramdegolados pelo testemunho de Jesus e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e nãoreceberam o sinal na testa nem na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos. ramos@advir.com
  2. 2. 5Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição.6Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte,mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele mil anos.A condenação de Satanás7 E, acabando-se os mil anos, Satanás será solto da sua prisão8 e sairá a enganar as nações que estão sobre os quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areiado mar, para as ajuntar em batalha.9 E subiram sobre a largura da terra e cercaram o arraial dos santos e a cidade amada; mas desceu fogo do céu e osdevorou.10 E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e denoite serão atormentados para todo o sempre.Os mortos são julgados11 E vi um grande trono branco e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu, e não se achoulugar para eles.12 E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante do trono, e abriram-se os livros. E abriu-se outro livro, que é oda vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras.13 E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cadaum segundo as suas obras.14 E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte.15 E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo.Algum tempo antes do segundo advento de Jesus, o Apocalipse prediz que três poderes (o dragão, a besta e o falsoprofeta) reunirão as nações para que se oponham à obra de Cristo e ao Seu povo ( Ap 16:13). No momento da vinda deCristo (Ap 19:11), as nações se reunirão para fazer guerra contra Cristo, mas, no processo, a besta e o falso profeta serãodestruídos (Ap 19:19, 20). Apocalipse 20, então, menciona o destino do terceiro poder, o dragão. Enquanto os mortos emCristo são ressuscitados, na chamada primeira ressurreição (v. 5), o dragão (Satanás) será capturado e lançado noabismo por mil anos (v. 1-3).Então, vi sair da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta três espíritos imundos semelhantes a rãs;(Apoc. 16:13)Vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. O seu cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça. (Apoc.19:11)E vi a besta e os reis da terra, com os seus exércitos, congregados para pelejarem contra aquele que estava montado nocavalo e contra o seu exército. Mas a besta foi aprisionada, e com ela o falso profeta que, com os sinais feitos diantedela, seduziu aqueles que receberam a marca da besta e eram os adoradores da sua imagem. Os dois foram lançadosvivos dentro do lago de fogo que arde com enxofre. (Apoc. 19:19-20)Os restantes dos mortos não reviveram até que se completassem os mil anos. Esta é a primeira ressurreição. (Apoc.20:5)Então, vi descer do céu um anjo; tinha na mão a chave do abismo e uma grande corrente. Ele segurou o dragão, a antigaserpente, que é o diabo, Satanás, e o prendeu por mil anos; lançou-o no abismo, fechou-o e pôs selo sobre ele, para quenão mais enganasse as nações até se completarem os mil anos. Depois disto, é necessário que ele seja solto poucotempo. (Apoc. 20:1-3)Alguns desses incríveis eventos também estão retratados em 1Tessalonicenses 4:16-18 e 2 Tessalonicenses 1:7-9. Essaspassagens juntas ajudam a explicar o que acontecerá antes do começo do milênio.Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus,descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremosarrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para semprecom o Senhor. Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras. (1 Ts 4:16-18)e a vós outros, que sois atribulados, alívio juntamente conosco, quando do céu se manifestar o Senhor Jesus com osanjos do seu poder, em chama de fogo, tomando vingança contra os que não conhecem a Deus e contra os que nãoobedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus. Estes sofrerão penalidade de eterna destruição, banidos da face doSenhor e da glória do seu poder, (2 Ts 1:7-9)Esse começo, é claro, coincide com o segundo advento de Cristo. Os mortos em Cristo serão ressuscitados para se uniraos vivos fiéis, e ambos os grupos serão levados para o Céu. No momento da vinda de Cristo, os ímpios vivos serãomortos por Seu “esplendor” (2Ts 2:8, RC). E a Terra desolada se tornará a prisão de Satanás, que ficará “preso” por milanos, por assim dizer, em uma cadeia de circunstâncias. A razão para a prisão de Satanás é dada: “Para que não maisengane as nações” (Ap 20:3, RC). Muitos veem uma ligação simbólica entre o “banimento” do bode expiatório no Dia daExpiação (Lv 16:22) e as circunstâncias de Satanás durante o milênio.Assim, aquele bode levará sobre si todas as iniqüidades deles para terra solitária; e o homem soltará o bode no deserto.(Lev. 16:22) ramos@advir.com
  3. 3. Recapitule os eventos revelados nesses versos, acontecimentos sobrenaturais que mostram a grandeza e o poder deDeus, em contraste com a fraqueza e impotência da humanidade. Como podemos manter sempre esse contrasteimportante diante de nós? Por que isso seria um bom remédio para o orgulho e a autossuficiência?Segunda Ano Bíblico: Ap 7–9Durante o milênio2. Qual é a evidência de que o milênio se desenrola nos Céus (pelo menos para os salvos)? Ap 20:4-6Vi também tronos, e nestes sentaram-se aqueles aos quais foi dada autoridade de julgar. Vi ainda as almas dosdecapitados por causa do testemunho de Jesus, bem como por causa da palavra de Deus, tantos quantos não adorarama besta, nem tampouco a sua imagem, e não receberam a marca na fronte e na mão; e viveram e reinaram com Cristodurante mil anos. Os restantes dos mortos não reviveram até que se completassem os mil anos. Esta é a primeiraressurreição. Bem-aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre esses a segunda mortenão tem autoridade; pelo contrário, serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele os mil anos. (Apoc. 20:4-6)Um segmento específico do grupo que participará do milênio é descrito como “as almas dos decapitados por causa dotestemunho de Jesus, bem como por causa da Palavra de Deus, tantos quantos não adoraram a besta, nem tampouco asua imagem, e não receberam a marca na fronte e na mão” (Ap 20). Entendemos que a Bíblia não ensina a existência dealmas conscientes, separadas, imortais. Esse texto, em vez disso, está retratando os que passaram pela experiência daperseguição, descrita em Apocalipse 12:17–13:18. No segundo advento (em cuja ocasião ocorre a primeira ressurreição),essas almas perseguidas voltam à vida e, após a ressurreição, reinam no Céu com Cristo (compare com 1Ts 4:15-17).Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentosde Deus e têm o testemunho de Jesus; e se pôs em pé sobre a areia do mar. Vi emergir do mar uma besta que tinha dezchifres e sete cabeças e, sobre os chifres, dez diademas e, sobre as cabeças, nomes de blasfêmia. A besta que vi erasemelhante a leopardo, com pés como de urso e boca como de leão. E deu-lhe o dragão o seu poder, o seu trono egrande autoridade. Então, vi uma de suas cabeças como golpeada de morte, mas essa ferida mortal foi curada; e toda aterra se maravilhou, seguindo a besta; e adoraram o dragão porque deu a sua autoridade à besta; também adoraram abesta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem pode pelejar contra ela? Foi-lhe dada uma boca que proferiaarrogâncias e blasfêmias e autoridade para agir quarenta e dois meses; e abriu a boca em blasfêmias contra Deus, paralhe difamar o nome e difamar o tabernáculo, a saber, os que habitam no céu. Foi-lhe dado, também, que pelejasse contraos santos e os vencesse. Deu-se-lhe ainda autoridade sobre cada tribo, povo, língua e nação; e adorá-la-ão todos os quehabitam sobre a terra, aqueles cujos nomes não foram escritos no Livro da Vida do Cordeiro que foi morto desde afundação do mundo. Se alguém tem ouvidos, ouça. Se alguém leva para cativeiro, para cativeiro vai. Se alguém matar àespada, necessário é que seja morto à espada. Aqui está a perseverança e a fidelidade dos santos. Vi ainda outra bestaemergir da terra; possuía dois chifres, parecendo cordeiro, mas falava como dragão. Exerce toda a autoridade daprimeira besta na sua presença. Faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta, cuja ferida mortalfora curada. Também opera grandes sinais, de maneira que até fogo do céu faz descer à terra, diante dos homens. Seduzos que habitam sobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar diante da besta, dizendo aos que habitamsobre a terra que façam uma imagem à besta, àquela que, ferida à espada, sobreviveu; e lhe foi dado comunicar fôlego àimagem da besta, para que não só a imagem falasse, como ainda fizesse morrer quantos não adorassem a imagem dabesta. A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz que lhes seja dada certamarca sobre a mão direita ou sobre a fronte, para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tem amarca, o nome da besta ou o número do seu nome. Aqui está a sabedoria. Aquele que tem entendimento calcule onúmero da besta, pois é número de homem. Ora, esse número é seiscentos e sessenta e seis. (Apoc. 12:17-13:18)Ora, ainda vos declaramos, por palavra do Senhor, isto: nós, os vivos, os que ficarmos até à vinda do Senhor, de modoalgum precederemos os que dormem. Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz doarcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, osvivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e,assim, estaremos para sempre com o Senhor. (1 Ts 4:15-17)3. Apocalipse 20:4 chama a atenção para outro evento durante o milênio, ao dizer especificamente que o juízo será dadoaos remidos. Sabendo que os fiéis estarão reinando com seu Senhor e que os maus terão sido mortos pelo esplendor davinda de Cristo, qual será a natureza e o propósito desse juízo?Vi também tronos, e nestes sentaram-se aqueles aos quais foi dada autoridade de julgar. Vi ainda as almas dosdecapitados por causa do testemunho de Jesus, bem como por causa da palavra de Deus, tantos quantos não adorarama besta, nem tampouco a sua imagem, e não receberam a marca na fronte e na mão; e viveram e reinaram com Cristodurante mil anos.” (Apoc. 20:4)Uma das três coisas que enfatizamos na semana passada (segunda-feira) foi o juízo relacionado com o ministério deCristo no santuário celestial antes da segunda vinda de Cristo. Esse juízo é diferente daquele de Apocalipse 20:4, o qual érealmente o cumprimento da promessa de Cristo em Mateus 19:28, e que corresponde à declaração de Paulo de que ossantos deverão julgar o mundo (1Co 6:2, 3).Mat. 19:28E Jesus disse-lhes: Em verdade vos digo que vós, que me seguistes, quando, na regeneração, o Filho doHomem se assentar no trono da sua glória, também vos assentareis sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel.Lc 22:30; [Mt 25:31]; [1Co 6:2-3]; [Tg 1:12]; [Ap 3:21]Ou não sabeis que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deverá ser julgado por vós, sois, acaso, indignosde julgar as coisas mínimas? Não sabeis que havemos de julgar os próprios anjos? Quanto mais as coisas desta vida! (1Cor. 6:2-3) ramos@advir.com
  4. 4. O conceito de juízo na Bíblia é rico e multifacetado. O juízo final tem três fases, a primeira das quais é aquela associadaao ministério sacerdotal de Cristo no santuário celestial. Os adventistas do sétimo dia a chamam de fase investigativa dojuízo final. Em seguida, há a fase de revisão do juízo, durante o milênio, mencionada em Apocalipse 20:4 e 1 Coríntios6:2, 3. Nessa fase, os redimidos terão a oportunidade de examinar os caminhos de Deus e Seu juízo com relação aosagentes da rebelião. A terceira fase do juízo final é a executiva, que faz parte dos eventos que ocorrerão no fim domilênio.Tendo em mente o que você leu hoje, leia 1 Coríntios 4:5. Que esperança importante é encontrada ali, em vista do fatode que temos muitas perguntas não respondidas?Portanto, nada julgueis antes do tempo, até que venha o Senhor, o qual não somente trará à plena luz as coisas ocultasdas trevas, mas também manifestará os desígnios dos corações; e, então, cada um receberá o seu louvor da parte deDeus. (1 Cor. 4:5)Terça Ano Bíblico: Ap 10, 11Eventos do fim do milênio4. Que evento marca o fim do milênio e que oportunidade ele oferece a Satanás? Ap 20:7-9Quando, porém, se completarem os mil anos, Satanás será solto da sua prisão e sairá a seduzir as nações que há nosquatro cantos da terra, Gogue e Magogue, a fim de reuni-las para a peleja. O número dessas é como a areia do mar.Marcharam, então, pela superfície da terra e sitiaram o acampamento dos santos e a cidade querida; desceu, porém,fogo do céu e os consumiu. (Apoc. 20:7-9)A reversão das circunstâncias de Satanás marca sua “libertação”. Esse evento está relacionado com a ressurreição dorestante dos mortos, que “não reviveram até que se completassem os mil anos” (v. 5). A expressão “Gogue e Magogue”é usada em sentido figurado, como em Ezequiel 38:2, para descrever aqueles que Satanás conseguirá enganar – osímpios de todos os tempos. Satanás inspirará essa multidão universal a tentar derrubar a cidade de Deus. Apocalipse20:9 sugere que a cidade, a Nova Jerusalém, nesse tempo já terá descido do Céu para a Terra, com Cristo, e Satanás esuas hostes marcharão contra ela. Uma descrição detalhada da cidade é dada em Apocalipse 21.Os restantes dos mortos não reviveram até que se completassem os mil anos. Esta é a primeira ressurreição. (Apoc.20:5)Filho do homem, volve o rosto contra Gogue, da terra de Magogue, príncipe de Rôs, de Meseque e Tubal; profetiza contraele (Ezeq. 38:2)Marcharam, então, pela superfície da terra e sitiaram o acampamento dos santos e a cidade querida; desceu, porém,fogo do céu e os consumiu. (Apoc. 20:9)A nova Jerusalém - Apoc. 21:1 E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe.2 E eu, João, vi a Santa Cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviadapara o seu marido.3 E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e elesserão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles e será o seu Deus.4 E Deus limpará de seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor, porque já asprimeiras coisas são passadas.5 E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve, porque estaspalavras são verdadeiras e fiéis.6 E disse-me mais: Está cumprido; Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim. A quem quer que tiver sede, de graça lhedarei da fonte da água da vida.7 Quem vencer herdará todas as coisas, e eu serei seu Deus, e ele será meu filho.8 Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, eaos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre, o que é a segunda morte.9 E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das últimas sete pragas e falou comigo, dizendo: Vem,mostrar-te-ei a esposa, a mulher do Cordeiro.10 E levou-me em espírito a um grande e alto monte e mostrou-me a grande cidade, a santa Jerusalém, que de Deusdescia do céu.11 E tinha a glória de Deus. A sua luz era semelhante a uma pedra preciosíssima, como a pedra de jaspe, como o cristalresplandecente.12 E tinha um grande e alto muro com doze portas, e, nas portas, doze anjos, e nomes escritos sobre elas, que são osnomes das doze tribos de Israel.13 Da banda do levante, tinha três portas; da banda do norte, três portas; da banda do sul, três portas; da banda do poente,três portas.14 E o muro da cidade tinha doze fundamentos e, neles, os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.15 E aquele que falava comigo tinha uma cana de ouro para medir a cidade, e as suas portas, e o seu muro.16 E a cidade estava situada em quadrado; e o seu comprimento era tanto como a sua largura. E mediu a cidade com a ramos@advir.com
  5. 5. cana até doze mil estádios; e o seu comprimento, largura e altura eram iguais.17 E mediu o seu muro, de cento e quarenta e quatro côvados, conforme a medida de homem, que é a de um anjo.18 E a fábrica do seu muro era de jaspe, e a cidade, de ouro puro, semelhante a vidro puro.19 E os fundamentos do muro da cidade estavam adornados de toda pedra preciosa. O primeiro fundamento era jaspe; osegundo, safira; o terceiro, calcedônia; o quarto, esmeralda;20 o quinto, sardônica; o sexto, sárdio; o sétimo, crisólito; o oitavo, berilo; o nono, topázio; o décimo, crisópraso; oundécimo, jacinto; o duodécimo, ametista.21 E as doze portas eram doze pérolas: cada uma das portas era uma pérola; e a praça da cidade, de ouro puro, comovidro transparente.22 E nela não vi templo, porque o seu templo é o Senhor, Deus Todo-poderoso, e o Cordeiro.23 E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus a tem alumiado, e oCordeiro é a sua lâmpada.24 E as nações andarão à sua luz, e os reis da terra trarão para ela a sua glória e honra.25 E as suas portas não se fecharão de dia, porque ali não haverá noite.26 E a ela trarão a glória e honra das nações.27 E não entrará nela coisa alguma que contamine e cometa abominação e mentira, mas só os que estão inscritos no livroda vida do Cordeiro.5. Como foi dito, o Apocalipse não segue uma ordem cronológica distinta. Leia Apocalipse 20:11-15. Como a ideia de juízoé expressa ali? O que significa o fato de que a punição final ocorre após o envolvimento dos santos no juízo? Ap 20:4Vi um grande trono branco e aquele que nele se assenta, de cuja presença fugiram a terra e o céu, e não se achou lugarpara eles. Vi também os mortos, os grandes e os pequenos, postos em pé diante do trono. Então, se abriram livros. Aindaoutro livro, o Livro da Vida, foi aberto. E os mortos foram julgados, segundo as suas obras, conforme o que se achavaescrito nos livros. Deu o mar os mortos que nele estavam. A morte e o além entregaram os mortos que neles havia. Eforam julgados, um por um, segundo as suas obras. Então, a morte e o inferno foram lançados para dentro do lago defogo. Esta é a segunda morte, o lago de fogo. E, se alguém não foi achado inscrito no Livro da Vida, esse foi lançado paradentro do lago de fogo. (Apoc. 20:11-15)Vi também tronos, e nestes sentaram-se aqueles aos quais foi dada autoridade de julgar. Vi ainda as almas dosdecapitados por causa do testemunho de Jesus, bem como por causa da palavra de Deus, tantos quantos não adorarama besta, nem tampouco a sua imagem, e não receberam a marca na fronte e na mão; e viveram e reinaram com Cristodurante mil anos. (Apoc. 20:4)“Durante o milênio, os santos participam de um juízo deliberativo, que analisa os casos dos perdidos da Terra e dos anjoscaídos. Esse juízo é evidentemente necessário, tendo em vista a natureza cósmica do problema do pecado. O curso darebelião do pecado tem sido objeto de preocupação e interesse por parte de outros mundos (Jó 1; 2; Ef 3:10). O períodode pecado deve ser tratado de tal maneira que corações e mentes em todo o Universo de Deus fiquem satisfeitos comseu tratamento e conclusão, com referência específica ao caráter de Deus. Para os resgatados da Terra, seráespecialmente importante entender o trato de Deus para com aqueles que clamarão aos rochedos que caiam sobre elese os escondam ‘da face dAquele que Se assenta no trono’ (Ap 6:16). Eles devem ficar totalmente convencidos de queDeus foi justo em Sua decisão a respeito dos perdidos” (Handbook of Seventh-day Adventist Theology [Tratado deTeologia Adventista do Sétimo Dia]; Maryland, Review and Herald Publishing Association, 2000, p. 932).O que nosso envolvimento no julgamento dos perdidos nos ensina sobre o caráter de Deus? Como esse conceito seencaixa com a ideia do grande conflito?Quarta Ano Bíblico: Ap 12–14A Nova TerraApocalipse 20 termina com a eliminação de Satanás e suas hostes. Apocalipse 21 começa com a visão de um novo céu euma nova Terra.6. Apocalipse 21:1-5 traz a promessa de que Deus fará novas todas as coisas. De que forma isso reflete o relato dacriação? (Gênesis 1; 2). Quais são as diferenças?Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. Vi também a cidadesanta, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo. Então,ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serãopovos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já nãohaverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. E aquele que está assentado no trono disse: Eisque faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras. (Apoc. 21:1-5)A palavra traduzida como “novo” em Apocalipse 21:1 enfatiza algo novo na forma ou na qualidade, em vez de novo,como em um “novo” evento no tempo. O propósito de Deus na criação de Gênesis não será realizado até que a promessade fazer novas todas as coisas seja cumprida na Nova Terra. Por isso, toda a criação geme e anseia por libertação ( Rm8:20-22). A nova criação de Deus consistirá em libertar o Universo e a Terra de seu atual estado de imperfeição, e colocá-los em conformidade com Seu desígnio. Consequentemente, enquanto a nova criação será diferente da antiga, haveráalguma continuidade entre as duas. Como a antiga, a nova Terra será um lugar real, tangível, habitado por seres reais,físicos. A Nova Terra será o nosso planeta renovado, purificado, por assim dizer, pelo fogo (2Pe 3:10-13). ramos@advir.com
  6. 6. Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. (Apoc. 21:1)Pois a criação está sujeita à vaidade, não voluntariamente, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que aprópria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemosque toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora. (Rom. 8:20-22)Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo, e os elementos sedesfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas. Visto que todas essas coisas hão deser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade, esperando e apressando avinda do Dia de Deus, por causa do qual os céus, incendiados, serão desfeitos, e os elementos abrasados se derreterão.Nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, nos quais habita justiça. (2 Ped. 3:10-13)7. De que forma João retrata os aspectos físicos da Nova Jerusalém, a capital da Nova Terra? Ap 21:11–22:5a qual tem a glória de Deus. O seu fulgor era semelhante a uma pedra preciosíssima, como pedra de jaspe cristalina.Tinha grande e alta muralha, doze portas, e, junto às portas, doze anjos, e, sobre elas, nomes inscritos, que são os nomesdas doze tribos dos filhos de Israel. Três portas se achavam a leste, três, ao norte, três, ao sul, e três, a oeste. A muralhada cidade tinha doze fundamentos, e estavam sobre estes os doze nomes dos doze apóstolos do Cordeiro. Aquele quefalava comigo tinha por medida uma vara de ouro para medir a cidade, as suas portas e a sua muralha. A cidade équadrangular, de comprimento e largura iguais. E mediu a cidade com a vara até doze mil estádios. O seu comprimento,largura e altura são iguais. Mediu também a sua muralha, cento e quarenta e quatro côvados, medida de homem, isto é,de anjo. A estrutura da muralha é de jaspe; também a cidade é de ouro puro, semelhante a vidro límpido. Osfundamentos da muralha da cidade estão adornados de toda espécie de pedras preciosas. O primeiro fundamento é dejaspe; o segundo, de safira; o terceiro, de calcedônia; o quarto, de esmeralda; o quinto, de sardônio; o sexto, de sárdio; osétimo, de crisólito; o oitavo, de berilo; o nono, de topázio; o décimo, de crisópraso; o undécimo, de jacinto; e oduodécimo, de ametista. As doze portas são doze pérolas, e cada uma dessas portas, de uma só pérola. A praça dacidade é de ouro puro, como vidro transparente. Nela, não vi santuário, porque o seu santuário é o Senhor, o Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro. A cidade não precisa nem do sol, nem da lua, para lhe darem claridade, pois a glória de Deus ailuminou, e o Cordeiro é a sua lâmpada. As nações andarão mediante a sua luz, e os reis da terra lhe trazem a sua glória.As suas portas nunca jamais se fecharão de dia, porque, nela, não haverá noite. E lhe trarão a glória e a honra dasnações. Nela, nunca jamais penetrará coisa alguma contaminada, nem o que pratica abominação e mentira, massomente os inscritos no Livro da Vida do Cordeiro. Então, me mostrou o rio da água da vida, brilhante como cristal, quesai do trono de Deus e do Cordeiro. No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, queproduz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para a cura dos povos. Nunca maishaverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão, contemplarão a suaface, e na sua fronte está o nome dele. Então, já não haverá noite, nem precisam eles de luz de candeia, nem da luz dosol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculos dos séculos. (Apoc. 21:11-22:5)Uma coisa é clara: estamos falando de um lugar literal e físico. A heresia pagã de que a matéria é má e o espírito é bom,mais uma vez é desmascarada pelas Escrituras. Embora as palavras sejam limitadas no que podem transmitir, mesmo aspalavras inspiradas, elas podem nos levar a entender que uma herança real nos espera. É importante lembrar que estemundo, com todas as suas imperfeições, não mais está como foi planejado. É uma aberração, que Cristo veio paracorrigir. Em contraste com isso, a descrição do Apocalipse, não importando quanto seja difícil entender (conhecendoapenas um mundo caído), é a realidade eterna que nos espera. Que esperança temos, especialmente em comparaçãocom os que acreditam que a morte é o fim de tudo!Quinta Ano Bíblico: Ap 15–17A vida na Nova Terra8. De que forma a incrível presença de Deus modificará a experiência dos habitantes da Nova Terra? Ap 21:3Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Elesserão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles. (Apoc. 21:3)Talvez não haja, em toda a Bíblia, uma visão tão inspiradora quanto essa, apresentada por João, o revelador. A Nova Terraserá não apenas o lar das criaturas humanas, mas também de Deus. O Criador do Universo, santo e transcendente,agraciará com Sua presença a comunidade dos redimidos. Deus sempre permanecerá distinto de Suas criaturas, mas naNova Terra, a separação entre Deus e a humanidade, provocada pelo pecado, será removida.Além disso, a verdadeira comunhão será restaurada, não apenas entre Deus e os seres humanos, mas entre os humanose a natureza, e dentro da própria natureza. João diz que ali não mais haverá maldição ( Ap 22:3), e a expectativa proféticada cessação da hostilidade no mundo animal também será cumprida (Is 65:25).Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão, (Apoc.22:3)O lobo e o cordeiro pastarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; pó será a comida da serpente. Não se fará malnem dano algum em todo o meu santo monte, diz o SENHOR. (Isa. 65:25)Além da restauração da comunhão completa, a eliminação do “gemido da criação” significa que todas as coisasprejudiciais (decadência, doença, morte e sofrimento) serão coisas do passado (Rm 8:21; Ap 21:4).na esperança de que a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos deDeus. (Rom. 8:21) ramos@advir.com
  7. 7. E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque asprimeiras coisas passaram. (Apoc. 21:4)9. Leia o Salmo 8. Qual é a mensagem para nós nesse texto, especialmente à luz do que estudamos neste trimestre?Ó SENHOR, Senhor nosso, quão magnífico em toda a terra é o teu nome! Pois expuseste nos céus a tua majestade. Daboca de pequeninos e crianças de peito suscitaste força, por causa dos teus adversários, para fazeres emudecer oinimigo e o vingador. Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, e a lua e as estrelas que estabeleceste, que éo homem, que dele te lembres E o filho do homem, que o visites? Fizeste-o, no entanto, por um pouco, menor do queDeus e de glória e de honra o coroaste. Deste-lhe domínio sobre as obras da tua mão e sob seus pés tudo lhe puseste:ovelhas e bois, todos, e também os animais do campo; as aves do céu, e os peixes do mar, e tudo o que percorre assendas dos mares. Ó SENHOR, Senhor nosso, quão magnífico em toda a terra é o teu nome! (Sal. 8)Muitas são as implicações da presença de Deus para a vida na Nova Terra, especialmente porque a ciência tem revelado,como nunca antes, o tamanho e a extensão da criação de Deus. O tamanho estimado do Universo “visível” é de muitosbilhões de anos-luz. No entanto, os cientistas agora especulam que esse Universo imenso e vasto representa apenascerca de sete por cento do que realmente existe!Reflita: O Criador não apenas morreu por nós, mas habitará conosco pela eternidade! Em algum ponto, por causa doslimites de nossa mente caída, temos que parar de tentar pensar sobre isso de forma racional e, em lugar disso, devemosnos ajoelhar, adorar e louvar Aquele que não somente nos criou, mas nos redimiu, e promete viver conosco eternamente.Sexta Ano Bíblico: Ap 18, 19Estudo adicionalNo culto típico, o sumo sacerdote, havendo feito expiação por Israel, saía e abençoava a congregação. Assim Cristo, nofim de Sua obra de mediador, aparecerá, ‘sem pecado, ... para a salvação’ (Hb 9:28), a fim de abençoar com a vidaeterna Seu povo que O espera. Como o sacerdote, ao remover do santuário os pecados, confessava-os sobre a cabeça dobode emissário, semelhantemente Cristo porá todos esses pecados sobre Satanás, o originador e instigador do pecado.O bode emissário, levando os pecados de Israel, era enviado ‘à terra solitária’ (Lv 16:22, RC); de igual modo Satanás,levando a culpa de todos os pecados que induziu o povo de Deus a cometer, estará durante mil anos circunscrito à Terra,que então se achará desolada, sem moradores, e ele sofrerá finalmente a pena completa do pecado, nos fogos quedestruirão todos os ímpios”. O Grande Conflito, p. 485, 486.Perguntas para reflexão1. Há três posições básicas (com algumas variações) a respeito do milênio dentro da igreja cristã: (1) A ideia de que elerepresenta a era entre o primeiro e o segundo advento de Cristo; (2) Ele é um longo período de paz e justiça na Terraantes do aparecimento de Cristo, provocado em parte por causa da pregação do evangelho e de reformas sociais; (3) Omilênio, um período de mil anos, ocorrerá após a volta de Cristo e acontecerá no Céu. Os Adventistas do Sétimo Diaaceitam a terceira posição, com o milênio se desdobrando no Céu, não na Terra (como alguns erroneamente acreditam).Que problemas as outras opções apresentam?2. Leia Apocalipse 21:27. O que você entende sobre essa exclusão da Nova Jerusalém? Que outras coisas serão excluídasdali, e por quê?Nela, nunca jamais penetrará coisa alguma contaminada, nem o que pratica abominação e mentira, mas somente osinscritos no Livro da Vida do Cordeiro. (Apoc. 21:27)Respostas sugestivas: 1. Sim. Volta de Cristo; ressurreição dos justos mortos; glorificação dos justos vivos; morte dosinjustos; prisão de Satanás e seus anjos; os salvos serão levados para o Céu, onde passarão mil anos. 2. Os salvosreceberão a responsabilidade para julgar os perdidos; eles viverão e reinarão com Cristo durante mil anos, fora da Terradestruída na qual Satanás estará preso. 3. Esse juízo servirá para demonstrar ao Universo inteiro a justiça de Deus, aocondenar os ímpios e salvar os fiéis; servirá para confortar o coração humano diante da separação de entes queridos. 4.A liberação da prisão simbólica de Satanás, com a ressurreição dos ímpios; Satanás terá oportunidade de enganar asnações e reuni-las para batalhar contra Deus. 5. Deus está no trono, julgando os ímpios mortos, por meio do que estáescrito nos livros; diante dEle estão os salvos ressuscitados e glorificados; quando todo o Universo estiver convencido dajustiça de Deus, Satanás e seus seguidores serão destruídos. 6. Na primeira criação, a Terra era totalmente nova; aredenção será o processo de renovar e recriar a Terra destruída pelo pecado; o lar da humanidade era o jardim do Éden;na Nova Terra será a Jerusalém celestial; na criação, Deus apenas visitava a Terra; na recriação, Seu trono será na Terra;a Nova Terra não conhecerá o pecado, que trouxe sofrimento à primeira Terra. Espiritualmente, a Nova Terra serásemelhante à antiga Terra antes do pecado. Só Deus pode renovar Sua criação. 7. Comparou a glória da cidade a umapedra preciosa e ao cristal; a cidade tem uma alta muralha; tem doze portas, que são doze pérolas; sobre elas estáescrito o nome dos filhos de Jacó; a muralha tem doze fundamentos, sobre os quais estão os nomes dos apóstolos doCordeiro; a cidade é quadrangular; o muro é de jaspe; a cidade é de ouro puro; os doze fundamentos da cidade sãoadornados com pedras preciosas; o rio da água da vida sai do trono de Deus; no meio da praça está a árvore da vida; aliestão os servos de Deus; a cidade é iluminada pela glória do Senhor. 8. Seres finitos habitarão com o Ser infinito; teremostudo, porque o Criador estará conosco; sempre teremos vida, amor, luz e alegria. A vida será melhor do que tudo que jáexperimentamos no pecado. 9. Em meio ao pecado e ao conflito entre Deus e Seus inimigos, podemos perceber a glóriade Deus na natureza, na Bíblia e na história; Ele Se preocupa com os pecadores e tem um plano para cada pessoa. ramos@advir.com
  8. 8. Resumo da lição 13 – Quando tudo se fizer novoTexto Chave: Apocalipse 21:4O aluno deverá:Saber: Descrever o juízo que precede o milênio, o milênio em si e os eventos que culminam com a criação da nova Terra.Sentir: O drama arrebatador dos eventos finais da Terra e o poder de Deus quando anuncia a paz e alegria eterna.Fazer: Alegrar-se com a libertação do Universo e com a promessa de que Deus habitará com Seu povo.Esboço do aprendizadoI. Conhecer: Juízo e decisãoA. Quais são os três tipos de juízo que precedem a criação da nova Terra?B. O que os santos farão durante o milênio? Porque essa atividade é parte importante dos eventos finais do grandeconflito?II. Sentir: Choque e terrorA. Como as cenas dramáticas do encerramento da história terrestre afetam os ímpios?B. Como os justos são afetados pela exibição do poder de Deus que revela Sua santidade às nações e os salva?III. Fazer: Todo joelho se dobraráA. Como Deus fará com que todo joelho se dobre nas cenas finais do juízo na Terra? Porque esse acontecimento serásignificativo?B. Que conforto e alegria os seguidores de Cristo podem sentir nas promessas da nova Terra?Resumo: No final, Deus salvará os justos, permitirá que os santos revejam Seus juízos e executará a sentença final sobretodo mal. Então, Ele vai criar novos céus e nova Terra e habitar com Seu povo em paz e alegria para sempre.Ciclo do aprendizadoMOTIVAÇÃOConceito-chave para o crescimento espiritual: Pela esperança apresentada no ensino bíblico do milênio e do novo mundo,obtemos nova compreensão do empenho de Deus de remover o pecado, reivindicar Seu nome e fazer novas todas ascoisas em nossa vida individual.Só para o professor: Estimule uma discussão sobre o milênio, pedindo que os alunos respondam às seguintes perguntas.Mas, primeiro, como introdução para a discussão, lembre aos alunos que se Deus pode transformar todo um mundodecadente e pecaminoso em um belo paraíso, certamente Ele pode fazer o mesmo em nossa vida individual.Perguntas de abertura para discussão:1. Que tipo de perguntas provavelmente serão feitas durante o milênio a respeito das tragédias que entristeceram ahistória humana?2. Em que sentido essas tragédias nos encorajam a esperar por algo além deste mundo?3. Que surpresas você acha que terão lugar durante o milênio?4. Se Deus pode transformar este mundo com toda a sua história de mal, em que novas formas Ele pode mudar nossavida, produto da uma história vergonhosa e má?CompreensãoSó para o professor: Esta seção fornece oportunidades para explorar exemplos da relação entre a condição da Terra e acondição da humanidade. Assim, a encorajadora verdade sobre a capacidade de Deus de transformar e renovar o mundointeiro pode servir como ilustração de Seu poder regenerador e Seu desejo de transformar e renovar nosso coração.Comentário BíblicoÀs cinzas o que é cinza, e ao pó o que é pó (Recapitule com a classe Gênesis 2:7, 3:19 e Eclesiastes 3:18-20, 12:7.)A conexão entre a humanidade e a Terra começa com a própria criação. A Bíblia diz que Deus formou o homem do pó daterra. A humanidade é pó ou terra, mais a respiração ou a vida de Deus. Na verdade, o próprio nome Adão traz a ideia dealgo vermelho ou rubro em referência à argila. Enquanto as traduções bíblicas de Gênesis 2:18 e 19 para o portuguêsusem a palavra homem a para traduzir o original Adam, as palavras hebraicas continuam as mesmas. Depois que osanimais foram mencionados como tendo sido formados a partir do pó, a palavra Adam se tornou não apenas umadescrição da origem da humanidade, mas também o nome próprio do pai de nossa raça. Vemos que, após a queda dohomem, Deus declarou que Adão voltaria para o solo, ou adamah, em hebraico, pois dele ele foi tirado.II. Efeito da desobediência sobre o domínio (Recapitule com a classe Gênesis 1:26-28 e 3:17, 18.)A Bíblia diz que quando Deus criou o homem à Sua imagem, era Sua intenção permitir que o homem tivesse domíniosobre tudo o que criara nos seis dias anteriores. Essa intenção é clara a partir das referências topográficas utilizadas emGênesis 1:26-28, "do mar", "do ar", e "sobre toda a terra". Quando o homem foi vencido pela tentação no Jardim do Édene Deus descreveu as consequências do pecado, Ele disse ao homem que "maldita é a terra por sua causa" (3:17, NVI). Ochão, referindo-se à terra, estava sob o domínio de Adão e, de fato, não foi amaldiçoado por causa de si, mas por causada desobediência de seu senhor, Adão. A escolha de Adão não se limitou a afetar seu relacionamento com Deus, mas,aparentemente, com a terra, também.Pense nisto: Por que Deus amaldiçoou a terra como consequência do pecado? A frase "por sua causa" sugere algo feitoem favor de alguém em vez de contra ele, e sugere que, mesmo que a terra fosse amaldiçoada, Deus planejava que uma ramos@advir.com
  9. 9. bênção nasceria a partir dela. Qual era a natureza da maldição, como consequência do pecado, e como a maldiçãofinalmente se destinava a trazer uma bênção para a humanidade caída?III. A criação geme (Comente com a classe Romanos 8:18-23.)O apóstolo Paulo compôs algumas das declarações mais claras e convincentes sobre a relação entre a condição dahumanidade e a criação. Lembrando-nos da glória incomparável que deve ser revelada em nós, Paulo sugerepoeticamente que a criação geme pela libertação.AplicaçãoSó para o professor: O claro ensino da Bíblia sobre a relação entre a criação e a humanidade nos encoraja a considerar ainteração de Deus com a natureza como ilustração do que Ele é capaz de fazer e está disposto a fazer em nossa vidaindividual. Faça as seguintes perguntas para ajudar a classe a aprender de maneira prática a permitir que Deus façanovas todas as coisas em sua vida individual.Perguntas de aplicação1. Como podemos conhecer melhor as coisas que precisam se tornar novas em nossa vida?2. Que lições podemos aprender com as referências de Jesus à natureza no Sermão do Monte (Mt 5–7) e que nos vãoajudar a cooperar com Deus ao procurar Ele fazer novas as coisas em nossa vida?3. Assim como Salomão, certamente muitos de nós ficamos intrigados com muitas coisas no mundo. Como podemosviver de forma significativa, mesmo que essas questões ainda não sejam respondidas?4. Que promessas das Escrituras podemos memorizar e descansar sobre elas em oração, de modo a nos ajudar em nossajornada a fazer "novas todas as coisas?" Como os pais, os professores da Escola Sabatina e os pastores podem tornaressa esperança mais efetiva em seus ensinos?CriatividadeSó para o professor: Estas atividades se destinam a ajudar os alunos a aceitar o milênio e o Céu como realidades eexpressar sua fé neles.Sugestões para atividades em grupo ou equipe:Encoraje os membros da classe a imaginar e comentar como podem ser seus primeiros sete dias no Céu. Peça-lhes quefalem do primeiro culto de sábado, como vai ser falar com seu anjo da guarda, o que eles vão querer conhecer a respeitoda Bíblia e por quê, e da experiência de se assentar em um trono e julgar com Jesus, e outras coisas. ramos@advir.com

×