Lição 1                                                                                                      29 de setembr...
céu, as quais lançou para a terra; e o dragão se deteve em frente da mulher que estava para dar à luz, a fim de lhe devora...
injustiça do teu comércio, profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu, e te ...
E) Leia Mt 16:18; 18:16-20;Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do...
e partiu para o Egito; e lá ficou até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor, porintermédio...
Porque Cristo não entrou em santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para comparecer,agora, por...
7. Apocalipse 14 descreve o contra-ataque divino às manobras de Satanás, durante as etapas finais do conflito, com oobjeti...
serpente. 4. O plano da salvação está em todas as questões: (A) O verdadeiro e o falso sistema de adoração; averdadeira fé...
Comente: A partir dos versos acima, e de outras passagens, quais são as causas da dor, do sofrimento e da morte? Ondese or...
Pense nisto: Na seção dois, lemos em Ezequiel 28:12-17 como Lúcifer andava entre as pedras afogueadas no Céu. Seja qualfor...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O grande conflito: fundamento de nossas crenças_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos

897 visualizações

Publicada em

https://www.facebook.com/gerson.g.ramos

https://twitter.com/@ramosgerson7

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
897
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O grande conflito: fundamento de nossas crenças_Lição da Escola Sabatina_original_com_textos

  1. 1. Lição 1 29 de setembro a 6 de outubro O grande conflito: fundamento de nossas crençasSábado à tarde Ano Bíblico: Zc 1–4VERSO PARA MEMORIZAR: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o Seu descendente. Este teferirá a cabeça, e tu Lhe ferirás o calcanhar” (Gn 3:15).Leituras da semana: Gn 3:15; Ap 12:1-17; Is 14:4-21; Ez 28:12-19; Is 53:6; Rm 1:20-28; Jo 16:2Pensamento-chave: O tema do grande conflito é o conceito abrangente que dá coesão às crenças fundamentais da IgrejaAdventista do Sétimo Dia.Dizem que “a necessidade é a mãe da invenção.” A palavra mãe, nesse caso, significa “a fonte”, “a força motriz” e “ofundamento”. É a carência, a necessidade de algo que move as pessoas à ação. Por exemplo, a necessidade de um armais puro é a base, a força motriz por trás do movimento por outras fontes de energia diferentes dos combustíveisfósseis.Assim como ocorre com as invenções físicas, um sistema de crenças também precisa de uma base, um princípio que oexplique.Os adventistas do sétimo dia professam um corpo de 28 crenças fundamentais. Essas crenças têm o fundamento noconceito que chamamos de “grande conflito”. Cada uma das 28 crenças fundamentais aborda um aspecto específicodesse conflito cósmico. As crenças que serão estudadas neste trimestre têm mais sentido contra o pano de fundo dotema do grande conflito. Nesta semana, consideraremos alguns dos pontos principais desse fundamento.Domingo Ano Bíblico: Zc 5–8O conflito e seus atoresAo longo de toda a história registrada, as pessoas têm percebido que a humanidade está em um tipo de batalha, umaguerra, uma luta entre forças inimigas.O poeta T. S. Eliot escreveu: “Em todos os meus anos, uma coisa não muda./Por mais que você a disfarce, essa coisa nãomuda:/A perpétua luta entre o bem e o mal” (T. S. Eliot: The Complete Poems & Plays [T. S. Eliot: Peças de Teatro ePoemas Completos]; Nova York, San Diego, Londres; Harcourt Brace & Company, 1952, p. 98).Embora essa compreensão seja comum, as pessoas têm visões radicalmente diferentes a respeito do significado doconflito, acerca de quem está envolvido, o que está em jogo e como ele vai acabar. No entanto, como adventistas dosétimo dia, temos uma perspectiva decididamente sobrenaturalista acerca dessa batalha, uma perspectiva que vem danossa compreensão bíblica e da forma pela qual a Bíblia descreve o que chamamos de “grande conflito entre Cristo eSatanás”.1. Quais são os atores principais no conflito? Embora símbolos às vezes sejam utilizados para descrever os atores, porque acreditamos que os poderes descritos são seres reais, literais? O que aconteceria com todo o nosso sistema decrenças se entendêssemos apenas de modo espiritual a realidade do grande conflito entre Cristo e Satanás e nosso papelnele? Gn 3:15; Ap 12:1-17Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe feriráso calcanhar. (Gên. 3:15)Viu-se grande sinal no céu, a saber, uma mulher vestida do sol com a lua debaixo dos pés e uma coroa de doze estrelas na cabeça, que,achando-se grávida, grita com as dores de parto, sofrendo tormentos para dar à luz. Viu-se, também, outro sinal no céu, e eis um dragão,grande, vermelho, com sete cabeças, dez chifres e, nas cabeças, sete diademas. A sua cauda arrastava a terça parte das estrelas do ramos@advir.com
  2. 2. céu, as quais lançou para a terra; e o dragão se deteve em frente da mulher que estava para dar à luz, a fim de lhe devorar o filho quandonascesse. Nasceu-lhe, pois, um filho varão, que há de reger todas as nações com cetro de ferro. E o seu filho foi arrebatado para Deusaté ao seu trono. A mulher, porém, fugiu para o deserto, onde lhe havia Deus preparado lugar para que nele a sustentem durante milduzentos e sessenta dias. Houve peleja no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e seusanjos; todavia, não prevaleceram; nem mais se achou no céu o lugar deles. E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que sechama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos. Então, ouvi grande voz docéu, proclamando: Agora, veio a salvação, o poder, o reino do nosso Deus e a autoridade do seu Cristo, pois foi expulso o acusador denossos irmãos, o mesmo que os acusa de dia e de noite, diante do nosso Deus. Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiroe por causa da palavra do testemunho que deram e, mesmo em face da morte, não amaram a própria vida. Por isso, festejai, ó céus, evós, os que neles habitais. Ai da terra e do mar, pois o diabo desceu até vós, cheio de grande cólera, sabendo que pouco tempo lhe resta.Quando, pois, o dragão se viu atirado para a terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho varão; e foram dadas à mulher as duas asasda grande águia, para que voasse até ao deserto, ao seu lugar, aí onde é sustentada durante um tempo, tempos e metade de um tempo,fora da vista da serpente. Então, a serpente arrojou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, a fim de fazer com que ela fossearrebatada pelo rio. A terra, porém, socorreu a mulher; e a terra abriu a boca e engoliu o rio que o dragão tinha arrojado de sua boca.Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejar com os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm otestemunho de Jesus; e se pôs em pé sobre a areia do mar. (Apoc. 12:1-17)Não é incomum as pessoas usarem termos como diabo, anjos e até mesmo Deus, quando querem falar de algo muitodiferente do que aquelas palavras normalmente significam. Por exemplo, há alguns cujo interesse no uso da palavra“Deus” focaliza apenas a função que essa palavra desempenha na linguagem e sociedade humanas. Elas não têminteresse em saber se “Deus”, de alguma forma, existe.Sejam quais forem os símbolos utilizados para descrevê-las, a Bíblia ensina que essas figuras são entidades reais,envolvidas em um conflito real. É assim que os adventistas do sétimo dia as entendem. A maioria das doutrinasestudadas neste trimestre não terão sentido se os atores identificados no conflito não forem considerados literalmente, oque muitas vezes nos coloca decididamente em conflito com a cultura dominante.De fato, embora o secularismo tenha assumido diferentes contornos e formas ao longo dos últimos dois séculos, nada ocaracteriza mais do que o esforço para eliminar toda a linguagem sobrenatural do discurso humano. Com o sucesso daciência, a cultura contemporânea está testemunhando uma extinção gradual da crença no sobrenatural.A cultura de sua região é fortemente afetada pela visão secular e científica acerca do mundo? Você foi influenciado poressa visão? Contra que aspectos dela especialmente devemos nos guardar?Segunda Ano Bíblico: Zc 9–11A queda de LúciferEmbora a Bíblia não mencione explicitamente as questões envolvidas no conflito entre Deus e Satanás, elas podem serdeduzidas a partir de algumas passagens bíblicas relacionadas ao assunto, tais como Isaías 14:4-21 e Ezequiel 28:12-19. Emseus cenários originais, esses textos representavam os reis pagãos de Tiro e Babilônia, mas, quando lidoscuidadosamente, apresentam detalhes que vão além desses antigos governantes orientais. Na verdade, eles apontampara a origem, posição e queda de Satanás.2. Em 1 Timóteo 3:6, Paulo adverte contra a ordenação de um novo converso, alertando que isso pode levar a pessoa a setornar vaidosa e a cair na mesma condenação do diabo. Como a declaração de Paulo esclarece Isaías 14:4-21 e Ezequiel28:12-19? De que forma essas três passagens nos ajudam a entender algumas questões do conflito?não seja neófito, para não suceder que se ensoberbeça e incorra na condenação do diabo. (1 Tim. 3:6)então, proferirás este motejo contra o rei da Babilônia e dirás: Como cessou o opressor! Como acabou a tirania! Quebrou o SENHOR avara dos perversos e o cetro dos dominadores, que feriam os povos com furor, com golpes incessantes, e com ira dominavam as nações,com perseguição irreprimível. Já agora descansa e está sossegada toda a terra. Todos exultam de júbilo. Até os ciprestes se alegramsobre ti, e os cedros do Líbano exclamam: Desde que tu caíste, ninguém já sobe contra nós para nos cortar. O além, desde o profundo,se turba por ti, para te sair ao encontro na tua chegada; ele, por tua causa, desperta as sombras e todos os príncipes da terra e fazlevantar dos seus tronos a todos os reis das nações. Todos estes respondem e te dizem: Tu também, como nós, estás fraco? E éssemelhante a nós? Derribada está na cova a tua soberba, e, também, o som da tua harpa; por baixo de ti, uma cama de gusanos, e osvermes são a tua coberta. Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas asnações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação meassentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo. Contudo, serás precipitadopara o reino dos mortos, no mais profundo do abismo. Os que te virem te contemplarão, hão de fitar-te e dizer-te: É este o homem quefazia estremecer a terra e tremer os reinos? Que punha o mundo como um deserto e assolava as suas cidades? Que a seus cativos nãodeixava ir para casa? Todos os reis das nações, sim, todos eles, jazem com honra, cada um, no seu túmulo. Mas tu és lançado fora datua sepultura, como um renovo bastardo, coberto de mortos traspassados à espada, cujo cadáver desce à cova e é pisado de pedras.Com eles não te reunirás na sepultura, porque destruíste a tua terra e mataste o teu povo; a descendência dos malignos jamais seránomeada. Preparai a matança para os filhos, por causa da maldade de seus pais, para que não se levantem, e possuam a terra, eencham o mundo de cidades. (Isa. 14:4-21)Filho do homem, levanta uma lamentação contra o rei de Tiro e dize-lhe: Assim diz o SENHOR Deus: Tu és o sinete da perfeição, cheiode sabedoria e formosura. Estavas no Éden, jardim de Deus; de todas as pedras preciosas te cobrias: o sárdio, o topázio, o diamante, oberilo, o ônix, o jaspe, a safira, o carbúnculo e a esmeralda; de ouro se te fizeram os engastes e os ornamentos; no dia em que fostecriado, foram eles preparados. Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; permanecias no monte santo de Deus, no brilho daspedras andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado até que se achou iniqüidade em ti. Na multiplicação doteu comércio, se encheu o teu interior de violência, e pecaste; pelo que te lançarei, profanado, fora do monte de Deus e te farei perecer, óquerubim da guarda, em meio ao brilho das pedras. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoriapor causa do teu resplendor; lancei-te por terra, diante dos reis te pus, para que te contemplem. Pela multidão das tuas iniqüidades, pela ramos@advir.com
  3. 3. injustiça do teu comércio, profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu, e te reduzi a cinzassobre a terra, aos olhos de todos os que te contemplam. Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; vens a serobjeto de espanto e jamais subsistirás. (Ezeq. 28:12-19)Pelo menos três questões são levantadas nos textos citados acima: orgulho, autonomia e independência. O AntigoTestamento retrata um ser criado, dependente, desejando ser autossuficiente e independente. Mas independência ésempre independência de algo ou alguém. A primeira carta de João 3:8 diz que o diabo vive pecando desde o princípio; 1João 3:4 define “pecado” como transgressão da lei. Segue-se, então, que o pecado de Satanás, que se manifestou comouma busca por independência e autonomia – representava o desejo de ser livre das “restrições” de Deus e de Suas leis.Assim, ao recusar se submeter à autoridade da lei de Deus, Satanás mostrou que desejava viver sob um conjuntodiferente de condições. Essa rebelião também implicava que o sistema de leis do Céu não era o ideal e que, na verdade,algo estava errado com essas leis. Mas, pelo fato de que a lei de Deus é um reflexo de Seu caráter, um defeito na leiequivaleria a um defeito no caráter de Deus. Em resumo, a rebelião de Satanás foi tanto contra o próprio Deus comocontra qualquer outra coisa.Todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei. (1 João 3:4)Orgulho, autonomia, independência. O que essas palavras trazem à sua mente? De que maneira todos nós estamos emperigo de cair nas armadilhas, às vezes muito sutis, que o orgulho, a autonomia e a independência colocam diante denós? Afinal de contas, sob as condições corretas, o que há de errado nesses conceitos?Terça Ano Bíblico: Zc 12–14A arma de Deus3. De que forma o grande conflito é revelado em Gênesis 3:15?Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe feriráso calcanhar. (Gên. 3:15)A linguagem enigmática de Gênesis 3:15, na qual o conflito está predito, nos dá um indício das regras divinas para essaguerra. Podemos ver que o conflito, que tinha acabado de começar na Terra, envolvendo a serpente e a mulher, tomariaforma, envolvendo os seguidores dos participantes iniciais: a “semente” da mulher e a “semente” da serpente. No devidotempo, como sabemos, o conflito culminaria em um confronto mortal entre Satanás e um descendente da mulher, Jesusde Nazaré. A arma escolhida por Deus foi Jesus, que viria para lutar em favor da mulher, seria ferido, mas finalmentedesferiria um golpe mortal na serpente. A arma escolhida foi um ato de sacrifício, por meio de Jesus, um ato de amoraltruísta.4. Que assuntos envolvidos no grande conflito são esclarecidos nos textos a seguir? Por que o plano da salvação é centralnessa questão?A) Compare Gn 4:4 com Hb 11:4;Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o SENHOR de Abel e de suaoferta; (Gên. 4:4)Pela fé, Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim; pelo qual obteve testemunho de ser justo, tendo aaprovação de Deus quanto às suas ofertas. Por meio dela, também mesmo depois de morto, ainda fala. (Heb. 11:4)B) Compare Gn 12:3 e 22:18 com Gl 3:16;Abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; em ti serão benditas todas as famílias daterra. (Gên. 12:3)nela serão benditas todas as nações da terra, porquanto obedeceste à minha voz. (Gên. 22:18)Ora, as promessas foram feitas a Abraão e ao seu descendente. Não diz: E aos descendentes, como se falando de muitos,porém como de um só: E ao teu descendente, que é Cristo. (Gál. 3:16)C) Compare Êx 25:9 com Hb 4:2;Segundo tudo o que eu te mostrar para modelo do tabernáculo e para modelo de todos os seus móveis, assim mesmo ofareis. (Êxo. 25:9)Porque também a nós foram anunciadas as boas-novas, como se deu com eles; mas a palavra que ouviram não lhesaproveitou, visto não ter sido acompanhada pela fé naqueles que a ouviram. (Heb. 4:2)D) Compare Is 53:6 com Rm 5:8;Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele ainiquidade de nós todos. (Isa. 53:6)Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores.(Rom. 5:8) ramos@advir.com
  4. 4. E) Leia Mt 16:18; 18:16-20;Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerãocontra ela. (Mat. 16:18)Se, porém, não te ouvir, toma ainda contigo uma ou duas pessoas, para que, pelo depoimento de duas ou trêstestemunhas, toda palavra se estabeleça. E, se ele não os atender, dize-o à igreja; e, se recusar ouvir também a igreja,considera-o como gentio e publicano. Em verdade vos digo que tudo o que ligardes na terra terá sido ligado nos céus, etudo o que desligardes na terra terá sido desligado nos céus. Em verdade também vos digo que, se dois dentre vós,sobre a terra, concordarem a respeito de qualquer coisa que, porventura, pedirem, ser-lhes-á concedida por meu Pai, queestá nos céus. Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles. (Mat. 18:16-20)F) Leia Hb 8:1, 2Ora, o essencial das coisas que temos dito é que possuímos tal sumo sacerdote, que se assentou à destra do trono daMajestade nos céus, como ministro do santuário e do verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, não o homem. (Heb.8:1-2)Quarta Ano Bíblico: MalaquiasA batalha de SatanásSe você olhar atentamente para a lição de ontem, verá uma progressão na maneira pela qual Deus manifestou a Simesmo e Sua verdade, em meio ao grande conflito. Deus atuou por meio dos rituais no tempo dos patriarcas e nosantuário israelita, por intermédio da morte expiatória e sacrifical de Cristo, por meio da igreja e no próprio ministério deCristo no santuário celestial.No entanto, Satanás tem trabalhado incansavelmente para minar os planos do Senhor. Grande parte do grande conflitotem sido, e ainda é, travada em torno desses mesmos temas.Por exemplo, o sistema de sacrifícios praticado pelos patriarcas e no ritual do santuário de Israel, foi designado por Deuspara que a humanidade se lembrasse do Criador e para manter viva a esperança de redenção.5. Como Satanás procurou usurpar e destruir a verdade sobre o plano da salvação, especialmente a verdade revelada nosistema de sacrifícios? Rm 1:20-28; Dt 32:17, 18Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente sereconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, porisso, indesculpáveis; porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças;antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato. Inculcando-se porsábios, tornaram-se loucos e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível,bem como de aves, quadrúpedes e répteis. Por isso, Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências deseu próprio coração, para desonrarem o seu corpo entre si; pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorandoe servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém! Por causa disso, os entregou Deus apaixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário ànatureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contacto natural da mulher, se inflamaram mutuamenteem sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seuerro. E, por haverem desprezado o conhecimento de Deus, o próprio Deus os entregou a uma disposição mentalreprovável, para praticarem coisas inconvenientes, (Rom. 1:20-28)Sacrifícios ofereceram aos demônios, não a Deus; a deuses que não conheceram, novos deuses que vieram há pouco,dos quais não se estremeceram seus pais. Olvidaste a Rocha que te gerou; e te esqueceste do Deus que te deu o ser.(Deut. 32:17-18)Claro, a encarnação de Cristo, Seu ministério na Terra e Seu sacrifício expiatório na cruz foram as partes centrais domodo como Deus preferiu derrotar Satanás no grande conflito. A morte de Cristo garantiria a destruição de Satanás, quetrabalhou incansavelmente contra Cristo.6. De que maneiras Satanás trabalhou contra Jesus? Mt 2:1-18; 4:1-11; 16:21-23; 27:39-42Tendo Jesus nascido em Belém da Judéia, em dias do rei Herodes, eis que vieram uns magos do Oriente a Jerusalém. Eperguntavam: Onde está o recém-nascido Rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos para adorá-lo.Tendo ouvido isso, alarmou-se o rei Herodes, e, com ele, toda a Jerusalém; então, convocando todos os principaissacerdotes e escribas do povo, indagava deles onde o Cristo deveria nascer. Em Belém da Judéia, responderam eles,porque assim está escrito por intermédio do profeta: E tu, Belém, terra de Judá, não és de modo algum a menor entre asprincipais de Judá; porque de ti sairá o Guia que há de apascentar a meu povo, Israel. Com isto, Herodes, tendo chamadosecretamente os magos, inquiriu deles com precisão quanto ao tempo em que a estrela aparecera. E, enviando-os aBelém, disse-lhes: Ide informar-vos cuidadosamente a respeito do menino; e, quando o tiverdes encontrado, avisai-me,para eu também ir adorá-lo. Depois de ouvirem o rei, partiram; e eis que a estrela que viram no Oriente os precedia, atéque, chegando, parou sobre onde estava o menino. E, vendo eles a estrela, alegraram-se com grande e intenso júbilo.Entrando na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Prostrando-se, o adoraram; e, abrindo os seus tesouros,entregaram-lhe suas ofertas: ouro, incenso e mirra. Sendo por divina advertência prevenidos em sonho para nãovoltarem à presença de Herodes, regressaram por outro caminho a sua terra. Tendo eles partido, eis que apareceu umanjo do Senhor a José, em sonho, e disse: Dispõe-te, toma o menino e sua mãe, foge para o Egito e permanece lá até queeu te avise; porque Herodes há de procurar o menino para o matar. Dispondo-se ele, tomou de noite o menino e sua mãe ramos@advir.com
  5. 5. e partiu para o Egito; e lá ficou até à morte de Herodes, para que se cumprisse o que fora dito pelo Senhor, porintermédio do profeta: Do Egito chamei o meu Filho. Vendo-se iludido pelos magos, enfureceu-se Herodes grandemente emandou matar todos os meninos de Belém e de todos os seus arredores, de dois anos para baixo, conforme o tempo doqual com precisão se informara dos magos. Então, se cumpriu o que fora dito por intermédio do profeta Jeremias: Ouviu-se um clamor em Ramá, pranto, [choro] e grande lamento; era Raquel chorando por seus filhos e inconsolável porquenão mais existem. (Mat. 2:1-18)A seguir, foi Jesus levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E, depois de jejuar quarenta dias equarenta noites, teve fome. Então, o tentador, aproximando-se, lhe disse: Se és Filho de Deus, manda que estas pedrasse transformem em pães. Jesus, porém, respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavraque procede da boca de Deus. Então, o diabo o levou à Cidade Santa, colocou-o sobre o pináculo do templo e lhe disse:Se és Filho de Deus, atira-te abaixo, porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem; e: Eleste susterão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra. Respondeu-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentaráso Senhor, teu Deus. Levou-o ainda o diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória delese lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Então, Jesus lhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque estáescrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto. Com isto, o deixou o diabo, e eis que vieram anjos e oserviram. (Mat. 4:1-11)Desde esse tempo, começou Jesus Cristo a mostrar a seus discípulos que lhe era necessário seguir para Jerusalém esofrer muitas coisas dos anciãos, dos principais sacerdotes e dos escribas, ser morto e ressuscitado no terceiro dia. EPedro, chamando-o à parte, começou a reprová-lo, dizendo: Tem compaixão de ti, Senhor; isso de modo algum teacontecerá. Mas Jesus, voltando-se, disse a Pedro: Arreda, Satanás! Tu és para mim pedra de tropeço, porque não cogitasdas coisas de Deus, e sim das dos homens. (Mat. 16:21-23)Os que iam passando blasfemavam dele, meneando a cabeça e dizendo: Ó tu que destróis o santuário e em três dias oreedificas! Salva-te a ti mesmo, se és Filho de Deus, e desce da cruz! De igual modo, os principais sacerdotes, com osescribas e anciãos, escarnecendo, diziam: Salvou os outros, a si mesmo não pode salvar-se. É rei de Israel! Desça dacruz, e creremos nele. (Mat. 27:39-42)Depois de Sua morte e ressurreição, Cristo estabeleceu Sua igreja na Terra, para proclamar à humanidade perdida a boanotícia da salvação. Desde o início da igreja, Satanás tem procurado enfraquecê-la e destruí-la. As passagens a seguirmostram algumas das táticas que ele usa contra a igreja (leia At 5:17, 18; 7:54-60; 2Ts 2:1-4; 1Tm 4:1; 2Pe 2:1; Ap 12:13-17).Levantando-se, porém, o sumo sacerdote e todos os que estavam com ele, isto é, a seita dos saduceus, tomaram-se deinveja, prenderam os apóstolos e os recolheram à prisão pública. (Atos 5:17-18)Ouvindo eles isto, enfureciam-se no seu coração e rilhavam os dentes contra ele. Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo,fitou os olhos no céu e viu a glória de Deus e Jesus, que estava à sua direita, e disse: Eis que vejo os céus abertos e oFilho do Homem, em pé à destra de Deus. Eles, porém, clamando em alta voz, taparam os ouvidos e, unânimes,arremeteram contra ele. E, lançando-o fora da cidade, o apedrejaram. As testemunhas deixaram suas vestes aos pés deum jovem chamado Saulo. E apedrejavam Estêvão, que invocava e dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito! Então,ajoelhando-se, clamou em alta voz: Senhor, não lhes imputes este pecado! Com estas palavras, adormeceu. (Atos 7:54-60)Irmãos, no que diz respeito à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e à nossa reunião com ele, nós vos exortamos a que nãovos demovais da vossa mente, com facilidade, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola,como se procedesse de nós, supondo tenha chegado o Dia do Senhor. Ninguém, de nenhum modo, vos engane, porqueisto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniqüidade, o filho da perdição, oqual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus ou é objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário deDeus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus. (2 Ts 2:1-4)Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritosenganadores e a ensinos de demônios, (1 Tim. 4:1)Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quaisintroduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou,trazendo sobre si mesmos repentina destruição. (2 Ped. 2:1)Quando, pois, o dragão se viu atirado para a terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho varão; e foram dadas àmulher as duas asas da grande águia, para que voasse até ao deserto, ao seu lugar, aí onde é sustentada durante umtempo, tempos e metade de um tempo, fora da vista da serpente. Então, a serpente arrojou da sua boca, atrás damulher, água como um rio, a fim de fazer com que ela fosse arrebatada pelo rio. A terra, porém, socorreu a mulher; e aterra abriu a boca e engoliu o rio que o dragão tinha arrojado de sua boca. Irou-se o dragão contra a mulher e foi pelejarcom os restantes da sua descendência, os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus; e sepôs em pé sobre a areia do mar. (Apoc. 12:13-17)Entretanto, a carta aos Hebreus fala de um santuário real no Céu, onde Cristo entrou depois de Sua ascensão (Hb 4:14-16;9:24), para realizar uma função sacerdotal em favor da humanidade pecadora (Hb 7:27). Em Daniel 8:11-14, podemos ver aatividade de Satanás oposta ao ministério sacerdotal de Cristo no santuário celestial e sua tentativa de usurpar esseministério.Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote que penetrou os céus, conservemos firmes a nossaconfissão. Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentadoem todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono dagraça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna. (Heb. 4:14-16) ramos@advir.com
  6. 6. Porque Cristo não entrou em santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para comparecer,agora, por nós, diante de Deus; (Heb. 9:24)que não tem necessidade, como os sumos sacerdotes, de oferecer todos os dias sacrifícios, primeiro, por seus própriospecados, depois, pelos do povo; porque fez isto uma vez por todas, quando a si mesmo se ofereceu. (Heb. 7:27)Sim, engrandeceu-se até ao príncipe do exército; dele tirou o sacrifício diário e o lugar do seu santuário foi deitadoabaixo. O exército lhe foi entregue, com o sacrifício diário, por causa das transgressões; e deitou por terra a verdade; e oque fez prosperou. Depois, ouvi um santo que falava; e disse outro santo àquele que falava: Até quando durará a visãodo sacrifício diário e da transgressão assoladora, visão na qual é entregue o santuário e o exército, a fim de serempisados? Ele me disse: Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado. (Dan. 8:11-14)Uma coisa é ler 1 Pedro 5:8, 9 e ter uma compreensão intelectual dessa advertência; outra coisa é realmente vivê-la emnosso dia a dia. Como podemos, de fato, resistir ao diabo? Quantas vezes durante um único dia você está ciente dosesforços de Satanás contra você?Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém paradevorar; resisti-lhe firmes na fé, certos de que sofrimentos iguais aos vossos estão-se cumprindo na vossa irmandadeespalhada pelo mundo. (1 Ped. 5:8-9)Quinta Ano Bíblico: Vista geral do Antigo TestamentoEscolhasSe vos parece mal servir ao Senhor, escolhei, hoje, a quem sirvais: se aos deuses a quem serviram vossos pais queestavam dalém do Eufrates ou aos deuses dos amorreus em cuja terra habitais. Eu e a minha casa serviremos aoSenhor” (Js 24:15). Como esse texto revela o que é, em muitos aspectos, a questão mais fundamental no grande conflito?Porém, se vos parece mal servir ao SENHOR, escolhei, hoje, a quem sirvais: se aos deuses a quem serviram vossos paisque estavam dalém do Eufrates ou aos deuses dos amorreus em cuja terra habitais. Eu e a minha casa serviremos aoSENHOR. (Josué 24:15)As profecias apresentam uma visão das cenas finais do conflito entre Deus e Satanás. Por um período de 1.260 anos ( Dn7:25; 12:7; Ap 11:2; 12:14; 13:5), Satanás esporadicamente, mas persistentemente, perseguiu o povo de Deus. Em umconfronto final descrito em Apocalipse 12 e 13, ele emprega dois poderes terrestres: uma besta semelhante a leopardo (Ap13:1-10) e uma besta de dois chifres (Ap 13:11-17). Esses poderes empregam todas as táticas de Satanás, mencionadas nalição de ontem.Proferirá palavras contra o Altíssimo, magoará os santos do Altíssimo e cuidará em mudar os tempos e a lei; e os santoslhe serão entregues nas mãos, por um tempo, dois tempos e metade de um tempo. (Dan. 7:25)Ouvi o homem vestido de linho, que estava sobre as águas do rio, quando levantou a mão direita e a esquerda ao céu ejurou, por aquele que vive eternamente, que isso seria depois de um tempo, dois tempos e metade de um tempo. E,quando se acabar a destruição do poder do povo santo, estas coisas todas se cumprirão. (Dan. 12:7)e foram dadas à mulher as duas asas da grande águia, para que voasse até ao deserto, ao seu lugar, aí onde ésustentada durante um tempo, tempos e metade de um tempo, fora da vista da serpente. (Apoc. 12:14)Foi-lhe dada uma boca que proferia arrogâncias e blasfêmias e autoridade para agir quarenta e dois meses; (Apoc. 13:5)Vi emergir do mar uma besta que tinha dez chifres e sete cabeças e, sobre os chifres, dez diademas e, sobre as cabeças,nomes de blasfêmia. A besta que vi era semelhante a leopardo, com pés como de urso e boca como de leão. E deu-lhe odragão o seu poder, o seu trono e grande autoridade. Então, vi uma de suas cabeças como golpeada de morte, mas essaferida mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou, seguindo a besta; e adoraram o dragão porque deu a suaautoridade à besta; também adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem pode pelejar contra ela?Foi-lhe dada uma boca que proferia arrogâncias e blasfêmias e autoridade para agir quarenta e dois meses; e abriu aboca em blasfêmias contra Deus, para lhe difamar o nome e difamar o tabernáculo, a saber, os que habitam no céu. Foi-lhe dado, também, que pelejasse contra os santos e os vencesse. Deu-se-lhe ainda autoridade sobre cada tribo, povo,língua e nação; e adorá-la-ão todos os que habitam sobre a terra, aqueles cujos nomes não foram escritos no Livro daVida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo. Se alguém tem ouvidos, ouça. Se alguém leva paracativeiro, para cativeiro vai. Se alguém matar à espada, necessário é que seja morto à espada. Aqui está a perseverançae a fidelidade dos santos. (Apoc. 13:1-10)Vi ainda outra besta emergir da terra; possuía dois chifres, parecendo cordeiro, mas falava como dragão. Exerce toda aautoridade da primeira besta na sua presença. Faz com que a terra e os seus habitantes adorem a primeira besta, cujaferida mortal fora curada. Também opera grandes sinais, de maneira que até fogo do céu faz descer à terra, diante doshomens. Seduz os que habitam sobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar diante da besta, dizendo aosque habitam sobre a terra que façam uma imagem à besta, àquela que, ferida à espada, sobreviveu; e lhe foi dadocomunicar fôlego à imagem da besta, para que não só a imagem falasse, como ainda fizesse morrer quantos nãoadorassem a imagem da besta. A todos, os pequenos e os grandes, os ricos e os pobres, os livres e os escravos, faz quelhes seja dada certa marca sobre a mão direita ou sobre a fronte, para que ninguém possa comprar ou vender, senãoaquele que tem a marca, o nome da besta ou o número do seu nome. (Apoc. 13:11-17) ramos@advir.com
  7. 7. 7. Apocalipse 14 descreve o contra-ataque divino às manobras de Satanás, durante as etapas finais do conflito, com oobjetivo de encerrar a guerra. De que maneira algumas questões do grande conflito serão reveladas? Ap 14:6-13Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e acada nação, e tribo, e língua, e povo, dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora doseu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. Seguiu-se outro anjo, o segundo,dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia que tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição.Seguiu-se a estes outro anjo, o terceiro, dizendo, em grande voz: Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe asua marca na fronte ou sobre a mão, também esse beberá do vinho da cólera de Deus, preparado, sem mistura, do cáliceda sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro. A fumaça do seutormento sobe pelos séculos dos séculos, e não têm descanso algum, nem de dia nem de noite, os adoradores da besta eda sua imagem e quem quer que receba a marca do seu nome. Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam osmandamentos de Deus e a fé em Jesus. Então, ouvi uma voz do céu, dizendo: Escreve: Bem-aventurados os mortos que,desde agora, morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem das suas fadigas, pois as suas obras osacompanham. (Apoc. 14:6-13)Do ponto de vista de Deus, uma proclamação clara das questões envolvidas no conflito (aqui representadas como sendotransmitidas por três anjos) é necessária antes do fim do conflito. A humanidade precisa ser informada de modointeligente para que as pessoas tomem uma decisão sobre essas questões.No conflito final haverá pessoas que permanecerão leais a Deus. Em Apocalipse 14 elas são simbolizadas com o número144.000, possivelmente representativo de um povo inumerável de todas as nações da Terra (Ap 7:4). Mas elaspermanecerão obedientes aos mandamentos de Deus em um tempo de grande angústia e serão inteiramente dedicadasà adoração de seu Deus Criador. Receberão a aprovação de Deus e serão vitoriosas com Ele, enquanto as impenitentesserão destruídas na colheita seguinte (Ap 14:14-20). O ponto é que um dia esse grande conflito estará terminado.Então, ouvi o número dos que foram selados, que era cento e quarenta e quatro mil, de todas as tribos dos filhos deIsrael: (Apoc. 7:4)Olhei, e eis uma nuvem branca, e sentado sobre a nuvem um semelhante a filho de homem, tendo na cabeça uma coroade ouro e na mão uma foice afiada. Outro anjo saiu do santuário, gritando em grande voz para aquele que se achavasentado sobre a nuvem: Toma a tua foice e ceifa, pois chegou a hora de ceifar, visto que a seara da terra já amadureceu!E aquele que estava sentado sobre a nuvem passou a sua foice sobre a terra, e a terra foi ceifada. Então, saiu dosantuário, que se encontra no céu, outro anjo, tendo ele mesmo também uma foice afiada. Saiu ainda do altar outro anjo,aquele que tem autoridade sobre o fogo, e falou em grande voz ao que tinha a foice afiada, dizendo: Toma a tua foiceafiada e ajunta os cachos da videira da terra, porquanto as suas uvas estão amadurecidas! Então, o anjo passou a suafoice na terra, e vindimou a videira da terra, e lançou-a no grande lagar da cólera de Deus. E o lagar foi pisado fora dacidade, e correu sangue do lagar até aos freios dos cavalos, numa extensão de mil e seiscentos estádios. (Apoc. 14:14-20)Uma coisa a respeito do grande conflito: ninguém pode ser neutro. Você está de um lado ou do outro. Qualquer um podealegar estar do lado do Senhor (Jo 16:2). Como você pode saber, com certeza, que realmente está do lado certo? Comentecom a classe.Eles vos expulsarão das sinagogas; mas vem a hora em que todo o que vos matar julgará com isso tributar culto a Deus.(João 16:2)Sexta Ano Bíblico: Mt 1–4Estudo adicionalLeia de Frank B. Holbrook, “The Great Controversy” [O Grande Conflito], p. 969-1008, em Raoul Dederen (editor),Handbook of Seventh-day Adventist Theology [Tratado de Teologia Adventista do Sétimo Dia].“A Bíblia explica-se por si mesma. Textos devem ser comparados com textos. O estudante deve aprender a ver a Palavracomo um todo, e bem assim a relação de suas partes. Deve obter conhecimento de seu grandioso tema central, dopropósito original de Deus em relação a este mundo, da origem do grande conflito, e da obra da redenção. Devecompreender a natureza dos dois princípios que contendem pela supremacia, e aprender a delinear sua operação atravésdos relatos da História e da profecia, até a grande consumação. Deve enxergar como esse conflito penetra em todos osaspectos da experiência humana; como em cada ato da vida ele revela um ou outro daqueles dois princípiosantagônicos; e como, quer queira ou não, ele está agora mesmo decidindo de que lado do conflito estará” (Ellen G.White, Educação, p. 190).Perguntas para reflexão1. Alguns falam sobre uma “demora” na segunda vinda de Cristo. Com a quantidade de injustiça e de sofrimento semsentido no mundo, parece que cada dia adicional de vida na Terra já é demais. Peça que os alunos compartilhem suasperspectivas sobre o tema do grande conflito do ponto de vista da assim chamada “demora”.2. Como podemos saber que estamos do lado do Senhor? A resposta é relevante especialmente por causa do nossoentendimento de quem serão os perseguidores nos últimos dias. Como podemos ter certeza de que estaremos no ladocerto?Respostas sugestivas: 1. Jesus e Satanás; a Bíblia afirma que o conflito e seus atores são reais. Se tudo fosse apenas algoespiritual, não haveria esperança real. 2. Satanás ficou orgulhoso por causa da beleza, perfeição e privilégios que oCriador havia dado a ele; quis ser igual a Deus, cobiçou a adoração dos anjos e corrompeu sua santidade, dando origemao conflito. 3. Na inimizade entre a serpente e a mulher; Jesus, o descendente da mulher esmagaria, na cruz, a cabeça da ramos@advir.com
  8. 8. serpente. 4. O plano da salvação está em todas as questões: (A) O verdadeiro e o falso sistema de adoração; averdadeira fé, que obedece, e a presunção, que se rebela contra Deus; (B) A bênção será dada aos que aceitarem osacrifício de Jesus, descendente de Abraão; os seguidores da serpente serão amaldiçoados; (C) O ritual do santuárioanunciou o evangelho no Antigo Testamento, mas nem todos aproveitaram; (D) Nossos pecados foram lançados sobreJesus por causa do amor de Deus por nós; (E) Fundamentada em Cristo, a igreja tem autoridade para resolver problemasinternos e vencer as forças externas do mal; (F) Jesus está à direita do trono da majestade, ministrando como SumoSacerdote, em favor de Seu povo. 5. Buscou transformar a glória de Deus na semelhança do homem corruptível e deanimais; levou as pessoas a desonrar o corpo e a adorar a criatura em lugar do Criador; e a oferecer sacrifícios aosdemônios. 6. Procurou matar o menino Jesus; apresentou tentações para que Jesus pecasse; usou Pedro para desviarCristo de Sua missão; desafiou Jesus a descer da cruz. 7. Os mensageiros divinos apresentarão: o evangelho eterno, odever de adorar somente ao Criador e o juízo divino; diante do evangelho, as mentiras de Babilônia serão derrubadas; osadoradores da besta serão destruídos e os adoradores do Criador receberão a vida. Resumo da Lição 1: O grande conflito: fundamento de nossas crençasTexto-chave: Gênesis 3:15Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe feriráso calcanhar. (Gên. 3:15)O aluno deverá:Conhecer: Os eventos do grande conflito entre Deus e Satanás e como este afeta todos os aspectos da vida do cristão eseu sistema de crenças.Sentir: O significado eterno da escolha individual nesse grande conflito.Fazer: Aceitar o sacrifício de Cristo em seu favor e cooperar para partilhar esse evangelho como parte essencial dogrande conflito.Esboço do aprendizadoI. Conhecer: O quadro completoA. Que eventos críticos ocorreram até a presente data, e que eventos terão lugar no futuro, a fim de erradicar o mal doUniverso?B. De que forma o conflito entre o bem e o mal afeta tudo o que os cristãos, bem como os não cristãos, fazem e pensamno dia a dia?II. Sentir: Escolhas com significado eternoA. Que parte as decisões diárias desempenham na formação do destino eterno?B. Por que é tão importante proteger as oportunidades que todos têm de escolher entre o caminho de Deus e o caminhode Satanás, bem como de influenciar os outros sobre as escolhas eternas que Deus os convoca a fazer?III. Fazer: Cooperar com os agentes divinosA. Por que é essencial aceitarmos o sacrifício de Cristo em base diária?B. Que oportunidades de partilhar o evangelho estão à disposição todos os dias?C. Quais são as melhores maneiras de cooperar com os agentes celestiais em partilhar a mensagem do evangelho nestesúltimos dias?Resumo: O grande conflito entre o bem e o mal afeta a vida de todos no Universo. O mais importante é a escolha quecada um deve fazer entre Deus e Satanás.CICLO DO APRENDIZADOMOTIVAÇÃOConceito-chave para o crescimento espiritual: A vida é uma guerra constante entre o bem e o mal, entre Cristo eSatanás. Ao estudarmos esse conflito e como afeta nossa vida e destino, a questão central deve ser: de que ladoescolhemos estar – de Cristo ou de Satanás?Só para o professor: Em uma época em que as pessoas se recusam a reconhecer a necessidade de fidelidade moral eespiritual a Deus, é essencial reconhecer que estamos envolvidos em uma verdadeira guerra espiritual. Entender queguerra é essa e como obter a vitória é o foco central de nossa lição desta semana.Atividade de abertura: Gautama, herdeiro do trono de Kapilavastu, no antigo Nepal, era o único objeto de amor e cuidadode seu pai. O rei protegeu o príncipe de qualquer conhecimento ou experiência com a dor, o sofrimento e a morte. Mas,um dia, quando ainda era adolescente, o príncipe saiu do palácio e, pela primeira vez, viu as aflições da velhice, dadoença e da morte. Muito aflito, Gautama deixou o palácio, sua jovem esposa e o filho, e vagou pelas florestas,suportando anos de muita aflição, jejum e meditação, até que, um dia, afirmou ter encontrado a resposta para a questãodo mal. Assim nasceu Buda, cujo ensino essencial era este: a resposta para o problema do sofrimento pode serencontrada na renúncia a todo desejo de sensualidade.Essa é uma resposta. O hinduísmo oferece outra: a morte nada mais é que a porta para uma nova forma de vida no cicloinfinito de reencarnações. Alguns negam a realidade do pecado, enquanto outros consideram a morte o fim normal deum processo biológico.Mas que diz a Bíblia sobre a origem e as soluções para a dor, o sofrimento e a morte? Veja Gn 3:1-23, Rm 5:12, 6:23, Is 14:12-15 e Ap 12:1-4; 20:7-15. ramos@advir.com
  9. 9. Comente: A partir dos versos acima, e de outras passagens, quais são as causas da dor, do sofrimento e da morte? Ondese originou o pecado, e quais foram seus resultados no conflito conhecido como o grande conflito entre Deus e Lúcifer?Quando será o fim do grande conflito, e qual será o resultado final?CompreensãoSó para o professor: Conduza em sua classe uma breve revisão do grande conflito em relação à sua natureza, origem, osoponentes e sua conclusão final.Comentário BíblicoNa história cristã, nenhuma outra igreja entende tão bem quanto a Igreja Adventista do Sétimo Dia a importância dotema do grande conflito no tocante ao problema do pecado e sua destruição final. A série de cinco volumes de Ellen G.White, "O Conflito dos Séculos", começa com as palavras "Deus é amor" e termina com as palavras "Deus é amor". Nesseínterim, mais de três mil páginas de narrativa traçam a história do grande conflito entre Cristo e Satanás, proporcionandoum comentário mais ampliado sobre a história da redenção, desde a origem do pecado até a restauração definitiva dajustiça, conforme está retratado na Bíblia. A lição de hoje analisa a origem, a natureza e a conclusão do grande conflito.I. A origem do grande conflito"Houve guerra nos Céus" (Ap 12:7, NVI). A frase em si é um paradoxo e um mistério. Como pode haver guerra no Céu – olugar em que está o trono de Deus (Is 66:1) e habitam absoluta santidade, justiça, amor e paz? A palavra guerra indicaque no Céu surgiu alguém contrário à vontade de Deus. Apocalipse 12:7-9 identifica o rebelde como o "dragão", "o grandedragão", "a antiga serpente chamada Diabo ou Satanás" (NVI). Além disso, a mesma passagem diz que Satanás e seusanjos lutaram contra "Miguel e Seus anjos" (v. 7). Miguel, nome usado apenas em passagens apocalípticas (veja Dn10:13, 21; 12:1; Jd 9; Ap 12:7) para representar Cristo em conflito direto com Satanás, prevaleceu na guerra. Isso levou àexpulsão de Satanás e seu exército para a Terra, onde a antiga serpente enganou Adão e Eva e mergulhou o mundo nopecado (Gn 3:1-15). Assim começou o grande conflito, um conflito cósmico entre Cristo e Satanás, entre as forças do beme do mal.Pense nisto: Todo ato contrário à vontade de Deus, como fez Lúcifer, é um ato de guerra contra o trono de Deus. Por queDeus não exterminou simplesmente o pecado e Satanás nos primeiros sinais da revolta, antes que se transformasse emuma guerra em grande escala, que terminou com a expulsão de Satanás e seus anjos rebeldes para a Terra? O que aresposta revela sobre a justiça e a misericórdia de Deus?II. O grande conflito: Sua naturezaVárias passagens bíblicas, como Isaías 14:12-15, Ezequiel 28:12-17, Gênesis 3:1-15 e Apocalipse 12:1-17 revelam alguns dos aspectosbásicos do grande conflito.Primeiramente, o grande conflito é uma batalha entre a criatura e o Criador a respeito do caráter de amor e a soberaniade Deus. Por sua própria essência, a relação Criador-criatura traz em si um limite. O Criador concede à criatura vida,amor e comunhão, e a criatura deve responder com amor, obediência e louvor. O desrespeito a esse limite representarebelião. Esse foi um dos primeiros pecados de Lúcifer, além de inveja e ambição. Ele se gabava: "Serei como oAltíssimo" (Is 14:14, NVI). O orgulho levou a arrogância, orgulho e ilegalidade, culminando com uma revolta contra aautoridade de Deus.Segundo, o grande conflito é uma batalha pela fidelidade. Pertencemos a Deus ou a Satanás? "Em vez de procurar fazercom que Deus fosse supremo nas afeições e lealdade de Suas criaturas, era esforço de Lúcifer conquistar para si o seuserviço e homenagem. E, cobiçando a honra que o infinito Pai conferira a Seu Filho, esse príncipe dos anjos aspirou aopoder cujo uso era prerrogativa de Cristo, unicamente" (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 494).Terceiro, o grande conflito é uma batalha universal que afeta cada pessoa até culminar com a destruição de Satanás ( Ap20:7-10). Desde que Satanás introduziu esse conflito cósmico na história da raça humana, enganando Adão e Eva ( Gn 3:1-15), a criação inteira se tornou campo de batalha entre Cristo e Satanás. Ninguém pode escapar da batalha, e todospodem aproveitar a vitória disponível por meio de Cristo. O cristão "deve compreender a natureza dos dois princípios quecontendem pela supremacia, e aprender a delinear sua operação através dos relatos da História e da profecia, até àgrande consumação. Deve enxergar como este conflito penetra em todos os aspectos da experiência humana; como emcada ato de sua vida ele próprio revela um ou outro daqueles dois princípios antagônicos; e como, quer queira quer não,ele está mesmo agora a decidir de que lado do conflito estará" (Ellen G. White, Educação, p. 190).Pense nisto: Um pensamento preocupante: cada ato da vida revela de que lado do grande conflito estamos: de Cristo oude Satanás. Tente compreender realmente todas as implicações desse pensamento. Por que é um engano fatal crer emalgo menos que essa realidade? Por que realmente não há terreno neutro nesse conflito, e o que isso diz sobre a verdadede que todos – pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos – estamos envolvidos?III. O grande conflito: sua conclusãoO conflito cósmico teve origem na acusação de Satanás de que Deus é arbitrário, Seu amor é falso e Sua lei não pode serguardada. Embora o conflito no Céu tenha sido resolvido quando Cristo esmagou suas raízes e Satanás foi expulso para aTerra, o arqui-inimigo de Deus continua o conflito na Terra, onde espera enganar toda a humanidade e se tornar opríncipe deste mundo. Ele verificou que se não podia possuir a Terra mediante o poder de criação, iria fazê-lo enganandoos habitantes da Terra e voltando-os contra Deus. Mas Deus não deixou este mundo desprotegido e, de fato, demonstrouter um plano para atender a essa contingência do mal: Cristo certamente foi “conhecido antes da criação do mundo,revelado nestes últimos tempos em favor de vocês. Por meio dEle vocês creem em Deus, que O ressuscitou dentre osmortos e O glorificou, de modo que a fé e a esperança de vocês estão em Deus" (1Pe 1:20, 21, NVI). Pela cruz e pelaressurreição, Cristo obteve a vitória final sobre o pecado e Satanás. No entanto, o conflito aguarda sua consumação finalno fim do milênio, quando pecado e pecadores não mais existirão e o próprio diabo será lançado "no lago de fogo" ( Ap20:7-10). ramos@advir.com
  10. 10. Pense nisto: Na seção dois, lemos em Ezequiel 28:12-17 como Lúcifer andava entre as pedras afogueadas no Céu. Seja qualfor o significado dessas pedras, uma coisa é clara. Lúcifer andava com impunidade entre essas pedras, imune às chamas.Ele era "à prova de fogo". Mas, na consumação final do grande conflito, Satanás será inflamável e sua imunidade nãomais existirá. Esse contraste contém uma lição espiritual para nós. Nosso Deus é um fogo consumidor. Temos umaescolha entre duas: permitir que, durante este período de prova, na fornalha da aflição, Ele refine nosso caráter de todaescória até que brilhe o ouro puro de Sua imagem, ou recusar submissão e sofrer o processo de refino no lago de fogo. Asduas escolhas queimam o pecado em nós. Mas uma consome o pecado, apenas, e tem como resultado a vida eterna; aoutra nos consome e resulta em morte eterna. Que tipo de proteção Deus nos dá agora, assim como deu aos três amigosde Daniel, à prova de fogo na fornalha da aflição, assim como o fogo purifica e refina?AplicaçãoSó para o professor: A Bíblia é um grande livro texto sobre o assunto do grande conflito entre Cristo e Satanás. Por meiode fracassos e triunfos de muitos dos personagens bíblicos, nos altos e baixos da história de Israel, nas advertências ebênçãos proféticas, na vida, morte e ressurreição de Jesus e nos eventos finais da história da Terra, devemos crer queDeus está no controle da história e que levará os que nEle confiam ao triunfo inevitável.Perguntas de aplicaçãoPor que o estudo do grande conflito é importante para a vida cristã?José. Davi. Ester. Pedro. Judas. Como esses personagens ilustram que os seres humanos estão muito envolvidos nogrande conflito?CriatividadeSó para o professor: Para cada ser humano assaltado pelo poder do pecado e de Satanás, a cruz é a garantia de triunfo.Enfatize perante a classe esta lição de maneira tão poderosa quanto puder.Atividade: Leia com a classe a seguinte citação. Comente a esperança de vitória que Satanás alimentava e como essaesperança se desfez. Por que Satanás continua insistindo, mesmo sabendo que, finalmente, deve morrer?"Quando Jesus foi posto no sepulcro, Satanás triunfou. Ousou esperar que o Salvador não retomaria novamente a vida.Reclamava o corpo do Senhor, e pôs sua guarda em torno do túmulo, procurando manter Cristo prisioneiro. Ficou furiosoquando seus anjos fugiram diante do mensageiro celestial. Ao ver Cristo sair em triunfo compreendeu que seu reinochegaria a termo, e que ele devia morrer afinal" (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 782). ramos@advir.com

×